Nós e eles

A História está repleta de casos em que animais salvam seres humanos da morte certa. Muitos dos casos em que humanos foram salvos envolvem golfinhos.

Um dos mais interessantes casos em que golfinhos salvaram pessoas é o caso da Família Howes. Um belo dia, Rob Howes, que era salva-vidas, resolveu sair para nadar com sua filha, Niccy e mais dois amigos dela.

Eles entraram no mar na praia oceânica de Whangarei ao norte da ilha da Nova Zealândia. O grupo estava nadando distraidamente quando surgiu um grupo de golfinhos fazendo uma série de coisas “malucas”. Basicamente os golfinhos nadavam velozmente ao redor dos humanos, batendo suas caudas com força, espalhando água para todos os lados. Os nadadores ficaram assustados com o estranho comportamento dos golfinhos. Em alguns momentos, os golfinhos chegaram muito próximo dos humanos, que começaram a temer que os cetáceos os mordessem. Howes ficou preocupado, pois com muitos anos de prática como salva-vidas ele nunca tinha visto Golfinhos agindo tão agressivamente.

Ele tentou nadar para fora do círculo, mas dois dos golfinhos que estavam circulando velozmente o grupo foram até ele e começaram a empurrá-lo de volta para junto dos outros. Foi neste momento que Howes percebeu algo assustador. A poucos metros deles estava um enorme tubarão branco. A água neste dia estava cristalina e o monstro gigante cheio de dentes passou a menos de dois metros dele. Foi aí que Howes percebeu algo que o comportamento dos golfinhos de fato era agressivo, mas sim para afastar o tubarão deles. Os golfinhos estavam deliberadamente e por conta própria,  protegendo os humanos. O tubarão se movia na direção do círculo, mas os golfinhos eram muito rápidos e as batidas das caudas na água geravam tamanha confusão que em pouco tempo o enorme tubarão perdeu o interesse e nadou para o fundo, até sumir no azul. Quando o tubarão se foi, os golfinhos ainda ficaram “de guarda” por cerca de 40 minutos, nadando com os humanos de forma bem mais calma e amistosa,  e gradualmente se afastaram das pessoas, que finalmente nadaram depressa para a praia.Na costa, outro salva-vidas chamado Matt Fleet estava patrulhando a costa quando percebeu a agitação na água. Ele assistiu toda a cena com binóculos. Foi Matt Fleet que contou o ocorrido ao jornal Northern Advocate. fonte

Não era a primeira vez e nem a última que golfinhos selvagens iriam salvar humanos das presas de um tubarão. Nesta matéria podemos ver o caso impressionante do surfista que estava sendo comido por um tubarão quando dois golfinhos surgiram não se sabe de onde, e o escoltaram para a praia, onde ele pode ser atendido. O jovem só sobreviveu porque os golfinhos se meteram entre ele e o tubarão que já havia dado uma bela dentada nele, arrancando uma grande quantidade de pele das costas do surfista.

%name Nós e eles

Na Grécia antiga, um golfinho salvou o poeta Arion do afogamento e o levou em segurança até uma praia ao sul da Península de Peloponeso. Por essa razão, é famosa a estátua de Arion cavalgando um golfinho.
Pelos quatro cantos do mundo, assim como o povo do Laos, país do sudeste asiático, e também para os ribeirinhos amazônicos, os golfinhos ou botos podem ajudar a salvar náufragos em mar aberto ou nos rios.
O golfinho é um mamífero de sangue quente, como nós, e respira ar a cada sete minutos.
O cérebro deles é maior e mais complexo que o humano.Seu sonar (sons submarinos) localiza os cardumes de alimento e comunica-se com outros golfinhos numa frequência 10 vezes maior que a humana.

Em outro caso, um golfinho salvou uma criança do afogamento. O caso se deu ao sudeste da Itália, quando o jovem Davide Ceci caiu do barco em que estavam seus pais. O menino não sabia nadar e afundou depressa. A mãe do jovem estava desesperada e os homens já se preparavam para pular na água quando surgiu um golfinho sob o garoto, empurrando-o para a superfície. O golfinho se aproximou do barco de tal maneira que o pai do menino conseguiu agarrá-lo e içá-lo para o barco. As pessoas ficaram admiradas com a atitude do golfinho.  Posteriormente, descobriu-se que o animal era Filippo, um animal que era atração turística na costa da Manfredonia, no sudeste da Itália.  Impressionada, a mãe do garoto disse aos jornais: “O golfinho Filippo é um herói, parece impossível um animal ter feito algo assim, a sentir o instinto de salvar uma vida humana”.

O golfinho Filippo viveu nas águas Manfredonia desde que ele se separou de seu grupo. A Dra Giovanna Barbieri, pesquisadora marinha disse que  “Filippo parece não ter o menor medo de humanos”.

Não são apenas os golfinhos que salvaram humanos. As baleias também já fizeram isso. Um dos casos mais emblemáticos é o da baleia que salvou o mergulhador.  A cena se passou na China, num aquário oceanográfico. No dia em questão, havia um concurso de mergulho sem equipamento. Os mergulhadores tinham que mergulhar na água congelante e atingir a profundidade mínima de seis metros. Um dos participantes do evento mergulhou fundo, mas começou a ter fortes câimbras na perna, devido a água fria.

O jovem pensou que iria se afogar. Suas pernas travaram e ele não conseguia nadar. Foi aí que ele sentiu uma estranha força o empurrando para cima velozmente.


 

 

O jovem não entendeu o que estava se passando, mas ele estava sendo salvo por uma baleia.Mila era o nome da baleia, que estava acostumada com a presença de humanos em se aquário, e foi ela que percebeu que havia algo errado com o mergulhador. Mila não esperou para ver o que ia acontecer. Antes que as pessoas pudessem pular no tanque para salvar a vida do jovem ela mesmo resolveu tudo. Agarrou de leve com a boca na perna dele e nadou para cima. A cena foi registrada em fotos e video.%name Nós e eles
fonte
Golfinhos e belugas são animais impressionantes, que conseguem fazer coisas inacreditáveis.

Em contrapartida, o ser humano tem contribuído muito pouco para o bem estar desses pobres animais. Todos os anos, em alguns países nórdicos, no Japão, e vergonhosamente para nós, até no Brasil. No Japão e na Dinamarca existe uma matança generalizada de golfinhos e baleias. Nestes dias, barcos pesqueiros empurram grandes cardumes para a costa, quando pessoas de todas as idades os matam a machadadas.

Nas Ilhas salomão o vergonho espetáculo se repete, mas com maior impacto. Lá a morte acontece da mesma forma mas sobretudo crianças, são instruídas na carnificina pelos próprios pais. Elas são ensinadas a matar os animais com foices e machadadas. Para elas, isso é uma coisa banal.

O conjunto das cenas é de fazer vergonha ao mais insensível ser humano e nos dá uma clara dimensão de como nós humanos somos estúpidos.

Sabe qual é a razão para o assassinato destes animais? Não é só o alimento. Eles são comidos, mas a real justificativa para o massacre de golfinhos é a competição. Os humanos pensam que matando os golfinhos sobrará mais peixe para que eles possam pescar e vender.

Vergonha de ser humano. “Homo sapiens”, hahaha.

Artigos relacionados

Comments

comments

9 comentários em “Nós e eles”

  1. Great Post

    Homem um ser estúpido.., ahh isso eu ja sabia a mto tempo

    Por isso eu digo sempre, a celebre frase de uma das melhores duplas sertanejas de verdade do Brasil Zé Fortuna & Pitangueira, na musica o leiteiro e o macaco, o macaco “diz” “tenho vergonha do homem por se parecer comigo”…..

  2. Essas imagens me dão mais medo e embrulho no estômago do que aquelas de terror e paranormalidade que você posta.
    Isso é que é TERROR…
    Não amam nem uns aos outros…quem dirá aos animais.
    Abraços

  3. Meu Deus

    Esse video dos nariz de garrafa brincando com as bolhas é a coisa mais linda que eu já vi na vida!
    Estou começando a estudar golfinhos, e sou completamente apaixonada por eles. Ver essas cenas de matança me dão ódio.

    Para quem curte golfinhos, uma dica legal de viagem é a Ilha do Cardoso, em cananéia, SP.
    Lá, Botos cinza, ou estuarine donphins nadam muito próximos aos turistas. Experiência própria, é mágico! Uma viagem relativamente barata, vale a pena conferir.

    Ahh,
    simplesmente AMO o Mundo Gump!

  4. Coisa horrivel. Tomara que deus realmente façaalgo em 2012 este mundpo está cheio de coisas ruins deus deveria seifar de uma vez todos os homens da Terra.

  5. O honorável inseto supra deveria falar menos m…. aff…
    Continuando…
    Eu sei que vc não gosta dos meus comentários sobre asiáticos, mas eu os acho “our concurs” no que diz respeito a atrocidades cometidas contra animais. Isso acontece todos os anos no Japão e todos os anos o mundo todo protesta, mas de nada adianta. Também não podemos esquecer o que se faz no resto do mundo contra essas criaturas indefesas. Vc já leu alguma coisa sobre cães e gatos vivos usados como isca na pesca de tubarões em Réunion, na França? Eu fico imaginando que tipo de pessoa consegue submeter uma criatura, qq que seja, a algum tipo de sofrimento, numa boa!?

  6. Tem horas que eu tenho vergonha de ser um humano, por essas atrocidades que esses “semelhantes” fazem. Chega a dar um nervoso quando passa os golfinhos convulsionando e eles passando o facão no bicho, serinho, se eu fosse Deus transformaria o ar em veneno pra espécie humana

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.