O sobrevivente parte 4

Compartilhe

EXT. Estação Orbital AZIMOV III

Aude está do lado de fora da nave, no espaço. Ela solda e prende cabos numa parte danificada na estrutura externa da nave. A câmera a acompanha em seus passos imantados e firmes sobre a superfície da estrutura exterior.

Numa escotilha, acompanhando o trabalho, está Paul. Ele usa um microfone e passa informações para Aude. Não é possível ouvir o que ele diz. Paul acena para o robô. Aude acena de volta.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Comando central da espaçonave

Paul está na janela. Aude anda do lado de fora, arrumando as últimas placas de proteção da fuselagem.

PAUL

Isso aí. Agora coloca com cuidado.

No sistema de som interno da nave, ouvimos a voz de Aude

AUDE

Placas protetoras contra danos externos posicionadas, senhor. Mais algum reparo necessário neste setor?

PAUL

Não. Estou cansado, Aude. Por hoje chega, né? Afinal, o que não me falta é tempo.

AUDE

Como quiser, senhor.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Corredor de acesso aos aposentos da tripulação

A porta se abre e vemos Paul decidido atravessar o corredor. Aude vem atrás, seguindo-o como uma sombra silenciosa. Apenas os ruídos dos servomotores de sua estrutura corporal são ouvidos. Subitamente, Aude quebra o silêncio.

AUDE

Senhor?

PAUL

Sim aude. Fala.

AUDE

O que o senhor gostaria de jantar hoje?

PAUL

Como assim, Aude?

AUDE

Senhor, tenho bancos de dados preparados para auxiliar a tripulação quando todos fossem retirados da animação suspensa. Os bancos foram personalizados de maneira que eu possa auxiliar cada um dos tripulantes. Sei que não estava na lista de exigências do senhor ao comando, mas o major Hilley solicitou que meus bancos de dados contivessem informações importantes para ajuda-lo a se acostumar ao longo tempo abordo. Posso cozinhar para o senhor como faria para ele. Verifiquei e os ingredientes solicitados estão em boas condições pois foram guardados desidratados nas cápsulas de vácuo.

PAUL

E o que você sugere?

AUDE

Bem senhor. Sugiro um strogonoff de salmão com acompanhamentos finos, ou filé de linguado ao molho de ervas. Para acompanhar sugiro um vinho Pafmiloff safra 2998.

PAUL

Nossa… Pode fazer. Você escolhe, querida.

Aude vira-se e vai na direção contrária. Indo para a cozinha. Mas então ela pára e ela se vira.

AUDE

Do que me chamou, senhor?

PAUL

Hã?

AUDE

Nada senhor. Nada. Desculpe incomodar. Vou preparar seu jantar.

Paul acena com a cabeça em silêncio. Ele continua seus afazeres sem se preocupar.

PASSAGEM DE TEMPO

Imagens dos corredores vazios em diversos deques nos andares da estação. A câmera mostra telas de computador com números e gráficos sendo calculados.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Passadiço

Paul está escrevendo dados no computador. Ele faz anotações num bloco e copia gráficos numa tela.

A voz de aude surge nos auto-falantes do centro de controle.

AUDE

Senhor, o jantar está servido.

PAUL

Ok, Aude. Tô indo.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Sala de Jantar

A porta se abre e surge Paul Gillon. Ele fica atordoado ao ver uma mesa de jantar completa, com louças finas, toalha de mesa e um sofisticado aparato que inclui até luz de velas.

Ao fundo está Aude. Vestindo um avental azul e com uma pequena toalha dobrada sobre o braço, como um legítimo garçom francês. Ela traz na outra mão a garrafa de vinho Pafmiloff.

PAUL

Uau! Que jantar sofisticado. Eu não mereço tanto.

AUDE

Claro que merece, senhor.

PAUL

Não me chame de senhor, Aude.

Paul senta-se à mesa. Com cuidado começa a ser servido pelo robô.

AUDE

Perfeitamente, Paul.

EXT. Estação Orbital AZIMOV III

A nave vaga na escuridão do espaço

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Sala de jantar

Paul termina a refeição e  sai da mesa.

PAUL

Nossa. Como eu comi!

AUDE

Espero que tenha ficado a contento, Paul.

PAUL

Sim. Delicioso. Melhor que a comida pronta da tripulação. Amanhã vou querer que você cozinhe novamente.

AUDE

Como quiser. Será um prazer.

Paul sorri. Vira-se para o robô:

PAUL

Aude, posso pedir uma coisa?

AUDE

Sim Paul.

PAUL

Vou tomar um banho. Libere a água quente… Estou muito cansado e o dia hoje foi puxado. Com a morte da tripulação a reserva de água da nave está bem abastecida. Não é necessário mais respeitar a cota de limite de tempo no banho.

AUDE

Perfeitamente.

Aude sai da sala com Paul. A Câmera fica na sala de jantar da nave.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Banheiro

Paul está deitado dentro de uma banheira. A água quente relaxa o corpo dele. Paul procura alguma coisa e não encontra.

PAUL

Aude! Audêêê…

Segundos depois a cabeça plástica e branca de aude surge pela porta.

AUDE

Sim?

PAUL

Não sei onde está o shampoo.

AUDE

Ah, desculpe. Vou pegar para o senhor.

PAUL

Por favor, Aude. Faça isto.

Aude sai. Por alguns segundos Paul Fica distraído com os olhos fechados. Então Aude entra trazendo consigo uma bisnaga de shampoo.

AUDE

Aqui está, senhor. Quer que eu ajude o senhor a fazer o toalete?

PAUL

Sim, Aude. Por favor. Esfregue as minhas costas.

Aude esfrega as costas de Paul. Depois seu peito e enfim entrega-lhe uma toalha.

AUDE

Se me permite, coronel, posso lhe fazer uma massagem. Tenho nos bancos de dados um curso completo de massagista, com três graus de reciclagem.

Paul acena com a cabeça.

Aude está fazendo massagem em Paul. As mãos cibertrônicas de Aude percorrem com exímia técnica a pele de Paul. Paul se contrai de prazer enquanto delicadamente os dados plásticos de Aude apertam cada músculo do seu corpo. Subitamente as mãos de Aude se aproximam dos genitais de Paul. Ele se assuta.

PAUL

Aude! Para já com isso! Sai daqui! Sai daqui!Por hoje chega!

Paul levanta-se completamente nu e empurra a robô para fora do quarto. aperta um botão na parede e a porta se fecha.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Corredor

Aude caminha em silêncio pelos corredores.

EXT. estação orbital AZIMOV III

A nave inicia seu giro lento.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Sala de máquinas

Paul está usando de uma roupa especial. Ele está prendendo fios num painel e digitando com a ajuda de um microcomputador de bolso.

Ao lado dele está Aude, Prendendo cabos num reator desligado. Ela está totalmente absorta na tarefa de consertar o mecanismo.

Paul faz uma pequena pausa no que estrá fazendo e fica observando Aude trabalhar por alguns instantes.

Então ouvimos o pensamento de Paul

PAUL

É uma máquina. Nada mais que uma máquina. Nem o fim do mundo é capaz de fazer Aude perder a atenção do serviço que está fazendo…

Paul retoma o serviço.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Aposentos do capitão

Paul entra nos aposentos do capitão e liga um display de cristal líquido transparente. Procurando através de vários menus interativos ele resolve assitir a filmes.

Paul está vendo um filme pornô. Novamente ouvimos o pensamento de Paul:

PAUL

Eu preciso me lembrar de como era uma mulher real. Uma mulher real…

Empolgado com o filme pornô, Paul se masturba.

EXT Estação Orbital AZIMOV III

Espaço. Vemos o sol distante sair lentamente por trás do planeta deserto. A luz vai ganhando força até explodir num brilho fraco.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Aposentos do capitão

Paul abre os olhos. Está na cama. Acorda com cara de deprimido.

Então alguém bate à porta

PAUL

Entre Aude.

AUDE

Olá senhor. Espero que tenha tido uma boa noite de sono.

PAUL

Péssima. Sonhei com minha ex-mulher.

É estranho como há muito tempo não sonho com pessoas. Minhas noites tem sido sem sonhos desde que eu acordei da animação suspensa.

AUDE

Paul, se puder me dar licença, eu gostaria de arrumar seu quarto.

PAUL

Certo Aude.

AUDE

Paul, na madrugada, as antenas de recepção se sinais de rádio detectaram uma leve alteração nas ondas médias. Mas foi algo rápido, que não pode ser medido ou repetido. Pode tratar-se de um erro de interpretação.  Isso pode não significar nada. Talvez um satélite perdido, mas pode ser…

PAUL

Não acredito, Aude. Acho bem mais provável ser um satélite fora de órbita mesmo. Eles dão estes defeitos quando são atingidos por meteoros. Por via das dúvidas redobre a banda de recepção de sinais de rádio em todos os espectros, todos os protocolos de comunicação disponíveis.

Paul sai da sala. Deixando Aude arrumando a cama como uma boa camareira.

AUDE

Sim, “querido”.

EXT – Estação Orbital AZIMOV III

Paul está trajando roupas de saída espacial. Ele está do lado de fora da nave junto com Aude, ele preso a cabos, conserta um equipamento na estrutura ainda danificada da nave. Aude está ao seu lado, suprindo-o com ferramentas.

PAUL

Pó queria poder ficar preso na estrutuira como você, Aude.

AUDE

Sim, senhor. Estou equipada com dispositivos de sucção e conectores magnéticos. Isso ajuda bastante.

Paul está de costas, trabalhando na soldagem de um componente. Lentamente uma sombra vai surgindo e escurecendo tudo ao redor.

PAUL

Aude, sai da frente do sol. Você tá fazendo sombra!

Subitamente Aude vira-se para trás. Uma enorme meteoro se aproxima de Paul, que está de costas. Aude dá um puxão forte no cabo que Paul está segurando, jogando-o ao espaço. A pedra acerta o painel de comando, danificando-o seriamente. No impacto, a pedra se fragmenta em vários pedaços menores que ricocheteiam pelo espaço escuro.  Paul debate-se no vácuo em desespero.

PAUL

Socorro! Socorro!!!

Aude está parada. Ela anda lentamente até uma parte da nave, enquanto Paul mergulha cada vez mais no vazio.

Aude prende o cabo num gancho da parede da nave e salta com força no espaço na direção de Paul.

A robô vem como uma bala na direção do coronel. Então eles se chocam, virando cambalhotas no vazio. Aude então prende-o com as pernas e com os braços, começa a puxá-los de volta para a nave.

INT. estação orbital AZIMOV III – Entrada da sala de descompressão 1

A sala enche de ar e então Paul tira a máscara. Ele abraça Aude.

Ele está suado, trêmulo, mal consegue ficar em pé.

PAUL

Graças a Deus!

AUDE

Relatório de danos em andamento, senhor. Componentes em curto desligados. Antena de microondas danificada, linhas de transmissão dos grupos Teta, sigma e g667 redirecionados para vias auxiliares. Energia restabelecida nos andares seis e sete. Tentativas de reativação da pressão no subnível G.

PAUL

Aude, não houve leituras de radar que indicassem a colisão?

AUDE

Os sistemas de detecção de particulados estavam temprariamente desligados para reparo dos terminais, senhor.

PAUL

Merda… Um pouco mais e eu morreria esmagado. Viu o tamanho daquela coisa? Graças a você escapei. Você salvou minha vida.

AUDE

É minha obrigação zelar pela tripulação da Azimov III Paul. É uma diretiva básica de segurança. Este movimento não havia sido previsto nas simulações, mas havia um largo percentual de chance de sucesso para salvar 100% a tripulação da Azimov III.

PAUL

É. Obrigado por me lembrar que sou 100% da tripulação nessa lata velha.

AUDE

Corrigindo, Paul. Você é 100% da espécie humana no cosmos.

Paul fica quieto, parado, contemplando o robô e sua perspicácia gelada.

PAUL

Essa ação toda me abriu o apetite.

AUDE

Senhor… O relatório de danos já está concluído. O terminal de captação em microondas falhou em todas as tentativas de reativação. Os capacitores da placa foram esmagados e pelo menos dois sistemas adicionais estão em curto. Será Impossível manter comunicação via rádio.

Paul olha com desesperança para o rosto inexpressivo de Aude.

PAUL

Isso significa que estamos à deriva completamente?

AUDE

A deriva não, Paul. Pois os motores tem energia para uma aproximação e órbita do planeta, mas estamos incomunicáveis.

PAUL

Ah, não… Não. Não é possível. Estamos sozinhos. Ninguém receberá nosso aviso de socorro…

AUDE

Senhor. Não há nada que possamos fazer. Não há instrumentos ou peças de reparo dos retransmissores de microondas. Além disso, Paul, não será de grande valia o radio quando não há ninguém para ouvir.

Paul está deprimido. Ele levanta-se e sai. Aude fica na sala de descompressão.

INT. Estação Orbital AZIMOV III – Aposentos do capitão

Paul está na cama, chorando com a cabeça entre os braços.

PAUL

Merda! Merda! Quero morrer! Devia ter morrido esmagado por aquele meteoro! Maldição! Desgraça! POr que Deus fez isso comigo? Por que? Por que eu?

EXT Estação Orbital AZIMOV III

A nave cumpre seu balé silencioso na escuridão da noite

INT Estação Orbital AZIMOV III – Corredor de acesso aos quartos da tripulação

Aude está batendo na porta. Nas mãos uma bandeja com um bule de chá, torradas e uma xícara.

AUDE

Senhor, responda. É a Aude, trazendo seu café da manhã. Por favor, senhor. Há três dias que não sai do quarto…Estou trazendo seu café…

PAUL

Dá o fora, boneca! Não enche!

AUDE

Senhor, finalmente o relatório da análise da captação de rádio ocorrida na madrugada daquele dia surtiu resultados. O sinal estava encobrindo uma emissão de nivel Kv em uma taxa cíclica de numeros primos. Isso significa…

Paul abre enfim a porta do quarto.

PAUL

…que pode ser uma nave e não um satélite!

AUDE

…ou uma emissão de radiância distorcida de uma supernova.

PAUL

Mas eu prefiro acreditar que seja uma nave. Entre, Aude! Você me animou! Agora estou com vontade de tomar um banho… Traz aquele vinho pra mim! Vamos comemorar!

INT estação orbital AZIMOV III – aposentos do capitão

Ao som de Vivaldi Aude massageia o corpo nu de Paul com voluptuosidade. Paul olha nos escuros olhos do robô. Ele não resiste. Minutos depois Paul e Aude estão na cama. Ambos se amam em diferentes posições.

PASSAGEM DE TEMPO

A nave viaja no espaço escuro.

INT estação orbital AZIMOV III – aposentos do capitão

Paul acorda na cama ao lado de Aude. Ouvimos os pensamentos de Paul.

PAUL

Meu Deus! O que foi que eu fiz!  Este monte de ferro servomotores e plástico gelado… Essa robô de bordo é mesmo atrevida. Olha só pra ela. Uma pessoa normal estaria dormindo. Mas ela está ali, parada me olhando. O tempo todo me olhando. O tempo todo ligada, como um fantasma branco atrás de mim. É um pesadelo do qual não consigo mais acordar.

Paul Levanta-se e coloca Aude para fora dop quarto com brutalidade.

PAUL

Vem, sai, sai daqui lata velha. Vai embora. Me deixa em paz!

Ele para junto a porta e ouvimos novamente os pensamentos de Paul Edward Gillon:

PAUL

Droga. Será que fui injusto? Mas e daí? …Ela não passa de uma droga mecânica, uma boneca de plásticos e circuitos, não é?

Paul se veste rapidamente e sai da sala.

INT Estação Orbital AZIMOV III – Sala de comando

Paul está esudando leituras numa tela. Os gráficos flutuam em vermelho numa disposição tridiemnsional. Pequenas letras informam um pico de dados no gráfico.

PAUL

Caraca! Realmente o robô estava certo. É uma transmissão de cliques primos…

Paul dá um soco na mesa. Um acesso de fúria toma conta dele.

PAUL

Merda! As antenas de transmissão. Não há como saberem que estou aqui! Vou morrer nessa bosta!

COMPUTADOR

Coronel, os sistemas de comunicação de longo alcance estão completamente destruídos mas temos apenas uma antena de transmissão de baixo espectro que era usada para acoplamentos. Talvez possamos usá-la para tentar o contato. A chance de sucesso diminui consideravelmente, mas é uma possibilidade. No entanto devo avisa-lo para não alimentar esperanças, pois a possibilidade de lograr êxito é remota.

EXT- Estação Orbital AZIMOV III –

A nave permanece no espaço no seu vôo de silêncio. Novamente o sol brota atrás do planeta, revelando mais um longo dia de trabalho.

INT estação orbital AZIMOV III – aposentos do capitão

Paul acorda e fica pensativo. Ele levanta-se. Anda nu pelo quarto. Ouvimos os pensamentos de Paul Gillon:

PAUL

Droga. Eu respiro como me mexo. Chego até a gozar… Mas não Vivo realmente. Isso não é vida…

Paul caminha pesadamente até a janela de sua cabine e olha lá para fora.

Ele fica alguns segundos a adimirar a escuruidão da noite quando subitamente sua expressão muda. Os olhos arregalados, a boca aberta de susto. Paul fala sem emitir som a palavra “milagre”.

(continua)

Artigos relacionados

3 comentários em “O sobrevivente parte 4”

  1. Muito bom, estou adorando!!! está ficando cada vez melhor, mal posso esperar por um contato(talvez até com outra espécie, oque provavelmente seria bem interessante).

    Abraços.

  2. Quanto à parte de ele dar um “cata” na AUDE eu já acertei!.
    Agora, eu não me surpreenderia se ela tivesse, em algum compartimento dentro dela, alguns embriões humanos (de mulheres diferentes) em estado de criogenia e que com esse relacionamento seriam fecundados, gerando assim novos seres humanos que iriam repovoar a Terra. (tipo pós-diluvio e os descendentes de Noé).
    A estória tá muito legal……continue……

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.