As crianças da noite

Regina chegou do trabalho cansada. Aquele não tinha sido um dia fácil, que começou pior ainda, com todo o setor de cobrança levando uma senhora esculhambação do supervisor, por conta da baixa produtividade.

Havia meses que o fantasma da demissão pairava sobre aquele setor, e o stress do trabalho de cobrança não combinava com sua condição de oito meses de gravidez. As pessoas eram ríspidas com ela, gritavam, xingavam. Certa vez até juraram de morte o Carlão, que trabalhava duas baias depois da dela.

Naquele dia, Regina havia novamente falado com “a velha”.

A relação com “a velha” já tinha uns dias. Começou quando Regina havia pego a conta de uma senhora de nome estranho para cobrar. A primeira ligação foi o de praxe. A velha pediu desculpas, disse que havia se atrapalhado com as contas, que ia pagar. No dia seguinte, nova ligação, ela deu outra série de desculpas, jurou que iria pagar a dívida, mas que estava com problemas no banco. Regina explicou educadamente que ela somente trabalhava no departamento de cobrança de uma corretora que havia comprado aquela dívida, e que os problemas do banco, ela não poderia resolver. A velha se estressou bastante e começou daí uma relação tensa que se arrastou por semanas. Regina ligava, a velha fingia vozes, inventava que havia morrido que quem falava era uma prima dela… A ligação daquele dia foi a última exigida pelo sistema. A velha atendeu e gritou palavrões e coisas desconexas. Parecia louca. Talvez estivesse fingindo. começou a gritar em alguma língua desconhecida, que Regina pensou ser algo como iídiche. Então bateu o telefone na cara dela.

Vendo que era um caso sem solução aparente, um típico caso de “caloteiro caroço” como eles chamavam no setor, Regina preencheu a ficha indicando o caso daquela senhora para o departamento de recuperação judicial.

Leia maisAs crianças da noite

A mulher que ama cor-de-rosa

É assim. Você vai numa loja de roupas infantis e se depara com uma montanha de roupas cor de rosa. Claro que ali está a arara de roupinhas (quase sempre caras) de meninas. Eu penso que foi gradualmente, ao longo dos anos, que as meninas passaram a se identificar muito com esta cor. Hoje parece …

Leia maisA mulher que ama cor-de-rosa

Em busca de um namorado

Esta simpática garota da China, Zhang Mengqian, estava em busca de um romance para sua vida.


%name Em busca de um namoradoEla resolveu que não adiantava ficar batendo cabeça em baladas e resolveu procurar por um namorado. Então escreveu um bilhete dizendo que estava em busca de um namorado e pregou no mural da faculdade, marcando um encontro com os possíveis pretendentes no térreo do dormitório da faculdade:

 

No dia marcado, a menina foi até a janela esperando ver se alguém havia se interessado por ela. Infelizmente…

Leia maisEm busca de um namorado

Sílvio Santos é cruel?

Veja o video acima e reflita: Sílvio Santos é cruel? Os pais da menina são cruéis? A produção do programa é cruel? Qual é o meio termo da crueldade quando se trata de salários acima dos 100.000 reais mensais para crianças?