16 Comentários

  1. Gawaim

    Artigo bem interessante este, a Amazônia sempre é palco de muitos mistérios. Mas com relação aos nazistas, sem contar com o obvio da região sul (forte colonização de imigrantes alemães!)é possível encontrar suásticas em túmulos na cidade de Corumbá-Ms, cidade histórica fronteira com a Bolívia. Qual é a história? Não sei! Vi isso eu era rapazola (tenho 52 anos hoje)e estava no enterro da minha avó materna,mas já era ligado em filmes de guerra e conhecia bem os símbolos alemães.
    Quer um mistério para investigar? Sobre fatos da 2ª Guerra ligados ao Brasil?
    Pois lá vai: Parentes do Paraguai contaram-me que ao final da segunda guerra um submarino alemão percorreu o rio paraguai e que foi abandonado e afundado em águas profundas ainda em território paraguaio, a tripulação é claro desembarcou de forma clandestina e sumiu país afora. O caso é que marinheiros alemães fizeram isso na Argentina, Canadá e em alguns países da África e muitos desses
    barcos foram dados como desaparecidos simplesmente.
    Há alguns anos cruzei informações de submarinos alemães em missão no atlântico, em costas sul-americanas e africanas e constatei algumas possibilidades, excetuando-se claro os afundamentos confirmados e capturados. Mas parei por aí.

    Responder

    1. É muito provável mesmo. Tanto que centenas de nazistas se mudaram para a Argentina do meio para o fim da Guerra, fugindo lá da panela de pressão.
      Eu soube que existe um submarino alemão que foi perdido no atlântico. Até aí tudo normal, eles perderam vários. Mas este era especial, pois estava com um carregamento trilionário de barras de ouro. Como afundou em águas internacionais, a grana é de quem achar. Várias pessoas tentam desesperadamente descobrir este “kinder ovo recheado” dos tempos da Guerra, mas até agora parece que ninguém achou. Toneladas de barras de ouro estão em algum lugar entre o Brasil e a África.

      Responder
  2. lazaro

    Philipe, eu acho q vc se confundiu na descrição.
    Na sua fonte em inglês onde é informada a altura da cruz, a medida está descrita em pés e não em metros…
    Ou seja, os 9 pés são equivalentes a 3 metros, o que é bem mais palpável dada a proporção dos índios com a crus na foto.

    Mas realmente é uma história bem esquisita!

    Como sempre, um ótimo blog!

    Abs

    Responder
  3. Rafael

    uma vez eu ja tinha lido sobre isso num outro blog e eles mencionavam tb uma cidade chamada de Akakor (ou coisa parecida).
    Já leu algo sobre?

    Responder
  4. Gawaim

    Philipe no entusiasmo sobre a matéria esqueci de acrescentar o mistério da base nazista da Antarctica…
    Dizem (site Dark Roasted Blended) que sómente em 1948 uma frota combinada dos Aliados da II grande guerra conseguiu subjugar ou anular o perigo desta base.
    Que tal?

    Responder
  5. leozinho

    Tudo isso é muito interessante! Me amarro muito em historias de aventureiros e mistérios antigos!

    Gostaria que fizesse mais posts desse por favor.

    Responder
  6. Murillo

    O engraçado é que eu moro no Amapá e nao tinha ouvido falar disso 🙁 Eu já fui nas ruínas de uma base americana da segunda guerra, ou algo assim, era bem moleque..
    Muito bom o post! Parabens!

    Responder
  7. Junior Beles

    Eu vou fazer Arqueologia na Furg .

    Talvez um dia eu faça uma grande descoberta

    Responder
  8. Carlos

    Sobre os nazista na amazônia, pelo cruzamento de informações, a intenção não era expandir território, Hitler teria mandado 2 mil homens para amazônia em busca de Akakor, teria também mandado seus homens para a Africa, Índia em busca de conhecimentos do passado.Existe um documentário muito bem realizado pelo Históry Cannel, ai vai :http://youtu.be/xW7wHG-j728

    Responder
  9. Paulo Roberto

    Não sei se estou fazendo confusão,mas tenho quase certeza de ter lido no livro Chatô o Rei do Brasil, que um jornalista dos Diários Associados descobriu o que aconteceu com o explorador inglês e até encontrou um filho dele em uma aldeia indígena, tendo inclusive descoberto o índio que o teria assassinado. Acho que valeria à pena alguém ler o livro atrás da história (só não procuro pois o livro está emprestado).

    Responder
  10. Bruno

    Muito bom o post. Você realmente não sabe o que aconteceu com o pesquisador inglês? ou não pode falar? se quiser, posso tentar te explicar….um abraço!

    Responder
  11. Denise dos Santos

    Olá,

    Já ouviu falar sobre Eubiose?

    Ouvi uma história la sobre o pesquisador inglês, muito interessante…

    Responder
  12. Frederico Marcos Roscia

    Sempre gostei desta area e vc conseguiu juntar aqui neste blog todos os pontos
    interessantes, parabens ,nao vejo a hora de novos posts

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.