Fascinação por carros

Você já se perguntou porque o homem gosta tanto de carros? Diversas pesquisas de mercado e até estudos mais profundos já foram feitos acerca do assunto, e mesmo com algumas divergências um quesito se torna quase que unanimidade entre todos:

Que o amor pelos veículos surge desde cedo.

27908cd218b864719a8c32a52d0711c8

O homem, normalmente, é apresentado ao mundo fantástico (e claro, tentador) dos automóveis praticamente quando nasce. Fica difícil conhecer algum pai que não tenha presenteado, durante a infância, seu amado filho com alguma miniatura, brinquedo, item colecionável, jogos de videogame ou qualquer item que preparasse seu pequeno para o futuro nesta paixão.

Incríveis coleções de carros

É impressionante o amor com que alguns colecionadores de carros conduzem suas coleções. Alguns chegam ao ponto quase patológico, com coleções tão extensas que os donos já não cabem mais em suas casas, precisando recorrer a construção de galpões só para armazenarem suas coleções, que não raro, tratam com mais amor e dedicam maior carinho do que a membros de suas famílias.

O Sultão de Brunei tem o que é considerado coleção de carros mais insana do mundo, com mais de 5.000 carros raros. Porém, há um pai suburbano da Pensilvânia, que ostenta com orgulho sua coleção nababesca de mais de 30.000 carrinhos, e que cobrem quase TODAS as marcas e modelos existentes. Andy Goodman costuma dizer que não tem uma coleção em sua casa, mas sim que ele se mudou de mala e cuia para dentro da sua coleção, montada com sacrifício ao longo das últimas três décadas.

Mas não é apenas a coleção de Andy que chama atenção pela quantidade. Numa rápida busca na internet, podemos ver por fotos que outros colecionadores de carros são igualmente obcecados em ampliar suas coleções cada vez mais.
b725d69dabd547e8e1e3b2680aa2b0ac

fb0dadf5c5248d7cbb32ecf4289003f0

6761dc617dea2ecab7c6558d839d5082

Um exemplo disso é Dennis Erikson, que coletou carros a vida inteira, desde os nove anos até sua morte. Havia carrinhos até nos banheiros da casa dele. Depois de sua morte a coleção de mais de 30.000 peças foi doada.
w9es9qlkrltmg1lvrpfx (1)

Juntado à essa precoce experiência, o garoto conhece também desde cedo os prazeres que estão relacionados aos carros. Liberdade, poder e felicidade são alguns desses sentimentos que são encontrados com facilidade em comerciais, filmes e praticamente em qualquer mercado relacionado a marketing e divulgação de marcas e produtos.

Talvez um dos segmentos que mais consiga unir esporte como ferramenta de divulgação e venda de produtos seja o automobilismo. O mundo do esporte a motor, que consiste em inúmeras categorias espalhadas pelo globo, é um desses mercados que se utilizam dessas ferramentas para apresentar e consolidar seus carros. Uma dessas categorias que costumam atrair muitos desses fãs, que foram criados desde cedo nesse mundo, é o Campeonato Mundial de Rali. Nele montadoras do mundo inteiro usam carros que com apelo junto ao público, além de alguns lançamentos como o novorenault, que são usados para reforçar as marcas.

Novo Renault

Somado a esses tipos de entretenimento, fica praticamente impossível o homem moderno fugir de assuntos relacionados a carros, mesmo aqueles que insistem dizer que o utilizam apenas como um mero veículo de locomoção. O próprio design, as curvas a imponência sempre prometem chamar a atenção e estingar os pensamentos até mesmo os mais relutantes, aqueles que insistem dizer que não gostam ou não precisam utiliza-los.

Novo Renault

Além de tudo isso podemos dizer que existem diversos perfis de apaixonados por carros desde aqueles que preferem buscar e se aprofundar nas histórias e curiosidades sobre as montadoras, como vista em firstrenault ou ainda perfil de amantes pelo automobilismo, aonde não perdem uma corrida.

Claro não podemos esquecer que atrás de toda essa paixão existe sempre um colecionador ou ainda uma pessoa louca para estilizar seu carro de acordo com seu perfil, os famosos “tuning” que foram muito aclamados e vistos no filme de sucesso Velozes e Furiosos.

Tem gente que exagera um pouco na tunagem
Tem gente que exagera um pouco na tunagem

Existem também público e seguidores que pretendem deixar seus carros o mais original possível. Para isso é necessário muita pesquisa e dedicação, para encontrar as peças originais em sites como o topautopecas.pt que ajudam e facilitam muito a vida dos amantes das 4 rodas.

Eu lembro que uma das curtições de ter um Karmann Guia vermelho conversível era a quase permanente garimpagem de peças originais em feiras, ferros velhos e em sites especializados.

O que podemos dizer é que essa fascinação pelos carros sempre existiu, e com certeza, podemos afirmar que isso jamais deixará de ser uma das grandes admirações de boa parte da população, que a cada dia procura unir a praticidade, com a segurança e o conforto de seus carros modernos, forçando dessa forma as montadoras inovarem para atender a demanda de clientes cada vez mais exigentes.

Related Post

5 comentários em “Fascinação por carros”

  1. Os automóveis unem algumas das paixões mais tentadoras do homem: o desejo pela liberdade, pelo poder e pela segurança.
    Além disto, some-se o fato de estar o automóvel intimamente ligado à cultura popular, à paisagem urbana, à mídia, à música, às vertentes talvez mais charmosas do esporte (a motor) e à própria vida do indivíduo, que não raro passa boa parte de seu cotidiano dentro de um.
    Também é criatura completa, que estimula com maestria quatro dos cinco sentidos: fala ao amante de automóveis sobre a sonoridade de um belo e bem apurado conjunto mecânico, da beleza de linhas de carroceria bem esculpidas e coroadas com atraente paleta de cores, com o tatear de um mosaico de materiais finos e nobres escolhidos a dedo a ornar-lhe, ou com o cheiro característico de um carro carburado e seu residual aroma de gasolina mal queimada, do cheirinho de carro novo, do ferro quente que arrefece na serenidade da garagem ao fim do dia… poucas coisas mexem mais com o imaginário e a memória de alguém do que estes conceitos para quem se viciou em carro. Dependendo do nível da patologia, até o paladar pode ser experimentado, como os poucos loucos que sabem distinguir quaisquer dos fluídos que eventualmente vazem pelo distinto sabor e textura de cada um.
    Fica difícil não se encantar, ainda que em mínimo grau, por uma criação mecânica ao mesmo tempo tão complexa e tão dominada pelos entusiastas plantonistas; tão naturalmente útil ao ser humano, tão estudado, tão difundido e tão esparramadamente contido no imaginário popular. Ele está em todo o lugar à sua volta.
    E as memórias? Ah, as memórias! Aquele carro no qual o sujeito rodou no banco de trás quando era criança, com seu pai todo asseado conduzindo o filho pimposo numa manhã ensolarada de domingo: certamente lhe trará memórias ternas e até um pequeno frio na espinha – senão lágrimas aos olhos – quando revisitado, décadas mais tarde.
    E o seu primeiro carro, com os iniciais desbravamentos pelas vias do mundo motorizado? Desafiando o ainda incauto e pouco experiente motorista iniciante ao domínio da máquina, esta poderosa, desafiadora, perigosa se não tratada com o devido respeito. Quando dominado, faz-se manso e servil, praticamente alazão adestrado pelo fino trato de um competente equitador. Que orgulho que dá!
    E os relacionamentos que se iniciam entre quatro portas em uma noite estrelada com aquela pessoa com a qual, mais tarde, construiríamos a vida ao lado? As estradas tomadas sem rumo certo, no desembaraço do descobrir-se um ao outro no conforto e segurança do interior do fiel automóvel… a liberdade dada ao jovem casal de buscar, por aí, os cantos do mundo que lhes renderá aqueles momentos memoráveis e duradouros no imaginário, tudo possibilitado pelo suave encanto das quatro rodas.
    Lembra-te do bonachão e confortável banco traseiro no qual trouxe teu filho da maternidade? Do semblante orgulhoso que tinha você, atrás de um volante, guiando orgulhoso o novo rei entronado de sua vida pelas vias públicas, quase que sorrindo de pára-choques a pára-choques?
    Eu me lembro, nas que me cabem, e sinto estas memórias até quase podê-las tocar com meus dedos, de tão vívidas e presentes que se fazem a mim.
    Sou suspeito para falar, já que desde criança tenho como elemento principal de minha vida o automóvel, tenho a esmagadora maioria de meu círculo de amizades conformado em torno do objeto carro e tive, no automóvel e no antigomobilismo, muitos dos principais elementos formadores de meu próprio caráter. Acho que é, sem dúvidas, uma das mais fascinantes e bem sucedidas criações humanas.
    Hoje, injustiçado por quem lhe denega os méritos e lhe imputa as mazelas do mundo, o automóvel ainda é o construidor da espantosa e quase frenética sociedade urbana, o fino lubrificante que faz funcionar as engrenagens da mobilidade e o arrebanhador de sonhos, objetivos e encantos de uma parcela enebriada da população.
    Eis o fantástico automóvel.

  2. Acho que o que fez mesmo a cabeça foi o fato de ser um meio de locomoção e muito excelente, diga-se de passagem, que pode te lavar e ou à sua família a percorrer distâncias consideráveis em pouco tempo, depois do cavalo e a carroça que apesar de não demandar muito conhecimento nem manutenção rigorosa, não tinham o mesmo potencial de transporte que essas maravilhosas e coloridas máquinas motorizadas.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares