Sobre

O Mundo Gump e seu autor

Quem é o Philipe e por que este blog existe?

 

 

Meu nome é Philipe Kling David. Sou o editor deste espaço, o cara que escreveu tudo que está aqui. Não foi mole, já que o blog é um mundo de textos, notícias, artigos, informações diversas e assuntos variados. No momento em que escrevo isso, já passamos há algum tempo dos mais de 4000 posts.

Já na escola, eu costumava escrever histórias e redações engraçadas. O meu caderno na sexta e sétima série foram a base do que mais tarde viraria este blog. Eu escrevia qualquer merda que me desse na telha, e não era incomum que o caderno rodasse de mão em mão, provocando risadas.

 

Aquele lance de escrever redações começou a se “profissionalizar” quando uma professora de Português chamada Cristina pegou meu caderno e começou a ler. Eu levei um esculacho, mas não pelo conteúdo.

Ela disse: “Se você vai escrever, escreva corretamente.”

Então, após me esculhambar, ela me propôs que eu tivesse “carta branca” para escrever. A professora se encarregou de explicar aos demais professores que eu estava fazendo um intensivo da matéria dela e que não seria punido por estar escrevendo na disciplina deles. Sei lá como ela conseguiu aquilo, mas a minha parte era fazer uma redação por dia, TODO DIA (incluindo finais de semana) e ela depois corrigiria.

Assim, 365 redações depois, no ano seguinte, eu já estava bem melhor. Claro que ainda hoje eu escrevo errado, mas muito pouco em comparação aos homicídios ao vernáculo que eu cometia naquele tempo.

Minha vida nunca foi exatamente “convencional”. As coisas começaram a mudar mesmo quando após uma história em quadrinhos picante cair em mãos erradas, fui ameaçado pelo professor de Química. Assim, acabei saindo do curso “científico” e fui fazer curso Normal, aquela formação de professoras, um curso que só tinha mulher.

Foi graças a isso que conheci a Nivea, minha mulher, que morava junto com uma amiga da minha nova sala.

Quando me formei, fui fazer faculdade de Psicologia, não para trabalhar na área, mas porque a dimensão complexa da mente humana sempre me atraiu.

Em paralelo, levei minha carreira de designer. Abri minha própria empresa, trabalhei com diversas coisas, criei produtos, equipamentos, brinquedos, veículos, trabalhei também no Instituto Nacional de Tecnologia…

Eu também gosto muito de computação gráfica e  trabalho com 3d faz mais ou menos uns vinte anos! Fui colunista da revista Digital Designer e trabalhei com multimídias, projetos interativos diversos. Na Ignis Games eu fui Lead Artist de um jogo Massive Multiplayer RPG chamado Erinia, ode trabalhava com meu irmão André. Depois, trabalhamos para a Cinemaware fazendo games de Playstation e Xbox.

Durante os tempos (longos) em que passávamos fazendo hora extra para entregar os produtos, eu costumava contar minhas histórias bizarras. Quando surgiu o Orkut, entrei numa comunidade chamada “Eu já” onde comecei gradualmente a escrever certas coisas bizarras que eu tinha feito.

Eu nunca pensei em ter um blog. Um amigo meu de um projeto de filme épico que eu tentei fazer (sem sucesso) chamado Brunno Vieira tinha um blog chamado “Virou Kibe”. Eu comece a ler o blog dele, e gradualmente comecei a achar interessante a ideia de ter um espaço onde eu pudesse escrever as coisas do “Eu já”.

Foi o Brunno que, num dia, enquanto subíamos uma montanha para achar uma locação para o meu filme, disse que eu era igual ao Forrest Gump. Eu contava as coisas estranhas, mas pouca gente acreditava.

E foi assim que um dia, justamente no dia do meu aniversário (que também é meu aniversário de casamento), eu criei o Mundo Gump.

Nunca tive a pretensão que este blog virasse um site grande, com milhares de visitas diárias… Enfim, que desse certo. As coisas foram acontecendo devagar.

Com o tempo, o site foi enchendo de posts, e comecei a escrever contos também. Os  leitores me pediram para fazer um livro com algumas das histórias e eu lancei assim o primeiro livro do blog. Acabou rolando um convite da produção do programa do Jô Soares para divulgar a obra lá. Lembro que fiquei muito feliz quando o diretor do programa me chamou de lado e disse: “cara seu livro deve ser bom, porque o Jô  está lendo e rindo lá no camarim…”

Acabou que o Jô fez dois blocos comigo e foi bem divertido.


 

Os bonecos

Uma parte interessante do trabalho aqui no blog envolve fazer esculturas de miniaturas, que eu vou registrando passo-a-passo, de modo que o leitor que quiser e tiver disposição poderá fazer também.

Muita gente costuma fazer sempre as mesmas perguntas sobre qual massa que eu uso, como que eu faço e qual tinta é melhor… Eu comecei a fazer esses artigos de bonecos porque eles dão esses detalhes em mais profundidade, e todo mundo curte.

Com relação a essas coisas de arte, escultura, pintura, ilustração, eu sempre fui autodidata, de modo que acho que mostrar como fazer as coisas pode incentivar as pessoas e buscarem seus próprios caminhos.

werewolf3_by_philipe3d-d60u4if


 

Os livros

Como eu disse antes, sempre gostei de escrever. Meu primeiro livro mesmo se chamou “Capitão do Mato” e eu escrevi quando tinha 22 anos. Era um romance histórico sobre um escravo que fugia. Este livro está disponível gratuitamente para quem quiser aqui.

17841866

Eventualmente, eu escrevo uns contos em capítulos aqui no blog, que depois são condensados em livros. O primeiro livro assim foi o livro “O melhor do Mundo Gump”, mas depois dele vieram outros.

(capa)_philipe_kling_david_-_o_melhor_do_mundo_gump_220410

Eu estou trabalhando numa trilogia de apocalipse zumbi, e o primeiro volume já saiu e esta disponível em versão física pela Amazon. A Avec Editora vai lançar a trilogia do Zumbi no Brasil provavelmente no fim de 2015.

Há também outras histórias em capítulos que ainda virarão livros. Este é o caso de “O relato de um Mib”, e também “A Caixa”, que deve integrar um box de aventuras do “Caçador”, um dos meus personagens favoritos.

1899878_655847054461105_149725271_n

Além desses ainda tenho guardado na manga mais três outros livros: Um de concept art, um de esculturas de bonecos e um de matte painting, todos eles foram encomendas de uma editora que teve problemas de sociedade e fechou antes de lançar.

 

A fotografia

Uma das minhas grandes paixões é a fotografia. Pra falar a verdade, apesar de já ganhar dinheiro com ela, nunca me vi como um “fotógrafo”, cheio de pompa e circunstância como vemos hoje por aí. Hoje todo mundo compra uma DSLR e sai arrotando que é fotógrafo. Eu nem comprei a câmera para isso! Na verdade, eu ia fazer um filme de zumbi, e precisava de uma câmera para filmar. Acabou que o filme não saiu, mas eu comecei a gostar de tirar fotos, comecei a ler tudo que eu podia sobre o assunto e me apaixonei pela arte de registrar imagens.  Eu gosto muito de macro fotografia e também de fotografar estrelas e paisagens. Acho que tenho uma certa inclinação para fotografias experimentais.

salto

Como já seria de esperar, eu tenho um site só com minhas fotografias. Eu também as vendo como posteres, quadros e painéis em diversos substratos no Fine Art America.


 

Ilustração

Uma coisas com o qual trabalhei por um bom tempo, são ilustrações. Eu ainda faço uma coisa ou outra nesta área, mas não tanto quanto costumava.

porc_atilde_o_by_philipe3d-d60zzm9

Faço ilustrações em papel, tinta e aquarela e também em meio digital. Meus trabalhos de ilustração para a Revista Ufo me tornaram, durante um certo tempo, um ilustrador bastante requisitado para este tipo de desenho. Como eu já gostava muito do assunto OVNI, comecei a estudar a fundo este tema, e me integrando bem com grupos de estudo e pesquisa desse polêmico e intrigante campo de investigações.

UFO 72.pmd


O mundo Gump é hoje membro do grupo Epic. 

epic grpup

O Grupo EPIC é uma Joint-Venture de empresas, produtoras de soluções transmídia para a geração Y, Nerds, Geeks e outras tribos. 

Bom, se você teve saco de ler até aqui, eu só posso te agradecer pela atenção. Muitos leitores que acompanham o blog desde o inicio costumam dizer que se sentem meus amigos íntimos. De certa forma eles são, afinal, costumo me expor aqui, contando coisas que muita gente não teria coragem de fazer, hehe.

Felizmente, com o passar dos anos neste espaço, eu construí uma boa relação com os leitores e convivo diariamente com eles, trocando ideias nos comentários e quando dá, batendo papo ao vivo e à cores.

Eu poderia ficar aqui falando sobre o blog e meu trabalho nele sem parar, mas acho que esta página já está grande demais. Assim, se quiser me conhecer melhor, eu recomendo dar uma olhada nos textos deste link.