A caixa – Parte 11

-Deita, deita! – Eu disse pra ela. Mara tentou em vão me impedir de empurrá-la para baixo, mas as pisadas vinham aumentando e ela finalmente cedeu. Eu fiquei em pé. Não me restava escolha senão proteger Mara da fúria do Mungo, usando meu corpo como escudo. Fiquei parado e esperei o impacto. Dito e feito. […]