Dez olhos sensacionais do reino animal

O olho começou a se desenvolver há aproximadamente 540 milhões de anos. Inicialmente eram apenas células destinadas a reconhecer a luz, mas com o avanço dos anos, a visão tornou-se o principal sentido de muitos animais, principalmente do Homem.
Graças a sua infinita capacidade de nos surpreender, a natureza evoluiu os olhos dos animais em uma ampla e bizarra variedade de formatos. Neste post veremos alguns dos olhos mais curiosos da natureza.

1- O olho da cabra
Dez olhos sensacionais do reino animal
Os olhos da cabra são bastante estranhos. As pupilas não são redondas, mas sim cortes horizontais com um formato arredondado em suas pontas. Quando completamente dilatada, a pupila dos olhos de uma cabra parece um retângulo. Graças ao seu formato, a pupila da cabra permite que sua visão cubra 320 a 340 graus. Isso significa que a cabra consegue enxergar mais facilmente animais que por ventura venham atacá-las por trás. Foi uma solução evolutiva eficaz que fez com que as cabras sobrevivessem no ambiente hostil das pastagens primitivas, cheias de predadores à espreita.
Além disso, os olhos retangulares permitem ao animal enxergar melhor à noite. Sem falar que  em dias excessivamente claros, a pupila pode se contrair deixando uma minúscula fresta para a entrada de luz. No Brasil, comer o olho da cabra in natura é uma iguaria em alguns estados. As pessoas gostam especialmente de estourar o olho da cabra contra o céu da boca para liberar o caldinho cremoso que sai de dentro dele… Ummm dilíça!

2-Os olhos da libélula

Dez olhos sensacionais do reino animal

A libélula é um inseto voador muito ágil e veloz. Os seus olhos, quase esferas completas, são considerados por muitos estudiosos como sendo provavelmente os melhores olhos existentes entre os insetos. Os olhos da libélula são tão fundamentais para a existência dela que ocupam cerca de 80% de toda a cabeça do animal. Sua forma permite ao inseto uma visão absolutamente incrível, em 360 graus ao redor. É como se de uma só vez ela conseguisse enxergar em todos os ângulos possíveis, atrás, do lado, na frente,m em cima, em baixo…

Os olhos são compostos, ou seja, são formados de pequenos olhinhos. São nada menos que 30.000 olhinhos, chamados de ommatidia. Cada um desses 30.000 contém sua própria lente e células receptoras de luz. Sua capacidade de visão é fenomenal, permitindo distinguir cores que nós humanos não vemos. Além do movimento e luz polarizada.

Graças a esta capacidade sensacional, a libélula consegue detectar padrões de movimento e rapidamente reagir a eles, seja para obter uma presa, seja para escapar de um predador.

Se você acha que já acabou, espere só até descobrir que o bicho contém ainda três outros olhos menores, chamados Oceli, que pode detectar movimentos numa velocidade maior do que os enormes olhos compostos permitem. Os oceli mandam informações diretamente aos centros motores, e é isso que faz com que a libélula reaja numa fração de segundo e é graças a eles que a libélula consegue realizar manobras acrobáticas inacreditáveis. Comparando toscamente,  uma vez que os oceli reagem em um frequências assustadoramente altas, é como se a libélula tivesse o tempo todo uma “supercâmera” acoplada nela, mostrando as coisas acontecendo em câmera lenta.

As libélulas não são os únicos insetos que detém esta particularidade, Algumas vespas também possuem ocelli. Mas a libélula é o inseto que tem os melhores.

Leia maisDez olhos sensacionais do reino animal