O relato de um MIB parte 10 – A verdade

Compartilhe

Aqui estamos nós. Você, leitor e eu. Chega o momento de cerrar as cortinas e findar o espetáculo. Este post foi ansiosamente gestado durante quase um ano. Em muitos momentos eu pensei que este dia nunca chegaria. Mas finalmente, ele chegou.

Se você não leu todo o Relato de um Mib, saiba antes de tudo que o que encontrará aqui neste post são apenas spoilers. Ao longo de tanto tempo tudo que muitos leitores desjaram eram verdades. Eu pretendo contar tudo aqui.

Sem grandes rodeios, vamos aos fatos. E vamos aos fatos da maneira mais direta, através de uma entrevista comigo mesmo.

P: Afinal de contas, o Relato de um MIB é verdade ou não?

R: Sim e não. O Relato de um Mib parte de uma proposta formal de um conceito midiático que eu inventei e batizei de transrealismo. O transrealismo difere de um game de realidade alternativa porque primeiramente não é um game, não existem pistas e nem um ponto de chegada para os potenciais investigadores. O transrealismo em tese, deveria ser um aperfeiçoamento do realismo. Quando vemos um filme como Cidade de Deus, o que vemos é o realismo. Os caras buscam criar uma ficção mais real possível. Mas vemos aquilo sabendo que entramos num cinema e estamos vendo uma ficção. Quando jogamos um game cheio de efeitos realistas, como radiosidade, fog, reflexos e o escambau a quatro, estamos vivenciando uma experiência realística. Mas ela acontece numa espécie de palco preparado pela nossa mente onde a priori temos a certeza de que lidamos com algo que pode parecer verdade, mas não é.

O transrealismo quebra a barreira do real. É como tomar a pílula certa em Matrix. E o único meio de conseguir obter o transrealismo é ter nas mãos um instrumento midiático próprio. – E eu tinha!

Veja que o transrealismo não é uma piada de mau gosto ou uma palhaçada deliberada para ganhar ibope ou vender livrinho, como inocentemente alguns leitores pensaram. É uma proposta de inovação nos elementos midiáticos da pós modernidade, que engloba fotografia, vídeo, ilustração, animação e texto. É livro, é novela, é conto e é interpretação live action, sem ser especificamente, nada disso.

Do ponto de vista do transrealismo, só seria possível obter uma história que despertasse o leitor para o questionamento do que e real ou não se eu conseguisse catapultar uma história ficcional para o mundo real. Tudo foi pensado desde o início tendo em mente que isso aconteceria. Nesta altura alguém pode pensar: ” Este cara é maluco.”

Sim. Eu sou.

O que eu fiz no relato de um MIB foi pensar uma história que fosse suficientemente estranha para despertar a incredulidade mas que contasse com elementos suficientemente verossímeis para que todos aqueles que estivessem dispostos a embarcar nela pudessem entrar de cabeça facilmente.

Acontece que é impossível, aliás completamente impossível,  fazer isso comunicando aos espectadores da história que aquela é uma história inventada. E a melhor maneira de dizer isso é contar com o fator desconfiança-paranóide de todos nós, ou seja: Dizer a verdade.

É estranho confessar uma mentira dizendo  a verdade. Até porque isso também é uma meia-verdade. Parece confuso? E é. Agora imagina viver dentro disso por mais de um ano…

P: Ok, enrolou, enrolou e falou pouco o que nós todos queremos saber. O RELATO É VERDADE OU MENTIRA, PORRA?

R: Certo, certo. Eu vou chegar lá. O relato é parte real parte ficção. A parte do Et, por exemplo, é ficção. Não tem Et, não tem vortex, não tem MIB, não tem ABIN, árabes, consórcio chinês-iranino, Tasso Fragoso. Isso tudo é produto da minha cabeça.  Mas tem um monte de coisa que é verdade.

P: Tipo?

R: Tipo a ameaça que eu sofri no celular. Até hoje não achamos o culpado e a coisa rolou mesmo, a vera! De numero restrito. E eu me caguei mesmo. Felizmente aquela ameaça, que foi uma coisa ruim na hora,  foi imediatamente batida no meu coprocessador aritmético cerebral e eu exorcizei aquele medo com as ameaças ao infeliz do Gustavo.

P: Aliás, falando nele. Ele é real?

R: Claro, porra. Ele é real. Ele chama Rafael Assumpção e eu voltei na barca Rio-Niterói com ele hoje!  O Rafael é um dos caras mais legais e inteligentes que eu conheço. Ele é Biólogo e me ajudou a pensar toda a estrutura biológica do Juca. É dele a idéia das enzimas responsáveis pela respiração do nitrogênio produzirem amoníaco no processo. É dele a idéia da visão com zoom do Juca, da reação a luz ultravioleta que ele tem. O mais interessante de estar no cockpit da história é pensar essas merdas. Mas a parte triste é saber que pensamos milhões de coisas maneiras que simplesmente não entraram porque não havia espaço. Nós pensamos a evolução da espécie num ambiente completamente diferente para gerar aquela morfologia… Foram dezenas de emails trocados recheados de dados legais. Pra mim o mais espantoso do Relato de um Mib é conseguir convencer um cara que é um Biólogo que trabalha com modelagem molecular e biologia computacional a ficar de cueca num cativeiro levando porradas fictícias do meu primo Klaucius (aquele que me ensinou  a andar de bicicleta me empurrando de um penhasco) e do primo dele, o Caíque. (eu pedi para baterem de verdade, mas o Klaucius alegou que um bico real mataria o Rafa. E o Caíque ficou com peninha de meter um socão real na boca do estômago do Rafa.)  Fazer o que? Eu não pago nada… Não posso exigir muito. Ficar de cueca para a internet inteira ver já tá bom demais. Em contrapartida, acho que ficou legalzinha a maquiagem. Caseira, mas quebrou o galho.

P: Ah, não! Quer dizer então que aquilo tudo de brigas aqui no blog, ameaças, “Guerreiro da verdade”, namorada maluca, tudo aquilo é ficção?

R: Sim. Eu convenci alguns amigos íntimos, como o Rafa, que eu conheço pela alcunha de “menininho” , porque minha vó nunca decorava o nome dele e sempre perguntava pra ele assim: “Menininho, você quer nescau?” Eu conheço este cara há pelo menos uns 12 anos ou mais. Eu convenci ele a me emprestar a aparência dele para o Gustavo, um sujeito perturbado. Meio soturno, meio dado a ataques egocêntricos. Ele topou na hora. Inclusive ele mesmo que batizou o “Gus”.

P: E a namorada maluca?

R: A namorada é um caso engraçado. Eu havia decidido que o Gus iria entrar para morrer. A finalidade do Gus na história é diretamente relacionada a questão da parte 8. Estranho? Eu explico:

Quando eu delineei o roteiro eu tinha em mente que em algum momento a história ia sair para o mundo real. Eu ainda não estava certo de como fazer isso. Só sabia que eu queria muito criar alguma coisa que fosse uma cruza de Lost com X files, com um toque tupiniquim. Então eu decidi que o alien estaria numa base militar, – que é uma base mesmo, real, feita na segunda guerra mundial e cujo o acesso é absolutamente restrito. O lugar é inclusive um local para onde eu- se fosse militar, levaria MESMO um Et. E ela fica MESMO dentro de uma montanha com um corredor infinito cheio de portas de aço com trancas absurdas.  O problema é que eu sabia que este lugar existia, mas não sabia como fazer para filmar lá.

É aí que entra a primeira dama, que é militar mesmo, da marinha mesmo, e conhece mesmo muita gente interessante, como aquele coronel que está falando coisas sobre ufos na revista UFO atualmente nas bancas. A Nivea procurou saber o que eu devia fazer para conseguir filmar lá naquele lugar. Era um trabalho danado. Eu tive que fazer uma carta, pedindo, implorando, rastejando, tive que ligar inúmeras vezes para o quartel, tive que esperar a boa vontade de alguns oficiais, anexei uma parte do roteiro e tudo. O meu pedido foi subindo de instância em instância, até chegar no comando do estado maior da armada. Nisso, passa mês atrás de mês e o babaca aqui esperando que o pedido de filmagem seja deferido ou indeferido. Quando finalmente eles aprovaram a filmagem, já havia se passado muito tempo. Eu não podia ficar com a história parada, pois na minha mente ela tava tendo prosseguimento. Enquanto eu esperava surgiu do nada a minha idéia de fazer ali o gatilho que catapultaria o leitor para dentro da história: Eu criei o Gustavo.

P: Nossa. Que trabalho! Mas e a namorada dele?

R: Pois é. O Gustavo foi criado como o elemento de conexão do mundo real com a história. Eu pensei nele como sendo um cara assombrado por conflitos familiares, um sujeito recluso e sem amigos. Alguém com graves deformações  psicológicas, como a questão do pai falecido. O Gustavo foi pensado para trazer até os leitores informações que eu queria passar mas não podia sendo eu mesmo e nem sendo o Vortex. Eram coisa que ligavam a história num eixo de realidade. Ocorre que no decorrer da história, lá atrás, nos tempos da parte 3,  a Nivea, que é professora mesmo, virou militar da marinha. Nada de truque nem apadrinhamento. Ela fez o processo seletivo e passou. Por sorte, ela foi trabalhar cedida ao ministério da Defesa. Eu tive medo de implicar ela na história, só que isso era bom demais para ser desperdiçado. O Gustavo era uma maneira de passar esta desconfiança sem falar diretamente. O bicho pegou geral aqui em casa quando a primeira dama descobriu. Quase levei cabo de vassoura na cabeça. Ela ficou com a maior raiva e sempre foi, desde o início, terminantemente contra o Relato de um MIB – Que ela chama carinhosamente de “aquela sua babaquice no blog“.

Felizmente, o tempo curou as feridas e a raiva dela passou.  Enquanto os militares não se decidiam se eu poderia filmar na base ou não, eu dei continuidade ao Gustavo, criando aquela briga homérica aqui no blog. É bem estranho escrever como sendo outra pessoa. Tanto o Gustavo quanto a Renata/Viviane, usavam imagens de  amigões meus. O Gus é o Rafa e a Vivi é a Denise. A Denise é minha amiga do trabalho.  Os comentários e textos são todos meus. Assim, de um certo modo, eu criei três instâncias diferentes na minha cabeça. O dia mais legal foi quando eu fiquei simultaneamente discutindo com ela e ele no orkut. Eu escrevia de três computadores diferentes. São três modos de pensar e falar diferentes, além do core da história. Cada um tem um tipo de erro ortográfico diferente e estilo de riso e frases de efeito diferentes. Infelizmente, este detalhe começou a passar batido e do meio pra lá eu larguei isso de mão. Isso explica porque eventualmente o Gustavo ou a Vivi acabava falando de um jeito parecido comigo. É que tem horas que é bem difícil ser três pessoas ao mesmo tempo.

O Trabalho de criação do Gus e da Vivi envolveu criar o site deles, o “Guerreiro da Verdade”.  – Muito louca a sensação de eu mesmo escrevendo mal de mim, jurando vingança eterna e tudo mais.  Envolveu também criar os perfis de Orkut deles, arrumar alguns amigos avulsos e criar uma série de conversas paralelas entre eles dois e os amigos.E então entre os dois e eu.

Óbvio que um cara fazer isso tudo sozinho é meio fora de mão. Por isso, eventualmente eu acho que posso ter dado um mole em alguma coisa.  A decisão do comando do estado maior da armada tava demorando e eu comecei a planejar a morte do Gustavo. Eu pensei que matando o cara que faz a ligação do real com o imaginário, eu obteria mais pessoas mergulhando na história, opinando, discutindo e investigando. Não deu outra.

Eu planejei cuidadosamente todos os detalhes do falso ataque ao meu próprio blog. Isso incluiu tirar o blog do ar por alguns dias, perder mesmo grana do adsense e gerar aquela pagina de dafecement fajuta de modo proposital para que alguns caras pudessem concluir que era tudo uma manipulação da mente doentia do Gustavo.

Quando o blog saiu do ar com o defacement, com musiquinha de X files e tudo, teve uma comoção bem maior do que eu esperava. Neste dia eu fiquei bem satisfeito. A comunidade do mundo gump no orkut explodiu em centenas de mensagens e especulações. Pessoas compraram a briga e bateram boca bonito com os personagens ficcionais. Neste dia eu me realizei, porque vi que havia finalmente atingido o transrealismo. Os personagens responderam a altura. Insultos mil eram trocados de todos os lados. E o Blog fora do ar… E eu perdendo grana… Mas tudo pela arte. Alguns até apostavam que tudo era ficção. Estavam certos no mundo real, mas no contexto da história, redondamente enganados.

Foi quando o Gustavo aproveitou que eu estava “viajando” e espalhou a notícia da mensagem cifrada. Óbvio que a mensagem cifrada era planejada para expor aos investigadores algumas informações que me ligavam ao plano de ocultação do Juca. O problema foi que eu dei o maior mole do universo ao fazer a captura da tela com meu login e não com o do Gus. (culpa da loucura de múltiplos personagens) Um cara da comunidade chamado Mário sacou o detalhe e expôs o mesmo para todo mundo.

Ali eu vi o castelo começar a ruir. Pensei que não haveria jeito. Então escrevi uma mensagem como o Gustavo para o Mario, dizendo que eu havia invadido o computador do Philipe e que roubei senha e dados bancarios. A idéia da invasão nasceu daí. Felizmente, ela me ajudaria mais tarde a criar o loop da pasta LMF e também o motivo misterioso pelo qual ele é raptado – a pasta.

O Gustavo mandou ao Mario um longo email detalhando cada uma das ações que o conduziram a descobrir como eu estava envolvido com os Mibs brasileiros. No fim, o Gustavo contava a verdade. Eu assumi ao Mario a história toda e dei a ele os parabéns por ter sido o primeiro cara a sair da matrix. Ele se amarrou no projeto quando viu o mesmo pelo lado de fora. Ao contrario de mim, o Mario teve a experiência de estar dos dois lados, e depois ele aceitou minha proposta de se juntar ao “lado negro da força” e dar continuidade a mesma. O fato de ter exposto o meu furo tornou o Mario meio que blindado contra a desconfiança, e assim ficamos por muitos meses.

Ele ajudou a inverter tudo dizendo que sabia de dados que o Gustavo havia mandado pra ele assumindo a invasão do meu PC.

O Mario foi infiltrado nos grupos de investigação e cuidadosamente planejamos quando e como ele começaria a se tornar um desafeto, ocupando o lugar deixado pelo seqüestrado Gus.

Ocorre que desde o início, eu precisava sair do meu papel de Philipe. -Isso explica porque alguns leitores mais sagazes notaram que eu agia de um modo nas respostas no relato de um MIB e de outro nas respostas dos outros posts. Não satisfeito com a criação do perfil do Gustavo e da Renata-Vivi, eu criei uma personalidade paralela para mim mesmo. Afinal, na história eu REALMENTE estava escondendo informações sobre o Juca. Isso fez com que o Gustavo estivesse certo o tempo todo. No âmbito da história, eu era um cara muito mais babaca do que eu sou realmente. De um certo modo eu tive nojo de comentários meus diversas vezes. Foi com um certo sofrimento que me vi tendo que ser bastante escroto com alguns leitores. Mas não era eu realmente, e sim o personagem.

P: Você não teve medo de pirar?

R: Na verdade sim. E muito. Eu comecei a ficar preocupado com o Relato de um MIB quando percebi que estava ficando cada vez mais fácil encarnar personalidades completamente diferentes da minha. Eu estava me transformando na Vivi, no Gus e no Philipe 2 rápido demais. Sem esforço. Isso me preocupou. Comecei a temer pela minha sanidade quando podia ouvir discussões rolando dentro da minha cabeça com essas figuras. Pode conversar com qualquer ator que eles vão dizer que dependendo do cara, ele pira e vira o personagem e não volta mais. A coisa é bem mais complicada quando não há roteiro prévio. O Relato é um RPG onde você interpreta três figuras diferentes ao mesmo tempo, em conflito e ainda por cima por vários e vários meses seguidos, em diferentes mídias. É foda. Maluquice igual, eu não faço nunca mais.

P: E qual foi o pior momento?

R: Na verdade, desde a criação do Gustavo, desde que atingi o objetivo do transrealismo não tive mais sossego. Eu me sentia péssimo, enganando as pessoas. Por mais que fosse por um bom  motivo, que era colocar o leitor dentro da história de um modo como não conheço no mundo algo similar, era enganar os outros. Por mais que o cara que entrasse no orkut, conversassem com as pessoas e respondesse rispidamente alguns leitores, era enganar. E enganar é errado. Eu tive clareza disso desde o primeiro dia até hoje, quando finalmente me livrei da maldição do relato de um MIb. Eu conversei sobre isso com o Mario e com mais uns dois que descobriram a verdade e me contactaram em PVT para me parabenizar por todo o trabalho. Felizmente pra mim, a maioria das pessoas compreende o trabalho de um modo melhor que eu mesmo. Talvez pelo fato de criar tudo, de arquitetar a história e o modo como os leitores seriam catapultados à sua revelia para dentro do conto. No fundo, eu fui meio que um seqüestrador. Seqüestrei centenas de pessoas para dentro de um universo ficcional que eu inventei. Não me bastava ter leitores gostando. Eu queria leitores participando, investigando discutindo diretamete com os personagens.

P: E odiando.

R: Sim, e odiando! Porque odiar e amar são os dois lados de uma mesma moeda. São reações afetivas que só se estabelecem porque foi quebrado o ponto de separação do que é real e o que não é. Alguns leitores mais sensíveis conseguiram antecipar isso e perceberam que estavam sendo sutilmente manipulados. É natural que tenham se sentido ofendidos. A reação deles é normal e acho que seria similar a minha.  Toda reação emocional, positiva ou negativa, é vitória para o autor. A pior coisa que poderia acontecer seria a indiferença e isso realmente, não teve.

O problema é que não há meio termo numa coisa assim. Ou você faz ou não faz. Eu resolvi fazer para não me arrepender quando outro aventureiro lançasse mão antes. Pelo menos eu inovei em alguma coisa. Veja, o que são os blogs hoje? Alguns mostram fotos de mulheres peladas, outros contam piadinhas, alguns falam da vida e a massa quase absoluta se limita a reproduzir notícias. Nada contra, por mim tá beleza. Só que eu acho que dá pra ir além disso.

Eu acho que blogs podem transcender este espaço de apenas comentar e ler comentarios. Blogs podem se beneficiar do contato, do hipertexto, da metalinguagem, da multiplicidade de mídias…

“Blogueiro si, pero sen perder la inovación jamás! ”

A história pode não ser grande coisa, pode ter um final piegas e pode ser excessivamente x files. Mas o que me agrada é ter conseguido trazer algo da ficção para o mundo real e proporcionado a alguns leitores a oportunidade única de brigar com alguém que só existe dentro da mente do autor. Quando a maioria de nós fez isso pela última vez? No Jardim de infância, possívelmente. Quando amadurecemos nós perdemos o benefício do nosso pensamento mágico. Nos limitamos a nossas vidas rotineiras e talvez medíocres. O Relato foi um experimento, mas além disso, uma chance de mergulhar numa ficção grátis, uma volta ao nosso passado quando podíamos ser reis, heróis míticos ou guerreiros espaciais, ou ainda pilotos de corrida com tampas de panela nas mãos.

P: Mas o que você ganhou com isso?

R: Nada. Eu só perdi. Cada episódio do Relato de um Mib desce em média uns mil leitores nas estatísticas do Mundo Gump. Ou é porque é muito texto, ou é porque a história é longa, cheia de reviravoltas, cansativa ou o tema já foi excessivamente explorado. Ou talvez porque eu dou mole e a coisa é meio mambembe, meio malfeita. O fato é que quando eu coloco o relato, não ganho grana. Mas foda-se a grana. Quem precisa de grana? Eu quero ser inovador.  A grana que se dane. Em primeiro lugar na minha vida está a realização pessoal. Dinheiro eu ganho de outro jeito: Trabalhando. E trabalho não me falta, felizmente.

Além disso, meu critério que mensuração de qualidade não se limita a numero de acessos. Se limitasse, eu só falaria de múmia.

P: Mas não teve medo de perder anunciantes?

R: Sim. Mas pensa bem…  De que me adianta ter um blog bem visitado, cheio de anunciantes se eu estiver engessado numa estrutura totalmente comercial que visa apenas faturar? Falando sério, se eu quisesse só grana, eu fazia como o meu amigo Carlos, que tem o IFTK que é um blog só para pegar paraquedista. Ele sim sabe ganhar dinheiro com blog. Faz tempo que eu caí na real que meu foco não é lucro. É conteúdo. Se conteúdo atrair lucro, ótimo. Eu não desdenho do dinheiro. Mas em momento algum irei trair o leitor já acostumado ao conteúdo do Mundo Gump com objetivos unicamente financeiros. O que não significa, em último caso, que eu também não tenha meus planos de faturar.

P: Nossa, que discursinho bonito. Vai se candidatar a que? Vereador?

R: A questão não é essa. A questão é que eu acho que existem vários tipos de blogs, como existem vários tipos de internautas. Ou você foca em um ou no outro. Não dá pra abraçar o mundo com as pernas, saca?

P: Saquei. Tava te provocando. Mas voltando ao Relato, e o que você me diz daquele primeiro video? Aquele é real, né? Pode falar.

R: Aquele é tão real quanto os demais. O problema é que o primeiro video foi feito nas coxas. Quando eu fiz o video, pra mim estava tão na cara que era 3d que achei que todo mundo ia notar no ato. Me assustei quando vi que algumas pessoas estavam mesmo acreditando que o video era real. Foi quando surgiu o tal DocLottaLove.

P: Você inventou ele também?

R: Não, o DocLottaLove é verdadeiro. Ele é um cara mesmo e eu não conheço ele nem tenho nada a ver com ele. Ele é uma parte real do relato.

P: Mas ele acredita mesmo que o video é real? Tá falando sério?

R: Juro, porra! O cara entrou numa que o video é real. E o mais legal é que tudo foi motivado por uma pequena confusão.

P: Ah, essa eu quero saber. Conta aí!

R: Então, quando eu fiz o primeiro video realmente num fim de semana. Mas não tudo. O alien eu ja tinha há algum tempo. Eu fiz só o video. Eu criei o cativeiro num tipo de cabana tosca, com parede de tijolos, um chão de terra batida. Como um tipo de paiol de cana de fazenda. Eu queria que parecesse algo tosco, algo pobre e brasileiro. Todo mundo imagina aliens em instalações seguras e fortemente armadas. Eu quis colocar o oposto. Como seria a vida de um alien ferrado, com sujeitos ignorantes tratando ele como um cachorro de rua? Este era o ponto daquele video. Quando eu fui criar a cena, esqueci de ocultar as cadeiras 3d que usei de referência. Eu usei uma cadeira de referencia de iluminação. Em geral é fácil fazer clones em objetos 3d. Porém, dei mole e mandei fazer o render sem esconder o clone. Como ele aparecia de relance, larguei do jeito que tava mesmo.

Quando passei o arquivo final em alta resolução pelo total vídeo converter para jogar ele para mpeg pro youtube, o programa deu algum tipo de bicheira estranha, que escureceu muito o meu vídeo. Todos os meio-tons de pele do juca foram para o saco, a parede de tijolos, o chão de terra batida, tudo. Só se via um rosto esverdeado no fundo escuro. Mas eu olhei aquilo e me bateu uma preguiça absurda de refazer. Eu mandei do jeito que tava.   O vídeo ficou incólume por um tempaço. É aí que entra o cara.

P: O Doc?

R: Sim. O Doc. O Doc tem um mérito que ninguém teve. Ninguém, só ele.

O Doc teve uma postura de investigador. Ele fez o dever de casa. Milhares de ufologos metidos a bamabambã, baluartes da ufologia,  torceram o nariz e nem sequer se deram ao trabalho de olhar de perto do que se tratava. Então eu pergunto E se esta parada fosse mesmo real? Mas o DocLottaLove, em toda sua inteligência e humildade, foi o cara que pegou aquele troço e baixou, abriu num programa gráfico e examinou quadro a quadro. Se podemos dar crédito a uma investigação aqui, dou ao Doc. Ele sim é um ufólogo. Ele só está errado em crer naquilo, mas a postura de pesquisa está certa e deve ser reconhecida.

Ele clareou o video. E então… Viu a parede e a segunda cadeira. Veja, a função de um ufólogo sério não é crer nem descrer. É investigar. E isso o cara fez. Este mérito ele tem.

P: Mas e então?

R: O Doc entrou em contato comigo. Ele questionou a segunda cadeira e a parede de tijolos. Eu percebi que ali estava uma chance de ampliar a confusão. Ali eu já estava na pele do personagem Philipe2 e então disse ao doc o que o personagem diria naquela situação. Uma desculpa esfarrapada para ocultar a verdade. Eu disse a ele que a parede de tijolos eram artefatos da compressão do video e que a segunda cadeira era só pareidolia, isso é: Sugestão.

Óbvio que ele ficou puto porque pensou que eu estava desdenhando da inteligência dele. Em seguida, concluiu que se eu disse aquela mentira óbvia, era para ocultar aquele fato. E se eu queria ocultar, era porque ele era real. E foi assim que a coisa da mitologia da cadeira começou.

Ainda não existia o Gustavo. O Doc foi o primeiro cara a interagir com o personagem ficcional Philipe 2. Só que ele não sabia disso. Pegou o argumento vagabundo que eu dei a ele como explicação para a parede e cadeira e não entubou. Ele passou a ter certeza que o video era autêntico graças a desculpa que eu dei. Ele também achou detalhes no video, que passaram batido de 99,9% das pessoas, e aquilo o levou a crer ainda mais que o video era real.

Quando eu criei o Gus meses depois, me lembrei do Doc e da sua obstinação. De um certo modo, o Gus é um tributo aos caras obstinados que se arriscam mesmo como o Doc. O lance é que o Doc deve estar até agora muito puto comigo, pois ele gastou bastante tempo investigando um desenho animado em 3d.  Mas graças a ele, as investigações e a “opinião geral” dos que “querem acreditar” tendeu bonito para o lado conspiratório da história. Ma ao contrario do que alguns pensaram, o Doc nunca soube, nem fez parte como personagem do Relato.

P: E aquele papo sobre perder os arquivos do juca e coisa e tal?

R: Papo furado. Eu precisava de algum argumento qualquer para evitar mostrar o arquivo 3d. A crença no primeiro video funcionou como um catalizador da sensação de realidade. Eu não podia destruir isso.

P: Que programa você usou?

R: Para o 3d eu uso o 3dsmax. Para efeitos de pós, correção de cor e tudo mais, o combustion. E para montar o première. Atrás vem o monte de “lixão digital”, conversores de video, pacotes de codecs, plugins, etc.

P: E aquele sujeito da entrevista? Quem ele é?

R: Aquele é o Celso. O Celso é um amigo meu que tem mais o menos, no barato, uns 15 anos. Ele é um exímio ilustrador e artista plástico. O Celso é um cara jogador de RPG que tem um programa de Tv local aqui. Mas ele não é ator. Ele quebrou o galho. Eu esbarrei com ele na rua e propus. Ele topou e fizemos. O problema é que o roteiro era gigante ele não conseguia decorar. Tivemos que improvisar em algumas partes, e sem poder pagar ator, lidamos com o que temos.  A coisa foi meio feita no improviso. Pessoalmente, eu gosto mais dele na parte da base. Na entrevista ele tava desconcentrado, suando horrores pelo calor absurdo que fazia e ele com aquele paletó, coitado. Aquela filmagem foi um suplício. O pior é que ventava muito, não tinha produção, nem microfone, porra nenhuma. Era mambembe total mesmo. O orçamento inteiro do Relato foi 20 reais.

No fim das contas, considerando as dificuldades, eu até acho que foi legal. Eu fiquei esperando que alguém dissesse: Ei, eu conheço este cara da TV! – Mas felizmente não rolou nada disso.  Acho que o programa dele nem é muito conhecido, hehehe.

P: E a nave? Era mesmo uma peça de usina elétrica?

R: Não. A nave era 100% 3d, bem como grande parte do cenário.

P: E a morte da Renata?

R: Aquela coisa foi uma fajutice que eu tramei com o Mario. Algumas pessoas estavam pressionando o Mario por informações que ele disse que tinha sobre a morte da Renata. A morte da maluca foi criada como elo de disparo da parte final do conto. O Mario apareceu pra mim e falou: “Cara temos que criar logo uma notícia da morte dela.” O plano original era ambicioso: Criaríamos um site inteiro, com notícias de pelo menos dois anos sobre a cidade e lá no meio, em uma pequena nota, falaríamos do assassinato. Mas isso tomaria muito tempo, eu estava floodado de trabalho e o jeito foi fazer uma nota de morte fajuta.

Um amigo meu de Juiz de Fora me enviou pelo correio um jornal velho lá. A idéia era ter algo que pudessemos jogar a culpa no – até então falecido – ” Gus”. Dito e feito. Quando o povo sacou que a noticia era falsa, alguém descobriu que a noticia original vinha de um jornal de janeiro lá de JF.  Isso levantou sérias suspeitas que Gus estava vivo. O mais legal da notícia da morte da Renata é que dias antes dela estourar, muita gente tava tirando onda querendo que eu dissesse toda a verdade na comunidade do Mundo Gump. Tão logo surgiu a confirmação da morte da Vivi-Renata pelo Mario, mais de 40 comentários foram apagados da comunidade por uma simples razão: Medo.

Mesmo fajuta, a notícia da morte da Renata deixou muita gente com um certo receio. E isso deu uma reaquecida na história, preparando para o lançamento das partes finais. – Que ficaram prontas no auge da confusão do sequestro do Gustavo.

P: Mas me diz uma coisa, como você inventou tudo isso, quer dizer… Você não tem medo de perder sua credibilidade com algo assim?

R: Sim, eu tenho. Mas não muito. Por dois motivos: O primeiro é circunstancial. O Relato de um MIB não é nem nunca foi uma fraude ufológica. Mesmo nos melhores momentos da trama conspiratória eu entrava nas comunidades de ufologia e dizia a verdade: Que é tudo uma obra ficcional. O problema é que nesta altura, muita gente já não acreditava. O que era bom. O segundo motivo, é que uma vez que eu estou contando a verdade aqui para o leitor, não há como me imputar a culpa de enganar as pessoas. Eu enganei por um tempo porque isso era condição sine qua non para a existência da mesma, mas terminada a história, a verdade dos fatos vem à tona. Eu me liberto da pressão que sentia e da angústia e não vejo porque ser acusado de fraudador, de enganador por um produto cuja expressão dos fatos foi marcada pelo aviso de que eram parte de uma obra ficcional todo o tempo.

P: Mas como ufólogo, criar algo assim pega mal, né? Queimou o filme.

R: É, talvez. Mas veja por este lado. Eu criei uma obra ficcional com as feramentas e recursos que eu tinha. Spielberg faz o mesmo, e nem por isso ele é execrado. Ao contrário, ele é aclamado por varios setores da Ufologia, por seu trabalho em Taken, Em Et, em Contatos Imediatos, como alguém que divulga a coisa dos extraterrestres, abduções, contatos…

P: Ah, mas o Spielberg não é ufólogo da Revista Ufo!

R: E nem eu! Eu nunca disse que eu sou ufólogo. Eu disse que eu já fiz pesquisa ufológica. O meu nome e telefone realmente está numa lista de contatos do universo de pesquisadores ufológicos. Se isso me torna um ufólogo ou não, eu não sei. Mas eu não posso tolher minha criatividade por causa de um título que alguem me deu. Além do mais, 99% da minha contribuição prática para a ufologia se resume a ilustrações que eu fazia para a Revista UFo e não faço mais por desavenças comerciais ligados a questões de ordem financeira.

P: Mas então, envolvido com a ufologia você está. E dentro deste universo, você crê que algo do relato é real? E neste caso, o que?

R: Acredito em aliens. Em grays. Acho que o fato de que tem naves voando por aí é praticamente inegável. E que elas são tripuladas por uma criatuira inteligente um fato decorrente diretamente desta verdade básica. Agora, se as bases são mesmo no oceano, eu não sei dizer. Isso quem me disse foi um cara que trabalhou para o departamento de defesa espacial. Eu acreditei e meti na história. Ele tammbém que me disse aquele lance sobre as naves seguirem pelas rotas de jazidas de urânio e entrarem no mar. Como amigos meus conhecem pessoas que viram naves decolando do mar na costa do Brasil, eu liguei tudo com a história do pré-sal, da quarta esquadra americana, com a morte do Pc Farias… Eu misturo tudo. Eu acredito também nos pequenos seres de Varginha. Eu fui lá, falei com muita gente, conversei com os investigadores, já obtive informações que nem eles tem. Aconteceu alguma coisa bem bizarra lá. Além desses casos, eu improvisei o lance de Uberlândia para ligar com uns casos que tavam acontecendo em Sâo Paulo. Graças a proximidade, deu pra ligar as marcas do canavial no interior paulista com a busca pelo Juca por parte das sondas que teriam sido vistas na região.

Além desses fatos, eu tenho contato com muitas pessoas. Algumas não gostariam que eu revelasse suas histórias surpreendentes de contato. Já falei com controladores de tráfego aéreo, com pilotos, com militares. A Nivea como militar, facilitou o contato com pessoas da força aérea, que confirmaram pra ela em off, a realidade dos ufos. Infelizmente, os relatos que colho não tem praticamente valor algum pois são opiniões, informações deslocadas sem o aval da Força. Sem provas irrefutáveis. A posição oficial sempre é negar.

P: E você pensa que o Relato contribui em algum grau para o descrédito do fenômeno? O que você acha das pessoas que dizem que você abalou a credibilidade da ufologia nacional?

R: Algumas pessoas podem pensar isso. As pessoas tem o direito de pensar o que quiserem. No meu ponto de vista, o peso do “Relato de um MIB”  para a Ufologia é o mesmo de “Contatos Imediatos do 3 grau”, ou seja, nenhum.

Veja, se a ufologia não se garante o suficiente de modo que um conto abale suas estruturas, é sinal que a ufologia brasileira está construída sobre uma base frágil que se resume a venda de livrecos, e revistas de qualidades nem sempre garantidas e palestras e eventos caça-níqueis que mais deformam do que formam. São ufólogos querendo aparecer na TV para falar abobrinhas como “dois ets num jet ski” e “nuvem com cara de et”.  O que abala a credibilidade da ufologia nacional é uma publicação de cunho paracientífico dar destaque para fantasias como Ashtar Sherran e outras papagaiadas.

Isso não é um ataque ao status quo da ufologia brasileira atual, mas convenhamos que é muita frescuragem dizer que algo do Mundo Gump pode abalar a ufologia. A ufologia que eu conheço e estudo não. A ufologia séria de pesquisadores devotados que dedicam suas vidas a investigar as verdades por trás de fatos, contra tudo e contra todos, sobrevivendo a todas as adversidades, esta existirá para sempre. Pelo menos enquanto perdurar o mistério.  Acho que muito pelo contrário… Talvez alguém que nem tenha interesse pelo assunto lendo o relato se anime a pesquisar, investigar e descobrir a verdade mesmo. E então se aliste no exército de investigadores corajosos e possa contribuir efetivamente.

P: Você pensa em continuar o Relato? Ou fazer algo do tipo no futuro? Outra experiência de transrealismo?

Não.

P: Por que?

R: É desgastante pra caramba. E eu não tenho tempo. Além do mais, não vejo graça em retomar um experimento que terminou. É como meu pai diz: O Mágico não faz duas vezes a mesma mágica para a mesma platéia.

P: E como você explica as demoras? Algumas partes possuem mais de nove meses entre elas.

O Relato foi pensado para correr no tempo da realidade. Então eu me preocupei em manter a história num jeito que não fosse rápido demais. Ela tem momentos de pico e retoma ao estado letárgico. É como na realidade. Não é todo dia que tem explosão de 11 de setembro na Tv. Tem dia que não acontece nada de escalafobético. Eu mantive o relato em perídos de “baixa temporada”. Curiosamente, isso só aumentou o interesse sobre o material.  A questão temporal foi importante para a dimensão de realidade. O outro motivo é que tenho uma vida paralela a este blog. Trabalho, como, viajo, durmo. Não vivo o relato, embora ele tenha ocupado um espaço na minha cabeça que agora será um vazio enorme. (Graças a Deus!)

P: Você gostaria de agrader a alguém em especial?

R: Sim. A muitas pessoas. A maiorioa delas foi quem permitiu que o Relato de um MIb fosse possível e que a experiência com o transrealismo funcionasse. Primeiramente, agradeço aos que descobriram a verdade e ficaram na moita esperando o desfecho. Vocês sabem quem são.

Em segundo quero agradecer aos que realmente participaram disso. O Ricardo, o Mario, A Denise, o Rafael, o Celso, o Americo, a Nivea, que apesar de brigar comigo é sempre uma pessoa com quem eu dividi as frustrações e as angústias de fazer algo deste porte sozinho, O Thiago que foi o próprio Juca em certos momentos impagáveis, os meus primos Fernando e Hugo, o Klaucius, o meu pai -Incrivelmente ele foi um dos que mais apoiou e sempre me dizia para “não esquentar a cabeça e tocar o pau na maluquice”, os amigos para quem eu contava e mostrava os videos e que me davam apoio, mesmo que o apoio fosse: “Caralho… Isso vai dar merda, cara!”

Sujeitos como o meu amigo Gustavo – controlodaor de satélites, o  Gustavo Rosa, Raphael, Rafa Swarzenegger (hahahahaha), Felipe, Trovão, Zeca, Lucio Abondatti – um grande mestre que foi o cara que me inspirou a criar o Vortex, o Kentaro Mori lá do Ceticismo Aberto, que acompanhou e ajudou a divulgar toda esta loucura, o meu irmão André, que me acoselhou a acabar logo com tudo e falar a verdade, Fabiano e a galera da Irmandade do Veio Rosa, enfim… Estas listas são uma merda, porque a gente sempre acaba esquecendo alguém.

P: E aí? Acabou o momento oscar?

R: Hehehe. Acabou. Foi mal.

P: Suas últimas palavras antes de fechar a cortina?

R: Quero dizer que foi muito extenuante fazer isso. Conspirar é algo bem mais difícil do que parece ser. Eu nunca vi um ufo. Sempre quis ver um e acho que a criação desta realidade alternativa foi de um certo modo uma realização deste sonho. Nunca vi um Et mas pude pelo menos me colocar à frente de um em 3d. Algumas pessoas poderão não compreender o que leva um cara a  fazer uma coisa dessas sem ganhar nada em troca, levando prejuízo e escutando ignorâncias e desaforos de muitos leitores. Eu também não etendo, mas estou aqui, não sei onde isso vai dar. Não sei se isso vai levar a algum lugar. Eu só sei que posso bater no peito com algum orgulho de dizer que eu me esforço para fazer algo diferente do que tem por aí.  Se isso tem algum valor, o valor é saber que para cada leitor que detestou, possívelmente tem um que gostou.

Quero dizer que o Philipe sacana e ácido nas respostas era um personagem e que foi muito difícil abrir mão de minha própria personalidade original para encarnar um cara bem mais babaca do que eu sou naturalmente por tantos meses. Quero dizer também  que não sou rico como eu e o Mario ventilamos, meu carro é um corsa 96, infelizmente não tenho milhões de reais nem lavo dinheiro para um grupo de pesquisa de ufos. Minha mulher não é do serviço de inteligência da Marinha e o Relato de um MIB  é uma obra 100% ficcional, tirando algumas pessoas como o DocLottaLove, o Mario e etc.

Quero dizer também a você (você sabe que eu sei quem é você) que está me investigando, que pode chafurdar à vontade. Não tenho nada a esconder. O relato é uma obra 100% ficcional e continuará sendo para sempre uma tentativa de colocar o leitor deste blog dentro de uma história. Pode não ter funcionado para todo mundo, mas eu tentei.

Para você que acompanhou até aqui, muito obrigado.

FIM

Artigos relacionados

215 comentários em “O relato de um MIB parte 10 – A verdade”

    • SABE QUE EU ACHO . LI TUDO ISSO DO INICIO AO FIM.(ACHO QUE TUDO ERA VERDADE E TU PERDEU O CONTROLE DA COISA ) E MENTIO MUITO BEM NO FINAL….. ANALIZEI MUITO ESTE TUDO ISSO….! ACREDITO SER VERDADE . QUEN SABE NAO SEQUESTRARAO UM PARENTE SEU PRA TI MENTIR TB………

  1. Parabéns pelo trabalho e dedicação, com hype funcionou muito bem, pois no começo cheguei até a trazer alguns amigos para o “transrealismo” mas no momento que ví você chingando o pai do Gus, não lembro em que parte do relato, saquei que era mentira, que aquele era o “Philipe 2” e que você nunca falaria aquelas coisas, e parei de ler, comecei a postar comentários tentando alertar a todos a mentira, pedi para amigos não ler, e acredito que a perca dos 1000 leitores por relato se deve a chatisse que se tornou, tem que ter muita paciência para ler aquilo. uhahuahuhua

    Mas parabéns pela dedicação e pelo hype que gerou, você pode ter perdido muitos paraquedistas do google, mas certamente ganhou muitos leitores fieis, como provavelmente perdeu outros também(hehehe), mas criou uma experiência inédita, o mais próximo disso que tinha visto foi o “lost experience” que é uma extensão da serie para o mundo real, mas como é de uma série, todos sabem que é real, no Relato de um MIB, a maioria deve ter ficado na dúvida por um bom tempo.

  2. ta lá meu post na comunidade

    22/10/08
    Bruno
    Desde o começo falo isso, e quando no fim ele revelar toda a brincadeira, todos que acreditaram ficarem com cara de idiota, eu vou estar lá, junto com você, dizendo “eu falei”

    E esse não foi o post mais antigo, vou procurar outros mais antigos onde eu avisei da farsa 😀

  3. Parabéns pelo desenvolvimento, Philipe. A história correu muito bem, e mesmo um monte e gente jurando de pé junto que era mentira, e tendo “certeza absoluta”, tu fez uma divergência legal entre o público. Essa ressolução toda valeu a pena, e a história ficou legal.

    Eu só não me preocupei muito com isso porque sou adepto de Shapralah e larguei o treco de lado assim que o Mário provou que a screen era com sua conta. Aí eu larguei de mão. Passei a acompanhar só por esporte.

  4. FILHO DA PUTA!
    Mas foi bem bolado, agradeço por ter registrado em texto minhas impressões de que o Gustavo talvez tivesse sido raptado pelos hackers que ele pagou para invadir o teu computador.
    Pena que eu não sou tão esperto, e ainda bem que você não irá escrever outra história do tipo. Aliás, pode aproveitar o momento e me mandar uma resposta ríspida e ofensiva como você diz costumar mandar para as pessoas, acho que é isso que você faria em condições normais.
    No mais, não deixei de acompanhar o site apesar dos traumas. Curta esse momento, que no mínimo ganhará um baita destaque.

  5. Vou comecar dando os parabenz, por ter finalmente acabado. Ficou uma obra bem legal, e eu tentei acompanhar o melhor que pude. Eu sabia da verdade, mas mesmo assim nao tirou nem um pouco momentos de angustia, etinha horas q eu lia teus posts e penssava ¨putz meu irmao e louco¨.
    Agora ja pode adicionar o menininho de volta ao orkut, estou surpreso com a atuacao dele, nao deu KASHOW nem nada hehehe.
    Ficou muito maneiro, espero participar mais ativamente em futuras maluquices como essas, quem sabe nao fazemos o sombra? hehe
    E um ultimo coment, faltou a agradecer a mim seu irmao disleixado, hehehe. Bom trabalho cara, agora de volta a programacao normal.
    Andre

  6. 0_0

    Putz Philipe, muito interessante o rumo que o Relato de um Mib levou. Sabe que desde o aparecimento do Gustavo eu acreditava em uma teoria retro-conspiratória de que era tudo invenção mesmo? E eu tenho uma amiga que também acompanha o Mundo Gump, e ela sempre falava: “Nossa, como você pode dizer isso, não tá vendo que ele está sendo ameaçado?!” 😎 Hehe
    Sei que muita gente vai ficar grilada com essa revelação, mas sei tabém que muitos outros leitores curtiram pra caramba o Relato de um Mib. Eu sou um desses. Parabéns pelos contos, e ainda estou esperando o livro do Mundo Gump!

  7. Fala Philipe… faz tempo que eu não posto nada aqui, mas pode ter certeza que eu acompanhei cada passo dessa maluquice.
    Que m***, pensei que seria o primeiro a postar um comentário te dando os parabéns, mas demorei um pouco para ler o texto e quando atualizei a página já tinha um antes.

    Resumindo em uma única palavra: ESPETACULAR!!!

    Pode ter certeza que sou um fã, e que vc conseguiu o que queria, teve horas em que duvidei, teve horas em que acreditei, espalhei essa loucura entre os amigos, sempre mandando links, copiando os textos e mandando (sempre com crerdito a vc) para quem não tinha acesso, quase deixei minha namorada louca com essa história (rsrsrs) afinal, quando era mais novo fiz um avistamento, e particularmente tenho uma sensação estranha quando vejo um GREY, não sei explicar o que é…

    Continue sempre com este nível alto no blog, que eu sempre acompanho e procuro divulgar, afinal é o único que eu conheço com conteúdo… os outros não fogem da mesmice.

    Abraços.

  8. Agora eu posso dizer: “desde o inicio eu sabia que isso era uma farça, inclusive o gustavo”

    Eu chamaria isso de transbabaquisse para transbabacas! kakaakak

    Mas um merito seus textos tem: O de alertar as pessoas para as mentiras bem elaboradas que circulam pela net e sao capazes de convencer gente com pouco senso critico: Teorias mirabolantes como o “Holocausto nunca existiu” ou “HIV nao existe, é uma mentira dos laboratorios farmaceuticos” E que por incrivel que seja, convence muitos incautos….

    RUN FORREST!!!!!!!!!!!

  9. Meu Caro Philipe, o que que eu posso dizer sobre o Relato…. PQP cara…. MUITO MUITO MUITO BOM!!!!
    Você realmente está de parabéns!!! Acho que faltou muito pouco para sair no Jornal Nacional e no Fantástico! Criatividade nota 10. Continue assim (mas sem as multiplas personalidades, isso não é saudável!).
    Estou aguardando sua próxima Super-Hiper-Mega-Baguá de Grande obra!
    Grande abraço,
    Fernando.
    PS: Tem certeza que é 100% ficção??
    (brincadeirinha!)

  10. No fundo no fundo acho que eu já sabia, mas meio que não queria acreditar que Philipe=Gus=Vivi/Renata/Wathever=Vortex=Gretchen=SteveJobs

    Isso que acabamos de presenciar minha gente, isso é HISTORIA! Pode acreditar que daqui uns anos nas aulas de literatura da sexta serie vão ter aulas sobre transrealismo do nosso Mr.Kling.

    =]

  11. Cara tais de parabéns aconpanhei desde o começo, e nunca postei, em 1º pq achei que era bobagem, e depois tenho até vergonha, pq fiquei com medo, mas vc esta de parabens pela inteligencia e trabalho, mas acobou demonstrando como é fácil manipular a população (não acistam tv e de agora em diante não leiam blogs) hehehuhau Brincadeira
    abraço

    • Sim, acho que dá pra tirar uma lição importante disso tudo. Temos que ter sempre um posicionamento crítico com relação a tudo. Veja por exemplo a maquiagem que os americanos engoliram na cobertura tendenciosa da CNN na guerra do golfo… As ilusões surgem onde menos se espera.

  12. Cara, vc é louco! Passar por esse trabalho todo em prol de uma ideia. Eu e meus amigos discutimos horas sobre o Gustavo e a viviane, principalmente quando o blog saiu do ar.
    Parabens por ter tocado a ideia pra frente, nao deve ter sido facil.

  13. Parabéns, eu numca desconfiei, eu mandei email perguntando, coloquei-me a diposição para ajudar, entrava no google e pesquisava algumas coisas que eu lia. Me sentia preocupado com a situação!
    Se sua idéia primorsial era trazer os leitores para a história, vc conseguiu!
    Parabéns novamente (com cara de babaca)!

    • Eu me lembro. A maior galera me escreveu, muita gente ficou preocupada. Alguns caras ficaram tensos. Teve gente que se colocou à disposição para pegar o Gus e meter a porrada nele mesmo, hehehehe. Felizmente, tudo acabou.

    • É pq vc não viu a Saga de Varmod, um longa metragem de mais de uma hora de duração escrito num único post. Procura aí. Acho que é o post mais longo do mundo.

  14. King Kling(seu sacana hahahahahha), acompanhei todo o desenrolar desse Relato, nunca acreditei 100% nessa historia, mas tb nunca desacreditei, acompanho blogs nacionais e internacionais a quase dois anos, e posso dizer que o seu é um dos melhores do BRASIL(e pq não do mundo?).

    Parabens pela loucahistoria e continue doido assim.

    • Edu, você não devia se sentir um otário, uma vez que não perdeu um tostão nessa história. Sinta-se tendo participado de uma coisa diferente, uma experiência meio incomum. Otário é político, que dá golpe no povo para patrocinar castelos nababescos de gosto duvidoso e viagens de luxo.

      • Ou seria nós, que pagamos a conta??? 😉

        Philipe, parabéns pela dedicação e criatividade deste trabalho. Sempre acompanho o MG e já sabia que sua imaginação era BEM grande para bolar isto, hehehe. Realmente Gump. Sucesso!

  15. Oh my God! Vc é um ótimo escritor, consegue passar para o público diverssas sensações diferentes! Eu não acreditava que isso fosse real, mas tb acreditava que em certas partes isso fosse realmente real, me iludi…
    Li esse texto inteiro assim –> :shocked:
    Você está de parabéns Philipe, continue com esse trabalho, realmente seu blog tem um diferencial dos outros, inovação! ^^
    Um abraço!

    Renato Rocha

  16. Fala Philipe,
    bom eu já tinha lhe parabenizado no fim da historia, pois achei demais interessante e de uma imersão bem realista. Mas como você mesmo exemplificou, a historia era realista num palco ficcional.
    Na minha humilde opinião, o transrealismo só se deu pelo fato do lance do Gustavo. O qual eu me recusava a acreditar ser sua criação pois achei um pouco apelativo nos momentos finais (tortura, morte e tudo mais). Eu precisava acreditar que ele era real, um maluco de galochas, para não me decepcionar com o Philipe1 o qual eu era leitor.

    Porém agora, revelada a “criação” do tal Transrealismo, acredito que esse link entre os mundos valeu a pena. Ainda não gosto da forma com que foi feita, mas arte é arte e existe várias formas de aprecia-la.

    Quero lhe dar um grande parabéns – novamente – pois – sem me cansar de repetir – o Relato de um MIB foi a coisa mais extraordinária que aconteceu na blogosfera brasileira. Eu sei que a BrBlogosfera anda meio fútil gastando energias em discussões sobre Doritos, mas acredito que o que você criou é e seria grande em qualquer outra situação. Só não atribuo um título em esfera mundial pois o RMIB só se encontra em PT-BR.

    De qualquer forma, parabéns de novo.

  17. Cara, sinceramente nunca li o relato de um MIB, mas sempre leio os comentarios e adoro as brigas.

    Não sei se acreditei ou não no Gus, só sei que entrei no site dele e achei uma coisa incrivel o video não sair do youtube.

    Só uma coisa, genial essa ideia do relato e principalmente mostrar como é facil criar um hoax bem feito nos dias de hoje.

    Santa internet. x_x

  18. Parabens Philipe, saquei desde o começo que era “balela” mais a historia ficava cada vez mais legal a cada post que era impossivel entrar no blog e passar direto pelo Relato de um MIB….

    Mesmo eu sabendo que vc estava inventando tudo akilo, que akilo td era coisas da sua mente, quando começava a ler me envolvia mto com o post, acho que pq tinha fotos videos e mto mais que o tornava interessante ler… É a mesma coisa que vc pegar um livro e mesmo sabendo que td aquilo é falso vc nao consegue parar de ler, vc quer ler ate a ultima palavra…!!!

    Bom, parabens pelo projeto, parabens pela dedicação!!!

    Abraço

  19. Philipe,

    Nunca comentei em seu no Mundo Gump.

    Leio seu blog há algum tempo e acompanhei todos os relatos que vc publicou. Dediquei grande parte do meu (pouco) tempo disponível para lê-lo e agora vc me vem com esse final?

    Tudo que eu posso te dizer é: GÊNIO!!!!

    Obrigado por publicar algo tão espetacular!

    Continue sempre assim!

    Abraços!

  20. Fala, Philipe.
    Cara, parabéns por conseguir ludibriar tanta gente… e pela paciência… Logo no início eu tava completamente cético quanto a essa história toda, mas depois da metade pra cá eu juro que você me convenceu… só até chegar nos últimos vídeos do Juca onde deu pra perceber o 3D. Mas mesmo assim, tá de parabéns!

    P.S.: Estou esperando mais esculturas! 😀

  21. Eu nao acreditei nas historias do relatos de um mib, mas eu realmente acreditei no gus e na vivi (pq sempre tem loucos que fazem algo pra tentar tirar algo da gente)

    voce realmente esta de parabens, Philipe, realmente de parabens!

    eu nunca imaginei que iria dar tanta repercussao que deu, e sinceramente, foi a melhor historia que eu ja tive o prazer de ler em um blog (existem poucos blogs que fazem o que voce faz, voce sabe), e infelizmente vai me deixar um vazio muito grande depois dessa revelaçao…

    mas valeu a pena mesmo. de verdade. muito obrigado por essa fantastica historia, companheiro! e meus sinceros parabens! 😛

  22. Agora,, depois de um tempinho sem acompanhar o Mundo Gump por ja´ter sacado que era tudo uma grande babaquice ( incluindo aquele site em um servidor russo que dizia todos os furos, e por acaso era o mesmo servidor que o “gus” usava)…..
    Eu volto e recebo este texto como : UM PEDIDO DE DESCULPAS POR FAZER MÓ GALERA DE BESTA..

    MAS A IDEIA É GENIAL….CRIATIVIDADE TOTAL..
    PARABENS

  23. Já tinha dito que vc é genial no outro post, mas com essa confirmação eu posso afirmar que essa experiencia foi a mais brilhante que já vi utilizando como principal midia a internet/redes socias/etc!

    Obrigado pela inspiração cara e PARABÉNS!

  24. Caaaaaaaara… Não sei se te espanco ouse te dou um prêmio(que ficarei devendo por hora haha)O que eu arranjei de briga na comunidade foi brincadeira,pqp.
    Incrivel como mesmo não acompanhando muito o relato, acabei envolvido na bagunça. Não é a toa que você não queria apagar os tópicos nem assuntos relacionados, ou isso mataria o interesse.
    Foi um golpe de gênio. Meus parabéns por essa obra gigantesca e inovadora. Fiquei feliz em ter participado, mesmo que pelas rabeiras =P
    Um abraço!

  25. huaahuuhahahu, Sr. Kling, finalmente acabou.

    Philipe quero me desculpar e agradecer você!
    Me desculpo por ter descoberto aquele negocio do Screen, deveria ser mais esperto e sacado de inicio quais eram suas intenções. Sinto que com aquilo a história do Gus perdeu um pouco de credibilidade.

    E Agradeço por me deixar fazer parte dessa GUMPISSE, queria ter ajudado mais, participado mais, ter feito coisas mais inovadoras. Ter bancado mais o “Gus”. Ta certo que minha participação como maluco que foi mais participativa na comunidade, não deu aquele impacto do Gustavo, mais acho que valeu mesmo assim. Nunca vou conseguir chegar ao nivel de “Gus”
    Essa história foi bem interessante, apesar de ter acontecido coisas bizarras, como a história dos 2 caras que me reconheceram (gostaria de saber quem são) confesso que sujei bonito minhas calças, minha mão tremia.

    Mais enfim Philipe, valeu a pena, não foi facil. sem falar que bancar vários personagens realmente mexe com a cabeça (não se esqueça que eu tambem em certos momentos fui o Gus e a Viviane, mesmo que fui poucas vezes), quero te dar os parabéns.

    Quero dar os parabéns ao Nosso querido homem-cueca, é uma pena eu não conhecer o Rafael Assumpção pessoalmente. Quero dar os parabéns a sua amiga Denise, ao Coronel de cara fechada, adorei quando ele falou “Fica burro, igual aos meus soldados” e “Você ja ta perguntando demais”. Quero dar os parabéns e agradecer a Nivea, afinal, ela teve ter tacado muitos tamancos na sua cabeça, dou os parabéns a ela por ela ter coragem de ter casado com um cara tão Maluco como você, e peço desculpas para ela por ter falado dela na comunidade.

    Parabenizo e agradeço tambem o meu amigo Alexandre, que sacou a história muito bem, criou uma teoria exelente e me jogou contra a parede. O Cara merece muitos créditos 😀

    Fico feliz tambem pelo pessoal ter gostado da história. Pelo jeito a maioria gostou muito.

    Quanto aos nosso amigos que deram ou vão dar uma critica negativa, que foram mais ofensivos e que acharam que a história foi demais, que acharam que a história passou dos limites, que foi enganado, eu tenho uma coisa a dizer. Sim meus amigos, VOCÊS FORAM ENGANADOS E VÃO CONTINUAR SENDO ENGANADOS. Vocês são todos os dias enganados por políticos corruptos que mesmo em tempo de crise querem aumentar seu salário. Enganados por pessoas que ao inves de colocar dinheiro na saude de nossos filhos, educação, melhores salarios para professores, melhor qualidade de vida em muitos lugares, fazem coisas que realmente não dá para acreditar. Controem castelos de luxo e ainda provam e dão explicação lógica que aquilo foi honesto. Eu me senti enganado com aquilo. Acho que isso é passar dos limites.

    Aos que não dessa parte que sai da ficção, veja como eu vejo. Todos nós, querendo ou não, vivemos uma vida mediocre, criamos rotinas que realmente deixam nossas vidas sem graça. Mais quando aparece um maluco, que faz uma coisa totalmente insana como essa. Que é completamente ORIGINAL. Você acaba saindo dessa rotina, acorda todos os dias querendo saber o que aconteceu e o que vai acontecer. Começa a esperar o inesperado :S. O Sr. Kling assim como todo o elenco, nos deu uma experiencia nova, uma coisa que ninguem fez, que nos deu expectativas, que nos libertou da nossa vida mediocre, deu emoção.
    O ideal seria aplicar essa prática em todos os momentos da nossa vida, não falo de sair por ai criando coisas conspiratórias, que fulano tem um e.t dentro da cueca. Me refiro de sempre tentar mudar, inovar, fazer o diferente, o novo. Querendo ou não, no nosso mundo, muitas pessoas são depressivas, não tem motivação. Entretanto, quando algo muda radicalmente muda, essas pessoas acabam ganhando vida, acabam achando um motivo ou uma razão para acordar todas as manhas e criarem seus dias.

    Aos Ufologos, prestem a atenção. Isso não é brincar com a ufologia. Brincar com a ufologia é fazer como fizeram a um amigo meu ex-ufologo. Ele é um cara que acredita pois já vivenciou algo do tipo. ele uma vez ia dar entrevista a um programa de televisão. Entretanto essa entrevista consistia em desmentir fatos, mitos, coisas baratas que nego usa para escrever new age de segunda linha. A produção do programa disse que pagaria ele se ele confirmasse a mentira contada, ele recusou e não apresentou.

    Ufologos, ententeram o que é brincadeira com ufologia? Entenderam o que é um ufologo sério?

    Bom enfim, valeu a pena. Acabou, espero que essa história fique marcado a todos. Que reconheçam realmente quais foram as intenções do Sr. Kling assim como eu reconheci. E que essa trama toda seja divulgada reconhecida como ela merece ser.

    Abraços a todos

    Mario Filho (o verdadeiro guerreiro da verdade 😛 😛 :P)

    • O prazer foi meu de trabalhar com você, cara. Fizemos uma dupla legal e foi bom você lembrar do Alexandre. Ele foi escolhido por nós dois como o leitor que ia mergulhar mais fundo. Por conta disso nós demos um tratamento especial pro Alexandre, dando pistas a ele, trocando mensagens no MSN, orkut, depoimentos variados. Foi divertido e angustiante, porque o Alexandre é foda, ele fica no pé, fica pressionando direto. Ele dá um ótimo ufólogo.
      Gostei da colocação sobre os políticos, cara. É isso mesmo.
      Vc mandou muito bem no período que foi o Gus e a vivi pra mim. (No meu laboratório não rola orkut)

  26. Bom, sempre fiquei na dúvida se era verdade ou mentira o tal Gustavo. Porém no post do anuncio no jornal sobre a morte da Vivi/Renata, eu comecei a sacar que era tudo invensão, porque vc sempre defendia as acusações de que era anuncio falso, vc queria passar p/ as pessoas que era real a todo custo. Confesso que meu serviço ficou todo acumulado aqui no meu escritorio qdo surgiu o tal Gus, porque realmente prendeu minha atenção. E sinceramente, esta foi a única maneira que me fez ler algum relato, conto, história, etc. Resumindo… Parabéns pelo trabalho, realmente deve ter sido muito arduo, porém interessante, muito interessante, diria até…..” P E T A C U L A R” rá. Abraços

  27. Philipe,

    Acho que você não devia ter usado o nome do seu pai (nos agradecimentos), pois ele é uma pessoa de grande influência para toda essa questão do Brasil ser capaz de ter um trem como o Maglev.

    Acredito que mencionando o nome dele você corre o risco de atrapalhar um pouco na credibilidade do projeto (em algum ponto), pois você mesmo assumiu ter enganado as pessoas (ainda que pelo bem e pela inovação do “transrealismo”).

    Muitas pessoas devem ter se sentido enganadas (como você mesmo disse) e mencionando o nome do seu pai (e toda a promoção que você faz do ótimo trabalho que ele realiza) você pode atrapalhar de alguma forma a reputação dele, pois ele também sabia que se tratava de uma enganação.

    Eu entendi a sua proposta, porém, muitas pessoas não vão entender.

    Acho que não estou conseguindo me explicar.
    Você está conseguindo entender?

    Bom, só um toque. Não precisa publicar esse comentário.

    Abs

    • Sim eu entendo. Mas não tem nada a ver uma coisa com a outra. Ele achou legal do ponto de vista da inovação literária, uma vez que ele também é escritor de romances. Este é justamente o ponto central da questão. As pessoas tem que parar de misturar estações. Um cientista pode achar legal uma história e nem por isso sua credibilidade técnica/histórica fica ameaçada. Um blogueiro pode escrever uma história ficcional que parece verdade sem que ela seja. Aos leitores cabe apenas gostar ou não. Quando um diretor faz um filme, o publico e a critica podem gostar ou não. Mas não é porque alguns não gostam e outros cultuam que ele deixará de fazer.

  28. Salve Phillipe. Acho que você acabou indo além do que imaginava inicialmente. Digo isso porque acredito que sua intenção era a criação da história “Relato de um MIB” de forma a colocar os leitores dentro da mesma. Acontece que no fim, tu acabou criando uma outra história paralela ao relato: O caso “Você e outros vs Gus e Vivi e outros”. Nunca li o “Relato de um MIB”, textos longos em blog não funcionam muito e achei a história um pouco boba, faltou algo que me pegasse nela. Acontece que após o “ataque” ao blog, você revelou a história do Gustavo, um cara de minas que estava obcecado pelo relato e que passou a tocar o terror pra cima de você. Esta história (ou seria estória?) eu acompanhei de perto e aguardava ansioso cada novo capitulo. Entrava constantemente na página do “Guerreiro da Verdade”, perfis do orkut de ambos, desenbvolvimento das discussões na comunidade, etc. Só fiquei preocupado com um provável desfecho negativo que isso poderia ter para ti, tendo em vista que o Gus parecia realmente maluco. Mas confesso que sempre algo me dizia que havia algo de errado (no sentio da veracidade dos fatos). Talvez porque no fundo eu percebia que as medidas tomadas por ti não condiziam com a atitude que uma pessoa tomaria numa situação destas. Li algumas vezes tu citar uma advogada, que tava movendo ação e etc. Mas esta questão ficava na citação pura e simples, soando meio que para despistar a atenção daqueles que desconfiavam do jogo. E lendo alguns comentários teu no blog ou no orkut eu percebia que de certa maneira você colocava mais lenha na fogueira, sustentando hora sim hora não a história como sendo verdadeira. É claro que hoje, depois de ler este post eu sei que era o Phillipe 2 que confirmava os fatos do relato como sendo verdade. Foi interessante fazer parte de tudo isso e achei bacana a idéia do seriado. Sou estudante de cinema e me ponho a disposiçáo se precisar de alguma ajuda. Abraços e sucesso.

  29. CARAJO! Eu fiz mó propaganda disso! Contei para amigos e tudo o mais! rs
    Embora a noticia da morte da sra GUstavo dava pra checar, mas nao tive paciência e me perguntei, pq o Philipe nao o faz?! rs
    Ta explicado o pq!

  30. Cachorrinhoooo…
    Se eu te falar q chegeui num ponto de nem dormir a noite pensando nisso tudo o dia q eu li…cachorrinhooo!!!hehehehe…mais to impressionada com isso tudo…e assim seu livro estiver pronto(seja lah do q for), eu com certeza vou comprar…Parabens!!!Bjus…

    • hahaahha!!Ou um Orson Wells tupiniquim…
      Pior que eu até tava acreditando…
      Pelo menos a sua ” brincadeirinha” não causou pânico na população,sobrecarga nas linhas telefônicas e congestionamento das ruas por causa do Juca. Mas em todo caso foi divertido :B

  31. Parabéns!!!
    A internet como mídia ganhou muito com a sua história e espero que ela seja reconhecida pela inovação que trouxe!
    Este é o futuro, amigos!

  32. Foi uma honra ter contribuido com o conto, não vou dizer aqui e nem levantar a bandeira ” EU JÁ SABIA”, ao contrário eu vou dizer
    ” EU DESCOBRI”, pq ao longo da coisa, certós fatos estavam ficando amarradinhos demais, depois de alguns posts ” codificados” que coloquei lá na comunidade desmascarando a coisa toda, e Philipe desenvergonhadamente, cara de pau (heheheh) apagou e ainda fez piadinha, fora alguns ” papos ” com meu chapa Mário, fiquei sabendo da coisa, então soltei pra ele a história todos dos ” amigos” do Philipe e suas tramóias, após isso, Mario ja nao falava mais comigo. Dai é só ligar as pontas. Eu sou de todo agradecido pelos créditos e por esta incluso num GUMP sensacional, talvez o maior da Net neste novo mundo tão tecnologico, foi feito um conto que em 3D foi o precursor da interatividade digital pra nossos futuro filhos. Parabéns a todo elenco, aos que acreditaram, aos que não acrditaram, os que resolveram seguir alheios a tudo e a todo tipo de crítica. Minha noiva tb comia meu juizo kkkkk. Uma Salva palmas!!!!

  33. Ah, Philipe, tô bege. Bege!

    Caí que nem uma pata, rs…. (tá certo que eu não lia direto e acompanhei tudo meio por cima, mas juro que não imaginei que todos fossem vc!)

    Parabéns! Muito legal o trabalho!

  34. MANOOO eu notei a parada do gus e tal… (mesmo pq ja fiz muito dessa parada de inventar personagems) MAS VEI VC DEIXOU CHEGAR NUMA PROPORÇÃO COLOSSAL!!!! eu n teria coragem de levar uma mentira dessas até o fim (vocês não tem noção como é ter que interpretar brigas consigo mesmo, dá 1 nó na cabeça desgraçado) mesmo assim parabens pela historia doidastica ^^

  35. Eu sei que você sabe que eu sei que você sabe quem eu sou. Mas vamos manter isso num clima de amizade, civilidade e cortesia, afinal não estamos mais na idade média. Vamos rolar de rir disso tudo, apesar de estar sendo prá valer. Só não sei como é que você teve saco para dirigir do Rio de Janeiro até aqui só para olhar para minha cara quando eu voltei do Cyber Cybéria e sair disparado com o carro. Acontece que não sou só eu: tem mais de um milhão de arapongas na tua cola e suspeito que até aquele lance da CIA ter listado sua pessoa seja verdade.
    Agora, o que você diz aí em cima, não sei não…seria muito cômodo e um tipo de solução assim “deus ex machina” a Viviane e Gustavo serem criação sua…
    Cuidado com os grampos. A coisa rola…

  36. Cara, não assisti ao relato de um MIB mas acompanhei a briga toda. Sensacional, parabéns por tudo, de minha parte tu não perde credibilidade nenhuma, muito pelo contrário.
    Abraço, parabéns!

  37. Parabéns cara, eu confesso que cai direitinho em tudo.
    Não estou bravo nem nada muito pelo contrário estou feliz mesmo sabendo que perdi várias horas lendo os relatos e depois tudo não passava de um farsa, mas muito bem feita, eu também me envolvi com a história até semana passada eu visitei o Guerreiro da Verdade para ver se havia alguma coisa nova.
    Cara vc é muito foda, admiro muito seu trabalho.Alias vc poderia escrever um livro.

  38. Deve ter sido bem legal pra quem acompanhou tudo de perto. Se eu tivesse uns 16 anos seria legal ter participado de tudo desde o início.

    Eu cheguei a acreditar na história, mas o print do Mário estragou tudo. Altos engraçado postar a mensagem com o próprio login por engano. Acho que todo mundo que fez alguma tramanha virtual já passou por isso.

  39. Caraca…
    Teve muitas vezes que eu tive certeza de ser armação, principalmente quando o Philipe xingou o pai do Gus…

    Tinha até gente falando que eu era besta de acreditar numa história dessas…¬¬

    Eu até cheguei a acreditar, mas sempre fiquei com um pé atrás…

    Bom, meus parabéns, ótimo trabalho… ateh mais

  40. Cara ainda estou imprecionado
    Você é um Genio mesmo philipe
    os meus parabéns estão no seu orkut
    to sem palavras
    ainda mais o Mario me deu uma mega enrolada com ahistória de um major blanco ai asuhausa
    mas ja me acertei com ele

    abraços
    e que vc continue sendo esse philipe e não o philipe 2 aushaus q era meio ganancioso 😆

  41. Nossa, cara vc se superou. Parabéns, isso foi fantastico. Presenciamos aqui o nacimento de um mito, uma nova forma de mídia é realmente o futuro da comunicação, entreternimento, você vai ficar milhonário com a industria da mídia. Visionário…

  42. Cara parabéns!!!

    Sensacional toda a história. Em nenhum momento tive 100% de certeza se a história era verdadeira ou falsa, acho que foi isso que me fez ficar tão curioso e ansioso esperando mais um capítulo.

    Mas me envolvi mesmo quando perdi o maior tempão (isso no trabalho) procurando na net uma prova concreta que a matéria do jornal sobre a morte da Renata era falsa. Isso eu tinha certeza. Vi que o tal ministro da reportagem ao lado nunca havia estado em Sertãozinho naquela data. Então saí procurando reportagens sobre ele até que acabei achando um pdf com a página do jornal original. Achei que inclusive aquele pdf teria sido usado na montagem e não um jornal de verdade. :B

    Só tenho a te elogiar. Parabéns e continue assim sempre inovando.

    • Foi um de verdade mesmo. Eu planejei usar ele na noticia da morte do Gustavo, por isso antes de Viajar pra Espanha, pedi ao meu amigo Cacinho para me mandar o jornal de lá. Mas acabamos usando para a vivi.

  43. Parabéns Philipe!
    Acompanhei o Relato de um MIB desde o começo, e sempre fiquei em duvida se gustavo e viviane era realmente real.ahueheuauaeh
    Realmente você é um grande escritor e conseguiu convencer muita gente.Acompanhava na comunidade do orkut e raxava de da risada com aqueles que juravam que todo o conto era real. :B
    Só uma duvida: ninguém reconheceu o “Gustavo” na rua e quis encher ele de porrada??

  44. Philipe,
    Parabéns pela ação! Foi uma comoção gigante mesmo, poucos conseguem fazer tanta gente ficar em dúvidade sobre a veracidade de uma história!
    Eu sempre fiquei com um pé atrás, não por falhas de roteiro, mas por minha natureza essencialmente incrédula.
    E como disse o Hugo ali em cima, você é o Orson Welles da pós-modernidade”!
    Tenho um blog sobre origami, pequeno e com poucas expectativas de crescimento, mas mesmo se tivesse muitos acessos, colocaria em primeiro lugar minha satisfação pessoal, não simplesmente o lucro!
    Mais uma vez, parabéns pelo projeto! Foi uma loucura, hein?
    Abração!

  45. Eu nem li o Relato de um MIB (quando conheci o blog e vi o banner achei que fossem fatos reais, quando vi que era ficção e fiquei meio decepcionada HASUIHAUSI), mas acompanhei o barraco com Gustavo e companhia.

    E o que tenho a dizer é: Cara, depois dessa, vc é meu ídolo!

  46. Cara! Vc é realmente louco… mas tb muito criativo. A parte das multiplas identidades me fez lemrar de um filme chamado “Identidade” ( http://www.imdb.com/title/tt0309698/). 😆
    Parabéns pelo trabalho, paciência, dedicação e pelo blog é claro

  47. Philipe,
    O misto de emoçoes proporcionado pelo seu blog é amplo.
    Angustia, raiva, desprezo, alegria, admiraçao e estupefaçao sao algumas das sensaçoes que passaram pelo meu ser.
    Grato por nos proporcionar tudo isso.

    P.S.
    ninguem cogitou ainda que tudo isso pode ser uma cortina de fumaça pra esconder a verdade que voce tem um ET escondido? (pelo menos uns na sua cabeça tinha. 😀 )

  48. Caro Philipe,
    Gostei mto de toda a história,e parabéns pela inovação que espero venha a fazer escola.Eu já tentei enviar um mail que desconheço se teve sucesso,no entanto porque o “mundo gump” tem tanta informação que também poderá conter mais à volta das teorias de conspiração e dessa forma quem sabe catapultar para nova ficção mas a falar dos temas que devem ser questionados.Assim sendo aqui fica um bom site para cuscar!….Favor anunciar também (MMS).
    PARABÉNS!!!

  49. Foi uma honra acompanhar toda essa história até o final de perto, sabendo de alguns detalhes que só aumentavam a ansiedade pela próxima parte!
    Parabéns novamente Philipe!
    Pena q o video ficou sem voz, e o meu “FALA FILHO DA PUTA” nao saiu hahahaha

  50. Você poderia fazer o enorme favor ou de colocar tudo em um único post, ou colocar tudo em um único site? É uma peça de ficção deliciosa e muito bem feita.

    Ah, sim, e lembra muito aquele jogo “Majestic” (It plays you) 😀

    Parabéns.

  51. Hehehe..
    Agora oq eu quero saber é.. Quanto dinheiro depositaram na sua conta depois que vc supostamente recebeu um depósito de um usuário do site?

  52. Eu só vou acreditar de vez que tudo isso é realmente uma grande historia, se tiver um video estilo final de ano da Globo, todo mundo abraçado cantando uma musica bonita. E no final o Juca piscando o olho duas vezes ao som de “Plim Plim”

  53. Preciso confessar: morro de medo de ET.
    Odeio este tipo de assunto, não gosto de filmes sobre UFOs (só aquele do et/telefone/minha casa).

    Por este motivo, li apenas a primeira parte do Relato inteira. Quase me caguei de medo. Ai, quando vi que era conto e o medinho não passou, não li mais. :shocked:

    Mas olha só: quando este tal de Gus entrou na história… bom, esta parte eu acompanhei! Hahahaha! :B E adorei! De primeira, achei que fosse o melhor viral já criado na historia da web. Sai contando pra todo mundo q o meu blog predileto tinha inventado uma estoria sensacional!!!!

    Bom. Mas ai… aconteceram algumas coisas e eu comecei a ficar com medo do Gustavo, fiquei morrendo de dó do Philipe, coitado…

    Quando a Renata morreu, eu continuei achando que ela e o Gus eram dois malucos, que tinham inventado toda aquela historia de sequestro dele e morte dela. Afinal, aquela noticia da morte dela foi uma montagem muuuuuito fajuta e eu vi de cara que era mentira.

    Ai, de repente, volta o Relato!!! Claro que a cagona aqui não leu e nem viu mais nenhum video, nem de ET, nem de depoimento… de mentira ou de verdade, a Dani tem medo de ET!!!

    Pois bem, e hoje me aparece a parte final. Me deixou completamente maravilhada!!!! Amanhã vou sair por aí dizendo que meu blog predileto contou uma história sensacional e quem não leu, perdeu!

    Quer dizer, pode tentar ler atrasado, mas não será tão emocionate quanto foi durante o desenrolar da história!!!!

    Parabéns, Philipe! Morri de inveja de vc hoje, mais que em todos os outros dias!!!

  54. Parabéns Philipe!

    Acompanho sempre seu blog e consequentemente o relato.
    Agradeço por ter sido capaz de criar algo tão elaborado.
    Me lembro bem que na época que surgiu o Gus e os conflitos (fazia alguns meses que não lia seu blog), me passou pela cabeça analisando a situação que: o fato de ser real ou não era apenas um detalhe! As alternativas eram espetaculares!
    O que vc tinha conseguido gerar com aquilo (a diversidade de detalhes, personagens reais ou fictícios, documentos e principalmente a interação dos seus leitores) realmente era algo inovador e único!

    Sensacional!
    Parabéns!

  55. Eu acompanhei todo o Relato, mas, não percebi ter passado tanto tempo entre uma e outra parte.
    Tenho uma dúvida. Desde o primeiro e segundo relato já constava com a tag “conto” ou dizia que era obra ficcional? Tenho a impressão que não.

  56. Bem, eu entrei um pouco tarde na historia, eu sou conhecido como L para alguns, pq tenhu uma capacidade de sintese muito grande, e avaliação, assim como investigação, o que o doclove fez, era algo que eu faria se tivesse visto a historia a tempo, e obviamente se eu tivesse interesse na historia, mas o segundo video ficou claro para mim que era tudo digital antes mesmo de ver a avaliação do doc.

    o texto a respeito da morte de renata, deu para ver de cara que não havia sido escrito por um jornalista verdade. a falta de informações e a anonimidade da proprietaria do local ficou bem claro que se tratava de uma loucura…

    enfim, o que mais me convenceu que tudo era ficção, foi quando o philippe no ultimo renato anterior a esse mencionou que iria parar o relato por causa do que havia acontecido ao gus, alem de mostrar as fotos e expor sua opnião, mas ao por testemunhais de dois enfermeiros que avaliaram os ferimentos e disseram poder ser veradeiros, foi quando vi que ele queria enganar atravez até daquele texto… enfim! ideia sensacional! algo que já planejei fazer a um tempo atras em outra tematica, mas ficou realmente sensacional! meus sinceros parabens! e para quem ficar chateado com voce… sinceramente, é por que não tem uma visão inovadora, ou éum ignorante, ou uma pessoa extremamente orgulhosa por não se deixar ser enganado (o que eh uma pena, por que eu invejo quem pegou essa historia do inicio, quisera eu ser enganado…)

    Abraços!

  57. não sei se eu fico com raiva, te dou parabéns ou sei lá. Tô quase chorando pelo fato do Gus não ser real. Eu acompanho o MG tem mais ou menos um ano, e estou realmente decepcionada por isso (do Gus) não ser verdade. Depois deste post, QUASE cogitei a ideia de parar de visitar o MG. Eu defendi com toda a minha força que vc não era o Gus. Mas em compensação, eu estou incrivelmente surpresa por vc conseguir fazer tudo isso praticamente sozinho. Então, mesmo morrendo de raiva, parabéns, Philipe, pela ótima história.

    PS: como disse o carinha ali de cima, não brinca mais com ameaça não…

    PS2: VOCÊ É UM GÊNIO!!!

  58. Caraca, Phil!! No início eu fiquei com raiva de você (me senti uma otária :raisebrow: ), mas depois percebi que a tua jogada foi de mestre, pois afinal muitos de nós cairam direitinho.
    Ou seja, funcionou!!!

    Parabéns, cara! E continue escrevendo.
    Você é o máximo!!! :lol2:

  59. Philipe, você é um Filho da Puta Genial! :omg:

    Genial e escabroso. Nem imagino como deve ter sido difícil manter a farsa por tanto tempo. Acho babaquice pessoas falarem que “perdeu a credibilidade”. Tudo o que vc posta de notícia tem fonte. E tudo o que você posta de fictício vc diz que é.

    O próprio Relato de um MIB dizia o tempo todo: “OBRA 100% ficcional” Alguns acharam (como eu) que era 90% ficcional e acreditaram na parada do Gustavo. Olhando para trás, dizemos: Putz! Como acreditei nessa parte e tal, mas o mais importante é que vc só precisava fazer 1 pessoa acreditar para mostrar seu ponto e vc fez vários. Dividiu opiniões, abriu debates e depois de expor a verdade está enfrentando a revolta dos “trouxas” que caíram na brincadeira.

    Brincadeira essa que de mal gosto não tem nada, pois não colocou ninguém em risco. Apenas nos deixou com uma pulga atrás da orelha. Nada mais.

    Assim como vou em um show de mágica e não reclamo por ser enganado, não posso reclamar por acreditar em algo 100% ficcional.

    Você está de parabéns, e vou continuar a acessar seu blog como já faço há muitos anos. Sinto muito para os que nunca voltarão aqui, por que vão perder de ler um material original e de qualidade, cada vez mais raro na internet.

    😀

  60. Cara… uns podem ter adorado esse relato… outros nem tanto…

    Eu comentei a foto da namorada do Gus no outro post… e falei “tá ficando apelativo”.

    E ficou… admiro e gosto muito de ler seu blog, mas essa parte do relato e o transrealismo ficou meio… “paia”. O seu conceito de transrealismo precisa melhorar muito pq até então vc não inventou nada…

    … nada mais é que um ARG, com alguns elementos um pouquinho diferenciados. (um blog, a interação do pessoal nos comentários e orkut e até um cara que estudou o vídeo)

    Admiro muito a ousadia de ter feito num blog do qual vc tem patrocinadores, mas até então não houve uma parte inovadora de fato (sem querer desmerecer o trabalhão que vc teve fazendo tudo rsrs)…

    mas pense tbm que poderia ter gerado algo complicado… falsidade ideológica, etc etc.

    mas enfim… só comentei essa vez e a da foto, pq me senti na obrigação de compartilhar isso.

    Não me agradou muito essa história toda… seria mais interessante (pra mim) ter continuado no ficcional, mas parece ter valido a pena por ter atingido bastante gente. (meu ego iria nas alturas se conseguisse o mesmo tbm)

    Continuo lendo seu blog cara, que é muito bom.

    Abraços

  61. Ah sim… pra quem não sabe o que é ARG… Alternative Reality Game.

    O começo e um dos exemplos mais claros é a Bruxa de Blair (que não adotava a plataforma de ser um game, mas brincava com o realismo).

    Vejam ARG em Wikipedia:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Alternate_reality_game

    • Entendo o que vc quer dizer, mas temos que lembrar que os args e a bruxa de blair são coisas que as pessoas entram sabendo que são ficção.
      Mas concordo que há pouca inovação no sentido da surpresa. Orson Wells conseguiu isso e muito mais – embora acidentalmente no século passado. POr definição, um ARG é um jogo, que induz as pessoas a investigar e procurar provas. No meu caso em específico, os investigadores eram muito mais um efeito colateral que o objetivo da obra.

  62. Queria dar duas sugestões:
    1) por conter spoilers, acho que a parte 10 merecia um “Leia mais”. Pra quando a gente indicar “O Relato de um Mib” pra alguém, a pessoa não sair lendo antes o que não deve.
    2) no lugar de “Older Comments” vc colocar “COMENTÁRIOS ANTERIORES” pra ninguém ficar perguntando toda hora pq vc apagou os comentários…

    É só. Se quiser, pode apagar este comentário. É que eu fiquei com preguiça de mandar e-mail.

    Abraços!!!

    • Eu faria isso se soubesse em que lugar esta maldita função está sendo chamada. Já olhei meu tema de uma ponta a outra e não achei. Suponho que isso esteja malocado nas entranhas do WordPress.

  63. eh…
    credibilidade era oq tu tinha 100%
    tu eh o mestre e eu adoro o mundo gump… lia pra mae, pai, irmao, mandava pra povo da facool e td mais. sem mentira nenhuma mesmo. e qd nao tinha mais oq ler eu lia de novo.
    sei lah, por mais loucas q fossem as historias, por mais suspeitas q fossem sendo levantadas, eu li e acompanhei as historias q vc colokou aki e sempre pus mta feh em tds elas.
    agora eu to confusa, eu nunk achei q fosse colocar credito em algo q vc colocasse como verdade e não fosse.
    eu sei q tu nao pediu e nem precisava (né?), mas mtos leitores tomaram as tuas dores te ‘defendendo’ (pra quem?)e acreditaram em kda palavra dita aki, por vc.
    se era pra mexer com as pessoas, parece q vc conseguiu. cmg tb, mas pra mim nao foi legal, me senti boba.
    tem coisa q nao se mistura…eu não consigo misturar, não sei lidar.
    eu acrediteei em vc.
    boom, vamos laah agora, aqueles q disseram desde o inicio q era pegadiinha, riiam da besta aki.
    duvidar da palavra de alguém, acho mto feio xD, maaas enfim.. é isso aí

    de todo coraçãao, acho booom q tenham pessoas q gostaram, admiraram e pah.
    vc é sensacional e é b
    om que reconheçam o seu valor.
    é bom que seja assim. mas se for importante, tá aih a opiniao de qm n te acompanha ha anos, mas conhece boa parte (boa parte meeeeeesmo) dos teus posts.

  64. Em primeiro lugar parabéns cara, você conseguiu me convencer de que estava falando a verdade quando dizia que naum tinha nada a ver com “aqueles malucos”. Sempre achei a história meio estranha e achava que tu dava mto IBOPE pra eles, mas acreditei em vc.
    Eu nunca tinha visto de perto essa espécie de ficção que se mistura com realidade, e confesso que depois de saber que foi (quase) tudo ficção achei a idéia de aplicar isso no mundo gump muito boa.
    Mas agora vc sabe mto bem que tem que arcar com as consequências de engabelar (mesmo que por um “bom motivo”) os seus leitores fieis do blog. Sinceramente acredito em toda a sua explicação sobre os fatos, mas alguém que jah tenha mentido tanto e a tanto tempo para tanta gente, poderia muito bem fazer só mais um pouquinho não? Quem sabe a experiência ainda naum tenha acabado?
    Nunca tive muito tempo pra parar e ficar pensando sobre os acontecimentos aqui no Mundo Gump, e tbm naum eh todo dia que eu posso entrar na internet livremente, que naum seja a trabalho, então fiquei por fora de algumas coisas… vc com essa confirmação, deixou as suas explicações, mas tbm, muitas dúvidas… (Será que existe algi mesmo por trás disso tudo?) Nossa!já estou falando como um maníaco conspirador… rsrs

    Mas em todo caso ficarei mais ligado agora, apesar de admirável a sua experiência, vc se demonstrou capaz de ser muitas coisas…

  65. Cara, tenho apenas uma frase pra te dizer: Isso foi fantástico! Realmente ouve alternâncias entre realidade e ficção na minha cabeça. Mais pro final (com as entrevistas e tal) comecei a achar que tudo não passava de embuste mesmo, hehehe… Mas foi incrível participar de toda essa experiência. Parabéns e me chama pra próxima!

  66. Muito bom, Philipe. Eu tinha certeza de que era tudo criação sua. Inclusive, na época da “invasão hacker”, eu fui no Guerreiro da verdade e deixei um recado pra ti, dizendo que eu sabia que era um ARG. =) Mas escrevi em russo, pra não estragar a brincadeira. (não sei se vc se deu ao trabalho de traduzir).
    Mas enfim, parabéns, e se um dia resolver fazer essa experiencia de novo, pode contar comigo.
    Abraço!

  67. Just amazing, Phil!
    Confesso que, do alto de meus 42 anos, apesar de minha pura ceticidade estivesse buzinando “marketing” e “fake” nos meus neurônios, eu caí igual uma jaca podre.
    Parabéns, cara! Precisamos de mais pessoas como você nessa blogsfera deprimente.
    Pessoas que nos faça pensar e, melhor, agir.
    Sucesso sempre, muleke!

  68. Não estou brava pq vc se achou o cara (como sempre) pra enganar td mundo… nunca tive paciência de ler o Relato de um MIB, tenho a mesma opinião da Nivea.

    Eu leio o blog pelas coisas estranhas/divertidas… já até te mandei recado no orkut comentando coisas…. mas tô hiper decepcionada.

    Acho isso que vc fez muito apelativo, coisa de quem tem blog lixo e quer polêmica. E até hj não considerava seu blog um lixo, mas essa apelação td me fez duvidar disso….

    Não tenho a intenção de te ofender. Só espero que vc pense melhor nas coisas… De repente, teria sido melhor fazer td isso num outro blog, com outra identidade, sabe… eu acho que te queimou muito..

    Se quiser, não precisa publicar no blog.. só espero que vc leia.

    Natália.

    • Eu faço questão de publicar sim, Natalia. Esta é sua opinião. Por que o medo de expô-la?
      O que me causa estranheza é vc ter dito que não leu mas está com raiva do troço. Tem algo errado aí que não combina. Como você pode não gostar de uma coisa que não leu?
      Além disso, eu não me achei “O cara” (como sempre). EU SOU O CARA. O cara de sempre mesmo. Este blog aí só tem um dono: eu. Logo, é perfeitamente normal que as coisas dele acabem orbitando ao meu redor. Neste caso, eu além de ser o criador da historinha era também um personagem dela. Se eu fizesse isso num outro blog, com outra identidade, não só não seria a mesma coisa como seria uma atitude covarde. Eu não sou covarde. Estou aqui dando a cara para bater.
      Não estou me vangloriando de ter enganado ninguém. Muito pelo contrario. Enganar as pessoas não é certo e eu mesmo disse isso no texto, pedindo desculpas a todos os que embarcaram na história, mas cumprindo meu dever de informar que isso é ficção mesmo, tudo inventado.

  69. Nhé…

    Crianção querendo atenção. rss

    Fica os parabéns e os xingamentos. Em igual proporção. hahahaha

    Beijo,
    Ve
    (a nenem deve nascer dentro de 45 dias…)

  70. Maluco,

    Fantástico. Me senti como na época de “Guerra dos Mundos” narrado por Orson Welles.

    Agora me diz: teu pai é foda, tu é foda, que água vocês beberam ?

    Abraços e mais uma vez parabéns !!!

  71. Achei legal. Era óbvio que era tudo combinado, tipo “Bruxa de Blair” versão tupiniquim mas acabou ficando um bom resultado no geral. Minha crítica é que só a parte final foi arrastada e monótona, saiu do ritmo da história. Mas para aqueles que ficaram discutindo sobre a “realidade” da coisa vc deixava claro desde o início que era tudo ficcional. Não tem pq reclamar. Parabéns. Foi algo inusitado em termos de blog. Brasileiro ao menos.

  72. olha cara, o problema é que ficou muito mal feito esse transrealismo que voce tentou…desde o inicio era impossivel acreditar.acho que voce subestimou muito teus leitores e insistiu demais.eu parei de acompanhar o blog desde o ano passado por causa disso, achei de péssimo gosto.Mas sabe o que eu adoro? As tuas esculturas,acompanhar o processo desde o conceito até a arte final é muito legal.
    Esculpa Gump, que eles virão…
    bom, abs…
    um dia eu volto pra dar outra espiada.

  73. arrasou!! confesso que só comecei a ler mesmo depois do barraco com o Gustavo, porque achei muito longo… mas achei muito boa a experiência de ficar sempre com a dúvida do que era real e o que não era…

    acompanho o MG sempre e continuarei enquanto ele estiver no ar!

    PARABÉNS!!!

  74. Philipe, só vim dar os parabéns pelo Relato de um MIB, eu já sabia que a história era fictícia desde o dia em que vc colocou uma foto da “Renata”, na hora eu reparei na Denise (e sim eu trabalhei ai no prédio tbm, sai faz um tempinho, mas tive o prazer de te conhecer) e matei a charada toda.

    Depois foi só sentar e aproveitar o show. Parabéns novamente por ter criado esse post/livro/novela, diferente das outras pessoas eu curti, e até o dia da foto eu realmente acredite hehehe.

    Mas curti, infelizmente é impossível repetir o seu feito.

    mas novamente PARABÉNS!

  75. Muito bom Philipe.

    Eu fui seu aluno na AZMT em 2007/2008 (n me lembro) aula de escultura e concept…
    Kra, eu estudo midias digitais na PUC-Rio e oq vc criou aki é uma obra prima q merece uma atenção muito maior do q ela está tendo pelos leitores do blog. Vc, assim como eu, deve ter percebido que vc utilizou a web para algo além de sua função de informar e entreter pura e simplesmente, vc foi o primeiro a por em prática uma nova concepção do uso de midias diversas para criar uma experiencia de entretenimento no qual o leitor não só absorve as informações como ele as configura e se torna parte de tudo, ao mesmo tempo em que n sabe aonde começa e aonde termina a ficção e a realidade.

    Tenho q te dar os parabéns, desde q te conheci sempre soube q vc era maluco, mas nunca pensei q chegaria a esse ponto =P.

    Acho que esse seu trabalho deveria ser exposto para o mundo, n como um conto, mas como uma experiência inédita, utilizando diversos meios de mídias modernos para atingir milhares de pessoas por todo o mundo, elevando a experiencia além de qualquer outra já criada, seja cinema, games ou livros, oq vc fez aqui foi além de todas elas.

    Parabéns mesmo, e n ligue para quem n gostou, afinal a arte nem sempre é compreendida por todos.

  76. Cara é o seguinte:

    Sempre achei a história muito boa, bem construida e com um poder de chamar a atenção incrível….

    Quando surgiu os “malucos” eu até imaginei que pudesse ser alguma armação e alguns leitores até escreveram sobre essa hipótese, até o dia em que você escreveu aqui no blog que essas suposições eram absurdas….

    Pois bem, acredito que você NÃO mandou bem!!! Sinceramente, por melhor que tenha sido a intenção, não se pode acreditar em uma história da internet…mas, muito menos em quem a conta…Não sei se ficou claro, mas a história era perfeita e com a entrada do Gustavo e de sua namorada tudo passou a ser uma grande mentira… (na minha opinião são coisas totalemnte diferentes História & Mentira).

    Outro ponto que tenho que mencionar é que há na internet muitos sites que por mais que as hitórias pareçam absurdas, são verdadeiras, não necessariamente sobre ET’s ou coisas do gênero… mas acredito que tenha contribuído para que a imagem desses sites seja “prejudicada”.

    Bom, acabei de tirar o site mundogump da categoria nota 10 (nome da pasta que tenho aqui no fire fox), e passei o site para a pasta blogs… como se isso fosse algo relevante pra você, mas achei que era importante deixar registrado….

    Acompanho o blog e você nos mostra coisas fantásticas.. Espero que tenha muito mais sucesso… Grande abraço!!!

    • Entendo o que vc quer dizer. Porém, sair da pasta de sites nota dez é um preço que eu pago com prazer por fazer algo que nunca ninguém fez. (pelo menos em blogs)
      Além do mais eu não considero que interpretar um papel completamente diferente do que eu sou normalmente, mais duas pessoas ficcionais seja uma mentira. Até porque estava escrito que o relato de um mib era uma coisa 100% ficcional. Agora observa só um detalhe: Onde que eu comento sobre Gustavo e Renata? Nos posts do relato de um mib. E como começam os títulos destes posts? Isso mesmo: “Relato de um mib” Se nos posts do relato de um mib está escrito que esta é uma obra totalmente ficcional e se eu só falei dos malucos em posts iniciados por “relato de um mib” estava bem na cara que era tudo ficção, tanto que um monte de gente sacou.
      Então a definição de “mentira” deve ser repensada aqui porque estamos lidando com uma coisa que desafia a percepção de “realidade”.

      • Repensando… eu tinha até me esquecido da informação “Obra 100% ficcional” dessa forma retiro a palavra “Mentira” que coloquei acima…

        Pois é, só agora parei pra pensar que apesar do “100% ficcional” eu acabei não levando TODA história pra esse lado…

        Sem muitos rodeios….acredito que por mais que estivesse tudo lá escrito…me senti enganado, talvez seja isso…não enganado pela história, mas enganado por você, ou pelo site…coisa muito estranha isso…pois, afinal nem te conheço!!!

        Ok ok; não escrevi isso antes, mas continuarei fazendo propaganda pra esse site que é muito bom…

        Obrigado por ter respondido…. Abraços!!!

  77. Cara, li essa parada ontem à noite e ainda não entrou na minha cabeça… velho, essa foi a experiência mais extraordinária que eu já tive na net!!

    Cara, você é um gênio, na boa. Eu já era seu fã, agora então… pqp!

    Eu já vi muitas coisas geniais pela net afora, mas esta se superou.

    Parabéns!!

  78. Nada melhor do que entrar no Mundo Gump para ver coisas bizarras, divertidas, curiosas, etc. Estava até comentando com meu namorado aqui que você é doente (kkkk), doido, maluco, e ao mesmo tempo, nada disso foi xingamento, porque você é o cara! Não por conseguir (ou não) enrolar o povo, mas pela ferramente muito bem utilizada por você chamada: CRIATIVIDADE. É isso que vale pra um bom blog (seja ele muito visitado ou não), saber criar coisas inusitadas que fujam do que é “padrão”, “modinha” e blábláblá…

    Parabéns, essa blog quebra aquele lance de uma semana toda chata e cansativa em uma faculdade.

    🙂

  79. Caramba Philipe, vc conseguiu, parabéns pelo conto! Penso q vc teve mais sucesso do q pensa no que diz respeito ao envolvimento dos leitores! Sua história teve 2 pontos chave q se não um, ao menos o outro conseguiu capturar a imaginação alheia: o foco no relato e o foco na confusão com o Gustavo. Eu mesmo, ainda q não acreditasse na veracidade sobre o Juca, levei muita fé na “realidade” da briga com Gustavo, onde vc como um mágico desviava a atenção de uma mão para a outra com habilidade. Novamente parabéns, e q essa sua cabeça maluca continue a nos impressionar de uma forma totalmente Gump em outras oportunidades!

  80. Cara… eu gostei ahuHAuhA… eh bem bacana essa sensação de duvida sobre certos fatos… até que enfim uma coisa diferente pra ler… apesar de ser uma historia grande… foi muito interessante de acompanhar… ahuAHuHA.. abraço! 😐

  81. Eu só li os dois primeiros relatos, mas achei cansativo (eram textos um tanto longos para se ler no monitor), e depois parei. Meses depois vi uma confusão com um tal de Gus e Renata, uma doidice só. Achei MUITO ESTRANHO alguém levar um blog tão a sério, e achei que “Gus & cia” fossem armação, mas de leitores que queriam aparecer.

    No final das contas, não achei interessante. Não me senti enganado ou frustrado, ou qualquer coisa do tipo, até porque sou completamente cético com relação à ufologia. Não boto a mínima fé em ETs na Terra, em naves espaciais ou nada disso. Talvez por isso eu não tenha entrado tão profundamente no “transrealismo” — aliás, um conceito interessante — exceto por achar que o Gus era um maluco que queria aparecer. Mas não perdi meu sono ou tempo acusando ou defendendo quem quer que fosse.

    Enfim, é isso. E faça mais alguns “speed drawings” no “fotoxópi”, é uma das coisas que mais gosto no blog, um talento que eu mesmo gostaria de ter.

  82. Philipe,
    não gostei.. sabe, no início, eu bem achava que era tudo mentira, que vc tinha criado os personagens, o Gus/Vivi, etc… mas passei a acreditar em vc. Nunca passou pela minha cabeça que o relato em si era real, mas JURO que fiquei morrendo de pena de vc, de ter que ficar cercado de malucos e tal…
    Por ter me feito perder tempo da minha vida com pena de um desconhecido que estava me enganando, eu fico TRISTE – triste por ter passado atestado de otária.
    Enfim, como eu sempre digo, o blog é seu, então vc faz o que bem entender… Não sou imbecil ao ponto de odiar vc ou o MG, e continuarei vindo ler aqui… mas gostaria que vc soubesse que me fez perder um pouco da esperança no ser humano (e isso, pra mim, é gravíssimo)…
    Boa sorte no livro (será que isso é real?)

  83. Cara, isso foi uma das coisas mais legais que eu já vi na internet em termos de Brasil nos ultimos tempos. Todo o trabalho que tu teve, os cuidados, deixar tudo bem amarrado, velho…parabéns! Fui acompanhando aos poucos…sempre lia o Relato, quando apareceu o Gus e o site dele…eu pensava “Po, o cara não se daria ao trabalho de criar isso tudo só pra ludibriar a galera”…mas na verdade nem parei pra ficar pensando muito nisso, apenas acompanhei, e fui levado pela trama. Como um estudante de Comunicação Social eu espero usar o Relato de um MIB num futuro trabalho acadêmico. Seu site é único e o que você fez o tornou ainda mais especial, pois assim sabemos a mente criativa por trás do excelente Mundo Gump. Continue sempre com o site, e que um dia apareça algo tão original quanto O Relato para você explorar. Um abração!

  84. Amei a história. Esse misto de ficção e “realidade” é mto legal mesmo!!!
    Nunca vi algo tão inovador, criativo, divertido e ao mesmo tempo envolvente feito aqui no Brasil.
    Tenho orgulho de vc, crânio.
    Sucesso, paz e felicidade.
    “Sorte na vida…Sorte em tudo…”
    Bjm
    NINA

  85. Coloca ae então, para acabar com toda e qualquer especulação, “print screens”, vídeos sem renderização e etc… do primeiro vídeo…

    Também gosto de “mecher” com o 3dsmax e adoraria ver o trabalho sem o render…

    “Já que não tem mais nada a esconder” seria interessante… e acabaria com todo esse misticismo enfadonho criado em torno desse “1°” vídeo…

    Abraços,

    Ripa

  86. Ficou com medo de morrer por isso inventou esse final. Tu é um “gênio” do 3D tipo aquele cara que faz da verdade mentira e da mentira verdade. Agora mané,se tu for homem de verdade conta outra história. ZzzzzzzzzzzzzzZZzzzzzzzzzzzzzz.

    • Ok, vc venceu. Eu tenho um alien em casa. Criamos ele como se fosse um filho, mas evitamos expô-lo a luz, pois ele sofre terrívelmente. Tivemos que nos mudar às pressas de onde morávamos, pois um vizinho viu o juquinha pela janela e ameaçou chamar a polícia. Agora moramos um lugar afastado, onde as pessoas não podem ver nosso filho adotivo das estrelas. Ele está bem adaptado ao nosso mundo e gosta de ouvir musica classica. Mas não se comunica de modo coerente ainda. É como ter um filho autista. Nós vamos escondê-lo para sempre, pois sabemos que pessoas maldosas irão matá-lo assim que descobrirem onde ele realmente está.
      Pronto falei.

  87. Se for isso mesmo, haja paciencia e criatividade pra escrever tudo isso.
    Mas podia rolar uma “parte 11” com uma foto (e video) mostrando você lado-a-lado com o Gus/Vivi e todos outros envolvidos. Seria o suficiente pra acabar com o misterio. E todos vivem felizes pra sempre!

  88. Você não posta as provas de não autenticidade deste trabalho…

    Fotos com os envolvidos lado a lado, criação do vídeo sem textura no 3dmax, mostrando vetores e etc., fica apenas rodeando, dando uma de enigmático e engraçado…

    Entendo a sua posição… Mas por causa de pessoas como você, e suas respectivas atitudes, é que a UFOLOGIA se tornor o que é hoje.

    Alvo de chacotas, descrédito, e sinônimo de “coisa de louco”…

    Não sou UFOLOGO, muito menos participei se quer alguma vez de alguma atividade UFOLÓGICA, mas tenho total repulsão ao preconceito e a difamação pública de crenças alheias.

    Um paralelo seria eu induzir as pessoas crentes a crer que eu vi Jesus ou Deus, brincar com os sentimentos dessas pessoas crédulas, e depois ficar posando de senhor de todo poder e informação desmascarando a farsa toda, criando repulsão e comoção em pessoas que acreditam, no entanto sem comprovar que tudo aquilo era realmente uma farsa, e assim desmerecendo e tornando cada vez mais ridicularizada as pessoas que acreditam em tal preceito.

    Você pra mim é um charlatão, que acredita ser um gênio que toca o seu rebanho, utilizando como ferramenta um “pseudo blog”… Para que se ter o trabalho de ridicularizar o trabalho e crença dos outros??

    Sem mais,

    Atenciosamente

    Jean Carvalho

    • As pessoas tem o direito de acreditar no que bem entendem. Seja em aliens, seja em monstro do espaguete, seja na ciência.
      Eu não posto provas? Como assim? Eu postei todas as provas de que isso é feito em 3d faz tempo. Até tem uma foto minha com o Juquinha do lado no Orkut.
      Além do mais, não posso compreender como que eu estimulo a crença em algo dizendo o tempo todo que isso é uma obra ficcional. É impressionante. Será que o Spielberg passa por isso? Afinal, ele produziu taken, dirigiu contatos imediatos e Et.
      Não adianta ficar com raiva de mim, Jean. O que está feito está feito, goste o leitor ou não. Detestar é direito de qualquer um pseudo leitor que entra no meu pseudo blog.

      • Suas “todas as provas” que você se refere é esta foto = http://img10.imageshack.us/img10/7135/atgaaado0cpg5kcmcxszvky.jpg??

        Esse boneco realmente é uma prova do 2º video = http://www.youtube.com/watch?v=JlQ-FdzDJ9Q em andiante (Por sinal muito amador para quem se intitula criador do primeiro vídeo), mas definitivamente não é o mesmo do primeiro video = http://www.youtube.com/watch?v=7ZDrGiXqNDs.

        Uma frase curiosa sua… “Além do mais, não posso compreender como que eu estimulo a crença em algo dizendo o tempo todo que isso é uma obra ficcional.”

        Me surpreende alguém tão inexorável como você Philipe, fazer uma afirmação coerente à afirmação de um analfabeto funcional… É justamente essa sua incoerência! Você faz de tudo para criar o seu “conto” com o máximo de realismo, mas na hora de desmascarar parece que faz corpo mole para comprovar a farsa, criando dessa forma justamente a psicologia inversa da questão…

        “É impressionante. Será que o Spielberg passa por isso? Afinal, ele produziu taken, dirigiu contatos imediatos e Et.”

        O spielberg além de não poder ser comparado a você Philipe, pois além de ele estar anos luz na sua frente em questão de escritor e diretor de histórias, ele não precisa mentir e enganar para impressionar… Por favor, não cometa novamente essa arrogância de se comparar com o Spielberg. O Spielberg não passa por isso por uma simples razão, todos os seus atores são conhecidos internacionalmente, todas as cenas de filmagem e dos bastidores estão disponíveis nos mais diversos veículos de informações e etc… Ou seja, apresente os seus personagens a todos, coloque o Gustavo em destaque ao seu lado, junto com a tal namorada, as filmagens que deram errado antes da que deu certo, fazer modificações no tal “blog do Gustavo” deixando claro que foi você que criou e etc…Há inúmeras formas de você mostrar os “bastidores” a todos…

        “Não adianta ficar com raiva de mim, Jean. O que está feito está feito, goste o leitor ou não. Detestar é direito de qualquer um pseudo leitor que entra no meu pseudo blog.”

        Não estou com raiva amigo Philipe, imagina, eu não perderia meu tempo e emoções com pessoas que nem conheço na internet… Adoraria poder fazer você entender que eu apenas não tenho consideração nenhuma por pessoas aproveitadoras e difamadoras… apenas isso. Mas aprecio que pelo menos você tenha o senso de democrácia e permitir que eu fale através do seu veículo de “informação”.

        E gostaria de entender o que seria um “falso leitor?? Aquele que lê e não concorda com o escritor??? Se for isso desculpe Sr. Philipe por contestar as suas afirmações…

        Uma coisinha antes de eu nunca mais abrir esse site… qual será o próximo passo? Criar uma histórinha dizendo que você também me criou e essa discussão foi toda da sua cabeça… e daqui a alguns meses aparecerá um vídeo meu sendo espancado no youtube!?? hehehhe

        Abração Philipe,

        boa semana a você e a todos… :B

        • Amigo Philipe ? Teu comentário não parece nada amistoso.
          Jean, eu não preciso provar nada. O alien é o mesmo. Você está se prendendo a uma ilusão banal de pensar que isso é alguma coisa que não 3d.
          Ms e se fosse? O que você tem a ver com isso?
          É sério mesmo que você pensou que eu, sul americano, um cara só, sem grana, sem recursos, sem equipe nem nada assim poderia me comparar com o Spielberg? Estou comparando obras ficcionais e não eu, Philipe com ele, Spielberg.
          E já que você (a mesma lenga-lenga de muitos dos boçais que volta e meia aparecem por aqui) não vai mais abrir este site, nem vou perder o meu precioso tempo respondendo seu comentário. Vamos ver se você cumprirá a sua palavra e não voltará mais. Saber mais sobre o relato de um mib e o que existe por trás dele pouco importará.
          Felizmente você já saiu. Então seja bem ido, pseudo leitor.

  89. Coloca no site pra acabar as discussões:

    1) Fotos suas com o Gustavo e outros personagens.
    2) Renderização de todas as cenas (Computação Gráfica) em Wireframe.

    Abraços

  90. Uma salva de palmas
    Voce merece.
    História I-N-C-R-Í-V-E-L .

    Obrigado por distrar a mim com essas obras da literatura brasileira.
    Boa sorte e continue a escrever asiim.

  91. Confesso que mesmo desconfiando cheguei a acreditar que o gustavo era real rsrss, so tive ctz que não era quando vi a notícia da morte da namorada dele e o vídeo fake, era muita merda para ser verdade kkkkkkkkkkkkk. Muito boa obra cara, eu odeio ler mas confesso que eu não consegui sair da frente do pc enquanto não cheguei no fim do relato, você é um escritor *F*O*D*A*

    • Quais fotos? Do Gustavo? Não deu. Naquele dia eu fui no trabalho dele mas ele tinha saído mais cedo. Depois desse dia ainda não nos encontramos, mas estamos marcando um churras aqui em casa. Assim que rolar vou colocar uma foto minha e dele com o juquinha.

  92. PUTA QUE O PARIU!!!!!
    KKKKKKKK, tem um amigo meu metido a ufólogo que me mostrou o video do cativeiro do juca e o juca jurando que era verdade, na hora eu não acreditei nem desacreditei, resolvi investigar e caí aki no mundo gump, e descobri tudo! Muito bom Philiphe, adorei toda a história, todo trabalho; o dificil agora é convencer esse meu amigo e o resto dos fanáticos sobre a verdade! kkkk!
    tb gosto de escrever histórias ficcionais mas nunca publiquei, gostaria de torna-las transreais, me dá umas dicas aí…!
    se quiser me add no msn pra gent bater um papo, pois agora sou mais um gump!
    de novo parabéns seu FDP!

  93. senhor philipe:
    E UM GENIO!!! vc não só densevolveu um otimo conto como envolveu nos internautas nahistoria fazerndo-nos pensar oque era real podia ate virar umfilme issocara!muito bem bolado!!!:ohhyeahh: :ohhyeahh: :ohhyeahh: :ohhyeahh: :ohhyeahh: :ohhyeahh: :ohhyeahh:
    eu investigomuito estas coisas e vc me enganou dieritinho sm levantar suspeitas mt FODA!!!e manda o wire frame e as fotos com o gus viu!!!:ohhyeahh:
    atenciosamente lucas :ohhyeahh:

  94. Meus parabéns philipe, voce prendeu minha atenção aqui das 22:30 (+-) da noite até as 04:41am do dia seguinte, eu leio seu blog a um tempão, mas nunca me dei ao trabalho de comentar xD
    Fiquei realmente, muuito puto com o “gustavo” e com a “vivi”, e de certo ponto, do relato 3, até esse ultimo, eu tava quase abraçando a causa de que era verdade, que tinha um alien no brasil (isso por que sou cético ao extremo, e só acredito vendo G_G), que voce seria preso, que tinha matado o gus e a vivi.
    Cara
    Digno de Oscar
    Voce tem meus parabens

  95. Philipe, parabéns pelo enredo, gostei muito, mesmo tendo lido apenas hoje (todos os Relatos). Já tinha dado algumas “passadas” por aqui, mas nunca tinha lido mais do que um ou dois posts (especificamente os sobre as pinturas realistas).
    Não sei como anda sua “relação” com a história, mas se não for pedir muito, gostaria que revisse alguns links de fotos, que estão quebrados, em alguns dos primeiros Relatos.
    Pena que no servidor daqui é bloqueada a visualização de todo e qualquer vídeo, qdo chegar em casa eu vou revisitar e ver tudo.
    Achei fantástica a história do Transrealismo. Tem um filme com o Michael Douglas que também explora um pouco isso… Vidas em Jogo, se não me engano. Achei muito bom.
    Enfim, mais uma vez, parabéns pela sua criatividade e pelo bom humor (nas histórias das M*s que vc e seus primos/amigos vivenciaram).

    Abraço!

  96. Sei lá mas eu reparei uma certa diferença entre os primeiros relatos (que pareciam muito realistas) pros ultimos… depois veio as entrevistas… depois essa história de gus e o escambal,
    bom, se for tudo (eu sei que tem partes fakes) fake então parabéns… e se o começo da história fosse verdade e vc criou o final com o intuito de desinformação parabéns vc conseguiu, fez a história ficar tosca…
    e eu ainda continuo achando que vc é um gordinho fora da casinha (lê-se louco)…

      • pois é, to acreditando nisso depois que vi as fotos da cápsula, a primeira vez que li os relatos foi no blog fake que vc fez e as fotos não estavam aparecendo, a partir da parte 3 ou 4 começou ficar podre, se existe alguma verdade nisso esta na parte 1 a 3 eu acho…
        mas cara, vc disse que fez o 1 video as pressas em 2 dias, como ficou tão perfeito? as poucas expressões que o alien tem tem no video 1, isso é possivel fazer em 3d ou vc acha que é pareidolismo?
        em cima do olho, em baixo também, muito perfeito, e todos os outros videos ficaram toscos comparados ao 1º ^^ ainda tenho algumas duvidas.

        • Pois é. Me intriga como as pessoas aharam o primeiro video tão perfeito. Na verdade ele não é nem de longe bem feito. Acho que fui ajudado pelo acaso. O codec escureceu muito o video, e eu enviei para o you tube numa resolução baixa demais, que afetou a capacidade de discernimento dos “peritos”.
          O video foi criado em um final de semana mesmo, e renderizado em cerca de dois dias. Basicamente, eu me observei no espelho interpretando o Et. Em seguida eu estudei as expressões basicas de cada posição fonética para falar mundo gump. Daí ficou facil. Eu modelei um rosto de alien diferente para cada posição fonética e coloquei um comando de morphing para o rosto alvo mover os vértices para as posições de cada fonema. Eu fiz isso sobre a trilha de som pré gravada, o que me permitiu sincronizar certinho o som com a expressão. O que algumas pessoas pensaram ser musculos e tendões se movendo no pescoço não passam de sombras e nada mais. Aliás, a cabeça do juca no video 1 nem sequer está ligada ao corpo. Mas reconheço que dá trabalho. Eu acho que poderia ter me esmerado mais na questão do movimento global. Ele levanta a cabeça muito linearmente, não há uma redução no início nem no fim do movimento, uma coisa que a gente chama de “easy in, easy out”. Se eu tivesse a mínima noção do que isso tudo geraria, eu teria me empenhado bem mais, hehe.
          Na verdade não é que os demais videos ficaram toscos comparados ao primeiro. A verdade é que no primeiro filme dei um monte de cagadas que o fez parecer realista, e isso aumentou dramaticamente a sensação de que todo o resto foi feito para disfarçar o fato do primeiro ser a filmagem real. Tem muita gente que acha que eu fiz de propósito, para deixar aquele video parecendo ser falso.
          Mas a verdade dos fatos é que é tudo 3d.

        • As fotos da capsula também são digitais. Montagens com varias fotos reais e a nave em si (bem como o piso e a grade) são 3d. Já os laboratórios são reais. E as fotos do cadáver são 3d misturado com fotos.

  97. Você prendeu minha atenção por 4 horas.
    EU CHEGUEI A MANDAR UM E-MAIL PRO PRESIDENTE LULA
    FALANDO QUE EU SABIA UMAS COISAS
    ¬¬
    SABE O PERIGO Q VC FEZ?
    EU TENHO 13 ANOS
    ¬¬

  98. CARALHO, E EU ACREDITANDO NA HISTÓRIA DE GUS E VIVI, PUTZGRILA, CARA, EU TENHO MUITO O Q APRENDER COM VC EM LANCES DE TRANSREALISMO. MUITO PHODA, COMO DIZ UMA COLEGA MINHA “PHODÁSTTICO”.
    (ah, e só uma coisa, akele coment q tá em meu nome, não fui eu q escrevi, deve ter sido algum maluco, retardado, ou minha prima maluquinha)

  99. Ah, seu sem graça.

    Eu tava até acreditando…

    Mas tu é foda, hein?!
    Confesso que se fosse fazer algo assim ia “gaguejar” quando as primeiras pessoas começassem a descobrir. Mas vc foi até o fim, discutiu com eles e tudo…
    Um pouquinho de sacanagem sua…
    A coisa toda ia ficando grande e apelativa demais e eu (que tenho o seguinte defeito: quem me garante que um elefante não vai se materializar na minha cozinha nesse exato momento?! As chances são mínimas pq um grande número de partículas teriam de se unir e se organizar pra isso num determinado momento e lugar, mas, quem sabe, né?!) comecei a suspeitar.
    Mas você é Gump, caramba. TUDO acontece com você. Bom, pelo menos, eu prefiro acreditar (que nem você que vai no cinema pré-disposto a gostar do filme. Escuto histórias pré-disposta a acreditar nelas)
    Só achei esquisito o lance do jornal. Quer dizer, você confere TODAS as fontes, e você não viu que o jornal era falso?! oO
    Você é um cara bom de blefe. Mente com a maior facilidade do mundo. xD
    Meu Deus, até quando eu vou falar a verdade e ela parece absurda eu hesito.
    Comofas pra ter sua cara de pau (quer dizer, é bom, às vezes, não?!)?!

    Não, mas, sério. Eu bem que queria. =[

    • Responder isso não é muito simples. Tipo eu me vejo como um cara que reune duas qualidades distintas, que se misturam. Eu sou um ator. E eu sou um autor. No Relato de um Mib, eu fui ambos e isso é o cerne do rolo, porque além de arquitetar toda a história, eu também interpretei um papel, no qual (além dos outros NPcs) eu era eu, mas este papel exigia que eu me comportasse de forma diferente do que faço normalmente, para dar veracidade à história e manter o clima global do conto.
      Fazer isso é bastante difícil. Mas eu não sei se a palavra “mentira” se aplica, porque na medida que eu interpretava, eu estava fora do contexto da realidade e uma mentira necessita de um contexto real para poder se constituir.
      E por mais bizarro que pareça, enquanto o meu personagem sempre alegou que era tudo ficção, ele era o único que disse a verdade o tempo todo, hahaha.

  100. Eu desconfiei, mas você é muito bom ,meio louco,mas eu gosto de gente louca!Mas as histórias sobre aliens acontecem sob estados alterados de consciência mas isso não quer dizer que sejam mentira é para quem consegue ver o Universo Paralelo.Nossa visão e muito curta,o que vc consegue ver agora??Quase nada ,o horizonte que vc consegue ver é muito perto.Nossa visão é muito limitada.Eu tenho uma história real mas não posso nem pensar em colocá-la aqui senão estou morta.O negócio é mais sério do que você pensa .Se você soubesse o que rola atrás da ciência com as coisas que já se descobriram sobre Ufos você nunca teria feito isso.Na boa, você está precisando de uma terapiazinha básica rs rs rs rs

  101. Philipe
    Adorei tudo, mas gostaria de saber que lugar eh aquele, cheio de salas e tao grande com militares abrindo portas trancadas com cadeados ? Onde fica esse lugar? E qual foi o interesse em colocar a historia do objeto no fundo do mar, nao saiu um pouco do contexto?

    Ficou muito bom, parabens!

    Abraço

    • Aquele é um bunker militar mesmo. O lugar é de verdade, é de acesso restrito a militares de verdade, só que o alien não está lá. Foi uma merda conseguir filmar lá dentro.

  102. Tá, deixa eu falar. Você é um bom viado filho da puta! eu li todos os posts em 1 dia e tava acreditando, quando li a parada do gustavo, eu so conseguia falar: PUTA QUE PARIU! QUE DOENTE!… ¬¬’
    tava acreditando na parada do gustavo e da viviane… mas valeu a ideia!
    Foi um excelênte trabalho o seu, o enrredo, a maneira de passar, o detalhismo para criar um ar mais real, impressionante.. mesmo tendo algumas falhas de roteiro (nem excelentes roteiristas estão isentos de tal) você foi totalmente feliz com a história. abraço!

  103. hahaha..cara…sua estoria ja esta em sites de conspiração com seu nome e tudo….OLHA SÓ

    http://www.dominiosfantasticos.xpg.com.br/id832.htm

    não acha meio perigoso isso?

    • Considerando que é tudo uma obra ficcional multimídia, o meu medo é dos caras que querem acreditar a qualquer custo. Evidentemente que existem coisas que mão são ficcionais, como a questão da rota do urânio, a questão do bloop, o slowdown, a anomalia do Atlântico Sul, os equipamentos de rastreio e algumas das fotos…

      Engraçado esse lance do Relato. Ele fica assim, meio esquecido uns meses e do nada volta com força total. Essa semana um monte de gente veio falar sobre isso comigo…
      Mas é ficção. Eu queria mesmo ter visto um alien frente a frente, mas isso só foi possível graças à magia da computação gráfica. Um amigo me perguntou se existem mais videos ou fotos. Isso mostra como as pessoas viajam na maionese quanto o que é e como funciona a computação gráfica. É tão trabalhoso e ridiculamente desgastante e caro, que não dá pra fazer nada que você não vá usar. Se tivesse mais coisa eu tinha usado. Não tem mais nada.

  104. Sabe, eu li todo o relato em 3 dias…

    Eu fui dormir pensando em tudo isso no sentido que certas coisas faziam.

    Adorei sinceramente, a parte da Abin do Pré-Sal foi tudo meticulosamente planejado. Genial…

    Deixo aqui meus sinceros abraços. E que vc continue seu trabalho incrível no blog

  105. Caramba li todo o “relato”, e estou impressionado com a sua criatividade maluquice> Fidelizou mai um admirador. A parte 8 não esta carregando nem a porrete fiquei sem ler ela.
    Cheguei até a pensar que alguém poderia ter tirado do ar por ser mai conveniente ha ha ha.

  106.  O transrealismo quebra a barreira do real. É como tomar a pílula certa
    em Matrix. E o único meio de conseguir obter o transrealismo é ter nas
    mãos um instrumento midiático próprio. – E eu tinha!

    assim um outro babaca criou o cristo, o demonio e o inferno e o planeta esta cheio de……..
    cala te boca.

  107. ” Blogueiro si, pero sim perder la inovacion, jamás”!
    Acabei de ler toda a trama do “relato de um mib”, e agora entendi a sua risadinha (hehehe) quando perguntei se voce havia se livrado do “maluco” (gustavo).
    Cara, voce é muito mais maluco do que eu pensei, (no bom sentido).
    Como eu peguei o bonde andando, quer dizer : entrei no mundo gump há pouco tempo, só agora estou lendo os post anteriores, devo confessar que também fui enganado durante algum tempo.
    MAS EU PERDÔO VOCÊ DE CORAÇÃO! E ASSINO EMBAIXO A PRIMEIRA FRAZE DESTE COMENTÁRIO!
    ” PARA O ALTO E AVANTE”!
    Sempre em frente! Custe o que custar. Nós (leitores) merecemos muito mais blogs como “gump”
    PARABÉNS!

    • Hahaha eu estava só esperando vc chegar no final. Sabia que vc tava lendo o relato. Valeu, foi trabalhoso, sofri duas ameças de morte reais, mas foi emocionante.

  108. Fala Philipe, blza? Cara, eu já tinha lido o relato a algum tempo…e resolvi ler de novo…rs. Sou teu fã, e falo do teu blog pra todo mundo que conheço. Acho fantástico o jeito que vc escreve e prende a gente com cada história…se começo a ler um conto seu não consigo parar até chegar no final. E isso eu não sinto nem com muitos livros que eu leio…heheh.
    Desta vez comento para lhe dar os Parabéns…nunca vi algo tão criativo em toda a internet (e tão trabalhoso tb…imagino a trabalhera que deve ter dado…heheh)
    Só que 2 coisas não foram explicadas no final…e acho que “fechariam todo o ciclo”…

    1- O email do tal do Rogério, contado na parte 6, é real? Vc não fala desse personagem no desfecho. É mais uma invenção sua, ou foi um email recebido mesmo? Vi que vc colocou o print do email lá.

    2- O que significa aquela maldita pasta LMF, que está descrita na porta de onde está o Juca?

    E, afinal, que fim teve o Doc? Ele continua te importunando por esconder ET na cueca? kkkkkk…

    Abração!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.