A refeição tão cruel que muitos chefs se recusam a servi-la

Eles comem o peixe ainda se mexendo. Cruel e nojento?

A culinária humana evoluiu drasticamente ao redor do mundo, assumindo diversas formas e usando ingredientes exóticos. As culturas desenvolveram seus pratos únicos, que podem não parecer tão atraentes para aqueles que não são da região. Refeições como haggis, khash e tripa podem parecer deliciosas para alguns e desagradáveis ​​para outros. No entanto, surgem dúvidas quando o prato é realmente bizarro, como o rango feito com um peixe chamado Yin Yang.

Este prato se tornou popular na Internet por todos os motivos errados e está chamando a atenção não apenas de gastrônomos, mas também de grupos de direitos dos animais . Mas o que é a refeição de peixe yin yang e o que a torna tão controversa? Vou te contar agora!

Peixe yin yang é um prato bizarro que está sendo criticado nas redes sociais.
Nesse prato o  peixe está vivo. Você come o animal com ele ainda se contraindo e aparentemente, morrendo bem na sua frente. Cruel demais. 

O prato é originário da província de Sichuan, na China , e foi introduzido em Taiwan por um restaurateur na cidade de Chiayi. Relatos sugerem que ele remonta a 30 anos para os restaurantes especializados em peixes no Condado de Taoyuan, na província de Hunan.

A tara desses caras é achar que precisam comer o peixe o mais fresco possível, e nada pode ser mais fresco que comer o bicho ali, se debatendo no seu prato em terrível agonia.

O prato de peixe yin yang também é conhecido como “peixe vivo e morto” por causa de sua característica marcante. Ele envolve cozinhar um peixe de forma que pareça estar vivo quando trazido à mesa.

Eles usam carpa para este prato. A preparação envolve descalcificar o peixe para tornar a carne mais acessível. Ao envolver a cabeça do peixe em uma toalha molhada, o chef evita que ele cozinhe. O peixe é então mergulhado em óleo quente para usar o método de fritura rápida para cozinhar a carne. Este método também garante que a cabeça e os olhos não sejam cozidos, dando-lhes uma aparência fresca.

Os chefs são fortemente contra servir o prato de peixe yin yang em seus estabelecimentos, e os internautas rotularam o prato como cruel.

Chefs na China se recusam a servir o Yin Yang aos clientes.

Depois de frito, o peixe recebe uma generosa cobertura de um molho agridoce. Quando servido, a equipe faz um show para o cliente, pingando um pouco de vinho na boca aberta do peixe. Isso faz com que a boca se mova, dando a aparência de que o peixe está vivo. O peixe está morto, mas alguns de seus neurônios ainda estão ativos. Ao despejar álcool na boca, esses neurônios são ativados, levando à contração e ao fechamento da boca. É o mesmo processo que faz as caudas dos lagartos se moverem e se contraírem, mesmo depois de terem sido cortadas do corpo.
Restaurantes no Condado de Taoyuan disseram que seus chefs não estão dispostos a servir o prato de peixe ying yang. Eles não apenas consideram a prática cruel, mas os chefs também dizem que ela pode afastar clientes que acham a exibição desagradável

Os clientes concordam com o sentimento, já que muitos que viram o prato o descreveram como chocante e nojento. Um cliente chegou a pedir ao governo da cidade de Chiayi para proibir o serviço do prato de peixe yin yang. As autoridades da cidade têm o mesmo sentimento e expressaram seu descontentamento em relação a este prato. Ao enfrentar tais críticas, o dono do restaurante de Chiayi supostamente removeu o prato do menu.

Embora a refeição de peixe yin yang seja chocante, há muitos outros pratos que envolvem comer animais de maneiras estranhas!

1- Ikizukuri é o método japonês de comer peixe cru e vivo.

As guelras continuam a se mover quando Ikizukuri é servido aos clientes.

O Japão é famoso pelo sushi, um prato que consiste em peixe cru fresco, arroz e outros condimentos. Mas é possível ter um peixe ainda mais fresco? É aí que entra o ikizukuri. Rotulado como o “prato de peixe mais fresco do mundo”, ele é tipicamente preparado com peixe, mas o menu também se estende a sapos, polvos e crustáceos. Ikizukuri pode ser traduzido aproximadamente como “preparado vivo”, e o nome é muito preciso.

Os peixes são escamados e filetados enquanto ainda estão vivos, e o cliente é servido com o animal de tal maneira que ainda consegue ver as guelras se movendo. Ao contrário do prato de peixe yin yang, o ikizukuri conquistou muito apoio público, com os gourmets alegando que ele é superior ao sushi comum em termos de sabor e frescor.

2- “Camarão bêbado” envolve afogar camarão em grandes quantidades de álcool.

Os camarões são afogados e marinados em um molho à base de álcool.

Assim como o prato de peixe yin yang, o prato de camarão bêbado também vem da China. Ele pode ser encontrado em vários lugares do país. Camarões de água doce vivos são colocados em um molho à base de licor antes de serem consumidos. Quando o prato é servido, os clientes podem ver os camarões nadando e pulando no molho.

Eles podem começar a comer quando todos os camarões pararem de se mover. Outros estilos de cozinhar a refeição envolvem ferver brevemente os camarões antes de mariná-los. O sabor é descrito como rico, levemente salgado e sutilmente doce.

3- San-nakji da Coreia consiste em comer um polvo vivo. 

Mesmo quando fatiados, os tentáculos do polvo continuam a se contorcer. Outro dia morreu um cara por isso, pq o polvo conseguiu manobrar penetrou pela traqueia do cara, entupindo a passagem de ar.

Também conhecido como “polvo se contorcendo”, este prato de animal vivo vem da Coreia e é mais comumente encontrado em Seul. O prato consiste em um polvo bebê que é servido fresco fatiado ou, em alguns casos, comido inteiro! O sabor não é nada de especial e é muito suave, mas as pessoas gostam deste prato devido à textura viscosa e mastigável do polvo. Algumas variações incluem adicionar óleo de gergelim e sementes ou até mesmo pasta de pimenta vermelha para um toque extra.

Este também não é o prato mais inofensivo do mundo. Aproximadamente seis pessoas morrem anualmente por engasgo com san-nakji, pois as ventosas do polvo podem fazer com que ele fique preso na garganta.

4- Casu marzu é o “queijo mais perigoso do mundo”.

As larvas comem o queijo e o resultado cremoso e macio é consumido pelas pessoas. Humm, que dilícia!

Casu marzu vem da ilha italiana da Sardenha. Em 2009, o Guinness World Records o nomeou o queijo “mais perigoso” do mundo devido à sua maneira de preparo. Moscas saltadoras de queijo, Piophila casei , colocam seus ovos nas rachaduras que se formam no queijo e, quando as larvas eclodem, elas começam a comer e a se enterrar no produto, digerindo as proteínas e criando um queijo macio e cremoso.

Para retirar o queijo, é preciso abrir o topo da roda, revelando as larvas se contorcendo lá dentro. Enquanto alguns passam o queijo por uma centrífuga para misturar as larvas em um queijo, outros o comem da maneira natural para sentir as larvinhas passando em sua língua.

Preocupações com a saúde

As pessoas levantaram preocupações com a saúde em relação a isso, pois as larvas podem sobreviver sendo comidas e causar rasgos e perfurações nos intestinos. Por esse motivo, esse queijo é proibido de venda comercial, mas as pessoas ainda o comem na ilha.

5-  Os clientes cobrem a cabeça para esconder seus pecados ao comer a sombria.

O Ortolan Bunting é capturado e alimentado à força para fazer esta refeição. Crédito da imagem: Vietnamnet.vn

Também chamado de “prato do pecado”, esse prato francês se tornou popular entre as elites do norte da Europa. O pássaro canoro ortolan bunting é capturado antes de migrar para a África. Manter as gaiolas dos pássaros cobertas e alimentá-los 24 horas por dia resulta em um aumento substancial de peso.
Depois de afogá-lo e mariná-lo em conhaque Armagnac, ele é depenado e assado por dez minutos. A maneira tradicional de comer o ortolan bunting é em uma mordida para aproveitar os sabores. Dadas as provações pelas quais o pássaro passa para fazer tal prato, fica claro por que as pessoas preferem esconder seus rostos ao consumir esta refeição pecaminosa.

E aí? Qual desses você encararia?

Receba o melhor do nosso conteúdo

Cadastre-se, é GRÁTIS!

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade

Philipe Kling David
Philipe Kling Davidhttps://www.philipekling.com
Artista, escritor, formado em Psicologia e interessado em assuntos estranhos e curiosos.

Artigos similares

Comentários

  1. mas esse polvo da Coreia não é servido vivo, é que ele continua se mexendo mesmo estando morto alguns youtubers que ja fizeram intercambio pra Coreia explicaram isso algumas vezes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimos artigos

Gripado

O dia da minha quase-morte

Palavras têm poder?