Retrato feito de impressões digitais

Olha só que sensacional esta pintura de Chuck Close. Ele retratou essa senhora, usando impressões digitais. Olhando de longe parece ate uma foto normal, mas à medida em que nos aproximamos a técnica usada por Chuck vai se revelando gradualmente, mostrando a complexidade da criação e a monumentalidade dessa tecnica, que envolve dividir o quadro em pequenas regiões e ir gradualmente cobrindo cada região com o dedo molhado em tinta. Assim, em partes mais claras ele suja pouco o dedo na tinta. Em áreas mais escuras ele usa mais tinta. O desafio é que um simples erro na quantidade de tinta ou na pressão exercida pelos dedos, pode colocar tudo a perder.

e72d9f9d3e1457fe25c4747218048113

283bbc3db011cd67091be2990ccd7a8a

0608a134621a018b697bb75cf1f9907b

add19b1471caa72151f4ecaadc0abca1

5cc06c9a1d199a4ac3ae1feb3b060891

e8fbfa72eef610f122c9ed3bb0e52678

Chuck Close é conhecido por suas técnicas de altamente inventivas de pintar o rosto humano, e principalmente conhecido por suas obras de grandes dimensões, com pintura de retratos baseados em fotografias.
Em 1988, Chuck ficou paralisado após um colapso da artéria espinhal rara; mas mesmo com a doença, ele continua a pintar usando um dispositivo de retenção de pincel amarrado ao pulso e antebraço. Sua prática se estende para além da pintura para abranger gravura, fotografia, e, mais recentemente, tapeçarias com base em Polaroids.

Em 2000, o artista foi presenteado com a prestigiosa Medalha Nacional de Artes pelo presidente Clinton. Virou membro da Academia Americana de Artes e Letras e serviu no conselho de várias outras entidades culturais. Chuck foi recentemente nomeado pelo presidente Obama para servir no Comitê presidencial sobre as Artes e Humanidades.
fonte

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares