Raposas em peles de pastores

Está rolando a discussão sobre uma suposta “carta” da Igreja Mundial do Poder de Deus;  aquela do “apóstolo”  Valdemiro, um sujeito que usa chapéu de cowboy, fala errado de propósito para parecer mais ignorante do que é,  e “cura” pessoas com o poder de Deus, presente até em sua toalha suada – não, isso infelizmente,  não é um exagero.

Vamos à tal carta que é o pivô do “escândalo”:

%name Raposas em peles de pastores

Como nós podemos ver, trata-se de uma carta onde há o espaço para o bispo em questão preencher com seu nome e encaminhar diretamente ao fiel. A carta pede para que pessoas se passem por enfermos curados, ex-drogas do aleijados.  Ela pede colaboração e discrição.

A carta pede ainda ao fiel que não puder colaborar para destruir a carta e não contar a ninguém.

 

Eu vi esta carta publicada no facebook, e também no site Sedentário Hiperativo, que diz que a carta foi publicada no site Notícias da TV.

A minha opinião pessoal com relação a esta carta é que ela é falsa. Veja, não sou defensor do Valdemiro Santiago, até porque não conheço e nem gosto deste cara. Eu acompanho o sujeito desde que ele deixou de ser um dos mais influentes bispos da Igreja Universal (um passatempo meu é assistir aos programas de qualidade mais duvidosa da Tv, e isso inclui o Show da Fé, o Fala que eu te escuto e até as pregações do Valdemiro, para plateias lotadas de pessoas alegando serem ex-paralíticas, curadas pelo poder de Deus).

Por manter meus olhos abertos com relação ao jogo do poder entre as igrejas neopentecostais, principalmente a IURD (dona da Tv Record), a igreja  Internacional da Graça de Deus (que é do cunhado do Edir Macedo) a Igreja Mundial do Poder de Deus, que é essa do Valdemiro, e até a igreja da Vitória em Cristo, do Malafaia (os últimos 3 compram vastos horários na Tv aberta em diversos canais) . Há uma agenda e projeto de poder entre esses grandes líderes neopentecostais. Isso é fato. Fato consumado e que dificilmente pode ser refutado, haja visto seu exercício de poder nos períodos pré-eleitorais e eleitorais quando conseguem colocar seus “afiliados” ou pastores e bispos em cargos políticos, aumentando assim a força e o tamanho da bancada evangélica, eleição após eleição.  Já falamos disso aqui anteriormente e não pretendo me repetir com relação ao projeto de poder que poderá implantar a ditadura religiosa no Brasil.

%name Raposas em peles de pastores
Lindberg é abençoado em culto evangélico pelo Malafaia. Tudo pelo poder!

Talvez as pessoas não estejam familiarizadas com a guerra que vem ocorrendo nos porões dos grandes templos religiosos. Valdemiro santiago é como chamam, uma “cria” do Edir Macedo. Ele saiu da Universal em 1998 devido a desentendimentos com o Edir Macedo.

Não obstante a ser um membro importante do Staff da Universal, com direito a acesso a alguns dos mais interessantes segredos da infraestrutura gerencial do conglomerado presidido pelo Edir Macedo, Valdemiro era um pregador extremamente carismático, que se destacava por não copiar o estilo de Macedo (técnica que é a mesma de 90% dos pastores da Universal, talvez por simples influência). Valdemiro saiu e carregou consigo um numero enorme de “bispos” da Universal.

 

%name Raposas em peles de pastores

A dissidência foi uma declaração de guerra declarada.

Embevecida por seu poder monumental que já se expandia para fronteiras internacionais, a Universal  não esperava o rápido crescimento da Igreja “genérica” Mundial – criada por Valdemiro. Atente para a semelhança sonora entre “Igreja Universal” e “igreja Mundial”.

O pesquisador da área da sociologia da religião, Ricardo Mariano, afirma que as crenças e práticas mágico-religiosas da Mundial são uma cópia da Universal. Sendo que, além de convidar parte da cúpula da IURD, atraiu também dezenas de pastores, prática que foi abandonada em 2010, quando membros da Mundial começaram a temer que houvesse pastores da IURD infiltrados entre os pastores da Igreja Mundial do Poder de Deus.  fonte

De fato, o lance do Valdemiro não despreza nem ressurreição!

– Uma das histórias que mais me impressionou (sic) foi de um homem que morreu. Como se diz no Nordeste, ele estava na pedra. A família já tinha recebido atestado de óbito. A filha dele chegou em mim na igreja, me abraçou e disse: “Se o senhor disser que ele está vivo, ele viverá”. O que houve ali foi pela fé dela. Comovido, respondi: “Então, está vivo”. Quando ela voltou para casa, estavam se preparando para velar o corpo e receberam a notícia de que o homem havia voltado à vida. Os médicos tentaram justificar, mas não conseguiram entender como o coração dele voltou a bater. Foi uma ressurreição.

O relato acima foi feito em 2009 pelo apóstolo Valdemiro Santiago numa de suas raras entrevistas, concedida a uma publicação evangélica chamada Eclésia. fonte

 

A guerra entre as denominações começou a “descer a ladeira” velozmente. Hoje podemos ver verdadeiras situações risíveis, quando o diabo em “pessoa” incorporado numa fiel supostamente possuída, vai até o palco da Universal, braços para trás, mãos em formas de garras e voz do Mum Rá,  informar que foi o pessoal da “Mundial” que invocou ele. Eu tô falando sério. Se você duvida, recomendo que use um radinho AM e fique escutando as presepadas dessas rádios pela madrugada. É bem superior ao Zorra total em termos de humor.

Por que eu acho que Valdemiro não faria uma carta dessas?

Para explicar isso, precisamos entender de quem estamos falando. Valdemiro Santiago é um sujeito com inteligência acima da média. É por isso que ele rompe com a Universal e cria sua própria igreja.

Ele estudou até o quinto ano do ensino fundamental. Aos 16 anos, Valdemiro, o “apóstolo” como hoje se autointitula,  converteu-se ao evangelicalismo neopentecostal. Foi obreiro, pastor, bispo e membro da cúpula da Igreja Universal do Reino de Deus. Valdemiro foi consagrado pastor em 2006, mas  nunca se formou em nenhum curso de teologia nem de oratória.

O segredo de seu sucesso parece residir em sua técnica. Aproxima-se do povo com um discurso ora popular ora austero com constantes referências ao seu passado no campo. Suas concentrações seguem um formato pré-estabelecido caracterizado pela leitura de trechos da Bíblia previamente selecionados com destaque para a apresentação de supostos milagres durante o transcurso de toda a pregação. É este “detalhe” que ele “inovou”: O foco das pregações de Valdemiro concentram-se na “cura pela fé”.

Já a Universal parece mais a busca por encontrar o lado “maligno” para removê-lo da vida das pessoas. Ali rola mais promessas de vida abastada, e tudo gira em torno do diabo, feitiços, magia negra.

Enquanto a universal oferece a teologia da prosperidade, Valdemiro dá a esperança de curas e é mais agressivo ao pedir doações. (Estou falando baseado no que eu assisto na Tv)
Tem funcionado. Estatisticamente, a Igreja Mundial é a que mais cresce no país.

Uma característica nova na expansão da Mundial está naquilo que o sociólogo Ricardo Mariano, estudioso de religião na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, chama de “pescar no próprio aquário evangélico”. Estudos sugerem que a maior parte dos seguidores da Mundial veio de outras neopentecostais, principalmente da Universal. Poucos eram do meio católico, tradicional fornecedor de fiéis para denominações evangélicas. “Calculo que mais de 50% dos membros da Mundial saíram da Universal, uns 30% da Internacional da Graça e o resto das demais evangélicas ou outras religiões”, diz Paulo Romeiro, professor de teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e autor de um livro sobre a igreja.

Fazer um documento desses é pedir pra isso vazar. É CLARO que um pastor não precisa disso. E se eventualmente ele recorrer a este tipo de expediente, é ÓBVIO que jamais irá documentar isso em papel.

Valdemiro pode até fazer o papel de bobo na Tv. Mas não confunda BOBO com BURRO. Ele não é nenhum dos dois. Pra mim isso é coisa plantada, vide a forçada no final, para incluir o nome dele no documento.

A briga entre Mundial e Universal se dá fora de ringues ou octógonos. Enquanto a briga da Universal com a Globo se deu nos canais de Tv e mídia impressa, na briga entre igrejas qualquer lugar é ringue, principalmente no púlpito.

A guerra de igrejas atual ocorre mais centrada entre nichos evangélicos. Sites especializados dos dois lados se engalfinham em batalhas, depoimentos, sites acusando um de ser bandido, o outro de ser ladrão. O video de Edir Macedo mostrando como tirar dinheiro dos “trouxas” é uma arma daqui, a notícia de Valdemiro ser pego com um carro repleto de armas não declaradas é usado do outro. A guerra não tem sinal de que vai parar tão cedo.

E não vai parar por uma razão simples. A Igreja Mundial de Valdemiro cresce numa velocidade ABSURDA. Isso entrou rapidamente no radar da Universal. É uma briga pelo dinheiro, lógico! Cada um dos dois lados clama para si o direito ao poder do Espirito Santo e acusa o outro lado de pactos com “seres das trevas” para impedirem seu sucesso. Os investimentos dão uma mostra do tamanho das mordidas que estes caras podem dar. Segundo informou uma fonte da Igreja Mundial para a Revista Istoé, só neste ano:

“Gastamos R$ 300 milhões com templos ultimamente e vivemos um tempo de estruturação e amadurecimento.”

%name Raposas em peles de pastores

 



Pense numa luta entre cobras. A confusão é parecida.

Podemos perceber o poder financeiro envolvido nessa disputa com  uma simples análise do patrimônio dos envolvidos. O portal R7 (da Reord) dá detalhes sobre o patrimônio do “apóstolo”:

Um documento oficial do Registro de Imóveis da Comarca de Barueri atesta que o casal comprou bens em Alphaville: outra mansão no Residencial 9, avaliada em cerca de R$ 2 milhões, e um apartamento cujo preço gira em torno de R$ 500 mil. 

 

Uma casa de cerca de SETE MILHÕES DE REAIS não é nada mal para quem saiu de Cisneros, um distrito de Palma, na Zona da Mata Mineira, um lugarejo de 6.545 hab. (dados do IBGE censo 2010).

De fato a Igreja de Valdemiro perece um aperfeiçoamento do sistema Universal em muitos aspectos. Ele também compra imóveis quebrados ou com dívidas (supermercados, cinemas, lojas grandes) para montar suas “salas”. Mas enquanto a Universal investe em emperequetar o lugar, as salas da Mundial são grandes espaços vazios, onde se coloca cadeiras de plastico, de PVC. São milhares. O verdadiro investimento se dá no sistema de som, e no palco. Ao que parece, o foco é a lucratividade máxima.

Uma parte subestancial da grana vai para (obs: deveria ir) custear os horários na Tv aberta. Hoje é uma disputa ferrenha entre denominações para o espaço televisivo disponível. Recentemente, em mais um round da disputa, Valdemiro perdeu horários na Band e rede 21 para Edir Macedo. O motivo do fim do contrato seria a falta de pagamento, o mesmo que aconteceu com a rede CNT.

A Crise

Há uma máxima que diz que o melhor negócio do mundo é um banco. O segundo melhor seria um banco, mal administrado.
Eu não tenho certeza se esta máxima levou em consideração o negócio da fé. Porque ela dá lucro, é uma atividade econômica que hoje está sendo exportada para diversos países. Em Angola chegou a ter morte devido a superlotação dos templos. É um negócio MILIONÁRIO, e que não paga imposto no Brasil.
Não consigo imaginar NADA melhor no Brasil para lavar dinheiro que uma igreja, algo que você abre em menos de 15 dias e já começa te livrando do imposto de Renda.
Assim, seguindo nesta lógica, se uma igreja é o melhor negócio, uma igreja mal administrada talvez seja melhor ainda.

%name Raposas em peles de pastores

 

 

Curiosamente, as notícias são que a Igreja de Valdemiro esteja com graves problemas de caixa devido a “desvios de verba”. Em recente matéria da Revista Istoé, a crise da Mundial foi exposta:

“Cerca de 30% dos recursos que arrecadamos são desviados por bispos e pastores. Por mês, R$ 30 milhões saem pelo ralo”, afirma um alto dirigente da IMPD do Rio de Janeiro.

“Há dois anos e meio atrás, o apóstlo Valdemiro descobriu uma dessas quadrilhas no ABC paulista liderada pelo bispo [de acordo com a matéria o bispo seria um tal de Josivaldo] e por seus auxiliares e os expulsou.”

Na verdade, Valdemiro apenas mandou Josivaldo para Portugal. “Diante da crise, Valdemiro nomeou Jorge Pinheiro, marido da irmã de sua esposa, para gerir o setor financeiro e administrativo da IMPD no lugar do bispo Josivaldo, que foi transferido para Lisboa”.

Parece estranho? Pois é. Não é só pra nós que parece estranho. Para a polícia também.

Em São Paulo, o líder evangélico é alvo de uma investigação do Ministério Público estadual e da Polícia Civil. A revista revela que desde janeiro de 2013, diligências feitas pelo Grupo Especial de Delitos Econômicos (Gedec) e pela Divisão de Investigações sobre Crimes contra a Fazenda, da Polícia Civil, apuram um suposto crime de lavagem de dinheiro e ocultação de bens, direitos ou valores.

O apóstolo se tornou alvo das autoridades quando elas descobriram que a Fazenda Santo Antonio do Itiquira, localizada em Santo Antônio do Leverger (MT), um conglomerado de 10.174 hectares de terras ocupado por milhares de cabeças de gado, foi comprado por R$ 29 milhões à vista pela empresa W. S. Music, cujos representantes são o apóstolo e sua mulher, a bispa Franciléia.

O caso, que pode configurar por uso do dinheiro de fiéis para enriquecimento pessoal, e corre em sigilo, após as denúncia feita pelo jornalismo Domingo Espetacular, da Rede Record.

Para tentar se reequilibrar financeiramente, Valdemiro decidiu se desfazer de duas Cidades Mundiais, como são chamados os megatemplos da IMPD, em São Paulo e no Paraná.

Não creio que o documento lá de cima seja verdadeiro, embora eu tenha PLENA CONVICÇÃO que esses caras praticam estelionato. Hoje virou moda uma igreja acusar a outra de cafajestice para parecer menos cafajeste. É comum vermos essa manobra com nossos ilustres políticos (vide o Garotinho, na disputa do Governo do Estado do Rio, só pra ficarmos na seara evangélica).  Parece até um trocadilho dizer isso dos “bispos e apóstolos”, mas nessa briga, ninguém “é santo”. E termos de documentos canhestros ainda fico com aquele diploma de dizimista, vendido na Universal, e que era assinado por ninguém menos que Jesus Cristo.

%name Raposas em peles de pastores

 

fonte fonte fonte fonte 

Artigos relacionados

Comments

comments

48 comentários em “Raposas em peles de pastores”

  1. Eu fico vendo isso tudo com muita pena do “rebanho” desses pastores, porque eu já vi histórias de idosos desalojados, famílias destruídas e outras coisas inacreditáveis no rastro da sanha incessante dos falsos pastores pelas doações dos fiéis, e justamente quem é MAIS POBRE que doa mais para eles. É simplesmente nojento. Queria que eles se pegassem e destruíssem mutuamente, caindo num abismo rumo ao inferno.

    • Aline, para isso seria preciso demonstrar, de forma inequívoca, que “inferno” ou “céu” existem realmente, e não são meros conceitos humanos. Porque, até onde sei, ninguém que foi para qualquer um deles, voltou para explicar de forma racional, sensata e convincente, como é por lá. então, de que adianta mandar alguém para um lugar que, possivelmente, nem existe???

      • E mesmo que voltasse… Quem acreditaria? Qual o valor de um relato, né? A gente já comentou sobre isso antes por aqui. Quem pode garantir que o céu não é um lugar com 200 virgens como esperam os homens bomba?

        • Bem, dizem por ai que a verdade a todos convence. Seria interessante conversar com quem “supostamente” voltou do “céu” (não importa se cheio de virgens ávidas ou de velhinhas celibatárias), submetê-lo a baterias de testes e exames (não se trata apenas de um simples polígrafo), entrevistas com pesquisadores sérios, e poderíamos chegar a uma conclusão sobre os relatos de tal pessoa.
          Digo isso não porque acredito que algo assim acontecesse (a pessoa “voltar”), mas sim pensando que a tal “transição” seria meio que um caminho sem volta. Mesmo os adeptos da reencarnação enfrentam, pelo menos, uma questão espinhosa: se é verdade que a energia motora de nosso corpo (dê o nome que quiser) passa de uma pessoa para outra, numa forma de “aprendizado”, porquê razão essa pessoa não recebe a “bagagem espiritual” da antecessora? Mal comparando, seria como um aluno que passasse para a série seguinte na escola, mas sem saber de tudo o que aprendeu no ano anterior. Não faz o menor sentido. E se nem faz sentido, tem grande chance de não ser verdadeiro. Dizem que é para não carregar as más experiências da vida passada, mas, como se sabe, é com os erros que aprendemos.
          Mesmo não acreditando na volta de alguém do além (foi uma ironia… mas como você mesmo comentou com outro leitor deste post, escrevendo não dá para usar entonação, logo, é preciso explicar quando se usa a ironia), seria interessante ver alguém tentar explicar – e convencer – as pessoas de tal proeza!

          • Talvez a pessoa tome bomba, pois é bem mais comum vidas inteiras cinzas e negras do que vidas brancas e de auto conhecimento e aprendizado rs.

  2. Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

    Algo mais?

    • Cumpadre, de pouco adianta citar o código penal pátrio. difícil mesmo é provar que “fé” se enquadra em estelionato. Menos ainda, em fraude, já que poucos acreditam que esses malandros “fraudam” suas crenças. Demonstre isso e estaremos num bom caminho!

  3. Rapá, isso ai é um ninho de vespas. E pior que conheço gente da minha família que iniciaria um bate-boca [no minimo] se alguém falar mal do Valdomiro perto dele.

    • Caro, com pessoas assim nem perca seu tempo. Não vale a pena, nem a saliva. Deixem que eles neguem a realidade diante de seus narizes, e continuem “contribuindo”. Quem admira malandro se identifica com ele, e tem tanta culpa consigo, que não vê a hora de se livrar de alguma carga de consciência, pagando uma “ofertazinha”……

  4. A “carta”, claro, é falsa… até mesmo porque o “apóstolo-boiadeiro” pode se aproveitar do mote nesse sentido, e alegar “perseguição”. Mas seu conteúdo é totalmente verdadeiro. E faz sentido. Não é de hoje que a “igreja” desse canalha passa por “dificuldades financeiras” (mesmo afirmando que o Senhor proverá…) por conta dos gastos exorbitantes, e do desvio de dinheiro, para fins pessoais.
    Valdomiro é “cria” de Edir “maiscedo”, que por sua vez, é “cria” da… igreja católica. Sim, pois quem foi que começou com o comércio de indulgências, inventou o “purgatório”, que não existe na bíblia, mas que servia aos interesses de quem pudesse pagar para “salvar” sua alma, inventou o dízimo”, alegando que deveria ser a décima parte do trabalho do crente… quando qualquer ser superior à uma ameba sabe, ou deveria saber, que “dízimo” vem do latim “decimare”, que quer dizer: matar um em cada dez. E era o que o exército romano fazia entre os soldados conquistados. Matava um em cada dez, para das exemplo. Então, dizimar é eliminar um em cada dez. E não dez por cento do que cada um ganha.
    E não tem pastor sério, não. Se alguém conhece algum que passe pelo mínimo escrutínio de uma “ficha limpa”, que anuncie. Mas… pedir dinheiro, seja a que título for, não é crime, nem pecado. É imoral, é anti-ético, mas… não é punível, em nenhuma das duas doutrinas. Doa quem quer, para quem e o quê quiser, e o quanto puder. e não se pode fazer muito, porque ignorância e fé cega não são ilegais em nenhum lugar do mundo.
    E os malandros vão prosperando. Por isso, fica a pergunta: cadê uma intervenção divina, numa situação onde os malandros prosperam e os honestos são extorquidos???

  5. Phil,em primeiro lugar parabéns por abordar temas assim,achei que você era cético em relção a Deus e que nem se preocupava com estas questões “religiosas”,mas percebo que você trazendo este assunto a tona,vai deixar as pessoas que frequentam estes prostíbulos com a pulga atrás da orelha.E com um mínimo trabalho de pesquisa nas próprias escrituras ela vai perceber que para começar a questão do dízimo está toda adulterada por esses lobos em pele de cordeiro.é só ler o capítulo inteiro da questão do dízimo que tu percebe a distorção que esses caras fazem da palavra do criador.
    Não creio na bíblia,creio nas palavras do messias e do criador.Tem muita coisa adulterada e sem sentido.mas a palavra do criador tem muito poder,interessante ver você meio que indignado com o que esses caras estão fazendo com o dinheiro dos pobres ignorantes que frequentam esse tipo de lugar.Creio que quem lê este blog e acredita em tuas palavras ou vai te odiar ou vai perceber coisas importantes que mudarão a própria vida.Muito bom Phil,parabéns pela atitude,muitos blogueiros não teriam a coragem de mexer com esses kras aí como você teve.

    • Cumpadre, acredito que o foco do tema seja mais a malandragem pastoral do que a crença religiosa. Que o autor me corrija se eu estiver errado, mas não se trata de fé ou religião. Trata-se de apropriação da grana alheia em proveito próprio, usando a religião como pano de fundo.
      Agora, curioso acreditar na “palavra divina” sem recorrer ao livrinho do qual não se conhece bem a autoria. Sem recorrer a tais livros, seja na doutrina do cristianismo, seja na islâmica, budista, ou qualquer outra, como é que a “palavra” é passada adiante? Além da fé inabalável, tais doutrinas – ditas religiosas – possuem um outro ponto em comum, do que discordo: Deus não gosta de interagir diretamente com a humanidade, e precisa de interlocutores, os quais, por sua vez, possuem “interesses’ que coincidem com a “vontade divina”. Suspeito, para dizer o mínimo. Por isso não acredito em muitos que falam em nome de Deus… pelo menos sem ter uma procuração assinada por Ele… (ironia, já vou avisando!).

    • Não sou cético com relação a Deus. (suspeito que vc se refira a ateu). Eu sou Católico, sempre fui. O que não significa que eu não possa discordar e nem pensar com a minha cabeça sobre certos dogmas completamente equivocados da igreja.
      Eu defendo a causa crente, ou como chamam erroneamente, evangélica, porque tenho amigos evangélicos e conheço muitas pessoas dessas denominações que tem assegurado constitucionalmente o direito a sua fé.
      Não acho que são burros por pagar dízimo à igreja deles. Acho que muitos sim, são vitimas. Mas não é com uma generalização que iremos compreender a verdade.

      Quando me refiro ao mau uso do dinheiro que JAMAIS deveria ser para tornar a vida dos pastores (e isso inclui padres) abastada, não estou criticando a existência do dízimo ou da doação do fiel. Acho que se o dinheiro é dele, se ele acredita naquilo, se faz sentido para ele fazer uma doação, que faça. O que me deixa indignado é o mau caratismo de contratos com Jesus, (assinados por Jesus) a extorção pura e simples, o uso de técnicas hipnóticas em cultos, ao estabelecimento de METAS de arrecadação aos pastores, a má fé de doentes falsos, os patrimônios nababescos e as ligações espúrias com o crime, com os políticos mais abjetos desta nação…
      A lei surgiu para proteger a liberdade de culto, a liberdade de fé, mas muitos aproveitadores vêem nisso a possibilidade de lavar dinheiro do crime organizado e da corrupção.
      Ao meu ver sempre haverá esses safados entranhados na religião tentando enriquecer. A própria Igreja Católica Romana anda às voltas com a crise dos padres que desviaram fabulosas somas do banco do Vaticano, crise que culminou com a renúncia do Bento XVI, então, o problema do larápio religioso é um problema amplamente disseminado. Igrejas e religiões tendem a formar acumulação de capital. A acumulação de capital tem como efeito colateral a corrupção e o desvio.

      • Philipe, aproveitando seu “gancho”, também FUI católico mais por imposição familiar do que escolha própria, afinal nunca me mostraram outra “religião” ou doutrina filosófica quando era pequeno, daí pensar que existia apenas “um” caminho para se chegar a Deus. Com a maturidade e a chegada da razão, passei a entender que Deus está acima desses conceitos terrenos que fazem Dele. Não importa ao Criador o que façam em seu nome, ou se o usem para o bem ou para o mal. Por isso, cada um pode fazer – e dizer – o que bem entende em relação a isso. E não discordo dos ateus, porque eles podem ter razão e eu, não. Se fosse da Vontade Divina esclarecer essa questão, deus se apresentaria, Ele próprio, sem interlocutores, como fazem as religiões, à humanidade, e então, mesmo quem não acreditasse, passaria a acreditar.
        Hoje, pessoalmente, acredito que existe um Deus, ou o nome que você prentender dar, seja motor universal, grande arquiteto do universo, luz primordial, etc… que é a causa de tudo que existe. Não afirmo que seja verdade, trata-se daquilo em que escolhi acreditar, sem influências de terceiros.

  6. e dizimo no sentido do texto que está na bíblia não vem de decimare,vem de dizimar,ceifar,colher.
    Na lei de Moisés,num dos preceitos da lei de moises.Deus pedia que fosse dado a décima parte da colheita para os pobres e necessitados,pra viuva,pro estranjeiro e pro viajante.Esta colheita era entregue pro sumo sacerdote que tinha que ser um levita (que era os krinhas da tribo de Levi e nao musicos da iurd),entao eu me pergunto;esses sujeitos sao da tribo de levi? claro que não,mudando o sacerdote nao mudaria a lei? quem foi nosso ultimo sumo sacerdote.jesus hora.e qual a unica lei de jesus? amar a Deus sobre todas as coisas e o proximo como a ti mesmo.Jesus so falava desta lei.
    Por que os kras estao na lei de moises que eh do velho testamento? Ai os kras da teologia da prosperidade (deles claro) pegam este trecho pra dizer que se vc doar 10% sera abençoado.so que benção é uma palavra blasfemada.antes de traduzirem desta forma a palavra correta era chuva,se todos cumprissem a lei de Moises dando 10% da colheita para os levítas,eles nao tinham terras para plantar e Deus faria chover tanto que eles nao teriam nem onde armazenar tanta comida.é so abrir a bíblia e ler o capítulo inteiro para ver se nao fala justamente disso.nos somos brasileiros,nao somos da tribo de levi,e mesmo que fossemos nao estamos sob a lei de moises.estamos sob a lei do messias.ta tudo errado kra.ainda nao acredito como tem tonto que acredita.é so ler.e tem a outra parte que fala de dinheiro.que para quem nao tivesse como transportar a decima parte da colheita (pq nakele tempo era foda fazer isso),era pra vender a decima parte e comprar tudo que te agradasse,comida,carne da boa e até cachaça.(sim esta escrito isso),fazendo isso era pra se reunir com o próximo e dividir todas estas coisas boas com o seu co irmão seja ele quem fosse.se na frente dos templo$$ do valdomiro tivesse uma fila de mendigo sendo cuidado,recebendo assistencia,comida da boa,dentistas cuidando dos kras,nos espaços vazios dos saguoes estivessem danto aulas para o povo,sei lá,esse tipo de coisa.ate acreditaria que seria para a obra de Deus.agora que Deus vagabundo e miserável o desses kras,que precisa do nosso dinheiro (físico) para operar milagres.Tenha paciência.Abaixo segue uma pregação da qual os homens do sistema religioso nunca ensinam.

    E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos;
    Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio.
    O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;
    Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;
    E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação;
    Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós;
    Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
    Sendo nós, pois, geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.
    Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;

    Atos 17:22-30

    • Rodolfo, não pretendo entrar no mérito de sua crença religiosa, afinal ela é sua, não é mesmo? A verdade é que não se pode, como se faz com a fé, deturpar a origem de uma palavra. DIZIMAR é matar (eliminar) um em cada dez, e somente isso. Nada de ceifar, colher… nada de abrandamentos. Significado não é sinônimo, como você pretende que seja. E a raiz de dizimar é “decimare”, mesmo, com o significado já descrito. Mesmo porquê já tinham inventado frações percentuais naquela época? Tá, a matemática já existia, mas…

      • Em tempo, Rodolfo: de acordo com a Wikipédia da vida (fonte), “benção” não significa chuva, não. confere aí:
        “Bênção, de uma maneira geral, é uma expressão proferida oralmente constituindo de um desejo benigno para uma pessoa, grupo ou mesmo uma instituição, que pressupõe um efeito no mundo espiritual, de modo a afetar o mundo físico, fazendo com que o desejo se cumpra. Existem variações e especificações conforme a religião.

        No hebraico, a palavra bênção (berekhah) vem de uma raiz (barakeh, beirakheh) que significa ajoelhar, abençoar, exaltar, agradecer, felicitar, saudar. Tanto no hebraico quanto no grego (eulogia) apresenta um sentido de concessão de alguma coisa material. Todavia, a forma grega acrescenta ainda os bens espirituais. Nos dicionários, consta como ação de benzer, favor divino, graça.”

        Bem diferente, né? Aliás, “palavra de Deus” precisa ser interpretada? Bem, cada um pode ter uma forma diferente de interpretação do que se divino, ou não. Logo, interpretar a vontade divina vai gerar confusão… tenso!

  7. Olhando para este processo de arrebanhamento de tantos milhões de brasileiros por este charlatanismo institucionalizado é que se tem a real dimensão do quão ignorante pode ser um ser humano. Acho que Einstein estava completamente certo quando disse que a ignorância não conhecia limites. Além de brochante é desalentador porque atrás do controle psicológico da manada há um projeto espúrio de poder sobre toda a nação, num regresso à idade média em termos de costumes e liberdades civis, que coaduna forças reacionárias ligadas ao sionismo internacional, os interesses estrangeiros e um projeto de desintegração social do país. E as pessoas se calam por ignorância, porque não tem uma formação religiosa sólida que lhes permita enfrentar esse festival de charlatanismo ou por não quererem se indispor com os crentes ou por acharem que tudo isto é irrelevante e que nunca chegará a lhes afetar. Engano. Os alemães fizeram a mesma coisa nas décadas de 20 e 30 do século passado e pagam a conta por sua omissão até os dias atuais.
    Diante disso me convenço cada vez mais que defender os Beagles e outras espécies animais(?) da crueldade humana me tornam mais próximo do Criador do que seguir esses falsos profetas que, acredito eu, nem os espíritos imundos que entraram numa vara de porcos se apoderariam de seus corpos para não se sujarem ainda mais.

    • Se algum comentário pudesse exprimir toda a minha raiva e tristeza com essa situação, certamente seria esse. Tiraste as palavras da minha boca (digo, dos meus dedos)!

  8. Ninguém é obrigado à dar dinheiro pra igreja, só pro governo, via impostos.

    Então deixemos as pessoas que não gostam do próprio dinheiro torrarem ele do jeito que quiserem, pois não fizeram mal à ninguém.

    • É que o dinheiro “doado” para a “igreja” pode ser deduzido do imposto de renda. Como a Rede Globo fazia (e acredito que ainda faz) com o valor arrecadado com o “criança lambança”: doa em nome próprio e abate do imposto. Desviando esse valor do imposto de renda, ele vai para os bolsos dos malandros. Tá certo, não é muito diferente do desvio de dinheiro público, mas a falsa “boa intenção” dos “doadores” é que é revoltante!
      E gostaria de ver uma pessoa que não goste do dinheiro que suou para ganhar. Só pode ser doente mental!

  9. Tenho minha fé em Deus mas acho que todas as religiões (sem exceção) abusam da fragilidade dos seus fiéis.
    Fui uma vez numa dessas neopentecostais acompanhar uma amiga.
    Achei o culto bem bonito, mas lá pelas tantas começaram a expulsar demônios. Até que chegaram em mim.
    O tal pastor colocava a mão na minha cabeça e me empurrava para trás. O seu fiel companheiro me segurava pela cintura, alegando que iria me segurar eu eu caísse. Mas na verdade o infeliz me empurrava para baixo.
    Então eram os dois me empurrando ao som de “Sai dela diabo!!” que ficou bem difícil ficar em pé. Caí.
    Fiquei tão decepcionada e constrangida que nem tive reação.
    Sentei no meu canto e esperei aquele teatro acabar. Me senti triste de ver que todo aquele povo realmente acreditou que o diabo saiu de mim. Quando na verdade só levei um belo tombo no chão.

  10. Enquanto não forem cobrados impostos desses canalhas eles continuarão a lucrar com os idiotas desse país. E o pior é que esses ”crentelhos” estão cada vez mais poderosos no meio político, graças aos votos de seus ”currais” eleitorais; ”nazistinhas” como Marcos Feliciano se tornam cada vez mais populares e almejam mais poder para criar sua ditadura evangélica nesse país. Se esses caras chegarem ao poder vão transformar o Brasil num outro Irã, talvez pior ainda. Abre o olho povo!

    • Caro Otário – muitas vezes também me considero um – eu penso que a única razão pela qual uma “ditadura reliogiosa” conforme também referido pelo Philipe não vai dar certoé a mesma pela qual o crime organizado ainda não assumiu o controle – de fato – do país: desunião. Comparando, tanto a indústria da fé quanto o crime organizado são bem estruturados em termos de logística; hierarquizados e praticamente onipresentes. mas como em ambos “cada um tenta comer o outro pela perna”, a “organização” como um todo não consegue se manter coesa e vai capengando.
      Se fossem administradas com modelos empresariais bem sucedidos, estariamos “no bico do corvo”. Para a nossa alegria, ops, digo, nossa sorte, ainda não o são.

  11. Precisamos aprender a separar religião do estado de fato para nos tornarmos uma autentica democracia. A liberdade de culto é um valor importante numa democracia, mas liberdade de culto não implica em facilitação de culto. Nos EUA igrejas não pagam imposto DESDE QUE não vendam produtos físicos (e isso inclui tiolinhos que nem os do Valdomiro e os vidrinhos de azeite vagabundo do Macedão), não tenham veiculação em mídia (canais de rádio e TV) e, principalmente, não tenham representação política. Isso é muito interessante e deve ser analisado: se uma Igreja vende alguma coisa ela não é igreja apenas, é comércio; se está na mídia não é só Igreja, é empresa de comunicação e, acima de tudo, principalmente, se mistura política com religião não é Igreja, é associação política. Por isso que, mesmo com uma população de maioria protestante e evangélica, os americanos não elegem pastores, porque eles sabem o preço que se paga quando se mistura as duas coisas. Por exemplo: alguém já ouviu falar no Reverendo Jesse Jackson? Ele tentou se candidatar a presidente, era pastor presbiteriano, mas para não obrigar uma das maiores igrejas americanas a declarar impostos ele simplesmente se desligou e abraçou a bandeira dos direitos civis (nos anos 80) e dos pobres. Não chegou nem nas primárias do partido democrata, porque as igrejas NÃO PODIAM pedir votos para ele. Isso é laicidade do estado.
    Mais perniciosos que os Valdomiros e Macedos são os políticos que colam com eles: Anthony Garotinho e sua esposa foram OS PIORES governadores que o Estado do rio já teve (muito piores que o Sergio Cabral, e isso pode ser provado em números) e durante seus mandatos, usaram estrutura de igrejas para arregimentar para si uma massa de pobres que só podiam pegar o cheque cidadão da mão dos pastores. O Mau pastor tem facilidades na mão do mau político e o mau político se beneficia da popularidade do mau pastor para eleger outros maus políticos – por causa da nossa medonha lei eleitoral do voto proporcional um pastor que nem o Marco Feliciano recebe 200 000 votos e carrega junto uns dois ou tres politiquinhos de quinta que vão votar a favor de todo tipo de lei escrota pra ferrar o povo, que vão negociar apoio para qualquer projeto em troca de dinheiro. A melhor forma de coibir o poder dessas Igrejas é a) fazê-las pagar impostos b) implementar o voto distrital, acabando com a proporcionalidade. Assim, se uma porra que nem o Marco Feliciano se elege, ele se elege SOZINHO, e não carrega mais quatro ou cinco.
    Em tempo: eu TENHO religião, ou melhor dizendo, religiosidade, e eu não sou a favor do fim das igrejas, porque elas respondem anseios das pessoas, de acordo com o que eu acredito que seja a evolução espiritual de cada um. Conheço evagélicos boníssimos, que não apoiam esse tipo de político ou igreja, assim como conheço ateus que são ótimos e outros (que eu chamo de chateus) que se acham os mais espertos do universo porque não acreditam em Deus. A religiosidade é um valor que está ou não está no ser humano, aproveitar-se dela é que é um crime sem tamanho, e por isso que eu acho que as igrejas tem, sim, que ser vigiadas e reguladas pelo estado democrático.

      • Realmente a Aline disse tudo, mas peço licença para uma pequena ressalva: creio que tributar as igrejas de pouco ajudaria, pois o dinheiro do imposto não viria do trabalho dos “pastores”, simplesmente porque eles não trabalham. Logo, aumentariam ainda mais a arrecadação em cima dos miseráveis que exploram seguidamente, e esse dinheiro iria fatalmente parar nos bolsos dos políticos coligados, realimentando a “máquina”. Penso que mais correto seria aplicar em cima das “entidades” leis pouco conhecidas, como a do enriquecimento sem causa, que os forçaria a explicar como conseguem construir os templos ostentosos, os bens materiais, tudo adquirido em “nome do Senhor”, mas usufruídos pelos safados. Teriam que detalhar como conseguem tanta grana, e quem sabe, convencendo os pobres coitados que estão doando além do necessário para manterem sua fé. Pode ser utopia. Pode ser que de nada adiantasse, pois muitos aceitam e querem ser enganados. Mas acredito que deixaria os velhacos mais expostos à opinião publica… “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Quem sabe o velho adágio não seja verdadeiro?

  12. Bom, a história do “edir maiscedo” ensinar a tecnica para oa seus missionários pedir dinheiro e chacotear os fieis é verdade, Eu assisti a reportagem e os videos da época, Vi também os “obreiros” quando retiravam, no fim dos “trabalhos”, sacos de dinheiro.
    Claro que a carta do texto é “fake”, para incriminar e implicar o “bispo” em questão, provavelmente arquitetado pela concorrência.
    Eu sou de origem protestante de nascimento, meus familiares na sua grande maioria também, embora já há muito tempo não frequiente igreja nenhuma, mantenho a minha fé no que eu acredito e aprendi baseado na lógica dos fatos e da ciência, “achaismo”, não, sou mais realista nessa horat
    Tenho alguns parebtes que são fervorosos defensores da igreja que frequentam e tenho aré um tio (se não tiver mais de um) que é PASTOR, e propaga a sua fé de uma manbeira completamente diferente dessas que a gente vê na TV, é uma dedicação corpo a corpo, familiar, humilde e comprometida com a sociedade, e obras caridosas e sociais, nada de dinheirama e bajulação. Como vê apesar de não concordar com muitos aspectos dessas papagaiadas, eu também sei que ainda tem muita gente séria, que se por um lado não, são dado ao “estrelismo’, por ouro exercem dignamente sua função de intermediadores e representantes de CRISTO!

    • Tem todo o direito de expressar sua opinião, cumpadre! Agora, gostaria de fazer duas perguntas. Responda se tiver vontade: primeira, você acredita, então, em alguma coisa? Segunda: em caso positivo, em que?

  13. E a pressão psicológica feita nos fiéis? Nas pentecostais os pastores gritam em alto e bom som que Deus não gosta de miséria, que se você doa pouco será pouco abençoado e até amaldiçoado. Como se Deus precisasse do dinheiro de algum de nós ¬¬ É a pura alienação feita com pessoas tão desesperadas que creem em qualquer coisa

  14. ai Phil,por isso amo o teu blog.Escrevi algo que me veio na mente sem medo de ser feliz,claro que quando expomos nossa opinião estamos sujeitos a todo tipo de “ataque” verbal de outras pessoas.Mas o que acontece aqui é que você me respondeu com toda educação do mundo,expos mais pontos da questão que é muito ampla e o outro leitor John Doe me corrigiu de algo que eu acreditava de verdade,mas vendo pelo lado que ele expos vi que eu estava errado na questão da palavra benção.Muito bom poder debater esse tipo de assunto sem ser esculachado como de costume.O tipo de publico que frequenta aqui é acima da média sem sombra de dúvidas.

    obs.não sou católico,nem evangelico nem nada.Gosto das palavras do messias e acredito que o que está escrito tem poder e se cumpre.Questão de fé,por que se for analisar racionalmente vamos bater de frente com várias questões contraditórias.Mas como eu disse é questão de fé.

    obs 2.a sessão comentários desse blog é demais.o que a Aline Carneiro escreveu eu assino embaixo. (nao que eu seja importante ou grande coisa para dar meu aval,é so uma expressão)

    • Rodolfo, estamos aqui para trocar opiniões e conhecimentos. Críticas são sempre bem vindas, quando são construtivas. Da minha parte, pode ter certeza de que sempre respeitarei as opiniões de todos, concordando ou não com as minhas. Citando o grande Voltaire: “posso não concordar com nenhuma das palavras que disseste; mas defenderei até a morte vosso direito de dizê-las”!
      Abraços.

  15. Depois da corrupção feita pelos nossos políticos, acho que esse tipo de crime pregado por esses pastores que tiram dinheiro de que não tem um dos mais absurdos que existe !

  16. Não sou nenhum “mega entendido do assunto”, mas colocarei minha opinião:

    O que acontece hoje em dia (como vem acontecendo a várias décadas e tala), é o que ocorreu naquela passagem bíblica, em que Jesus expulsou os cambistas do seu templo, como diz o livro de Mateus, capítulo 21:

    Mateus 21

    12 Jesus entrou no templo e expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas,

    13 e lhes disse: “Está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração’; mas vocês estão fazendo dela um ‘covil de ladrões'”.

    E é justamente o que estão fazendo nos templos. Formando um covil de ladrões.

    Outra coisa, eu vejo o pessoal colocar muito a culpa em Deus, de tudo o que acontece, do que aconteceu, ou do que pode vir acontecer, mas já pararam pra pensar que, a culpa disso tudo pode ser exclusivamente nossa?

  17. O Novo Testamento nao se fala em dízimo. O único livro que fala é o livro de Hebreus, mas Paulo nao pede dízimo, ele explica e apenas se refere. Paulo nunca pediu dizimo, e ele era Judeu, foi mebro do Sinédrio, homem da Lei. O Antigo Testamento é auilo que explicou Rodrigo, era para os Levitas que nao trabalhavam, sua funcao era o sacerdócio.

  18. dízimo era pra ser um auxilio, mas hoje em dia nas igrejas evangélicas se tornou algo tipo aquela história da herbachati e derivados “venda sua casa, seu carro, compre uma caralhada de produtos pra alcançar pontuação e se tornar um otario nivel 3, ter desconto de tantos porcento e tal…” …

    no caso “venda sua casa, seu carro, sua alma, pra conseguir um lugarzinho no céu, sentado no meio-fio da via sacra, mas pra conseguir um barraco vai dar o cú e pegar empréstimo, aleluia irmão…”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.