Poltergeist, crime ou pegadinha? O mistério da casa que começou a jorrar sangue.

Sharing is caring!

Um estranho mistério começou a acontecer numa casa em Jundiaí localizada num bairro de nome totalmente apropriado: Jardim Bizarro.
Poltergeist, crime ou pegadinha? O mistério da casa que começou a jorrar sangue.
O fenômeno teria começado no último domingo, por volta das 17h30. Ao sair do banho, a dona de casa que mora na residência começou a gritar ao perceber um esguicho de sangue saindo do chão. Na seqüência, ela disse que o líquido apareceu em outros cômodos da casa. Na segunda-feira, o fato teria se repetido. “Esguichava uns 20 centímetros. Gritei muito porque não sabia o que fazer”, relata a aposentada, católica fervorosa. O marido dela relata ainda que o sangue só aparece no momento em que a mulher se banha. “Usei o banheiro e nada ocorreu. É um mistério o que ocorre.” O padre João Estevão da Silva visitou os moradores e irá fazer uma oração especial na residência.

Veja mais detalhes sobre a curiosa notícia:

O delegado Marco Antônio Ferreira, do 6º DP, investiga o caso e descarta que seja algum tipo de armação feita pelos moradores, um casal de aposentados. Eles reclamam que nos últimos domingo (15) e segunda (16), por volta das 18h30, um líquido que parecia sangue começou a jorrar do piso do banheiro, da cozinha, da sala e de um dos quartos, a uma altura de 15 cm.

“É mesmo sangue humano. Já estava arquivando o caso, pois, em uma análise preliminar, pensamos que o líquido poderia ser tinta. Mas é sangue. Não trabalho com paranormalidade nem com fraude, já que os dois moradores não tinham motivos para mentir. Agora quero descobrir quem colocou o sangue lá”, afirmou Ferreira.

O delegado afasta a hipótese de ter ocorrido um homicídio no local. “Sangue é tecido. Só sai de pessoa viva. Visitei a casa e vi que tudo estava normal. Não tem nada de errado por lá. Penso até em voltar ao local para tomar um café com os dois”, brincou.

Os aposentados não querem falar com a imprensa. Procurados pelo UOL, disseram que querem privacidade e não gostariam de ser identificados. O delegado também tentou impedir qualquer contato com o casal. “Eles estão muito assustados. Quando viram o sangue saíram correndo para avisar o padre, que os orientou a virem para a delegacia”, contou. O casal se recusa a abandonar a casa.

Ferreira mandou o material coletado ao Instituto de Criminalística de São Paulo, que deve fazer uma exame de tipagem sangüínea e comparar com o sangue do casal e da filha deles, que mora em um bairro afastado de Jundiaí.

Jardim Bizarro
Os moradores do bairro também estão assustados. Com medo do acontecido e também de que os imóveis da região percam valorização com a repercussão do caso, os vizinhos da casa que jorra sangue não querem se identificar.

Uma das moradoras disse que, no domingo, um grupo de 20 senhoras se reuniu para rezar. “Somos todas muito católicas. Quando ficamos sabendo fomos até lá rezar o terço”, contou. “O cheiro era insuportável. Tudo estava vermelho. Depois de rezar, começamos a ajudar na limpeza da casa.”

Outra moradora, que se identificou como Ângela, falou que não visitou a casa desde que o sangue apareceu, mas que não desconfia do casal: “Eu os conheço há anos. Moram aqui há 38 anos. Só eu, moro neste local há mais de 50. Nunca nada parecido aconteceu”.

Ângela afirma que recentemente fatos estranhos começaram a acontecer pelo bairro. “Aqui sempre foi tudo muito pacato. De uma semana pra cá, um jovem foi assassinado, outro foi jogado de um trem e, agora, sangue começou a surgir do nada. Estamos assustados.”

“Dizem que o fato da vila ter bizarro no nome atrai mau agouro”, diz Ângela. “Pode até ser. Deveríamos mudar. Se bem que Bizarro é o sobrenome de uma família muito tradicional da região. Eram donos de uma loja de materiais de construção no passado. Um nome como qualquer outro.” Fonte

Eu não sei o que pode ser isso. Se fosse uma aventura do Scooby Doo, a explicação seria que alguém quer comprar a casa para construir um prédio ou shopping e criar um medo de fantasmas faria com que os donos dessem o fora. Mas este é o mundo real e por mais Gump que ele seja, não é o mundo do Scooby Doo.

Poltergeist, crime ou pegadinha? O mistério da casa que começou a jorrar sangue.Segundo o Padre Quevedo, que costumeiramente não acredita em nada que não seja relacionado à milagres da Igreja Católica, fenômenos como estes na casa no Jardim Bizarro já aconteceram antes. Segundo Quevedo, uma das hipóteses é que tenha ocorrido um fenômeno da parapsicologia chamado aporte por telergia, que é a exteriorização de um problema psicológico.
A causa pode ser decorrente de problemas como depressão, angústia ou dupla personalidade.

Quevedo afirma que o aporte por telergia ocorre quando há uma transferência da energia corporal da pessoa que se manifesta na materialização por meio de alguma substância, que pode ser, no caso, o aparecimento de manchas de líquidos.

O fenômeno ocorre em um espaço de até 50 metros entre a pessoa e a manifestação e pode atravessar paredes, muros, janelas e chão.

“Não tem nada de demônios, espíritos ou coisa do tipo, sendo algo freqüente dentro da parapsicologia” Disse Quevedo.
Até o fim das investigações, não dá pra afirmar categoricamente que é truque, golpe, poltergeist ou fenômeno paranormal. Este é o mistério do Jardim Bizarro.

Dica do Fernando

Ufos,mistérios,curiosidades e muito mais
Luminária Ufo

17 comentários em “Poltergeist, crime ou pegadinha? O mistério da casa que começou a jorrar sangue.”

  1. Essa história não é nem inédita. Já aconteceu na França – para quem lê francês, ó aqui o link: http://www.blogg.org/blog-44367-billet-la_maison_sanglante-359538.html.

    Só vamos ver se o desfecho tupiniquim será tão arrepiante quanto o gaulês…

    Responder
  2. [quote comment=""]Nossa, esse Quevedo é uma piada e nessa foto está parecendo o Jonh Lock hehehe![/quote]
    Queremos quevedo em lost como o irmão gêmeo perdido de John Locke. Vamos lançar uma campanha. Só quevedo pode explicar quem é Joseph, o que é o lostzilla e porque Loke voltou a andar!
    Vamos mandar quevedo para a ILHA! :lol2:

    Responder
  3. Pessoal fiquei muito curiosa a respeito dessa noticia então fui dar uma pesquisada….solucionaram o caso:

    “O titular do 6º Distrito Policial, Marco Antonio Ferreira Lopes, afirmou que o sangue encontrado no chão de uma casa em Jundiaí era uma hemorragia proveniente das varizes da moradora. “Ela não sentia dor e não percebeu que perdeu uma certa quantidade de sangue”, disse Lopes, acrescentando que a senhora tem diabetes, o que contribuiu para a perda excessiva de sangue. A hemorragia aconteceu em duas ocasiões, após o banho. “Ela já começou um tratamento médico”, comentou o delegado.”
    estranho nao sentir dores….nao ter cortes….=D

    Responder
  4. Gente, fiquei intrigada com o caso e fui dar uma vasculhadinha na net e adivinha…caso solucionado:

    “O titular do 6º Distrito Policial, Marco Antonio Ferreira Lopes, afirmou que o sangue encontrado no chão de uma casa em Jundiaí era uma hemorragia proveniente das varizes da moradora. “Ela não sentia dor e não percebeu que perdeu uma certa quantidade de sangue”, disse Lopes, acrescentando que a senhora tem diabetes, o que contribuiu para a perda excessiva de sangue. A hemorragia aconteceu em duas ocasiões, após o banho. “Ela já começou um tratamento médico”, comentou o delegado.”

    Engraçado ..jorrar sangue sem cortes e sem dores…:wow:

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Poltergeist, crime ou pegadinha? O mistério da casa que começou a jorrar sangue.

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.