fbpx

Textos

Um dia a muvuca vai cobrar o preço. Quem vai pagar é você!

Ontem eu estava voltando da minha aula em Copacabana quando dei o azar maldito de perder a van. Só uma coisa passou...

Escrito por Philipe Kling David · 13 Minutos de leitura >

Ontem eu estava voltando da minha aula em Copacabana quando dei o azar maldito de perder a van.
Só uma coisa passou pela minha cabeça naquele momento sublime em que vi o camburão branco amarelo e vermelho dobrando a Nossa Senhora de Copacabana: “Puta que pariu”!

Já estava tarde e eu sabia que teria que fazer uma longa e tortuosa viagem para Niterói. Seria preciso pegar um ônibus para o centro e atravessar na barca do sereno e andar na viação canela até minha casa aqui no Ingá. Uma merda de caminho escuro que cedo ou tarde eu sei que vai dar merda. Pelo menos não senti a pedra no rim.

Peguei o ônibus lotado. Conforme me esgueirei no meio de corpos humanos com todas as formas possíveis e imagináveis de odores corporais sendo exalados ali, me peguei pensando no que parece óbvio: Como é possível que quase meia noite haja ainda ônibus lotado nessa porra de cidade maluca?

Veja, não era seis e meia da tarde. Era vinte pra meia noite. Vinte para FUKING MEIA NOITE! Que bosta é essa? Busum lotado essa hora? Como sempre vou de van nunca passei por essa experiência antropológica literalmente desgraçada.  A ampla maioria das pessoas que estavam ali comigo estavam cansadas, quase mortas de exaustão de um dia tortuoso de trabalho atrás de balcões, limpada a casa da madame, fazendo a comida da patroa, varrendo a rua, carregando coisas, fazendo entregas e tudo mais. Me solidarizei naquele abraço ploretariado, porque se eu estava ali é porque inequivocamente, eu estou na merda junto, tanto é que estou dando aula de escultura para um bando de mongol (desculpe, alunos) até meia noite para poder pagar o aluguel que só aumenta, e botar comida na mesa.

Veja sou casado com uma professora. Meu carro é um corsa. Eu vivo no especial da minha conta e sempre que vou dar um cheque rola o frio na espinha de que talvez seja o que vai bater sem fundo e encerrar de vez minha conta no HSBC.

Mas não estou reclamando. (apesar da mongolada que se matriculou num curso de fucking COMPUTAÇÃO GRÁFICA que não sabe esculpir nem uma bolinha sem falar que é difícil… Quero ver quando baterem na radiosidade, hahaha espera só. ) Eu sou privilegiado, mas eu meto as caras e meu sonho é que em alguns anos no futuro eu me dê bem e realize o sonho da casa própria.

Enquanto pensava nisso olhava para a janela do ônibus e vi um pequeno e fugaz milagre acontecer. Era o ônibus para Niterói! Sim, tem uma merda dum ônibus aqui para Niterói, que parece mais aquele que vai para sete além, pq eu só ouvia falar, ver mesmo era a primeira vez. E eu precisava DESESPERADAMENTE entrar nele. O problema era que eu estava na lata de sardinha humana e sair dali seria uma loucura. O que eu fiz? Eu comecei a pular e gritar “rato! Rato!!!”

Isso gerou tamanha gritaria, que puta que pariu. Por uma fração de segundos eu pensei que morreria esmagado igual esses retardados que vão ficar espremidos em shows de alambrado. (voltaremos à eles logo mais no texto. Não esqueça dessa imagem)

Com meu grito de rato que nem foi muito alto, afinal eu ja contava com o efeito da propagação em cadeia. Houve uma súbita cena que mais pareceu ser a excursão do episódio do choque do chaves em Acapulco.  Era todo mundo se sacudindo violentamente pulando e teve gente que… Porra, serio, teve gente que VIU o “rato”!! Se bobear tinha MESMO um rato hahahahaha. Não duvido.

Com todo mundo se sacolejando e pulando e umas mulheres literalmente quase tendo um derrame, eu consegui rapidamente me esgueirar como uma cobra embebida em vaselina e logo estava o lado do motorista gritando a plenos pulões, junto com mais onze mulheres “abre! Abre! abre essa merda de porta pelo amor de DEUS!”. Claro que diante de tamanha consideração e respeito, o motorista abriu a porta, e tão logo consegui ser expulso como o pus nauseabundo de uma espinha encravada, disparei em toda velocidade que minhas pernas de campeão de corrida da sétima serie K (perdendo apenas para o Fabio Guaraldi) do Salesiano permitiram. Por sorte o transito na praia estava engarrafado, o que nos leva a questionar que tipo de caralho de cidade tem engarrafamento quase meia noite?

Esmurrei a porta como se fosse um astronauta ficando sem ar do lado de fora da capsula. O trocador me olhou por cima do ombro com o olhar de desfaçatez. Não fez nada. Continuei a esmurrar enquanto corria de lado no melhor estilo caranguejo velocista de Chernobil. Enquanto desferia porradas padrão Rocky Balboa no vidro. E aí aquele trocador de merda que mais parecia o mix do Cantinflas com o Trininty pegou uma moedinha e deu três batidinhas no ferro.

Plic,plic,plic.

E PODEM ABRIR AS PORTAS DA ESPERANÇA!!!

Abriu. Eu entrei. O ônibus para Niterói estava muito mais vazio e eu pude enfim me sentar… e respirar.

Agradeci educadamente ao protótipo de zumbi-cabaço-arrombado do trocador, (mentalmente eu disse outra coisa que não foi o “obrigado amigão”) paguei a passagem e sentei minha combalida carcaça no assento. Eu estava exausto, mas não pude deixar de conter um sorriso inesperado quando uma memória traiçoeira me lembrou da “cena do rato”.

Então agra eu estava novamente no engarrafamento de uma sexta feira em Copacabana. Via as pessoas na rua, os restaurantes, e os carros, os ônibus e todo lugar estava lotado. Tomado de multidões. Concluí que estava fadado a uma vida na coletividade e a coletividade tem essa face monstruosa de ser um crowd infinito onde sua individualidade desaparece.

Também percebi que para muitos a diversão é isso. è o shopping lotado. A praça de alimentação sem lugar. É comer depressa porque outro quer sentar onde você está e seus olhos de ódio te fuzilam a cada segundo em que você passa lá, o afastando da mordida na sua comida plastificada.
O final de semana é ir ao estádio, lotado, ver o jogo em meio a gente que você nunca viu na vida te encoxando. E voltar para casa num busum lotado com mais gente que você nunca viu na vida te encoxando, gritando e fedendo.  Os que escapam do Maracanã podem ralar coxa no forró ou agitar na boate. Igualmente abarrotadas de gente. Durante a semana o caminho é a rua cheia de pessoas, o busum lotado e a fila do banco. O elevador repleto de gente, a praia lotada no domingo. O mundo virou uma porra duma aglomeração insana. Os shows de rock não permitem que você escute a musica. VC escuta no máximo uma moça esgoelando a letra (errada) da canção no seu ouvido e olhe lá.

O Saara na época do natal, época junina e dia das mães e qualquer outra época pq o mercado é sempre alguma época para cavoucar sua carteira, é aglomeração e gritos. Não sobra grana nem pra Playboy da Mônica Veloso, (ainda bem que tem o Omedi).

As pessoas passam a vida aguentando essa aglomeração para no carnaval fazer adivinha o que? E na micareta? Pois é.

Não há como fugir. Somos uma bolinha de merda flutuando no grande e infinito esgoto mundial. A individualidade não passa de uma abstração criada para nos controlar. Aceite! São os fatos da vida. Tudo será lotado assim cada vez mais. As pessoas vão tendo mais e mais filhos e é mais e mais gente chegando num mercado que precisa vender mais e mais então não há literalmente, para ode correr, pq  até para isso, vc precisa levantar o pé e uma hora não vai dar mais.

Então eu percebi uma coisa. Ser rico talvez não seja ter dinheiro. Talvez seja ter paz. Seja poder ficar sozinho. Porque ficar sozinho para a base é impossível. A sociedade virou uma serra pelada e só uma palavra define o mundo hoje e daqui para sempre: Aglomerado.

você esta aqui em algum lugar!

Ontem eu li no jornal do meu vizinho que já se sabe que a humanidade produziu muito mais vapor d’água do que se imaginava. O ser humano deixou o planeta mais quente e úmido. Isso é um sintoma. Estamos alterando o planeta. Mais agua na atmosfera significa que estamos preparando a Terra para um ambiente ideal para germes proliferarem.

Viramos uma engrenagem a mais na maquina que vai nos moer para poder existir.  Há solução? Não.  A Índia e a China vão lotar de gente e começarão a exportar gente para o mundo. Isso é o que vai acontecer no futuro, quando o Lula não for mais o presidente. Talvez ele já tenha morrido, talvez não, quando isso acontecer. Eu consigo imaginar perfeitamente o que vai acontecer. As pessoas aglomerarão cada vez mais nessa merda de mundo.
Aí um dia isso vai dar merda, é claro. Vai dar merda porque vai aparecer uma doença que vai se espalhar de um pra outro. Tipo duma tuberculose, mas uma tuberculose foda que vai matar pra caramba. Nego vai se desesperar. E daí?

Vai morrer gente à beça, e quando começar a morrer rico, vão querer tomar providência, mas aí vai ser tarde! A doença vai espalhar rápido, muito rápido.
Quem sobreviverá? Os países mais ricos e mais vazios, tipo a Austrália, sei lá, talvez a Irlanda… Lugares onde tenha ar.   China, India, esses lugares lotados estarão ferrados. Se bobear o virius vai começar num desses lugares, talvez na índia, pq lá é bem sujão e tem aquele negocio de beber a água de defunto do Ganges… Se bem que chinês tem uma mania porca de cuspir no chão que com certeza pode dar merda… Fora comer barata.

O fato é que essa doença vai espalhar e matar geral. As pessoas vão ter que ficar escondidas para não morrer. Olha a merda. Parece filme., Talvez eu faça mesmo um filme assim, hein? Imagina que maluquice do caralho, um dia no futuro que haja tipo uma polícia que prende quem sair na rua. Prende até quem tentar trabalhar. Não vai poder, porque trabalhar pode atrair gente e todo mundo que respirar a tubercoeleprose2000  – toda doença que se prese tem que ter um nome com numero para ficar sinistro – acaba passando para todos que conhecem e morrem. Daí eu fiquei pensando no post que eu fiz outro dia do Forrest Gump e do Elvis e como o mundo todo esta ligado por seis graus de separação… Essa pode ser nossa condenação. PQ uma doença quer o que? Ela quer isso. Todo mundo junto respirando o mesmo ar para ela passar de um pro outro. Imagina se nasce uma porra mutante que transmite através do beijo na boca na micareta e faz todo mundo virar zumbi beijoqueiro?

Eu acho que isso pode acontecer. Serio mesmo. Não o lance do zumbi, mas o lance de uma tuberculose foda ai que afeta a respiração. Nos primeiros dias ele vai ser tipo uma gripe, ele vai ter que ser lento no início, porque se ele matar rápido, vai ser fácil acabar com a doença. Doença foda é o seguinte, tipo a AIDS. Ela fica ali entubada uns meses antes de te matar. Esse tubercoleprose2000 vai te deixar meio gripado. Vc vai ficando fodido, fodido, a respiração dificil… Aí vem a sacada, começa tioi uma porra duma coqueluche. Tu vai tossir feito o capeta. E é assim que vc vai espalhar a tubercoleprose2000.   Você tosse e ela fica no ar, numa nuvem invisível, em suspensão, esperando um otário passar e respirar e levar aquela bosta pra casa dele e passar pra todo mundo. Vai levar pro baile funk… Vai ser como o efeito do rato no ônibus. Vc não precisa passar a informação do rato para o ônibus todo. Basta avisar a pessoa do seu lado. Vc “contamina” o vizinho com a ideia. Ele passa para a frente…

Os seis graus de separação dela farão o trabalho para o vírus. Você só vai saber que matou seu bairro todo quando ja estiver  quase na cova… Porque nesse caso o que ocorre é o seguinte, com uma lenta tomada do hospedeiro, o vírus acelera no fim pra matar. Aí todo mundo fica fodido junto e o que acontece com o hospital? Superlota.

Talvez não aconteça. Talvez nossa medicina evolua tão rápido que só com uma luz especial a gente mate as doenças no futuro, no melhor estilo Star Trek… Quem sabe? Vai que o Brasil toma jeito e venhamos a ter um presidente fodão, inteligente pra caramba, que invista fabulas de dinheiro em tecnologia e viremos uma potência em ascensão? Todo mundo gosta do Lula, mas convenhamos, fazer piadinha e falar do Corinthians só não resolve.
Quem será o presidente no dia que der uma merda? Imagina só se dermos o azar supremo de ter alguém idiota na presidência do país nessa época? Vai ser um azar da porra, mas é como diz o ditado: “Shit Happens”.
Eu sei uma coisa, que é cristalina. O congresso vai ser uma merda e o senado pior. Então seja quem for, mesmo que venha a ser algum Messias, eu acho que ele vai estar fodido de qualquer jeito, pq o brasil é engessado de fabrica. E numa merda de nível mundial, com gente morrendo para caralho todo dia, o que precisaremos é de agilidade. Por isso que eu acho que os países ricos e pequenos, tipo Mônaco e os isolados, tipo Austrália, Nova Zelândia, talvez até o Chile lá atrás da montanha, escapem primeiro.

Esse negocio é igual aquela parada que falei aqui outro dia. Esse negócio do meteoro que todo mundo falou. UM dia VAI acontecer. VAI. Não é e SE mas sim QUANDO essa merda vai dar. E se você for um pouco burro, ja terá um plano para caso isso ocorra. Pra onde você corre se uma onda gigante vier? Não sabe? Tu vai se foder então, trouxa. Assim, eu acho que estou aqui igual um babaca no meu sábado de tarde escrevendo isso para te alertar. No futuro vem uma doença e que vai botar pra foder no mundo. Vc tem um plano? Pense num. O Brasil certamente não vai pensar, pra você, porque aqui é tudo em cima da hora, quando não é pra inglês ver.

Ah mas você virou a mãe Dinah? Como sabe que vai dar isso?

Uma vez meu pai cismou de plantar milho. Milho. Uma porra duma planta simples, só precisa de terra, água e sol. Tinha isso la em casa. Meu pai plantou o milho. Deu milho PRA CARAAAAALHO.  Deu a primeira colheita. Meu pai distribuiu ilho. Veio a segunda colheita,. Mais milho ainda. Chegou uma hora que era milho demais. A gente nem sabia o que fazer com tanto milho. O que a gente fez? Nada. Lotou de milho. Mais e mais milho. Deu rato. E deu muito rato. Daí deu outra coisa: Lagartas. Pragas. Deu doença e em pouco tempo, sumiu o milho. Morreu tudo. Não parecia mas eu estava aprendendo um negocio importante pra caramba que eu vou te falar agora, presta atenção:

O MILHO É VOCÊ!

E eu. Nós somos o milho.

Proliferamos num ambiente que estava propicio para nossa civilização expandir e dominamos o mundo. O mundo é o quintal lá de casa. Então estamos agora na fase do “deu milho pra caralho”. Se você prestou atenção no que eu te ensinei, você sabe que o próximo ato na peça do “Milharal do meu pai” começa com Ra e termina com To. E o rato COME o milho. E depois vem o que? vem a DOENÇA que MATA o milharal e aí não tem mais milho. Só resta a palha… E a morte.

Então, se o microcosmo do meu quintal for um padrão, estaremos fodidos em talvez dez, vinte, vinte e cinco anos. A doença vai surgir quando menos se imagina, se espalhara e as pessoas irão morrer, porque é isso que acontece no processo regulatório da natureza. A explosão populacional PRODUZ a extinção em massa.

Se o governo não for composto de corruptos e estúpidos, nesse dia, teremos alguma chance.
Se for como sempre foi, “farinha pouca, meu pirão primeiro”, eu sei o que vai acontecer: Vão roubar os remédios pra eles. Vão criar hospitais apenas para políticos. Talvez eles desviem o dinheiro dos equipamentos hospitalares. Talvez isso dê alguma merda, aguem descubra e não vai ter prisão. Vai ter uma porra duma CPI, porque é isso que eles fazem. É o que sabem fazer. Criarão uma CPI, uns vão pedir impeachment, e vão queimar bandeira e para isso vão burramente se juntar em multidões nas ruas, porque o povo é assim também.

Vai ter CPI, vamos pagar hora extra igual esta sendo com a CPMF.  Vai virar um carnaval, vai ter dancinha. E gente morrendo para caralho. Vai ser um carnaval fora de época e na internet o Kibe Louco e a Praça é Nossa vão fazer piada com as mortes. Vai chamar o presidente de burro. A televisão vai ficar só falando do que esse político disse que aquele falou e vai ser somente isso pra lá e pra cá e quantos morreram hoje. Talvez até quem sabe saia algum tipo de especial um boletim diário, no meio da novela mostrando quantos morreram em tempo real até aquela hora. Um velocímetro do necrotério…   Periga ter até a porra do Renan Calheiros e se bobear, o Sarney ainda aí falando em vez de CMF, falando agora em crise e na vacina que não tem.

Agora eu exagerei, admito. Crise mundial, doença matando e esse parasita do poder ainda aí? Deus me livre. Até pra apocalipse a desgraça tem que ter limite!

As piadas começarão a perder a graça quando os parentes começarem a morrer. Enquanto estiver morrendo pobre e anônimo, ninguém vai ligar e nas favelas vai morrer é muita gente.
Daí vai vir o milagre: Acharam a cura! è a vacina. A cura será laureada com premio Nobel da paz e da Medicina…. E  virão agradecimentos mundiais. E então… O preço dela subirá a estonteantes píncaros inacessíveis, pois a demanda e a oferta é essa merda aí que sempre foi. Os ricos se vacinarão pagando fortunas para escapar da morte. Os pobres esperarão acuados e com medo, vendo pessoas tombando e corpos sendo empilhados para todos os lados. E só poderão esperar que um dia chegue o dia deles tomarem a vacina. Os países ricos vacinarão primeiro, porque como meu pai fala “boi que chega primeiro bebe água limpa”. Quem investiu em tecnologia, vacinará primeiro porque produzirá a vacina. Os pobres esperarão lá no fundão… entre corpos.  Tipo como foi com a peste negra.

Espero que isso não aconteça tão cedo. Talvez ainda tenha tempo. Espero que quando ocorrer, já tenhamos um governo de qualidade capaz de agir rápido. Talvez ate com um pano de emergência criado ANTES do problema.

Eu acho que vai dar outra merda é o seguinte. Quando vacinarem, vai demorar tanto que vai ter uma pressão social para todo mundo ajuntar tudo de novo na muvucação.

Aprendi com tio Pitombeira que doença sofre mutação. O tempo todo. Toda doença tem mutação.

E vacinar o Brasil inteiro eu duvido. Não leva a mal não, mas é foda. Basta um puto não vacinado perdido lá num rincão da Amazônia para trazer uma mutação da doença no primeiro carnaval e aí FUDEU DE NOVO. e de novo, e de novo, e de novo… E aí vai diminuindo as pessoas, cada vez mais.  Isso se depois não descobrirem que uma das vacinas (a essa altura vai ter um monte de tipo e marcas) dava alguma porra inesperada, tipo fazia todo mundo ficar com câncer, ou ainda, estéril. Se bem que do jeito que anda o mundo e essas pessoas aí, isso ia ser até bom…

A pior coisa do mundo vai ser se esses caras verem que não vai ter vacina pra nos e começarem a dizer que é pras pessoas não terem medo que o virus só mata quem tem medo, o que talvez nem mate. Vão dizer que é tudo invenção, vão culpar a CIA. Vão dizer que é coisa do Fidel Castro, dos ETS… Sei lá de quem. Do diabo? Dirão que é tudo ficção, que a doença não existe e que as pessoas estão morrendo de outras coisas. E vai ter gente pra caramba acreditado nisso, porque só restará acreditar… E esperar na passarela de uma aquarela que um dia enfim… Descolorirá.

Agora vocês vão me dar licença que tenho um Half Life para jogar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Rapper implanta dreads de ouro

em bizarro, Textos
  ·   2 Minutos de leitura

Nosso feed mudou

em mundo gump
  ·   9 segundos de leitura

Estamos de volta

em Textos
  ·   2 Minutos de leitura

5 respostas para “Um dia a muvuca vai cobrar o preço. Quem vai pagar é você!”

  1. Caraca! Previu a pandemia de 2020 (e que continua até agora em 2021) 13 anos antes. Fiquei assustado ao ler esse post. Você fez um diário do futuro.

    Tudo bate, principalmente a polícia prendendo quem saiu para trabalhar. O livro da vida já esta escrito, ou você é realmente um gênio.

  2. Oi Felipe.
    Faz anos acompanho teu blog,mas nunca comentei, primeira vez aqui…
    Sempre me diverti imenso com seu humor e aprendo muito aqui,inclusive com este texto.Mas hoje vo que este foi premonitória,uma verdadeira profecia,eu até corri para verificar várias vezes a data,parece brincadeira!
    Enfim,que consigamos vencer,e que vença o milho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Up Next: Pedra porco