Poética torta do blogueiro desesperado

Hoje quando eu acordei

e elas não estavam lá

As idéias e tudo mais que sei

sumiram sem avisar

E eu estava burro

Completamente idiota

Pensei em dar um murro

Na cara pra ver se volta

e mesmo que num fraco sussurro

algum pensamento brota

Mas não deu e agora aqui estou

Destrinchando este poeminha

que pelo visto, não funcionou

Mas já é uma coisinha

Criatividade quando vai embora

è uma coisa de feia doer

A gente quase chora

Buscando o que escrever

Olha pra tela por mais de uma hora

Pra parir um novo artigo

É o hype que persigo

Pra agradar ao leitor

E pra chamar o clicador

Mas por mais que você pense

Que eu só quero o adsense

Saiba que não

Vamos evitar a enganação

O tenteúdo de um blogão

Tem que justificar a sua conexão

Ser blogueiro não é fácil não

A gente navega uma barbaridade

Em busca de conteúdo de qualidade

o original e o diferente

ou algo que acrescente

Ou então a saída do humor

neste mundo cercado de dor

É a sina da gente

Mas nem sempre é possível

E na falta de conteúdo legível

A gente apela pra poéticas

Pois nessas coisas internéticas

Quando a idéia não vem, eu te digo

Blog não é mole não, meu amigo

Related Post

6 comentários em “Poética torta do blogueiro desesperado”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares