polêmica

Lula, explica o bolsa família aí pra nós?

Só falta agora o Lula falar que não falou. Nunca antes na história deste país se produziu tantas contradições. “Lamentavelmente”. A política...

· 5 Minutos de leitura >

Só falta agora o Lula falar que não falou. Nunca antes na história deste país se produziu tantas contradições. “Lamentavelmente”. A política é a arte da contradição.

EDITADO: Aqui começa a parte do post que gera confusão. Ela se baseia num email que circula por aí. Há uma BOA chance deste email ser falso. Eu não consegui comprovar que seja falso em sua totalidade, mas é muito provável que ele seja.

Certa vez recebi um email que contava a história de um zelador de edifício que chegou a conclusão que iria se demitir. Não que o emprego fosse ruim. Era até legal, mas havia um problema, para ganhar os R$ 830,00 de salário já acrescido de horas extras: Ele tinha que trabalhar.

No bar, conversando com os amigos, percebeu que estava fazendo papel de trouxa. O cara era um homem casado, pobre, com dois bacuris para criar e outro a caminho, ainda na barriga da patroa, prestes a vir ao mundo.

1. Bolsa escola – R$ 175 para cada filho que frequente as aulas (2 filhos) ….. = R$ 350,00 (em dinheiro)
2. Cartão cidadão ………………………….. = R$350,00 (em dinheiro)
3. Vale gás (um por mês) ………………………………………………………………… = R$ 70,00
4. Transporte (média de 4 passagens diárias) R$8,00/dia x 20 dias = R$ 160,00
5. Vale refeição (um por dia) R$ 3,50/dia x 30 dias x 4 pessoas (Marido, Esposa e os dois filhos) = R$ 420,00

Total em dinheiro …………………………………………………………… = R$ 700,00
Total em serviços …………………………………………………………. = R$ 650,00
Total mensal ………………………………………………………………… = R$ 1.350,00

R$ 1350,00 –> SEM TRABALHAR!
É ou não é o retrato do assistencialismo?
(ou como fazer bonito com o chapéu alheio)

Então, como qualquer outro ser humano que tenha um cérebro capaz de fazer contas, ele concluiu que era melhor ficar com os amigos na pracinha jogando dama e bebendo no bar, já que a lei No 10.836, de 09 DE JANEIRO DE 2004 lhe facultava inúmeras prerrogativas a título de lhe “restituir a cidadania”. Além disso, quando o terceiro bacuri nascer, a grana vai aumentar e ele chegará perto do DOBRO DO QUE GANHAVA TRABALHANDO.

E assim, o ex-zelador vai engrossar a fila dos desempregados para ter esses benefícios.

Não podemos negar que é algo que realmente ajuda a erradicar a pobreza. E não podemos negar que tem o nome certíssimo: “Programa de transferência de renda”.

Mas a que custo? E adivinha só quem é que paga esta conta? Nós dois.

Gente, por favor, se tiver alguém mais por dentro da máquina, me mostre que isso está errado, que isso é uma ilusão, que existe algum mecanismo que impeça que esta fabrica de pobres e vagabundos aconteça. Nunca desejei tanto que um post do meu blog estivesse errado.

EDITADO: UHUUU!  há uma boa notícia aqui. Provavelmente o email é falso mesmo.

O Robson mandou os links para o site do Governo, que informa o valor atualizado dos benefícios do programa Bolsa Família. Aqui estão os links:

http://www.mds.gov.br/bolsafamilia/valores-dos-beneficios

http://www.caixa.gov.br/Voce/Social/Transferencia/bolsa_familia/como_receber.asp

Como podemos ver nos links do governo, e conforme havia dito o Paulo Guedes em seu comentário, o valor máximo pago atualmente no programa Bolsa Família é de 200 reais. Entretanto, há diferença de valores se o beneficiário estiver na categoria de “Benefício Variável de Caráter Extraordinário”, que compensa as perdas financeiras de todos os que por ventura tivessem ganhos superiores nos inúmeros outros benefícios existentes anteriormente. Como o site (espero que não seja proposital) não informa o valor do “benefício variável extraordinário”, ele me deixou com a pulga atrás da orelha se o cara – no caso do tal hipotético zelador ou porteiro – que ganhava quase mil e quinhentas pratas na soma dos diversos benefícios continua a ganhar isso sob a alcunha de um “benefício variável extraordinário”.

Fiquei na duvida quanto a isso, mas de qualquer modo, é importante deixar registrado que:

Oficialmente, o programa bolsa família não paga mais do que 200 reais por família!

Neste caso, na hipótese deste email do zelador vagabundo estar circulando ainda, fica aqui o meu alerta e de vários leitores também para que sempre verifique os dados antes de enviar um email que achou legal a todos os seus amigos.

Porcariadas de email eu recebo aos borbotões. Tem dia que minha caixa acumula mais de SEIS MIL novos emails. Isso mesmo, eu disse num dia. Então, vocês podem imaginar o volume incomensurável de spam, e correntes idiotas e propagandas de “aumente seu pênis” que eu recebo, né?

Talvez o conteúdo desta história do zelador não seja outra coisa que não uma “campanha anti-bolsa”. Torço do fundo do meu coração para que de fato seja. —-> É!

Eu fiquei estupefato, pois nunca imaginei que os programas assistenciais fossem tantos. Achei que era só o bolsa família que existisse.

Seja como for, eu não sou contra o assistencialismo. Temos no Brasil certos lugares onde neguinho vive numa situação sub-saariana. Se não for o assistencialismo, o cara nem comer não come e as crianças morrem de inanição como se estivessem na África. O que é o mais vergonhoso dos absurdos, uma vez que este é o país do mundo com mais água, e é o maior exportador de inúmeros alimentos. O Brasil faz tempo é a dispensa do planeta. Nego passar fome aqui é ridículo.

Agora o que me dá uma certa sensação de azia com o governo é ver os caras comendo banana e arrotando caviar.

Chegamos ao ponto em que o governo se orgulha de ter feito uma singela parte de sua obrigação. Faz o mínimo, bate no peito e canta de galo. Posa de fodão.

De fato, meia migalha é melhor que nada. Mas quando o seu time joga na retranca e empata o jogo no zero a zero você acha bom ou você mete o malho?

E é isso que eu faço no lombo do Lula e sua corriola. Cadê a porra de Governo super sensacional que você me prometeu, Lula? O Brail avançou? Ótimo. Crescemos quando muitos países afundam? Óóótimo pra nós. Mas eu sei, o leitor sabe e o próprio Lula sabe, que com o que temos aqui era pra essa joça de país ser a Dinamarca tropical!

E não é.

Reconheço os méritos do Lula. De fato ele teve um papel importante em muitos momentos, a começar pela crise americana, mas esta é sua OBRIGAÇÃO. Fazer a obrigação não é vantagem.

Porra odeio futebol, mas sabe como é. Nunca vi técnico de futebol que só faz se auto-elogiar. A função do técnico não é se auto-elogiar. A função do técnico é fazer o time andar pra frente. É puxar orelhas. Apontar caminhos. Meter o dedo na ferida e expor os problemas para que sejam sanados. É colocar a cenourinha na frente do burro. (preferencialmente uma na frente e outra atrás pra garantir que o burro avance). Do mesmo modo que isso funciona pra um técnico de futebol, tem que funcionar pro presidente da República, ué.

Eu vejo falar nesses projetos de ajuda social mas não vejo em lugar nenhum falando de quanto vai durar. é eterno o negócio? O lance é um buraco negro? Se for, é sinal que não funciona. Se tem distribuição de renda é pro pobre sair da pobreza. Se é pra manter ele lá, então este projeto é uma merda completa.

Confesso que olhei a lei em busca de algum parágrafo que tenha relação com planejamento familiar e não achei nada. O que eu achei é que o benefício aumenta até o numero de três filhos. Logo, se o cara tem um filho, há o risco dele ser obtuso o suficiente para pensar que é mais jogo arrumar mais dois bacuris.

Isso poderia produzir um aumento da pobreza ao invés de contribuir para a redução? Talvez.

Do mesmo modo que remédio em grande quantidade vira veneno, não sei dizer até que ponto o assistencialismo, baseado numa necessidade real que não podemos negar que exista, vá se tornar um tiro no pé com consequências imponderáveis.

Eu também não sei dizer em que medida a ação humanitária acaba e começa a ação de manipulação das massas e projetos de poder a custa do sofrimento alheio, que o próprio presidente se referiu (certamente quando esteve na oposição).

O Lula disse que quem diz que o excesso de bolsas estimula a vadiagem é idiota. Ele estava falando de mim. Eu sou idiota. Aliás, idiota não, eu sou o mais mentecapto dos energúmenos-idiotas da superfície da Terra, pois trabalho, pago uma fortuna de imposto, voto porque sou obrigado, assisto o programa eleitoral, cumpro a lei e acredito que o Brasil está melhorando.

Ele tem razão. Sou burro mesmo. Se eu fosse esperto eu seria político.

Comments

comments

O fantasma de Eva Grey

em polêmica
  ·   2 Minutos de leitura

A lenda de Boggy Creek

em bizarro, Curiosidades, polêmica
  ·   14 Minutos de leitura

81 respostas para “Lula, explica o bolsa família aí pra nós?”

    1. Meu comentário anterior ficou meio com cara de spam. Copio aqui um trecho do artigo pra explicar porque eu acho que você deve lê-lo (o grifo é meu).

      “Uma dessas correntes chegou à minha caixa postal vinda de diversos destinatários. Reproduzia a denúncia feita por “uma prima” do autor, residente em Fortaleza. A denunciante, indignada com a indolência dos trabalhadores não qualificados de sua cidade, queixava-se de que ninguém mais queria ocupar a vaga de porteiro do prédio onde mora. Os candidatos naturais ao emprego preferiam viver na moleza, com o dinheiro da Bolsa-Família. Ora, essa. A que ponto chegamos. Não se fazem mais pés de chinelo como antigamente. Onde foram parar os verdadeiros humildes de quem o patronato cordial tanto gostava, capazes de trabalhar bem mais que as oito horas regulamentares por uma miséria? Sim, porque é curioso que ninguém tenha questionado o valor do salário oferecido pelo condomínio da capital cearense. A troca do emprego pela Bolsa-Família só seria vantajosa para os supostos espertalhões, preguiçosos e aproveitadores se o salário oferecido fosse inconstitucional: mais baixo do que metade do mínimo. R$ 200 é o valor máximo a que chega a soma de todos os benefícios do governo para quem tem mais de três filhos, com a condição de mantê-los na escola.”

      1. Eu pensei nisso quando li, mas sei lá. Conheço nego que ganha menos que os 800 reais do cara lá. Agora, vc tem certeza que a soma dos benefícios não chega a 200 reais?

        1. Não, eu estava enganado: o valor máximo hoje é R$182: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u416046.shtml

          Pensa bem: se fosse assim tão fácil enriquecer com esse tipo de benefício, você não acha que todo mundo que saiu das regiões Norte e Nordeste pra vir pra São Paulo e Rio e não conseguiram uma vida melhor já não tinha largado seus empregos de porteiros e pedreiros — só pra ficar no universo dos e-mails indignados — e voltado pra lá? O que valeria mais a pena?

          Veja bem, não estou defendendo absolutamente nada além da necessidade de manter o debate honesto, e esses valores que circulam nesse email são maldosos.

          Acompanho seu blog faz tempo, sei que você publica as histórias mais absurdas do mundo sempre ao lado de fontes que mostram que mesmo absurdas elas são verdadeiras (e interessantíssimas). Mas nesse caso a história é absurda, não tem fonte e não soa verdadeira, com todo o respeito. Por R$1350 sem precisar trabalhar pode ter certeza que eu mesmo (e até você!) já tinha pedido demissão e ido pra Fortaleza, passava o dia inteiro tomando água de côco e mamando nas tetas do governo.

          1. HAhaha eu confesso que pensei mesmo nisso, hahaha.
            Paulo, pelo link do governo que o Robson mandou, parece que o valor maximo é 200 pratas – salvo o tal benefício extraordinário.

        2. Que diferença faz se são 20 ou 200 reais? O fato é que nós pagamos, se os 200 reais fossem para promover políticas e infra-estrutura para gerar empregos formais eu não me importaria, mas isso não é um investimento é um dinheiro sem gasto sem perspectiva de futuro.
          simplesmente não haverá retorno para gastos dessa natureza, ao passo que se um emprego fosse gerado a economia fluiria e esses gastos seriam, na verdade, investimentos.

          1. Thiago, aí são outros 500. Se você é contra não importa o valor, tudo bem. Só não é justo ser contra inventando um valor absurdo, que é o que acontece no email que o Philippe publicou.

            E acredite: nós pagamos MUITO mais coisas mais absurdas e mais caras que um programa de distribuição de renda. Não vai dar em nada, é gasto sem futuro? Bom, pergunte sobre isso aos dinamarqueses, suecos e franceses e veja o que eles pensam.

          2. Cara a diferença é que se o cara ganha 200 reais de ajuda do governo para existir, ele vai precisar trabalhar. Mas se a soma dos benefícios ultrapassar mil e quinhentas pratas, sobretudo nos rincões mais pobres, onde quem ganha isso é marajá, neguinho vai querer sombra e água fresca. E na medida em que o sistema estimula a geração de mais pessoas pobres, não consigo ver onde que vai dar este programa de eliminação da pobreza.

      2. O site referido pelo Paulo Guedes possui a comum falácia Argumentum ad hominem ou Ataque ao argumentador. Ele ataca as pessoas que chamam os outros de preguiçosos por viver da bolsa ao invés de provar que o valor da bolsa não é o que dizem. Além disso, apresenta Ignoratio Elenchi ou Conclusão sofismática, na qual a conclusão não está relacionada aos argumentos apresentados, apesar de os argumentos poderem ser verdadeiros. O que tem a ver o limite ser de 200 reais com a qualidade do voto? Além disso, o treco “Será que o leitor paulistano tem ideia de quanto é preciso ser pobre, para sair dessa faixa por uma diferença de R$ 200?” me parece errado, pois a diferença é R$200 apenas se a pessoa não tivesse emprego antes do início da distribuição das bolsas, o que não é verdade segundo o próprio texto. Ele diz “Se até pouco tempo alguns empregadores costumavam contratar, por menos de um salário mínimo”, o que significa que as pessoas tinham sim emprego (não todas, claro).

  1. Li esse post que o Paulo Guedes comentou, mas não vi dados reais, ele simplesmente falou que não passa de 200 reais, mas não acho que deva chegar a tanto, até porque além de não fazer sentido para mim algo mais que o salário mínimo, para o governo não sei se valeria o custo benefício, afinal não precisariam de tanto para garantir um voto _se_ é esse o objetivo.

  2. Gump não creio que seja esse valor todo, pois se foce isso já teria virado uma tendência até da classe média imergente que vive com um pouco mais que isso mas trabalha bastante. tem um email de um tal de auxilo detendo que dá dinheiro para os dependentes do detendo, no email dizem absurdos, não acreditei, mas estarei acompanhado essa matéria para ver o que as pessoas tem a dizer.

    1. Cara lembro que quando eu vi o tal do auxilio detento, fui ler e parece que o lance é de verdade mesmo, véi. Só que o lance é o seguinte, quem recebe o auxilio não é o preso, (obviamente) e sim seus familiares. E o que é este auxílio? Nada mais do que o direito relativo à contribuição do preso com o INSS antes de ir pro xilindró.

  3. Eu acho que a partir do momento que você tem um blog, que querendo ou não, é um disseminador de informações, você deveria no minimo se informar sobre o assunto que você vai postar, checar antes sobre a veracidade das informações que você vai repassar.

    A não ser que você queira ser um disseminador de boatos, hoax, ao invés de ter um blog com credibilidade.

    http://www.mds.gov.br/bolsafamilia/valores-dos-beneficios

    http://www.caixa.gov.br/Voce/Social/Transferencia/bolsa_familia/como_receber.asp

    1. Totalmente certa sua opinião. Sou um disseminador de opiniões mesmo.
      E é justamente por isso que eu coloquei no post que estes dados provém de um email que pode ser uma corrente com dados falsos.
      Qual é o meu trabalho, estender a discussão aos leitores, captar informações e efetuar os esclarecimentos, ajudando a todos os que receberam este email a perceber se existem ou não intenções escusas envolvidas na sua disseminação. Né isso?

      1. Philipe, confesso que fiquei p da vida quando vi esse post, acompanho o feed do seu blog a algum tempo e sempre gostei das postagens feitas aqui, fiquei meio decepcionado quando vi essa “noticia” absurda publicada no seu blog. Mas a edição do post ficou perfeita, vai até servir para quem chegar aqui e ler isso, se conscientizar que não é bem por aí. Segue um link de um texto interessante publicado no estadão: http://migre.me/1uYR6
        Abraço!

      2. Sim, Philipe
        Você colocou LÁ NO FINAL que errou com os dados (que, desculpe, foi muita ingenuidade sua de acreditar!) publicados, enquanto o a MENTIRA continua sendo mostrada em CAIXA ALTA.

        Isso não é uma discussão em cima de fatos, é uma discussão em cima de erros. Por favor, use do bom sendo que sempre teve e apague (ou reescreva) este post, uma vez que ele está tremendamente tendencioso, levemente preconceituoso e EXTERMAMENTE errado.

        1. Você poderia me informar que parte está errada? (com argumentos sólidos, por favor. De preferência com links oficiais que comprovem que não existe nenhum beneficiário de programas assistencialistas que receba além de R$ 200,00)
          Acho que só assim para podermos fazer a discussão sobre fatos, preciso dos fatos. Eu procurei e não achei. Talvez você os tenha. Neste caso, peço que traga-os parta que eu possa deixar o post ainda mais esclarecedor.

          1. Ola Philipe,
            trarei os links que comprovam que ninguém ganha mais de 200 reais, assim que aparecerem os que comprovam os ganhos de 1500. (ou até mais, não?)

            Pois, segundo a dialética, não há por que discutir uma premissa que está errada, como já comprovado pelo link passado por outro leitor. Uma vez que os argumentos do post baseiam-se em premissas infundadas, o melhor que O EDITOR poderia fazer é deletar o post, ja que em NADA este se baseia, tornando-se obsoleta minha “contribuição” para o desmentir de algo que JA É mentira.

  4. Saudações!

    Acho esta preocupação de vocês uma tolice. Este é o momento dos excluídos. Façamos nossa parte e deixemos acontecer as políticas de transferência de renda. Afinal, foram 500 anos de opressão. Com o governo de Lula os oprimidos conseguiram um lugar ao sol. Se formos esperar pela erradicação da miséria com políticas sérias. Nunca os excluídos vão conseguir voz.

    Abraços

    1. Isso é verdade e acho que vc tem razão. Mas eu vou te dizer que embora o governo e a oposição se estranhem em tantos setores, eu não vejo o Lula como o pai do bolsa família. Me parece que ele só deu continuidade e sofisticou algo que já havia. O que existe hoje, o que deu certo, é mérito dos dois governos, bem como o monte de cagada e uma série de outras coisas que só nos fazem envergonhar são igualmente mérito de ambos.
      Eu gostaria de ter uma definição é dessa questão dos valores, porque não é justo que o governo atual leve na cabeça acusações levianas, como o LSF bem comentou. Sinceramente, eu acho que se for 200 reais, é pouco pra caralho.
      Se eu fosse político minha proposta seria de reduzir pela metade o senado e a câmara e pegar o salário+ regalias+benefícios desses caras e colocar pra aumentar o bolsa família, com a inclusão de um plus financeiro de mil pratas por cabeça para toda mulher que queira optar por ligadura de trompas.
      (daqui a pouco vem um me chamando de nazista. Espera só…)

      1. Primeiro essa lei teria que ser aprovada no senado e na câmara, presidente nenhum faz lei e aprova lei sozinho, e sabe quando o senado e a câmara aprovariam um corte de gastos nas câmaras e senado ? Nunca pq nenhuma lei que contrarie os interesses dos deputados e senadores vai passar pela votação.

  5. Prezado,

    Não vou entrar no mérito do que foi escrito por vc. Aconselho que vc se informe um pouco mais antes de fazer acusações levianas. Ler Veja, Folha de São Paulo, Globo e Estado de São Paulo só lhe fornecem um lado da historia. Aconselho vc ler também a revista Piauí, Carta Capital, blog do Luis Nassif, NTPO, etc que lhe darão subsídios para uma decisão mais equilibrada.

    Só lembrando que o candidato dito “anti-assistencialismo” prometeu ampliar todos os programas sociais, aumentar salário mínimo pra 600 e aumentar aposentadorias em 10%… ou seja, ou ele não está falando a verdade (e só disse pra se eleger) ou ele é igualzinho ao Lula.

    Finalizando, Comparar os 8 anos dos governos FHC e LULA ninguém quer né? O negocio é ficar replicando emails bomba… Lamentável.

    1. Vou te falar que na prática eu não vejo uma diferença significativa do governo do FHC pro do Lula não. No tempo do FHC, os bancos privados batiam recordes de faturamento. Hoje, idem. No tempo do FHC as pessoas morriam na fila do SUS. Hoje, idem. No tempo do FHC a gente pagava uma baba de imposto. Hoje, Idem.
      Enfim… Não que não existam diferenças. Tenho fé que existem, mas são muito sutis. Diferenças bem mais sutis do que o país merecia.

      1. São inúmeras diferenças, entretanto vou citar as 2 que eu acho principais:

        1- Economia e desenvolvimento: Taxa de desemprego regiões metropolitanas 6,7% (veja a taxa da Espanha, EUA, França, Grêcia, para comparar); Empregos formais criados em 8 anos 14,5 milhões ; Aumento pib anual, quase 4% ao ano; divida externa caiu de 200 para 160 bilhões; inflação caiu de 12,5% para 4,7% a.a. Superávit balança comercial, reservas externas de 200 bilhoes…

        2- Distribuição de renda: 23 milhões de pessoas saíram da linha da pobreza; Aumento de renda média para população mais pobre 8% ao ano. Aumento de renda médio para a população mais rica, 3% ao ano. Aumento do salário mínimo acima da inflação (o que era IMPOSSIVEL de fazer segundo o PSDB pq iria acabar com a economia/ estados/municipios)..

        Agora compare os dados com o governo FHC e chore (ou sorria).

        Esse governo foi o melhor da historia do país sobre esses dois aspectos. Nem o PSDB questiona isso. Na verdade isso é algo que eles não querem conversar de forma nenhuma.

        A conversa fiada da Veja, Globo, Folha e Estado são a unica coisa que impediu uma vitoria no 1o. turno. Segundo eles o PT e o Lula inventaram a corrupção no país . Só esquecem de falar sobre o trabalho da PF, das CPIs, sobre a procuradoria da republica que investiga a todos, INDEPENDENTE DO PARTIDO, ao contrário do governo FHC onde tudo era varrido pra baixo do tapete em nome da “governabilidade”.

        Cara, sério, eu sinto vergonha do que acontece no país hj. Mas não é do governo Lula que eu sinto vergonha, é da MIDIA GOLPISTA QUE QUER FAZER VALER SEUS INTERESSES ECONOMICOS EM DETRIMENTO AOS INTERESSES DA MAIORIA DO POVO BRASILEIRO.

        1. São bons pontos e argumentos, LFS. Mas é bem como eu disse, não vejo grandes diferenças. Nas duas “diferenças” que vc citou, eu só vi “aperfeiçoamentos” de uma política que vem do tempo do Itamar Franco, cara. É uma grande vantagem, mas aperfeiçoamentos na qualidade dos serviços não são NADA MAIS QUE A OBRIGAÇÃO de um governo.
          Eu votei nele por causa disso. Aliás, é justamente disso que o governo do PT é acusado pelos partidos de oposição radical, como PSOL e PSTU, de ter dado continuidade ao que chamam de política neoliberal.
          Eu discordo que tenha sido o poder da Globo, Veja, Estadão, ou sei lá o que que tenha impedido da Dilma levar no primeiro turno.
          Acho que ela mandou mal no Debate. Ela e o Serra. Qualquer um saca que a Dilma não tem o traquejo do Lula. Todos os debates foram fracos (vi todos) e sem emoção. Eu acho que a Dilma (talvez em função do gênio) tem ficado pasteurizada demais pelo marketing de campanha.
          Os cabeças do Pt acreditam que se ela não entrar na forminha do lula paz e amor, o Brasileiro vai cagar de medo e não vai votar nela. Mas esse excesso de controle transparece.
          Se ela ganhar, eu espero que não vire uma surpresa desagradável.
          O povo optou por estender a disputa para decidir. Creio que muitas pessoas, em função de sentirem que Dilma é como um caminhão de pedras descendo uma ladeira íngreme a 10km/h. Enquanto o marketeiro estiver socando fundo no pedal tá bonito… Mas e o receio de aparecer uma Margaret Tatcher tupiniquim?
          Por outro lado, a política do PSDB e coligados é da pior qualidade. Nem pra oposição eles prestam.
          Estamos num mato sem cachorro. O Brasileiro protelou o problema.

  6. Quem reclama do bolsa família, bolsa escola, etc. é porque nunca passou fome na vida. Fato.

    Dane-se o resto. Dane-se a classe média e os ricos. Dane-se a corrupção que já está arraigada culturalmente na cabeça do povo brasileiro, que aproveita-se do que há de bom, para fins egoísticos.

    O que eu não quero mais é ver gente morrendo de fome no meu país (morrendo mesmo, literalmente, como eu via nos jornais periodicamente), como havia antes de Lula.

    Se não há mais crianças passando fome, tendo que tomar água com açúcar, baratas ou sapos, no lugar de um prato de arroz e feijão, como era antes. Eu fico feliz.

    MUUUUUUUUUUUITO FELIZ!!!!! =DDDD

    VIVA O BOLSA FAMÍLIA!!!!

    1. É verdade, Felipe. O que me entristece é que sei que o plano ainda não atinge toda a população que necessita desta ajuda. O que me incomoda neste projeto é que ele tem uma série de boas diretrizes para início, mas e o final? E o acompanhamento?
      O plano é o que? Manter vivo o pobre ou fazer o pobre deixar de ser pobre?
      Se for só pra manter vivo o pobre, pra mim é um projeto tão merda quanto deixar o desgraçado à sua própria sorte.
      O plano não pode ser só botar comida pro cara comer. Tem que dar chance do cara sair e evoluir. E volto a bater na mesma tecla de sempre: Sem planejamento familiar esta porra vai ser uma maquina de fazer “mininim”.

      As pessoas hoje – de modo geral, não estou me referindo a você – tem a mania de entenderem que quando a gente reclama de algo governamental é porque é contra, é da oposição, é inimigo. Gente, vamos sair desta mentalidade de joguete que inventaram para isolar as ideias e os debates. O cara pode estar insatisfeito com alguma coisa e nem por isso ele é contra o sistema todo.
      Cobrar publicamente que o Brasil não avançou o tanto que poderia em oito anos não significa que eu seja contra o governo do Lula. Eu acho que foi um bom governo. Mas poderia ter sido muito melhor, é ÓBVIO.
      O problema é que hoje ficou uma cultura do ‘Só elogio serve”.
      Engraçado isso, pois o Lula é o primeiro da fila a cobrar mais garra do Corintians mesmo quando o time ganha.

      1. Essa cultura do “Só elogio serve” é uma droga nessa internet brasileira, seja o assunto que for. Quando você expõe sua opinião é xingado e taxado de troll e outras ofensas. Parece que ninguém quer debater.E quando um desses ofensores resolve contra-argumentar é geralmente um texto cheio de ofensas gratuitas, ironias baratas e argumentos vazios, facilmente refutáveis. Concordo plenamente com o seu termo. Abraços, Phil!

        1. Prezado,

          O meu comentário e a maioria dos outros que li não partem para o ataque contra quem elaborou o texto.

          A questão principal é pegar um email reconhecidamente mentiroso (e so procurar no google e vc vai entender) e tratar como verdade.

          Qualquer um pode escrever o que quiser na internet, entretanto se escrever besteira vai ser zoado. Normal. Acostume-se. Principalmente nessa epoca de eleição, onde esse tipo de email tem se multiplicado… Quem lê pela 10 vez e sabe que é mentira e foi feito pra sacanear um determinado candidato fica puto.

          Eu acho que o autor do post entrou de gaiato nessa, entretanto tem muita gente sendo PAGA pra espalhar esse tipo de boato na internet. É ai deixa as pessoas realmente irritadas.

          Não to dizendo que um lado é santinho e o outro é fdp, mais que tem um lado BEM pior que o outro nesse quesito, isso tem…

          1. Concordo com o comentário do LFS. A questão é que principalmente nesta época, muita gente que não faz idéia de como funciona um programa destes, emite a simples opinião de que “propaga a vagabundagem”. Porém é fácil fazer isso sem nunca ter passado ou convivido com alguém que passou necessidades.
            A crítica pela crítica, qualquer emissora global (sim plim plim, é você mesmo) faz, a questão é: Como melhoramos? Como é feito hoje? Qual o critério? Sabendo estas informações, aí sim pode-se debater uma melhoria ou mudança.

          2. Acho que a referência que Bri fez em seu comentário não dizia respeito a este post, mas é uma percepção global acerca dos comentários nos blogs, cara.
            E como assim “entrou de gaiato”, meu velho? Eu coloquei aqui que recebi no email, discuti o caso e disse claramente que esperava que fossem informações erradas.
            Eu não entrei de gaiato nada, eu fiz com plena e absoluta consciência do auê que ia dar. Veja, 40 comentários num só dia, nada mal… Estamos discutindo coisas importantes. Quem poderia dizer qual o efeito que um post aqui pode vir a ter? Dizem que a batida da asa de uma borboleta no Egito pode causar uma tempestade de vento no Saara.

            Eu quero justamente que o lance seja esclarecido, para que essas informações não fiquem circulando e iludindo as pessoas.
            O que eu posso dizer aqui é que eu não ganho nada pra falar bem ou mal do governo. E nem de produtos. (embora todas as vezes que falei bem de algo que gosto, surgiu um Fariseu pra me acusar de ganhar um troco oculto pra falar bem de algum produto)
            Eu meto o pau em certas coisas do Governo, porque eu votei no Lula e como eleitor é meu direito – e não só direito como é obrigação, bater palmas para o que deu certo e rasgar o verbo no que deu errado. (como já fiz em inúmeras outras oportunidades, inclusive mobilizando alguns milhares de leitores a atuar de maneira pontual, como foi com o caso daquela marmota da ANTT no trem RioXSp)

    2. Dane-se a classe média e os ricos. Dane-se a corrupção que já está arraigada culturalmente na cabeça do povo brasileiro, que aproveita-se do que há de bom, para fins egoísticos.

      Dane-se?

      acho que já ouvi o resumo desse argumento: “rouba, mas faz”…

      1. Meu irmão, você não entendeu nada! Eu não tô nem aí pra o governo. Eu quero saber do POVO! Eu sei que o governo Lula teve e tem inúmeros defeitos. Tá muiiiiiiito longe da perfeição.

        Lula é um novo “pai dos pobres”? Talvez. Política do “panis et circens”? Talvez.

        O que eu quero dizer é que tem nego que fica falando SÓ que o bolsa família é uma forma de compra de voto, ou que induz ao ócio e à reprodução humana desenfreada, etc., e esquece do BEM MAIOR que ele vem trazendo à população, ou seja, a efetiva tentativa de erradicação da miséria brasileira.

        Falta muito pra isso, é lógico, é claro, é cristalino. Mas por isso devemos desvalorizar? Não.

        O que eu quero dizer, é que só quem nunca passou fome na vida, critica o bolsa família.

        Diz que estimula ao ócio e a vagabundagem, e, inclusive, a criminalidade. Você acha que estimula?

        Você já foi procurar emprego na rua, morrendo de fome alguma vez? Duvido. Já pensou em como seria?

        Já pensou como seria você ir procurar emprego sem uma roupa adequada, morrendo de fome e sede?

        E se você conseguisse emprego, será que seu patrão lhe pagaria adiantado, ou você teria que passar um mês trabalhando com fome e sede, até o dia de receber seu salário mínimo?

        Já pensou nisso? E agora, amigo, o que é que realmente estimula a vagabundagem?

        1. Felipe, são muitas as suas perguntas. Vc já passou por tudo isso?
          Eu nunca passei fome por miséria, mas eu sei qual é a sensação da fome tão grotesca que vc pensa em comer esterco. Já até contei isso aqui. De fato, não é nada bom.

          Mas olhando suas perguntas da a sensação que o bolsa família é o único caminho. Será?
          Quando não havia o bolsa família, como que as pessoas faziam? Morriam?
          Sim, algumas morriam. As maiores mortes se davam entre as crianças. Eram altíssimas as taxas de mortalidade infantil no país. Mas veja, se morriam é porque estavam vivas. Se estavam vivas é porque nasceram, foram concebidas, em ampla maioria dos casos por pessoas que ignoravam completamente o conceito de planejamento familiar. Este problema existe até hoje. É uma questão que muitos não acham conveniente (principalmente as igrejas, já que mais fiéis=mais dízimo, mais poder). Que muita gente prefere fingir que não está vendo a expansão da pobreza é um fato.
          EU e você queremos que o bolsa família acabe. Se ele acabar, significa que erradicamos finalmente a miséria do país. Mas a pergunta que fica é esta: Vai acabar algum dia ou isso é um buraco-negro de dinheiro publico, nos moldes das benesses do parlamento?
          A tragédia implícita do dito popular de que “onde comem quatro comem cinco” é que o que daria pra alimentar minimamente um filho, se torna uma ração rala para alimentar cinco, seis, dez quem sabe doze bocas?
          Eu penso que mil e quinhentas pratas de dinheiro público, dependendo do lugar que o cara more e da índole dele, estimula SIM a vagabundagem. Mas se for os 200 que apuramos aqui, acho difícil que estimule alguma coisa além de ajudar a comprar feijão e arroz e talvez um pedaço de carne pra colocar no prato.

          1. Irmão, concordo com algumas coisas suas, mas sinceramente, quem tem fome, tem pressa também.

            Eu nunca passei fome, GRAÇAS A DEUS, mas conheço quem já tenha passado e já li muito a respeito também.

            Se não existisse o bolsa família? É, realmente alguns morreriam de fome. Outros comeriam sapos, lagartixas, baratas, formigas, pardais…, assim como era antes do Bolsa Família e como é até hoje nos lixões das grandes cidades, onde homens, mulheres, crianças e velhos se digladiam busca de sobras de comida.

            É fato. Na fome, pessoas matam, roubam, vendem o próprio corpo e os próprios filhos para poder comprar alimentos. E isso também existia antes do bolsa família.

            O bolsa família é sim necessário, mas de uma forma imediatista. Agregado a ele, deve sim haver programas sociais de educação e valorização do trabalhador.

            Concordo plenamente que dar dinheiro só, não passa de um paliativo para não matar o pobre de fome e não ajuda em nada ao seu futuro.

            Quero sim que o bolsa família acabe um dia e não por extinção arbitrária, mas sim por ter acabado a sua razão de ser, ou seja, a fome.

            Por enquanto que ainda não há educação e emprego suficientes para manter todos os cidadãos brasileiros vivendo de forma digna (insisto que para chegarmos a este patamar, é preciso, acima de tudo TEMPO e políticos bem dispostos), que continuem existindo este e outros tantos programas sociais que existem e que hão de ser criados.

            P.S.: Nunca fui adepto do “rouba mas faz” ou do “pão e circo”, mas faço questão de não querer ver gente morrendo de fome nos jornais.

  7. Sinceramente, alguém conhece algum cidadão que tá contente com o que ganha? Não faz diferença ganhar $200,00 ou $200.000,00, se existe a possibilidade de ganhar mais, todo mundo quer não é? Ainda mais pobre que recebe 500,00 e tem a chance de ganhar mais uns 200 vai parar de trabalhar? Além de ser uma bobagem este email ainda evoca a péssima idéia de que nordestino é preguçoso, e sujeito é pobre porque é vagabundo e gosta de ser assim! Eu conheço uma senhora que recebe o dinheiro da bolsa e ainda consegue vender bolo na porta de escola, que eu creio que dobre sua renda. Creio que a maioria das pessoas assistidas devem fazer coisas similares.

  8. Essa eleição bateu recorde de HOAX. Eu recebi da Dilma sapatão, que tá tendo um caso faz uns anos com uma mulher aí.
    Recebi da morte da Dilma, que a Dilma tá com um pé na cova e vai assumir e morrer.
    Recebi da fraude das urnas, dizendo que há um complo russo/cubano pra alterar o resultado da eleição brasileira.
    Recebi aquele que o PT quer acabar com as igrejas evangélicas.
    Recebi um dizendo que o Serra faz parta de uma sociedade secreta aí que vai dominar o mundo.
    Um dizendo que o Serra vai privatizar tudo a preço de banana, só pra deixar na mão dos “yankees”.

    Pessoal é criativo, se fizesse um livro de HOAX de eleição, dava uma grana.

    1. Pois é. É uma vergonha que os internautas partidários caiam neste tipo de intriguinha. Eu recebi alguns desses. Na boa, até achei graça, como esse da Dilma Sapatão. Os do Serra illuminati eu não recebi não, hahaha.
      Mas eu fico impressionado com a babaquice dessas guerrilhas de email. E daí se a Dilma for mesmo lésbica? O que é que eu tenho a ver com isso, né?
      Obviamente a maldade é pra foder com a cabeça do eleitor evangélico. Quem não lembra daquele email que dizia que se o Crivella fosse prefeito do Rio (na época ele concorria a prefeito) iria dinamitar o Cristo Redentor.
      O mais tosco é saber que tem gente que lê esta porra e realmente deixa de votar neste ou naquele candidato porque o email “pode ser real”.

      1. É justamente esse ponto.
        O problema da internet, é separar “o joio do trigo”. E, no caso desses e-mails, é justamente isso. Quem é cabo eleitoral nem me espanta que saia espalhando por aí na maior cara de pau. O pior é receber de gente que, até então, não era de partido A ou B e simplismente recebe o e-mail e passa a achar que é uma verdade absoluta.
        Pega por exemplo esse e-mail da fraude das urnas. Segundo a mensagem, diz que há um complô russo/cubano com um software adulterado para o PT vencer as eleições. Isso não precisa nem pesquisar, é uma coisa que, no mundo real e racional, é improcedente, absurda, totalmente descabida de qualquer jeito. E, frequentemente, aparece alguém repassando o e-mail como se fosse o Santo Graal moderno.

        Tem um pensador aí que diz que a internet é o primeiro experimento humano puramente anarquista, a essência da essência da conceituação do anarquismo (De Bakunin e cia.). De certa forma eu concordo; e a gente pode perceber a índole do ser humano muito claramente através da internet.

  9. é philipe, acho que esse foi um dos posts menos oportunos da história do mundo gump, afinal acreditar em e-mail hoje em dia é foda (você disse que foi um e-mail de qualquer um, mas mesmo assim o tomou como verdade e ficou indignado, coisa que qualquer um faria também). Mas acho que o resultado ainda saiu positivo porque você corrigiu a informação (espero que todos tenham paciência de ler o grande post, pois na primeira parte é só porrada).

    mas falando do Bolsa família em si, você verá sim gente ganhando uns mil reais sim, mas isso de maneira criminosa (gente que não precisa e tem vários cartões) e por aí vai. Mas isso é a minoria absoluta, o que prova que o problema não é do programa em si, mas dos que se acham malandrão e sempre querem sacanear as leis e consequentemente as pessoas. te falo por estudar Direito e quando você aprofunda e vê que as leis são (em sua maioria) bem feitas e estruturadas e com o Brasil tendo e sendo molde para países da Europa (principalmente itália e alemanha), você percebe que é a educação e o fato de achar que o público não tem dono que transforma muita coisa em merda.

    Acho que um dos maiores problemas do Brasil é o fato de sermos tão arraigados a figura do presidente (tem gente que confunde o Lula com o messias) faz com que esqueçamos os mais importantes: os legisladores. são eles que elaboram leis, são eles que delimitam o que o presidente e qualquer outra pessoa pode fazer (respeitando princípios básicos como a liberdade e outros) e são eles que criam a destinação de verba. É por isso que acho um grande absurdo do brasileiro o descaso com o poder legislativo (deve ser porque esse descaso é recíproco), pois são eles que realmente mandam.

    Continuo e continuarei gostando do seu blog, mas acho que o post das bebidas com animal dentro desceu melhor que esse.

    flw.

    1. Paulo, eu acho que vc quis dizer oportuno, não? Veja, estamos às portas de uma eleição presidencial que pode mudar muita coisa (como já dizia Caetano, “ou não”) no Brasil. Pra melhor ou pra pior. Eu acho que trazer estes assuntos à tona, e esclarecer certas acusações espúrias deveria ser encarado como algo bastante oportuno, sobretudo quando o assunto surge num ambiente marcado pelo fato de ser apartidário (já que acho todos os partidos antros de canalhas)
      Eu achei que suscitou boas discussões e os leitores deram show em seus comentários e pontos de vista. Pra mim foi oportuno por diversos motivos.

  10. Philipe, eu trabalhei no Bolsa Família do meu município por alguns meses.
    Um caso que me deixou indignada:certa vez chegou uma dona que teve o benefício bloqueado por suspeita de renda acima do permitido. O protocolo era que os avaliadores fossem à casa da beneficiária fazer uma entrevista pra checar se as informações do cadastro eram verdadeiras, e se procedesse, aí poderíamos desbloquear o Bolsa. Foram duas vezes na casa mas ela não estava, e alguns dias depois a mulher voltou na repartição muito p*ta pq o cartão ainda estava bloqueado. Quando eu expliquei que não a acharam em casa, o que a fulana me disse? “EU Ñ TAVA EM CASA PQ JÁ QUE TÔ COM MEU DINHEIRO BLOQUEADO, FUI ATRÁS DE UMA FAXINA PRA FAZER”. É mole?? Esse tipo de gente que tira todo o mérito do programa. O objetivo é auxiliar quem vive na miséria, mas além desses, tem os espertinhos e preguiçosos.. Bem melhor ficar sentado “crescendo bunda” (como diz minha mãe), recebendo R$200,00 do que ir à luta.
    Outro problema é que o governo tb ñ promove condições das pessoas que recebem o Bolsa saírem dessa inércia. São raros os cursos de capacitação em alguma profissão para os beneficiários.
    Mas tb pra quê,né? É melhor manter o povo no cabresto, dependendo de “esmola”(sei que pra muita gente esse dinheiro realmente faz falta e é a salvação,mas ninguém consegue levar uma vida digna com isso!). Rende mais votos… Vc já viu algum candidato falando que vai extinguir ou reduzir o programa?? Claro que não, estão sempre prometendo ampliar. O triste é que não só os realmente necessitados recebem, como eu já disse, pq além da notável falta de caráter da maior parte do povo brasileiro, o sistema é falho. Vi um caso de um benefício em que o cadastrado era uma pessoa mas o CPF era de outra. E só depois de muito anos de benefício é que este foi detectado como inválido e cancelado.
    A causa é nobre, mas a máquina estatal falha, a ganância eleitoral e a desonestidade distorcem totalmente o real objetivo.
    (ufa! desculpe pelo coment. tão longo!hehehehe)

    1. Desculpem, ao invés de “notável falta de caráter da MAIOR parte do povo brasileiro”, eu quis dizer “notável falta de caráter de BOA parte do povo brasileiro”. Antes que alguém diga que é honesto e conhece mta gente assim, explico: nosso povo adora um jeitinho, se dar bem. Seja recebendo benefícios sociais sem precisar, não devolvendo o troco errado, fazendo “gato” na tv a cabo do vizinho, pedindo aquele “favorzinho” pro amigo que trabalha na repartição pública, etc… Duro de admitir.

      1. Uma observação.

        Faxina, leia-se “bico sem direitos trabalhistas e previdenciários”.

        Se o governo quer que a pessoa trabalhe nestas condições de emprego, aí eu concordo que ela não deveria receber o auxílio.

        Você faria isso?

        1. Rodrigo Santos:
          A questão é: quando aquela senhora recebia o benefício, ela ñ trabalhava, seja bico ou ñ. Mas assim que o benefício foi bloqueado, ela tratou de ir procurar um meio de ganhar seu sustento. Por acaso o trabalho informal é tão indigno? Está longe de ser o ideal, claro, mas ñ sejamos hipócritas de fingir que ele ñ existe no país. Inclusive o sistema de cadastro dos programas sociais (CadÚnico) leva em consideração QUALQUER RENDA, que provenha ou não do trabalho formal; prenche-se qual a situação profissional da pessoa, se assalariado com/sem carteira, autônomo com/sem previdência,trabalhador rural,desempregado e por aí vai. O critério para receber o benefício é a renda per capita da família, não interessa de onde venha. Talvez se a dona fizesse suas faxinas, a renda da família extrapolaria e ela ñ precisaria receber o benefício, abrindo espaço para quem realmente precisa (ao contrário do que muitos pensam, o B.F. ñ é ilimitado, tem um limite de pessoas que podem ser beneficiadas).
          Não sou contra o Bolsa Família (vi muita gente que precisa), mas o programa tá coalhado de gente que só quer se aproveitar.

    2. “Outro problema é que o governo tb ñ promove condições das pessoas que recebem o Bolsa saírem dessa inércia. São raros os cursos de capacitação em alguma profissão para os beneficiários.”

      É isso! Era disso que eu estava falando no post. E dito por alguém que trabalhou no programa. Uma visão de dentro. Ana, eu não sou contra o programa, na verdade eu sou mega a favor, e acho pouco o valor pago e os benefícios incluídos. Mas se não houver uma seriedade na estruturação dessa política, ao invés de gerar riqueza, ela vai gerar pobreza. O problema é como abordar isso sem parecer campanha anti-Dilma. Hoje se o cara falar que quer ver o bolsa família acabar (o que seria a melhor coisa do mundo, pois significaria que erradicamos a miséria no Brasil) ele tá ferrado. Não ganha nem eleição de síndico.
      Todo mundo quer uma tetinha pra mamar.
      O programa é uma ideia legal, bem intencionada. Tem que coibir os erros, fechar as torneiras, cobrar e apurar as denuncias. O meu sonho é ver o assistencialismo acabar.

  11. As pessoas esquecem em quem votarão, o os políticos se esquecem do que falarão e prometerão , um reporte na globo fala mau do Edir Macedo da Record depois no canal da Record fala mau da Globo, e povinho esquecido.

  12. Oi Philipe, leio seu blog diariamente e fiquei muito triste que você tenha propagado uma informação tão mentirosa a respeito de um programa que ajuda tanta gente necessitada. Com uma valor máximo de R$200 por família, uma pessoa só deixa de trabalhar se realmente estava sendo absurdamente explorada, situação na qual acho justíssimo que ela deixe de trabalhar. Apesar de ter corrigido o post, acho que considerando a influencia e penetração do seu blog, você deveria ser mais cuidadoso ao tratar desses assuntos. Fica aqui meu protesto. Abraços.

    1. Cara tocar em assunto de política é sempre espinhoso. Tem blogueiro que amarela. Tem blogueiro que acha que eu sou doido de falar essas coisas que eu falo.

      Mas se eu não tratar, com que cara que me olharei no espelho? Vou me acovardar de dar a minha opinião porque ela não coaduna com a de outros leitores? O meu trabalho aqui é escrever o que eu penso. E quando eu estou errado e os leitores me corrigem, eu mudo de opinião.
      No caso, se é uma informação mentirosa e eu exponho isso, você acha que isso é algo que prejudica a quem? A mim? Ao Lula? Ao governo? Ao cara que inventou? Ou o cara que repassou esta merda a milhares de pessoas no email até chegar em mim?

      Você já parou para pensar que este tipo de post que traz um email de corrente com informações falsas à tona e produz uma autópsia pública nele é justamente o que contribui para que essas coisas não venham a ser repetidas, gerando mais e mais pessoas enganadas?
      Pare e pense. Você pode ter ficado chateado de ver política sendo debatida aqui, mas reflita que muitas pessoas poderão mudar suas opiniões e a forma como encaram a política a partir do que lêem aqui. Se servir para gerar o mínimo interesse em algum garoto para pegar o jornal e procurar saber mais, mesmo que seja pra me esculachar, já terá valido a pena.

      1. Não tenho nada contra discutir política. Só acho que tem que ter mais cuidado com as informações que se repassa. De qualquer forma, fiquei feliz sim com a discussão que está rolando no blog.

        Abraços.

  13. Olá, acompanho o seu site desde antes de ter domínio próprio.

    Sobre o assunto, permita-me discordar da “essência” do post, pois tenho vários funcionários na faixa de salário de R$ 550,00 a R$ 1000,00. A questão dos auxílios apresentadas no início do post está errada e você mesmo viu. O que acontece e tive alguns casos na empresa que trabalhei, é que alguns auxiliares de serviços ficam em torno de um ano na empresa e depois forçam a barra para serem demitidos, pois com a possibilidade do saque do fgts, seguro desemprego e auxílios o mesmo pode ganhar por um período de 6 meses, mais que ganharia na empresa. Como o emprego na área de engenharia (obras, manutenção e afins) está bom, não é difícil conseguir emprego em outra empresa do ramo e fazer tudo de novo. A desvantagem clara é que este funcionário dificilmente cresce de cargo.

    Em minha opinião todos estes auxílios são mais que válidos, pois de fato auxiliam a rodar a economia. Basta ver como famílias hoje conseguem comprar eletrodomésticos que seriam impossíveis antes. Isso aumenta as vendas e aumenta a necessidade de contratação por lojas do ramo por exemplo. A economia cresce como um todo. Na época do FHC, a política baseou-se no impedimento do consumo, para controlar a inflação e isso tornou o Brasil mais pobre, chegando a ser a 16ª economia do mundo na época de pior crise.
    O governo atual possui defeitos e continuidades do anterior sim, mas é inegável que o pais hoje é outro e muito melhor. Antes uma crise no México quebrava o Brasil, hoje uma nos EUA deu uma leve balançada.
    Idenpendente do partido, pois acho que a polarização de hoje se baseia muito mais no preconceito (sim estou falando com vocês) do que em propostas de fato. Não se tolera que um presidente que veio de onde veio pode ter sido muito melhor e mais reconhecido do que um catedrático da Sorbone.

    abs.

    1. Rodrigo, eu só não entendi no que vc discordou, já que eu concordo com tudo que vc disse. Eu tb já vi acontecer essa forçada pra ser demitido. Mas acho que isso é mais uma questão de índole da pessoa. Seria difícil para o Estado controlar este tipo de manobra sem prejudicar o cara que não pratica isso, que não é ilegal, mas é imoral.
      Eu concordo inteiramente quando vc diz que o nosso país hoje é outro, muito melhor. Um bom exemplo disso é justamente as duas crises que vc citou. Se não me engano a do México pegou o Brasil de calças curtas, segundo-se da quebra dos tigres asiáticos e depois a crise russa. Foi um auê do capeta em todo o mundo. Isso acabou transformando o segundo mandato do FHC num verdadeiro terror. Já a crise americana chegou no segundo mandato do Lula e não balançou tanto o nosso barco. Uma das razões disso é que nossa economia é bastante fechada, tem taxas de juros que chega a parecer ficção científica de tão altas. No mundo todo, a galera teve problema de credito, mas aqui, como os juros são altos pra caralho, além dos banqueiros ficarem ricos como em nenhum outro lugar do planeta, isso tem o efeito colateral de fazer com que o Brasileiro se endivide menos que o estrangeiro.

      Então, veja que bizarro. A coisa que era ruim funcionou como uma defesa. É mais ou menos como o cara feio pra caramba, tão horrendo que nunca consehue pegar ninguém nem mesmo na zona. Se prestarmos atenção, isso é uma merda, uma puta desvantagem pro cara. Mas aí, e se eu te disser que tem alguém na zona com Aids? …O que acontece com a desvantagem do pega ninguém? Vira vantagem.

      Some-se a isso, o fato de que com a crise do México, e as demais crises globais que se seguiram, o nosso país aprendeu uma série de lições. Como houve uma continuidade da política econômica (a melhor coisa do governo FHC e do governo Lula) na segunda crise já estávamos mais sólidos.
      Isso sem dúvida foi um ponto alto da era Lula. Mas eu tenho a impressão que aconteceria com qualquer outro presidente que mantivesse a linha de política econômica focada no controle da inflação, com foco na volatilidade do capital, coisa que vem se mantendo desde o governo Itamar.
      Sobre a questão do preconceito, eu até concordo em certo grau. Não posso dizer que discordo, pois eu sei muito bem que a trajetória do Lula incomoda muita gente. Mas por outro lado, eu vejo o próprio Lula como um cara que explora um personagem que ele habilmente criou.
      Quando ele diz que segmentos dos poderosos não se conformam com o fato de ver um operário no poder, e por isso criam mentiras para tentar desestabilizar o governo dele, por exemplo.
      Ora, tem que ser muito néscio para acreditar que a mídia consegue se mobilizar num complô pra afetar o governo do cara. Sobretudo quando o governo tem escândalos públicos, como mensalões, dinheiro na cueca, doações de campanha não contabilizadas, relações espúrias de variados graus e níveis acontecendo à em tudo que é lado, à portas fechadas ou abertas, em tudo que é órgão de Brasília…
      Jornal e revista vive de vender. Se o governo dá mole, nego deita e rola mesmo. O papel deles é fazer isso, né? Só, que expor o que não convém não agrada. E é daí que surge a conversa fiada de controle da mídia. Na Venezuela foi assim tb.

      Eu sou cético com relação a este complô que o Lula gosta de alegar. O tal “partido da mídia”. Não dá pra acreditar, nisso, como também não acredito que o Lula, um cara que trabalhou um percentual curto da vida como operário metalúrgico, pra em seguida virar líder sindical e posteriormente político profissional pelo resto de sua vida se dizer perseguido porque é operário. Operário o cacete! Só que não rende voto nem simpatia se assumir político. Ele FOI operário num passado muito distante, mas no discurso dá a impressão que até ontem ele tava trabalhando no torno mecânico.
      Este tipo de malandragem política que me dá raiva.
      O medo que eu acho que ocorre em diversos setores com o Lula, é que ele é um cara altamente carismático e empático com as massas. E isso é bom. Mas de uns tempos pra cá, Lula começou (talvez nas más companhias) a dar demonstrações que começou a se julgar acima do bem e do mal. E isso é perigoso. Mussolini, Hitler, Fidel Castro, Hugo Chavez e até o Saddam Hussein eram altamente carismáticos com as massas. O problema é que eles se julgaram além do bem e do mal.

      1. Com relação a mídia, eu acredito sim na interferência, vide a eleição de 90 que é o caso mais clássico. Não se dava destaque a escândalos como foi dado agora, nem tão pouco investigado (alô brindeiro!). Claro que, “dar arma para o inimigo” não é muito inteligente e como você disse vão deitar e rolar.
        Tenho um exemplo da mídia (que pode ser contra ou a favor) que ocorreu aqui em Brasília. Na eleição para governador de 98, concorreram o Sen. Cristavam e o Roriz (ele mesmo). O maior jornal daqui, apoiava o Cristovam (não só editorialmente, que na minha opinião os jornais e revistas devem sim se posicionar) com notícias sensasionalistas, do tipo que a Veja faz hoje. Ocorreu que o Roriz ganhou e simplesmente não anunciou mais nada neste jornal e como se sabe, os anúncios governamentais são os que mais bem pagam, pois não se pode dar desconto ao governo (meu pai trabalhou na área, por isso falo isso com certeza). Logo o jornal quebrou e teve que vender as emissoras de TV e Rádio (para o Paulo Otávio, vice do Arruda). Logo, estes apoios não são simplesmente ideológicos, envolvem muito mais coisas do que apenas uma teoria da conspiração contra o presidente que foi pobre.
        Porém, para vender isso ao povo, invariavelmente faltam com o respeito com a Presidência da República, alegam que ele é alcolista, que é ignorante, que é nazista (sim já ví e-mail sobre isso), que é do demo e etc. Parte da população cai nessa infelizmente.
        O bom da época atual, é que podemos pesquisar sobre o assunto em diferentes meios e contestar o que antigamente seria dado goela a baixo para a população.

        1. A eleição dos anos 90 foi um clássico mesmo. Mas pelo que eu vi neste ano, não encontrei nenhuma noticia que me pareceu inventada. Até porque se houvesse algo assim, há direito de resposta assegurado pela lei.
          O que acontece que é bem escroto mesmo é a tendenciosidade de alguns grupos (que ocorre para os dois lados) de comunicação.
          Agora o pior é que com a pilha de notícias de corrupção e más práticas envolovendo políticos, “aloprados” e figuras do tipo, vc sabe quantos foram efetivamente presos (carceragem)?
          UM.

          1. Com certeza os veículos de comunicação são tendenciosos.
            Basta ver as fotos nas capas da revistas e nos jornais escolhidas pelos editores. Ou é Serra simpático, Dilma com cara fechada. Ou é Dilma simpática, Serra com cara fechada.
            O que me dá nojo é a mídia e em especial muitos jornalistas se dizerem imparciais quando na verdade não o são. Me faz até pensar que os veículos de comunicação guardam as denuncias para momentos mais oportunos.
            Depois fazem um bafafá dizendo que estão cerceando a “liberdade de imprensa”, porque alguém diz que eles tem partido e candidato. E não tem mesmo? É ou não é verdade que o Estado de S. Paulo assumiu apoiar o Serra?

      2. Veja só, juros altos não só sempre foi uma desgraça como ainda é e nunca teve nada de bom nisso nem durante crise nenhuma, não faz sentido isso, essa que é a parte ruim do governo lula, não conseguir baixar os juros(ainda assim são menores do que o de FHC), esses juros existem pra agradar especuladores internacionais, juros baixos ajudariam a economia local e portanto deixaria o país ainda mais imune a “hecatombes” internacionais. O mérito maior do lula foi ,mesmo sem juros baixos, dar importancia maior a economia local do que à internacional e ainda por cima no âmbito internacional diversificar parceiros comerciais(coisa que Serra e cia é contra) serra vive falando em se concentrar em relações com as economias decadentes da Europa e EUA, ou seja o brasil ia pro buraco da crise junto com eles, lula e dilma ao contrário se preocupam em negociar com economias emergentes que só fazem crescer, então votem nos tucanos pra gente afundar junto com economias podres, mais o principal é que o foco petista é a economia local. Se fala entanto em bolsa família que atende a 12 milhões de famílias e se esquece que o governo criou 15 milhões de empregos, ou seja um nuúmero maior e portanto mais importante inclusive eleitoralmente, veja só. Quanto ao bolsa família simplesmente digo, melhor com ele que sem ele, não quero ver ningúem morrendo de fome, ao contrário que no vídeo não se dá sestas básicas e sem dinheiro mesmo, trata-se de reduzir uma injustiça na distribuição de renda, são pessoas que trabalham de sol-a-sol (e chamados de vagabundos) duvido que quem critique eles trabalhe mais horas/dia que qualquer um deles e ainda com bolsa família não tem condições suficientes para uma vida plena, a bolsa é só um pequenos “bônus” se deixassem empregos/bicos simplesmente morreriam de fome. Sò que é uma coisa temporária o lema da dima/pt é fazer crescer a classe média , e todo mundo vê que isso tá acontecendo com direito a banda-larga e tudo, com isso vai ficar cada vez menor a necessidade do bolsa família num futuro próximo.
        E não sei como alguém acredita que o fhc que deixou o país resistente a crises, os tucanos praticamente quebraram o país por 2 vezes , atenção DUAS VEZES, em duas crises, a primeira crise não ajudou a segunda, como elas ajudariam a terceira ? eles dizem que culpa nenhuma por crise nenhuma só que fizeram no brasil o mesmo que faziam no méxico na argentinha, na asia etc…. quando quebrou um méxico e outros é claro que aqui ia acontecer o mesmo pois se praticva o mesmo sistema neoliberal falido com câmbio falsificado, que os tucanos compravam integralmente hora, como que eles não tem culpa ? o sistema econômico que ficou no final da era FHC não é do fhc,É DO FMI, é do fundo monetário a tal política econômica do fhc, FOI IMPOSTA por ele, ao governo brasileiro, nos mínimos de detalhes, inclusive a famosa “Lei de Responsabilidade FISCAL” não é do FHC vem do FMI, só que era os estados e municípios que à cumpriam não o governo do próprio FHC que não passaria por responsabilidade fiscal nenhuma se FHC respondesse à essa lei estaria preso. O FMI é assim vende a doença e depois vende o remédio e tem gente que diz que agente tem que ser grato á essa gente quado elses causaram os problemas(convencendo países a adotar o neoliberailismo) que vem resolver depois. Prestem atenção os tucanos receberam de Itamar franco um país em franca ascenção e em 8 anos entregaram a lula um país em frangalhos, o famoso plano real(que começõu com o itamar) não tava dando certo coisa nenhuma, a inflação ja estava nos 12% e subindo, sem falar nos juros que eram tão danosos quanto, depois de 2002 à coisa se inverteu, lula e o pt fizeram o contrário receberam uma país se acabando e levantaram todos indicadores sociais e econômicos colocando em direção ao mundo desenvolvido, convenceu o mundo que podemos organizar copa e olimpíadas, não se deixem engabelar pelo trololó da mídia tucana, Querem esconder que a corrupção está sendo emfim combatida, não varrida pra debaixo do tapete(compra de votos na reeleição de FHC) , hoje temos governadores presos(do DEM que apoia serra) um presidiário que quase foi vice do serra, um candidato do PCC que fazia campanha junto com o Alkmim foi preso, fiquem espertos o governo tucano de são paulo comprou toda à mídia do estado em negócios sem licitação. compra milhares de exemplares de jornais e revistas pra o governo do estado sustentando empresas como a Folha, o Estadão, a editora Abril da Veja, e até a globo foi agraciada com um terrreno pra treinar seus funcionários. E adimitem, atenção sr. gump, ADMITEM que são o partido da mídia, dizem que são oposição já que a aoposição de brasília ta desmoralizada, isso quem diz é o pessoal da própria folha, o arnaldo jabor da globo, entre outros, admitem. Esses jornais aí em editorial declaram apoio ao candidato que os sustenta, não sou em quem lhe diz, e o que tem de jornalista aí deitido por falar mal de serra, o Herodoto Barbeiro saiu da cultura(sustetada pelo governo paulista) depois de fazer uma inconveniente pergunta ao serra sobre pedágio, coisa que já tinha acontecido com o nassif, que veja só tbem tem críticas pesadas ao governo lula nem por isso é demitido pois hoje está na tv brasil, ha pouco tempo uma colunista do estadão foi demitida por artigo elogioso ao governo lula, o serra simplesmente confiscou uma fita de uma emissora de tv onde ele dava um piti na frente da entrevistadora Marcia Peltier, Veja o que estou falando CONTROLE DA IMPRENSA, PERSEGUIÇÃO À JORNALISTAS, é o PT ? não o SERRA os tucanos, prestem muita atenção, eles mandaram a polícia tucana de SP invadir a casa do netinho sem mandato judicial, é fato, o nome disso é DITADURA, eles descem o cacete em professores do ensino médio, e em estudantes universitários no meio da rua, durante o governo serra em SP, mandam políciais se infiltrarem em movimentos de professores(e admitem) colocam uma rede de funcionarios pra espionar possiveis opositores políticos dentro das universidades paulistas. É esse aí o valor que eles dão a educação! Quer saber quais são os problemas reais dos governos petistas ? procurem o que serra cham de blog sujo, nassif, azenha, etc lá tem coisas pesadas sobre o governo também como um recente desmonte da PF, isso não sai na mídia porque não interessa, vcs acham que essa mídia gosta da PF prendendo engravatados ? vou repetir PRESTEM ATENÇÂO, muito cuidado com essa gente. eles ja quebraram esse país duas vezes e podem fazer de novo se vc deixar, mais racionamente de energia mais desemprego mais inflação, isso é que é o governo tucano, vcs acreditam mesmo que eles são tão azarados e o lula tão sortudo ? o nome disso não é sorte, é competência! O psdb não admite a culpa por nada é tudo culpa das crises internacionais, de são pedro do clima, da oposição, eles terão descupa pra tudo, o governo petista não precisa se justificar, as coisas simplesmente dão certo com os partidos populares emcabeçados pelo PT(infelismente com a intromissão do pmdb é verdade) mais também PSB e outros, à alernativa à estes vc sabe foi o Color depois foi O FHC 2X, como vc ficou ao final desses governos ? e ao final do governo petista ?

  14. Vi duas declarações nos comentários que são bem interessantes e valem o reforço:

    1. O problema não é o valor (seja ele qual for) e sim a idéia assistencialista

    Ao fornecer os benefícios do bolsa-família & cia você não resolve o problema, apenas disfarça. Não ofereceu meios da população sair da situação de miséria, apenas protelou a crise. A maior prova disso é que se o benefício fosse cortado hoje, a situação de miséria seria idêntica a de antes do programa começar, ou talvez até pior, já que existem mais pessoas e certamente algumas famílias são totalmente dependentes da ajuda governamental.

    2. Um dia isso vai ter que acabar

    Quem acompanha a evolução das contas da previdência social com os aposentados já viu o que acontece: chega um momento em que existem tantos dependentes que o governo fatalmente acaba mudando as regras para que o modelo sobreviva (como os limites de aposentadoria, por exemplo).
    Se não houver um planejamento para encerrar o programa de bolsa-família um dia (seja lá quando for), chegará um momento em que não haverão fundos públicos para sustentar o programa, a menos que se aumente a arrecadação (mais impostos).
    Como existe uma boa chance de que os filhos dos bolsistas também se tornem futuros bolsistas, já que o programa não faz nada para mudar esse quadro, é bom começar a pensar em por quanto tempo essa solução vai durar.
    Eu sei que alguns vão dizer que existem outros programas em ação para eliminar a pobreza, mas vamos ser sinceros: os resultados são satisfatórios? Existe alguma promessa de vinculação desses resultados com os programas de bolsas?

    Para quem acredita que o governo realmente tem esse planejamento, sugiro dar uma olhada no que aconteceu com o “imposto do cheque” que ia resolver o rombo da saúde.

  15. Ai ai issod e bolsa familia sempre rende discussão, já fui funcionaria de loterica e já paguei mto beneficio e mtas vezes vc olha pra cara de pessoa e fala “mano…vc não ta precisando!” ta de celular novo , todo arrumadinho e tals usando o dinheiro do BF pra carregar bilhete unico.Mas pelo menos aqui em SP andaram dando uams crtadinhas nesses folgados , mas o q eu sempre penso é poxa!! q seja 200 reais vai , 200 reais em sp não da pra nada, na Bahia , Paraiba , na cidadesinha no oco do mundo 200 reais as vezes é fortuna> esse programas sociais são bem intensionados só que o povo brasileiro ainda ta naquela coisa do “malandro” esse estigma que persegue a gente , poxa vida , a classe média semrpe ta no meio pq somos nós que pagamos impostos altos e não ganhamos nada do governo . Gump concordo com vc , o começo do post foi meio fail por causa de uam corrente mas depois vc arrumou tudo e ficou tudo bem ,d a pra entender seu ponto de vista mas sempre tem um a favor do pt ai que vem dar piti. Eu não gosto dele , falo mesmo , não vou com a cara dele , admito q é super carismatico mas ultimamente ele ta se achando d+ .

  16. Phillipe sempre gostei do seu site, não passe para o lado político do mesmo, já que sua família pelo que me lembro são abastardos (funcionários Públicos, Militares) as coisas vão além do que vc encherga amigo, Já viu a teoria do abrir buraco só para fecha-lo novamente? foi utilizada nos EUA para fazer crescer lugares como no Nordeste brasileiro, Tenho pós graduação tb e apóio o LULA pois no governo dele foram criadas mais faculdades federeis e escolas tecnicas que todos os outros governos Somados, só aqui em SC foram 33 escolas tecnicas.
    Abraço

    1. Cara como assim “passar para o lado político”? Nós vivemos imersos nessa merda que é a política brasileira o tempo todo.
      Não tem “um lado politico”. Por exemplo, quando eu falo que sai caro importar um game, que é uma vergonha que certas estradas te obriguem a pagar para ir do ponto A ao B, violando o direito constitucional de ir e vir, estou falando de política.
      Tem um montão de post que fala disso aqui. O fato de ter pessoas na minha família (que é enorme) que estão em degraus mais altos na pirâmide – alguns trabalhando para a população em cargos públicos desde os anos 70- outros pelo esforço próprio, quer dizer o que? Rigorosamente NADA.

      Eu não tenho rabo preso com ninguém, muito menos com governo. Minha mulher entrou pra marinha por mérito e competências próprias. E o que ela faz lá é bem mais importante do que o valor que ela recebe, pode ter certeza.
      Então o Governo só se dá bem em cima de mim. Pago uma fabula de imposto. Não consumo a ampla maioria dos serviços públicos e portanto, tenho direito (e dever) de reclamar daquilo que eu acho que foi falho.
      Agora eu concordo que a teoria do abrir o buraco pra depois tampar é ótima. Plano Roosvelt. Devia ser aplicado aqui. Mas atualmente o governo está pagando sem precisar que o cara nem chegue perto da pá.
      Mas tirado as aberrações, acho que estamos num bom rumo. Não chegou aonde poderia ter chegado, lógico. Poderia ter sido melhor, mas tivemos avanços importantes como as escolas técnicas, a universalização do ensino e etc.
      Há ainda muita coisa a ser feita, sobretudo nas áreas de ensino (em termos de qualidade) e de infraestrutura.

  17. 200 reais é o bolsa família, mas e o “bolsa desemprego”, pra quem é demitido depois de seis meses ganhar mais seis meses? Dá pra trabalhar meio ano e ficar parado outro meio ano. Tem várias bolsas, é o chamado assistencialismo tão criticado, porque é ridículo mesmo.

  18. Philipe,
    Não checar as fontes antes de publica-las é um erro gravíssimo para o editor de um blog TÃO CONHECIDO e visitado como o Mundo Gump.

    Mas erro pior ainda é contra argumentar, depois de mostrado um erro obvio por parte do blogueiro, mais fácil e sensato é pedir desculpas e retirar a bobagem do ar, uma vez que só verá o seu erro quem se der ao trabalho de ler ATE O FINAL (e bem menor do que as letras garrafais da notícia fraudulenta) da postagem. (deixar ali, com letras GARRAFAIS só ajuda a propagar uma mentira.)

    Não sou beneficiário de nenhuma bolsa do governo e tão pouco acredito que ela seja a maneira correta de resolver os problemas pelos quais passa a camada de renda mais baixa da população (mas, me pergunto: algum outro candidato disse, em campanha, que vai retira-la?). Concordo com o leitor acima que diz que pagamos absurdos muito maiores.

    Fácil é pertencer a uma classe média desavisada que acredita e repassa absurdos como os desta postagem. (Não é a primeira bobagem que leio a respeito e muito maior é o número de bobagens do gênero recebo todos os dias por e-mail.)

    Talvez, através do bom senso e humildade, você devesse reescrever a postagem e não dificultar o entendimento de toda uma história, como está acontecendo, através da atual medida. Principalmente tendo em vista que o MUNDO GUMP é um blog de humor e bizarrices e o que sempre o tornou atrativo foi a despretensão com a qual é escrito.

    Nem eu nem você somos cientistas políticos e acredito que não nos cabe (e tão pouco sabemos como faze-lo) o aviso de uma MASSA de leitores que, por muitas vezes, acabam por apenas passar os olhos em uma postagem ERRADA, acabando por propagar uma mentira descabida.

    Obviamente o BLOG é inteiramente seu e cabe a você escrever o que quer (com certeza alguém usaria este argumento) mas, me pergunto, o objetivo disso é agradar leitores, não?

    1. Cara depois do seu comentário eu fiquei alguns minutos refletindo se devia ou não acatar sua sugestão e tirar o post do ar. A conclusão que eu cheguei é que não devo. O post esclarece que o email com as informações é falso. Mas vou te falar uma coisa, até o momento, eu não consegui provar que seja mesmo falso em seu inteiro teor, sobretudo na parte que mais interessa que é o valor de quase 1500 pratas sendo pago a alguém.
      Muitos leitores ajudaram informando o link para o site do governo que diz que o valor máximo pago no programa é 200 reais, mas O MESMO SITE diz laconicamente que podem existir variações de valores com base em “benefícios de caráter extraordinário”, o que deixou a porta aberta para que o caso seja possível. Além disso, a discussão nos comentários (que suponho e espero que vc tenha lido) se estenderam a além do que contém o post. Desse modo, eu me limitei a informar em letras gigantes e vermelhas que o valor máximo oficial do benefício é de 200 reais. Fora isso, o próprio post informa que o assunto que originou a discussão se trata de um email provavelmente de anti-propaganda.
      Com isso em mente eu acredito que o cara que entrar aqui e ler o post vai entender. Agora se o cara entra aqui e não lê e daí conclui as coisas da cabeça dele, só lamento. Meu papel não é nem ser babá e MUITO MENOS agradar o leitor.
      Se os leitores gostam do que vêem aqui, que ótimo. Fico feliz. Se o leitor não gosta, que pena, fico triste. Mas não me dou ao trabalho de tentar agradar ninguém além de mim. Talvez só a primeira dama e olha lá, hehehe.
      É impossível agradar a todos.
      Mas paliativamente, eu fiz pequenas alterações no texto, mudando a cor e colocando informativo antes da parte do email. Acho que isso ajuda a aumentar a visibilidade e compreensão do negócio.

      1. Concordo, Philipe
        Seu compromisso não é agradar ao leitor, mas sendo este blog um veículo de informação e atingindo tantos leitores quanto já atingiu, seu compromisso deveria ser com a veracidade das mesmas (pelo menos tendo em vista a posição que sempre ocupou e hoje, pela primeira vez, vejo “nadando em direção contrária”, uma vez que este canal sempre me foi caro por prezar pelo bom humor e posição neutra quanto a diversos assuntos).

  19. Me desculpem os atingidos, mas O Philipe fez, como sempre, um artigo sensacional e profundo… tao profundo que se deu o trabalho de corrigi-lo e praticamente reescreve-lo quando reparou um erro (como sempre faz)! Me parece que alguns leitores se utilizam dessas horas para colocar suas opinioes(leia-se voto) em vez de debater o tema!

    Mais uma coisa, o BOLSA FAMILIA pode ser assistencialismo sim, e nao precisa ser uma genio da politica para descobrir isso, basta ter noçao de matematica:

    O investimento no BOLSA FAMILIA seria =, que um investimento no DESENVOLVIMENTO da regiao?

    Essa eh a questao que deveria ser debatida! Eh o que diferencia uma atitude populista de uma atitude seria e de longo prazo! Ao levar Agua, infraestrutura e incentivos fiscais para empresas na regiao, a criaçao de empregos eh quase INSTANTANEA! O povo tah louco pra trabalhar e ganhar por isso! Nao eh utopia, basta avaliar o quanto foi gasto ate hj com o bolsa familia (contando com parte administratica etc) que posso apostar que existem outras alternativas muito mais inteligentes de erradicar a mizeria com o mesmo custo (ou menor)!

    Estou preparado para estar errado e em debater. Eh apenas com argumentos serios, imparciais e embasados que aprenderemos a votar e (COBRAR!) com mais eficiencia.

    Um abraço a todos!

  20. Vou entrar na discucao porque me parece muito pertinente, como qualquer cidadao acho q o philipe tem o direito de opinar, e expor seu ponto de vista, nao deveria se limitar so pq tem muito acesso. Se uma pessoa sai por ai falando tudo que leu em apenas um unico lugar… bem ja se viu. Eu mesmo ja vi barbaridades em periodicos e esse blog nao e e nem tem a pretencao de ser ( pelo q eu saiba ) um blog jornalistico ou politico.
    Esse e um blog onde o philipe posta principalmente suas ideias, e em epoca de eleicao e dificil nao opinar e acredito que e um erro nao opinar, quem nao opina nao deveria depois reclamar. Os comentarios que sairam desse post foram exelentes, ate sugeriria que o philipe colocace em letras garrafais que as pessoas leiam os comentarios pq tem muita coisa boa ai.
    O brasileiro tem de pensar que esta votando para o futuro do Brasil e nao em clube de futebol!!! deixa um pouco o partidarismo de lado e penssa no q e melhor p pais.

  21. Primeiro, como foi levantado que não há muitas diferenças entre os governos FHC e Lula, então essa imagem pode ajudar ainda os incrédulos:
    http://muitopelocontrario.wordpress.com/2010/10/07/quer-que-eu-desenhe-especial-via-ilustrebob/

    Segundo a visão da oposição do bolsa família:

    12/12/2009

    Por dentro do Bolsa Família

    Convidado – Alberto Carlos Almeida

    Será que algum leitor deste artigo recebe regularmente o Bolsa Família? Eu diria, com relativa certeza, que dificilmente. Quem lê jornal no Brasil, ao menos jornais com o perfil do Valor, são pessoas de grau superior, os assim chamados formadores de opinião, pessoas de renda elevada que fazem parte, em maior ou menor grau, do debate político e econômico brasileiro. Trata-se de um perfil social distante do perfil médio de quem recebe o benefício social do governo federal.

    Proponho que nós, leitores deste jornal, pensemos no Bolsa Família sob a ótica de quem o recebe. A pessoa que recebe esse benefício social reside, na maioria dos casos, em regiões com pouco ou nenhum dinamismo econômico. Esqueçamos por ora a prosperidade da cidade de São Paulo com a sua Mesopotâmia, as residências, os escritórios e os restaurantes que ficam entre os rios Pinheiros e Tietê. O ponto de vista dessa cidade, e dessa região específica de São Paulo, não serve para entender o significado do Bolsa Família para quem o recebe.

    Alguns críticos de São Paulo, muitas vezes cariocas, dizem que se trata de uma cidade cheia de restaurantes cercados por escritórios. O interior pobre do Brasil, onde predomina o Bolsa Família, caracteriza-se por um grande aglomerado de casebres cercados de informalidade por todos os lados. É uma grande ilha, ou continente ilhado, de miséria.

    Resultado: quem reside em São Paulo, na zona sul do Rio ou na Savassi de Belo Horizonte aprende desde criança que se tiver uma boa educação e trabalhar muito melhora de vida. Isso aconteceu provavelmente com todos os que leram e vão ler este artigo. Isso aconteceu e acontece comigo. Quanto mais trabalho, mais chances tenho de conseguir mais clientes, de vender mais e, consequentemente, de melhorar de vida. O ambiente de São Paulo favorece sobremaneira essa trajetória. Há empresas, negócios, dinamismo. Individualmente, há carreira, há profissão. Muitos dos que se formam nas faculdades cariocas e paulistas saem pensando em como construir uma carreira. Isso é possível no chamado Sul Maravilha.

    É possível também no interior do Nordeste? Não, não é. Quem mora no interior de qualquer Estado nordestino e também tem escolaridade baixa, que é pai de família, não tem carreira. Não tem, nunca teve, nem nunca terá. Para esse chefe de família o trabalho não compensa. Trabalhar mais não levará necessariamente a melhorar de vida.

    Vamos nos colocar no lugar dessa pessoa. Um homem, de uns 38 anos, que não completou o segundo grau, casado e pai de dois ou três filhos, morador de uma cidade vizinha a Petrolina, no interior de Pernambuco. Esse indivíduo não tem poder de barganha no mercado de trabalho. Naquela região, como ele, existem milhares. Assim, o empregador muito provavelmente não lhe dará um trabalho de carteira assinada. Caso não se torne um migrante, ele vai trabalhar em algum roçado, vai construir ou manter a cerca de alguma propriedade, poderá tornar-se um vendedor de porta em porta de vassouras e rodos e, se tiver muito sucesso na vida, eventualmente, poderá conseguir um emprego urbano como “auxiliar administrativo”, esta profissão pouco definida e muito mal remunerada pela qual qualquer brasileiro pouco ou nada qualificado poderá almejar.

    Essa criatura imaginária é muito real. Ela não concebe a melhoria de vida por meio do trabalho. Isso é fato, não é uma simples percepção. Isso é real. É aqui que entra o Bolsa Família. Esse benefício social, recebido mensal e regularmente por esse chefe de família, se torna a única oportunidade de melhorar de vida no curto prazo.

    Quando se diz que alguém “realmente precisa do Bolsa Família”, está-se dizendo que sem o benefício social essa pessoa jamais melhoraria de vida. É verdade. O recebimento do benefício mudou a vida dela e de seus familiares. Houve um imediato aumento na renda corrente e, como se trata de um contrato de longo prazo, essa família passou a poder comprar coisas no crediário. Praticamente 50% dos que recebem o Bolsa estão atualmente comprando alguma coisa em prestações. O mais interessante é que o programa atinge cerca de 30% das famílias brasileiras e custa para o governo federal a quantia irrisória que corresponde a 0,4%, apenas, de nosso PIB.

    O Brasil passou longos anos sem cuidar de sua população, sem educá-la formalmente de maneira apropriada. Apenas durante o governo Fernando Henrique, ou seja, depois de 1994, conseguimos universalizar o acesso das crianças à educação básica. Ainda não conseguimos universalizar o acesso dos adolescentes ao ensino médio. Além disso, a evasão e a repetência são um fenômeno avassalador nos dois níveis de ensino. Não investimos há 30 ou 40 anos em educação, temos que gastar agora um pouquinho (0,4% do PIB, como mencionado anteriormente) com política social para “compensar” o não investimento.

    Há uma crítica de caráter moral ao Bolsa Família: ele cria acomodação. Ledo engano. O beneficiário do programa já era acomodado. A ambição já veio morta, de berço. Em áreas sem dinamismo econômico, como afirmei, o trabalho não compensa, a ambição não existe. O Bolsa não gera nem vai gerar ambição. Os pais nunca terão uma boa oportunidade no mercado de trabalho, é uma geração perdida em termos profissionais. Se alguém tiver oportunidades de empregos melhores, serão os filhos. Daí a necessidade da obrigatoriedade da matrícula escolar. O Bolsa melhorou o bem-estar geral da família e criou um incentivo a mais, para muitas famílias o único incentivo, para manter as crianças na escola. Salva-se a geração dos mais jovens.

    A crítica moral a essa política social não encontra apoio na maioria da população brasileira. Nada menos do que 77% da população concorda com a seguinte afirmação: “Muita gente que recebe o Bolsa Família continua trabalhando, por isso ele tem que continuar”. Essa proporção é menor entre as pessoas que têm o grau superior completo e maior entre as pessoas de escolaridade mais baixa. Quem tem o grau superior completo, ao contrário das pessoas de escolarização baixa, está muito distante da situação financeira e social de quem recebe o Bolsa. Assim, é menos compreensivo em face dos benefícios do programa social. A maioria de nossa população tem a renda e a escolaridade baixas. Sendo assim, o apoio social ao Bolsa Família é muito grande.

    Se apenas 30% da população recebe o Bolsa, nada menos do que 60% afirmam ser totalmente a favor do programa. Quando somamos esse número aos 23% que dizem ser a favor, obtemos 83% da população adulta brasileira apoiando o programa social criado no governo Fernando Henrique Cardoso. Só 16% se dizem contrários ao programa. Destes 5% são totalmente contra e 11%, um pouco contra. Quem é mais contra? Quem tem diploma de grau superior. Praticamente um quarto de quem se formou em uma faculdade é contra o bolsa. Essa proporção é de somente 12% para as pessoas do mais baixo nível de escolaridade formal, o primário completo.

    Qual é a consequência política dessa informação? Que o Bolsa Família está para a área social assim como a inflação está para a área econômica. A maioria os quer, aceita, valoriza e considera ambos um ganho já estabelecido e com poucas chances de haver retrocesso.

    O presidente Lula escreveu e divulgou em 2002 a famosa “Carta aos Brasileiros”, eufemismo para uma carta aos banqueiros e investidores internacionais. Nela, Lula prometeu e cumpriu manter os quatro elementos-chave da política econômica de FHC: câmbio flutuante, superávit primário, metas de inflação e responsabilidade fiscal. Em 13 de agosto de 2002, Lula declarou na “Folha de S.Paulo”: “Eu me dei conta de que o PT que precisava construir era maior do que o PT de macacão que eu sonhava em construir”. Tão grande que trouxe recentemente Fernando Collor como um de seus importantes aliados. Lula foi e é extremamente pragmático.

    A oposição, PSDB, DEM e PPS, precisa cometer o “pecado” do pragmatismo para enfrentar Lula. Nesse caso, o pecado é quebrar o omelete de apoiar sem tergiversação o Bolsa Família.

    Há várias maneiras de demonstrar que se é a favor de alguma coisa. Uma delas é simplesmente afirmar: sou a favor do Bolsa Família, aliás, ele foi criado durante um governo do PSDB. Outra maneira é afirmar: vamos duplicar o valor do Bolsa Família. Esse é um apoio contundente, um apoio que não dá espaço para desculpas evasivas de quem apoia ou para ataques infames do adversário.

    A propósito, dobrar o Bolsa significa sair de 4,0 para 0,8% do PIB nesse gasto. Apenas um pouco a mais do que os 0,6% colocados no benefício da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), mais um programa de proteção social criado no período tucano. Se o programa é bom para quem o recebe, se foi criado (com inspiração de Milton Friedman) por um governo do PSDB e se trará dividendos eleitorais importantes, em particular para quem se caracteriza por gestões eficientes, por que não assumir o compromisso de duplicá-lo? Há uma única razão para não fazê-lo: uma visão de mundo, uma ideologia que rechace o bolsa. Uma ideologia que, nesse caso, é oposta à ideologia do pragmatismo.

    (Valor, 27/11/2009)

    Espero realmente que o vampiro e o PSDB percam até o caminho de casa no final do mês!!

  22. Vou começar com esta coisa dos e-mails. Parece que os dois lados estão utilizando a corrente de e-mails para difamar o adversário. Até agora só recebi os que tentam queimar a Dilma, pelo menos dois por dia. Tem uma coisa organizada para cometer estas maluquices, postei recentemente sobre o apoio da Tradição, Família e Propriedade no Então Sebastião, através da utilização da internet para difamar a Dilma. Os argumentos, de maneira geral são toscos, misturando fatos a invencionices, como esse sobre o bolsa família.
    A assistência social é uma das funções do governo, estabelecida constitucionalmente na seguridade social, e deve garantir aqueles que se encontram em situação de risco social. Não vejo como defender que uma família com renda per capita menor que 1/4 do salário mínimo não esteja em risco.
    Para alguns isto ocorre porque culpa da própria família, que não estudou o suficiente ou não trabalha o suficiente. Para outros, como eu, não se trata de questão individual, mas sim um problema relativo às condições do país, logo, questão social. Para os primeiros o Bolsa Família é um erro, pois beneficia o preguiçoso e ignorante que não aproveitou as possibilidades que existem para enriquecer e os estimula ao ócio. Para os segundos é uma medida justa que garante uma vida mais digna e direitos basícos de todo ser humano à quem vive em um país com uma das maiores concentrações de renda do mundo.
    Certa vez uma aluna argumentou que a pessoa, recebendo bolsa família, não ia querer trabalhar. O BF aglutinou os outros auxílios do governo,como bolsa escola e auxílio gás, chegando ao teto de 200 reais para pessoa com 3 filhos ou mais. Perguntei se a aluna aceitava uma aposta, ela saía de casa para vivercom este dinheiro, sem aceitar mais nada dado por sua família, tendo que viver com este dinheiro. Ficou claro para ela que só com o BF ela não conseguiria ficar. Deixar de trabalhar para viver somente com a bolsa não é viável para uma pessoa com 3 filhos. Há, sim, uma crítica pertinente, levantada na revista Le Monde Diplomatique de uns 3 meses atrás, sobre o bolsa família não estimular o trabalho com carteira assinada, pois esta poderia provar que muitas pessoas ultrapassam o limite estabelecido para merecer a ajuda.
    Sobre não haver um plano de saída, bom, na verdade tem. Basta fazer com as pessoas não se enquadrem mais nas características que possibilitam concorrer ao bolsa família. Ou seja, melhorar a distribuição de renda, sem que isto exclua a proteção a quem continue precisando. As duas coisas tem que conviver.
    Para dúvidas sobre o valor da bolsa veja http://www.mds.gov.br/bolsafamilia Fica claro a obviedade que alguém que recebece os supostos auxílios chegando a 800 reais por exemplo, ia ter mais dificuldade para se enquadrar no BF.
    Para obrigãções do Estado a respeito da assistência veja http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm

  23. Bem gente, lendo esse e-mail discordo do exagero nos valores citados em relação ao Bolsa Família, não sou contra ao assistencialismo a classe mais humilde…mas bem que o governo deveria dá mais assistencia a quem trabalha e estuda… no meu ponto de vista, a diferença que existe entre um trabalhor que vive de um salário mínimo e de um beneficiado desses programas é que, o primeiro colhe frutos do seu trabalho, e o segundo colhe os frutos dos nossos impostos…e a vida financeira é sofrida do mesmo jeito. Acho que o governo deve investir em programas empregatícios, cursos técnicos e assistencia a saúde e educação, esse programas deveriam existir para quem de modo algum não pode trabalhar ou em situações delicadas que pode acontecer com qualquer um de nós.

  24. Concordo em gênero, número e grau com tudo que Philipe disse.
    E mais ainda: Lula devia é dar um salário família equivalente ao mínimo, isso sim. Pois dinheiro o governo tem a rodo! O mesmo valor que pagou de bolsa família em um ano ele deu de mão beijada para alguns bancos não quebrarem, em um minuto.
    E outra, será que Lula não sabia do mensalão e daquela roubalheira toda?
    A Dilma também é miope e boba que não viu sua secretária & quadrilha loteando as licitações do governo a 10% de comissão?
    E os 150 milhões pagos de hora extra inexistente no Congresso?
    Esse governo como um todo está muito mal contado.
    Maaaas como Serra “urbanizou” de mentirinha favelas que toda semana pegam fogo e inventou um tal médico da família que ninguém nunca viu nem em sonho, e um programa de distribuição de remédios que também nunca ninguém viu – vou votar no Pt mesmo para não trocar o certo pelo duvidoso. Desculpe a verborragia, é que esse assunto me emociona. Muita cara de pau…

  25. Definitivamente o Bolsa Família acumula muito mais benefícios que 200 reais, que entram nele próprio pela teoria ou por “benefícios externos”. No Tatuquara, no Paraná, meninas têm engravidado seguidas vezes consoladas e incentivadas pela Bolsa Família. E uma das dificuldades mais frustrantes no mercado brasileiro hoje é a falta do profissional de mão-de-obra: manicure, atendente, cozinheira, assistente de pedreiro, etc. Já se tem pago 100% do lucro a esses profissionais, porque eles têm preferido trabalhar 5 meses pra depois passar 6 meses sem trabalhar e ganhando a mesma coisa com o seguro desemprego.

    Como eu disse, o nome disso é assistencialismo e ele é evidentemente um erro. Um erro que costuma ser justificado pela compensação avessa na tão querida distribuição de renda, mas obviamente um erro porque deixa o mercado estagnado, as pessoas despreparadas e a economia prejudicada. Fora o efeito moral de formar vagabundos. É sintoma da centralização de tudo no Estado, política do PT.

    1. Bom Leonardo, não é muito difícil char a lei que intitui a bolsa família, assim como a que o regulamenta. Como você sabe ler, pode aproveitar esta habilidade para entender melhor o funcionamento da bolsa. Caso você encontre outras bolsas que possas somar-se a esta, poste aqui as provas, para não ficarmos na coisa chata do “eu acho”.

      1. 200 reais de Bolsa Família mais “Bolsa Escola”, “Auxílio Gás”, “Cartão Alimentação” e Seguro Desemprego de 6 meses pra quem trabalhou 5 meses. Nome disso: assistencialismo, e o reflexo é muito óbvio pra quem pode conferi-lo na prática.

  26. Cara, vota no serra vai, pra vc ver que “delícia de país” vai ter. Elejam o serra, vcs que tem saudades da “época dourada” 1994-2002, belos tempos hein ? pfff, fala sério.

Deixe um comentário para Paulo Filho Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.