Figuras Sonoras de Chladni

Conhecidas como Figuras Sonoras de Chladni, são formas que aparecem sobre as superfícies quando estas vibram em determinadas frequências.

Ernst Chladni, considerado o fundador da acústica, descobriu que quando tocamos uma chapa metálica com algum objeto, como um bastão ou um arco de violino, por exemplo, ela vibra. Ao espalhar areia sobre a superfície de metal, esta se agita sobre a chapa, se acumulando em alguns pontos, nos quais a chapa não está vibrando. Esse acúmulo produz os padrões observados nas figuras do vídeo.

As chapas possuem inúmeras possibilidades de vibração, sendo que cada uma corresponde a uma frequência específica do som. Cada vibração produz um padrão único, e a complexidade dos desenhos também aumenta com a vibração. Além disso, dependendo de onde a superfície estiver afixada, seu tamanho, o material com o qual é composta e sua espessura, a vibração ocorrerá em determinadas frequências.

Olha que show:

 

Dica do Lucas Gimenes

O Marcio Dwyer também indica este video, que mostra a variação de padrões numa membrana produzidos com a variação tonal dos sons. Muito bacana:

Related Post

12 comentários em “Figuras Sonoras de Chladni”

    •  Parece um bastão com pontas variadas de borracha. Suspeito que a borracha varie de dureza, produzindo maior ou menor intnesidade vibracional em função dela.

  1. Olá Philipe, acompanho constantemente seu site e adoro os conteúdos. Acho que é a primeira vez que comento aqui. Vendo os vídeos mostrando os desenhos feitos através de sons, lembrei-me dos desenhos misteriosos feitos nos campos agrícolas, coisa que ainda ninguém explicou exatamente qual foi a origem. Será que não foi usado algo como sons para criar aqueles desenhos tão complexos nas plantações?

    • OI Celso, obrigado por escrever aqui. Fico feliz que goste dos conteúdos aqui do blog. Efetivamente, eu tenho postado pouco, reconheço. Isso é algo que vem me angustiando, pois estou bem abaixo da minha meta de três posts ao dia. Mas por outro ado, penso que é melhor priorizar a qualidade, fazendo apenas posts curiosos e interessantes a postar qualquer coisa engraçadinha como memes ou pilantragens-caça-paraquedistas. Com o lance do neném+filme+trabalhos diversos acumulados, estou sentindo que minha vida deu uma reviravolta… Sobre o lance dos crop circles serem de natureza sonora, eu não creio. Veja minha resposta para Mollrimbaud.

      • Philipe, qualidade é mais importante que quantidade. Eu já admiro as coisas que você consegue fazer em pouco tempo. Continue assim, afinal para cada post seu é necessário um tempo para refletirmos sobre as informações passadas.
        E obrigado pela sua resposta. Muito sucesso pra você!

  2. Numa comunidade sobre Ufologia, alguém levantou a hipotese de os crop circles serem mais ou menos isso das placas de som: o resultado da vibração de alguma nave sobre as plantas. Achei uma hipotese bem interessante…

    • Mas para isso ser possível, teríamos que admitir que o som é capaz de dobrar os caules das plantas, o que não creio que seja possível sem a ação de um elemento extra como o vento. Não explicaria também a taxa de radioatividade muito diferente dentro e fora do círculo. E também não explica como as plantas do interior do círculo tem sua estrutura quimicamente alterada.

      • Não entendi essa parte, Philipe:

        ” Não explicaria também a taxa de radioatividade muito diferente dentro e
        fora do círculo. E também não explica como as plantas do interior do
        círculo tem sua estrutura quimicamente alterada.”

        pois seriam alterações causadas pela proximidade da nave…

  3. Usa-se uma técnica semelhante a essa para testar se as vibrações do tampo e da base de violinos estão suficientemente desbastadas, usam limalha de ferro e carvão ativado bem fininho e aplicam as vibrações… onde se formam nódulos, é onde deve ser mais desbastada a madeira. Acho isso sensacional! OLhem aqui um diagrama simples: http://www.scielo.br/img/revistas/rbef/v30n2/a06fig05.gif

  4. Doido aquele segundo vídeo onde as estruturas formadas são cada vez menores à medida em que o som vai ficando cada vez mais agudo.
    Philipe, você conhece ou já ouviu fala sobre alguma teoria que fale sobre, por exemplo, a relação entre tamanhos diferenciados de um objeto e sua capacidade de absorção de impactos? Parece que, quanto menores, maior a possibilidade de absorção de impacto em uma mesma velocidade.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares