O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica

Entre as grandes questões com o qual a Humanidade pode se deparar, estão a existência de outras formas de vida inteligentes para além de nosso diminuto planeta na imensidão do espaço. Muitos além de creditar como certeza essa existência extrapolam: “eles já estão aqui”!
Aliens existem? Eles estão aqui? 
A resposta para a primeira pergunta, correta ou não, sempre nos conduzirá a uma perspectiva preocupante e inquietante. Talvez por isso, muitas pessoas consideram que a descoberta de vida inteligente é a “grande história para ser contada”. Ao mesmo tempo que constitui a última das grandes feridas narcísicas, a vida extraplanetária inteligente é uma espécie de santo graal da modernidade, para o qual ecoam diversas manifestações culturais, como o cinema, quadrinhos, livros e programas de Tv. Mas acredite se puder, também apontam nessa direção artigos científicos.
Esqueça o alien de anteninhas verdes ou o cabeçudo que pega fetos das mulheres e implanta chips no nariz de geral. Nesse post vou abordar um conjunto de publicações acadêmicas (Papers) que ao contrario do que gostaria muita gente, têm como foco a investigação direta ou indiretamente do mistério chamado UFO. Há quem acredite que nessa seara da investigação do insólito, só existam caras assim:
O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica

Mas isso não é bem verdade. A maior prova disso, é que existe um volume bastante interessante de artigos e publicações que tangenciam ou mesmo abordam diretamente o fenômeno enquanto objeto de uma investigação científica.  É dessa constatação que emerge essa lista de mais de 100 publicações, artigos e monografias sobre UFOs e correlatos, publicados em periódicos e publicações especializadas.  Nesse meio estão elencadas duas pesquisas de astrônomos profissionais e amadores, respectivamente, sobre se eles vêem UFOs ou não. Há também  mais de 60  dissertações de doutorado e publicações acadêmicas sobre OVNIs.

É interessante pensar nisso uma vez que, conforme a publicação Soberania e OVNI, de Alexander WENDT & Raymond DUVALL, por que é que muitos dos governos modernos parecem, superficialmente, não levar a sério os objetos voadores não identificados?
Wendt e Duvall oferecem o que chamam de “epistemologia da ignorância ufológica” para explicar por que os Estados modernos resistem sistematicamente à noção de que as formas de vida extraterrestre podem de fato existir e viajar para a Terra por razões até então não completamente compreendidas. Eles enfatizaram seu agnosticismo militante sobre se os OVNIs são realmente extraterrestres, dizendo que eles estão interessados apenas em determinar como e por que essa ignorância é mantida.

Se a primeira responsabilidade dos acadêmicos é dizer a verdade, então a verdade é que depois de 60 anos de UFOs modernos, os seres humanos ainda não têm ideia do que são e nem estão tentando descobrir. Isso deve nos surpreender e nos perturbar, e lançar dúvidas sobre a estrutura da regra que exige e sustenta.

No vácuo dessa questão complexa que se estende para muito além do Existe-não existe, esse levantamento é difícil na medida em que muito pouca literatura revisada por pares foi efetivamente publicada, na qual acadêmicos propuseram, estudaram ou apoiaram explicações não-prosaicas para OVNIs. No entanto, UFOs como um fenômeno cultural continua a ser o tema da pesquisa acadêmica (UFOs são recorrentemente, retratados como uma estúpida obsessão da cultura pop, em oposição à ciência do SETI).

Para investigação e coleta de dados, é possível verificar o que já foi tornado público pelo governo do Brasil em volumes liberados ao Arquivo Nacional. Esses dados são completamente misturados e envolvem artigos de jornais, material militar, cartas abordando o fenômeno e relatórios governamentais diversos. Ao final do post eu também dou uma breve lista de dossiês oficiais liberados de alguns países. Há muito outros documentos oficiais liberados por mecanismos extrínsecos aos governos ou não, porém, o post estava se tornando exaustivo e me limitei nesse aspecto.

Mas a parte mais interessante na minha opinião está na lista abaixo, com artigos com variados pontos de vista acerca do fenômeno. Obviamente não estão inclusos aqui livros populares da ufologia.

Glossário: ETI = Inteligência Extraterrestre, ETV = Visitação Terrestre Extra, UAP = Fenômenos Aéreos Não Identificados (uma alternativa mais ampla e mais neutra ao termo UFO, que em muitos países se tornou sinônimo de “nave extraterrestre” e “extraterrestres”).

 

Revistas e periódicos tratam do assunto:

Revistas

  • O Jornal de Estudos OVNI (JUFOS) , publicado pelo Centro J.Allen Hynek para Estudos OVNI (CUFOS), é um periódico de referência que lida exclusivamente com o fenômeno OVNI
  • Jornal da Exploração Científica (JSE) trimestral, revista revisada por pares da Society for Scientific Exploration (SSE). Embora focado em fenômenos anômalos em geral, em vez de UFOs especificamente, publica regularmente artigos relacionados ao fenômeno UFO / UAP
  • Revista Europeia de Estudos OVNI e Abdução é uma nova revista revisada por pares, publicada pela Totton College, no Reino Unido (TRUTH UK – The Totton Researchers of Ufology Theory and History)
  • Journal of Transient Aerial Phenomena (JTAP) foi produzido pela BUFORA de 1979 a 1989

Periódicos 

  • “MUFON Journal” (anteriormente SKYLOOK) é o boletim mensal da MUFON, o maior grupo civil UFO. MUFON em cooperação com TBV disponibilizou revistas on-line MUFON 1967-2000 em formato .PDF (nota: edições anteriores são digitalizadas e mais difíceis de ler). As edições atuais disponíveis de MUFON.
  • International UFO Reporter (IUR) A revista CUFOS publicou artigos e comentários
  • Flying Saucer Review (FSR) no Reino Unido, foi criada em 1955 e é a revista dedicada ao fenômeno ufologico mais antiga do mundo. As edições anteriores estão disponíveis como imagens digitalizadas em CD.
  • Northern UFO News (NUFON) – Reino Unido editada pela pesquisadora britânica UFO Jenny Randles durante toda a sua existência (de 1974 a 2002), Northern UFO News forneceu registros e análises da atividade OVNI ocorrendo no norte da Grã-Bretanha.
  • UFO Afrinews editado pela Sra. Cynthia Hind de 1988 a 2000, relatou atividade ufologica na África.
  • Boletim informativo de grupos de OVNIs extintos nos EUA: NICAP, APRO (Coral & Jim Lorenzen), UFORIC (baseado na Filadélfia, o Centro de Informação e relatórios Ovni, fundada por Matthew Graeber em 1972 foi ativo até 1980), CSI (Civilian Saucer Intelligence of New York, co – fundado por pesquisadores do fenômeno UFO  ??Ted Bloecher e Isabel L. Davis, foi ativo entre 1954-1959)
  • BUFORA: Jornal BUFORA, Jornal de Fenômenos Aéreos Transientes (JTAP), Boletim BUFORA, Tempos UFO
  • APRO: Em março de 2011, a OpenMinds.tv anunciou que publicou sua extensa coleção do Boletim APRO (1955-1970) on-line em openminds.tv/apro-bulletins (PDF)
  • Arquivo : UFO Research (AFU) foi fundada na Suécia em 1973. Hoje, a AFU detém um dos maiores repositórios de dados UFO e folclore relacionado a OVNIs no mundo.

Artigos de revistas profissionais sobre o fenômeno UFO / UAP publicados entre 1965-1995 (agrupados por publicação / revista, em ordem alfabética por autor):

  • Aeronáutica e Astronáutica
    1. “Comitê da AIAA olha para o problema OVNI”, Aeronáutica e Astronáutica, dezembro de 1968, p. 12.
    2. Golomb S., “A Roda no Meio do Ar”, Aeronáutica e Astronáutica, AIAA Sounding Board, agosto de 1966, p. 16.
    3. Letters to AIAA Journal, novembro de 1966, p. 6. Early e Marsh em “Doctrina de Saucer”.
    4. Friedman, ST, “Flying Saucers are Real”, Aeronautics and Astronautics, fevereiro de 1968, p. 16.
    5. Friedman, ST, “UFO relatórios disponíveis”, Aeronáutica e Astronáutica, abril de 1971, p. 4.
    6. Kuettner, JP, “Um novo começo sobre o problema do UFO?”, Aeronáutica e Astronáutica, novembro de 1973.
    7. McDonald, James E., “UFOs: Provas extraterrestres?”, Aeronautics and Astronautics, vol. 5, Agosto 1967, pp. 19-20.
    8. McDonald, James E., “Encontro UFO I – Observações da Força Aérea de um Objeto Voador não Identificado na América Central do Sul, 17 de Julho de 1957” (.PDF) , em Aeronautics and Astronautics, Julho, 1971, pp. . (Nota: este é o caso do radar RB-47 )
    9. Sturrock, Peter. A., “UFO Reports from AIAA Members”, Aeronáutica e Astronáutica, Vol. 12, pp. 60-64, 1974.
    10. Thayer, Gordon D., “Encontro UFO II – O Lakenheath Inglaterra, Radar-Visual UFO caso, 13-14 de agosto de 1956”, Aeronáutica e Astronáutica, Sept., 1971, pp. 60-64.
    11. AIAA UFO Subcomitê, “OVNI: Uma Avaliação do Problema”, Aeronáutica e Astronáutica, Vol. 8. No. 11, Novembro de 1970, P. 49-51.
    12. Carlson JB e Sturrock, Peter A., ??”Workshop de Stanford sobre Civilização Extraterrestre: Abrindo um Novo Diálogo Científico”, Aeronautics and Astronautics, junho de 1975, pp. 64-65.
    13. “O nosso património extraterrestre: dos ovnis às colônias espaciais”, Proceedings of the Joint Simpósio, Los Angeles, Califórnia, 28 de Janeiro, Simpósio patrocinado pelo Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica e World Futures Society, 1978.
  • Associação Americana para o Avanço da Ciência
    1. [R] McDonald, James E., “Ciência em Padrão: 22 Anos de Investigações UFO Inadequadas”, Associação Americana para o Avanço da Ciência, 134ª Reunião, 27 de dezembro de 1969. cufon , .PDF @ narcap
    2. Hynek, J. Allen, “Vinte e Um Anos de Relatórios UFO”, Associação Americana para o Avanço da Ciência, 134ª Reunião, 27 de dezembro de 1969.
    3. Baker, RML, “Motion Pictures of UFO’s”, Associação Americana para o Avanço da Ciência, 134ª Reunião, 27 de dezembro de 1969.
  • Sociedade Meteorológica Americana
    1. McDonald, James E., “Fatores Meteorológicos em Retornos de Radar Não Identificados”, Artigo Apresentado na 14ª Conferência de Meteorologia de Radar, Tucson, Arizona, 17-20 de novembro de 1970. Boston: American Meteorological Society (1970), pp. .
  • Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos
    1. Morgan, David L. Jr., “Avaliando Movimentos Extremos de OVNIs e Postulando uma Explicação dos Efeitos das Forças sobre a Manobrabilidade deles / delas”, Conferência de Engenharia de Projeto de ASME, Cidade de Nova Iorque, 15-19 de maio de 1967, sessão 10.
    2. Earley, G., “OVNIs: Uma Perspectiva Histórica”, conferência ASME Design Engineering, Nova York, 15-18 de maio de 1967, pp. 1-15, sessão 10.
  • American Journal of Physics
    1. Page, Thornton, “Estudo Científico de Objetos Voadores Não Identificados”, American Journal of Physics, Vol. 37, N ° 10, 1071-1072, Outubro, 1969.
  • Boletim do cientista atômico
    1. Hynek, A., “The Condon Report and UFOs”, Boletim do Científico Atômico, abril de 1969, pp. 39-42.
    2. Munday, J., “Sobre os OVNIs”, Boletim do Científico Atômico, Dec 1967, pp. 40-41.
    3. Condon, Edward U., “UFOs eu amei e perdi”, Boletim do cientista atômico, Vol. 15, No. 10.
  • Óptica Aplicada
    1. Maccabee, Bruce, “Propriedades fotométricas de um objeto luminoso não identificado visto fora da costa da Nova Zelândia”, Applied Optics, Vol. 18, No. 15, 2527-28, 1979.
    2. Maccabee, Bruce, “Propriedades Fotométricas de um Objeto Brilhante Não Identificado Visto Fora da Costa da Nova Zelândia – Respostas do Autor aos Comentários”, Optical Aplicada, 19, 1745, 1980.
  • Icaro
    1. McDonald, James E., “The Condon Report”, Icarus, Vol. 11, # 3, Novembro de 1969, pp. 443-447.
  • Astronomia
    1. Dickinson, Terence, “The Zeta Reticuli Incident”, Astronomia, dezembro de 1974, 32 páginas.
  • Pesquisa Industrial
    1. “UFOs provavelmente existem”, Pesquisa Industrial e Desenvolvimento, Vol. 13, No. 4, Abril de 1971, p. 75.
    2. “Os OVNIs foram embora?”, Pesquisa e Desenvolvimento Industrial, vol. 21, No. 2, Fevereiro de 1979, p. 191.
    3. “OVNIs de boa sorte existem de alguma forma”, Pesquisa e Desenvolvimento Industrial, julho de 1979, p. 139.
  • Pesquisa científica
    1. “O Terno de Libel pode Desenvolver Do Abuso de UFO”, Investigação Científica, 13 de maio de 1968, pp. 11-12.
    2. Baker, Robert ML, Jr., “O relatório UFO: estudo de Condon cai curto”, Pesquisa Científica, 14 de abril de 1969, p. 41.
  • Ciência popular
    1. Armagnac, Alden P., “Relatório de Condon sobre OVNIs: Deve Você Acreditar?”, Popular Science, abril de 1969, pp. 72-76.
  • Oportunidades de Engenharia
    1. Hersey, Irwin, “OVNIs e o Relatório Condon: Todas as Respostas?”, Oportunidades de Engenharia, abril de 1969, pp. 39-42.
    2. McDonald, James E., “The Dissenting View”, Oportunidades de Engenharia, abril de 1969, p. 33.
  • Ciência e Mecânica
    1. Mallan, Loyd, “The Condon Report: Fact or Fiction?”, Science and Mechanics, 40.5, maio de 1969, pp. 38-40, 86.88,90.
  • Revisão da tecnologia
    1. Hynek, J. Allen, “O Fenômeno UFO: Rir, Rir, Estudo, Estudo”, Technology Review, Vol. 83, No. 7 July 1981, pp. 50-58.
  • Natureza
    1. Ridpath, Ian, “Entrevista com J. Allen Hynek”, Nature, vol. 251, Outubro de 1974, p. 369.
  • Jornal da Sociedade Ótica da América
    1. Hynek, J., “Unusual Aerial Phenomena”, Jornal da Sociedade Ótica da América, abril de 1953.
  • Jornal de Ciências Astronáuticas
    1. Baker, Robert M., “Observational Evidence of Anomalistic Phenomena”, Journal of Astronautical Sciences, vol. XV, No. 1, pp. 31-36, Jan-Fev, 1968.
    2. Baker, Robert M., “Experiências futuras em fenômenos observacionais anomalísticos”, Journal of Astronautical Sciences, vol. XV, No. 1, pp. 44-45, Jan-Fev, 1968.
    3. Walker, Sydney, “Estabelecendo credibilidade do observador: um método proposto”, Journal of Astronautical Sciences, vol. XV, No. 2, pp. 92-96, Março-Abril, 1968.
  • Biociência
    1. Salisbury, Frank B., “O Cientista eo OVNI”, Bio-Science, Vol. 17, n�. 1, 1967.
  • Ciência
    1. Powers, William, “Análise de Relatórios UFO”, Science, Vol. 156, 7 de Abril, 1967.
    2. Hynek, Allen J., “UFO’s Merit Scientific Study”, Science, 21 de outubro de 1966.
    3. Markowitz, W., “A Física e Metafísica de Objetos Voadores Não Identificados”, Science, Vol. 157, 1967.
    4. Boffey, Philip M., “Projeto UFO: Trouble on the Ground”, Science, vol. 161, 26 de Julho de 1968, pp. 339-42.
    5. Boffey, Philip M., “OVNI Estudo: Grupo Condon não encontra nenhuma evidência de visitas do espaço”, Ciência, Vol. 163, 17 de Janeiro de 1969, pp. 260-62.
    6. Murray, Bruce C., “Reabrir a Questão”, Science, Vol. 177, 25 de Agosto de 1972, pp. 688-89.
    7. Holden, Constance, “A Força Aérea concede aos Arquivos Nacionais um Trove por Ufólogos”, Science Vol. 193, 20 de agosto de 1976, pp. 662-663.
  • Física Hoje
    1. Friedman, ST, “More on UFO’s”, Physics Today, p. 97, janeiro de 1971.
    2. Powers, WT, “Case for” real “UFO’s”, Física Hoje, P. 14, junho, 1970.
    3. “O estudo de Condon reúne UFOs; os críticos oferecem a própria versão”, Physics Today, Vol. 22, Nr. 3, Março de 1969, p. 67, p. 71.
    4. “Edward Condon: Um físico nunca tem medo de uma luta”, Physics Today, Vol. 22, Nr. 3, Março 1969, pp. 66-67.
    5. Rothberg, Gerald, “UFOs: fato ou ficção?”, Physics Today, Vol. 22, Nr. 12, Dezembro, 1969, pp. 69-71.
  • Fotografia Popular
    1. Hynek, Allen J., “Como fotografar um OVNI”, Fotografia Popular, março de 1968, p. 69-110-112-114.
  • Jornal de Exploração Científica
    1. Brandemburgo, John E., DiPietro, Vincent e Molenaar, Gregory, “A Hipótese Cydonian”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 5, No. 1, 1991, pp. 1-27.
    2. Bounais, M., “Traumatology como uma ferramenta poderosa para identificar Stress real elicted por fontes não identificadas: Evidência para desordens metabólicas da planta na correlação com um aterragem do UFO”, Journal of scientific exploration, Vol. 4, No. 1, 1990, pp. 1-18.
    3. Bramley, William, “Pode a hipótese extraterrestre UFO e Vallee hipóteses ser reconciliado?”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 6, No. 1, 1992, pp. 3-11.
    4. Guerin, Pierre, “Uma análise científica de quatro fotografias de um disco voador perto de Lac Chauvet”, Journal of Scientific Exploration, vol. 8, No. 4, 1994, p. 447-469.
    5. Haines, Richard e Vallee, Jacques, “Análise de fotos de um disco aéreo sobre a Costa Rica”, Journal of Scientific Exploration, vol. 3, No. 2, 1989, p�inas 113-131.
    6. Haines, Richard e Vallee, Jacques, “Análise Fotográfica de um Disco Aéreo sobre Costa Rica: Novas Evidências”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 4, No. 1, 1990, pp. 71-74.
    7. Haines, Richard, “Análise de uma fotografia UFO”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 1, No. 2, 1987, págs. 129-147.
    8. Henry, Richard C., “UFOs e NASA”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 2, No. 2, 1988, pp. 93-142.
    9. Maccabee, Bruce, “Análise das imagens de um conjunto de luzes piscando periodicamente, filmadas na costa da Nova Zelândia”, Journal of Scientific Exploration, vol. 1, No. 2, pp. 149-190, 1987.
    10. Maccabee, Bruce, “Campo magnético forte detectado após uma observação de um objeto voador não identificado”, Journal of Scientific Exploration, vol. 8, No. 3, 1994, págs. 347-365.
    11. Sturrock, Peter, “Uma Análise do Relatório Condon sobre o Projeto UFO Colorado”, Vol 1, No. 1, 1987, pp. 75-100.
    12. Sturrock, Peter, “Report on a Survey of the Membership of the American Astronomical Society Concerning the UFO Problem”, Journal of Scientific Exploration, vol. 8, No. 1, 2, 3, 1994, pp. 1-45, 153-195, 309-346.
    13. Espadas, Michael, “Poderiam as Inteligências Extraterrestres Ser Esperado Respirar Nosso Ar?”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 9, No. 3, 1995, pp. 381-392.
    14. Velasco, Jean-Jacques, “Relatório sobre a Análise de Traços Físicos Anômalos: O Caso de UFO de Trans-en-Provence de 1981”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 4, No. 1, 1990, págs. 27-48.
    15. Vallee, Jacques, “Retorno a Trans-en-Provence”, Journal of Scientific Exploration, vol. 4, N ° 1, 1990, p. 19-26.
    16. Vallee, Jacques, “Cinco Argumentos Contra a Origem Extraterrestre de Objetos Voadores Não Identificados”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 4, No. 1, 1990, pp. 105-117.
    17. Vallee, Jacques, “Para uma Teoria Extraterrestre de Segundo Grau de OVNIs: Uma Resposta ao Dr. Wood e ao Prof. Bozhich”, Journal of Scientific Exploration, Vol. 5, No. 1, 1991, págs. 113-120.
    18. Wood, R., “A hipótese extraterrestre não é tão ruim”, Journal of Scientific Exploration, vol. 5, No. 1, 1991, pp. 103-112.

Astrônomos e os UFOS

Várias pesquisas de opinião pública nos EUA e Canadá, mostraram que 7-9% das pessoas pensam que viram um OVNI e quase 50% pensam que os OVNIs são reais – ao longo dos anos essa porcentagem subiu de 35% para 57%, e o mais alto índice apareceu numa pesquisa do instituto Gallup de maio de 1978.

No entanto, é comum vermos leigos no assunto afirmando que os astrônomos, que são presumivelmente mais conhecedores sobre a observação e avaliação dos céus do que o público em geral, não vêem OVNIs. As duas pesquisas seguintes de astrônomos profissionais e amadores, respectivamente, sugerem justamente o contrário. O primeiro é o relatório do  Dr. Sturrock – professor de física aplicada na Universidade de Stanford – conduziu uma pesquisa de astrônomos profissionais sobre o tema dos OVNIs em 1977. Um total de 2611 questionários foram enviados, 1356 foram devolvidos (52 Em resposta a ter avistamentos de OVNIs pessoais, 62 (4,5%) dos astrônomos profissionais relataram ter observado eventos ou objetos que não conseguiram identificar – 16 deles eram observações de luz diurna. 23% respondeu “certamente”, 30% “provavelmente”, 27% “possivelmente”, 17% “provavelmente não” e 3% “certamente não”, o que representa uma atitude positiva entre 53% Dos entrevistados, contra uma atitude negativa entre 20%.)

 Relatório de uma pesquisa sobre a composição da Sociedade Astronômica Americana sobre o problema UFO
Peter A. Sturrock, Instituto de Pesquisa em Plasma da Universidade de Stanford (SUIPR) Relatório No.681R, Stanford, Califórnia; Novembro de 1977
Reeditado em 1994 em Journal of Scientific Exploration, vol. 8, No. 1, pp. 1-45, 1994.

 

O segundo artigo é de 1980 e trata-se de um levantamento com mais de  1800 membros de várias associações de astrônomos amadores, compilado pelo astrônomo amador Gert Herb, sob a supervisão do CUFOS e do Dr. J. Allen Hynek, (Ex-presidente do departamento de astronomia da Northwestern University, consultor das investigações UFO da USAF há 20 anos) intitulado  O Astrónomo Amador e o Fenômeno OVNI ” ). Nessa publicação ficamos sabendo que 24% responderam “sim” à pergunta: “Você já observou um objeto que resistiu aos seus esforços mais exaustivos de identificação ? ”

Então, mesmo na interpretação mais conservadora (supondo que ninguém quer reclamar fraudes científicas!), Isso significaria que 5% de todos os astrônomos amadores relataram OVNIs.

No início dos anos 50, o Dr. Hynek realizou uma pesquisa informal com seus colegas astrónomos. Dos 44 astrônomos, cinco (mais de 11%) tinham visto objetos aéreos que não podiam explicar. A maioria desses astrônomos não tinha compartilhado suas contas por medo de ridículo ou de dano à sua reputação ou carreira. Hynek também observou que este número de 11% foi, de acordo com a maioria das pesquisas, maior do que aqueles no público em geral que alegaram ter visto UFOs. Além disso, os astrônomos eram presumivelmente mais conhecedores sobre a observação e avaliação dos céus do que o público em geral, de modo que suas observações eram, sem dúvida, mais impressionantes.

Outros pontos a serem feitos com relação aos poucos relatos de OVNI pelos astrônomos profissionais modernos, são o estreito campo de visão e observação automatizada , como explicado pelo astrofísico Dr Bernard Haisch :

Devido à moderna instrumentação controlada por computador e observações usando satélites, os astrônomos modernos gastam essencialmente tempo zero observando o céu como parte de sua atividade profissional. Eu aprendi as constelações quando eu era um escoteiro, não quando eu fiz meu doutorado. Há astrofísicos que não conseguiram apontar para a Estrela do Norte para salvar suas vidas. E mesmo quando um astrônomo acontece de realmente olhar através de um telescópio, o campo de visão estreita torna esta a pior maneira possível de detectar qualquer anomalia aérea. Src

Posições semelhantes foram tomadas por outros astrônomos que realmente estudaram OVNIs, por exemplo, porque os astrônomos não vêem mais UFOs? Por C.Rutkowski.

 

Teses e dissertações sobre o fenômeno UFO/UAP

 

Quando se trata de publicações acadêmicas sobre OVNIs, podemos dizer que existem vários doutores cujo trabalho se debruçou diretamente ou indiretamente no assunto dos OVNIs, mas quase todos descartaram a noção de que UFOs poderiam ser genuinamente anômalos por natureza.

Seguindo as tendências estabelecidas, e mais ainda nas últimas décadas, os acadêmicos muitas vezes tratavam os OVNIs como um fenômeno psicossocial, ou seja, uma mitologia moderna da era espacial e procuravam explicar os encontros próximos de OVNIs como alucinações culturalmente formadas e experiências visionárias.

De um modo geral, os acadêmicos que abraçaram as teorias psicossociais vieram principalmente das ciências humanas e das ciências sociais, tinham pouco interesse na ciência empírica como tal e não se preocupavam muito com as evidências associadas aos relatórios de OVNIs (por exemplo, radar / visual, CE2s). Eu vejo como uma coisa absolutamente natural essa abordagem acadêmica focada na questão psicossocial e mítica do fenômeno, uma vez que é a única beirada efetivamente sólida com o qual um investigador pode lidar sem o risco de descrédito. A falta de metodologias empíricas para uma analise consistente, também reduz as chances de investigadores acadêmicos confrontarem o fenômeno enquanto produto de natureza concreta. Na medida em que a ampla maioria dos eventos correlacionados são erráticos, todo o estudo se concentraria no relatar e analisar casos anedóticos, o que não difere muito do que é feito nos livros populares de ufologia. Compilações de casos e relatos podem oferecer panoramas estatísticos, mas dificilmente pavimentam vias de construções científicas e/ou inovações no processo de investigação do assunto.

  1. Dewayne B. JOHNSON:
    Discos Voadores – Fato ou Ficção?
    Mestre em Artes e Dissertação de Jornalismo, Universidade da Califórnia em Los Angeles, agosto de 1950, 348 páginas
  2. Donald CARPENTER:
    Teoria do Plasma Aplicada à Ball Lightning
    Universidade Estadual de Ciências e Tecnologia de Iowa, 1962, 123 páginas
  3. Ronald DUTTON:
    Uma Análise de Objetos Voadores Não Identificados
    Air University, Maxwell Air Force Base, 1967, 60 páginas
  4. John R. KING:
    O problema UFO: Tempo para uma reavaliação
    Air University, Maxwell Air Force Base, 1968, 130 páginas
  5. Darrell STANLEY:
    UFOs e Extraterrestrial Life
    Air University, Base Aérea Maxwell, 1968, 59 páginas
  6. Herbert Joseph STRENZ:
    Uma Análise da Cobertura de impensa sobre UFOs 1947-1966
    Jornalismo PhD Dissertação, Universidade Northwestern, 1970, 355 páginas
    [Nota: Dr Strenz coletou e examinou cerca de 10.000 recortes de jornal sobre o fenômeno UFOs para sua tese de PhD, e mais tarde doou seu material a Sign Historical Group (SHG), uma associação de estudos e pesquisas com o objetivo de preservar a história ufológica]
  7. Jerry STROH:
    O debate sobre UFO ainda está vivo
    Air University, Maxwell Air Force Base, 1971, 81 páginas
  8. David SHEA:
    O Fenômeno UFO: Um Estudo em Relações Públicas
    Tese, Universidade de Denver, 1972, 233 páginas
  9. Michael Kelly SCHUTZ:
    Objetivos Organizacionais e Comportamento de Apoio-Procura: Um Estudo Comparativo de Organizações de Movimento Social no Campo do OVNI  (448 páginas)
    Northwestern University, 1973, 448 páginas
  10. David M. JACOBS:
    A controvérsia sobre Objetos Voadores Não Identificados na América: 1896-1973
    Universidade de Wisconsin em Madison, PhD de 1973, 377 páginas
  11. William BRUMMETT & Ernest ZUICK:
    A Air Force deve reabrir o Projeto Blue Book?
    Faculdade de Pós-Graduação da Universidade de Auburn, 1974, 109 páginas
  12. Paul McCARTHY:
     Políticas e Mudança de Paradigmas: James E. McDonald e o Estudo de Caso UFO texto completo
    Ph.D. Em ciências políticas, University of Hawaii, 1975, 303 páginas
  13. Everett R. WALTER:
    O estudo de objetos voadores não identificados e sua adoção no currículo universitário comunitário
    Nova University, 1977, 125 páginas
  14. Steven James.
    A pluralidade dos mundos e a filosofia natural: um estudo histórico das origens da crença em outros mundos e vida
    extraterrestre
    Indiana University, Indiana, EUA, 1977
  15. Michel MARCUS:
    Análise estatística dos relatórios de observação da OVNI
    Universite Paris VII, 1980
  16. Bradley Earl AYERS:
    A Experiência OVNI e Seu Efeito Sobre a Consciência Humana
    Hollywood, Flórida, 1980
  17. Thomas Eddie BULLARD:
    Mistérios no olho do espectador: UFOs e seus correlatos como um tema folclórico Passado e Presente
    Indiana University, PhD, 1982, 608 páginas
  18. Lise VINCENT:
    Contribuição para o estudo da vida associativa: le cas de deux associations scientifiques montpellieraines
    Universidade Paul Valéry, Sociologia, 1983
  19. Bernard MIRANDE:
    Les OVNI e os ET nas universidades
    Paul Valery, Clinical Psychology, 1983
  20. Peter Michael ROJCEWICZ:
    Os limites da ortodoxia: um olhar folclórico no “Fenômeno UFO” da Universidade da Pensilvânia,
    PhD em Folclore, 1984, 738 páginas
  21. Shirley McIVER:
    “O Movimento OVNI: Um Estudo Sociológico de Grupos UFO”
    Mestrado em Sociologia, Universidade de York, 1985
  22. Persis Banvard CLARKSON:
    A arqueologia e os geoglifos de Nazca, Peru, ou As fundações extraterrestres da civilização andina
    Universidade de Calgary, Canadá, 1985
  23. June Ottilie PARNELL:
    Personalidade e características no MMPI, 16 PF e ACL das pessoas que reivindicam experiências do UFO
    Universidade de Wyoming, 1986, 110 páginas
  24. Roberto Enrique BANCHS:
    Psicoaxiossociologia do fenômeno OVNI
    Doutorado em Psicologia Social
    Universidade Argentina John F. Kennedy, Buenos Aires, Argentina, 1986
  25. Linda Jean MILLIGAN:
    O Debate UFO: Um Estudo de Lenda Contemporânea
    Ohio State University, PhD em Folclore, 1988, 624 páginas
  26. Veronique GALZY et Solveig LETOR:
    OVNI: un tabou scientifique?
    Universite Paul Valery, Sociologia, 1988
  27. Robert Pearson
    FLAHERTY: Os disocos Voadores ea Nova Angelologia: Projeções Míticas da Guerra Fria e da Convergência de Opostos
    UCLA, 1990, 726 páginas
  28. Pierre LAGRANGE:
    L’archipel arnoldien. Les estreias controverses sur l’existência des soucoupes volantes aux Etats-Unis
    Sociologia, Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS), Paris, 1990
  29. Frédéric van VLODORP:
    La vague belge d’observations d’OVNI vista par la presse écrite francophone in 1989-1991: etude thematique et regard critique
    Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Liège, 1992
  30. Patricia Ann CROSS:
    Uma investigação psicológica social de testemunhas de UFOs  
    Carleton University PhD, 1992, 239 páginas
  31. Scott Richard MANDELKER:
    From Elsewhere: Um Exame de Identidade Extraterrestre
    PhD, Antropologia Cultural, Instituto de Estudos Integrais da Califórnia, 1992, 183 páginas
  32. Jo Stone CARMEN:
    Características de Personalidade e Experiências Auto-Identificadas de Pessoas que Denunciam Abdução Possível por Objetos Voadores Não Identificados (UFOs)
    United States International University, 1992
  33. Linda KERTH:
    memória pictórica e fenômenos UFO: como é confiável testemunha ocular Testemunho?
    PhD, Psicologia, Faculdade de Rosebridge Graduate School, 1994, 234 páginas
  34. Manuel JIMENEZ:
    Temoignage OVNI e psicologia da percepção
    Universite Paul Valery, Psicologia, 1994
  35. Maureen BRADLEY:
    Espectros de guerra: Uma análise de histórias de fantasmas e outras histórias do jogo oculto na Guerra Civil Americana
    Universidade do Havaí em Manoa MA, 1994
  36. Cynthia SCHRAGER:
    Ambos os lados do véu: Psicologia, o ocultismo e realismo americano
    Universidade da Califórnia, Berkeley, PhD, 1995
  37. Derek Michael DONOVAN:
    Anjos e extraterrestres na literatura dramática e cinematográfica contemporânea
    Stephen F. Austin State University, 1995
  38. Duncan DAY:
    Correlações psicológicas da experiência de abdução de OVNIs: o papel das crenças e sugestões indiretas sobre as contas de abdução obtidas durante a hipnose
    Universidade Concordia (Canadá) PhD, 1998
  39. Jodi DEAN:
    Aliens in America: Conspiracy Cultures do Espaço Exterior ao Ciberespaço
    Cornell University, 1998
  40. Richard BLANN:
    O Incidente de Roswell: A Emergência da Comunidade OVNI como Subcultura na América
    Brandeis University, 1998
  41. Brenda DENZLER:
    A atração da borda: paixões científicas, crenças religiosas e a busca de UFOs
    PhD, Religião, Universidade Duke, 1998, 474 páginas
    googlebooks , University of California Press, 2001
  42. Serge BENSIMON:
    Experiências Ovniológicas: Influências das Médias Cinematográficas e Correlatórias da Personalidade Fantasque e das Dimensões da Consciência
    M.Ps, Psychologie, Universite Laval, 1998, 106 páginas
  43. Richard BLANN:
    O Incidente de Roswell: A Emergência da Comunidade OVNI como Subcultura na América
    Tese de Honores, Universidade de Brandeis, 1998, 228 páginas
  44. George RONNEVIG:
    Alien Abductions: Historiske og Sosiokulturelle Tilnaerminger para Forestillinger om ha Vaert Bortfort do UFO
    Institute for Cultural Studies, Universidade de Oslo, 1999, 130 páginas
  45. David LOQUIER:
    Le mythe des enlevements extraterrestres, memória de maitrise d’anglais
    Universite Michel-de-Montaigne Bordeaux III
  46. Diana Palmer HOYT:
    UFOCRITIQUE: UFOs, Inteligência Social, e ao Comité Condon PDF , PDF2
    Tese, Mestrado em Ciências e Estudos Tech, Virginia Polytechnic Institute e Universidade do Estado de 2000, 129 páginas
  47. David M. JACOBS (editor):
     “UFOs e Abduções: Desafiando as Fronteiras do Conhecimento”
    compilação de ensaios acadêmicos pela University Press of Kansas, 2000

    1. Stuart APPELLE: Ufologia e Academia: O Fenômeno UFO como uma Disciplina Acadêmica, pp. 7-30
    2. Ron WESTRUM: Acesso Limitado: Seis Cientistas Naturais eo Fenômeno UFO, pp. 31-55
    3. Don DONDERI: Ciência, Direito e Guerra: Estruturas Alternativas para a Evidência OVNI, pp. 56-81
    4. Michael SWORDS: UFOs, as Forças Armadas ea era da Guerra Fria, pp. 82-121
    5. Jerome CLARK: A Hipótese Extraterrestre na Primeira Era UFO, pp. 122 – 140
    6. Thomas Eddie BULLARD: UFOs: Perdidos nos Mitos, pp. 141 – 191
    7. David M. JACOBS: A controvérsia de abdução de UFO nos EUA, pp. 192-214
    8. Budd HOPKINS: A hipnose e a investigação de relatos de abdução de OVNIs, p. 215-240
    9. John MACK: Como o fenômeno de abdução alienígena desafia os limites de nossa realidade, pp. 241-261
    10. Michael PERSINGER: The UFO Experience: Um correlato normal da função cerebral humana, pp. 262-302
    11. David JACOBS: Research Directions, pp. 303-310
  48. Julien WINKEL:
    A imprensa OVNI: um estudo da imprensa especializado no tema dos objetos Volantes não identificados
    Universidade livre de Bruxelas, 2000
  49. Isabelle CAVE:
    Os joutes oratoires des ufologues en cette fin du XX siécle
    Universite de Haute-Bretagne – Rennes II, 2000
  50. Stefan ISAKSSON:
    Novos Movimentos Religiosos de OVNIs: Salvação Extraterrestre na América Contemporânea Atribuição Direta de Leitura,
    California State University, Fresno, 2000, 85 páginas
  51. Anne Boyle CROSS:
    Uma Confederação de Fé e Fato: Pesquisa de OVNIs e a Busca de Outros Mundos
    PhD, Sociologia, Universidade de Yale, 2000, 226 páginas
  52. Andres ZLOTSKY:
    Suposta Ciência, Alegada Ficção Padrões de Distorção na Transmissão de Paradigmas Culturais no Século XX
    Doutorado, Filosofia, Universidade Estadual de Nova York, 2000, 391 páginas
  53. Timothy A. MITCHELL:
    Veio do Espaço Interior: Fé, Ciência, Conquista ea Guerra dos Mundos
    Universidade de Georgetown, 2001
  54. Jean-Michel ABRASSART:
    Aprovação sociopsicológica do fenômeno OVNI
    Universite Catholique de Louvain (Louvain-la-Neuve), 2001, 158 páginas
  55. Alan GREENHALGH:
    Construcionista Social, Psicológico e Teorias Oficiais de OVNIs
    MA, Humanidades, Universidade Estadual da Califórnia, Dominguez Hills, 2002, 100 páginas
  56. Ravi RANKISSOONSINGH:
    OVNI e Alien Encounter Narrativa: A Cross-Cultural Analysis
    MA, Charleton University, 2002, 117 páginas
  57. Krista HENRIKSEN:
    Encontros Alienígenas: Uma Análise Profunda de Contas Pessoais de Experiências Extraterrestres
    MA, Sociologia, Universidade Simon Fraser, 2002, 89 páginas
  58. Kelly S. ROUBO:
    Cultura Pop e Narrativa OVNI: quem está comprando, quem está vendendo e quem não está dizendo isso?
    MA, Folclore, Utah State University, 2002, 80 páginas
  59. Timothy CORRELL:
    “Fora com as fadas”:Sabedoria popular, cura, e o Outro mundo na narrativa e crença oral irlandesa
    Universidade da Califórnia em Los Angeles PhD, 2003
  60. David HINSON:
    Comparando histórias de extraterrestres com histórias de fadas.
    University of North Carolina, Asheville, 2003, 68 páginas
  61. Ignacio GARCIA:
    Valores Simbolos e Representações em uma Experiência de Contacto Extraterrestre
    Groupo Aztlan Universidade Complutense, Madrid, 2003, 88 páginas
  62. Tayah HANSON:
    O Mundo ‘Rael’: Narrativas do Movimento Raeliano
    Universidade de Saskatchewan, Saskatoon, 2005
  63. Jeremy MOREL:
    Mon dieu un OVNI. Du phenomene ovni a ses derives religieuses, en France de 1950 a nos jours.
    Universite Jean Moulin, Lyon 2005
  64. Zoe COUACAUD:
    Como o alien invadiu a mente americana: uma história de especialistas, empresários, narradores de histórias e um amor pelo alienígena na cultura americana moderna
    University of Sydney PhD, 2006
  65. Dean BERTRAM:
    Cultura do Disco Voador: Uma Pesquisa Histórica da Crença Americana no UFO
    University of Sydney PhD, 2006
  66. Susan Claudia LEPSELTER:
    O vôo do ordinário: narrativa, poética, poder e UFOs na universidade americana
    Universidade do Texas em Austin PhD, 2006
  67. Jessica MOBERG:
    Nar de Flygande Tefaten Landade I Folkhemmet
    2006, 82 páginas
  68. Jan BOYER:
    UFO Mito e Teosofia
    MA, Estudos Religiosos, Noruega Techno-Natural Science University, 2007, 102 páginas
  69. Martin PLOWMAN:
    Alta Estranheza: Uma História Cultural Lacaniana de OVNIs e Ufologia
    Universidade de Melbourne, Departamento de Estudos Ingleses e Culturais, 2007
  70. Eirik SAETHRE:
    Fechar encontros: Crenças UFO em uma remota comunidade aborígene australiana (2007) PDF
    Revista do Instituto Real de Antropologia, 13 (4), 901-915
    OVNIs, Alteridade e Pertença: Identidade na Aborígene Aborígene ) PDF
  71. Alexander WENDT & Raymond DUVALL:
     Soberania e OVNI texto
    Teoria Política, Volume 36, Número 4, páginas 607-633, 2008
  72. Jaakko NARVA:
    UFO-experiências e ufologia como um fenômeno religioso
    Tese, University of Helsinki 2008

Artigos disponíveis on line

Listagens de documentos oficiais

 

Exército dos Estados Unidos

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Army Released January 1997 [355 Paginas – 22 MB]

 

Central Intelligence Agency (CIA)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica PDF File #1 (32 Megs) | O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica PDF File #2 (35 mega)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Central Intelligence Agency releases multiple documents after a request was filed to the DIA in 2009 [65 Paginas, 1.37MB]

Defense Intelligence Agency (DIA)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Defense Intelligence Agency UFO Files Through 1979 [204 Paginas, 39.5MB]

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Defense Intelligence Agency UFO Files from 1979-1989 [12 Paginas, 1.5MB]

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Defense Intelligence Agency UFO Files From 1990 to date [30 Paginas 5.3MB]

Department of Defense (DOD)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Department of Defense [270 Paginas] – Released 1997

Executive Office of the President (EOP)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Executive Office of the President, Office of Science and Technology Policy, Released March 2011 [10 Paginas, 380kb]

Federal Bureau of Investigation (FBI)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Federal Bureau of Investigation UFO Documents [1,600 Paginas!] – [ Parte 01 | Parte 02 | Parte 03| Parte 04 | Parte 05 |Parte 06 | Parte 07 | Parte 08 | Parte 09 | Parte 10 | Parte 11 | Parte 12 | Parte 13 | Parte 14 | Parte 15 | Parte 16 ]

John F. Kennedy Library

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica John F. Kennedy Library [127 Paginas]

National Aeronautics and Space Administration (NASA)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica NASA Headquarters [131 Paginas, 4.5MB]

National Reconnaissance Office (NRO)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica NRO Letter dated November 5, 2015 –  [1 Pagina, 1.4MB]

National Security Agency (NSA)

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica National Security Agency’s UFO Files

United States NAVY

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Navy (sem informações) 

Office of the Assistant Secretary of Defense

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Office of the Assistant Secretary of Defense [132 Paginas]

Space Command

O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica Space Command, Released 1997 [7 Paginas]

 

Wright Patterson Air Force Base (WPAFB)

[910 Paginas] – [ O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica  January through August, 1948 | O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica  September through December, 1948 | O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica  1949 ]

CEFAA ( Orgão oficial de investigação UFO do CHILE)
link

Documentos oficiais da Australia 
(buscar “UFO”) link

Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) França
Link

UFOS Official Records (Reino Unido)
Link

Records da Nova Zelândia
http://archives.govt.nz/

http://www.stuff.co.nz/national/4486327/Original-files-NZs-UFO-sightings

Records da Dinamarca
http://forsvaret.dk/FTK/Pages/sogning.aspx?k=ufo

 

fonte fonte

Related Post

2 comentários em “O fenômeno UFO e a pesquisa acadêmica”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares