11 Comentários

  1. Brunno Vieira

    Uma cena de perseguição meio “De volta para o Futuro”! Esta eu não conhecia! Lendo sua história lembrei que já apontaram uma arma pra mim também, e atiraram em minha direção. História tão estapafúrdia quanto! Vou tirar um tempo pra escrever sobre ela. []´s

    Responder
  2. Rafael Assumpção

    Difícil não é acreditar na história… difícil é acreditar que algum mané é cafona o bastante pra ter uma brasília creme com vidro fumê… hehehehehe
    Só em Três Rios, mesmo…

    Responder
  3. Diogo Monteiro

    Pô cara,
    Uma amiga que morava em Três Rios me jurou que era uma da cidades mais violentas do Brasil… Hoje eu acredito!!! Somarei ao recorde de violêncio, o recorde de cafonice…

    Responder
  4. Philipe

    Cara não sei se é a cidade mais violenta, mas é uma cidade maluca. Se vc der mole matam mesmo, mas se andar na linha a chance de acontecer algo como aconteceu comigo é zero. Bem, quase zero, hehehe.

    Responder
  5. ARTHUR

    Porrrraaaa!! Então era você que dirigia aquela porcaria de monza…eu quase me arrebentei naquele poste por sua causa, ainda mais que o freio da brasília já estava liso e não freiava nada. Felizmente você só não morreu por que a arma que eu disparei era um revolver de espoleta mesmo, e por isso que fazia barulho de traque de São JOão. O que eu queria mesmo quando te persegui era te dar uma outra fechada e retribuir o presente que recebi.

    Responder
  6. Silvana

    porrra ! no brasil mata-se à toa… é arma praqui tiro pracolá eu hein? não têm amor nem respeito pela vida humana. Fiquei chocada! Ainda bem que vc escapou com vida senão teriamos perdido o privilégio de ler teus lindos contos

    Responder
  7. Nuno Fontoura

    Coitada da tal J*. Como ela sofreu na tua mão. Se você fosse adepto do Videolog, poderia fazer uma conversa com ela, sobre as memórias que ela tem sobre estes acontecimentos. Ia ser sensacional.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.