Zumbis 3d

Dando continuidade aos trabalhos do curta, estive hoje por aqui aqui pesquisando a solução de usar zumbis virtuais para cenas de multidão. Figuração virtual pura. É a solução de menor custo, mas certamente não a de menos trabalho, já que dá uma ralação danada fazer qualquer merdinha que seja em 3d. Eu tava milênios sem mexer no 3d, e foi quase como aprender a andar depois de passar décadas numa cadeira de rodas.

O teste não ficou lá grandes coisas, já que não usei nem hdri e nem motion tracking. Dessa distancia, não é mesmo grande coisa. A animação aqui é só uma marcação, bem irregular, que nãos serve pra nada além de não fazer um monte de estatua parada nas vagas do meu prédio.

Eu acho que ficou meio falha a integração dos mortos na cena. Talvez seja a falta do Hdri, que irá fazer a luz certa e uniforme na cena. O próximo teste dos zumbis 3d deve ser com o hdri, os defuntos melhor animados e se tudo ajudar, um camera shake.

Não dá pra ver no video do prédio os zumbis direto, mas embora tudo esteja meio preliminar, eu tô achando que eles vão funcionar para cenas mais perto, como complemento aos zumbis filmados no primeiro plano. Acho que em até uns sete metros dá pra usar os bichinhos 3d sem dar muito na pinta. Ainda tenho que preparar muitos zumbis mais. Aqui só tem sete ou oito, mais para ver se daria certo. Não tem nada além de uma malha low poly e uma textura tosca. Nem bump não tem pra não pesar.
Zumbis 3d
Zumbis 3d
Então é isso. O projeto do filme não parou, estamos seguindo em frente.
Aproveitando o ensejo, se alguém aí quiser comprar o zumbi C ou o Zumbi Padre para ajudar no filme, restam poucas unidades.

 

Related Post

15 comentários em “Zumbis 3d”

    • AO eu fiz, mas nessa distância, ficou muito imperceptível. Acho que o problema maior é o gamma. Vi que na janela do render, a imagem sai bem melhor que depois na composição.

    • Se de tempos em tempos eu não colocar nada relacionado ao filme que estou fazendo, os leitores que querem saber como estão andando as coisas nele (a maioria) vão encher a paciência. Em todo caso, neste blog existem mais de 3000 posts. Acho que desses, nem 100 são ligados a zumbis.

  1. …o efeito realista não acontece por falta de movimento e ostracismo estatico, um movimento faria com que se parecesse mais real. Ja que vc possui linhas guias reais, (linhas do estacionamento, muro do predio etc.) basta usa-las como molde 3d pra fazer o video. E pra resolver a iluminação, tire a luz do ambiente, quanto mais escuro menos detalhes ficarão. E o ferro da sacada colocou o angulo de visão como o de uma criança que olha a cena e não a de um adulto que olha pela sacada. Estes detalhes superficiais trazem uma qualidade impar no resultado final, as vezes nem precisa de tanto efeito,  só uma posição mais interessante já resolve.

    • Cara… Isso é um teste preliminar de inclusão de zumbis 3d numa cena real. Enquanto teste, a finalidade dele é só:

      1- Pegar uma cena filmada qualquer e colocar zumbis 3d nela
      2-Ver se eles parecem pessoas maquiadas ou não
      3- Ver se eu consigo integrar uma luz 3d com a luz captada pela câmera.
      4- Qual a menor quantidade de polígonos num zumbi low poly que da pra usar sem ficar tosco

      O que eu não estou verificando neste teste:
      1-Habilidades de animação
      2-Modelagem sofisticada
      3-Física
      4-Correção de cor
      5- Camera shake/ tracking
      6-Som/audio/trilha
      7-compressão
      8-Partículas
      9-Elementos ambientais como fog e etc.

      Para essas outras coisas, outros testes virão.

  2. Quanto a interação, o que falta é utilização de leis fisicas (peso, vento, ar, gravidade, distorção luminosa, calor), os personagens estão sem “peso” e não sofrem interferencia do ambiente então é impossivel ver uma ligação entre objeto e espaço. Teria mais detalhes interessantes pra complementar os detalhes realistas, mas por coments do blog é complicado. Boa sorte. Tem tudo pra ficar bom. E lembre-se!!! Não faça nada que outros ja fizeram, inove, crie uma nova visão sobre Zumbis (embora o tema ja esteja destruido por tantas outras marcas ridiculas que não usam a cabeça e só sabem gastar dinheiro) e a interação deles com o mundo. Nem tudo é tecnologia, nem tudo é 3d. Imaginação pode fazer uma produção pequena se tornar celebre (a grande escolha do cineasta, uma obra prima ou uma pipoca, um traz dinheiro ou outro honra). Se precisar de algo estou a disposição.

    • Incrível sua percepção de que personagens estão se peso numa cena em que nenhum deles sai do lugar. Quanto a inovação, acho que você vai detestar isso, mas não tem inovação nenhuma no meu curta. Será o feijão com arroz, puro e simples. Por que? Porque pra quem não sabe cozinhar, o trivial já é complexo o suficiente. Só poderei correr quando eu aprender a andar, e no momento tenho a plena e límpida percepção de que não sei.
      Aliás, preciso de ajuda sim, preciso de alguém pra me ajudar a animar walkcycles de zumbi no biped. Preciso de muitas variações e vai ser um saco de fazer na mão.

      • …não seria um bom motivo pra começar uma nova linha de conhecimento em filmes???

        …no primeiro coment não me referia a qualidade do 3 d e afins, me referia ao modo de filmagem. Vi suas habilidades com 3d a tempos e disso não tenho duvida, mas assim como até filmes grandiosos pecam no quesito “realidade”, exemplo é os traços da Disney que até os mais simples parecem ser “reais” mesmo sendo 2d.

        E por ultimo, uma duvida, qual o publico alvo do seu filme??? 

        Não aconselho pedir ajuda na fase de “criação” dos padrões de movimento dos Zumbis… isso iria requerer um conhecimento de caso muito grande, tirando em grande parte a assinatura do criador. 

        O Maya não facilitaria essa criação ao invés de 3d Max???
        Outro detalhe, com o apelo do seu blog, acho que não faltaria modelos reais para cenas de zumbis. Embora pelo que percebi vc só vai usar o 3d para completar cenas, ou não???

        • Pela ordem das perguntas:
          1- Talvez sim, mas considerando que eu tenho pouca-praticamente-nenhuma experiência cinematográfica nesse nível, é melhor aprender a andar antes de querer correr. Inovação é fundamental, mas para inovar é preciso conhecer onde se está pisando. Além do mais, quem sou eu? Eu não sou ninguém, eu sou só um zé ruela, sul americano. Seria o cúmulo do delírio eu achar que com um curta de zumbi gravado em Niterói eu conseguiria sequer propor alguma novidade nessa área.

          2- Eu penso que a falta de peso em efeitos 3d decorre do fato de que realmente, as coisas lá não tem peso e o senso de peso e etc e tal é algo que tem que ser exaustivamente buscado pela técnica da animação. Nem sempre os caras conseguem, e certamente eu estou entre os que não conseguem. Acho que vai muito da questão da intimidade e da pratica que o cara tem com a técnica. Um cara que anima profissionalmente todo santo dia, tem obrigação de ter um trabalho de animação de qualidade superior ao de um cara que anima alguma coisa uma vez por ano. No meu caso, eu animo alguma coisa no 3d a cada cinco anos ou mais (porque virei blogueiro e esta bosta aqui consome sua vida igual o 3d), então dá pra imaginar o quão enferrujado eu estou nesse negócio.
          3- Público alvo? Filme que tem publico alvo é quem almeja ganhar dinheiro, no meu caso não tem publico alvo. Eu vou fazer o curta para me divertir, para preparar a continuação do conto do zumbi, para aprender como que faz esse lance de cinema digital. Não tem um alvo, quem ver viu, quem gostar gostou quem detestar, detestou… Eu vejo este filme mais como uma coisa experimental, não no campo cinematografico, mas no campo da blogagem nacional, pois é aí que ele é inovador, e é este o campo que me interessa. Como não tive financiamento publico ou qualquer coisa do tipo, estou bancando tudo com meu trabalho e com a ajuda dos meus amigos, nós podemos “chutar o pau da barraca” a qualquer momento. Se der na veneta eu nem faço o curta. Então, nesse esquema tão solto que ficou, não dá pra escolher um publico-alvo, ou até talvez dê e eu seja incompetente para ver isso.

          4- Maya e 3dsmax, Blender, XSI, são tudo a mesma coisa. Tudo farinha do mesmo saco. Claro que num você faz uma coisa mais fácil que em outro, e coisa e tal.Cada programa tem suas vantagens e desvantagens. Mas a escolha do software é menos importante que a habilidade do cara em usá-lo. E eu acho que sou mais íntimo do 3dsmax, que uso desde que era no DOS… No Maya, que praticamente nunca usei, a curva de aprendizado seria muito longa, eu não teria saco. Não quero estudar o 3d. Eu quero só resolver um problema em duas ou três cenas, e pra isso acho que até o poser serviria… (Tô zoando. O poser não serve não)

          5- Cara eu concordaria com a ideia de que chamar outro animador pra me ajudar tiraria a “assinatura” do criador se fosse uma cena com um personagem só, já consagrado. Mas no caso, o que eu vou ter são uns 500 mortos vivos, lá no fundo, cambaleando uns por cima dos outros. Até plugin de crowd que faz gente automatizada já ajudaria pra isso. Aliás, o que eu menos quero é uma assinatura ou particularidade estética ou estilística na animação dos zumbis. Se eu conseguir resolver com motion capture, será o melhor, o mais realista que der já tá bom. Provavelmente, até um maxscript de mortos vivos randômicos já resolveria o meu problema (inclusive esta é uma das minhas opções, já que tenho amigos que sabem bem o maxscript).

          6- Não faltam, cara. Na verdade, o que acontece é que essa cena aí se passa na Av. Rio Branco, que é muito movimentada. Não tenho cacife para fechar essa rua. E muito menos para pagar, maquiar, controlar, alimentar, e gerenciar 500 figurantes. Minha produção é muito carente de recursos. Tenho que usar o que tenho a mão. Por isso, vou usar figuração 3d para os caras de fundo e pessoas de verdade no primeiro plano. Essas pessoas ainda serão replicadas digitalmente diversas vezes. Então o povo 3d é pro fundão, fundão mesmo. E é por isso que o meu teste de zumbis eu fiz da varanda do prédio, para ver como eles apareceriam na escala de distância que provavelmente surgirão no filme, saca?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares