fbpx

Curiosidades

Como se libertar das limitações do tempo e do espaço, segundo a CIA

A técnica "Gateway Experience" da CIA buscava alterar a consciência e, por fim, transcender o espaço-tempo. Seria possível?

Escrito por Philipe Kling David · 16 Minutos de leitura >

Este é um daqueles posts muito loucos que faz todos os seus amigos te olharem de soslaio numa mesa de bar.

Como qualquer pessoa minimamente instruída sabe, durante a Guerra Fria, as superpotências disputaram a hegemonia em diferentes campos, do bélico com explosões nucleares, até a corrida espacial, e isso também ocorreu na fronteira do desconhecido. Pesquisas envolvendo UFOS, paranormalidade, telecinese, comunicação com espíritos, abertura de portais, campos de energia psicotrônica, influência mental, psicometria, etc… O Céu foi o limite para a corrida entre a CIA e a KGB no que concerne a descobrir feitos que poderiam colocar a potência em vantagem em relação a outra.

É nesse contexto do vale-tudo que emergiu um documento que colocou o mundo a par de investigações da agência de espionagem sobre a possibilidade de uma “libertação do tempo e espaço”  no melhor sentido do “acordar” da Matrix.

A técnica “Gateway Experience” buscava alterar a consciência e, por fim, transcender o espaço-tempo. Seria possível?

Um Relatório Secreto da CIA de 1983 contém informações sobre a Técnica de “Experiência de Gateway”, que seria um sistema de treinamento projetado para concentrar a produção de ondas cerebrais afim de alterar a consciência e, por fim, escapar das restrições de tempo e espaço, ou seja, sair da Matrix.

Como eu disse, naquela época, a CIA estava interessada em todos os tipos de pesquisa psíquica, incluindo a teoria e as aplicações da observação remota, que foi uma das investigações mais famosas – por ser bem sucedida – Que é quando alguém vê eventos reais usando apenas o poder de sua mente. Esses documentos foram desclassificados e estão disponíveis para visualização hoje.

Abaixo está um trecho abrangente do relatório The Gateway Process.

A seção 1 é uma cronologia dos principais eventos históricos que levaram à investigação da CIA e aos experimentos subsequentes. A seção 2 nos fornece uma visão geral do relatório do processo de “gateway”. Ele abre com uma parede de contexto teórico, do outro lado da qual há informações suficientes para começar a entender os princípios por trás do treinamento Gateway Experience. A última seção descreve a própria técnica do Gateway e as etapas necessárias para alcançar a transcendência do espaço-tempo.

 

O início das pesquisas

Década de 1950 – Robert Monroe, chefe da rede de transmissão, começa a fornecer evidências de que certos padrões de som têm um efeito marcante na condição humana. Isso inclui estado de alerta, sonolência e estados expandidos de consciência.

1956 – Monroe estabelece a P&D em sua empresa de produção de rádio, RAM Enterprises. O objetivo é estudar o efeito do som na consciência humana. Ele era obcecado pelo “aprendizado do sono” ou hipnopaedia, em que pessoas dormindo ouviam gravações sonoras para melhorar a memorização das informações previamente aprendidas.

Em 1958, fazendo experiências com o aprendizado do sono, Monroe descobriu um fenômeno incomum. Ele o descreveu como “uma sensação de paralisia e vibração, acompanhada por uma luz brilhante”. Diz-se que isso aconteceu 9 vezes nas 6 semanas seguintes e culminou em uma estranha experiência fora do corpo (EFC).

Em 1962 a RAM Enterprises muda-se para a Virgínia e renomeia-se Monroe Industries. A empresa neste momento está trabalhando ativamente na área de radiodifusão, televisão a cabo e, posteriormente, na produção e venda de fitas cassete. Essas fitas contêm lições práticas do programa de pesquisa corporativa, que foi renomeado para Instituto Monroe depois.

Quando chegamos a 1971 a Monroe publica Journey Out of the Body, que popularizou  mundialmente o termo “experiência fora do corpo”.

Em 1972, um relatório confidencial circulou nas forças armadas e na comunidade de inteligência dos Estados Unidos. Esse memorandum afirmava que a União Soviética estava investindo em PES e pesquisas em psicocinese para fins de espionagem. (estava mesmo)

1975 – Monroe registra a primeira de várias patentes de tecnologia de áudio projetada para estimular a função cerebral até que os hemisférios esquerdo e direito estivessem sincronizados. Monroe chama esse estado de “Hemi-Sync” e afirma que pode ser usado para melhorar o bem-estar mental ou para desencadear um estado alterado de consciência.

1978-1984 – O veterano do exército Joseph McMonigle participa de 450 missões de observação remota como parte do Projeto Stargate.

9 de junho de 1983 – O relatório da CIA “Análise e Avaliação do Processo de Gateway” é preparado. Ele fornece uma base científica para a compreensão e expansão da consciência humana, experimentação fora do corpo e outros estados alterados da mente.

1989 – A observadora remota Angela Dellafiora Ford ajuda a rastrear um ex-agente alfandegário que escapou. Ela indica sua localização como “Lowell, Wyoming”. Agentes dos EUA o detiveram a 100 milhas a oeste de Lovell, Wyoming.

2003 – CIA aprova a desclassificação do relatório The Gateway Process.

Ano de 2017 – A CIA desclassificou 12 milhões de páginas de registros revelando detalhes anteriormente desconhecidos sobre o que viria a se tornar o Projeto Stargate.

RELATÓRIO

O autor de The Gateway Process é o tenente-coronel Wayne M. McDonnell,  tb cahamdo de “Wayne”. Estranhamente, não há muitas informações sobre essa pessoa, nem fotos. Em 1983, Wayne foi encarregado do comandante da força-tarefa do Exército dos Estados Unidos de descobrir como funcionam a Experiência Gateway, a projeção astral e as experiências fora do corpo. Wayne colaborou com muitas pessoas diferentes para preparar o relatório, mais notavelmente Yitzhak Bentov, um cientista israelense-americano que foi pioneiro na indústria de engenharia biomédica.

Método científico

Desde o início do relatório, Wayne declarou sua intenção de usar um método científico objetivo para entender o processo do Gateway. Ele escolheu várias direções científicas:

  • Pesquisa biomédica para compreensão dos aspectos físicos do processo.
  • Informações sobre mecânica quântica para descrever a natureza e o funcionamento da consciência humana.
  • Física teórica para explicar a dimensão espaço-tempo e os meios pelos quais a consciência humana expandida vai além dela.
  • Física clássica, a fim de traduzir todo o fenômeno dos estados fora do corpo para a linguagem das ciências físicas (e remover o estigma do subtexto oculto).
  • Quadro metodológico
  • Antes de mergulhar na Experiência Gateway, Wayne desenvolve um quadro de referência, analisando três metodologias distintas de alteração da mente. Basicamente, ele está dizendo que você não pode passar pelo Portal sem uma base sólida nos métodos de alteração do cérebro que os precederam.

1) Ele começa com hipnose… A linguagem é extremamente complexa, mas o ponto principal é este: o lado esquerdo do cérebro protege os estímulos que chegam, classificando, avaliando e atribuindo significado a tudo por meio do pensamento autocognitivo, verbal e linear. O hemisfério esquerdo então transmite os dados cuidadosamente preparados para o hemisfério direito não crítico, holístico e orientado para o padrão, que aceita tudo sem questionar. A hipnose funciona colocando o lado esquerdo para dormir ou, pelo menos, distraindo-o por tempo suficiente para que os dados que chegam fluam livremente para o hemisfério direito. Lá, os estímulos podem atingir os sensores e o córtex motor do hemisfério direito, que correspondem a pontos do corpo. As sugestões podem enviar sinais elétricos do cérebro para partes específicas do corpo. De acordo com o relatório, direcionar esses sinais na direção certa pode desencadear reações que variam de dormência na perna esquerda a sentimentos de felicidade. O mesmo ocorre com o aumento da capacidade de concentração.

2) Wayne continua a criar uma imagem da meditação transcendental(TM). Ele o distingue da hipnose. Por meio da concentração, o sujeito puxa energia pela medula espinhal, fazendo com que as ondas acústicas viajem pelos ventrículos cerebrais até o hemisfério direito, onde estimulam o córtex cerebral, viajam ao longo do homúnculo e, em seguida, entram no corpo. As ondas representam um ritmo alterado dos sons cardíacos que criam vibrações simpáticas nas paredes das cavidades cheias de líquido dos ventrículos do cérebro. Ele percebeu que os sintomas começaram no lado esquerdo do corpo, confirmando o envolvimento do hemisfério direito. Bentov também argumenta que o mesmo efeito pode ser alcançado com a exposição prolongada a vibrações acústicas de 4-7 Hz / s. Ele sugere que tal truque também é possível.

3) Por outro lado, biofeedback usa o hemisfério esquerdo para obter acesso ao córtex cerebral, motor e sensorial inferior do hemisfério direito do cérebro. Enquanto a hipnose suprime um lado do cérebro e a MT desvia totalmente desse lado, o biofeedback ensina o hemisfério esquerdo a visualizar o resultado desejado, reconhecer os sentimentos associados ao acesso ao hemisfério direito e, por fim, fazer as coisas de novo. Por meio da repetição, o hemisfério esquerdo pode conectar-se com segurança ao hemisfério direito e fortalecer as vias para que possa ser acessado em um modo de demanda consciente. Um termômetro digital é então colocado na parte do corpo alvo. Quando sua temperatura sobe, uma declaração objetiva é reconhecida e o estado é fortalecido. Usar o biofeedback pode bloquear a dor, de acordo com o relatório.

Mecânica do portal

Com isso, Wayne desfere o primeiro golpe no processo de Gateway. Ele o classifica como:

“um sistema de treinamento projetado para aumentar a força, o foco e a consistência na amplitude e frequência da emissão das ondas cerebrais entre os hemisférios esquerdo e direito para alterar a consciência”.

O que separa o processo de Portal da hipnose, MT e biofeedback é que ele requer atingir um estado de consciência no qual os padrões elétricos do cérebro de ambos os hemisférios são iguais em amplitude e frequência. É chamado de Hemi-Sync. Infelizmente, e talvez felizmente, nós, humanos, não podemos atingir esse estado por conta própria. As técnicas de áudio desenvolvidas por Bob Monroe e seu Instituto (consistindo em uma série de fitas) afirmam acionar e manter o Hemi-Sync.

É aqui que o documento passa a usar citações e outros relatórios para descrever as capacidades do Hemi-Sync. Wayne usa a analogia de uma lâmpada e um laser. Abandonada a si mesma, a mente humana gasta energia como uma lâmpada, caótica e incoerentemente, alcançando uma grande dispersão, mas em profundidade relativamente rasa. No entanto, no Hemi-Sync, a mente poderia produzir um “fluxo disciplinado de luz”. Portanto, uma vez que a frequência e a amplitude do cérebro são combinadas, ela pode se sincronizar com os níveis de energia rarefeita do universo. Quando essa conexão não é quebrada, o cérebro começa a perceber símbolos e mostrar flashes surpreendentes de intuição holística.

O método Hemi-Sync usa uma Resposta de Frequência Seguinte (FFR). Funciona assim: uma frequência externa que emula uma reconhecível faz com que o cérebro a imite. Assim, se o sujeito ouvir a frequência no nível teta, ele fará a transição do nível beta para o estado de repouso. Para atingir esses níveis não naturais, o Hemi-Sync coloca uma frequência no ouvido esquerdo e uma frequência de contraste no ouvido direito. O cérebro então sente a frequência delta, também conhecida como frequência de batimento. Hoje em dia, é mais comumente referido como música binaural. Com FFR firmemente estabelecido e fenômenos de frequência de batida, o Processo de Gateway introduz uma série de frequências em níveis subconscientes sutis que são sutis. Quando o hemisfério esquerdo do cérebro está relaxado e o corpo está em um estado de sono virtual, as condições são ideais para estimular as saídas das ondas cerebrais de amplitude e frequência cada vez maiores. Junto com as sugestões subconscientes de Bob Monroe (naturalmente), o sujeito poderia mudar sua consciência.

O sistema Gateway só funciona quando o som transmitido pelos fones de ouvido é acompanhado por um silêncio físico comparável a outras formas de meditação. Isso aumenta a ressonância interna da pessoa com as frequências sonoras do corpo, como o coração. Isso elimina o “eco de bifurcação”, no qual o batimento cardíaco sobe e desce no corpo 7 vezes por segundo. Ao colocar o corpo em um estado de sono, as gravações de áudio do The Gateway Tapes, como a meditação, reduzem a força e a frequência dos batimentos cardíacos que levam o sangue para a aorta. O resultado é uma sinusóide rítmica, que, por sua vez, aumenta o volume do som cardíaco em 3 vezes. Isso, então, aumenta a frequência de saída das ondas cerebrais. A película que envolve o cérebro – a dura-máter – e o fluido entre essa película e o crânio eventualmente começam a se mover para cima e para baixo de 0,005 a 0,010 milímetros.

O corpo, baseado em seus próprios micromovimentos, funciona então como um sistema oscilatório sintonizado. O relatório afirma que o corpo inteiro, em última análise, transmite energia a uma frequência de 6,8 a 7,5 Hz, que corresponde à própria energia da Terra (7 a 7,5 Hz). Com isso, o comprimento de onda é grande, cerca de 40 mil quilômetros, o que também corresponde à circunferência do planeta. De acordo com Bentov, um sinal pode viajar ao redor do campo eletrostático do mundo em 1/7 de segundo.

Em resumo, o processo de criação de um Gateway é o seguinte:

  1. Estado de repouso induzido
  2. Diminuição da pressão arterial.
  3. O sistema circulatório, esqueleto e outros sistemas orgânicos começam a vibrar a uma taxa de 7 a 7,5 ciclos por segundo.
  4. Alcançada a maior ressonância
  5. As ondas sonoras resultantes correspondem ao campo eletrostático da Terra
  6. O corpo, a Terra e outras mentes em sintonia semelhante tornam-se um continuum energético.
  7. É aprofundando o nível psicoquântico

Wayne então se volta para a própria natureza da matéria e energia. Em um plano mais material (ou, se você preferir, em um nível menos), a matéria sólida no sentido estrito deste termonão existe. A estrutura atômica consiste em grades vibratórias de energia rodeadas por outras grades vibratórias de energia. Essas velocidades de vibração são diferentes: o núcleo de um átomo vibra a uma velocidade de 10 à potência de 22, uma molécula vibra de 10 a uma potência de 9, uma célula humana vibra de 10 a uma potência de 3. O fato é que o Universo inteiro é um sistema complexo de campos de energia. Assim, os estados da matéria neste conceito são simplesmente variações de seu estado de energia.

O resultado de todas essas energias em movimento refletindo na energia do repouso projeta um modo 3D – um padrão chamado holograma, também conhecido como nossa realidade conforme a experienciamos. É melhor pensar nisso como uma fotografia 3D. Basta dizer que o holograma que vemos é incrivelmente bom em representar e registrar todas as diferentes energias que surgem em torno da criação da matéria.

Assim, a consciência pode ser pensada como um sistema de grade tridimensional sobreposto a todos os padrões de energia, escreve Wayne. Usando matemática, cada plano do sistema de grade pode então transformar os dados em uma forma 2D. Nossa mente binária (vai / não vai) pode então processar os dados e compará-los com outros dados históricos armazenados em nossa memória. Então, nossa realidade é moldada por comparações. O hemisfério direito do cérebro atua como a matriz primária ou receptor para essa entrada holográfica. O hemisfério esquerdo então o compara com outros dados, convertendo-o em uma forma 2D.

Coerente com nosso tipo de adesão à exclusividade, até onde sabemos, os humanos são os únicos capazes de atingir esse nível de consciência. Não apenas a humanidade sabe, mas também sabemos o que sabemos. Isso nos permite duplicar aspectos de nosso próprio holograma, projetá-los, perceber essa projeção, desenhá-la por comparação com nossa própria memória do holograma, medir diferenças usando geometria tridimensional e, em seguida, passá-lo através de nosso sistema binário para obter conhecimento verbal de nós mesmos.

Fase de clique

Wayne então afirma: “Até este ponto, nossa discussão sobre o processo do Gateway foi relativamente direta. Agora começa a diversão. ”

Como podemos usar o Portal para ir além da dimensão do espaço-tempo?

O tempo é uma medida de energia ou força em movimento; é uma medida de mudança. Isso é muito importante. Para que a energia seja classificada como móvel, ela deve estar contida em um padrão vibracional que pode restringir seu movimento enquanto a mantém estacionária. A energia que não está contida dessa forma não tem limites e se move sem limitações e dimensões até o infinito. Isso exclui energia ilimitada da dimensão do tempo, porque não tem taxa de mudança. A energia no infinito, também chamada de “estado absoluto”, está completamente em repouso porque nada a acelera ou diminui – de novo, nenhuma mudança. Portanto, não afeta nosso holograma, nossa experiência física. Não podemos perceber isso.

Agora vamos voltar às frequências. A oscilação das ondas ocorre devido ao fato de que a onda salta entre dois pontos sólidos de repouso. É como jogar batata quente eletromagnética (as batatas são a onda e as mãos dos participantes são os limites da onda). Sem essas restrições, não haveria hesitação. Quando uma onda atinge um desses pontos de repouso, mesmo que por um momento muito curto, ela “estala” fora do espaço-tempo e se junta ao infinito. Para que isso aconteça, a velocidade das oscilações deve cair significativamente. Por um momento, a onda entra em um novo mundo. A batata simplesmente desaparece em uma dimensão que não podemos perceber.

Em teoria, se a forma de onda da consciência humana atingir uma frequência suficientemente alta, os “cliques” podem alcançar a continuidade. Em outras palavras, se a frequência da consciência humana pode cair significativamente, embora esteja acima do estado de repouso completo, ela pode ir além do espaço-tempo. O Gateway Experience e sua técnica Hemi-Sync associada são projetados para atingir esse estado e estabelecer um padrão consistente de percepção nas dimensões recém-realizadas.

Em teoria, podemos conseguir isso a qualquer momento. No entanto, todo o processo é auxiliado pela separação da consciência do nosso corpo. Isso se assemelha a uma fuga existencial, quando o clique da consciência, já separada de seu corpo, começa muito mais perto de outras dimensões e tem mais tempo para dialogar com elas.

“O universo também está nos hologramas”, escreve Wayne. Esse super holograma é chamado de “toro” porque assume a forma de uma espiral fechada e massiva.

Esse padrão do universo reflete claramente o padrão dos elétrons ao redor do núcleo de um átomo. As galáxias ao norte estão se afastando de nós mais rápido do que as galáxias ao sul; as galáxias a leste e oeste estão mais distantes. A energia que produziu a matéria que constitui o universo que desfrutamos atualmente acabará por se transformar em si mesma. Sua trajetória é ovóide, também conhecida como ovo cósmico. Quando ele rola para trás, ele entra no buraco negro, passa através do núcleo de energia densamente compactado, em seguida, cospe para fora do outro lado de um potencial “buraco branco” e começa o processo novamente.

Um holograma de todo o Universo – um toro – representa todas as fases do tempo: passado, presente e futuro. A conclusão é que a consciência humana, colocada em um estado suficientemente alterado (focalizado), pode receber informações sobre o passado, o presente e o futuro, uma vez que todos vivem simultaneamente em um holograma universal. Wayne acredita que nossa consciência abrangente, em última análise, participa de um contínuo infinito onisciente. Muito tempo depois de deixarmos a dimensão espaço-tempo e o holograma, que cada um de nós percebe, desaparece, nossa consciência continua a existir.  Pode ser reconfortante e parece estar de acordo com as experiências e investigações relacionadas as EQM (experiências de quase-morte) .

E é nesse contexto que a Gateway Experience está.

TÉCNICA

A seguir está um resumo das principais etapas para atingir os níveis de foco necessários para transcender a dimensão espaço-tempo. Este é um processo complexo e demorado e é melhor executado em condições controladas. Se você está com pressa, obviamente pode procurar pelas gravações de áudio do  tal Instituto Monroe para chegar lá.

Bloco de conversão de energia: o processo de gateway começa ensinando o sujeito a isolar quaisquer problemas estranhos por meio de um processo de visualização denominado “bloco de conversão de energia”.

Zumbido ressonante: Uma pessoa é apresentada a um zumbido ressonante. Ao pronunciar um único som longo junto com o refrão nas gravações, a mente e o corpo atingem um estado de ressonância. Vemos muito isso em ação com lamas no Tibete na pratica da meditação.

Portal de confirmação: o participante é apresentado a algo próximo a um “mantra” chamado Portal de confirmação . Ele deve repetir para si mesmo versões das palavras: “Eu sou apenas um corpo físico e desejo profundamente expandir minha consciência.”

Hemi-Sync: A pessoa é finalmente exposta às frequências de som Hemi-Sync e encorajada a desenvolver um relacionamento com os sentimentos que surgem.

Ruído adicional: técnicas de relaxamento físico são praticadas enquanto as frequências Hemi-Sync são expandidas incorporando ruído “rosa e branco”. Isso coloca o corpo em um estado de sono virtual, acalmando o hemisfério esquerdo e aumentando o estado de alerta do hemisfério direito.

Bola de energia: a pessoa é então solicitada a visualizar a criação de uma “bola de energia”, começando no topo da cabeça, estendendo-se em todas as direções até os pés e depois subindo novamente. Existem várias razões para isso, a principal é que esta bola fornecerá proteção contra entidades conscientes com níveis de energia mais baixos que ele ou ela pode encontrar enquanto estiver fora do corpo.

Foco 12: O praticante pode continuamente alcançar consciência expandida suficiente para começar a interagir com dimensões fora de sua realidade física. Alcançar esse estado requer um esforço consciente e mais “ruído rosa e branco” do fluxo de som.

Instrumentos: Depois de atingir o Foco 12, o sujeito pode usar uma série de instrumentos para obter feedback de dimensões alternativas.

Resolução de problemas: uma pessoa identifica problemas fundamentais, preenche sua consciência expandida com eles e, em seguida, os projeta no universo. Isso pode incluir dificuldades pessoais, bem como problemas técnicos ou mesmo práticos.

Padronização: a consciência é usada para atingir os objetivos desejados no reino físico, emocional ou intelectual.

Respiração colorida: um método de cura que revitaliza os fluxos de energia do corpo por meio da apresentação particularmente vívida de cores.

Ferramenta de barra de energia: este método envolve imaginar um ponto de luz pequeno e intensamente pulsante que está sendo carregado pelo participante. Ele então usa um cilindro de energia vibrante e cintilante (previamente observado como um ponto) para canalizar as forças do universo para curar e revitalizar o corpo.

Observação remota: um método de acompanhamento da ferramenta Barra de energia, em que um ponto se transforma em um vórtice giratório através do qual uma pessoa envia sua imaginação em busca de ideias brilhantes.

Mapa do corpo vivo: um uso mais organizado da faixa de energia, na qual fluxos de cores diferentes fluem de um ponto para os sistemas do corpo da cor correspondente.

De acordo com o relatório, após completar 7 dias desse estranho treinamento, aproximadamente 5% dos participantes poderão passar para o próximo nível.

Foco 15 – A viagem ao Passado: O som extra nas fitas Hemi-Sync inclui o mesmo, bem como algumas sugestões subconscientes para uma maior expansão da consciência. As instruções são muito simbólicas: o tempo é uma enorme roda em que diferentes raios abrem o acesso ao passado do participante.

Foco 21 – O Futuro: Este é o último e mais avançado estado. Como o Focus 15, mas ele é um movimento do espaço-tempo para o futuro.

Movimento fora do corpo: de muitos cassetes, apenas um trata do movimento fora do corpo. Esta postagem se concentra em facilitar o estado fora do corpo, quando as estruturas das ondas cerebrais e os níveis de energia do participante estão em harmonia com o ambiente eletromagnético circundante. De acordo com Bob Monroe, o participante deve ser exposto a sinais beta a uma taxa de cerca de 2.877,3 ciclos por segundo para induzir isso.

CONCLUSÕES

Wayne expressa preocupação com a veracidade das informações coletadas de estados fora do corpo usando a técnica de Experiência de Portal. A sua aplicação prática é especialmente preocupante pela possibilidade de “distorcer a informação”.

O Instituto Monroe também enfrentou muitos problemas quando sugeriu que as pessoas viajassem do Oeste para a Costa Leste dos Estados Unidos para ler uma série de números na tela de um computador. Eles nunca os compreenderam exatamente. Wayne explica isso pelo problema de distinguir entre entidades físicas e dimensões fora do tempo e do espaço, quando estão fora do corpo.

No entanto, Wayne voltou ao modo de suporte, confirmando a base física do relatório. Ele cita vários sistemas de crenças que levaram a resultados idênticos. Isso inclui o Tsal tibetano, o céu hindu de Indra, a filosofia mística judaica e o conceito cristão da Trindade. Aqui, ele parece estar mais interessado em se aprofundar nos fundamentos teóricos que tornam o The Gateway Experience possível, ao invés das possibilidades práticas prometidas pelas gravações de áudio do The Gateway Tapes.

Talvez se referindo ao seu principal público da CIA, Wayne aponta então para The Gateway Experience como um caminho mais rápido, mais eficiente e energeticamente eficiente para expandir a consciência.

A CIA termina com uma série de recomendações sobre como usar os recursos do Portal para fins de defesa nacional. Uma das recomendações que achei mais interessantes é que essa técnica tem potencial para ser um ponto de interface na comunicação de interação com FORMAS DE VIDA INTELIGENTES  E NÃO CORPÓREAS de outros estados da matéria

É uma curiosidade bem interessante, sem dúvidas, mas será que ele foi efetivo? Eu não sei dizer. Incrível como parece antigo ainda se alinha com o conhecimento antigo e contemporâneo. A resposta para a vida e a existência talvez esteja  aí – somos nós.

Se você gostou deste post, por favor, considere apoiar meu site ou apenas gastar tempo lendo mais coisas e compartilhando!

 

 

Escrito por Philipe Kling David
Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar. Saiba mais... Profile

Foto Gump do dia: A Cauda da baleia

em Curiosidades, foto gump do dia, incrível
  ·   16 segundos de leitura

Novas reações nucleares estão ocorrendo em Chernobyl

em Curiosidades
  ·   2 Minutos de leitura

2 respostas para “Como se libertar das limitações do tempo e do espaço, segundo a CIA”

  1. Já compartilhei. Essas fitas existem pra comprar?Seria interessante tentar pelo menos a experiência fora do corpo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.