Para refletir: O holocausto Palestino

Sharing is caring!

No video abaixo, nós temos no lado esquerdo as fotos dos presos judeus nos campos de concentração dos nazistas. No lado direito os palestinos, comendo o pão que o diabo amassou nas mãos dos judeus nos dias atuais.

O intuito de mostrar este video não é tomar partido em uma guerra do outro lado do mundo, uma região conturbada banhada em sangue e imersa em um permanente conflito que existe muito antes de todos nós nascermos. O meu objetivo é sim mostrar que só há uma coisa certa aqui:

“Homo homini lupus”

“O homem é o lobo do homem”.

Thomas Hobbes

Ufos,mistérios,curiosidades e muito mais
Luminária Ufo

37 comentários em “Para refletir: O holocausto Palestino”

  1. O foda Phill, é que os dois lados é composto de fihos da puta… a história é longa e complexa, mas fica muito feio pro lado de Israel é porque sentam em cima do próprio rabo. Vivem enchenfo o saco de quem fala que não existiu o holocuasto, mas parece que não estão nem aí para o que fazem. Mas, eu não entendo, o lema dos judeus é de perpetuar na memória da humanidade o sofrimento da segunda guerra, mas será que eles mesmos não enchergam o que acontece na Palestina? Por outro lado, os islamicos não fazem por merecer a simpatia do Ocidente! é Difícil defender alguém (até mesmo porque ninguém tem razão) ou ficar do lado deste ou daquele; até porque eles brigam po areia! Fala sério, isto nunca vai acabar!

    Responder
    • Só pelo fato de Israel ter sido criado através do mais puro TERRORISMO (idêntico ao que conhecemos hoje) eu já fico do lado dos palestinos.
      Não que eu concorde com alguns radicalismos da religião dos palestinos, mas este não é o assunto tratado aqui e sim posse da terra.
      Israel foi sim roubada dos palestinos através de terrorismo. É justo eles tentarem pegar a terra de volta, nem que seja via terrorismo novamente.

      Responder
      • Kung, dizer que o interlocutor está falando merda não acrescenta muito ao debate, né? exponha com argumentos sólidos sua posição, por favor. Desqualificar o interlocutor é um caminho mais fácil, mas que revela insegurança no assunto. (digo porque sempre fazem isso comigo, hehe)

        Responder
  2. Agora posta os ataques terroristas palestinos. Sim, porque no holocauso judeu eles estavam desarmados, não eram uma ameaça à Alemanha nazista. Já ali na região palestina o estrangeiro (seja ao palestino ou ao israelita) é um inimigo, coisa com a qual a gente não está acostumado aqui no Brasil.

    Responder
    • Bem, na verdade, isso é um ponto de vista que interessa a alguns setores, que exibem os judeus como coitadinhos que foram massacrados pelos nazistas malvados. Quem presenciou a Guerra relata que ocorreram vários levantes e resistências por parte dos Judeus, e seria muito estranho se não houvesse, mas os nazistas estavam em vantagem numérica, logística e bélica e os levantes foram sufocados.

      Responder
      • Veja bem, Israel não era um país, não tinha um exército, não tinha um governo. Era apenas uma etnia espalhada pela Europa. Eram civis. Não era um país em guerra com o outro sofrendo as conseqüências da derrota. Era antissemitismo puro e simples. Tem uma diferença aí.

        Responder
  3. os palestinos nao tem 1% do poder bélico de israel,nem como padrinho,EUA.
    tanto que as fotos que mais vemos sao palestinos atirando pedras!!!
    nao importa se sua terra é areia ou pedra,é sua terra,seu lar!

    isso nao quer dizer que eu sou afavor dos radicais islamicos!!qualquer radicalismo ou fanatismo significa problema!

    COEXISTA!

    Responder
    • Com 1% eles pitam a desgraça no mundo né?
      Israel não é totalmente inocente, mas me diz uma coisa, por que todas as vezes que há uma ataque passa quase desapercebido, e quando Israel retalia um o maior alvoroço na impresa mundial.
      Meu amigo os palestinos usam o seu próprio povo como massa de manobra para angariar a pena do comunidade mundial, não há preocupação nehuma com a paz, é só poder que eles querem.

      Responder
      • Entendo o lado do Sr. Adib Osman, no que se refere à defesa de sua terra. Mas é aí que começa o Oróbulos da questão. De quem pertence a Terra afinal? As coisas nunca foram boas por lá. nem na antiguidade, mas ficou pior depois da Segunda Guerra com a criação do Estado de Israel (para quem não entende muito desta história, sugiro que pesquisem a biografia do brasileiro Osvaldo
        Aranha), e depois disso, foi piorando com a guerra dos Seis Dias e tão se fudendo até hoje. Como o Phill bem disse, isso é muito triste; pois de um lado temos um povo que se considera dono da Terra Santa, mas não sabe conviver bem com que já estava lá antes do retorno do pós-guerra, e acaba se comportando como seus antigos algozes; e por outro a nação do Islã, que para piorar, ora muito, tem belos poemas em seu Livro Santo, mas fazem exatamente o contrário do que está escrito. E para piorar, não querem nem falar em paz, apesar de estarem sendo massacrados…
        Bem, aqui no Brasil, apesar de tudo não é um grande exemplo de nação, mas pelo menos nós somos felizes porque não existe essa de ódio racial implícito e radical. Eu mesma tive a felicidade de estudar em uma sala com um hare krisna, um judeu, uma muçulmana, um frei, e uma budista. Ninguém nem tocava no assunto de ódio, fazíamos nossas pesquisas na boa, zoavamos como qualquer aluno, e sempre qe dava, nos reuníamos em alguma lanchonete para beber um suco e jogar conversa fora. Na época eu falei que deveríamos mandar uma foto nossa para o Onu anexado ao currículum. As coisas tem jeito, basta querer, mas infelizmente não vejo como os dois lados entrarem num acordo, e isto é muito, muito triste…

        Responder
        • A sim mas você esta no BRASIL hehehe não resisti ao seu comentário eu sempre falo que aqui é o único lugar do mundo que vc ve numa mesa de bar judeu, católico, evangélico, espirita e outros discutindo futebol (a sim isso gera conflito aqui) eu por exemplo namoro uma filha de judeu

          Responder
  4. Amigo, a discussão é bem mais profundo do que isso.
    E bonitinho demais mostrar os palestinos como coitadinhos mas na realidiade não há inocentes nessa guerra se não os civis DOS DOIS LADOS!
    Coloca um video agora das vítimas por todo o mundo do terroristas saguiários impiedosos.
    Sai dessa, vai falar sobre coisas mais interessantes que é o foco deste site.

    Responder
    • Marcelo, como eu falei no post, falo novamente. O cerne da questão não é quem tem mais vitimas ou sofre mais ataques. O cerne da questão é que passados tantos anos, a história se repete. É o homem açoitando seu semelhante como desde o princípio dos tempos.
      Pensar na questão da violência na faixa de Gaza nos mostra como somos felizes de viver longe de lá, num país onde um judeu pode namorar uma filha de árabe sem ser escurraçado por isso. Embora não estejamos livres da violência direta do crime organizado, não temos a inconveniente sensação permanente de estar ao lado do “inimigo”.
      Lá, como falou muito bem falado a Jackie, nenhum dos dois lados é composto de santinhos.

      Acho curioso que algumas pessoas vêem este video como uma peça da propaganda palestina. Eu não vejo assim. Eu vejo apenas: Judeus se fodendo e palestinos se fodendo. E isso e muito triste.

      Responder
  5. Os Judeus foram os primeiros a se alfabetizar na época da Babilônia, há 3.000 anos atrás eram os contadores do Império. Imagino que isso os tenha colocado na vanguarda desde aquela época. Se acham superiores à turba ignara. Realmente, isso é desconcertante, a maneira como exploram a memória do holocausto e agem da mesma forma que os nazistas agiam. Engraçado é que Hitler tinha sangue judeu também, embora isso não tenha vindo a público. Talvez esse pormenor explique em parte a atual política de eugenia e extermínio – é mal de família! Quá-quá-quá-quá-quá…

    Responder
  6. Desculpa ser chato phillipe ! O nome do inglês medroso é Thomas, não Tomaz ! Eu sei que é um preciosismo já que o que realmente importa é a reflexão que você nos proporciona ! Mas, enfim ! Fica a minha contribuição, mesmo que em mínima medida !!!Abraço !

    Responder
  7. Olá Philipe!

    Meu comentário não tem nada a ver com esta matéria mas como sei que vc gosta, esta semana no Jornal da Record está passando um documentário sobre ufologia exatamente sobre o que vc já escreveu por aqui, que o governo liberou os arquivos sobre isso.
    Não sei se passa aí no estado do Rio de Janeiro, pois sou de São Paulo e não sei se a programação é a mesma. Mas, mesmo assim estou dando um toque, está bem interessante!
    Aqui em São Paulo a Rede Record pega no canal 14 tanto da Net como na Tv aberta!
    Como sempre seus posts são ótimos!

    Um beijo!!!

    Responder
  8. Você e seus leitores são muito hipócritas.
    Quando o massacre era diferente, fechavam os olhos.
    Fale do massacre dos EUA no Oriente, isso sim merece atenção.
    Se Israel quisesse já teria acabado com a palestina,o que não aconteceu.
    Fale também dos mísseis que caem sobre Israel. E também de como estava Jerusalém antes dos judeus retornarem a Terra santa.
    Estava tudo abandonado, ninguém dava importância.
    Depois de ida dos judeus pra Israel começou a disputa pelo território antes ocioso.
    Se Israel não fosse a potência bélica que é já teria sido riscada do mapa.
    O “lobo” do homem é o sentimento que cada um tem dentro de si, não é o semblante de um povo.
    Viva Israel!
    Que para vida de 1 judeu seja tirada 100 vidas palestinas.

    Responder
    • Sua argumentação estava indo bem até sua última frase.
      Quase tudo que você disse é verdade mesmo. Se israel quisesse, a Palestina já era. Isso é fato!
      Agora caem mísseis em Israel e no território Palestino também. Ou você acha que o ataque é só dos palestinos contra Israel?
      Eu repito o que eu disse, não tem bonzinho lá naquela porra.
      Sobre sua questão da hipocrisia, etc, já te dei a dica que desqualificar o interlocutor não fortalece seus argumentos e te coloca numa posição desfavorável na troca de ideias, cara. Se vc quer propor uma discussão sobre o massacre americano no Oriente, sou a favor. Fale aí, comente, traga números, exponha seus argumentos, cara. Mas pelo amor de Deus, não venha me chamar de hipócrita porque eu não usei os argumentos que você tem em mente.

      Responder
  9. “Viva Israel!
    Que para vida de 1 judeu seja tirada 100 vidas palestinas.”

    Bela defesa… realmente mostra como se pode aprender com os erros do passado e aprender a ser mais tolerante, justo e pacífico… Faria melhor ter ficado calado.
    E tudo isso por um punhado de terra seca e pedras.

    Responder
  10. Em meio século, Israel é o país mais desenvolvido da região.
    Imagine no próximo meio século!
    Sempre, com sagacidade, socando no cu dos desgraçados que querem acabar com o país.

    Responder
  11. todos judeus que sao a favor da causa deveriam estar la lutando e nao se escondendo atras de um computador escrevendo merda!
    nenhuma vida vale mais que outra!israel só cresceu por causa da ajuda dos EUA e,os EUA só ajudou porque la tem petróleo…deixa acaba o oléo e vamos ver se continua com costas quentes…
    repetir um erro é burriçe!
    Nao sao todos mulçumanos que sao homens bomba,nem sao todos que odeiam o ocidente…o povo mulçumano é um povo da paz e rico!uma pequena parte,manipulada,denigre a imagem…e vocês,todos babacas que assitem televisao e se deixam influenciar por fatos que sao divulgados por uma tv controlada por ISRAEL….e convido qualquer judeu pra vir tirar a limpo comigo cara a cara

    Responder
    • Adib, os dois lados tem vítimas e algozes, cara. Eu sou contra seu pensamento que todo judeu deveria estar lutando. Lutando pra que? Pra matar pessoas? Preferia ver todos os judeus e palestinos discutindo, batendo boca, botando o dedo um na cara do outro ao invés de lutar.
      Tenho um amigo que disse que se fosse multimilionário ia mandar jogar umas bombas nucleares na faixa de gaza pra acabar de vez com a inhanha que se arrasta há anos.
      É o tipo de pensamento torto que equipa todo vilão de filme enlatado. Causar a morte para obter a paz.

      Responder
  12. Se Israel tirar os muros, parar de revistar os palestinos que entram na cidade, parar de contra-atacar, de se defender, de se prevenir de futuros ataques com medidas ofensivas, enfim, se fizer o que as pessoas aqui no Brasil e em outros lugares seguros querem que façam em nome da paz, em uma semana não existirá nem um judeu vivo naquela região.

    A gente fala com facilidade porque não faz ideia do que é viver naquele clima de terror constante. E não é segredo nenhum que muitas lideranças muçulmanas não concebem a ideia da existência do estado de Israel. Entre elas, muitas não concebem sequer a existência de judeus por perto.

    E embora Israel (o país todo) seja equivalente, em território, a aproximadamente 1% de todo o mundo árabe, sua simples existência é capaz de provocar todo esse drama humano.

    Jerusalém é para os muçulmanos a terceira cidade mais importante depois de Meca e Medina, pois, segundo o alcorão, foi no monte Moriá, onde fica a mesquita de Omar (e onde antigamente ficava o templo judeu), que Maomé ascendeu aos céus.

    Em contrapartida, para o povo judeu, Jerusalém simboliza tudo, é a sua própria identidade como povo. E para os religiosos, Sião é o único local no mundo onde podem adorar verdadeiramente a Deus.

    O fato é que eles jamais abrirão mão do que conquistaram. Não enquanto puderem lutar. E eles usarão tudo o que estiver ao alcance para garantir a sobrevivência de seu Estado.

    Então, não é mais uma questão de quem veio antes de quem, quem conquistou o que primeiro, quem fez isso ou aquilo ou quem está batendo mais em quem, a questão agora é como fazer as coisas sem que se matem e levem metade do mundo para uma guerra junto com eles.

    Os judeus não aceitarão sair de Israel e de Jerusalém. Os árabes idem. É completamente infrutífero apelar para vídeos das mazelas dos palestinos ou dos judeus. Para eles, o que está em jogo é algo muito grande, muito mais importante do que saber o que o resto do mundo pensa do caso ou se estão ferindo a sensibilidade de alguém. E a brasa pode ser puxada para a sardinha de qualquer um. Argumentos não faltam para apoiar ou atacar ambos os lados.

    Sinceramente, creio que esse é o tipo de conflito que não terá uma solução simples, agradável ou bonitinha, infelizmente.

    Responder
  13. Como pode ter negociação se um dos lados não aceita a existência do outro? Israel aceita que a existência da Palestina. É verdade que muitas vezes não dá pra concordar ou entender algumas atitudes dos israelenses mas o que não falta é pessoas pra critica-los….

    Agora vejamos o outro lado, O Hamas tem na sua carta de fundação a pregação da destruição de Israel! E continuam pregando. oO
    Eles em 2006 são eleitos com 40% dos votos da assembléia legislativa deles….
    Que tipo de negociação poderá haver?

    Como pode haver negociação se um dos lados não quer que o outro exista?

    Responder
  14. Dizem as lendas, que a batalha final será em Massada (Israel). Teria razão ser ser o inicio da 3a. Guerra, um conflito localizado?

    Conta um historiador, que quase todos os conflitos de porte desta civilização tiveram sua origem em idéias anti-semitas. porque?

    1a. guerra > Morte do Arquiduque Ferdinand foi o estopim pra o comflito. o Suspeito? Um militante judeu

    2a. Guerra > Invasão da Polonia, com o objetivo de erradicar os guetos judeus, que supostamente interferiam no governo. alias o guetos judeus na Polonia sofreram muito mais do que se imaginam.

    Diversos Pogors ocorreram na Historia sempre com objetivos de erradicar o povo judeu/hebreu da face deste planeta. Somente neste seculo, os judeus puderam impor uma real potencia belica de combate, de forma a proteger sua integridade enquanto grupo etnico, pois o judaismo nao e somente uma religiao, mas um modo de vida.

    Porque este modo de ser é tao perseguido? Seria um cumprimento das profecias Biblicas que CONSTAM do Pentateuco/Torá ? Yeshua (Jesus) segundo a tradição Crista, revelou que o povo judeu sofreria algozes ate a sua volta.

    O que ocorre hoje com os Israelesses (Que não representam o povo judeu enquanto nação) é uma intolerancia e um modo de vingança perante toda a perseguição sofrida e que ainda irão sofrer.

    Infelizmente, os palestinos são apenas uma peça descartável nesse intricado “Destino” reservado ao povo Judeu/hebreu.

    Saudações e me corrijam caso o meu pensamento/conhecimento esteja errado.

    Responder
    • Achei pertinente sua colocação sobre Israel não representar o povo judeu como nação. Isso me levou a refletir sobre a mania que temos de chamar os israelenses de judeus. Nem todos os israelenses são judeus.

      Responder
      • “o lado direito os palestinos, comendo o pão que o diabo amassou nas mãos dos judeus nos dias atuais.”

        Philip, você podia ver esse vídeo aqui e entender a diferença de judeu, para sionista.
        http://www.youtube.com/watch?v=Jv8TW2Pts_w

        E na verdade, a razão para as centenas de pogroms que aconteceu no mundo foi política, além de serem mais convictos de sua religião e não se converterem ao cristianismo, eles cobravam uzura, a igreja era contra e então perseguia eles, assim como perseguiram ciganos, protestantes e qualquer um que não compartilhasse com os interesses da igreja e do reino, na então idade das trevas.

        Não quero discutir o revisionimos, mas a razão para Hitler perseguir os judeus não é difícil entender.

        Se me permite, queria lhe indicar um livro escrito por um judeu, filho de sobreviventes do Holocausto, Norman Filkenstein, “A Industria do Holocausto”
        http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=311

        Graças a Deus que ele é judeu, pois se não fosse assim como todos os outros que ousaram escrever sobre isso, estaria atrás das grades e de bico calado por “antisemitismo”.

        É um bom livro para começar. Depois você pode procurar outras obras dele e também de outros rotulados de anti-semita e que tem o livro proibido a circulação.

        Além do que, você vai saber de có todo esse “conto do vigário” que os judeus contam. Eles querem passar a borracha na história que realmente aconteceu e contar deles, da cabeça deles.

        Leia o livro que é melhor, pq é difícil argumentar sobre esse tema delicado.

        Responder
  15. Prezado Philipe,
    Me desculpe comentar tanto tempo depois do post ter sido publicado. Eu não tive tempo de fazê-lo antes.

    Eu concordo com você que muitas vezes o ser-humano é uma m…., e acho que todos os povos já fizeram, ou fariam se tivessem oportunidade, algo que exalou esse mau cheiro. Porém, não posso concordar que o nazismo seja colocado lado a lado com os feitos de Israel no Oriente Médio.

    O Nazismo foi (ou é) um movimento que prega a supremacia da “raça” ariana, o que implica em perseguição a judeus, ciganos e outras minorias, simplesmente pelo fato de não serem arianos.

    Os ataques de Israel ao povo palestino, pelo contrário, são reações de um governo democrático a prévios ataques dos palestinos, motivadas muitas pelas vezes pela opinião de que o Estado de Israel não teria o direito de existir (como insistentemente prega o presidente do Irã).

    Agora lhe pergunto: é razoável considerar como equivalentes uma perseguição movida pelo absurdo conceito de raças com uma guerra que tem o intuito de defender o próprio país? País este, diga-se de passagem, que vive em plena democracia.

    Não vejo como. Fazer isto, ao meu entender, é se posicionar contra a democracia e contra o direito de um povo livre se defender.

    Abs,

    Responder
    • Pedro, eu entendo que os genocídios tem motivações diferentes. Mas isso atenua as mortes?
      Eu não estou querendo livrar a cara dos palestinos, que não são santos e usam jovens para se explodir em meio aos israelitas.
      Mas é difícil encontrar argumentos que justifiquem o uso de certos equipamentos de destruição em massa sobre os assentamentos palestinos como Israel faz. Sem falar no muro, maus tratos, etc, etc.
      O confronto na Faixa de Gaza só vai acabar no dia que um pirado explodir uma super bomba nuclear lá no meio e reduzir tudo a pó, inutilizando de vez a tal terra santa com tanta radioatividade que ninguém vai poder pisar lá por séculos. Ou então no dia que uma espécie dominante como um povo alien aparecer aqui e obrigar que palestinos e israelitas comecem a se casar para produzir um povo só.
      Até isso acontecer, será um matando o outro.

      Responder
      • Justamente por terem motivações diferentes é que não concordo com o vídeo. Os dois casos não são equivalentes nem em motivação nem em números e por isso não deveriam ser colocados lado a lado. Esse ‘lado a lado’ de certa forma justifica os ideais nazistas (afinal, muita gente pode concluir que o povo judeu realmente é o que pregavam os nazistas e por isso realmente merecia ter sido exterminado na segunda guerra).
        Quanto à guerra em si, entendo seu argumento. Realmente não existem formas de atenuar as mortes e a guerra sempre vai ser algo terrível. E nas guerras em que um dos lados é mais forte, a sensação de que existe algo errado é ainda maior. Muito melhor seria que não houvessem guerras. O triste é que esse cenário ideal, muitas vezes é impraticável.
        E você tem razão quando diz que aquilo tudo não vai acabar tão facilmente. Aliás, é interessante notar que pela profecia bíblica (que conheço muito pouco, diga-se de passagem) esse conflito duraria quase até o fim dos tempos, chegando em um ponto insustentável até que alguém interviria conseguindo um acordo de paz de 7 anos, sendo este alguém o próprio anti-cristo. Acho que você não acredita nisso, mas não deixa de ser interessante notar que a própria Bíblia já dizia que o problema permaneceria por muito tempo.
        Um abraço,

        Responder
  16. A diferença é que os Palestinos em sua grande maioria são pobres
    enquanto os judeus em sua maioria sempre foram ricos donos dos bancos, sugadores do dinheiro dos juros.
    AIPAC

    Responder
  17. Há quem diga que o certo teria ser tirado um pedaço da Alemanha e dado aos Judeus, já que foram os alemães (incluindo o povo) que expulsaram os Judeus instalados pela Europa, eu acho que algum dos antigos reinos germânicos, como a Bavária poderia ter sido dado de lar aos Judeus.

    Mas os Judeus queriam voltar para Israel, tudo bem, não vejo problemas com isso, o problema é que eles tomaram o local dos Mulçumanos (e outros) que vivam lá há milhares de anos. Me lembra aquela cena da Lista de Schindler aonde os Judeus são tirados de suas casas, será que eles não se sentiram mal de ir morar nas casas dos Árabes, que foram extraditados em trens para seus novos lar, bem parecido com o método nazista do holocausto, não é ?

    Enfim, se os Judeus fossem morar em Israel sem tomar propriedades e destruir a vida das pessoas, seria tudo bem, mas talvez isso também não desse certo.

    No final das contas, não há vencedores, não sei quem foi o gênio que idealizou (foi a ONU) essa atrocidade de expulsar os muçulmanos (e outros) de suas casas em trens para que os Judeus pudessem ir morar lá, mas é ÓBVIO que isso não ia funcionar, e agora todos são infelizes por lá, tanto de um lado, como do outro.

    É o Nazismo fazendo mal até hoje, são os Judeus fazendo com os Muçulmanos o mal pelo qual tinham acabado de passar, é a ONU corrompida, é o falido Reino Unido que como ex potência entregou a região para a ONU, enfim, tá tudo errado!

    Responder
  18. Putz, qdo se trata do ser-humano se reconhecer como uma “espécie”, que devem se cuidar e respeitar uns aos outros a nível de espécie, cuidar da Terra e preservá-la como nossa única morada e para todos, tudo oq vejo é um bando de cão raivoso. Essa civilização não vai mto longe mesmo, nem tem pq se preocupar! Salve a universalidade! Isso sim! E aqui, depois de morto, que meu legado seja a poeira! Assalaamualaykom

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Para refletir: O holocausto Palestino

Apoie este projeto

Criar este website não é uma tarefa fácil. Mais de 5000 artigos, mais de 100.000 comentários e conteúdo próprio, demandam muito trabalho. Saiba como você pode ajudar a manter o Mundo Gump cada vez melhor e evitar que ESTE SITE ACABE
Ajuda aí?
MUNDO GUMP – © 2006 – 2020 – Todos os direitos reservados.