O mistério do menino poliglota analfabeto

O nosso amigo e leitor Trajano deu a dica deste video, em que Maurício Kubrusly conta o caso que ele mesmo investigou de um menino paupérrimo e analfabeto de uma cidadezinha do interior de Minas, que do dia para a noite aprendeu a falar Inglês, japonês e alemão.

Como isso é possível? Segundo diz o menino, tão pobre que vive de mendigar comida, três outros meninos surgem para ele nos sonhos e o ensinam. Segundo o jornalista Maurício Kubrusly, o mistério do caso deste menino de sete anos na ápoca, começou em um dia em que ele estava mendigando e enquanto comia sobras no fundo de uma casa, sofreu uma violência por parte da dona da casa. Ele fugiu traumatizado, e naquela noite, os “meninos misteriosos” o visitaram no sonho. Cada menino fala uma língua.

A mãe do garoto, espantada e vê-lo falando algo que ela não entendia, achou que era um caso de “encapetamento” e o levou na igreja para o padre benzer. Por sorte, o padre da paróquia local era um alemão. O padre ao ver o menino, detectou que ele não estava possuído, mas sim falando em alemão. A história espalhou e o Kubrusly acabou sabendo. Ele foi então, até a cidade pobre do interior de Minas, onde conheceu o menino e viu, ao vivo e à cores, o menino escrever nas três línguas (obs: O menino e seus pais são analfabetos).  O caso era tão espantoso que o jornalista do Fantástico carregou o menino até o bairro da Liberdade em SP onde colocou o garoto para falar japonês com japoneses reais. E eles eram unânimes, apesar de umas coisas erradas aqui e outras ali, ele estava realmente falando em japonês.
É um caso muito estranho que o Maurício disse que gostaria de investigar mais, porém a chefia da emissora tinha outros planos e o assunto não foi à frente. Acho que seria muito improvável que o jornalista Maurício Kubrusly inventasse isso, até porque algo assim arruinaria a carreia de qualquer jornalista. Então, pra mim das duas uma: Ou este é um tipico caso que deixaria James Randi com as barbas de molho, ou o próprio Kubrusly teria caído num engodo. Mas neste caso, como explicar uma criança que não tem sequer o que comer e nem sabe escrever na própria língua escrevendo e falando em três idiomas internacionais?
Ele aprendeu a escrever em inglês, alemão e japonês aos 7 anos, mas em português só foi aprender aos 11, quando estudou até o quarto ano do ensino fundamental.
O sonho com os três meninos gringos vestidos de branco durou por nada menos que QUINZE ANOS!

Veja que caso intrigante:

Como seria possível explicar isso? Você tem uma teoria? Conte-nos nos comentários.

Após pesquisar sobre o caso, descobri que o menino se chama Evaldson Bispo dos Santos, e mora em São Francisco [Minas Gerais], à beira do Rio São Francisco. O caso já está num estagio mais estranho do que já parecia pelo relato de Kubrusly. Evaldson hoje adulto, montou uma escola no quintal de sua casa e hoje ensina os 3 idiomas para pessoas carentes.
Ele já conversou em japonês com o imperador do Japão.

Aqui está a primeira matéria, feita pelo Kubrusly:

Hoje o cara ja tem até site (o nome é o apelido dele, “Galinha tonta”):

http://www.galinhatonta.com.br/

Related Post

74 comentários em “O mistério do menino poliglota analfabeto”

  1. TUDO, MENTIRA PARA DESVIA O POLVO DE ISRAEL DO CAMINHO DA, VERDADE!!!
    POLVO DE ISRAEL NÃO, SE EMPRESSIONE! E TUDO MENTIRA! PRO SIGÃO, NO CAMINHO EM PAS!

  2. O assunto é interessante, mas… como sempre, faltam dados mais precisos. O simples fato da emissora de TV não ter levado um caso tão “fantástico” desses à frente já não seria um indício de que as coisas não eram bem como aparentavam? Emissoras de TV disputariam “no tapa” a exclusividade de noticiar um “savant” desse quilate…
    Ademais, como esses “talentos” não avisam quando irão “despertar”, fica impossível acompanhar a vida da pessoa, para se saber se ela não terá contato com outras línguas e culturas.
    Essa pessoa do post pode ter a facilidade de uma outra, indiano, salvo engano, que consegue falar “trocentos” idiomas, e ainda aprender novos dialetos, conhecendo apenas algumas palavras e um pouco da estrutura da linguagem. Também não fica ‘perfeito”, mas surpreende.
    As únicas – e imprecisas – informações são as dadas por pessoas que podem, ou não estarem agindo de boa-fé, mas atestar isso é mais difícil do que o fenômeno em sí.
    Embora sério, o tópico me fez lembrar, em relação ao analfabetismo, a piada da secretária que falava muito bem três línguas estrangeiras, mas quando perguntavam a ela como ela dominava o português, ela respondia: “ah, aí vareia, né…”, bem ao estilo “mineiro”.

    • Ah, eu não acho que as emissoras disputariam isso aos tapas, pq a audiência em geral não se interessa por essas coisas. Uma pena dizer, mas a maioria das pessoas não dá a mínima pra isso.
      Acho que isso se agrava mais quando se exibe o caso com um tom lúdico como foi mostrado pelo Fantástico.
      Fica parecendo algo meramente lúdico, como um mágico. “É só um mágico” pensariam a maioria das pessoas.
      E a Tv não vai enaltecer algo que não seja musicalidade popular ou futebol.
      Já o publico do Mundo Gump é ideal. rsrsrs

  3. Cara, que surreal isso, por isso que eu falo que temos muito a aprender ainda, isso tendo algum aspecto paranormal ou não não deixa de ser fantástico, é pena que você nunca vê cientistas se debrassarem de verdade em cima de casos fantásticos como esse, ai fica só na especulação.

  4. O fato da criança saber falar as 3 línguas, independente de ser analfabeto ou não até aquele momento, já seria muito estranho.

    Não foi encontrado nenhum tipo de estudo sobre este caso?

    Abraços!

  5. Que legal! Ainda bem que foi uma aparição para alguém necessitado que soube usar isso. Me espanta que ele era analfabeto, e isso não faz tanto tempo, absurdo que isso ainda exista.
    Já li sobre casos que nem esse, tem uma explicação científica, não me recordo se foi no livro “Galeria de curiosidades médicas” ou em uma revista mas, se eu achar, coloco o link aqui.

    • Seriously, dude; souber usar?

      O cidadão tem um poder, do qual, parece que nem você, nem ele, estão entendendo.

      PODER.

      Meu senhor, eu aqui querendo só uma namoradin e o cara poliglota… ;T- T

  6. É a minha teoria..
    Ele sugere ter aprendido após a aparição das entidades nos sonhos.
    Nós espíritas acreditamos que pode se tratar:

    1) Lembranças de vidas passadas, onde ele na realidade “relembra” das línguas que aprendeu.
    Vale ressaltar que esses idiomas podem ter sido aprendidos em mais de uma vida e não necessariamente na passada imediata. Por que ele lembra de línguas e não de outros conhecimentos? Bom, não cabe a mim ou a nós entender isso. Lembrando também que nada no universo tem pontas soltas. Esses casos que ganham publicidade por algum motivo. Para mostrar que a vida é muito mais do que parece. Para abrir o olho da incredulidade talvez.
    É muito mais cômodo atribuir esse excesso de informação como aprendizado durante os sonhos, já que provavelmente ele não compartilha as mesmas orientações religiosas. Por exemplo, muitos pais atribuem o nascimento de crianças as cegonhas.
    A cabeça das crianças ainda não processa que existe um infinidade de acontecimentos e conhecimentos que elas ainda não detém e satisfeitas com a resposta deixam de perguntar.
    É o que a cabeça dele entende, aceita e é o que ele prega. As entidades no caso vieram retirar o véu do esquecimento posto sobre ele. Entidades essas que podem ter sido parentes ou amigos.
    Chico Xavier psicografava em outros idiomas também. Ele não tinha muito conhecimento e psicografou sobre física quântica ainda muito novo.

    2) O espírito não sofre o cansaço físico por isso não necessita de repouso como nosso corpo. Quando dormimos o espírito saí por aí, aliviado por não estar mais preso ao envoltório carnal, visitando outros lugares (outros países e planetas) e muitas vezes “trabalhando” (O que justificaria dormir e acordar cansado no outro dia). De fato, isso acontece sempre que dormimos. Quando recuperamos a consciência, esquecemos praticamente tudo do que fizemos ou do lugar que fomos. Recebemos diversos conselhos de amigos espirituais para nossas aflições e os conselhos “reaparecem” ao longo do dia como se fossem inspirações. Algumas pessoas conseguem sair do corpo de forma consciente, o que chamam de projeção astral.

    Mas na minha opinião, a teoria mais é aceita é a primeira.
    Tenho uns vídeos legais que se você tiver interesse ou alguma dúvida, pode me mandar um e-mail.
    A propósito… Muito foda seu blog!
    Um abração cara!

    • Valeu mesmo, Allan. Aqui de vez em quando eu conto minhas peripécias com coisas do “além”.
      Teve um dia no ano passado que acordei com uma pessoa falando comigo do meu lado da cama. Foi coisa de menos de um minuto, porque despertei lentamente e continuava ouvindo ele falando. Ele estava me dando instruções numa voz baixa, grave, como a de um locutor. Falava baixinho como uma pessoa que faz fofoca. Eu fiquei ligado e assim que me toquei “tem alguém aqui falando”, parou. Para meu cagacinho básico eu estava sozinho em casa.
      Comentei com varias pessoas e um outro amigo meu tb passou por exatamente isso. Uma pessoa que falava com ele, ao lado da cama. Ele tb não sabe o que é. Metade dos amigos aos quais contei, pensam que pode ser um sonho/paralisia do sono, e a outra metade se divide entre anjo da guarda/guia espiritual/espírito.
      Pessoalmente, não sei o que é, mas é foda.

      Outro caso que ocorreu e esse sim foi de arrepiar até o cabelinho do sovaco foi no dia que estava dormindo. Era alta madrugada, e do nada senti uma presença no quarto. Eu fiquei acordado, mas não me mexi, porque achei que fosse a Nivea (minha esposa) que havia levantado para fazer xixi. Porém, a “presença” colocou o que eu acho que era o joelho na beirada da cama e senti claramente o colchão afundar. Aí a coisa veio e me deu – não me zoem – um abraço! Sim, um abraço no meio da madruga. Achei que era algo estranho, e realmente era, porque nisso, eu coloquei a mão na minha frente e a Nivea estava no lugar dela. Então, quem estava me abraçando? Eu estava sozinho com a Nivea em casa e eu quase me caguei de medo. Nisso a “presença” saiu e senti o colchão voltar para o lugar. Ouvi a porta do quarto que range baixinho mexer. E então… Parou. Não faço a MÍNIMA ideia do que foi esta porra, mas poucas vezes na vida senti tanto medo. Só fui pregar o olho mesmo depois de cinco horas, pq aquilo não me saía da cabeça. Eu tava acordado, tive medo que fosse uma abdução de Ets, mas estive lucido o tempo todo. Estranhamente, assim que dormi sonhei com meu avô (morto) num monitor de Tv, fazendo uma videoconferência. Ele estava jovem, e me dizia uma porrada de coisa que depois se apagou. A única que ficou foi “diz pra sua vó que eu estou bem e estou estudando aqui”. Recado que aliás, não tive coragem de dar.

      • Você já leu sobre a paralisia do sono ou projeção astral? Pode ser isso, eu já achei que estava sendo abduzida, mas infelizmente não era. Muita gente que tem isso acha que tem poderes sobrenaturais.

      • Cumpadre, embora não duvidando de sua experiência, lembro-me de ter lido um artigo, certa vez, sobre uma condição interessante conhecida como “sonho lúcido”: a pessoa tem uma experiência vívida, como se estivesse realmente consciente, mas estava sonhando.
        Existem casos clinicamente documentados de pessoas que sonharam que estavam sonhando.
        Outras, não se dão conta que estão sonhando, mas tem plena convicção de que estão despertas, e que agem como tal, que acabam aceitando a experiência como verdadeira, mas que não chegou a acontecer.
        São relatadas também sensações físicas como temperatura, pressão, contato físico, e outros.
        Pode ser o seu caso: embora tenha parecido uma situação “real”, quando o que ocorreu foi um sonho lúcido.

    • Peraí:
      “O espírito não sofre o cansaço físico por isso não necessita de repouso como nosso corpo. Quando dormimos o espírito saí por aí, aliviado por não estar mais preso ao envoltório carnal, visitando outros lugares (outros países e planetas) e muitas vezes “trabalhando” (O que justificaria dormir e acordar cansado no outro dia).”

      O “espírito” não sente os efeitos físicos do cansaço, mas “transfere” estes efeitos para o corpo físico, justificando assim uma simples noite de insônia como sendo o resultado de “trabalhos”?
      tudo bem que quer quer acreditar não costuma questionar, mas; convenhamos, certas coisas precisam fazer um mínimo de sentido.
      Existem muitas questões não respondidas, em relação ao espiritismo. E, como muitas outras “filosofias” (para ser bem abrangente) que dependem de fé, não detém o monopólio da verdade.

    • Concordo em parte pelas opções que vc acha possíveis, mas acho que o mais provável é, realmente, um contato com entidades, não apenas lembranças. Devido aos detalhes relatados por ele e pela regularidade dos fenômenos, creio que o espírito, livre, pudesse se comunicar com esses guias, que tinham o objetivo de passar essas mensagens..
      Não acho que lembranças, apenas, viriam com essa regularidade e com esse tom didático..

      • Sem desmerecer a crença de ninguém, o que acho interessante são os pontos comuns entre elas: como outras “entidades” os “espíritos”, na maioria das vezes, não gostam de interagir diretamente conosco, lançando mão de “intermediários”. Deve haver uma razão ou motivo para que entidades (espíritos, deuses e seja lá qual for o nome que derem) não se exporem à humanidade, para acabar com tantas dúvidas e tantas bobagens que dizem a respeito delas. Parecem até “gostar” da confusão gerada. Seria de se esperar que tais “seres” resolvessem acabar com a confusão, e se apresentassem de vez, sem mais delongas.
        Além de intermediários, essas entidades não conseguem se desgrudar da “fé” como justificativa, quando uma pergunta mais contundente é feita, sempre dando uma “ajeitada” na resposta, de modo a que ela “caiba” nos princípios da crença.
        Concordo também que, nesses assuntos, nada é “didático” ou “pasteurizado”, pois então estaríamos conversando sobre ciência, e não sobre crença. Mas o curioso é que as pessoas parecem não se importar muito com “pontas soltas” e muitas vezes, preferem mesmo ignorá-las.
        Admiro as poucas pessoas que aceitam debater sobre sua fé e suas crenças, de uma forma inteligente, sem querem defender essa ou aquela, e; principalmente, sem ofender ninguém.
        Mas que ainda deixam muita coisa sem uma resposta convincente, isso é inegável. Por exemplo, quando me referi à “transferência de cansaço” do “espírito” para o “corpo físico”, conforme seu comentário.

        • Oi John, eu conheço uma coisa ou outra sobre o espiritismo e se quiser eu posso tentar responder algumas indagações.

          Sobre os dois pontos que você levantou, primeiro, a respeito dos tais seres não se mostrarem abertamente e de forma “concreta”, uma das linhas de pensamento mais aceitas seria uma espécie de “respeito ético ao processo de evolução do ser humano”. Vou explicar usando alienígenas que fica mais fácil de entender. Imagine uma nave gigantesca aparecendo nos céus de uma metrópole do nada. O que isso acarretaria? Praticamente todas as religiões do mundo iriam ruir ou ser profundamente abaladas, em conjunto com os costumes, crenças, a economia e a ciência também sofreriam, sem contar outros efeitos colaterais. Ou seja, o impacto teria consequências gravíssimas para a cultura da civilização humana. Quem assistiu o último Star Trekk (filme) vai identificar isso. Todos os espíritos são éticos? Não, então por que nenhum espírito não ético não tentou fazer isso antes? Porque não sabem como fazer. Fazendo outro paralelo, não é todo mundo que sabe fabricar uma bomba atômica, então não é porque o sujeito virou espírito que ele simplesmente vai saber fazer tudo. Espírito também está sujeito a leis físicas (de outra dimensão). Então a linha é mais ou menos por aí, o ser humano tem que aprender por suas próprias pernas (no máximo com umas rodinhas ajudando aqui e ali de forma discreta), caso contrário ele não teria mérito algum das suas conquistas e seria um ser mimado, esperando que tudo fosse feito para ele.

          Segundo ponto, sobre a “transferência de cansaço”. Não se trata somente do espírito ter trabalhado. Na ótica espírita o ser é constituído de vários corpos, ele é multidimensional em sua natureza. Esses corpos estão ligados e são de naturezas diferentes e distintas. Assim sendo, devido a essa ligação, os acontecimentos de um plano podem gerar repercussões no outro. Mas não só acontecimentos, como até mesmo sensações. Na ótica espírita, o corpo físico, possui elementos semimateriais (resumindo tudo, ele possui formas de energia que irradia e recebe). Portanto, variações nesse nível energético são sensíveis, podendo causar sensações como cansaço, frio, irritabilidade, etc. Isso explicaria vários “fenômenos”, como o acordar cansado (sendo que uma má noite de sono também causaria cansaço, não é tudo que é culpa do espiritual), ou se sentir subitamente esgotado ao entrar num ambiente, ou em contato com uma pessoa, sensação de frio súbito também é uma delas, quando não existe nada que justifique uma alteração na temperatura do ambiente, etc.

          Fiz um apanhado bem geral e bem resumido, mas estou aberto a conversar sobre o assunto e explicar melhor.

  7. O que me deixa revoltado é que toda semana o Globo Repórter é a mesma merda… uma matéria sobre a saúde na velhice, outra semana é mostrando a Amazônia, e na outra sobre alimentação saudável… e fica nesse ciclo eternamente…

    Antigamente o Globo Repórter e o Fantástico faziam matérias realmente instigantes.
    Essa história do Galinha tonta merecia um Globo Repórter só pra ele… Quiçá um documentário!

    Tem tanta história (Afinal são QUINZE ANOS de “contato” com os tais meninos) que eu sinto um desperdício que se tenha feito apenas matérias de menos de 10 minutos…

    O que mais esses meninos falaram pra ele? Qual era a relação dos 3 meninos? Eram todos de uma mesma época? Porque o escolheram? Enfim… muitas outras coisas interessantes poderiam ser extraídas da história.

    Mais uma coisa GUMP pra coleção! 🙂

    • Imagina o manancial de informações que podem estar adormecidas nessa mente? Demorou para fazermos uma vakinha e pagarmos uma hipnose regressiva nesse cara hein?

      • É uma orientação recente da TV Globo deixar de fora esse tipo de pauta polêmica, pelo que eu soube. Eles acham que isso dá uma audiência-bomba naquele momento, depois a audiência cai ainda mais, porque as pessoas ficam sempre esperando que o programa só mostre coisas excepcionais, impressionantes, impossíveis, o que é difícil realmente de se encontrar toda semana.
        Parece estúpido, mas é puro estudo de cultura de massa aplicado.

        • Aline, quanto aos “critérios” da Globo… sem comentários. Mas será que todas as outras emissoras decidiram acompanhar o “padrão global” e deixar o “filé” da notícia abandonado?
          Com certeza, em se tratando de realidade de fato, outro meio de comunicação teria “deitado e rolado” com a notícia, e passado as grandes emissoras para trás.
          Por essa razão é que fico imaginando se não existe algo errado com a coisa toda. Perceberam coisa que não divulgaram e, convenientemente, resolveram “esquecer ” a matéria. Até mesmo no país do futebol-cachaça-carnaval isso não seria possível…

          • Mas é estranho a Globo deixar esse assunto de lado. Veja o tanto de novelas de temática espírita que ela lança. Ela não é avessa a explorar o assunto. Essa das diretrizes de pauta que a Aline Carneiro mencionou é mesmo o fim da picada… Mais uma onde a emissora mostra que o mote dela é a superficialidade, onde a meta é explorar todas as possibilidades que a falta de assunto oferece. A programação dela é um jogo eterno de Sete Graus de Separação, só que com a Suzana Vieira no lugar do Kevin Bacon, e as regras mandam não mencionar Aquilo que Espreita Fora das Bordas do Universo Conhecido (Projac).
            Eu me lembro com saudades da época que o Vídeo Show sabia que o universo da cultura pop não começava às seis da tarde e terminava às dez da noite…

  8. caraca….quero ver o ceticismo dos tontos de plantão que não acreditam em nada,não vou dizer que acredito em tudo que vejo,mas isso realmente é gump,belo achado Philipe.

  9. Cara eu tenho tanta raiva da Globo que antigamente postava cada coisa tão insólita! Desde os finais dos anos 70, os anos 80 então nem se fala… pena que nem prosseguimento ou voltar aos lugares ou às pessoas das polêmicas! Eu to lembrando também daquela reportagem sobre o Museu das Almas do Purgatório, que até hoje é tabu no Vaticano!

  10. Fala Philipe!! Tudo na paz?
    Mesmo sendo cético em relação a muita coisa, gostaria de dar minha opinião:
    O Edvalson poderia até ser uma fraude, porém, para aprender alemão, inglês e japonês, mesmo que básico, seria uma BELA fraude, pois mesmo para nós, que temos mais acesso a estudo, e portanto, um cérebro mais “apto” a lidar com novos idiomas, seria uma proeza e tanto fazê-lo, afinal, são idiomas com raízes linguísticas diferentes, o que torna o aprendizado ainda mais difícil.
    No mais, ele é negro, pobre, mora em uma cidadezinha onde não há nem asfalto, não fala bem o português e nem é uma pessoa “bonita” (e por favor, não encarem este trecho como discriminação!!!), ou seja, não é um “mendigo gato” para a nossa grande mídia dar mais atenção. E nós sabemos que o povo brasileiro se importa mais com status (porque “agrega valor ao camarote”), do que com inteligência, e como consequência, desperdiçamos oportunidades de aprender com situações como essa. Por isso somos um “belo” país em involução….

  11. Li os posts sobre “vidas passadas/reencarnação” mas eram tantos comentários que não quis opinar, surge mais um que “parece” seguir mesma linha espírita da coisa. Bem, algumas coisas que diria dizer:
    1)Mundo é um lugar Gump e não adianta ser cético, só pensar que somos seres limitados se comparados a grandeza do cosmo que nos cerca, então é muita prepotência acharmos que sempre teremos respostas, mesmo que sejam emocionais ou racionais.
    2)Porque da mídia não ir atrás é pelo fato que é difícil provar uma matéria dessa apenas com relato das pessoas, mesmo que haja participação de profissionais para os “dois lados”, um contra e outro favorável para explicar o fenômeno, no final ficaria ainda a dúvida para o próprio telespectador pensar, e isso não dá tanta audiência para o alvo da Tv aberta, diferentemente de sangue, futebol e bundas bundas.(Gostaria de saber quantas pessoas assistem Globo Repórter que sempre surge uns assuntos interessantes e até bem trabalhados, mesmo sendo científicos são bem fáceis de entender e bem legais.)
    3)Única vez que acordei com algum pensamento de “algo falado” para mim foram de números da Loteria/MegaSena, e eu pensei “que besteira” e voltei a dormir, e sei perfeitamente que somos responsáveis por certos caminhos em nossa vida, reflexo de nossas escolhas, então pqp, não me digam que eu deixei de ser milionário por querer dormir ao invés de anotar os números. hahaha

    p.s procurei sobre as “pirâmides” que surgiram com degelo na Antártica e não achei aqui, já foi publicado?Vi isso em alguns blogs em inglês, mas sei que nenhum deles vão tão a fundo quanto o seu na busca da “verdade”.

    • Pedro Henrique, concordo que o mundo não seja “preto e branco”, mas em vários tons acinzentados (sem propaganda). Nem o ceticismo irredutível, nem o crente mais devoto são desejáveis. Uma boa dose de racionalismo ajuda na hora de separar o fantástico do fanático; a fé confortante da fé cega e obstinada.
      Concordo também que nem tudo tem uma resposta – ainda! Amanhã é outro dia, e quem sabe. Mas para não nos deixarmos levar por falaciosos e espertalhões, que lucram com a ingenuidade (e ignorância) alheias, acredito que devemos duvidar antes de acredeitar, ou aceitar. E o melhor parâmetro para definir se alguma coisa pode, ou não, ser verdadeira é que ela precisa fazer um mínimo de sentido prático. Se não preenche esse mínimo requisito, então, nem adianta debater: quem quiser, aceita; quem não quiser, contesta.
      A maior prova de que nenhuma doutrina ou crença filosífico-religiosa está certa reside no fato do grande número delas existente por aí. Se alguma fosse verdadeira, convenceria a todos, deixando as demais no esquecimento. Se uma pessoa (mentalmente sã, equilibrada e bem intencionada) duvida, então, não pode ser a verdade.

  12. Me lembrei de um caso que presenciei quando era criança e passava férias em uma cidadezinha no interior da Bahia (terra natal dos meus pais), a cidade toda ficava intrigada com um menino que na época tinha 10 ou 11 anos apelidado de Pelezinho, o garoto era a atração turística da cidade, pormava uma grande roda de pessoas numa praça em torno dele, o motivo? ele falava perfeitamente o latin mesmo ainda cursando o ensino fundamental e o que mais espantava a “galera” era a capacidade dele de resolver contas de multiplicar e dividir sem usar calculadora, ele fechava os olhos e depois de uns 5 segundos respondia o resultado correto de uma conta por exemplo: 5.672 x 498, muitas pessoas ficavam com as calculadoras em mãos pra conferir os resultados 100% corretos. E não era farça pois até eu perguntei pra ele uma conta sem nunca ter visto aquela criança magrela porém super inteligente!

    • O caso do latim é mais estranho que o da conta. Isso porque alguns savants conseguem fazer contas quase tal qual um computador. Já aprender latim, são outros 500. Quem será que ensinou?

  13. Caro Philipe
    Em 2000, um violeiro chamado Paulo Freire, filho daquele psiquiatra famoso, o Roberto Freire, publicou um livro chamado “Lambe-Lambe”. Esse livro é de histórias que ele viveu ou recolheu nos povoados à beira do Rio São Francisco e do Urucuia. Nesse livro tem a história do Galinha Tonta, que na época ainda era um garoto. O autor disse que não sabia nada de alemão ou japonês para saber se ele estava mesmo falando essas línguas, mas que o inglês estava correto. Muito bom ver essa história resgatada aqui.
    Abraços

  14. Tenho quase certeza que esse assunto foi pauta no programa do ratinho e acabou virando piada,eu acompanhei desde o começo e se bem me lembro,disseram que era tudo farsa dele e quem tinha ensinado ele foi um padre de uma paroquia por lá conhecida,foi a muitos anos,logo no começo do programa do ratinho,se eu estiver enganado,por favor me corrijam.

    • Então, a globo levou o cara para um curso de japonês e o professor disse que o nivel de conhecimento do cara é compatível com quem estuda todo dia há 5 anos! É difícil um padre ensinar tanta língua de uma só vez.

  15. Phillipe,

    Em relação a paralisia do sono, tive uma experiencia parecida, e quando fui pesquisar mais afundo sobre o assunto, claro, que eu nao era único. Acontece que durante minhas pesquisas li alguns relatos de que, nesse caso, nosso espirito encontra-se metade desacoplado do corpo, condição favorável para iniciar o que chamam de projeção astral. Tive algumas experiencias, e realmente posso dizer que é algo mais do que um sonho lúcido…Quem sabe um de seus sonhos lúcidos não tenham sido experiencias de projeção?

    Seu site continua otimo cara! keep up!

  16. Sonhar o mesmo sonho 3 ou 4 noites seguidas não deve ser algo tão incomum.
    Agora sonhar o mesmo sonho durante 15 ANOS SEGUIDOS, isso sim é algo incrível.
    Ter essa repetição onírica constante durante um período de tempo tão grande é realmente incrível.
    Minha dúvida quanto aos defensores da teoria da projeção astral é a seguinte:
    Se o nosso espírito tem a capacidade de vagar por aí, e se teoricamente em um sonho nós fôssemos para uma biblioteca, poderíamos ler as páginas de um livro fechado na estante, ou só poderíamos ler o livro esquecido aberto sobre a mesa? Só poderíamos ler as páginas de um livro já aberto ou teríamos a capacidade de ler as páginas de um livro fechado?
    Não acredito que tenha sido projeção astral e sim um caso de TRANSCEPÇÃO ASTRAL.
    Acredito que algumas pessoas tenham a capacidade de “invadir” o sonho de outras pessoas, mas a maioria das vezes nem sabem disso. Um pouco parecido com aquele filme do Leonardo DiCaprio – Inception(A Origem).

  17. Parece bem verídico. Só achei estranho o que me pareceu ser uma certa insegurança do “Galinha Tonta” ao falar em outros idiomas, já que seu “aprendizado” durou 15 anos!

  18. Parabéns pela matéria Phillipe, cada vez gosto mais do blog! Eu li todos os comentários e percebi que as opiniões se dividem em explicações científicas ou religiosas.Eu particularmente acredito que uma coisa não exclui a outra, é o que a Ciência Noética procura explicar.Alias já tem um tempo que eu queria sugerir um post sobre Ciência Noética,que pretende, através do método teórico-experimental, inclusive, por meio de inúmeras experiências científicas, comprovar a existência da alma e da vida depois da morte. Visando este fim, diversas práticas experimentais procuram mensurar a relação mútua entre consciência e corpo físico.Eu não tenho certeza se você já falou sobre esse assunto aqui, mas se não falou acho que seria bem interessante.

      • Vai ser um trabalho espinhoso, cumpadre.
        Existe muita controvérsia e opiniões diferentes sobre a assim chamada “ciência noética” (do grego ‘nous’ = mente), sem contar que alguns artigos que já li a respeito são verdadeiros “tratados em tequiniquês” que demandam boa dose de esforço e conhecimento para serem compreendidos, eis que remetem à Platão e Aristóteles, passando por William James (considerado ‘pai’ da psicologia moderna) e até mesmo, em tempos mais recentes, pelo astronauta Edgar Dean Mitchell, co-fundador do Instituto de Ciências Noéticas.
        Alinhavar tudo em uma narrativa coerente, e ao mesmo tempo mais “palatável” var dar bastante trabalho.
        boa sorte e vamos ver o resultado.

  19. Que piração! Realmente, se não se tratar de fraude, o que duvido que seja, é uma daquelas coisas que para tentar explicar ceticamente teria que ser formulada uma teoria ainda mais inacreditável do que simplesmente atribuir ao lado espiritual. Telepatia? Ou um cérebro tão eficiente para processar significados e símbolos, que uma mínima exposição que o garoto tenha tido ao idioma já serve pra ele concatenar o sentido das palavras, definir a estrutura gramatical, entender a formatação da pronúncia e preencher as lacunas do que faltar? Como se a linguagem pudesse ser “zipada” em componentes básicos, que, uma vez memorizados, se multiplicariam exponencialmente no nosso cérebro, que nem um fungo… E, se houvesse um cérebro capaz de executar essa tarefa, será que o próprio subconsciente não poderia criar “professores” virtuais pra ensinar a mente consciente? Imagina isso aplicado a um método didático… Seria o sonho de qualquer criança: aprender dormindo!

  20. Não fui capaz de acreditar nesse post 😀 procurei um pouco sobre ele pela internet e acabei encontrando esse vídeo aí divido em 3 partes…. na parte 1 ele fala que buscou ajuda convivendo com pessoas e famílias que falam esses idiomas…
    https://www.youtube.com/watch?v=BoSRV8jaY68

    De qualquer forma, é um feito e tanto!!!!

    Add.: Raramente publico elogios em sites e blogs que acompanho, mas o seu está de parabéns!! quase 24 horas logado no Mundo Gump!! muito bom!!!!

  21. Olá..
    Minha explicação para esse caso,é:
    DEUS

    Um presente de Deus,porque??
    avaliem a história de vida do menino,quem imagina o que desejou o coração daquele menino naquele dia…
    cada um com sua crença,a minha é essa.
    creio em Deus na sua existência,aquele que enche a alma de virtude,até aquela que não
    o busca e nem pergunta por ele,ele se compadece de todos.
    Mas,ainda tem aqueles que acreditam em uma explicação lógica!
    enfim..
    ele era pobre materialmente,mas rico de virtude!
    e hoje um homem humilde(com bom coração),divide com todos de graça aquilo que ele recebeu de graça e por graça.

    Atenciosamente
    Mayara D. Pereira

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares