Musicas de festa junina – baixe aqui

Volta e meia alguém procura música de festa junina nessa época. Já estamos aí em pleno mês de junho e as festas juninas estão bombando. Pensando nisso eu resolvi ajudar a galera a animar as festas e coloquei um link para quem estiver em busca de musicas de festa junina poder baixar fácil. É só clicar aqui.
(lembrando que o mundo gump não hospeda aquivos e que as musicas de festa junina são de domínio público. Logo, não é pirataria!)

Este site aqui também tem musicas de festa junina para download.

Muita gente mistura as estações e coloca também forró e sertanejo nas festas juninas. Oficialmente forró não é musica de festa junina, mas serve bem e dá um clima de animação. Além do mais é uma boa saída para quebrar a eterna repetição de algumas musicas juninas clássicas.

Algumas musicas que eu recebi indicação (estou repassando pois conheço pouco de forró) são:

Aviões do forró
Mastruz com leite
Cavaleiros do forró
Magnatas do forró
Calcinha Preta
Felipão e forró moral
Saia Rodada
Forró na tora
Forró chacal
Gatinha manhosa
Santana
Flávio José
Geraldinho Lins

A Festa Junina é oficialmente oriunda dos festejos católicos do mês de junho, onde são comemorados os dias de Santo Antônio, São Pedro e São João. Os festejos foram trazidos para o Brasil pelos colonizadores portugueses e desde então difundido geração após geração. As tradições fazem parte das comemorações, tais como a fogueira, os doces e comidas tipicas, o quentão (bebida tipica da época), o vinho quente, a dança da quadrilha, o pãozinho de Santo Antônio, etc. É uma época que quase todo mundo gosta, sendo o mês de Junho inverno no Brasil, o clima propicia o aconchego que estas festas nos proporciona.
Uma coisa que eu acho interessante sobre as festas juninas, é que elas remetem -seja de modo caricaturado ou não – ao Brasil do interior.

Caipira picando fumo -

Caipira picando fumo - Almeida Júnior

O sertanejo, o homem do campo, de vida dura. Às pessoas da estirpe de um pedro Malazartes, de um Jeca Tatu e seus predecessores caipiras, que fizeram história e ficaram marcados no imaginário coletivo do brasileiro.
É quando o caipira, que virou sinônimo de homem pobre, ignorante e inocente, sem talento e cheio de vícios, síntese da esculhambação urbana, tornam-se reis. Nesse período o véu do preconceito é levantado, mesmo que por pouco tempo, até que julho termine e ele torne a cair, carregando consigo o humor simbólico do caipira, mesmo que um fragmento, mero símbolo estereotipado do que já foi o homem do campo no Brasil.

A festa junina não é só uma festa ou quermesse de santo. Ela é um misto de ritual primitivo, com pessoas dançando ao redor do fogo. Ela traz os imemoriais aspectos mundanos do banquete. Eu vejo a festa junina como um misto de evento coletivo, que remete veladamente à fertilidade (com um casamento no meio da quadrilha) e que resume-se a celebração mais pura da brasilidade.

6 Comentários

  1. UmPonto 21 de junho de 2009
  2. Lenise 22 de junho de 2009
  3. Arthur F 22 de junho de 2009
  4. Manuel 3 de maio de 2010
  5. Juliana 18 de junho de 2010
  6. ana jamile 23 de junho de 2010


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *