Sobre Philipe Kling David

Designer, blogueiro, escritor e escultor. Seu passatempo preferido é procurar coisas interessantes e curiosas para colocar neste espaço aqui. Tem uma grande atração por assuntos que envolvam mistérios, desconhecido e tecnologia. Gosta de conversar sobre qualquer coisa e sempre tem um caso bizarro e engraçado para contar.
Saiba mais...

  • Moises

    Cara, acompanho seu blog tem algum tempo, meus parabéns! Cada texto bacana, nem imagino onde vc consegue essas coisas… Que tal um post contando como vc descobre as fontes para seus posts? Ia ser legal!

    No mais, sucesso!!

    PS: Essa do Shrek foi massa!! Rsrs…

  • http://www.mundogump.com.br Philipe

    Obrigado pelas palavras gentis, Moises.
    Não tem segredo nem mistério cara. Eu conto: basicamente o conteúdo do mundo gump vem de +ou- 10 lugares diferentes. São eles:

    1- Indicação de amigos. Eu tenho muitos amigos que vivem em foruns espalhados pelo mundo todo. Esses caras sabem do perfil do blog e me enviam dicas de materiais, com as fontes. Então eu recebo um montão de coisa. Mais de 50% não vai pro blog porque é coisa comum, que todos os outros blogs já colocaram. Então, acho que não adianta bater numa mesma tecla.

    2- Garimpo. Eu sou um garimpeiro de curiosidades por natureza. leio os jornais em busca de coisas bizarras e frequentemente eu busco no google por palavras aleatórias. Incrível como as melhores maluquices que geram posts provém de palavras bizarras ou simples.

    3- Outros blogs. Eventualmente surgem boas idéias em blogs arceiros. Eu visito menos meus parceiros do que eu deveria, reconheço. Mas volta e meia eu vou neles e vejo coisas legais. Três muito bons são o Gizmodo.com para tecnologia, o Omedi.net para generalidades e o Saber é bom demais. No exterior tem o Boingboing.net e muitos outros.

    4-Wikipedia. A Wikipedia tem coisas legais pra caramba.

    5-Livros e revistas. Eu gosto de ler, embora esteja lendo hoje menos da metade do que gostaria. Eu li uma coleção imensa de Seleções do reader´s Digest quando era guri. As boas são as dos anos 40, 50 e 60. Li centenas dessas. Mas hoje leio de tudo. Ate bula de remédio. De alguma forma isso me ajudou. Não sei exatamente como, mas ajudou. Tudo que não atrapalha, ajuda.

    6-Dia a dia. Situações bizarras e grotescas acontecem com todo mundo. Eu conto algumas delas aqui.

    7-Histórias que me contam. Volta e meia, surge uma boa história que me contam. Uma boa que me lembro agora é a da menina que bêbada numa boate famosa do Rio que achou que haviam roubado o casaco dela. Quando ela vê, tem uma mulher saindo com o casaco dela. Ela saiu na porrada com a ladra na boate. Depois de se engalfinhar puxar cabelo, socar e morder, ela finalmente tomou o casaco da ladra. Aí quando chegou em casa… Lá estava o casaco dela sobre a cama. Essas situações engraçadas que me contam, eu conto aqui.

    8- Aventuras pessoais absolutamente reais. Isso é o que gera o “melhor do mundo gump”

    9-Notícias. Eu vejo notícias na Tv. Fico puto e escrevo sobre isso aqui. Não gosto muito de suar o Blog como valvula de escape para minha inconformidade com a política, mas tem vezes que é impossível me conter.

    10- Contos, textos, roteiros. Muitas vezes a melhor coisa é o ócio. Meus momentos de ócio no chuveiro, no ônibus, no metrô, na barca e na volta do trabalho geram idéias para contos. Tem vezes que eu começo com eles prontos na cabeça. Noutras, abro o post em branco e escrevo de uma só tacada. Na maioria das vezes, sai um texto com muitos erros de digitação. Quando isso acontece é pq eu estou escrevendo rápido e o teclado não computa a letra. Escrevo rápido para não perder a idéia, já que vou escrevendo na medida em que eu penso. Um amigo meu disse que eu tenho vocação para escrivão da polícia, hehe.

    Basicamente é isso.

  • Luis Almeida

    Rapaz, na parte em que você fala em engenheiro elétrico o certo é engenheiro eletricista, pois não conheço nenhum ligado na tomada :),apesar de está virando convenção chamar o formado em engenharia elétrica de eng. elétrico.

  • Euler

    ANtes dos jogos e xadrez do computador (programas) tinha uns que eram praticamente um tabuleiro com luzes do lado e na lateral.
    Essas luzes acendiam para indicar que peça jogar e para onde jogar. Muitos deles tinham o tabuleito sensível ao toque, para você “apertar” a peça que ia jogar e, quando colocasse no lugar destino, apertar novamente, para o computador saber onde você jogou e com que peça. A parte do “programa” era gravada nos “chips” internos, na ROM.
    bye

  • http://grandeabobora.com/ marcus

    Como assim nasceu em 1903 e morreu em 1945 com 51 anos? Tem algo errado nesta conta.

    Ele não teria morrido em 1954? Faz sentido que tu tenhas cometido um pequeno erro de digitação.

  • http://www.mundogump.com.br Philipe

    Cometi mesmo. Vou arrumar. Valeu

  • http://www.panoramainternacional.com Rodrigo
  • http://www.mundogump.com.br Philipe

    Antes de acusar sem provas, certifique-se de que não vai pagar mico. Basta olhar as datas: Meu post é de 04 de outubro – texto da pravda é de 11 de outubro.

  • Kiki

    Ótima matéria! Eu nem fazia idéia disso!

    Faltou só umas fotinhas do cara pra ilustrar, né? O Shrek realmente ficou muito parecido com ele!

    Essa história do xadrez é muito esquisita, não acreditei muito não… 0_0

    Temos uma versão brasileira também: 😎
    http://www.fotocomedia.com/article.php?story=shrek-brasileiro