Ai que saudade do Macaco Tião

Compartilhe

Eu penso que há muito tempo a política brasileira está em estado de calamidade pública. A coisa é grave, e quando pensamos que nada pode ser pior que políticos que desviam dinheiro público, são pegos nas mais nauseabundas tramoias, se envolvem com o que há de pior, surge uma nova denuncia para me envergonhar ainda mais por ser brasileiro.

Diz o ditado popular que o mal do brasileiro é ter memória fraca. Nós realmente temos. Mas pior que ter a memória fraca é ter a boa memória para lembrar que as instituições que deveriam zelar pela tal “Ordem e progresso” que está pintado na nossa bandeira, pouco ou nada fazem além de cuidar de seus interesses pessoais, imersos num mar de dinheiro que -motivo de orgulho para alguns e de vergonha para uns poucos – só aumenta a cada dia, ao custo do suor do povo. O problema é esse. É melhor ter a memória fraca. A Ignorância é uma bênção. Ruim mesmo é poder olhar para trás e ver que quase todos os escândalos políticos que assolam o país terminam invariavelmente em sorrisos amarelos, dancinhas estapafúrdias no planalto e a tão famosa “pizza”.

As quadrilhas tomaram o controle deste país, e uma vez investidos de poderes legislatórios, o fazem a favor dos mais escusos interesses.

O povo, certamente não se lembra de muitos nomes. A indústria da denuncia é tamanha que seria impossível lembrar de cada safado pego com dinheiro na cueca, em paraíso fiscal, pego em propinodutos, mensalões, superfaturamentos, desvios, acordos suspeitos e facilitações desonrosas.

Um desses nomes é de Valdemar Costa Neto.

Lembrou? Pare um segundo e pense. Você sabe quem é este cara de memória, sem recorrer ao google?

E José Genoíno? Sabe? Esse nome lhe parece mais familiar, né? E que tal João Paulo Cunha?

Alguma pista?

Todos estes nomes são nomes de políticos envolvidos no escândalo do mensalão, que terminou na mais pornográfica pizza.

Fazendo uma rápida pesquisa sobre Valdemar Costa Neto na wikipedia, podemos ver que os escândalos envolvendo este político, que representa muito bem a classe dessas pessoas que são escolhidas para nos representar, revela que seu legado de vergonha para o país suplanta de longe o escândalo do mensalão:

Envolvido no escândalo do mensalão e alvo de diversas acusações, renunciou em 1º de agosto de 2005 para não ser cassado. Foi, contudo, reeleito no pleito de 2006.

Foi o marido de Maria Christina Mendes Caldeira, de quem se separou num divórcio tumultuado. Valdemar deixou a ex-esposa numa mansão que ela se recusava a desocupar. Para expulsá-la, Valdemar chegou a ordenar o corte de água e luz, num episódio que foi amplamente noticiado pela imprensa.

Um ano depois, sua ex-mulher testemunhou contra ele no escândalo do Mensalão, acusando-o de recebimento de propinas, relações espúrias com Delúbio Soares, e também da compra de um partido “nanico”, o PMN.

Maria Christina também revelou que Valdemar chegou a gastar 500 mil reais em apenas uma noite, num cassino em Punta del Este. Disse também que Valdemar escondia um gigantesco cofre com dólares em casa. Valdemar negou todas as acusações da ex-mulher.

Em seu depoimento à CPI, Valdemar fez diversas acusações de corrupção contra o governo, e confessou ter recebido dinheiro de Delúbio para o PL. Ele alegou que o dinheiro seria para financiar a campanha do PT no segundo turno das eleições presidenciais – versão que seus inquiridores consideraram inverossímil.

Valdemar é o autor do processo que resultou na indicação para cassação do deputado Roberto Jefferson.

Em 2009, teve seu nome citado nas investigações da Operação Castelo de Areia, que apura crimes envolvendo executivos do Grupo Camargo Correa, que teriam dado dinheiro para facilitar a liberação de um terreno na capital paulista que interessava a construtora.

fonte

Pois bem. Eu não me espantaria de ver que o amnésico brasileiro votaria novamente neste cara para ocupar um cargo público, afinal, eu nunca duvido do grau de bizarrice que a vida revela e muito menos do grau de imbecilidade do ser humano. Não existem limites para a idiotice e/ou estupidez.
Mas a julgar pela trajetória política de Valdemar Costa Neto, poderíamos supor que fosse difícil para alguém que se ejetou do cargo para evitar a iminente cassação, conseguir convencer o eleitorado a lhe dar um literal voto de confiança.
Porém, a tragédia é que isso vai acontecer. Valdemar Costa Neto, José Genoíno e João Paulo Cunha serão certamente recolocados no poder pelo voto do povo.

Mas por que o povo vota nesses caras?

Aí é que está a espúria vergonha nacional! O povo não vota nesses caras. E no entanto é certo que eles irão ganhar seu lugar ao sol, pois o povo vai votar no Tiririca.
3521323tiririca Ai que saudade do Macaco Tião
Eu acho que não preciso explicar em detalhes quem é o Tiririca. Basta dizer que ele era um palhaço de feira, que gravou uma musica irritante e se tornou famoso. Ele frequenta programas de humor e conta piadas. Tiririca é apenas isso, um palhaço de circo, e por seu trabalho é bastante querido do público, sobretudo das crianças. Tiririca foi convidado pelo partido do mensaleiro Valdemar Costa Neto a ser candidato.
Eu ignoro o que pode ter passado na cabeça desse cara para aceitar virar candidato, mas o fato é que Tiririca aceitou e de imediato, provocou uma enorme reação positiva a sua candidatura.
Seu slogan: “vote em Tiririca, porque pior que está, não fica!”
A massa foi ao delírio. Isso porque o povo, cansado de ser ludibriado, manipulado e sentindo-se agredido e enxovalhado pelo mar de escândalos, resolveu votar no palhaço que diz o que o povo quer ouvir.
Antigamente, no tempo do voto em papel, quando o povo queria protestar, votava no macaco tião, o folclórico chimpanzé que tinha o hábito de jogar cocô na plateia.
Macaco Tião chegou a obter 400 mil votos em 1988. Votar no macaco era um protesto bem humorado, já que como símio não era registrado como candidato, os votos nele constavam como nulos. O advento da urna eletrônica acabou com este tipo de voto emblemático, mas não tardou a surgir outro tipo de voto de protesto. O voto bizarro.
Graças ao voto bizarro, pessoas como o costureiro, apresentador e celebridade decadente com a situação financeira abalada à época, Clodovil Hernandes alcançou sua vaga na câmara dos Deputados, sagrando-se como o terceiro mais votado do país. Um feito e tanto para quem nunca havia se candidatado a nada.
Então é isso. A moda dos partidos menores agora é buscar puxadores de votos. E os bons puxadores de voto são preferencialmente celebridades ou subcelebridades.

A lista de puxadores de votos nesse ano é prolífica:

ESPORTISTAS

Acelino Popó Freitas (PRB-BA)- O boxeador concorre a deputado estadual

Maguila (PTN-SP)- Ex-boxeador,quer ser deputado federal

Marcelinho Carioca (PSB-SP)- Ex-jogador, concorre a deputado federal

Romário (PSB-RJ)- Ex-jogador, busca uma vaga na Câmara Federal

Vampeta (PTB-SP) – Ex-jogador, concorre a deputado federal

Fabiano (PMDB-RS) – Ex-atacante do Inter, é candidato a deputado estadual

Danrlei (PTB-RS) – Ex-goleiro do Grêmio, concorre a deputado federal

MUSICOS

Gaúcho da Fronteira (PTB-RS) – Músico concorre a deputado estadual

Kiko (DEM-SP) – Membro do grupo KLB, concorre a deputado federal

Leandro (DEM-SP) – Integrante do KLB, concorre a deputado estadual

Netinho (PCdoB-SP) – Cantor do grupo Negritude, concorre a senador

Reginaldo Rossi (PDT-PE) – Cantor, concorre a deputado estadual

Renner (PP-GO) – Integrante da dupla Rick&Renner, concorre ao Senado

Sérgio Reis (PR-MG) – Cantor e ator, concorre a deputado federal

Tati Quebra-Barraco (PTC-RJ) – Funkeira, concorre a deputada federal

TELEVISIVOS

Ronaldo Esper (PTC-SP) – O estilista quer ser deputado federal

Pedro Manso (PRB-RJ) – Humorista, disputa na vaga na Assembleia Legislativa

Dedé Santana (PSC-PR) – Humorista, quer ser deputado estadual

Tiririca (PR-SP) – Humorista, disputa uma vaga na Câmara Federal

Batoré (PP-SP) – Humorista, quer uma vaga na Câmara Federal

Bizarrices de apelo sexual:

Mulher Melão (PHS-RJ) – Cristina Célia Antunes Batista concorre a deputada federal

Mulher Pera (PTN-SP) – Suellen Aline Mendes Silva quer ser deputada federal

Não, meu caro leitor. Eu não estou querendo dizer que uma vez celebridade ou nem isso, o cara deva perder o direito de lutar por um país melhor. Eu realmente gostaria de ver tantas pessoas empenhadas na carreira política em prol de boas intenções. Mas tira o salário, tira as regalias, tira o monte de mordomia e o poder, e vê quem ainda fica?

Alguém? Alguém?

E digo mais, se fosse só pelo interesse pessoal, eu até aceitaria, a contra-gosto. Mas tem coisa pior que o egoísmo por trás dos puxa-votos!

O que está por trás dos candidatos bizarros chama-se coeficiente eleitoral. Ou no termo popular, a “entrada pela janela”. Pra quem não conhece ou não é do Brasil, eu explico:
Ele é o resultado da divisão da soma dos votos validos dados a todos os candidatos e legendas pelo numero de vagas de cada estado. Quando os votos de um candidato ultrapassam o coeficiente, o que sobra vai para os seus amigos da chapa. Resumindo, isso significa que quando o Clodovil ou o Tiririca ganham muitos votos, além deles entrarem, vão no vácuo na maio das desfaçatezes uma série de outros políticos que não foram eleitos diretamente. Eu considero este tal cociente eleitoral como o pior tipo de sistema de cotas que existe.
No caso do Tiririca “Pior que tá não fica”, se o quociente eleitoral de São Paulo for de 200.000 votos e ele obtiver os 900.000 que as pesquisas do DATAFOLHA apontaram, ele vai colocar “pela janela” pelo menos três pessoas. Esses lugares podem ser de candidatos do PR ou dos partidos coligados. O que significa que votando no palhaço, há uma chance de você levar os três mensaleiros de volta a câmara.

Lindo, não?

Mas a bizarrice não acaba aqui. Há fortíssimas suspeitas de que Tiririca é analfabeto, e por conta desse pequeno “detalhe”, segundo a lei eleitoral, ele pode não ser candidato:

Segundo apurou a revista Época:

Dois funcionários da TV Record também disseram a ÉPOCA que nos bastidores do programa humorístico Show do Tom, do qual Tiririca participa, é sabido que ele não lê nem escreve. De acordo com Ciro Botelho, o palhaço conta com a ajuda da mulher para decorar suas falas: “A mulher fica no camarim com ele e vai falando o texto. Ele vai decorando e conta do jeito dele”.
A reportagem de ÉPOCA acompanhou Tiririca por dois dias na semana passada. Viu o candidato dar autógrafos com uma grafia bem diferente da que aparece na declaração apresentada ao TRE, com letras redondas. Aos fãs, ele assina um rabisco circular ininteligível e desenha o que seriam as letras do nome de seu personagem. Em duas ocasiões, a reportagem deparou também com situações que demonstram que Tiririca tem, no mínimo, enorme dificuldade de leitura. No dia 21, a reportagem pediu para Tiririca ler uma mensagem de celular. Ele ficou visivelmente assustado diante do aparelho. O constrangimento do candidato só foi desfeito quando uma assessora leu o torpedo em voz alta. Minutos antes, referindo-se às críticas feitas a sua candidatura nos jornais, Tiririca dissera: “Eu não leio nada, mas minha mulher lê para mim”.

No dia 22, ÉPOCA fez um teste com Tiririca. Durante um almoço, pediu a ele para responder a perguntas da pesquisa Ibope sobre o Congresso. As duas primeiras questões foram lidas pela reportagem e respondidas normalmente por Tiririca. Em seguida, foi apresentado ao candidato um cartão para ele ler a terceira pergunta e as alternativas de resposta. Nesse momento, seus assessores o cercaram imediatamente. O filho de Tiririca, Éverson Silva, começou a ler a pergunta para o pai, mas a pesquisa foi interrompida pelos assessores com a alegação de que ele precisava almoçar e que a aplicação da pesquisa não fora combinada previamente. A cena pode ser vista em um vídeo no site de ÉPOCA.

Depois desse novo mal-estar, ÉPOCA tentou questioná-lo sobre sua alfabetização. Sua assessoria de imprensa não permitiu mais contatos. Ela diz que Tiririca sabe ler e escrever, mas os pedidos de um encontro com o candidato para que ele lesse um texto e encerrasse as dúvidas foram recusados. A assessoria disse que Tiririca está na reta final da campanha e ficaria “chateado por ter de provar que sabe ler”.

O video abaixo mostra a situação.

Me parece que é um caso claro de analfabetismo. E agora? O que você acha que vai acontecer? Será que Tiririca irá perder sua candidatura? Será que o TRE terá coragem de impor ao candidato um teste simples?
Todos sabem que a candidatura do Tiririca é um mero mecanismo de obtenção de votos.

A conjuntura política do Brasil chegou a um ponto dramático. Como que pode um partido planejar um candidato LARANJA? Como que pode o candidato LARANJA não saber nem ao menos ler?
Como que pode ser a exigência mínima que um candidato apenas saiba escrever?

Desculpa o mau jeito aí, mas PUTA QUE PARIU!

Como que pode isso? Pra qualquer empreguinho merda aí os caras pedem tudo que é coisa. Pra ser Gari nego tá exigindo até graduação. Como que pode um candidato que vai ganhar mais de DOZE MIL REAIS do MEU E DO SEU DINHEIRO além das mordomias infinitas só precisar provar que sabe ler e escrever?
E outra, uma declaração de próprio punho (que não é feita na frente do juíz) garante por acaso que o cara não seja um analfabeto funcional?

Fala sério. Eu não sei como que pra alguém se candidatar não rola tipo um vestibular.
Tinha que ter. Pelo menos uma prova que exigisse os fundamentos mínimos de Economia, História, Administração publica, Legislação, ética, o mínimo da constituição, etc?
Como que pode um candidato aparecer na Tv dizendo “você sabe o que faz um deputado? Eu também não sei, mas vote em mim que eu te conto.”
Isso seria hilário se fosse num programa de Tv. Mas ao saber que é sério isso, ao saber que esta frase não foi criada pelo Tiririca mas sim por uma junta de marqueteiros que planejaram cuidadosamente a palhaçada que ele deveria falar para obter mais fotos dos retardados mentais, aí fica grave, meu.
Eu não entendo como que se pra dirigir um carro tem que fazer exame psicotécnico, prova teórica, prova pratica, etc, por que pra representar o povo e legislar o destino do PAÍS não precisa?

Pois eu acho absurdo que o voto ainda seja obrigatório. E também acho errado que o voto tenha o mesmo peso para todo mundo. Isso só é bonito na utopia democrática. Como que pode o voto de um cientista político valer igual ao de um analfabeto do interior de onde o Judas perdeu as meias? Tem lugar que nem luz elétrica não tem. Tem gente que vive tão isolado nesse país de dimensões continentais que nem faz idéia do que respresenta digitar os números naquela joça.

Tem gente que não sabe nem mesmo quem é o presidente do País. E o voto dele vale igual ao meu e o seu. Isso é uma cretinice!
Pra dirigir carro tem carteira B. Pra caminhão tem outra, pra moto outra… Por que não ter título eleitoral categoria A, B, C… etc?
Pra mim voto tinha que ter peso. Tipo ocorre em concurso publico. Pra quem não sabe, em concurso, a prova de títulos atribui pontos para o candidato. Assim, se eu estou concorrendo a um emprego e só tenho a graduação e chega um cara que tem pós doutorado, ele passa na minha frente NO ATO.
Se a logica vale em concurso publico, devia valer na questão eleitoral. Isso tenderia a esvaziar (porque acabar é impossível) com a política focada na massa acéfala. Reduziria o impacto do candidato bizarro e debochado, um problema que só cresce, como um tumor, a cada ano eleitoral.
Agora não estou propondo dar peso ao voto baseado no curriculo escolar dele, pois isso seria ridículo (já que universidades particulares vendem canudos e o governo não consegue de fato garantir o acesso à educação ao seu povo)
Então que se faça uma prova. Na hora de tirar o titulo vc vai lá, presta o vestibulinho e baseado na sua nota, sai o seu título de eleitor. E sempre que vc quiser, pode prestar um novo vestibulinho politico para ver se sobe a categoria do seu titulo. Pronto.
O Brasil adora prova. Adora testes. Adora vestibular, enem, prova do detran, etc. Que se crie uma prova pro eleitor e outra pro candidato.

Bem, é isso. Eu só queria deixar este alerta aqui. Se você conhece alguém que quer votar no Tiririca porque acha ele engraçado, lembre o cara que votando no palhaço está ajudando os mensaleiros a voltar ao poder.
Tudo que eu mais queria era poder acreditar no Tiririca e seu slogan estrambólico:
“…Pior que está, não fica!”

Artigos relacionados

59 comentários em “Ai que saudade do Macaco Tião”

  1. Sua proposta de voto facultativo já é há muito um desejo do povo. Agora essa questão de peso nos votos das pessoas é algo muito complicado. Em primeiro lugar, você estaria ignorando um pedaço da constituição que garante isonomia (igualdade de tratamento) para todos. Assim, um rico iria para uma prisão de luxo, enquanto um pobre iria para a penitenciária mais próxima, pronto. (Não estou me referindo ao que realmente acontece, mas ao que DEVERIA acontecer, segundo a lei.)
    Além disso, quem ganharia voto com maior peso? Os ricos? Aqueles que possuem 2º grau ou mais? Esta é uma questão complicadíssima, pois a intelectualidade não se encontra apenas nas universidades, assim como também há muita ignorância no meio acadêmico.

    A democracia é assim, livre. Temos liberdade de expressão, mas precisamos lidar com ela e cuidar para que não acreditemos nas mentiras mais desavergonhadas. Temos liberdade de organização política, só precisamos olhar direito em quem votamos. Temos muitas liberdades, apenas precisamos vigiar a nossa própria liberdade para não fazer merda.

    Leon Cavalcanti Rocha
    Graduando em Ciências do Estado – UFMG

    • Pois é, velho. Eu entendo o que vc quer dizer, mas pensa comigo:
      Por que um teste que é o mesmo aplicado a todos os eleitores não garante isonomia? É o mesmo, com os mesmos critérios e etc. A nota é que diferencia o peso do voto.
      Reclamar que isso fere a isonomia constitucional seria como alegar que um candidato a concurso que fez a mesma prova que eu não possa ter a nota maior que a minha.

      • Olá!
        O problema de qualificar votos é o critério de uma suposta prova ou teste. Numa democracia que prevê isonomia ocorre uma nivelação (também chamada igualdade)para baixo. A média de politização, conhecimento, ou o que for, cai drasticamente; e tem que ser assim num país de tanta desigualdade.
        Eu, particularmente, não vejo o voto como um direito e sim como obrigação. Sou a favor do voto facultativo, do voto consciente (ainda uma utopia, mas vou trabalhar nisso em breve)e não dessa tragicomédia que é o sistema eleitoral brasileiro. Por isso não voto. Simplesmente não compareço e um dia (quando lembro) passo no TRE, pago uma multa irrisória e regularizo o título (se quiser viajar, vou precisar)!
        Tuas colocações foram muito acertadas e com certeza veremos o Tiririca e seus “vagões” eleitos.
        E viva a democracia brasileira!
        Um abraço.

  2. Sinceramente, concordo contigo. Mas, é uma bosta porque vai contra o princípio constitucional (que nego só se lembra quando convém) da igualdade. Mas que voto não deveria ser obrigatório, isto sim, deveria. Agora, com relação ao Valdemar da Costa Neto, e o Tirica, acrescente também o Maguila, Agnaldo Timóteo, e o suposto espancador de mulheres, que infelizmente esta nas pesquisas como o mais votado o Pagodeiro Netinho, o jogador Vapeta, Marcelinho Carioca, Ronaldo Esper… enfim, a nata da sociedade intelectual paulista. É triste, muito triste…

  3. Meu Pai botou isso no orkut dele outro dia, q enquanto médicos, professores, bombeiros tem de fazer prova pra poder exercer a profissão, pros politicos eh só se candidatar, e se vencer, vai receber esse dinheirão do bolso do brasileiro pra fazer o q? nada.
    E como minha Mãe disse, o voto devia ser facultativo, sem eleições INDIRETAS, e q se o povo tem o direito de botar o político no poder, tbm devia ter o direito de tirar.

    • Pois é. Vc falou uma coisa interessante, cara. Já pensou se houvesse o voto negativo? Tipo, vc vai votar. Vc pode votar no cara que vc quer e no cara que não quer de jeito nenhum. Numa eleição com cédula de papel, seria um pesadelo, mas no sistema automatizado que temos hoje era plenamente possível.
      Não entendo porque vc só pode escolher o cara que quer. Vc devia poder escolher tb o cara que NÃO QUER.
      Imagina que emocionante que seria? Vc vota no seu candidato e desvota num outro. Aí seu desvoto anula um voto que o cara teve. Isso faria com que as campanhas tivessem que se preocupar em não apenas eleger o candidato, mas também evitar que ele fosse desvotado em massa. E o candidato que ganhasse o maior numero de desvotos teria que ficar duas eleições sem poder concorrer.

  4. E ai Philipe beleza? É concordo com oLeon quando ele serefere que todos tem os mesmos direitos, porém isso seria no mundo ideal, no mundo real temos que ter sim coceitos para escolhas, ora se para qualquer outra atividade executa é exigido um determinado conhecimento e para tal existem até os Conselhos Regionais tipo CREA, CMERS e etc porque não ocorre o mesmo com a política? O minimo que deveria ser exigido para um candidato é que se tenha conhecimento legislativo, ler e escrever (fora de questão isso é essencial para qualquer cidadão). Mas devo dizer que aqui vale aquela frase : O povo tem o governo que merece e enquanto não fizermos nada, e digo não apenas sentar e reclamar nada vai mudar. Abraço.

      • Douglas e Philipe,

        Concordo com muitas coisas que foram ditas aqui…O voto no tiririca é exatamente uma revolta do povo, mas a massa não sabe que votando no Tiririca muitos safados entrarão no vácuo.
        E é triste, mas não adiantam e-mails, posts ou sites, a grande maioria não terá acesso a isso.
        Douglas, concordo com você, mas me diga uma coisa, o que podemos fazer, como podemos reclamar? Penso como vc, mas o que é possível fazer para demonstrar que estams insatisfeitos? O que você faz?
        Abraços Giovanna

        • Oi Giovanna, realmente falar é mais fácil do que fazer. Infelizmente boa parcela da sociedade realmente não vai ter acesso a e-mails, blogs e sites, nem mesmo a jornais impressos ou reportagens de qualidade. O que podemos fazer? Vamos levar essa discussão lá pra fora, formar grupos de debate, nos reunir não para aquela cerveja mas para troca de informações e idéias.
          Tentar abrir os olhos da juventude (claro o resultado infelizmente no nosso país só será a médio e longo prazo), há muito a ser discutido e levantado, hoje na nossa sociedade faltam modelos, pessoas que com sua postura e atitudes (exemplo : nossos cantores, compositores e atores na época da ditadura) sirvam de exemplo, o que temos hoje é o que esta ai. Então o que eu faço?
          Com certeza estarei aqui discutindo idéias e opiniões, com certeza ao ver um Tiririca/Serra?Dilma/Marina/Mulher Fruta na rua não serei eu quem vai sair abraçando os mesmos. Precisamos policiar nossos políticos,mas antes de mais nada precisamos começar a policiar nossas atitudes. Acho positivo já se ter aberto esta discussão. E você o que acha que podemos fazer de modo prático?
          Paralizações é provado que não funciona e só trazem mais prejuízos a sociedade, conflito armado? NUNCA. Temos que começar dentro de casa com nossos filhos de maneira simples lembrando a eles valores como respeito,integridade,falar a verdade, amizade, que antigamente se faziam tão presentes na educação e hoje estão em falta na nossa sociedade, pois confundimos liberdade com libertinagem. Abraços.

  5. Concordo com tudo.
    Só queria fazer umas colocações. Grande parte da campanha do Tiririca ter tomado essas proporções é por causa da FALTA DO QUE FAZER do MP e de grandes veículos de mídia, em geral.

    1 – Quanto ao MP – Enquanto os caras estão, faz um bom tempo, tentando “desmistificar” e encontrar algum motivo pra anular a candidatura do Tiririca, mais ainda ele se vende ao povo; no geral, neguinho adora um injustiçado. Até agora eu NÃO ENTENDI PORQUE CARGAS D’ÁGUA essa campanha toda contra o Tiririca, por parte do MP. Ok; ele é ridículo. Mas assim como ele, uns 80% dos candidatos são ridículos; os bizarros, os ladrões caras-de-pau, a maioria deveria ser investigada. Mas não, o MP fecha os olhos na cara dura; mas, o Tiririca, em especial, resolveram pegar no pé. Deu no que deu.

    2 – Quanto aos grandes veículos de mídia – Não precisa nem comentar, talvez. “A mídia” no Brasil, de uma forma geral, os veículos importantes de todos os setores (jornal, revista, tv etc.) faz um bom tempo que vivem “sucateados”. Não apresentam novidades, tanto em questões técnicas (como o caso das novelas, que pararam no tempo), quanto em questões “intelectuais”, por assim dizer, como o caso do que o conteúdo se propões. Quantoas vezes a gente já não viu capa de revista ser uma subcelebridade idiota que nada acrescenta no mundo? Ou quantas vezes Nana Gouvêia ganha mais espaço que, seila, uma descoberta científica importante?
    O caso do Tiririca é exemplo; a Época, o Globo, a Veja, entre outros, PERDERAM UM PUTA DE UM TEMPO fazendo um dossiê da vida deste cara, noticiando aos quatro cantos a candidatura dele e tudo mais. Mais mídia espontânea.

    De fato, se quisessem que o cara não fosse eleito, tanto “a mídia” quanto o MP deveriam era cagar na cabeça dele, literalmente. Mas não, ambos deram baldo pro maluco, gerarm mídia espontanea e agora comem o mal pela raíz da falta do que fazer. Um camarada meu, que está morando na Irlanda, ficou sabendo da campanha do Tiririca, pra se ter idéia de do que esse boca-a-boca da campanha do cara gerou.
    Muito mais que a própria campanha em si, esse espaço todo que ele ganhou através da polêmica “vendeu” ele.
    Tudo isso porque grandes veículos de mídia e MP, no geral, não tinham nada melhor a se preocupar do que um palhaço se fazendo de bobo pra ganhar eleição.

    • Cara o MP deve estar caindo em cima do Tiririca porque sabe que ele é apenas um elemento de manobra. É um candidato laranja que vai levar ao poder os mensaleiros. Acho que é isso.
      Se fosse só o palhaço se fazendo de bobo não teria grandes problemas, é como eu falei no post. O problema está no tal coeficiente eleitoral. Sacanagem é o povo votar no tiririca e por tabela entrar Valdemar Costa Neto.
      Então a explicação que eu vejo é essa. O Mp não tem nada contra o tiiririca, mas sim contra os que estão por trás da candidatura mafiosa.
      A midia tenta noticiar este detalha, mas a porra do coeficiente eleitoral é um bagulho tão complicado que ninguém entende direito como funciona. E os alertas funcionam mesmo como propaganda pro tiririca. Agora se ele for mesmo analfabeto, aí o planinho do Valdemar faiô.

  6. Eu lembro de cada mensaleiro, aloprado, sanguessuga, etc. Mas quem lembra infelizmente é minoria. Agora palhaçada maior do que o Lula falando bem do Tuma quando ficou preso no DOPS, dizendo que levou dentista, levou pra ler jornal e coisa e tal eu tô pra ver.

  7. Quanto a “democracia”, é isso que dá.
    Sinceramente, não sei o que é pior: uma ditadura imposta por uma minoria, ou uma democracia na mão de uma maioria que mal sabe ler.
    Ao menos, a ditadura é uma imposição visível. A “democracia” para um povo não educado é uma imposição disfarçada e legitimada com um discurso bonito.

    Não adianta, “país democrático” só funciona com educação. Até porque há uma diferença de fato entre “liberdade” no conceito mais filosófico e a “liberdade” que o Brasil tem, que nada mais é do que poder dançar seminu no carnaval sem vir alguma autoridade te prender.

    • Eu acho que a solução é mesmo a democracia, cara. Mas tem que ser uma democracia de verdade, né? Tipo o cara ser obrigado a votar atende a que interesse? Do eleitor ou do candidato que se beneficia dos votos dos alienados?

  8. Eu acho que deveria ser como qualquer concurso público, inclusive não só com prova, mas também com curso pós-aprovação preparando para o cargo que vai exercer (como na polícia federal).

    E tem mais uma coisa que ferra com o país é essa coisa de estabilidade do funcionalismo público, eu acho que a estabilidade deveria ser adquirida proporcionalmente, tipo, se você tem um estágio probatório de 3 anos, ganha uma estabilidade de 3 anos nos quais será sempre avaliado, se tudo for bem e não tiver nenhuma advertência e coisa assim, renova a estabilidade para mais 6 anos, e a partir daí de 6 em 6 anos, porque, hoje, o que acontece é que o cara passa no concurso não porque quer prestar um bom serviço ao país, mas porque não quer trabalhar.

    • A ideia da estabilidade é dar tranquilidade ao funcionário público para que ele exerça sua função sem ter que se preocupar se vai ‘ofender’ interesses alheios durante a correta atuação nas suas funções.
      O grande problema, na verdade, é a impunidade. O processo para se demitir alguém é burocrático e pouco usado, em virtude do protecionismo e morosidade da máquina pública. Ou seja, fulano é incompetente, é improbo, é corrupto; a máquina demora um tempo enorme para se movimentar no sentido de puní-lo, ou nem se movimenta, para evitar desconfortos. Mais infelizmente ainda é o fato desta impunidade ser endêmica, ou seja, não está restrita apenas ao serviço público.

  9. Li seu texto e vinha concordando com tudo até que cheguei na part do voto qualitativo, do qual discordo veementemente.

    É, amigolino, mas pense que essas diversas categorias de votos só iriam segregar ainda mais os direitos das pessoas. Se todo mundo tem direitos iguais e votar é um deles, os votos devem sim ter o mesmo peso.

    Por que, afinal de contas o voto do analfabeto deveria valer menos que o meu? É o analfabeto mais burro ou menos preparado eticamente, ou ainda mais ingênuo que eu?

    Dá uma lida nisso aqui e pense se esse voto igualitário que permite analfabetos, pobres e “gente que nem noção tem dos números que digita naquela joça” ainda é melhor do que coisas que aconteciam no Brasil há, digamos, trinta anos: http://www.interney.net/blogs/lll/2010/09/27/o_voto_na_historia_do_brasil/

    O problema não é quem vota, ou como vota, mas o sistema que permite que mensaleiros se reelejam.

    • Fabiane, talvez eu esteja errado mesmo. Eu tb concordo com você. O problema é que eu não defendo pesos diferentes para os votos baseado na educação formal, mas sim na capacidade de reflexão do indivíduo. Pra mim, o voto do cara que vive no mato e obedece o que o cacique ou o coronel, ou o pastor manda é tão ruim pra democracia quanto o voto da madame alienada que só pensa na última bolsa da Daslu.
      Nem que fosse uma parada simples, apenas para saber se o cara sabe o que o candidato em que ele está votando vai ter que fazer. Aposto o meu dedo mindinho que nem 10% da população do país tem consciência da função de um deputado estadual, deputado federal, senador…
      O que mais tem é político candidato a deputado estadual arrotando que vai fazer e acontecer em atribuições exclusivas do governo federal. Ou seja, nego não tem nem a menor noção do que vai fazer lá, porque não estão pensando no trabalho, mas sim nas (muitas) recompensas!
      Eu acho que pode ser uma loucura o peso no voto. Há um viés perigoso nesta idéia, eu sei. Mas exigir um curso específico para candidato devia ser o mínimo.
      Não é algo que vai frear a corrupção, a safadeza e a putaria com o dinheiro público, mas pelo menos afasta os candidatos laranja que nem sequer sabem escrever do palanque.
      Quer ser candidato? Então tome vergonha na cara e vá estudar!
      Outro troço que eu sou diametralmente contra é o “voto camarão”, o tal “voto em partido”. Porra, se fiscalizar uma pessoa já é tarefa quase impossível, imagina o cara fiscalizar um partido? Como que o eleitor vai cobrar?
      Eu sou a favor do que o Gabriel disse. O ideal seria fazer logo a reforma política e moralizar o negócio, mas como conseguir isso quando os caras que tem este poder estão lá para advogar em causa própria?
      É triste mas somos reféns de um sistema viciado que se não existisse já estaríamos próximos da qualidade de vida Suíça. Porque dinheiro mesmo, nunca faltou.

      • Mas exigir um curso específico para candidato devia ser o mínimo.

        Aí eu concordo. Minha tia ficou dez anos estudando (e prestando concurso) pra ser juíza federal até que finalmente conseguiu, por que pra fazer as leis que esses juízes mandam cumprir tem que ser diferente?

        Se mostrar minimamente capacitado é bom, mas tem-se que atentar também pro fato de que esse tipo de critério pode ser excludente da mesma forma que o voto com pesos diferentes. Além, é claro, daqueles negos que manipulam o sistema em favor de si próprios.

  10. Cara, Philipe para senador!!

    So alguns comentarios, que ja vem de longa data:

    – Politica nao devia ser profissao. Concordo absolutamente com o Philipe quando diz que a coisa toda funciona na base do egoismo, tudo gira em torno de grana, mordomia e poder… tira isso e nao sobra ninguem! Isso ae tinha que ser uma ONG, se quer ajudar o povo tira do bolso e nao do proprio povo, porque isso eh fazer cortesia com chapeu alheio (isso quando existe cortesia e nao mais roubo).

    – Voto obrigatorio. Troço absurdo em uma pseudo-democracia como a nossa! Fazer voto facultativo, ou o “anti-voto” como sugeriu o Philipe, sao as poucas opçoes que vejo em nosso cenario atual. Mas tem um grande problema:

    – Sao eles quem fazem as leis. Logo, se alguem tem esperança que uma coisa como essa se concretize aih a curto prazo pode tirar o cavalinho da chuva… enquanto o povo ignorante continuar votando (e reelegendo infinitamente) politicos de carreira, mensaleiros e ladroes de carteirinha, esqueça! O sistema atual beneficia os caras, e os caras que sao beneficiados sao os que tem o poder de mudar esse sistema, logo…

    Eh isso que da ter um sistema tao jovem… temos voto direto nao faz nem 30 anos, uma constituiçao desatualizada, uma populaçao na sua maioria ignorante onde pouquissimas pessoas tem acesso a um texto como esse do Philipe (e na situaçao atual mesmo que tivessem acesso nao teriam discernimento para entender o que significa)… triste, mas real!

    • Rapaz, nem síndico eu aceito ser, porque acho responsabilidade demais. Eu espero sinceramente que com o passar dos anos, com o tempo, os candidatos, os eleitores e o sistema se auto-regulem, melhorando em algum aspecto. Talvez seja um desejo utópico meu acreditar que o país pode melhorar.

      • Tava zoando, claro… mas de qqer forma, eu particularmente ja perdi a fe faz algum tempo, pois voto desde 1992 (com 16 anos na epoca) e nunca vi uma eleiçao tao zoada como essa, e a tendencia eh piorar, assim como a musica, comportamento, drogas, segurança… que venha 2012 logo! Reboot nos filmes eh coisa do passado, tem que rolar um reboot no mundo! 🙂

  11. Muito bem defendido seu ponto de vista.

    Só fica uma brechinha. A democracia fica comprometida quando o peso do voto não é igual para todos.

    Não se pode taxar o povão de ignorante e com isso justificar uma menor participação dele nas eleições. Eu não acho que o povo seja tão ignorante assim (nem acho que seja só a ralé que esteja pensando em votar no Tiririca).
    Aposto que Lula nem teria sido eleito se os votos dos mais esclarecidos (dos mais capazes de tirar nota boa em uma prova) tivesse peso maior.

    Peso para os votos é uma idéia bem ruim.

    Pedir um preparo muito grande dos candidatos também. Com certeza algum preparo é necessário. Pô, se o cara não souber nem ler, eu estou votando nos assessores dele, e não nele. Mas não convém que o candidato precise ser formado, ter mestrado, doutorado, etc…

    Digo isto porque o mais importante em um político é a ética, a coragem, a inteligência, a diplomacia. Tem um mói de doutor corrupto super-preparado e competente, de que adianta?

    Prefiro um com ensino fundamental mas que vá fazer a coisa certa!

    O que a gente pode fazer é pressionar o governo, por exemplo através do AVAAZ, a abolir a “entrada pela janela”.

    Assim, pelo menos, quem votar no tiririca vai tar votando NO TIRIRICA, não no Valdemar Costa Neto.

    Por fim, na época, eu achei absurda a candidatura de Clodovil, mas ele até que fez e propôs umas coisas interessantes durante o mandato. Acho bom a gente rever nossos (pre)conceitos e não ser tão radical.

    • Heitor, eu não digo que é necessário que o candidato tenha sequer graduação para poder se candidatar. Isso seria cruel.
      O que eu digo é que tem que ter um curso, uma formação básica pra poder representar o povo. E tem que saber de fato ler (e entender o que leu), afinal, o que o político mais faz é ler e escrever.

  12. Sinceramente, não acho que tirando o Tiririca o resto que fica preste.

    E mais uma vez, sinceramente, os que sabem muito bem ler e escrever são os maiores Ferrabrás desse país!!!

    Pelo menos ele está tentando redistribuição de renda!!! há há há… Chega.

    • Com certeza. Concordo totalmente com, você. Não é tirando o Tiririca que o Brasil vai acabar com a pouca vergonha, mas se tirar o tiririca pelo menos o valdemar costa neto vai ter mais dificuldade de voltar (ou não, como já dizia Caetano).

  13. E o pior ainda está por vir… Com essa tal lei PNDH-3 que já foi assinada pelo LULA (Acho que não tinha ninguém por perto para ler para ele) a liberdade de imprenssa será tirada… Vários apresentadores de telejornais, comentaristas etc foram contra isso… A TV Bandeirantes foi contra publicamente, Record, Globo, a mesma coisa…

    Isso tudo pra que?

    Para q esses MALANDROS que estarão entrando novamente (Graças aos Laranjas, como foi dito) continuem colocando dinheiro na cueca, na calcinha, meia e etc…

    Sem a liberdade de Imprenssa, NINGÚEM FICA SABENDO!
    É o plano perfeito…

    (Obs.: Se a mulher Melão resolver colocar dimdim no sutiã(não estou dizendo que ela irá fazer isso), aí então estamos ferrados!)
    :B

    • Pessoal exagera também… parece até que vai voltar o DIP, DOPS, DOI-CODI…
      Na proposta eles não querem tirar a liberdade de imprensa… eles querem puxar a orelha de quem “ferir” os tais direitos humanos que eles estão ditando. Ex: (Falou mal de homossexual, fez piadinha com Evangélicos, etc…)
      A liberdade continuará, mas a emissora terá uma penalidade em cima disso.
      O contrário também vai acontecer… a emissora que produzir conteúdo que divulgue esses direitos humanos vai receber algum tipo de incentivo/beneficio.

      Vejam bem, eu não concordo com isso, só estou explicando que o povo exagera…

  14. Cumpri com o prometido Phil, escrevi uma resenha sobre seu livro no site Sobrenatural.org. Vá em “Conteúdos” + “Aguardando liberação”. Acho que contribuí para atiçar a curiosidade dos leitores daquele site. Espero também que tenha ficado do seu agrado, e que voce faça boas vendas. Um abração.

    • Nossa, Jackie, adorei. Ficou sensacional!
      Me deixou muito honrado com sua resenha do meu livro. Eu fiquei também extremamente interessado num aspecto tecnico do sobrenatural.org.
      Tinha muito tempo que eu não entrava lá.

  15. ola,
    fazia tempo q vc não escrevia algo interessante e oportuno como este artigo. Eu tenho uma opinião q além de ser voto facultativo, as pessoas que ganham algum benefício do governo tipo bolsa família ou renda mínima ou coisa parecida não poderiam exercer o direito de votar. Acredito que o camarada quando ganha este tipo de esmola tende a acreditar na bobagem q se outro governo entrar vão perder o benefício, não muda muito dos tempos de troca de voto por dentadura…

  16. Concordo plenamente sobre o teste para ser candidato…
    A politica brasileira esta uma completa baixaria
    Quanto tempo teremos que esperar para ver candidatos querendo se
    eleger para realmente trabalhar a nosso favor e nao ´so pra receber
    o dinheiro

  17. Rapaz, parabens pelo post! Esta semana mesmo estava conversando com algumas pessoas no serviço e vi o quanto o povo tem cabeça pequena! Tem gente que não sabe nem o que é legenda! Concordo com a “prova no TRE” como peso, apesar de alguns alegarem não poder por ser inconstitucional. Então seria inconstitucional tb a prova do DETRAN? Se não passar não tem a habilitação! Certo? E a cota para negros nas universidades? Inconstitucional? Mais isso não é “jogo” para os politicos, então, que se faça uma lista como foi a lista da “ficha limpa”.
    Em relação a candidatos, para ser delegado o mesmo não deve ser formado em direito? Para ser politico eu acredito que deveria ser formado em alguma coisa do tipo, adm, historia, matematica! Sei lá, alguma coisa que vá precisar para sentar numa cadeirinha importante do governo!
    Vou ser sincero, tenho vergonha do povo! A maioria é mal educada e só pensa no próprio umbigo! É como costumo dizer, falta bom senso! Como diz um amigo: O Brasil ficou entre 8 melhores do mundo no futebol e ficou triste, mas é o 85º em educação e não há tristeza!
    É a favela continua crescendo!
    Abraços!

    • Anderson!!
      Quanto tempo não vejo seu nome pelos posts…apesar de que a sumida aqui sou eu…
      E o chopp ainda está de pé? E aí Phillipe? Qual era a discussão mesmo? Não me lembro mais…bom pode ser que nem vc se lembre de mim rsrrs
      Abs

      • olá Giovanna, tudo tranquilo? Claro que eu me lembro! rs Lembro tanto de vc quanto do assunto! hahaha
        O chopp sempre esta de pé! Vem pro RJ e marca com o Phillipe que estou dentro! Só não sei se ele vai aceitar! rs Por mim esta fechado! Só não pode tocar no assuntos dos menos favorecidos, ok? hahahahaha
        Bjs!

  18. Philipe, concordo com você, principalmente nos casos de voto facultativo e testes para os candidatos. Quanto ao peso diferenciado do voto, creio que seja um pouco mais complicado, mas é preciso que seja feito alguma coisa. Não podemos nos acostumar com tanta corrupção. Abraços a todos!

  19. Genial sua idéia do voto negativo… (2)

    Péssima a ideia sobre o peso dos votos. No instante em que diferenças começam a ser oficialmente instituidas, a democracia começa a ser ofendida. Pois pense bem, isso tudo pode muito bem levar a outro tipo de problema, como a emergência de uma direita ultra-conservadora, por exemplo. Posso estar viajando, mas acho que não é esse o caminho, e sim o contrário, ou seja, no lugar de lutar para que aqueles mais ‘esclarecidos’ (arianos, superiores?) tenham mais peso no momento de decidir, devemos lutar para que todos tenham mais acesso à educação, e dessa forma não teríamos que nos preocupar (tanto) com a manipulação das massas.

    • “No instante em que diferenças começam a ser oficialmente instituídas, a democracia começa a ser ofendida.”

      A começar pelo foro privilegiado que dá aos políticos a total liberdade para cometer os mais escabrosos crimes contra a sociedade.

  20. Philipe, vc poderia fazer vídeos ao invés de escrever texto “Bíblicos”, seria mui interessante, e dependendo do texto poderia colocar uma trilha sonora sinistra ou aquela musicas tocadas em circos bl, mas continuo lendo seus textos “Bíblicos”.

    • Pois é. Muitos amigos meus me perguntam porque não inicio a produção de videos, e tal. E a resposta para esta pergunta é:
      42!

      Hahahaha. Falando sério agora, o lance é que quando eu começo a escrever o post eu nunca sei como nem quando que ele vai terminar. Ele vai sendo feito, sendo feito até que acaba. E então pode ficar grande mesmo. Em 99,9% das vezes eu só vou pensando e escrevendo. Não é uma parada que eu pense tudo que eu quero e então vou lá e escrevo. Por conta disso, alguns textos do blog são grandões.
      Mas a idéia dos videos é boa. Eu estou me preparando para fazer isso num futuro próximo. Mas sabe qual é o problema? O problema é que eu queria fazer uma paradinha legal, mais numa linha similar ao que era o Videoshow no passado, não só um modismo tipo um Vlog onde o cara fica falando, falando, falando.
      Para conseguir isso, precisarei montar um setup basico aqui. Já tenho duas câmeras e me falta uma terceira. Também estou investindo numa banda larga (larga mesmo. ) que permitirá isso ser feito mais facilmente. Inicialmente ela serpa uma conexão dedicada de 10 mega, mas estou conversando com a GVT sobre uma parceria de publicidade aqui no blog onde eu teria uma banda larga dedicada, só pra mim, de CEM MEGA!
      E se os meus planos derem certo, teremos a participação do Juca no programa.
      A idéia é fazer inicialmente um programa de 20 a 40 minutos quinzenal, mas dependendo das possibilidades isso pode ser convertido em programas menores de dez minutos semanais.

  21. A propósito da pauta política, há um livro ótimo na praça. Chama-se “Para Glosar no Final – Glosas Políticas e Outras Putarias”. Um livro imperdível, de humor escrachado, despudorado, provocante, explorando o lado mais obsceno da política nossa de cada dia. Você acredita que o livro foi produzido com papel higiênico reciclado? Se acredita, fique tranqüilo, pois, garante o editor, é totalmente desodorizado e esterilizado.
    Recebi de presente de um amigo, mas pelo que vi, o livro está também no mercado livre. É fantástico!

  22. Pior que dependendo da quantidade de votos que o deputado receber ele pode levar junto alguns do seu partido, lembro do caso do Enéas Carneiro, que recebeiu uma quantidade absurda de votos e levou junto alguns candidatos de seu partido, o PRONA, que mal se elegeriam síndicos, com os votos que ganharam.

  23. Qd vi o resultado das eleições agora de manhã, lembrei imediatamente do seu texto… Tiririca eleito com mais de 1,3 milhão de votos! E vai levar pelo menos uns 4 candidados com ele… Tem que haver Reforma Política, pois, contrariando o Tiririca, dá para ficar pior sim…

    • O pior nem é ele ser eleito com tantos votos. O pior é que parece haver um macabro pacto de silêncio com relação ao uso escuso dessa bizarra metodologia eleitoral que é o tal coeficiente. O triste é saber que 99,9% de todos os votos dele foram de pessoas que ignoravam que com isso estariam colocando OUTRAS PESSOAS MARCADAS PELA CORRUPÇÃO na frente de candidatos que tiveram votos diretos da população.
      Só nos resta esperar que o ministério público faça o seu trabalho, investigue se Tiririca é analfabeto realmente e no caso dele o ser, impugne juridicamente sua posse antes que ele seja diplomado.

  24. Tiririca confessou na própria campanha não saber o que um deputado faz. De certa forma nós (99,9% do povo) também não sabemos. O quê um deputado faz? Eles fazem alguma coisa? Apresentam projetos de lei, de obras? Votam sim ou não? Comparecem na câmara? Talvez aplicando engenharia reversa se consiga descobrir alguma coisa, levando em consideração o que eles NÃO fazem! Com fé em Jesus e em Ike Turner Batista, um dia saberemos. Lets go, boys!

  25. Não sei se já citaram nos comentários, mas anulação da candidatura do Tiririca não anula os políticos do partido dele que ele ajudou a eleger. Bizarro, mas é verdade.

  26. WOW, Phelipe, que solução simples e GENIAL.

    Acho que realmente é o que resolveria.
    Quem não tem conhecimento nenhum não pode decidir o destino do país…
    E não haveria problemas de “revolta” porque o voto continuaria existindo, só que valeria menos…
    E quem sabe seria um estímulo pra que busquem mais conhecimento!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.