Pin It

Raça negra?

trofeu Raça negra?   Curiosidades

 

Hoje às 20h foi a entrega do “Troféu Raça Negra”. Um prêmio, que segundo o site oficial do evento é “Considerado o “Oscar” da comunidade negra”. Este troféu é um prêmio idealizado e realizado pela Afrobras e é o único que reconhece e valoriza o talento do negro brasileiro.Eu fico intrigado como pode uma coisa dessas. Não tenho nada contra os negros, mas eu acho muito escroto que alguém seja premiado, seja por qual atividade for, apenas por ser negro. Se eu fosse negro e fosse indicado pra uma merda assim, eu não iria. Do mesmo jeito que não iria para um premio que me rotulasse de branco, de latino ou até de homem.

Essa tal Afrobras deveria lutar pela redução da discriminação racial no país, mas ao contrário, na contramão do bonsenso, eles promovem a separação racial criando premiações só para negros, subentendendo e reforçando uma idéia de que o negro não é premiado nos eventos que teoricamente seriam “dos brancos”. Cabe a pergunta já batida sobre o que é branco e o que é preto no Brasil. Por exemplo, se o Neguinho da Beija-Flor ganhar este premio que é exclusivamente para negros, outro sambista não teria direito de impugnar a premiação, uma vez que o Neguinho tem mais genes europeus do que africanos?

A verdade é que Troféu Raça negra já é um título de premissa equivocada. Uma aberração social que não deveria haver. A Justiça através dos seus mecanismos que defendem as pessoas contra o preconceito social no Brasil deveriam condenar a tal Afrobras a algum tipo de multa ou no mínimo desculpas públicas a reduzir os negros a uma idéia errada e antiquada de raça.

“Raça”, só existe a raça humana. Preto e branco, japonês, esquimó, latino, índio, etc, não são raças. Isso é científicamente provado. Grupo étnico não é raça, e não está na cor da pele. Isso é uma idéia de idiota eugenista alemã da época da Segunda Guerra Mundial.

Ao invés de promover uma premiação que forma um gueto de negros na sociedade brasileira, essa tal Afrobras deveria tomar vergonha na cara e assumir a dianteira de uma luta pela inclusão do negro na sociedade, não num paliativo, uma premiação à parte. Quer valorizar o negro? Ótimo, maravilha. Acho justo e fundamental. Mas essa aí não me parece a maneira certa, porque se é como eles acreditam que seja, que há um preconceito arraigado na sociedade contra o negro ao ponto de excluí-lo das demais premiações pela cor da pele, isso pra mim é a atitude fraca e covarde de quem foge a luta. Você acha que o negro tá sendo sacaneado? Então mete a boca no mundo. Faz protesto, exija. Haja. Pentelhe o diretor da novela para colocar negros ricos, sei lá. Encha o saco do Boninho para ter mais negros no Big Brother. Se há tantos negros no Brasil, por que geralmente só tem um negro só no BBB e umas 3 ou 4 louras a cada edição? Metamos a boca no mundo. Briguemos! Vote em negros, ué. Quer força maior que o voto?

O Brasil é um país que de longe, qualquer um avaliaria como um país avançado em seus métodos democráticos de combate ao preconceito racial. Veja por exemplo que temos, graças ao Lula e sua sanha de “gênese ministerial”, uma ministra só pra isso.

É. Aquela mesmo, a ministra Matilde Ribeiro, da Secretaria Especial de Política da Promoção da Igualdade Racial, que tempos atrás se viu numa situação delicada, ao “mandar mal” como só FHC conseguia falando de improviso. Ela disse: “não é racismo quando um negro se insurge contra um branco”.

- A reação de um negro de não querer conviver com um branco, eu acho uma reação natural. Quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou - Continuou Matilde.

De fato, eu reconheço que foi mesmo sacanagem que:

1- Uma tribo africana escravizasse outra
2-Essa tribo vendesse os escravos da tribo rival para os comerciantes de seres humanos
3- A política escravagista do período colonial que explorou a mão de obra escrava na construção do Brasil

Ponto. Se hoje o negro quer ficar puto, ele tem todo direito. Mas ficar puto vai resolver o que mesmo?

Os escravos estão todos mortos, assim como os negreiros. Até a princesa Isabel que “libertou” os escravos, transformando-os em milhares de mendigos sem salário nem moradia da noite para o dia, gerando o maior problema social da história no país, que culminou nas favelas dos grandes centros, já bateu as botas faz tempo. E eu não conheço nenhum negro que tenha sido açoitado a vida inteira. Ainda bem.

Mas antes de culpar as pessoas que a ministra considera Brancos, o negro que se acha sacaneado deveria culpar a outra tribo africana que mandou seus antepassados para o Brasil. Então, na raiz do problema, o negro tem que resolver seu problema com o próprio negro.

Isso que eu estou falando tem uma segunda leitura, até mais complexa. O negro resolver o problema com o próprio negro significa também se olhar no espelho. Fazer uma reflexão sobre sua existência no mundo e sua auto-imagem. É parar de ser ver como um coitadinho que tem que mendigar cotas do Lula. É parar de se ver limitado apenas ao segundo escalão. É se ver como um ser humano acima de tudo. É ter consciência que mesmo pobre financeiramente é possível romper a limitação e vencer na vida. Culturalmente, intelectualmente e financeiramente.

Eu não entendo como pode uma – veja bem o título – Secretaria Especial de Política da Promoção da Igualdade Racial dizer que acha normal que o negro não goste do branco. Eu acho que ela deveria honrar o MEU dinheiro que paga o SALÁRIO e as MORDOMIAS dela e trabalhar duro para fazer o branco gostar do preto e vice-versa, uma vez que é retardamento mental achar que os brancos do século XXI têm alguma responsabilidade pelas abominações realizadas pelos antepassados obtusos durante trezentos e tantos anos no passado.

Vamos parar com essa chorumingação interesseira que dá piedade no governo para soltar dindim para ONG e vamos fazer alguma coisa prática? Vamos combater o crime? Vamos combater a gravidez na adolescência? Vamos fazer planejamento familiar? Vamos lutar por treinamento e salário digno para os policiais? Vamos pagar os melhores cursinhos para garotos de familias pobres terem acesso a uma disputa em igualdade de condições com todo mundo?

Chorar é fácil. Lutar é difícil.

Os negros têm que olhar para a escravidão dos antepassados com orgulho e ver que eles não se dobraram a ela. Muitos se rebelaram. Muitos morreram lutando pela libertação. E que do mesmo modo que muitos brancos os açoitaram no passado, muitos brancos lutaram pela libertação desses negros. Além disso, escravidão entre humanos não é prerrogativa de brancos. Sem falar que o próprio Zumbi dos Palmares os tinha.

A humanidade sempre funcionou pelo método do escravagismo. Não foram só os negros os sacaneados. No egito antigo os escravos eram os judeus, no Brasil já foram também os índios, e hoje em dia os escravos são os bolivianos que passam dias e noites em cubículos sem janelas, costurando em porões no bairro do Brás. Na China são meninas pobres.
Mas fazer a “nossa própria premiação”, num seleto “só nós” deixa uma certa percepção de que “já que os negros se auto-premiam, então não é necessário premiá-los”. E isso só contribui para a separação – que é o que entidades como esta deveriam combater.
A verdade é que ser premiado por ser preto ou branco é uma escrotice e este tipo de segmentação da sociedade vem a calhar apenas para as ONGs e os grupos que vivem dessa coisa do preconceito. Se o preconceito acabar, eles vão viver do quê? Não estou enfiando a cabeça na areia como avestruz. Eu reconheço que há sim muito preconceito com o negro no Brasil. E isso tem que ser combatido na esfera criminal. Afinal, é crime, não é?

Além disso, tem que ser o trabalho de todo brasileiro lutar duramente contra isso. Deveríamos valorizar as pessoas, as atitudes, o mérito e não a cor da pele, a aparência, procedência e o que é mais comum hoje, a conta bancária. Por trás dessa ideologia supostamente indiscriminatória está um interesse muito grande pela criação de um novo e completo segmento de consumo, nos moldes do que acontece nos EUA, onde há revistas para negros, musicas para negros, carros para negros, bairros para negros, códigos de conduta social para negros, filmes de hollywood só para negros, escolas para negros e tal. Lá, os negros não gostam dos brancos e vice-versa. Os negros têm mais espaço na sociedade americana do que aqui, (sob o ponto de vista do poder de consumo) e isso pra eles está bom, afinal, são o país do consumo. Além disso, não podemos copiar o que acontece lá, porque não podemos ignorar os aspectos histórico-sociais envolvidos nisso que ocorre hoje nos EUA. Além do mais, o que adianta ter uma sociedade polarizada? Eu não quero isso. Eu quero união. Quero conviver com pessoas de todas as cores de pele, até porque isso não significa merda alguma.

A polarização é uma furada que se reflete até no sistema de cotas, uma atitude de bom coração, mas que pode virar um tiro no pé dos negros se não for bem conduzida. E pelo visto, já não está sendo desde o começo.

Aqui a polarização social começou no meio da década de 90 e vem aumentando progressivamente. Há uma idéia disseminada de que os negros têm que se auto-afirmar socialmente. E para alguns isso funciona comprando a revista “Raça-Brasil”, vestindo determinada grife ouvindo certo tipo de música.

O preconceito é resultado de mentes defeituosas. O negro tem que mostrar superioriade a esta porcaria que querem enfiar na cabeça dele. O negro tem que mostrar através do seu trabalho que ele é bom.

Vamos largar dessa porcaria repetitiva de dizer que negros são bons em futebol, que são bons em corrida e que são bons em batucada. Parece que eles só servem pra isso. É detestável! Eu fico deprimido e não gosto de ver quando acontece na Tv, que o negro bate no peito e se orgulha disso, todo feliz com o resto que o branco relegou a ele. Essa coisa de que só o negro tem samba no pé… Que o negro tem “o gingado, a malemolência africana”. Até o pênis grande, numa clara associação entre negos e bestas primais. Essa idéia vem do tempo em que acreditava-se que eles não tinham almas. O negro, todo feliz se sente o máximo em saber que dança bem, batuca bem e ainda por cima tem um falo descomunal.

Isso é IDIOTICE. O maior falo humano era de um Branco: John Holmes.

Então vender o negro embrulhado nesse rótulo aí, pra mim é tão preconceito quanto dizer que o branco é esperto, o branco é limpo, o branco é honesto, o branco é inteligente. Francamente… O preconceito se esconde atrás dos rótulos. Até os que parecem vir para elogiar e nada mais fazem além de circunscrever uma faixa discriminatória na mente da sociedade.

Por dentro, todo mundo é vermelho! O Negro pode ser presidente de empresa, pode ouvir musica clássica, pode andar de carrão, pode namorar quem bem entender, loira, ruiva, morena, mulata, pode e deve ser protagonista da novela. E também pode – e deve! – ser bem sucedido sem ser traficante, nem jogador de futebol ou pagodeiro.

Eu sou terminantemente e rocambolescamente contra essa merda toda. Eu acho que o negro é tão bom quanto eu ao ponto de poder ir nos mesmos lugares que eu, ler a mesma revista que eu, consumir o mesmo produto que eu. Eu quero que meu filho estude com negros na escola, que tenha amigos negro, brancos, amarelos e do jeito que a genética vai, até azuis e fluorescentes.

Tirando a maquiagem, não vejo necessidade de tênis para negros, musica para negros, filmes para negros, carros, boates e etc. Isso é pura exploração comercial de uma maioria étnica travestido de um discurso agregador de orgulho social. No fundo, o que interessa é $$$GRANA$$$
Eu não vou dar receita para negro vencer na vida. Isso aqui não é blog de auto-ajuda e nem de lamentação étnica. Só acho que o negro é muito capaz e deve trabalhar bastante, ser muito honesto e correr atrás do seu futuro com garra. Saber votar, exigir os direitos e cumprir os deveres. Seja cidadão. Não aceita bala como troco. Não baixe os olhos para vendedores que te olham com nojo nos shoppings. Exija bom tratamento e respeito. Seja educado. Leia bastante. Seja o melhor profissional que puder ser. Qualifique-se. Não aceite ser apenas bom. Seja o melhor. Não aceite os rótulos. Não banque o sambista nem o jogador de futebol se você não sentir isso na alma.

Eu queria que o mundo não tivesse isso, porque se é pra ser peconceituoso, que sejamos contra os babacas.

No dia da consciência negra, pense nisso.

44 Comments

  1. “Isso é IDIOTICE. O maior falo humano era de um Branco: John Holmes.”

    É por isso que eu gosto do MundoGump. Mesmo durante um discurso sócio-”racial” eu ainda tenho acesso às bizarrices do mundo. XD

    Reply
  2. Simplesmente fantástico o seu modo de pensar. Eu não sei como os negros concordam com o sistema de cotas em faculdades, isso deixa imposto que eles não são capazes de concorrer com os alunos brancos. E ainda conseguem levar isso como uma conquista para a “raça” negra.
    Parabéns pelo post =)

    Reply
  3. É meu caro,

    Na verdade os maiores racistas são os próprios negros.
    E racismo é crime, mas tanto pro branco, como para o negro.
    E infelizmente, estou observando que os negros não são tão inteligentes. Pois, uma etnia que se auto discrimina não merece creditos por qualquer ato praticado.

    Vejam o exemplo deste prêmio. Pura falta de inteligência e de capacidade. Logo eles mesmo acham que não podem concorrer com qualquer outra etnia.

    Para refrescar a memoria dos que não acreditam que o negro não possa ganhar um Oscar, temos aqui: Sidney Poitier e Halle Berry.
    E devemos tirar o chapéu para um grande ator negro, Grande Otello.

    Vejo que racismo não existe. O que existe é falta de amor entre os seres humanos. É isso qu8e existe.

    Reply
  4. Sempre pensei assim – não deveria ter um dia da consciencia negra, porque se nao teria que ter um da consciencia branca, asiática, india, etc. Deveria ter dia da consciencia humana.
    e nao devia ser feriado – ja temos feriados demais.

    Reply
  5. na mosca. eu penso da mesma forma fico indignado, sempre que vou jogar bola me chamam de alemão, branquelo, etc.., não seria isso preconceito??, se eu achasse que é prejorativo, me sentisse ofendido, já tentaram me barrar num pagode ( pena que não conseguiram ) se eu me achasse inferior por causa dessas coisas, não seria preconceito, numca ví cotas para brancos, como se já fosse natural o branco ser melhor no vestibular e em tudo mais, na minha opnião poderia haver cotar para retardado mental, seria justo, afinal quem luta por direitos iguais não deveria promover a diferença, acho uma sacanagem que os negros foram escravisados, mas se alguém sabe um pouco de história sabe que quase todos os povos ou raças já foram escravos em algum momento, e nem por isso tem cotas ou um prêmio qualquer, imaginem um premio por ser alemão, ou italiano hahaha, deviam trabalhar para tirar o preconceito da cabeça dos negros é bizarro esse mundo …

    Reply
  6. Pode crer, é ridículo criar um prêmio só para os negros, é como se eles não tivessem a capacidade de competir com os brancos, e eles têm.

    Reply
  7. Mas fazer-se de vítima tem lá suas compensações…

    Chato é que esta gente se diz racional e avançada em seus conceitos. vamos explicar o porque uma pessoa considerada “negra” deve ter vantagens artificiais e outra de mesmo status social, considerada “branca” não tem.

    O problema do Brasil é SOCIAL e não racial.

    As tais “ações afirmativas” só estão criando preconceitos e derrubando o mérito dos afro -descendentes, pois agora toda vez que vc ver um profissional de nível superior negro, vc se perguntará: “sistema de cotas” ?.

    Reply
  8. Concordo com o que você disse.

    Sempre pensei dessa maneira.

    Reply
  9. Caras… quando entrei na faculdade, na minha sala estava o único negro da faculdade. Não acham estranho isso? Três mil alunos e só um negro?
    Então… acho que o esquema de cotas ou ações como esta do “OSCAR NEGRO” merecem atenção sim… não vejo elas como racistas não, mas sim, como ações que ajudem a reverter este quadro de pobreza e exclusão social do negro do Brasil.
    De que forma? Elas servem não pra dizer que o negro esta separado ou é melhor que o branco… mas sim pra mostrar que negros também tem valor e que produzem qualidade. Melhorando sua a auto-estima.
    Olhem bem na tv, novelas e nos comerciais, apesar da maioria de população ser negra, morena, parda ou como preferirem denominar… não tem a devida representação proporcianal.
    no oscar de Hollywood o simples fato de um negro ganhar um oscar não deveria chamra tanta atenção. Afinal de contas as pessoas acabam lembrando do ano que Sidney Poitier ganhou o oscar por causa do bom trabalho que ele fez ou só por ser negro?
    A proporção esta em 74 atores brancos e 4 negros.
    Se pensarem um pouquinho verão que em boas faculdades só entram na sua grande maioria pessoas que estudaram em bons colégios públicos em maioria particulares com regimes de aulas extra e tudo mais… ou que somente estudam. Que por exemplo não tem que dividir seu tempo entre trabalho e estudo. Ou acham que da pra comparar uma escola particular com uma escola de periferia? Em alguns casos nestas escolas de períferia as crianças (nem sempre negras… mas sempre pobres…) vão simplesmente pra comer…
    Não quero em alongar mas que isso… senão pode acabar ficando do tamanho do post original…
    Mas acredito que este tipo de política deva ser temporária… e não venham com o ditado… “EM VEZ DE DAR O PEIXE, DEVIAM ENSINAR A PESCAR”… nada de errado com o ditado… mas acredito que leva tempo pra aprender a pescar… e enquanto não se aprende a pescar deve-se continuar dando o peixe… e no caso da educação e do preconceito, os frutos disso só serão vistos com mais de uma geração. Os pais que hoje conseguem colocar os filhos por meio de costas em uma faculdade só verão o os benefícios reis destas ações na educação de seus netos.
    E a propósito sou branco, morei em uma área muito pobre da minha cidade, tive vários amigos (negros e brancos) de infância que se enveredaram pelas vias tortas e alguns já mortos, minha mulher é negra e tem dois empregos públicos, duas faculdades e antes de existirem cotas, foi a primeira PESSOA na comunidade dela a terminar a faculdade em 1994.
    Espero não ter ficado muito confuso o texto, tentei ser o mais enxuto possível.

    Reply
    • e porque não tem o OScar só para brancos? o dia da consciencia branca? haha por que não precisamos disso, quem precisa são os fracos… é isso o que eu entendo por criarem esses tipos de absurdos

      Reply
  10. Concordo com tudo o que você disse.

    Sinceramente é muito estranho os negros se orgulharem de serem taxados de “bons no futebol” ou “pagodeiros” porque se forem taxar o branco de inteligente ou de qualquer uma dessas coisas todo mundo vai dizer que é preconceito, isso com certeza.
    Quanto ao sistema de cotas, eu acho um absurdo, devia haver um sistema de cotas para os mais pobres(eu não sei se há), mas para negros nunca, isso só quer dizer que eles não tem capacidade pra competir com um branco, se for assim coloquem cotas pra quem tem QI baixo, pra quem tira notas ruins na escola e pra tudo o mais, acho que é isso, se podem criar uma cota para negros podem fazer isso tudo sim.

    Reply
  11. Então Marcio, acho que você está certo também. Tudo tem dois lados.
    Eu sou totalmente a favor da valorização do negro. Mas não por ser negro. Por ser gente. Eu critico é a denominação de “raça negra”. Os negros tem que se conscientizar que são brasileiros.

    Não tenho também nada contra o ufanismo africano. Mas sei lá. Somos Brazucas. Temos que parar com esse politicamente corretismo de dizer que negros são “afrodescendentes”. Ninguém me denomina de hispano-saxão descendente. O cara é preto do mesmo jeito que eu sou branco. Então o lance era acertar essas ongs para lutar por lugares para os pobres nas universidades públicas. Seja ele preto, seja branco.
    Tb me incomoda muito esse lance de ter poucos negros na mídia. O Brasil foi feito com o sangue negro e temos que honrar essa porra. (estou sem partido ainda)

    Reply
  12. Pra mim ao invés de cotas o negócio mais certo seria dar condições para todos competirem de igual pra igual no vestibular, ou seja, valorizar o ensino público fundamental e médio novamente.

    Porque na lógica das cotas não importa quão lixo foi a formação anterior, de qualquer maneira haverá aquela cota que permitirá a entrada na faculdade.

    Esse papo de “dívida social histórica” é subjetiva demais! Aí o que acontece é que entram pessoas que não estão no mesmo nível daqueles que entraram pela concorrência normal. Os professores sabem disso e têm duas opções: ou reprova o cara até ele atingir o grau de exigência que estava acostumado a cobrar antes das cotas ou passa todo mundo e deixa cair o nível de qualidade (o que está acontecendo no fundamental e médio).

    ALMA NÃO TEM COR!

    PS: parabéns pelo post, parece que essa é uma opinião meio que censurada na tv e nos jornais…

    Reply
  13. Apenas uma correção:
    Nos EUA se não me engano, retiraram essas cotas raciais justamente pelo que elas são: Racistas!
    De toda forma, brilhante como o autor do texto criticou os nazistas de plantão, Lula, PT, comunistas e demais esquerdistas. Tomara que os ditos nazis não fechem este site com o bom e velho “argumento” de fascismo. Sim, pois quando alguém aparece para criticar as malditas cotas, sempre aparecem os nazistas para chamar os outros de fascistas.
    Coisas de Brasilsilsil.

    Reply
  14. A tal Ministra provou que se escorregar e cair de quatro, começa a pastar na mesma hora.
    O que eu fiquei impressionado foi com a passividade do Presidente com relação a afirmação dela, e também a passividade da sociedade.
    Eu convoquei amigos a mandar e-mails pra tal Ministra, mas ninguém o fez. Acho que se ela recebeu uns 1000 e-mails de todo o Brasil, além do meu, foi muito.

    No mais, concordo com vc. Acho muito escroto tentar difundir essa idéia de “raça” no Brasil.

    Reply
  15. Concordo totalmente com seu post, isso aí de cotas e agora um prêmio estilo oscar mas aberto só para negros é totalmente surreal, acho que pensam que esse é o caminho mais fácil, a segregação racial quem faz e estimula são os próprios negros aceitando as cotas e agora isso.
    Um dos maiores atores negros da história o afroamericano Denzel Washington, lutou na indústria cinematográgica mais disputada do mundo que é Hollywood e conseguiu se firmar como um dos melhores atores da sua época e ainda ganhar oscar de melhor ator dentre outros prêmios, abertos a participação de todos independente de classe, credo ou cor.
    Acho que falta é vontade de ganhar as coisas do jeito mais difícil.

    Reply
  16. Acompanho o Blog a muito tempo e sou um grande admirador dos assuntos postados mais este eh um assunto que sempre acho que tenho que dar minha opinião.

    O que tenho reparado em nosso país é que justamente estamos importando um comportamento retardado e idiota dos americanos, nada contra os americanos mais desde pequeno escuto que o orgulho de meu país é a mistura de “raças” ou de culturas ou de TUDO, o brasil é um país que sempre tem lugar para todos, e isso está mudando, eu fico apenas com medo de que em um futuro nao muito distante, negros e brancos se matem nas ruas como hoje fazem os chefes de torcida, apenas por serem brancos ou negros ou que daqui a algum tempo tenhamos “bairros de negros” e “bairros de brancos” Recomento aos meus amigos a leitura do livro:Não Somos Racistas de Ali Kamel, eu li a alguns meses e se nao me engano este pensamento e violencia racista nos EUA comecou com o sistema de cotas, e vejam no que deu.

    Sem querer as mesmas pessoas que defendem as cotas caem em contradição como vi no post de nosso amigo marcio neste trecho:

    “minha mulher é negra e tem dois empregos públicos, duas faculdades e antes de existirem cotas, foi a primeira PESSOA na comunidade dela a terminar a faculdade em 1994.”

    Marcio, se o sistema de cotas é uma boa coisa, porque seria um grande feito sua esposa ter entrado sem o sistema de cotas? seria ela melhor que os que entraram com cotas? pense bem no que acaba de dizer, será que este pensamento tambem nao passa na cabeça de um empregador? ele contrataria uma pessoa que entou com cotas ou sua esposa? seriam elas avaliadas da mesma forma?

    Deixo um racado para os amigos, vamos parar de nos tratar como brancos ou negros e sim como humanos, e nos respeitar.

    Reply
  17. Quando dei exemplo da minha esposa ter feito faculdade e entrado em concursos sem as costas, foi só pra dar exemplo de que eal foi uma excessão, não par dizer que ela é melhor que que concorreu com ela independente da cor.
    Não estou falando que as cotas são a coisa mais justa, mas ach oque neste momento elas são necessárias. Assim como também é necessário uma melhor escola pública de ensino fundamental e médio, é necessáro que as pessoas possam comer bem (sub-nutrito tem defcit de aprendizagem), que possam morar bem entre outras coisas.
    Convenhamos, são coisas demais pra resolver de uma hora pra outra.
    Acho legal levantar estas questões e a discussão delas, muitas vezes a dúvida é melhor que a certeza, a dúvida nos faz parar e pensar. Não tenho que certeza se o sistema de cotas resolverá a longo prazo o problema da segregação no Brasil, mas acho que alguma coisa precisa ser feita.

    Reply
  18. Bem, “especialmente hoje” assistimos, lemos e ouvimos muita coisa a respeito do dia da Consciência Negra no Brasil. Mas francamente, não consegui ler, ouvir ou assistir nada a altura deste post, parabéns.

    Reply
  19. Olha, cara, esse negócio de “dia da consciência negra”, cotas em faculdade e premiação de expoente da “raça” é uma coroação do racismo, é o reconhecimento formal, a aceitação oficial de que a coisa existe, ou seja, não é nada mais nada menos que RACISMO, ou no mínimo um subproduto.
    Entre pessoas realmente civilizadas, educadas, pacíficas e porquê não dizer, entre pessoas de caráter superior um lance desses não rolaria, porquê, tá na cara: ISSO É SEPARAR AS PESSOAS POR COR, embora com boa intenção, mas de boa intenção está calçado o caminho do Inferno.

    Eu não me considero racista. Até uma certa idade tive amigos negros, namorei moças negras e morenas, sempre teve gente de toda cor na nossa turma para sair, e inclusive negros gays, e nunca considerei relevante o fato do sujeito ser ter a cor que fosse, era apenas o Paulo ou o Marcelo ou a Elzinha, não o preto isso ou o preto aquilo.
    Apesar de que eu fui quase linchado quando entrei num baile só de preto…mas ísso não quer dizer nada porquê também quase fui linchado quando entrei num shopping só de branco.
    E não ligo por ter sido tratado igual um lixo por um encarregado negro e nordestino durante 2 anos numa firma, o cara só falava gritando e gritava o dia inteiro igual um louco, eu comprei até um revolver para dar um jeito no cara, mas acabei achando melhor sair da firma, e não tive saco para trabalhar de empregado mais por causa desse f.d.p.
    Quer dizer, mas esse foi um caso isolado, era um cara ignorante, e a ignorância não tem cor – o cara pode ser caucasiano igual a mim ou louro de olhos zuis e pode ser um puta ignorante, e pode ser preto e ocupar um cargo de presidente da república e ser amado por todo mundo.
    Cor não quer dizer nada.

    Reply
  20. Garanto que se amanhã alguém criar o TROFEU RAÇA BRANCA, será preso em 30 segundos. Imagina então a existencia da BRANCOBRAS. Experimente usar uma camisa escrita 100% BRANCO (existe a 100% NEGRO)… ou que tal lançar no lugar da revista RAÇA NEGRA, a revista RAÇA BRANCA ? Essa turma aí devia ser tudo presa. Aliás, lei para proteger negros contra insultos já é ridiculo. Quem tem lei de proteção é animal.

    Reply
  21. Concordo com 99% do texto Phillipe, como sempre brilhante aliás.

    Só não concordo totalmente com relação às cotas. As cotas são um instrumento utilizado pelo Governo Federal para tentar modificar hoje, um quadro que o próprio governo criou com o fim da escravidão (como você bem mesmo disse, abandonaram os negros à propria sorte), e que os afetam de forma incisiva até hoje.

    O que não concordo é a forma como as cotas foram implementadas, porque tenho amigos próximos, brancos, que se ficarem no sol 10 minutos se queimam, e que mesmo assim, conseguiram entrar na UnB (que utiliza-se do sistema de cotas) se passando por negros. Isso sem falar no caso dos irmãos gêmeos IDÊNTICOS que tentaram entrar na UnB no sistema de cotas, mas um deles foi aceito, e o outro não! Ou seja, o sistema é falho.

    Concordo com as cotas, porque todos dizem que: se o negro se esforçar, se o negro estudar, se ele realmente se empenhar, ele consegue sucesso na vida. Concordo! Mas temos que pensar que na vida e na sociedade, independente de cor, etnia, ou nível econômico, o que nós temos são 10% de pessoas com inteligência abaixo do normal, 10% de pessoas com inteligência acima do normal, e o resto, a grande massa, os 80% estão ali no meio! São a média! São os que comprovam que a curva normal está certa. E a grande verdade, é que, em grande parte do Brasil, um branco médio, tem muito mais chances de ser bem sucedido, que um negro médio. E essa é a situação que as cotas tentam reverter, apesar de o Governo Federal ter implementado as cotas de maneira errônea e discriminatória.

    Até mais!

    Reply
  22. Aplausos a quem concorda com o incentivo a cultura negra, com o incentivo a cultura indígena, com incentivo a cultura do pobre e com incentivo a cultura branca mas não no sentido de hegemonia para nenhum dos casos.

    Na minha opinião é extremamente importante se organizar, discutir e principalmente mostrar o valor da população negra, seja como artista, como professor, como médico, como político, como jogador, como pagodeiro e etc. Se o cara gosta de fazer aquilo e não ta sacaneando ninguém deixa ele fazer, deixa ele dar valor ao seu trabalho.

    O movimento de conscienia negra não existe para excluir ou dizer que o negro é melhor que o branco e sim pra dizer e mostrar que ele é tão capaz quanto, só que muitas vezes isso só é possível dentro de um círculo de negros. Queiram ou não a sociedade é preconceituosa e racista, não só com os negros mas com os pobres, os favelados, os deficientes, em questões religiosas e por ai vai. É uma questão histórica e ingenuidade pensar que por que fulano ou ciclano (negros ou brancos) já morreram uma porrada de tempo o preconceito e todo sofrimento, morreram juntos.

    A sociedade herda comportamentos e pensamentos. Existem negros e brancos preconceituosos (IGNORÂNCIA DE AMBOS) e essas ações de divulgação da cultura negra servem justamente para mostrar que todos são iguais e capazes. Assim como existem incentivos e eventos para mostrar a cultura indígena, a cultura européia(como muitas festas no sul do Brasil), a cultura do pobre, da periferia e etc. É UMA MANEIRA DE EDUCAR.

    Cada premiação, cada divulgação cada incentivo no final das contas faz parte de uma reivindicação que quer dizer que se o negro não aparece ou não aparecia na mídia, se não tem condições de estudo e etc ele vai conquistar seu espaço do mesmo jeito, hoje tem prêmios e cotas, que particularmente tb não acho ideal, mas amanhã será diferente, haverá igualdade. Faz parte de um processo.

    O preconceito na Brasil é bem sutil, é chamado de preconceito velado, pra alguns ele realmente não existe, “É UMA ILUSÃO” mas é só pensarmos nessa discussão toda aqui no MundoGump, será que o Philipe escreveria algo contra a Oktoberfest, que entre outras coisas existe para festejar a cultura européia e possui premiações e tudo mais, e será que se ele escrevesse a maioria dos leitores estaria a seu favor? Essa é bem fácil e é pra refletir.

    Se o negro fosse esperar a chegada da igualdade social ele ainda seria escravo.

    E viva a diferença, e vida a igualdade!

    Reply
  23. [quote post="1395"]O preconceito na Brasil é bem sutil, é chamado de preconceito velado, pra alguns ele realmente não existe, “É UMA ILUSÃO” mas é só pensarmos nessa discussão toda aqui no MundoGump, será que o Philipe escreveria algo contra a Oktoberfest, que entre outras coisas existe para festejar a cultura européia e possui premiações e tudo mais, e será que se ele escrevesse a maioria dos leitores estaria a seu favor? Essa é bem fácil e é pra refletir.[/quote]

    Não sei. Acho que vc tava indo bem até escorregar neste pedaço.
    Segunda Wikipedia, “a Oktoberfest é um festival de cerveja e uma feira de produtos e diversões celebrada originalmente em Munique, no estado da Baviera, no sul da Alemanha, e disseminada por vários lugares do mundo. Em Munique, a Oktoberfest se inicia em meados de setembro e termina duas semanas mais tarde, no primeiro domingo de outubro – daí o nome Oktoberfest (Em alemão, “Oktober” significa outubro, e “Fest”, festa ou festival). No Brasil o festival é realizado em Blumenau/SC, Santa Cruz do Sul/RS, Igrejinha/RS, entre outras cidades.
    A primeira Oktoberfest aconteceu em Munique,no ano de 1810, e nada tinha a ver com a multidão de turistas, enormes canecos de cerveja e o parque de diversões da atual festa na capital da Baviera. Naquela época, foi instituída uma corrida de cavalos para comemorar o casamento do príncipe herdeiro Ludwig, mais tarde rei Ludwig 1º, com a princesa Therese von Sachsen-Hildburghausen. A festa foi tão boa e deu tão certo que se repetiu no ano seguinte e não parou mais. ”

    Como dá pra perceber, a Oktober fest é uma celebração da Cerveja, não da “raça branca”. Se ela se chamasse “Arian race festival” eu ia meter pau igual eu faço com uma festa chamada “troféu raça negra”.

    A verdade é que quando uma festa não é preconceituosa, eu não tenho mesmo nada a dizer, como é a oktober fest, como é o carnaval.
    mas este prêmio de “raça negra” é dureza. Este prêmio aí é indefensável.

    Eu acho que o sistema de cotas foi uma idéia de boas intenções que provou não funcionar direito, porque para algo dar certo, tem que ter mais do que apenas boas intenções. De boas intenções o inferno está cheio. As cotas não podem ser um “caminho mais fácil para o universo acadêmico” Também acho que criar uma universidade só de negros como já existe em Salvador é um exagero tão racista quanto uma só de brancos.

    Reply
  24. A Oktoberfest, como o Wikipedia mesmo descreve, é um evento que provém de raízes européias, mais especificamente da Alemanha, e nos remete a cultura daquele povo como a bebida típica(cerveja), as danças folclóricas(Tanzgruppe), a gastronomia(chucrute) a indumentária e etc.

    Segundo o Wikipedia “…Os participantes do desfile incluem grupo de dança (Tanzgruppe) nacionais e internacionais, sociedades de tiro ao alvo (Schützenvereinen), sendo que estas últimas tem suas raízes na Alemanha e contam com um histórico de mais de oitocentos anos. Também participaram sociedades de canto, de carros alegóricos, e outras. Entretanto, sempre predominam as trajes típicos germânicos(Trachten), muito chope (Bier) e comida típica dos teuto-brasileiros (Deutschbrasilianer)…”

    Fica claro que não é só uma festa da cerveja, pois se fosse a rainha da referida festa seria “o melhor barril de cerveja” ou “a cerveja mais gostosa” e não uma loira, de olhos azuis e cabelos bem lisos, nada contra loiras de olhos claros e cabelos lisos.

    Entendo que devemos admitir que é uma festa que celebra a cultura Alemã e sua raízes. Inclusive, em certos locais essas comunidades ainda preservam a língua pátria dentro das escolas e também fora delas, o que é muito bom pois é uma maneira de preservar suas origens, de educação e de celebrar o passado.

    A discussão não pode ser breve e se prender a questões de taxionomia. Não é porque o evento ou celebração tem a palavra “Raça” que ele se torna RACISTA ou EXCLUSIVISTA. Se fosse o caso o que seriam das Bandas Cidade Negra, Nação Zumbi, Afro Reggae e outros?!

    Vejo que o dia da Consciência Negra é um evento específico de valorização de uma cultura específica e não deve ser visto / interpretado de maneira pejorativa.

    É claro que existem pessoas e órgãos mau intencionados que se aproveitam e também ações equivocadas e racistas como é o caso da universidade só de negros em Salvador. Quanto a isso acho louvável muitas das coisas que foram escritas aqui. Antes fosse universidade só de pobres mas acredite, há quem tire um bom proveito disso, que irá pegar essas oportunidades, se esforçar e crescer intelectualmente. Como falei anteriormente isso tudo é parte de um processo.

    Existe um trecho de uma música do Cidade Negra que diz:
    “…E o negro não vai chorar
    Vai ter o colo da terra que é mãe
    O amor vai reinar no coração de quem nunca amou
    A terra é um bom lugar
    Um homem livre independe da cor
    Mas se tem que se juntar
    Unite..”

    Parafraseando esse trecho – Existe lugar ao sol para todos. Um dia o preconceito racial, de cor, de religião, de classes e etc vai acabar e os racistas e preconceituosos deixarão de ser ignorantes, no sentido de conhecimento, de ignorar, de não saber o que é conhecido. A bondade, o caráter e o intelecto não está na quantidade de melanina que um sujeito possui, não está na cor da sua pele, não está nas suas roupas, opções sexuais, no seu sexo nem depende do lugar que ele nasceu. Mas se alguém faz uma festa, não chama meus amigos e não me chama, tudo bem eu FAÇO A MINHA.

    Reply
  25. Está claro pra mim que discordamos neste ponto.
    Pra mim, a oktober fest não é uma festa racista, mas sim uma festa que celebra a cultura alemã, com ênfase na cerveja. Você pode alegar que realmente tem um concurso de beldades alemãs e tal. Mas 99,999% das pessoas q2eu vão na Oktober fest não vão para ver a loura. Vão tomar cerveja.
    É uma apelação comprar um prêmio RACISTA chamado “premio raça negra” com a oktober fest.

    Eu poderia contra-argumentar dizendo que racista não é a Oktober fest, mas sim os blocos como o Ilê e Filhos de Ghandi, na Bahia que não aceitam brancos. Tendo como objetivo valorizar a cultura negra, o Ilê não aceita brancos entre seus integrantes e foi responsável pelo que se convencionou chamar de “reafricanização” do Carnaval de Salvador, à medida que trouxe para o desfile itens da cultura africana, como os atabaques, os timbaus, repeniques, instrumentos de percussão que marcam um som que remete aos sons da África.
    O nome disso pra mim é racisimo. É impedir alguém de participar de algum tipo de celebração motivando-se pela cor. Já na Oktober fest, qualquer negro entra. Do mesmo jeito, um prêmio para negros impede que brancos concorram.

    É racista mesmo, não adianta tampar o sol com a peneira. O premio é só para negros, pressupõe a existência da raça negra até no título.

    Eu acho que é uma falácia essa alegação de que negros não são premiados em supostas premiações brancas. Isso também é racismo, porque parte do princípio que existam premiações brancas.
    Por emeplo, quem ganhou o premio MPB de musica? Gilberto Gil.
    Tem um porradão de negros indicados ao VMB da MTV. Entre eles, CPM22, Nação zumbi e etc.
    No festival de gramado desse ano, a zezé mota foi a atriz convidada para ganhar o troféu oscarito pelo conjunto da obra.
    Esse ano, o Rapper MV Bill ganhou um prêmio único do rei da espanha, por seu trabalho com “Falcão – Os meninos do tráfico”
    Esse ano Gilberto Gil e milton nascimento concorreram ao grammy.

    Então, tipo isso de alegar que ” Mas se alguém faz uma festa, não chama meus amigos e não me chama, tudo bem eu FAÇO A MINHA.” é tentar justificar o injustificável. Um prêmio de negros para “negros”, explícitamente excludente a supostos “brancos”.
    O prêmio pode ter, como o sistema de cotas tem, a melhor das intenções, mas ao invés de trabalhar a favor, atua contra os negros.
    Se vc for ver na internet, existe uma penca de páginas só para negros. Mas não há a mesma coisa para brancos. Se houvesse seria fechado na hora acusado de racismo pelas lideranças negras.
    O engraçado disso é que os negros são uma maioria que se comportam como uma minoria. E se comportam assim porque são de fato discriminados por uma sociedade racista motivada por uma ignorância arraigada durante anos e que não vai sumir de uma hora para outra.
    A solução que eu vejo para isso era mostrar que raça não existe e que o que parece ser negro pode ser mais branco do que um sujeito com olho azul e cabelo louro. Só que o Brasil faz o contrario, cria prêmios para negros demarcando uma idéia antiquada de raça.
    Seria muito mais produtivo buscar entender como por exemplo o Ministro Joaquim Barbosa, talvez o negro com o mais alto cargo no país hoje chegou lá no STJ. Com certeza, não foi batucando nem jogando bola. E também não foi graças ao sistema de cotas.

    Reply
  26. Que fique “CLARO” que eu não sou a favor de nenhum tipo de intenção a hegemonia negra e muito menos contra qualquer cultura ou manifestação cultural e de fato eu enchergo vários pontos onde concordamos, mas existem os que discordamos e essa é a “beleza” ou “feiúra” da coisa. Na intenção de não ser mau interpretado quero dizer e provavelmente finalizar minha participação:

    1° Em nenhum momento foi dito que a Oktoberfeste é uma festa racista, estão deturpando as coisas, o que está escrito, e é fácil de entender, é que é uma festa de tradição e cultura alemã, assim como muitas manifestações negras.

    2° A auto afirmação da cultura negra é fruto da história, foram anos de opressão, violência, racismo, desvalorização e preconceito que continuam ainda hoje. Não ver isso também é tapar o sol com a peneira.

    3° Penso que a população “dita branca” não pode requisitar determinadas posturas do governo ou da sociedade, negra ou não, simplesmente por que não passou e não passa pelas mesmas situações, a história é outra e todo mundo sabe desde de criança então necessariamente os caminhos serão outros.

    4° Ao contrário do que foi dito os negros não são maioria e se agem como minoria é porque de fato o são. É estatístico, a fonte é o site Wikepédia (Demografia do Brasil).

    5° O fato de existirem políticas de valorização da população negra é mais uma prova de que essa população é excluída sim ( po, nego não cria essas paradas pq não tem mais o q fazer né, existe uma necessidade de fato) e ai eu questiono, será que se não houvessem esses incentivos a reivindicação de IGUALDADE nos meios de comunicação e na sociedade, estaríamos pelo menos caminhando, será que se não houvessem os quilombos antigamente e se os negros não fugissem e lutassem e reivindicassem igualdade, estaríamos onde estamos hoje, andando nos mesmo ônibus e entrando nos mesmo elevadores?

    Resumindo, todas as conquistas contra o preconceito, inclusive as que foram citadas como artistas que ganham prêmios e as pessoas que chegam a importantes cargos políticos, se dão através da luta, que ontem era na porrada mesmo, era fugindo, e hoje é através de leis, dos incentivos e PRINCIPALMENTE dos exemplos (por que trás conscientização).

    Essa solução que foi proposta pra mim também é a ideal “…A solução que eu vejo para isso era mostrar que raça não existe e que o que parece ser negro pode ser mais branco do que um sujeito com olho azul e cabelo louro…” PO, APLAUSOS POR ESSE PENSAMENTO, É DE FATO INSPIRADOR E FUTURISTA.

    Só que na prática muitas pessoas não olham assim e medidas diferentes, obviamente excluindo as racistas, se fazem necessárias.

    Reply
  27. Site simplesmente fantásticoooo
    Adorei.. vou adicionar aos meu favortisoa até…

    Reply
  28. Valeu Francine.
    MeE ajude a divulgar o blog falando dele para seus amigos. :love:

    Reply
  29. Bem eu sou vira-lata (mistureba de tudo quanto é raça)Então posso meter bronca em qualquer um, o afrodecendente vive do passado fica lembrando a época de escravidão e usa isso como forma de reclamar de tudo, mas vejam os japoneses também sofreram assim como os italianos quando vieram para o Brasil, mas na minha opinião o que fez a diferença foi uma coisa chamada trabalho principalmente os japoneses em vez de ficarem reclamando não se importaram com não ter uma vida luxuosa e pensaram nas suas gerações futuras e hoje é dificil ver um japones que não esteja bem e se não estiver tb não reclama…
    Já o afrodecendende (engraçado falo o japones o italiano mas não o africado) quer se dar bem na hora nunca pensou no futuro de seus filhos é outro sistema e quando vc almeja muita coisa em pouco tempo acaba sem nada só resta reclamar…
    Falo ciente pois na minha familia mesmo tem mais claro mais negro e vejo negro melhor que claro reclamando da vida enquanto quem ta pior se sente feliz…
    Infelizmente raça é uma coisa que existe, se vê jogador de futebol casando com loira como se fosse troféu as lindas morenas mulatas sendo despresadas já vi comentários a respeito disso vindo do próprio afrodecendente…
    Se fosse para uma raça ser discriminada essa seria digamos a minha pois nos meus antepassados tem indio, japones, negro, espanhol, etc. ainda bem que não nasci latindo, enfim é uma raça não definida, mas e ai qual a minha solução? simples deixo isso de lado vou trabalhar, estudar porque reclamar não ajuda nada além de que eu receberia uma esmola em forma de cota ou ajuda para os sem raça que tal?
    Antes de mais nada sou um ser vivo não costumo nem me separar de outros tipos de animais respeito a todos os seres vivos, ai alguém vai dizer vc respeita um animal mas você é racional? sim sou racional e estou vendo o que a racionalidade humana esta fazendo a nosso planeta…coisa que animal nenhum por mais burro que se imagine que seja nunca fez… :/

    Reply
  30. Ok, mas esta idéia de raça não existe. Isso está ultrapassado.
    É tudo gente. Esses reclamões são assim não por fatores genéticos, mas culturais. Considerar que se o cara é negro ele vai ser assim ou assado, se comportar de um jeito ou de outro, é preconceito.
    Outra coisa, comprar os negros com os italianos e japoneses é sacanagem. Pq? Pq os negros vieram para o brasil importados como mercadoria. Eram escravos. Escravos são coisa bem diferente de mão de obra assalariada.
    Quando a Lei áurea foi assinada (na base da canetada como é até hoje) de uma hora para outra, ficou proibido ter escravos no Brasil. Não foi uma coisa gradual. Isso gerou em menos de dez segundos, a maior quantidade de mendigos jamais vista. Milhares de pessoas sem estudo, sem trabalho, sem propriedade, sem nada.
    O caos social começou ali. Já os demais imigrantes vieram (quase todos) por vontade própria, com objetivos claros de obter retorno financeiro e comprar propriedades de terra. Históricamente são coisas e momentos políticos bem diferentes.

    Reply
  31. Raça em termos genéticos existe sim não há como negar Philipe se fosse assim cavalo seria tudo igual, cachorro igual, longe de mim estar comparando animais a pessoas porque tem gente que não merece ser comparada porque senão ofende o animal, só que é uma coisa que a meu ver não tem problema eu entendo o termo raça usado como utilidade por exemplo pela medicina por exemplo a pessoa X não pode tomar muito sol A Y pode etc.
    não é sacanagem comparar os imigrantes com os escravos sei que são épocas diferentes que depois da lei aurea os que não se viraram em quilombos viraram mendigos, mas sei que os imigrantes também foram muito mal tratados inclusive os japoneses (onde moro há uma grande comunidade deles), eles contam histórias quase similares de exploração no trabalho, posso dizer que próximas de escravidão, trabalhar por comida, etc.
    Eu já nem levo muito a sério a história do Brasil como se é referida nos livros pois sei que tem muita coisa de menos e de mais escrita lá…
    Então voltando ao assunto não disse que era um problema genêtico concordo plenamente que é cultural, quando citei que os japoneses foram mais pacientes e não ficavam reclamando em contrapartida aos afrodecendentes isso era certo que só poderia ser devido a cultura diferente dos dois povos…
    Raças existem não quer dizer que ao se falar isso esteja sendo seletivo todas são maravilhosas, todas tem sua beleza especial…
    Então mais agora levando esse debate a alguns milhares de anos a frente será que as raçãs não vão se hegemonizar? seria legal né termos apenas um tipo de ser humano no mundo indepentente do tom de pele etc. ai alguém fala “mas todo mundo com a mesma cara não teria graça” tá ai não é preconceito é realidade…
    Então era só isso não sei se entendeu, o importante mesmo é o que citei por ultimo devemos respeitar os seres vivos, de que adianta um garçon lhe atender bem ser muito gentil, mas ir do lado de fora e dar uma bica em um coitado de um cachorro que parou só pra sentir o cheiro da comida? isso é o respeito do qual menciono o respeito ao próximo seja lá o que for… :]

    Reply
  32. É nesse sentido mesmo que eu tô falando. Não existe.
    Biologicamente as raças são chamadas de subespécies e definidas como grupos de pessoas ou animais que são fisiológica e geneticamente distintos de outros grupos. São da mesma raça os indivíduos que podem cruzar entre si e produzir descendentes férteis. Esse é o conceito científico assentado há décadas. Recentemente, porém, esse conceito foi refinado. Pode haver mais variação genética entre pessoas de uma mesma raça do que entre indivíduos de raças diferentes. Isso significa que um sueco loiro pode ser, no íntimo de seus cromossomos, mais distinto de outro sueco loiro do que de um negro africano. Em resumo, a genética descobriu que raça não existe abaixo da superfície cosmética que define a cor da pele, a textura do cabelo, o formato do crânio, do nariz e dos olhos. Como os seres humanos e a maioria dos animais baseiam suas escolhas sexuais na aparência, a raça firmou-se ao longo da evolução e da história cultural do homem como um poderoso conceito. Em termos cosméticos sempre será assim, mas tentar explicar as diferenças intelectuais, de temperamento ou de reações emocionais pelas diferenças raciais é antiquado e perigoso.
    As raças são frutos de cruzamentos controlados, se se deixar ao acaso todos os cães do mundo em dois anos as raças desaparecem e vira tudo vira-lada. Raça é um conceito artificial que só se mantem através de cruzamentos controlados, o que não ocorre na espécie humana, o que observamos nos humanos é a diversidade genética, nada mais. :D

    Reply
  33. [quote comment=""]
    As raças são frutos de cruzamentos controlados, se se deixar ao acaso todos os cães do mundo em dois anos as raças desaparecem e vira tudo vira-lada. Raça é um conceito artificial que só se mantem através de cruzamentos controlados, o que não ocorre na espécie humana, o que observamos nos humanos é a diversidade genética, nada mais. :D[/quote]

    Há agora entendi, se é assim faz sentido porque o ser humano ta numa sacanagem geral principalmente no carnaval então, controle zero, agora que vc ampliou meus horizontes daqui pra frente eu falo “E diversidade genética do baralho” em vez da palavra raça…

    Precisamos e acharia uma boa tirarmos a palavra raça do dicionário também…enfim nossa lingua portuguesa já esta antiquada…
    E não acha que não entendi que to de sacanagem entendi sua forma de pensar e concordo e o troféu deveria se chamar “Troféu diversidade genética africana”, parabéns pelos seus posts gosto muito, sempre entro e eventualmente escrevo alguma merd… :B

    Raça
    do It. razza

    s. f., Brasil,
    a primeira e maior divisão do género humano;
    conjunto de indivíduos que conservam, entre si, por hereditariedade, caracteres psicofísicos semelhantes;
    conjunto dos ascendentes e dos descendentes de uma família, de um povo;geração;casta;origem;classe, estirpe;espécie; qualidade;réstia de sol;greta no casco das bestas.

    s.f. Sucessão de ascendentes e descendentes de uma família, um povo; geração: raça de Davi. / Grupo de indivíduos cujos caracteres biológicos são constantes e passam de uma a outra geração: raça branca, raça negra, raça amarela, raça vermelha. / História natural Subdivisão de uma espécie: raças humanas. / Categoria de pessoas da mesma profissão, de inclinações comuns: os usurários constituem má raça. (Sin.: descendência, família, linhagem, geração, estirpe, classe.) // Animal de raça, animal de boa origem.

    http://www.workpedia.com.br/ra%E7a.html
    http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx

    Reply
  34. Exatamente, os dicionários focam na questão linguística, e não na questão correta do ponto de vista científico. Essa questão provavelmente permanecerá nos dicionários por muito tempo, já que a palavra raça realmente tem este significado no senso comum e um dicionário serve para definir o termo como ele é usado coloquialmente. Já que a bíblia e muitos livros antigos partiam de pressupostos que hoje sabemos estar errados, os dicionários apenas refletem isso. É por esta questão que existem as enciclopédias, que explicam com mais detalhes e por outros ângulos algumas coisas. Mas na questão racial, como as descobertas são bem recentes, levará um tempo até que esses materiais se adequem aos novos conceitos.
    Obrigado pelos elogios aí. Fico feliz que vc goste. Texto bom é texto polêmico. :D

    Reply
  35. Quer coisa pior do que a definição de ser latino para os Estados Unidos ? Eles colocam todos os que nascem na América Latina como sendo latinos, pode ser o índio , o negro, o branco, o mulato , tudo por desconhecerem que latinos na verdade são os portuguêses, espanhóis, franceses, italianos e romenos, em decorrência do idioma desses países ser oriundo do latin. Esse conceito de raça é uma furada que foi pretexto para um monte de barbaridades .

    Reply
  36. MAndou bem.
    Eu tava até falando que num dia em que estava com a familia nos EUA, num lugar distante nas montanhas enquanto comíamos num restaurante veio uma moça perguntar que língua era a que nós estávamos falando, pq ela achou muito bonita mas sabia que não era espanhol nem francês.

    Muitas vezes o preconceito com latinos nos EUA ocorrem porque tem muita gente do Mexico, Porto Rico e cercanias que não tem a mínima educação lá. Nós testemunhamos algumas situações bem sinistras com os pobres de origem hispânica por lá. Quando você se comporta educadamente e fala português é tratado bem melhor pelos americanos.
    Engraçado é que eu achei que seria o inverso do que foi, com menor preconceito nos grandes centros e maior preconceito nas cidades pequenas.
    A verdade é que fomos super-bem tratados nos lugarejos distantes, fazendo até de atração numa vila encravada no meio de um parque florestal que encontramos quando estávamos absolutamente perdidos. Eu DETESTEI os grandes centros por conta do tratamento impessoal e frio para com os demais.

    Reply
  37. EUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

    ADOREIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII :happy:

    Reply
  38. Achei muito interesante os comentários… realmente o fator cotas incomoda muita gente… e nem sou a favor… os seres humanos precisam aprender a se respeitar uns aos outros… se relacionarem a serem amigos… acho lindo quando vejo numa balada ou turma escolar, negros, amarelos, brancos,etc se relacionando se amando, sendo super amigos frequentando a casa uns dos outros, isso é o que verdadeiramente importa… Sou negra, mas em primeiro lugar uma cidadã humana, que casada com um branco descendente de italianos e espanhois sempre digo a embalagem pode ter cor diferente mas o conteúdo é o mesmo somos todos humanos nem melhor nem pior e nem mais feio nem mais bonito!!! pensem nisso! :lol:

    Reply
  39. Fantástico o seu texto. Só perde o valor porque você é branco.
    É muito fácil não conhecer o universo do negro, usar retóricas ultrapassadas e gurgitar….

    Reply
    • Dinho, como você sabe se eu sou branco ou não? Pela cor da pele? Se eu ficar na praia o dia todo por varios meses eu viro negro?
      Considerar a cor da pele um elemento que define se alguém é preto ou branco é uma burrice total.
      Eu fico intrigado com a genialidade de quem diz “fantástico o texto” e em seguida emenda um “só perde o valor porque você é branco”
      Pra mim isso é a maior prova de preconceito racial que existe.
      Não concorda com meu texto fantástico? Faça valer sua cultura. Retruque com argumentos de melhor qualidade e se eles de fato forem bons, eu mudo meu posicionamento.

      Reply
  40. Muito bom seu artigo. Vou aproveitar e me cadastrar na newsletter. abs!

    Reply
  41. oi

    Reply
  42. NO BRASIL É CRIME SER BRANCO.

    Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

x
Clique em CURTIR para receber as melhores histórias da web!