Cidade flutuante: A nova Kiribati?

Recentemente o presidente do Kiribati (um país da micronésia), afirmou que seu país irá desaparecer até o fim deste século. O país irá submergir sob efeito da subida do nível do mar provocada pelo aquecimento global. Segundo ele, mesmo que numa enorme- gigante-inacreditável coincidência hipotética, onde todos os governantes do planeta concordassem e fossem eficazes em reduzir ao zero as emissões poluentes de seus respectivos países, o Kiribati ainda assim acabaria no fundo do mar, uma vez que segundo as estimativas, por mais otimistas que sejam, já dão o estado de calamidade do aquecimento global como fatal para este pequeno país, poucos centímetros acima do nível do mar. O fato é que já passamos do ponto onde haveria um retorno.

Essa é uma triste notícia para os moradores do arquipélago. Tendo em vista a desgraça iminente que se abaterá sobre seu país, o presidente do Kiribati sugeriu uma ajuda humanitária global para reinstalar seu povo. Alguns países (se não me engano até o Brasil) ofereceram-se para receber refugiados desses paraísos naturais que estão sumindo milímetro a milímetro.

Entretanto, lendo neste blog eu achei uma interessante idéia da adaptação dessas mega-construções extraordinárias flutuantes, idealizadas para operarem como hotéis de alto luxo, para funcionarem também como sede de Kiribati.

Cidade flutuante: A nova Kiribati?

O nome deste treco é Lylipad – Uma espécie de ilha-iceberg de aço, contendo espaço suficiente para acomodar com o mais alto luxo e conforto nada menos que 50.000 pessoas! Como a população de Kiribati é pouco mais de 105.000 pessoas, duas ilhas artificiais bastariam para acomodar todo o povo de lá.

Cidade flutuante: A nova Kiribati?

O lylipad tem sua arqitetura planejada para integrar a biodiversidade submarina e ambiental de maneira geral em torno da construção. No centro da construção está um lago de água doce dessalinizada numa usina embutida e funciona para lastrear a cidade flutuante.

Cidade flutuante: A nova Kiribati?

O complexo multi-uso é estruturado em três marinas e três montanhas artificiais que se dedicam ao trabalho, compras e entretenimento. O complexo é coberto por uma camada de vegetação na forma de jardins suspensos. Ele é interligado por uma rede de ruas com o esquema orgânico. O objetivo é criar uma coexistência harmoniosa entre o homem e a natureza, explorando novos modos de multi-cultural aquáticos vivos.

Cidade flutuante: A nova Kiribati?

Claro que a primeira vista isso é apenas ficção científica distante do mundo real. Mas o homem já provou inúmeras vezes que é capaz de materializar os sonhos mais inacreditáveis. O que talvez falte para Kiribati seja dinheiro para explorar essas possibilidades. Talvez se eles fizessem um tipo de acordo comercial com os príncipes árabes dos emirados (fora Dubai)… Sei lá. Algo assim, convertendo Kiribati num pólo de turismo mundial.

Cidade flutuante: A nova Kiribati?

A idéia é bem legal e empolgante… Mas talvez fosse mais vantajoso construir uma gigantesca draga como as usadas em Dubai para subir em alguns metros as principais ilhas do país. Mas reconheço que o visual desses icebergs tecnológicos, é super legal mesmo.

Related Post

20 comentários em “Cidade flutuante: A nova Kiribati?”

  1. Cara, dá aquela sensação de mundo pós-apocalíptico. Quem sabe a daqui a uns 500 anos todo o planeta esteja submerso e toda a população doplaneta habitem em ilhas como essas. Bom, se antes disso contruirem algo do tipo e eu ganhar na sena vou até lá para visitar.

  2. Ah! Eu acho a interação da parte submarina da ilha mais legal do que no ar. Portões que dão acesso a submarinos e mergulhadores, salas de pesca com buracos no chãopara jogar o anzol…. As possibilidades são muitas.

  3. [quote comment="22160"]… salas de pesca com buracos no chãopara jogar o anzol…. As possibilidades são muitas.[/quote]

    Isso ia ser sensacional mesmo! :B

  4. Além de ser totalmente a prova de tsunamis. Aliás, tsunami ia simplesmente fazer dessas “ilhas” o maior parque de diversões acidental da história.

  5. Bom A ilha devia ter um sistema de navegação. Pelo menos para se ter controle em grandestempestades e não ser jogado contra rochedos ou contra bancos de areia…

  6. pois isso eh uma merda total… =/ … tendo em vista q as ilhazinhas tão indo pro buraco… alias.. indo por agua baixo… hauHUAhA…

    que legal, a gente ta matando o planeta =D … [Ironic Mode On]

  7. sinceramente, dando uma viajada a mais…

    acho que os humanos vão achar um meio de sobreviver fora da Terra

    literalmente vamos ser os aliens de hoje.

  8. Peraí, peraí, pára tudo. Temos informações desencontradas aqui. Até onde sei, “aquecimento global” é um nome inadequado para o que se poderia chamar mais precisamente de “Mudança Climática Global” e a parte causa pelo homem (“antropogênica”) ainda é controversa. Por que controversa? Porque o estudo do clima é algo complicadíssimo e que mesmo em escala local envolve o uso de supercomputadores poderosíssimos funcionando a toda potência e ainda assim levando meses para conseguir alguma coisa. Em escala global, portanto, os modelos são putativos e ainda altamente especulativos, pela impossibilidade de um cálculo direto.

    E segundo esses modelos, até onde sei, uma das conseqüências possíveis dessa mudança de clima é o apressar de uma nova Era Glacial, em que a temperatura média do planeta decairia bastante depois da pequena subida inicial, e obviamente nesse caso o tal país se projetaria mais pra cima das águas ao invés de afundar.

    Mas o caso é que eu, como aposto que todos aqui, não conheço os modelos matemáticos usados pra essas previsões e portanto não tenho a mínima idéia da chance de se cumprirem ou falharem.

    Portanto, eu acho que o tal presidente do tal Kiribati deve ter falado isso tão-somente para comover outras nações e surtir fundos para seu país. E com projetos bilionários como as tal Lylipads sendo cogitadas, ele fatalmente conseguiria…

  9. Estamos destruindo o nosso habitat, a terra não sairá daqui tão cedo, é inevitavel mais cedo ou mais tarde os humanos serão destruidos ou impedidos de viverem aqui a não ser que inventem coizas assim,como esta ilha…….Quem pagar verá !!!!!!!

    George Carlin – Save the planet – portuguese subtitles
    http://br.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

  10. Quer dizer que desmatar milhôes de equitares de florestas, esburacar a camada de ozônio e despejar toneladas de Dióxido de Carbono e outras porcarias na atmosfera não caracteria a “bela” contribuição do homem na mudança climática global? Sei não heim…
    Estamos apenas sonhando com as possibilidades. O homem desenvolve coisas incríveis quando pressionado, quando a necessidade de sobrevivência grita mais alto, haja vista os desenvolvimentos em tecnologia que as guerras ajudaram a promover. Longe de mim apoiar grandes tragédias como as citadas para o desenvolvimento tecnológico, mas se a submersão da humanidade é iminente, então vou tratar de comprar meu submarino 1.6 com tração nas quatro hélices e sensor de estacionamento. ;]

  11. Danilo, eu não disse que o homem não está causando mudanças drásticas no ambiente, apenas que o impacto, a extensão e as conseqüências dessas mudanças não são bem conhecidos ainda. Um modelo fala que a temperatura vai subir continuamente, outro que vai subir um pouco e então diminuir, outro que pouco vai se alterar e daí por diante… E mesmo com documentários alarmistas (mas importantes pra levantar a bola) como aquele “Uma Verdade Inconveniente” aparentando tanta certeza, a verdade é que os dados são pouco conclusivos e isso é embaraçoso, pois precisamos fazer alguma coisa.

    Uma das coisas que podemos fazer para diminuir o impacto – seja lá qual seja ele – é diminuir a poluição produzida (fumaça/cinzas, CO2, CO, lixo, etc.) -, mas isso custa caro e precisamos ter pelo menos alguma medida de custo/benefício, pois ninguém tem dinheiro ilimitado pra gastar com isso.

    Bom, saí um pouco do ponto. Voltando ao assunto, sem sabermos direito o que vai acontecer por estarmos acabando com o ambiente, o que podemos ter certeza é que afirmações como “meu país vai sumir debaixo d’água até o fim do século” são apenas chutes – e aparentemente sem muito critério.

    Ah, e por último, hectares é com H e C mudo.

  12. Prever com certeza é complicado mesmo. Mas coloque-se no lugar de um presidente de um país formado por meia dúzia de ilhas apenas alguns centímetros acima do nível do mar. O cara está certo. Tem que abrir o bocão mesmo e exigir algum tipo de garantia para ele e para as pessoas que colocaram ele no poder. Pior é ele ficar quieto só porque não tem certeza sobre o que vai acontecer e se ferrar mais tarde. Se eu fosse presidente de lá, eu já tava esquematizando uma solução preventiva faz tempo.

  13. cara!
    acho incrivel este lance de interagir com a natureza,
    e inacreditavel o q o ser humano é capaz de fazer.
    totalmente demais,
    parabens pela hótima criação de vcs
    adorei!!!

  14. prefiro uma cidade flutuante no ar pois se um dia por uma falta de sorte um pequeno meteoro do tamanho da cidade de sao paulo simplesmente tocar na terra hsahsashasahshashah tchau tchau mar terra cidade e tudo sem falar que no mar tem tsunamis maremotos ondas gigantes de vez enquando uma ilha nascendo de um vulcao.

    agora no ar como no progeto de uma empresa que quer carregar um predio:

    http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/nave-em-forma-de-discos-transportara-predios-05102010-23.shl

    como visto acima só colocar a galera na nave muito gases oxigenios em geral e sair da terra e ficar fora até uns 6 meses para acalmar as tempestades do planeta caso venha cair um meteoro na terra.
    nave toda feita de gaz hélio 7 vezes mais leve que o oxigenio, e a nave tem apenas 150 metros de tamanho, agora se as catastrofes fosse muito fortes dava pra galera juntar ar e fazer uma especie de nave com terra plantas e sair no espaçao de meu deus cada cidade com uma imagina? hashahsahsha viajei kkkkkkkkk, mais se o iran fosse fazer uma ele teriao que sair do lado oposto da minha pois deus me livre daquele povo do oriente vai ser brigao assim la longe.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares