Video macabro da Deep Web

Compartilhe

Não sei se esse video é mesmo da deep web. Assumo que seja, porque todo mundo diz que é e para falar a verdade mesmo, pouco importa de onde ele provém, desde que seja macabro. Tenho um certo fascínio incontido por certas coisas macabras. Por exemplo, aquele video que todo mundo que vê encontra a Samara em  “O chamado”, muitas pessoas odeiam. Tenho amigos que ja me disseram que tem mais medo daquele minúsculo pedaço de filme do que do próprio fantasma da Samara.

Apesar de respeitar meus amigos que abominam, odeiam e tal, eu realmente gosto de ver essas coisas e quanto mais bizarro, mais surrealista, mais eu admiro a mente perturbada que cria essas coisas. Imagino que este deu bastante trabalho. Não sei quem foi que o fez, mas gostaria de parabenizar este criador anônimo.

Aqui está o video.

Se você esta curioso sobre deep web, aqui tem um post falando da parada e suas lendas.
Se você também curte videos mórbidos, não perca esses outros aí:

Obedece a la morsa
Suicide Mickey
Mereana mordegard glesgorv
Video exorcismo
Elisa Lam

Artigos relacionados

52 comentários em “Video macabro da Deep Web”

  1. Sei lá, acho que a Deep Web não passa de uma lenda, ou seja, tudo que é bizarro e perturbador vem de lá ou falam que vem de lá. Então, a única coisa que me perturbou mesmo e que me deixou meio pensativo foi uma matéria sobre, a história das “Bonecas Sexuais Humanas”. A parada é tão louca, que no meu pensar, daria um ótimo filme de terror.

    • Na verdade, a Deep Web depende de até onde vc for.. Tendo em mente que ela funciona em “camadas”, e cada camada tendo um nível de acesso (configurando uma dificuldade maior, informações mais diversas, e as bizarrices idem), se vc estiver logo nos primeiros níveis é pouco provável que vc ache algo realmente perturbador, o negócio pega mesmo quando vc está em níveis mais “profundos”, como uma Mariana’s Web, por exemplo.

      • Gustavo, na verdade o termo “Marianas Web” é lenda…surgiu a partir de uma imagem postala no 4chan ou Reddit (não lembro agora). Até o termo “camadas” quando se refere a Deep é mal interpretado.
        Funciona mais ou menos assim…está tudo dentro da internet. Você navega em uma rede HTTP, onde o teu navegador “decodifica” códigos em ASP, PHP, HTML e etc. Porém a internet não é só essa rede…existem muitos outros pacotes com outras codificações sendo transmitidos. A “Deep Web” que falam utiliza um tipo de protocolo diferente, onde as páginas são “encriptadas” sob códigos onion. Para que seu navegador “entenda” este código, precisa do plug-in do TOR.
        E não existe só ela de “diferente”…existem redes que trafegam arquivos com codificação “css” (closed shell system) por exemplo, que só quem tem o plug-in correto instalado em seu navegador consegue entender o que estes sites dizem.
        O conceito de “camadas” está exatamente ai…existem diversas redes dentro da internet – privadas ou públicas – que para se acessar ou é preciso que o admin dela o ingresse ou um nível de hackeamento avançado para invadi-la. Dependendo do nível de segurança desta rede (exitem redes de universidades e do governo que trafegam dados sigilosos), é atribuído a “uma camada inferior”. Mas todas fazem parte da internet e podem ser acessada a qualquer momento (dependendo do seu nível de conhecimento ou se alguém lhe ingressar lá), atribuindo “camadas” um conceito erroneo. Não é como todos imaginam, como “fase de videogame”, onde vc navega na camada 2, enfrenta o boss, vence e passa para a 3. O correto seria “Deep Web e suas subnets” – levando em conta que “Deep Web” é tudo aquilo que os navegadores comuns não traduzem.

      • Cara, escrevi pra caramba mas meu comentário sumiu…vou tentar escrever de novo.
        O conceito “Marianas Web” é lenda…surgiu de uma imagem que foi compartilhada no 4chan ou Reddit (não lembro agora).
        O proprio conceito de “camadas” da Deep é controverso – não é como todos imaginam, de vc navegar na “camada 2”, enfrentar um boss, vencer e passar para a “camada 3”. Vc pode acessar qualquer rede a qualquer momento – basta ter as credenciais de acesso a elas e o plug-in necessário em seu navegador.
        Funciona mais ou menos assim…na rede mundial chamada internet, existem diversas “subnets” (ou subredes, não sei como lhe é familiar). Nós navegamos somente em uma delas, que utiliza o protocolo HTTP – onde os navegadores “traduzem” códigos ASP, PHP, HTML, etc.
        O conceito “Deep Web” se deve a todas as subnets que não utilizam este mesmo protocolo. Na subnet mais famosa dela, por exemplo, é preciso instalar um plug-in em seu navegador para que ele “traduza” códigos ONION. O nome deste plug-in é TOR (explicação bem básica, ok? Claro que o funcionamento da rede TOR é diferente da habitual, seus sites são dinâmicos, etc…é mais pra explicar e “desmistificar” o conceito de “camadas” e “marianas web”, que são lendas. Se for adentrar a tudo aqui, meu comentário ficaria imenso).
        Porém, além da rede TOR, existem mais uma penca de subnets por aí – a internet é gigantesca. E no meio disso tudo existem redes sigilosas, que utilizam protocolos e plug-ins mais sigilosos ainda, onde universidades, governos e empresas trocam informações que não podem ser “interceptadas” – tendo como destino somente seu destinatário. Para se adentrar a estas redes, é necessário além de um plug-in no navegador, a credencial para acesso a uma VPN.
        Exemplos disso são a Freenet e o CSS (Closed Shell System), que são subnets privadas que é necessário VPN e plug-in em seu navegador para conseguir acessar. Daí vem esse conceito (erroneo) de “camadas” – para acessar uma rede diferente vc precisa de credencial e plug-in, onde para ter acesso (se vc não for convidado) terá que hackeá-la. Existem redes que são extremamente difíceis de se hackear, e daí vem o termo de “marianas web” ou camadas mais profundas. Mas não deixam de ser somente subnets dentro da Internet – com uma segurança maior. Existem diversas delas…cada universidade pode criar sua VPN com um protocolo único, e quem acessar não estará adentrando na “camada 5”, por exemplo…somente estará acessando a rede daquela universidade.
        Basicamente é isso…

    • Então, escrevendo pela terceira vez…
      Gustavo, o conceito “Marianas Web” é lenda. Surgiu da interpretação de uma foto postada no 4chan ou Reddit (não lembro agora). O conceito de “camadas” também é interpretado errado…não é como se vc navegasse na camada 2, enfrentasse um boss, vencesse e aí consegue acesso a camada 3. Isso também é lenda.
      Bom, de modo bem básico, funciona assim:
      Na rede mundial chamada internet, existem diversas subnets (ou subredes, não sei qual lhe é mais familiar). Nós navegamos em apenas uma delas, da qual trafega o protocolo HTTP e seu navegador “traduz” códigos em ASP, PHP, HTML, Flash, etc.
      Porém, como disse, existem milhares de subnets. Para navegar em uma subnet diferente, vc precisa entrar nesta rede e instalar um plugin em seu navegador para “traduzir” outros tipos de códigos. A mais famosa delas é a ONION, e o nome do plugin que se instala é TOR (novamente, é uma explicação bem básica ok? Antes que alguém venha me corrigir, eu sei que o modo de funcionamento é diferente, os sites são dinâmicos, etc…é mais para explicar o conceito de subnets).
      Então, o conceito de Deep Web engloba todas as subnets que tem seus dados trafegando em protocolos diferente dos habituais. Que não estão nesta subnet onde estamos lendo os comentários e posts do Phillipe, ou a rede WWW.
      Pois bem, existem também subnets que são redes privadas, chamadas de VPN – que vc precisa além de um plugin no navegador uma credencial de acesso para adentrar. Exemplos destas redes são a Freenet e CSS (aliás, CSS – ou Closed Shell System – é outra lenda da Deep. CSS é somente uma linguagem de programação que pode ser utilizada para a web. Funciona como um ASP, ou PHP – com o plugin certo, seu navegador consegue traduzir sites com a extensão CSS, assim como com o plugin certo consegue traduzir sites feitos em Java, por exemplo). Universidades, governos e empresas utilizam estas redes por serem privadas e por ter uma segurança maior, tendo quase certeza de que seus dados não serão interceptados e chegarão somente ao seu destinatário.
      O conceito de “camadas” surgiu a partir daí. Dependendo da subnet, vc só consegue acesso a ela com o plugin necessário e as credenciais de acesso dadas pelo admin, ou a hackeando. Diferentes subnets possuem diferentes níveis de segurança, e algumas são mais difíceis de se hackear do que outras – e daí surgiu “marianas web” ou “camadas mais profundas”. Mas na verdade não passa de uma subnet encriptada com uma segurança maior dentro da própria Internet…não existindo “camada 5”, “marianas web” e etc.

    • Então, escrevendo pela terceira vez…
      Gustavo, o conceito “Marianas Web” é lenda. Surgiu da interpretação de uma foto postada no 4chan ou Reddit (não lembro agora). O conceito de “camadas” também é interpretado errado…não é como se vc navegasse na camada 2, enfrentasse um boss, vencesse e aí consegue acesso a camada 3. Isso também é lenda.
      Bom, de modo bem básico, funciona assim:
      Na rede mundial chamada internet, existem diversas subnets (ou subredes, não sei qual lhe é mais familiar). Nós navegamos em apenas uma delas, da qual trafega o protocolo HTTP e seu navegador “traduz” códigos em ASP, PHP, HTML, Flash, etc.
      Porém, como disse, existem milhares de subnets. Para navegar em uma subnet diferente, vc precisa entrar nesta rede e instalar um plugin em seu navegador para “traduzir” outros tipos de códigos. A mais famosa delas é a ONION, e o nome do plugin que se instala é TOR (novamente, é uma explicação bem básica ok? Antes que alguém venha me corrigir, eu sei que o modo de funcionamento é diferente, os sites são dinâmicos, etc…é mais para explicar o conceito de subnets).
      Então, o conceito de Deep Web engloba todas as subnets que tem seus dados trafegando em protocolos diferente dos habituais. Que não estão nesta subnet onde estamos lendo os comentários e posts do Phillipe, ou a rede WWW.
      Pois bem, existem também subnets que são redes privadas, chamadas de VPN – que vc precisa além de um plugin no navegador uma credencial de acesso para adentrar. Exemplos destas redes são a Freenet e CSS (aliás, CSS – ou Closed Shell System – é outra lenda da Deep. CSS é somente uma linguagem de programação que pode ser utilizada para a web. Funciona como um ASP, ou PHP – com o plugin certo, seu navegador consegue traduzir sites com a extensão CSS, assim como com o plugin certo consegue traduzir sites feitos em Java, por exemplo). Universidades, governos e empresas utilizam estas redes por serem privadas e por ter uma segurança maior, tendo quase certeza de que seus dados não serão interceptados e chegarão somente ao seu destinatário.
      O conceito de “camadas” surgiu a partir daí. Dependendo da subnet, vc só consegue acesso a ela com o plugin necessário e as credenciais de acesso dadas pelo admin, ou a hackeando. Diferentes subnets possuem diferentes níveis de segurança, e algumas são mais difíceis de se hackear do que outras – e daí surgiu “marianas web” ou “camadas mais profundas”. Mas na verdade não passa de uma subnet encriptada com uma segurança maior dentro da própria Internet…não existindo “camada 5”, “marianas web” e etc..

    • Então, escrevendo pela terceira vez…
      Gustavo, o conceito “Marianas Web” é lenda. Surgiu da interpretação de uma foto postada no 4chan ou Reddit (não lembro agora). O conceito de “camadas” também é interpretado errado…não é como se vc navegasse na camada 2, enfrentasse um boss, vencesse e aí consegue acesso a camada 3. Isso também é lenda.
      Bom, de modo bem básico, funciona assim:
      Na rede mundial chamada Internet, existem diversas subnets (ou subredes, não sei qual lhe é mais familiar). Nós navegamos em apenas uma delas, da qual trafega o protocolo HTTP e seu navegador “traduz” códigos em ASP, PHP, HTML, etc.
      Para navegar em uma subnet diferente, vc precisa entrar nesta rede e instalar um plugin em seu navegador para “traduzir” outros tipos de códigos. A mais famosa delas é a ONION, e o nome do plugin que se instala é TOR (novamente, é uma explicação bem básica ok? Antes que alguém venha me corrigir, eu sei que o modo de funcionamento é diferente, os sites são dinâmicos, etc…é mais para explicar o conceito de subnets).
      O conceito de Deep Web engloba todas as subnets que tem seus dados trafegando em protocolos diferente dos habituais. Que não estão nesta subnet onde estamos lendo os comentários e posts do Phillipe, ou a rede WWW.
      Pois bem, existem também subnets que são redes privadas, chamadas de VPN – que vc precisa além de um plugin no navegador uma credencial de acesso para adentrar. Exemplos destas redes são a Freenet e CSS (aliás, CSS – ou Closed Shell System – é outra lenda da Deep. CSS é somente uma linguagem de programação que pode ser utilizada para a web. Funciona como um ASP, ou PHP – com o plugin certo, seu navegador consegue traduzir sites com a extensão CSS, assim como com o plugin certo consegue traduzir sites feitos em Java, por exemplo). Universidades, governos e empresas utilizam estas redes por serem privadas e por ter uma segurança maior, tendo quase certeza de que seus dados não serão interceptados e chegarão somente ao seu destinatário.
      O conceito de “camadas” surgiu a partir daí. Dependendo da subnet, vc só consegue acesso a ela com o plugin necessário e as credenciais de acesso dadas pelo admin, ou a hackeando. Diferentes subnets possuem diferentes níveis de segurança, e algumas são mais difíceis de se hackear do que outras – e daí surgiu “marianas web” ou “camadas mais profundas”. Mas na verdade não passa de uma subnet encriptada com uma segurança maior dentro da própria Internet.

    • Phillipe, ta com problema aqui. Porque meu comentário explicando o conceito da Deep, a lenda da Marianas Web e camadas mais profundas não aparece?

      • EU aprovo comentários em blocos. Senão só faço isso o dia todo. E se eu deixar abertão, vem um monte de picareta vender marketing de rede, correntes e etc aqui.

        • Ah, entendi…desculpa mandar tantas vezes a mesma resposta…
          Eh que achei que tava bugado…
          Nao da pra apagar os demais e deixar só o primeiro? acabei sem querer poluindo seus comentários…

    • A Deep Web (ou rede ONION) é como a surface…vc encontra o que vc procurar. Se vc procurar coisas perturbadoras, vai encontrar coisas perturbadoras…o problema dela é que por funcionar de um jeito não convencional (os sites são dinâmicos e não estáticos, por exemplo), dificulta a vigilância dos órgãos de nego ficar postando bobagem por lá. Então é relativamente mais fácil de encontrar coisas que não são legais.
      É preciso desmistificar toda essa lenda que circula a Deep…não é nada disso que o povo pensa.

      • Rafael, achei sua opinião a mais bem estruturada e coerente até agora sobre a deep web. Pela internet a fora existem as lendas de vários níveis exatamente nesse conceito de videogame (mata o chefão e pula pra próxima fase), que mais confundem do que explicam.

        Minha dúvida é, essa “deep web” realmente equivale a 90% da internet e a “surface” aos outros 10%? Eu sempre tive dúvidas quanto ao tamanho dela, ainda mais vendo o volume de dados absurdos de sites como facebook, youtube, instagram, xvideos…. será que o submundo da internet tem tanta coisa assim?

        • Penso que no submundo tem coisa PRA CARALHO. Sendo que certamente também tem honeypot pra caraaaaaalho. Quem não faria isso, né? Igual soltar na Net que a criptografia do watzapp não pode ser quebrada pela NSA… Super útil para NSA esse tipo de informação. Principalmente quando ela quebra o acesso à vontade.
          Mas de volta a deep web, eu não creio que essas afirmações bombásticas, como que 90% do material está na deep web pela simples razão de que você só pode mensurar 90% de algo com um numero absoluto, e a internet cresce violentamente a cada segundo. Assim, me cheira a falácia para empurrar o novo navegador e ao mesmo tempo gerar um playground underground para atrair gente safada pra cair em honeypots.

        • Imagina o seguinte…o mundo é formado por diversos países, e cada um fala uma língua. Você só conversa em português com quem fala português.
          A Internet é mais ou menos a mesma coisa…existem diversos “países” que falam cada um a sua “língua”. Nesta frase, troque “países” por “subnets” e “língua” por “protocolo” e vc vai entender o que ocorre. A internet é isso – diversas redes entre computadores, onde cada rede fala o seu protocolo. A “internet” que conhecemos é somente uma dentre tantas subredes que existem.
          Não acho que há como mensurar em porcentagem, mas acredito sim que o volume de dados das outras redes é bem maior. Lembre-se que o conceito “Deep Web” é somente o conjunto de subredes que não falam o mesmo protocolo que a internet convencional…
          Creio que não tem como somente uma subnet ser maior do que todas as outras juntas. Sites como facebook, instagram e etc são gigantes mesmo, mas fazem parte somente da internet convencional. Creio que o volume de dados destes sites são ainda menores que o volume de dados trocados das outras redes (Freenet, i2p, onion, css, etc).

        • Olha só Lucas, apesar do cara não ter tanta didática, ele explica bem o conceito.

          http://deepwebwiki.blogspot.com.br/2014/11/diferencas-entre-dee-web-tor-freenet-e.html

          Abs!

  2. To contigo!! ADORO uma bizarrice! O Video da Samara é o melhor ever. Sou louca por tudo de terror e tenho um blog pra falar disso. Espero que possamos trocar ideias. beijão

  3. Só uma dica: Não assista o vídeo se você estiver sozinho num dia de chuva trabalhando num prédio antigo de uma cooperativa que possui um porão embaixo de você supostamente mal (ou muito bem) assombrado!

  4. Chapado este vídeo e eu também gosto de assistir a estes vídeos sinistros, os outros que você colocou eu também já tinha visto ( aqui mesmo no Gump ).

  5. É uma compilação de diversos outros trechos. Alguns são de filmes underground ou videoclipes musicais. Um bom exemplo de produtor de videoclipes bizarros é o Aphex Twin (por exemplo: Johnny Rubber), o Tool e um japonês chamado Maruosa. Um pouco mais light, mas também muito esquisito é o designer e músico Cyriak.

  6. As coisas que me dao arrepio sao as que tem um quê de sobrenatural, de non-sense (Alice no pais das maravilhas dá essa sensacao).
    A cena que começa em :28 nao gostei porque parece real. Nao en como num filme de terror em que a gente pode se deliciar em sentir medo. Ali entra empatia.

  7. Nesta terça-feira 5, tivemos um vídeo macabro que rolou em cadeia nacional…boatos que veio da camada mais profunda da deep web.
    O pânico foi tanto que parte da população bateu nas panelas para espantar as forças negativas.

    • Não existe isso de “camada mais profunda”…isso é lenda, assim como Marianas Web. Não existe isso de vc navegar em uma determinada camada, enfrentar um boss e passar para a próxima.
      Existe toda uma mística por detrás da Deep Web…mas ela não passa de um conjunto de subnets que tem dados trafegando na internet sob outros protocolos. Somente isso.

    • Não existe isso de “camadas mais profundas” ou “Marianas web”. É lenda.
      A Deep não passa do conjunto de subnets que tem dados trafegando em protocolos diferentes dos habituais. Simplesmente isso.

    • A Deep não passa do conjunto de todas as demais subnets que tem seus dados trafegando em protocolos diferentes dos que conhecemos. Simplesmente isso.

    • Desculpem o tanto de respostas, é que parece que o site tava bugado…as vezes minhas respostas apareciam, as vezes nao. Por achar q tinha dado algum problema, mandei de novo.

  8. E aí Philipe… Algo a comentar sobre isso aqui ” https://br.noticias.yahoo.com/uf%C3%B3logos-apresenta-fotos-que–provam–presen%C3%A7a-de-ets-em-roswell-145007405.html ” ?

  9. Philipe, eu acesso o seu blog já tem mais ou menos uns 5 anos (sério mesmo) e é incrível como mesmo depois de tempo, nunca consegui enjoar de vir aqui, o que é até engraçado porque a maioria dos sites que eu acesso, o conteúdo acaba ficando um pouco, sabe, “limitado”.
    Eu já acessei todas as categorias possíveis e imaginárias aqui, e inclusive no PC do meu trabalho, duas coisas que sempre tenho abertas são minha planilha do Excell e seu site! Hahah, me divirto muito aqui! E consegui aprender o quanto o mundo é (na maioria das vezes) MUITO BIZARRO!
    Parabéns pelo seu trabalho Philipe! Você manda muuuuuito bem! 😉

      • Continuarei com certeza! Gosto muito de como você é sincero nos posts, e vai fundo meeeesmo pra saber toda a verdade envolvida na imagem ou notícia, isso é um diferencial, porque “sites de curiosidades” que repassam noticias que são muitas vezes falsas, não se aprofundam e existem aos montes… Por isso eu mostro as noticias daqui até pra minha mãe! Hahah, mais uma vez: você manda bem! 😉

  10. Quem viu o vídeo, só posso dizer uma coisa: Faltam 7 dias !
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk……… salsifufu… Samara vai puxar a perna de vcs… kkkkkkkkkkkkkkk

  11. Cara , legal! Curto videos sinistros. O mais novo achado da deep web é o Sad Satan. Só o nome já me deixou ligadão. Infelizmente o vídeo não causa medo mas se vc quiser ver tem um maluco que colocou o link no canal dele , o Obscure Horror Corner do youtube

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.