Moleque de 16 anos descobre e isola um micróbio que destrói o plástico

O ser humano é pernicioso ao meio ambiente em diferentes graus. Isso todos nós sabemos. O problema é que nossa sociedade moderna é extremamente dependente do plástico e este tornou-se uma das maiores desgraças ambientais no nosso planeta.

No mundo dos dejetos plásticos um dos grandes problemas ainda sem solução são as sacolas plásticas. Essas sacolas de mercado e usadas também como sacos de lixo. Fabricadas com uma fina (tão fina e vagabunda que quem faz compras precisa colocar duas ou mais se for levar um refri de 2l, senão arrebenta) folha de filme plástico. A desgraça é que as sacolas são cada vez mais usadas e assim sendo, elas vão parar em maior quantidade nos lixões, nos mares e rios. Elas praticamente não se degradam e entopem, poluem, matam sufocados os pobres animais, como as tartarugas marinhas, que confundem sacos plásticos com águas vivas, seu alimento. Uma baleia foi encontrada morta com mais de 100Kg de sacolas plásticas no estômago.

As aparentemente inocentes sacolas de mercado podem levar entre 100 a 200 anos para se decompor nos aterros sanitários. E as moléculas podem demorar até 1000 anos para se degradarem completamente. Agora imagine isso multiplicado pelas cerca de 500 bilhões destas sacolas por ano.

Moleque de 16 anos descobre e isola um micróbio que destrói o plástico

Foi com isto em mente que um moleque chamado Daniel Burd, de apenas 16 anos, resolveu tomar uma atitude. A idéia de Burd era apenas fazer um belo projeto para a feira de ciências nacional, que seria apresentada em Ottawa, Canadá.

Com bastante sacos plásticos em casa, Burd começou moendo as sacolas até virarem um pó. Depois juntou água da torneira e fermento de pão. Ele misturou tudo isso com a terra do quintal para formar um substrato rico em nutrientes para o crescimento de bactérias diversas. Misturou bem e largou a gosma à própria sorte dentro de um recipiente a 30 graus. A cada 4 semanas o estudante removia uma amostra da mistura e colocava em uma nova mistura preparada da mesma forma, com isso aumentando a concentração de bactérias.

Passados cerca de 3 meses, Daniel Burd filtrou a cultura bacteriana e colocou em 3 frascos contendo tiras com as mesmas dimensões feitas de sacolas plásticas de mercado. Como controle ele fez um quarto frasco com a cultura fervida (bactérias mortas). Em 6 semanas, as amostras de plástico nos frascos de cultura tinham perdido 17% de sua massa enquanto a amostra de controle continuava igual.

Daniel refinou o processo com o uso de cultura em Placas de Petri. Assim, ele acabou descobrindo 4 tipos diferentes de bactérias no solo e que duas delas funcionavam para degradar o plástico. Então ele juntou apenas as duas efetivas e a eficiência do processo subiu para 32% em 6 semanas. Um aficcionado pela aula de ciências, o garoto resolveu adicionar um pouco de acetato de sódio para alimentar as bactérias. Como resultado, a 37 graus o consumo do plástico pelos micróbios subiu em eficiência para 43% em 6 semanas. Com esta taxa foi possível estimar que em pouco mais de três meses ele conseguiria que todo o plástico fosse degradado.

O objetivo de Daniel não era apenas que suas bactérias desmontassem a sacola em pequenos pedaços ou moléculas de plástico, mas sim que destruissem o plástico completamente, do mesmo jeito que aquele processo que podia até agora demoraria até 1000 anos. Daniel encurtou para 3 meses.

Não satisfeito, Daniel ainda testou o método em uma escala maior, com um balde cheio de sacolas e o resultado prático foi o mesmo. Ele imagina que seguindo seu método deve ser simples reproduzir o sistema em escala industrial e com baixíssimo custo.

Foi assim que um guri de apenas 16 anos abocanhou os 30 mil dólares de prêmio mais um troféu, além do mais importante, bolsas e convites para estudos e o reconhecimento mundial por seu trabalho. Pessoalmente eu acho que 30 mil dólares para um garoto que faz isso é pouco. Acho que os milionários do mundo deviam se unir e doar dez milhões de dólares para o garoto por sua contribuição para o planeta.

A deprê é imaginar que enquanto no Canadá um moleque de escola faz isso para o projeto de ciências, no Brasil um garoto da mesma idade tem só três pensamentos: Sexo, carros e futebol – não necessáriamente nesta mesma ordem.

Fonte

Related Post

29 comentários em “Moleque de 16 anos descobre e isola um micróbio que destrói o plástico”

  1. Nossa, tipo…s/ palavras. :ohhyeahh: Infelizmente com os incentivos à educação no nosso país, me sinto igual a vc, Philipe, no último parágrafo do post. :*(

  2. Sem palavras mesmo ¬¬”

    Brasiilllll- sil -sil ! tá tudo ferrado mesmo

    Talvez não … rsrsrs, amanhã tem votação pro caso das células -tronco

    é quase certo que vai sair a liberação … em pouco tempo o Brasil vai ser TOP em pesquisas desse tipo …

    seria legal sair algo no blog …. muita gente nem liga pra questão 🙂

  3. realmente não tem oq falar. ¬¬

    mas que sabe um dia, o Brasil de a volta por cima e começamos a servir de (bom) exemplo para o mundo.

    sonhar não custa nada né!

  4. Que os Deuses abençoem esse garoto! salvou o mundo… até que alguém resolva ganhar $$$ com isso e dificultar o processo pra ficar mais rentável… :worry:

  5. Acabei de chegar da escola Philipe, tem adolescente lá que vai só pela merenda, acredite!
    Vou imprimir este artigo e colar no quadro dos professores. Adorei! É ótimo saber que existem adolescente com idéias e inquietações, cheios de sonhos a realizar, como tinhamos, a não tanto tempo assim 😎
    Bjs

  6. Acabei de chegar da escola Philipe, tem adolescente lá que vai só pela merenda, acredite!
    Vou imprimir este artigo e colar no quadro dos professores. Adorei! É ótimo saber que existem adolescentes com idéias e inquietações, cheios de sonhos a realizar, como tinhamos, a não tanto tempo assim 😎
    Bjs

  7. sobre o último parágrafo, concordo contigo, philipe. concordo também com a jordana, não há incentivo a educação no país. e há também o ‘problema cultural’. o brasil é uma país muito sexualizado.

  8. Já morei no Canadá e lá os adolescentes normais são iguais ao do Brasil, pensam em sexo do mesmo modo e bebem alcool ilegalmente (já que lá a lei é mais rígida), porém a diferença são esses incentivos de feiras de ciência com prêmios ponposos que faz os gêniozinhos se esforçarem mais, no Brasil os gênios das salas de aula não tem incentivo para aperfeiçoar sua mente, ou seja, o Brasil além de tudo disperdiça inteligência, porém não ponham jovens canadenses num pedestal por causa de 1, pois tanto aqui como lá existem jovens bem inteligente, o que difere é o incentivo do modelo educacional.

  9. Quero ver se ele foi inteligente para antes de aprensetar o trabalho ter “patenteado” a solução e descoberta. Se não fez isso vai continuar com esse aparelho e cara de retartado por muito tempo. Agora se ele patenteou ele não precisa fazer mais nada da vida a não ser isso que ele gosta de pesquisas em prol da natureza, o cara vai ficar podre de rico só pela patente.

  10. Só uma dúvida que eu fiquei, se essas bactérias existem no solo naturalmente, porque elas não fazem a degradação do plástico que é jogado por aí? Pelo que eu entendi ele só separou as bactérias que comiam o plástico das que não comiam, não foi?

  11. [quote comment=""]Só uma dúvida que eu fiquei, se essas bactérias existem no solo naturalmente, porque elas não fazem a degradação do plástico que é jogado por aí? Pelo que eu entendi ele só separou as bactérias que comiam o plástico das que não comiam, não foi?[/quote]

    Não eu acho que as bactérias existem mas em pequenas quantidades. O garoto selecionou duas cepas mais ativas e turbinou elas, gerando um tipo de “molho bacteriano” super eficiente que realmente come todo o plastico.

  12. [quote post="1910"]Já morei no Canadá e lá os adolescentes normais são iguais ao do Brasil, pensam em sexo do mesmo modo e bebem alcool ilegalmente (já que lá a lei é mais rígida), porém a diferença são esses incentivos de feiras de ciência com prêmios ponposos que faz os gêniozinhos se esforçarem mais, no Brasil os gênios das salas de aula não tem incentivo para aperfeiçoar sua mente, ou seja, o Brasil além de tudo disperdiça inteligência, porém não ponham jovens canadenses num pedestal por causa de 1, pois tanto aqui como lá existem jovens bem inteligente, o que difere é o incentivo do modelo educacional.[/quote]

    Luis, você está certo. Me espantei ao ver tanta gente concordando com meu último parágrafo, que foi puro sarcasmo. A gente não tem como comparar um gênio, seja em que país for com um garoto normal submetido às pressões sociais e midiáticas.
    Se alguém deveria se envergonhar nessa questão é justamente o governo nacional e sua pífia, ridícula, vagabunda política educacional. Em um recente artigo comparativo da qualidade de ensino no Brasil e no mundo eu me espantei ao ver que ficamos atrás da ìndia, de países africanos e ostentamos a vergonhosa rabeira nos quesitos de capacidade de compreensão textual, matemática, biologia, física e química.
    Nenhum país vai pra frente tendo pessoas mal educadas. O estudante brasileiro é um dos que menos lê livros durante sua formação.
    É triste ver um país que bate recorde de arrecadação tributária como o nosso, que conseguiu o feito inédito de pagar TODAS AS SUAS CONTAS (inclundo juros) e ainda sobrou mais de um bilhão em caixa, nos obrigando a aceitar mais impostos (css) e oferecendo uma formação deficiente às pessoas.
    Só o fato de existirem escolas particulares em tão grande número, planos de saúde em tão grande número, firmas de segurança privada em tão grande número são o que basta para eu sentir vergonha do meu país. Não precisava ser assim. :worry:

  13. Esqueceu de dizer que além de sexo, carro e futebol, eles também pensam sobre quando vai sair o próximo post do Viking e o Urso-que-não-é-mais-urso.

  14. [quote comment=""]Esqueceu de dizer que além de sexo, carro e futebol, eles também pensam sobre quando vai sair o próximo post do Viking e o Urso-que-não-é-mais-urso.[/quote]

    Eu achei que ninguém estava interessado. Mas já que vc está querendo, eu vou postar a continuação da peça hoje à noite. Pretendo terminá-la no fim de semana, se tudo correr bem. 😎

  15. Agora que esse muleque já aprendeu a isolar e turbinar as bactérias, ele pode aproveitar o 30 contos pra dar uma turbinada na cara e parar de se isolar porque Hooo mininu feio…
    Eu me lembro de um meio de incentivo a ciência aqui no brasil que se chamava ciranda da ciência fui até menbro quando pequeno enviando e recebendo cartas mas não sei que fim levou…
    A mulecada de hoje sabe o que é mamãe e papai, frango assado e estilo cachorrinho, mas não sabem nem o que é bactéria…

  16. SHOW… Meu sonho é ir morar no Canadá…
    Gênio 😀

    Só uma dúvida:

    E o que acontece com o plastico que a bactéria “destrói” ??
    Já que matéria não se cria nem se destrói…

    O plastico só vira energia para a bacteria? ou cria mais algo? como C02, Hidrogenio, Iogurte Natural Sabor Ameixa???

  17. Segundo a fonte da notícia o processo de degradação bacteriana gera calor e o resultante é água com pequenas quantidades de dióxido de carbono, numa proporção de 0.01 porcento do peso infinitesimal das bactérias.

  18. Aproveitando que eu acabei de “contestar” o post da árvore…

    Não é só colocar uma baixa porcentagem de amido na fórmula do saco plástico que ele vira material biodegradável? (um engenheiro químico de respeito me passou a informação).

    Eu sei de uma cidade no norte do Paraná (Londrina) que criou uma lei que os sacos plásticos utilizados devem ser biodegradáveis. Achei uma ótima solução.

    Claro que não quero tirar o mérito do garoto. Achei uma excelente atitude.

    Sobre o comentário sobre a responsabilidade do Governo, lembro de uma frase do ex-Ministro da Educação: “Um analfafeto pode ser um gênio que não foi desenvolvido/aproveitado” (era +- assim, achei muito boa a frase, e se encaixa muitíssimo bem no comentário do nosso amigo Phorest)

  19. [quote comment="19372"]Segundo a fonte da notícia o processo de degradação bacteriana gera calor e o resultante é água com pequenas quantidades de dióxido de carbono, numa proporção de 0.01 porcento do peso infinitesimal das bactérias.[/quote]

    Ahhh. Pensei que virava Iogurte Sabor Ameixa =(

  20. Seria maravilhoso se O GOVERNO INVESTISSE NAS NOSSAS CRIANÇAS POR QUE PERDE-SE GÊNIOS PARA OUTROS PAÍSES, nossas melhores cabeças estão atuando (e ganhando bem) em outros países…
    Fala sério, as pessoas aqui do Brasil não são nem um pouco burras mas falta incentivo

  21. O Merito é todo do garoto. É um estudante excepcional.Não são todos os estudantes de escolas no primeiro mundo que produzem um avanço como este. Então não tem como comparar.

    A verdade é que é a pessoa que se educa. Aqueles que conseguiram produzir avanços no conhecimento dedicaram muitas horas solitarias ao conhecimento, enquanto os outros se divertiam.

    Cara, $ 30,000 é muito pouco. Esse muleke devia ganhar milhoes!

  22. Philip
    já participei de muitos projetos de ciências da escola muito legais e interessantes
    tenho amigos gênios que são muito inteligente o problema é a falta de incentivo pra essas pessoas

  23. [quote comment=""]O plastico só vira energia para a bacteria? ou cria mais algo? como C02, Hidrogenio, Iogurte Natural Sabor Ameixa???[/quote]
    Melhor comentário EVER!
    Esse guri deveria se clonar…só assim teríamos um mundo melhor!

  24. [quote post="1910"]já participei de muitos projetos de ciências da escola muito legais e interessantes
    tenho amigos gênios que são muito inteligente o problema é a falta de incentivo pra essas pessoas[/quote]

    POis é, eu tb. Eu inclusive sempre inventava altas maluquices nas feiras de ciências, mas a verdade é que nessas feiras, muito, muito raramente se inova. Na maioria das vezes os projetos não saem muito dos lugares comuns de apresentar conteúdos escolares de maneiras diferentes. Talvez se houvessem prêmios, bolsas e etc como no exterior os alunos se esforçassem mais. Algo como o prêmio “jovem cientista” que já gerou inúmeras contribuições em diferentes áreas do conhecimento.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares