Sobre Philipe Kling David

Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar.
Saiba mais...

  • marcos

    Ola
    lendo o seus artigos achei muito interessante sua profissão de modelador, programador,designer,etc. Eu estava querendo seguir uma carreira igual/parecida com a sua, pois é a que eu mais me identifiquei. Gostaria que você escrevesse algo de como você começou, qual faculdade cursou e etc para eu ter uma idéia.
    Grato,
    Marcos

  • rodrigotrovao

    Imagine se tivesse com saco pra escrever hein…

  • Caroline Daronch

    Oi Philipe!
    Tbm me interesso por coisas estranhas!

    Faço psico, quero trabalhar com web designer tbm…lokura…

    Mas, me diz uma coisa, o q tu faria de diferente? Vc se arrepende de ter feito Psico?

    Tem alguma sugestão pra me dar sobre um curso de design?

    Abraço
    Carol

  • Philipe

    OI Caroline.
    Eu nunca me arrependi de ter feito faculdade de Psicologia. A faculdade me ajudou a entender melhor o ser humano, e isso me ajuda diáriamente em uma série de coisas.

    Nós estamos condicionados desde pequenos a estudar para entrar nas boas escolas, entrar nas boas escolas para ingressar nas boas universidades e fazer os cursos que dão dinheiro para trabalharmos na área e ficarmos ricos.
    A educação de um modo geral é clientelista no Brasil. Ela atende interesses financeiros. Isso é certo? É assim que deveria ser?

    Não sou eu quem tem que responder a estas questões, mas a academia que lida com a questão da educação como objeto de estudo. Eu sempre encarei o estudo como algo pra minha vida, e não para o meu bolso.

    Nunca na minha vida tomei as decisões visando uma profissão. Escolhi Psicologia porque queria saber mais sobre o ser humano.

    Comecei a trabalhar com design de um modo totalmente auto-didata. Eu não estudo para trabalhar. O trabalho é uma consequencia do estudo e as duas coisas andam tão juntas que é impossível pra mim separar o que é estudo e o que é trabalho. Minha vida foi pautada sempre em conhecer mais, pesquisar coisas novas e fazer diferente. È interessante, porque tenho muitos amigos designers que ficam procurando nos catálogos e revistas importadas idéias interessantes para fazerem igual ou parecido. Eu leio as mesmas revistas, compro os mesmos livros e vasculho a net, procurando encontrar algo que eu não faça igual.
    Não estou dizendo que meu jeito de viver é certo.
    Para muitas pessoas, o melhor modo de vida é o mais simples, onde se estuda para passar no vestibular e entra-se numa faculdade para trabalhar. Depois, por imposição do mercado, essas pessoas podem voltar para a academia em busca de um titulo de pós graduação lato ou strito sensu. Não por uma curiosidade ou investigação, nem mesmo por uma motivação de inovação, mas por uma imposição do mercado. São milhões de pessoas seguindo a vida dominados pelo capital.
    Também não estou dizendo que eles estão errados. Talvez eu seja um bizarro no mundo. Um idiota Gump sonhador que vive a vida de um jeito diferente. Na contra-mão do capital.
    Em muitas situações da minha vida eu me deparei com dilemas. Ou fazia um serviço chato que ia dar dinheiro ou fazia um trabalho maneiraço que não ia dar nada além de gastos e dor de cabeça, mas que eu estava afim.
    Eu SEMPRE faço o que eu estou afim. Pode ser a Rainha da Inglaterra me mandando fazer a coisa chata com uma caixa de ouro na mão. Sem tesão, não há solução.
    Eu sou refém do meu próprio prazer.
    Nem sempre isso é bom. Eu poderia ter muito mais grana do que eu tenho hoje se vivesse em busca de grana.
    Mas eu sou feliz, porque eu vivo em busca de aventura.
    Um amigo meu, o Gustavo, um dia me disse que ele não entendia acomo é que eu conseguia viver de arte.
    Nem eu sei.

    Eu não sei te indicar um curso bom de design. Isso ia envolver uma profunda reflexão sobre o que é um curso bom. Seria o que te prepara para o mercado? Pra ganhar dindim? Seria o que te estimula a inovar?
    Seria qualquer um, uma vez que o interesse parte do aluno e a busca é algo constante?

    Como se vira um ator?
    Como se vira um escritor?
    Como se vira um pintor?
    E um piloto de corridas?
    E um cartunista?
    E um mágico?

    Eu acho que a busca vem de dentro.

  • http://www.imoveisembalneariocamboriu.com.br/ Moises Dasilva

    Ola,

    Estamos buscando escritores freelancers profissionais com experiencia em escrever para websites.

    Com urgencia!

  • http://www.mundogump.com.br Philipe

    [quote comment=""]Ola,

    Estamos buscando escritores freelancers profissionais com experiencia em escrever para websites.

    Com urgencia![/quote]

    Interessante. Me manda um email.

  • http://www.4art.deviantart.com SEMEI

    Parabens pela profissão…
    Eu tenho uma carreira quase neste seguimento, vejo que não tem valor nenhum! Aliás, existe o profissional reconhecido pela suacompetencia ou o profissional com os contato certo?