Boneco -Lobisomem Sinistro Parte III

Olá galera. Aqui estou eu novamente com a terceira parte do passo-a-passo da construção do boneco “Lobisomem Sinistro”. Se você chegou agora, não se preocupe. Clique aqui e acompanhe a parte I. Para ver a parte II, clique aqui.

Só lembrando que devido a alta quantidade de imagens eu vou usar o clássico “leia mais” e vou hospedar as imagens no Photobucket, o que vai obrigar quem não conseguir visualizá-las a usar nossa gambiarra: Clique aqui e depois entre com o endereço www.mundogump.com.br no campo lá e pronto. Elas deverão aparecer.

Bom, conforme vimos na parte I, eu resolvi esculpir um boneco de um lobisomem. Estruturei e comecei a esculpir. Na parte II vimos a blocagem dos músculos, a cabeça, a criação do detalhamento e acabamento da pele e tal.

Agora na parte III, eu começo colocando o boneco no forno para assar. A polyclay, o material do que é feito o lobo, é um tipo de massa que parece massinha e praticamente não seca. mas quando você está satisfeito com sua peça e quer imortalizar ela, você apenas coloca o boneco no forno da sua casa e ele assa, ficando um boneco de um plástico bem duro e bastante leve.

Bom, aqui está nosso amigo lobo entrando na sauna.

Depois de um tempo que não sei dizer quanto foi, porque estava distraído ( eu fico assistindo o boneco assar. Geralmente sei que ele está bom porque certas extremidades como as pontas dos dedos e orelha começam a escurecer) e não marquei o tempo.

Em seguida, retirei o boneco do forno e deixei esfriar. Quando sai do forno ele ainda está um pouco duro e precisa esfriar totalmente para endurecer. Antes de pintar, eu isolo a base cobrindo-a toda com fita crepe. Isso evita que a tinta respingue na base.

O próximo passo é pegar tinta estilografica (tinta de nanquim) preta e cobrir TODO o boneco, olhando com cuidado para que não fique nenhum poro, nenhuma ruga, nenhum orifício sem ser pintado. A tinta de nanquim fica inerte ao seu meio natural (água) depois de seca e funciona como base para a camada posterior de tinta acrílica e também como área de sombra para qualquer área que por ventura não venha a ser pintada. Uma coisa importante porque sinceramente, aquele cor-de-rosa da massa é feio pra dedéu.

Depois de pintar ele de preto eu uso o bom e velho secador gump para dar uma acelerada na secagem. Quando a tinta de nanquim seca ela fica com um tom acetinado bem legal.

Após isso, eu começo a cobrir o boneco com uma camada de tinta cor de pele customizada por mim a partir de quatro cores basicas: Vermelho de cádmio, marrom claro, branco e amarelo-carne. Depois de misturada para obter o tom que eu queria, cobri o boneco seguindo a regra “do que está em baixo primeiro”. Assim pintei toda a área de pele.

Em seguida fiz uma cobertura com a técnica do pincel seco, num tom ligeiramente mais escuro e avermelhado.

Essa segunda passada com o pincel seco funciona bem nas áreas de rugas da pele, aumentando o realismo.

Num tom mais escuro eu crio um terceiro tom de pele, e com ele respingo varias manchas na pele do monstro, para dar um efeito “natural” e orgânico a pele.

Num quarto tom de pele mais avermelhado eu pinto as orelhas, pontas dos dedos, palmas da mão e interior das orelhas. Depois eu pinto a língua e o interior do palato.

Quando a parte de pele está quase pronta eu pinto os pequenos detalhes, como aquele corte na cara.

Com a tinta amarelo ocre fosca e acrílica preto fosco eu crio uma cor verde-oliva e com ela pinto a calça.

Para tirar a excessiva uniformidade da cor, eu faço uma variação tonal desta cor, só que mais clara, adicionando um poco de branco. Isso vai fazer parecer que a calça está usada e é um pouco desbotada. Com esta cor eu faço um pincel seco sobre a área da calça, ressaltando os detalhes.

Com tinta preta eu pinto o cinto e os pacotes. Com esmalte cromado eu pinto os botões.
Na ponta dos dedos eu resolvi fazer um degradê de preto, para dar um ar mais ameaçador. E o resto é finalizar usando o verniz cristal ultra-brilho na língua para dar uma “molhada” nela.

Aqui está o resultado final.

Espero que tenham gostado. Na próxima e última parte, os pêlos.

26 Comentários

  1. Moisés 8 de fevereiro de 2008
  2. Katamari 8 de fevereiro de 2008
  3. Spiirit 8 de fevereiro de 2008
  4. Ananias cachimbeiro 8 de fevereiro de 2008
  5. zim_lee 8 de fevereiro de 2008
  6. Fábio Sousa 8 de fevereiro de 2008
  7. Marcio Melo 8 de fevereiro de 2008
  8. Tiago Travesso 8 de fevereiro de 2008
  9. renato 8 de fevereiro de 2008
  10. italo 8 de fevereiro de 2008
  11. Lucas Carvalho 8 de fevereiro de 2008
  12. Ananias cachimbeiro 9 de fevereiro de 2008
  13. Fabio 9 de fevereiro de 2008
  14. Renato 9 de fevereiro de 2008
  15. Fernanda 9 de fevereiro de 2008
  16. Philipe 9 de fevereiro de 2008
  17. Elveter 9 de maio de 2008
  18. LUCIO 17 de setembro de 2008
  19. marcelo 6 de setembro de 2009
  20. betaadelaide 28 de setembro de 2009
  21. betaadelaide 28 de setembro de 2009
  22. luiz paulo 2 de dezembro de 2009
  23. renan 7 de janeiro de 2010
    • Philipe 8 de janeiro de 2010
  24. renan 7 de janeiro de 2010
  25. boquete feliz 29 de agosto de 2013


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *