Pando: A floresta de uma só árvore

Quando pensamos nas maiores criaturas da Terra, é fácil pensarmos que a maior de todas é a baleia azul. De fato, a baleia azul, com suas 180 toneladas,  é o maior dos mamíferos, mas não é a maior dos organismos. Talvez o maior organismo conhecido na Terra hoje, seja o “pando”.

Pando é uma árvore tão grande, que ela virou uma floresta.

Pando, é uma palavra do latim para ‘ espalhei’. Um nome apropriado para uma árvore que literalmente só faz isso: Se espalha.

 Pando (também conhecido como o Gigante Trêmulo) é uma colônia clonal de um único macho de Quaking Aspen ( Populus Tremuloides ) . Está localizado em Utah, nos Estados Unidos da América.

Então, como que essa árvore fez para virar uma floresta de si mesma?

Pando: A floresta de uma só árvore

Quando um Quaking Aspen quer se reproduzir, ele floresce e produz um clone de si mesmo. Clonar significa apenas estender sua rede de raízes e forçá-las através do solo, iniciando assim uma nova árvore. Essa nova árvore tem a mesma composição genética e até marcadores genéticos para dizer que ela realmente pertence à primeira árvore. Para todos os efeitos, é a primeira árvore, mas agora abrindo uma “filial” em um local separado.

A nova árvore cresce com a antiga e juntos eles estabelecem uma grande rede de raízes que produz cada vez mais Quaking Aspens, essencialmente fazendo com que a única árvore se expanda para uma colônia clonal com uma vasta rede de raízes.

Quão vastas elas podem ser?

Normalmente as colônias clonais têm 0,1 hectares de tamanho. Mas Pando é BEM mais parruda:  Pando tem 43 hectares e pesa 6.000.000 kg.

As árvores na superfície morrem, mas é na rede de raízes que está o verdadeiro poder do gigante trêmulo. As raízes não morrem. Elas geram  constantemente novos brotos, e renovam árvores doentes e deixam de fornecer nutrientes àquelas que estão mortas.

A razão pela qual Pando não pode morrer é porque o coração de Pando fica muito abaixo do solo para ser atingido pelos frequentes incêndios florestais da região, que são cíclicos. Esses incêndios florestais são de fato um benefício para Pando, pois matam as coníferas invasoras e liberam espaço para que muitas outras extensões de Pando sejam rapidamente colocadas em seus lugares.

Pando: A floresta de uma só árvore

Devido a essa invulnerabilidade e proteção contra a concorrência, o coração de Pando é considerado o organismo mais antigo conhecido na Terra! Especialistas estejam que esse organismo está vivendo aqui por nada menos que 80.000 anos!  Essa impressionante longevidade o torna o organismo vivo mais antigo conhecido em nosso planeta, pois Pando é contemporânea dos homens das cavernas .

Há 80.000 anos, o Gigante Trêmulo era apenas uma árvore solitária, vinda de uma semente que deu a sorte de cair no ambiente perfeito para se espalhar, crescer, florescer e logo depois produzir seus primeiros clones. No entanto, o ambiente mudou tanto ao longo do tempo que é muito menos hospitaleiro em relação ao Quaking Aspens hoje. Especialistas acreditam que as mudanças no ambiente foram tão pronunciadas que Pando “deu um tempo” e não floresceu com sucesso nos últimos 10.000 anos. Isso significa que sua sobrevivência depende diretamente da produção de mais clones e da esperança de que os incêndios florestais destruam as coníferas concorrentes.

 

Related Post

1 comentário em “Pando: A floresta de uma só árvore”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares