Julia Hill – A mulher que morou numa árvore

Existem muitas pessoas que moram em árvores. Praticamente todas, em incríveis casas na árvore, onde um bom exemplo é essa aqui:

thats-a-treehouse (1)

Mas se fosse somente isso, é claro que não seria algo GUMP o suficiente para aparecer aqui.

Julia Hill morou na árvore no melhor estilo MACACO de ser!

JuliaButterflyLuna9

 

Sim, meu camarada. A mulher comia, dormia e vivia pendurada nos galhos da árvore, feito um orangotango de Bornéu!

176394039006270171_mega

Mas a pergunta é: Por que?

Julia Butterfly Hill é uma ativista ecológica. Ao todo ela passou 738 dias trepada na árvore milenar com o objetivo de evitar que a derrubassem.

Essa árvore era uma  sequoia vermelha com nada menos que 60 metros de altura. Ela era parte de um conjunto de sequoias monumentais de um bosque da cidade de Stafford, na Califórnia, nos Estados Unidos – uma região que vinha sofrendo com desmatamentos constantes durante os anos 90.

Na ocasião, vários outros ativistas estavam em campanha pela manutenção do bosque milenar de sequoias. Todos eles acampavam aos pés das árvores, mas Julia foi além e em 10 de dezembro de 97 ela passou a MORAR NA ÁRVORE. 


JuliaButterflyLuna6
JuliaButterflyLuna2

Inicialmente o plano da moça era ficar duas semanas, mas acabou se habituando a esta vida curiosa e só desceu de lá dois anos depois,  em 18 de dezembro de 1999. A árvore gigante já tinha até nome: Luna.

Não foi fácil! Para poder habitar a árvore,  Julia instalou uma plataforma de madeira de 3 metros quadrados a 50 metros do chão e a cobriu com uma lona impermeável para se proteger da chuva. A ativista se alimentava graças a amigos, que enviavam a comida pra ela por uma plataforma montada numa roldana.

JuliaButterflyLuna3

 

O grupo ativista começou a incomodar os madeireiros, ao ponto em que eles tentaram tirar Julia de lá impedindo que ela tivesse acesso à comida.  De acordo com o site  Hypeness, Julia tinha consigo um pequeno fogareiro para cozinhar, uma bolsa hermética para fazer suas necessidades e uma esponja para tomar banho com a água da chuva. Um conjunto de pequenos painéis solares permitiam que Julia carregasse seu celular e pudesse se manter informada das notícias da atualidade e das negociações acerca da derrubada da grande sequoia.

Claro que uma mulher morando numa árvore atraiu muita atenção da mídia, o que ajudou a frustrar ainda mais os madeireiros.

17639403913175538

17639403913175517

Julia topou finalmente descer da árvore quando ela venceu a batalha pela vida da planta. Após um intenso período de negociações e pressões populares, eles conseguiram a expedição de um documento legal assinado pela madeireira responsável pela área onde eles se comprometiam a deixar Luna e outras árvores da região em paz.

Julia virou uma espécie de ícone do ativismo ambiental, e já rodou o mundo falando sobre sua experiência, promovendo palestras sobre motivação e meio ambiente. Ela é vegana e também escreveu um bestseller – The Legacy of Luna – que já foi traduzido para 11 línguas.

Há um documentário que mostra o início de sua história de amor com a árvore aqui:

Aqui está o site dela

 

 

Related Post

5 comentários em “Julia Hill – A mulher que morou numa árvore”

    • Ao contrário de muitas ativistas ambientais, essa se cuida. Bom. Aquelas que parecem e agem sempre como aquela velha dos gatos dos Simpsons não fazem muito para angariar simpatizantes pras causas, ao contrário, só acabam se marginalizando como bitoladas e qualquer coisa de válida no discurso delas acaba se perdendo na reação automática do “descarta, é só mais uma hippie barulhenta”.

  1. Incrível. Mulher de coragem e de muito bom coração. Ela fez a coisa acontecer. Pena que algum tempo depois (em 2001 se não estou enganado), um vândalo passou a moto-serra na árvore e deixou um corte de 35 cm de profundidade ao redor de seu tronco. Foram colocados uns grampos gigantes que a impediu de morrer. O vândalo nunca foi encontrado.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares