22 Comentários

  1. Rooster

    Médico safado esse, hein?

    Lendas como a do Leprechaun eram comuns na Irlanda, e um cirurgião com queda para o artesanato (e para o 171) é bem capaz de montar uma farsa dessas.

    Responder
  2. Maria

    tem gente que faz escultura em palito de fósforo, em grão de arroz, acho bem plausível que tivesse capacidade para algo assim. artistas, muitas vezes, tem dons “extraterrenos”.

    Responder
  3. Juliana Vetromille

    Oi Philipe, não tem fotos e mais detalhes dos outros itens achados? Muito maneira essa história!
    Bjos
    Juju

    Responder

    1. Eu procurei, mas o termo “capa de fada” é muito ingrato. Acha um monte de merda que não é a parada. Creio que não haja foto na net.

      Responder
  4. Fernando Martini

    Eita porra! Mas esse sapato ainda existe? Não tem fotos mais recentes?

    Responder
  5. joselito almeida

    Philipe, na sua opinião isso é veridico ou trata-se de mais um hoax?
    O texto cita a Universidade de Harvard, mas nada de nomes, departamentos, datas.
    A propria Universidade de Harvard teria artigos cientificos sobre esse assunto, que se existissem, poderiam ser citados no texto.
    Onde está o sapatinho hoje? Pela importancia, deve estar em algum museu, universidade, centro de pesquisa, etc

    Responder

    1. De fato, quando fiz o post fui atrás de descobrir onde o sapato estava e não achei. creio que depois de analisado, ele foi devolvido à família do médico. Tudo que eu encontrei foi essa referência a ele num livro de mistérios bastante famoso. Pessoalmente não creio que seja de fada nem nada do tipo, mas me intriga quem o fez e o porque, e porque ele estaria num lugar ermo. Investigando mais a fundo, descobri que na região, povos antigos acreditavam tão fortemente em seres como fadas e duendes, que construíam pequenos bonecos. Não se sabe a razão desses bonecos, mas alguns deles foram encontrados em pequenos túmulos. Suspeito que talvez este sapato pudesse pertencer a um desses bonecos, e a parte do desgaste alguém inventou para dar um “tchã” nessa história. Porém, se ele é de pele de rato, teria se decomposto muito rapidamente exposto ao tempo, de modo que penso que talvez, uma das cabras pudesse ter arrancado uma planta cujas raízes desenterraram um desses pequenos túmulos, expondo o sapatinho e dando inicio a onda de especulações locais.
      Achei estranho na história o sapatinho surgir na Irlanda e ir parar em Harvard, e não em uma universidade inglesa, como Oxford…

      Responder
  6. Maicon

    A história pode até ser legal mas onde está o item hoje?
    Se ele foi levado até harvard, deve exitir algum registro disso por lá?
    O item provavelmente estaria exposto em algum lugar.

    Pra mim não passa de alguém que fez uma caneca em formato de dedal, tirou a foto e contou a história.

    Responder
  7. Márcio Neves

    E um assunto muito curioso, e que deve ser bem pesquisado quanto às descobertas sobre objetos que já foram encontrados naquele local.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.