Três storylines básicos de Coca-Cola

Após o último post de texto, quando eu fiz o meu primeiro experimento literário de Coca-Cola, vi que dava certo. acabou saindo um argumento inteiro de longa metragem no estilo Tela Quente.
Hoje resolvi repetir o experimento. Só que desta vez vou usar Coca Zero para ver se há alguma diferença.
Diferença é óbvio que vai haver, uma vez que no outro post eu fiz uma história do início ao fim numa só tacada (dividida em três momentos, o que é ruim. Mas é o que acontece quando a gente resolve escrever direto no blog)e agora não quero fazer isso, pois fica grande demais. Cansativo de ler.

Então vamos lá. Cada um vai ser num estilo. Vamos ver o que sai:

Gênero: Terror

O Carteiro

Um carteiro está prestes a se aposentar quando recebe ordens de entregar uma antiga carta em uma casa. A casa fica numa região isolada de fazendas. O carteiro vai até lá e ao chegar na casa é recebido por uma estranha velha cega. Ela pede que ele leia a carta, mas está escrito em latim. O velho tenta ler e a mulher morre. Assustado, ele larga a carta e vai embora. No caminho, sente que está sendo seguido. Um cão furioso preto da raça pit bull começa a fazer um jogo de gato e rato com o carteiro. Para fugir da fera, o homem busca abrigo numa casa abandonada. A casa parece estar vazia. Anoitece. Acontece que a casa só aparenta estar vazia. O cão pressente alguma coisa e não entra na casa, mas fica de tocaia do lado de fora. O carteiro começa a ter visões e ser perseguido por espíritos. Sem poder sair da casa, ele precisa entender o mistério que envolve uma carta antiga escrita em latim com símbolos estranhos. O carteiro descobre quem escreveu, quem é a velha e quais as verdadeiras intenções do cão.

Gênero: Infantil

À procura da luz

Esta é a história de um atrapalhado cupim voador e seus dois amigos encalhados que decolam do ninho em busca de procriar. No meio da viagem rumo ao céu, um dos cupins é atraído por uma lâmpada do poste e seus amigos precisam ajudá-lo. Os cupins são perseguidos por um grande morcego insetívoro e buscam abrigo num ônibus. O ônibus viaja muitos quilômetros e eles são levados para um lugar bem distante, cheio de perigos como aranhas, chuva e vento. Os cupins descobrem que estão muito longe de onde deveriam estar para poder procriar. Eles passam a tentar descobrir uma maneira de retornar ao território antes que a época do acasalamento termine. Mas não vai ser fácil, porque os gafanhotos, aranhas e as lacraias querem jantar cupim. Em busca da luz eles acabam colocando fogo na floresta e são levados de volta pegando carona no helicóptero dos bombeiros. Quando eles chegam, acabou a época de acasalar. Tristes, eles decidem ir embora, viajando pelo mundo.
É quando eles encontram uma caravana de jovens cupins que estavam em busca de marido. Eles formam três pares e fazem uma grande festa.

Gênero: Drama

Azul escuro, quase preto

Zac, Jack e Tom são amigos dos tempos de escola que por coincidência se encontram trinta anos depois, num velório de um querido professor. Após trocarem os telefones, resolvem se encontrar. Os encontros ocorrem e a amizade da juventude ressurge. Zac, o mais velho, descobre que está com câncer raro. Ele tem menos de três meses de vida. Ele conta isso aos amigos que sofrem por ele. Um deles relembra dos antigos cadernos dos tempos de escola. Ele encontra os cadernos no sótão da casa da mãe de Zac e descobrem que um dos grandes desejos da infância do colega era viajar para pescarem juntos.
Tom, o mais rico, aluga uma enorme lancha e resolve viajar para uma pescaria a três, como eles sonharam quando eram crianças. Jack e Zac tiram férias e saem para o passeio inesquecível de suas vidas.
Após uma forte tempestade, o barco é danificado e eles ficam à deriva. Por uma semana são levados pelas correntes do pacífico para mares distantes. Sem rádio e sem navegação, eles começam a sofrer as ações da fome e do desespero.
Durante a noite uma estranha criatura surge sob o barco e eles se vêem às voltas com a terrível lula gigante. Usando remos e pedaços do barco eles lutam pelas próprias vidas com o feroz animal. Vendo que não haverá solução, Zac se sacrifica para salvar os amigos. Ele explode com uma granada da segunda guerra na boca da criatura. Os amigos sobreviventes ficam à deriva numa pequena balsa de resgate por uma semana até que são vistos por um veleiro do brasileiro Amir Klink, que os resgata.

Gênero: Suspense – Ficção Científica

O medo vem do alto I

Sete homens são treinados para operar uma estação de observação na estação espacial internacional. Escolhidos por um consórcio de empresas de tecnologia, eles liderarão uma pesquisa que busca construir o mais poderosos radiotelescópio no espaço, afim de observar o nascimento de uma estrela.
Os homens são enviados para a estação e permanecem em órbita da Terra por um mês. Durante este tempo, eles trabalham na construção do observatório.
Súbitamente um acidente com milhares de fragmentos de lixo espacial danifica a estação, colocando a vida deles em risco.
Após inúmeras tentativas eles conseguem estabilizar a estação e conter a fuga do precioso oxigênio. Na operação, o ônibus espacial é desconectado da estação. Sem janela de reentrada, ele explode na atmosfera. Presos na estação e sem comunicação, os astronautas estão por conta própria. Eles passam a tentar estabelecer comunicação com a Terra, mas tudo que conseguem é estática e estranhos ruídos.
Buscando um contato de qualquer maneira, os astronautas descobrem documentos reveladores que mostram que o objetivo real do consórcio era um contato com alienígenas. Só então eles desligam o aparelho que tentavam usar para comunicação coma Terra. Mas já é tarde.
Estranhas luzes começam a aparecer e sumir em volta da estação. Os astronautas se vêem às voltas com alienígenas. Um a um eles começam a sumir. Com medo, um dos astronautas tem uma crise nervosa e coloca a vida dos outros em risco, vestindo o traje de EVA e tentando fugir da estação. Enquanto isso, na Terra todos querem saber o que aconteceu. Os telescópios vêem a gigantesca nave orbitando a Terra ao lado da Estação Internacional. O astronauta louco é abduzido. Um a um os astronautas são capturados.
Apenas um deles fica para trás. Ele luta com os alienígenas. tenta modular o sinal para um pedido matemático de socorro. Outra astronave extraterrestre surge e consegue capturá-lo. Esta astronave contém alienígenas diferentes. Menos violentos. O astronauta é levado de volta para a Terra. Semanas depois, um a um, os seus companheiros vão sendo devolvidos, nus, em estado de confusão mental, em diferentes lugares do planeta Terra. A estação espacial internacional some e nunca mais é encontrada.

Este último é apenas a parte um de uma seqüência de III filmes.

Em O medo vem do alto II, a história foca num dos astronautas que foi abduzido fora da nave no primeiro filme. (o tal que teve a crise nervosa) O tal astronauta chama-se Charles Drucker Jr. e abandonou o trabalho como astronauta para ser instrutor de vôo em uma cidade do interior. Uma noite, Charles começa a ter pesadelos recorrentes com a abdução. Ele acorda sentindo dores horríveis. A mulher não suporta mais as crises de Charkles. Eles passam por problemas conjugais. Ela se separa.
Charles passa a viver sozinho numa casa afastada perto de um pequeno aeroporto onde ele treina pilotos. Num vôo duplo, Charles passa mal e desmaia. O aluno consegue controlar o avião. Charles resolve fazer um check up. Ao ver a tomografia, ele descobre que está com um chip implantado na medula.
Charles começa a se submeter a uma hipnose regressiva onde recorda os momentos que passou na nave. Charles pede para que um amigo cirurgião retire o implante. A partir daí, Charles passa a ficar paranóico. Começa a perceber que sua vida está cercada de pessoas estranhas que o espionam. Ele começa a desconfiar que sua experiência com os alienígenas não pertence apenas ao passado. Ele descobre pequenas câmeras escondidas em vários lugares da sua casa. Gravadores no seu carro. Charles descobre que a corporação está vigiando a vida dele. Naquela mesma noite, ele acorda com um zumbido. Uma nova abdução está prestes a acontecer.

O medo vem do alto III, eu ainda não pensei. Estou com fome. Vou parar por aqui.

Related Post

12 comentários em “Três storylines básicos de Coca-Cola”

  1. Philipe, lí todos os seus casos inimagináveis do Mundo Gump (sem mentira, me identifiquei, pois metade da minha vida quado conto me acham mentiroso, como quando tirei uma de guia em Paris sem saber uma só palavra em francês e pedia aos brasileiros que me acompanharam “je podê saquê un fotô de iquí” eles tiraram fotos do alto da Einfel. Coisas no mínimo assim (parentese entre parentese: Acho que gente aberta a aventuras atraem aventuras)) e fechados ambos parênteses, hei de dar uma mal notícia. Pare de beber coca e noticie quem ganhou o John locke. ABS.

  2. opa, sempre passo aqui mas nunca comento, mas dessa vez eu tenho que postar esse link

    http://blip.tv/file/94203

    você provavelmente já deva ter visto, mas aproveitando a promoção do boneco , seria bom assistir um making of do processo em escala gigante, e por falar em escala, como ele fez aquele menino em escala monstro? não é possível que seja o mesmo processo.

    abraço,

    continue assim

  3. Na minha opinião o melhor é “o medo vem do alto”. Estou ansioso para ler a terceira parte! Também achei o final de “à procura da luz” meio paracido com roteiro de filme adulto, hehehe…

    O que você acha de tomar uma garrafa de coca de uma vez e imaginar um final possível para o lost?
    Com certeza sairia alguma coisa no mínimo criativa…

    Um abraço!

  4. Ah, fala sério!
    Cadê os detalhes? Preguiçoso sei que não é, pois não faria um Locke daqueles se o fosse.
    Por favor, se o texto ficar grande, melhor para quem quer ler e se ficar cansativo para alguém, ele marca e termina de ler depois (o que não acredito que ocorra pois seus contos/roteiros tem muita “velocidade”), não precisa ser nada barroco, mas não se segure por nossa causa.
    Quem sabe se você usar algo mais forte… Quem sabe se com Fanta-Uva?!! (Hehehehe…)

    KCesar

  5. aproveitando o comentário acima – sobre lost, vc viu a dica que o CC e o DL deram sobre as explicações finais de lost? parece que a coisa vai funcionar bem, afinal. eles sabiam o que estavam fazendo, desde o início, e lost é ficção científica mesmo.

    enfim, coca zero dá mais piração do que a comum, pelo que vi. gostei mto do argumento de o carteiro, e achei que o medo vem do alto poderia ser ainda mais trash, tipo o enigma do horizonte..

  6. Estou intrigado.

    Ao tomar a Coca tradicional vc escreveu um roteiro de longa metragem com um tema aleatório sorteado no MediaPlayer.

    Mas, com a Coca Zero, vc escreveu um roteiro pra cada gênero cinemaatográfico existente.

    Quer dizer então que a Coca Zero induz uma maior criatividade?

    Como um amante (leia-se viciado) do nectar negro tradicional, me sinto extremamente ofendido com os resultados do teste.

    Trate de manipular esses resultados… rsrsrsrs

  7. Calma. Isso tem explicação. acontece que a Coca Cola zero tem mais cafeína, e mais sódio. deve ser por isso. Além do mais, comparado com a coca-light, ela tem menos aspartame.
    Seja como for, eu prefiro a coca clássica. Meio quente e sem gelo.

  8. ah Felipe.. Suas histórias são demais.. Todas elas… mas a TOP TEN é a da lombriga gigante…kkkk kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Abs 🙂 Roberta

  9. adorei a de terror e drama!

    outro dia estávamos falando sobre a bicicleta de roda gigante, tem a moto também!
    http://vids.myspace.com/index.cfm?fuseaction=vids.individual&videoid=2713020
    mas o cara fica sem muito equilíbrio, achei perigoso…

    beijos pro casal de niterói!

  10. Promoção Coca-cola

    Um casal de namorados decide transar de uma forma bem natural, ao ar livre, um pic-nic. Pegam o fusquinha e vão a uma praia bem afastada. Estacionam e prosseguem a pé. Finalmente chegam à praia linda e deserta. Ele, amoroso, estende a toalha e, como ventava muito, decide colocar uma garrafa de Coca-Cola em cada ponta para que não voasse. Se sentam e se beijam… Fazem juras de amor. Depois do lanche, ele, cuidadoso, coloca a moça de quatro, venda os olhos dela, como planejado, mas, na hora H, esquece a camisinha. Então diz: ‘Amor, esqueci a camisinha. Vou correndo buscar, me espere desse jeitinho.’ E sai correndo para buscar a camisinha. Depois que ele sai, passa pelo local um bêbado e vê a cena. Coça a cabeça e, mesmo sem acreditar no que via, decide ir lá conferir. Não resistindo, o bêbado transa com a garota, que não pára de gemer. Depois que tudo termina, satisfeito, o bêbado olha para as garrafas em volta da toalha e diz: ‘A COCA É FODA…DUVIDO QUE A PEPSI FAÇA UMA PROMOÇÃO DESSAS!

    qual a Nacionalidade de Adão e Eva?

    Um alemão, um francês, um inglês e um brasileiro apreciam um quadro de ‘Adão e Eva no Paraíso’. O alemão comenta:
    -Olhem que perfeição de corpos: ela, esbelta e espigada; ele, com este corpo atlético, os músculos perfilados… Devem ser alemães.
    Imediatamente, o francês contesta: -Não acredito. É evidente o erotismo que se desprende de ambas as figuras… Ela, tão feminina. Ele, tão masculino… Sabem que em breve chegará a tentação… Devem ser franceses.
    Movendo negativamente a cabeça, o inglês comenta: -Que nada! Note a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da pose, a sobriedade do gesto. Só podem ser ingleses.
    Depois de alguns segundos mais, de contemplação silenciosa, o brasileiro declara: -Não concordo. Olhem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm casa, tão na merda… Só têm uma única maçã para comer. Mas não protestam, ainda estão pensando em sacanagem e pior, acreditam que estão no Paraíso. Só podem ser brasileiros!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares