Minha insignificância e os posts exclusivos para patrões

Alguns já viram que ontem comecei um conto exclusivo para os patrões aqui do blog. Teve gente que não gostou, muito embora eu recebi também o apoio de leitores que não são patrões mas concordam que seja justo que quem pague tenha certos direitos exclusivos.

Essa maldita elite branca não tem jeito mermo!
Essa maldita elite branca não tem jeito mermo!

Ao longo dos anos construí uma relação de amizade de verdade com os leitores. E você sabe que amigo de verdade não fica dourando a pílula.

De fato, quando eu entro num avião, eu fico puto porque não tenho grana para ir na primeira classe. Vou apertado como uma sardinha em lata no fundo do avião comendo comida pior (quando tem comida, né TAM?), vendo filme numa tela menor e sempre com alguém (nem sempre higiênico) ao meu lado.

Como-obter-um-upgrade-gratuito-para-o-First-Class_DizAiGi

Seria bom se todo mundo pudesse ir na primeira classe, né? Mas não sou eu quem dita as regras do mundo. Se eu escrever para a TAM, Iberia, American Airlines ou seja la qual empresa aérea for, para reclamar que eles tem primeira classe e eu não estou nela, a companhia vai me responder educadamente (ou não, dependendo do peão que atende ligação lá) que para eu ter acesso a área exclusiva, BASTA EU PAGAR.

Será uma lição e tanto, que felizmente, não precisarei passar nessa vida já que estou equipado com uma dose mínima de bom senso pré instalada de fábrica. Eu sei que se alguém paga por alguma funcionalidade extra, ele deve ter direito a essa funcionalidade. Do mesmo jeito, uma pessoa que entra e pode LER DE GRAÇA mais de 5000 artigos deste site, não precisa ligar nem escrever me agradecendo por eu ser tão legal de trabalhar para o prazer dela sem custo, soa esquisito que alguém queira:

  1. Determinar como eu lido com o meu negócio sem ser um sócio dele.
  2. Reclamar que eu coloquei um (UM!) conto exclusivo para os pagantes.
  3. Noticiar aos quatro ventos que por causa disso jamais vai entrar no meu site novamente.

Eu estou errado? Onde está a falha do meu raciocínio?

Será que alguém liga para reclamar que há camarotes na Sapucaí, Maracanã e etc? Será que alguém liga para a TV a cabo para reclamar que todo mundo devia ter o aparelho que toca os canais em Full Hd e não só os assinantes que pagam mais caro? Será que ligam para a Shell para reclamar que 100% da gasolina que ela vende devia ser a premium e de preferência sem custo? E diante da realidade, reclamariam: “Então tá! Nunca mais boto sua gasolina no meu possante!”

7987890569_dbe42a82d4
Queriam um faniquito?

Não entendo bem isso. Queriam o que? Choro? Vela? Queriam que eu me desesperasse?

“Meu Deeeeeus!  O cara vai embora! E agora? Meu mundo caiu! Vou em matar! Me segura que vou pular! Vou cometer harakiri baiano!”
Não me leve a mal, mas eu não choraria nem mesmo se ganhasse dinheiro por visita nesse site. Não faça isso, é patético. Eu ligo tanto para isso que quase acabei com este blog há meses atrás.
É uma dura lição amiguinho geração Y, mas alguém tem que dar o remedinho amargo:

O mundo CAGA pra você.

Eu incluso.

Não chore, o mundo caga pra mim também. O mundo caga pra qualquer um. Nós (tirando raríssimas exceções) NÃO FAZEMOS A MENOR FALTA neste planeta. Na maior parte das vezes, nossa opinião é irrelevante. Os negócios, o dinheiro, as coisas e o resto todo segue seu caminho apesar da nossa ausência e de nossa ilusória sensação de importância; Sensação que construímos para lidar com a dor de sermos efêmeros.

Eu gostaria de um mundo onde tudo fosse grátis e eu não tivesse que gastar os tubos de servidor, nem me enrolar diariamente para pagar as contas, cada vez mais altas e com menos clientes (obrigado Dilma), mas tenho dúvida se este mundo utópico seria realmente bom ou um arremedo neofodido de 1984 do Orwell.

1984_2

 

Vamos colocar as coisas em perspectiva: No fim das contas, quem sou eu? Eu sou um Zé ninguém. Um Zé ruela, um Zé das couves que escreve num blog numa língua em que a maior parte do mundo sequer imagina que exista, num país de merda considerado pelo resto do mundo uma zona no sentido literal e figurado. Sou tão insignificante que nem mereço seu ódio. Faça um favor ao mundo e odeie algo mais relevante.

Ao tornar um post exclusivo para quem ajuda financeiramente este site, mesmo que com dois dólares, que sequer dá pra pagar um ingresso de cinema, eu não estou querendo sacanear os que não querem, ou que não podem pagar. Estou apenas agradecendo a quem pagou. Pode parecer injusto para quem não paga nada e quer ler de graça o fruto do meu trabalho duro, mas é o que eu devo fazer para HONRAR MINHA PALAVRA. Eu disse que faria, eu faço. Eu nem ia conseguir dormir se não fizesse assim.

Claro, eu poderia, como alguns amigos me sugeriram, fechar o blog todo apenas para os pagantes, tipo site pornô. Mas isso eu não apenas não acho justo. No português claro, a verdade é que nem é isso: fazer este tipo de jogada é um retrocesso. Não funciona bem comercialmente. Como que o cara vai saber se vale a pena ou não pagar se ele não lê? Nem eu mesmo pagaria.

O sistema continua e continuará para sempre aberto. Eu não cobro nada, nem mesmo exijo nada dos leitores (embora muitos exijam de mim muito mais do que sou capaz de oferecer) mas se há meses atrás eu disse aos patrões que colaborando com o blog eles teriam acesso a material exclusivo, não entendo o motivo desse faniquito. Serião.

Os patrões vão sim ter posts exclusivos. Mas não só isso. Ganharão brindes, posteres, bonecos, livros, camisetas, canecas. Eu vou mimar esses malucos de todo jeito que eu puder. Assim, o que eu sei agora é que farei outros posts exclusivos, mesmo que alguns não gostem e consigam retorcer a lógica para dizer que “não acham justo”. Aliás, dentro desse pensamento, o justo seria dar calote nos meus patrões? Logo nos que confiam em mim?

Minha cara lendo esta porra

Não existe unanimidade em nada e talvez eu até esteja errado em fazer isso. Mas eu prefiro errar assim do que prometer acesso exclusivo, receber a grana e não dar.

Obviamente os demais artigos serão abertos. Ser um Patrão do Mundo Gump é SUPER FÁCIL. Basta clicar aqui.

Caras que não tem cartão de credito também tem outras opções. 

 

Related Post

34 comentários em “Minha insignificância e os posts exclusivos para patrões”

  1. Não cheguei a ver os comentários (assim como já não tenho muito tempo para ver comentários de qualquer sorte) sobre esses faniquitos, portanto não sei o teor deles, então não falo a respeito. Já sobre o post só para assinantes, eu tinha visto, e minha reação na verdade foi “ah, pena, conhecendo o histórico parece legal, talvez valha a pena pagar pra ler essas histórias”, comecei a considerar a idéia de ser um patrão (quem sabe né), e só. Entendo gente que se revolta com um conteúdo fechado, pois é direito revoltar, mas se partiram pra agressão (verbal), ou então para algum tipo de ameaça de boicote, tem mais é que esquecer que esse site (ou qualquer outro que tem o direito de ser remunerado) exista.

  2. Tem cara que é folgado mesmo: você dá a mão e o cara quer o braço, o corpo, a roupa e a carteira de brinde e ainda acha que é o dono da razão. kkkk

  3. Pois é, querer algo exclusivo é natural, mas reclamar e fazer auê, dizer que nunca mais vai entrar no blog é tenso. Sei lá se pensaram que 80% dos teus posts daqui pra frente vão ser fechados e que não vão mais ter acesso aos materiais “mais legais”, mas é um motivo e método inapropriados para contestar isso. De qualquer maneira, isso vai existir sempre, assim como tem gente que reclama que a primeira classe do avião é injustamente exclusiva.

  4. Philipe,
    Acho que você não deveria gastar seu tempo com este responsório para gente que não faz falta. No meu meio de atividade – e claramente no seu também – há muita gente aproveitadora, muita gente que quer, unicamente, levar vantagem, sugar, explorar e abandonar sem qualquer compromisso com retribuição (seja financeira, seja reconhecimento, seja com o mínimo de bom senso) aquilo que você faz por ela. É o que se chama de mau cliente, o tipo que atrasa os negócios, que dá dor de cabeça, que faz críticas infundadas, que contribui para a deterioração do ambiente comercial e, principalmente, que não representa o pensamento do seu público-alvo, o objeto de todo o empreendimento por excelência.
    Talvez o pior efeito negativo do mau cliente seja ainda mais degradante: induzir o fornecedor do serviço, ainda que por desconfiança infundada, que o seu público está adotando aquele ponto de vista ácido e nocivo que o mau cliente expõe. Isso te faz titubear, refletir, desacorçoar e perder tempo em uma linha de negócio que, na maioria das vezes, direciona ao sucesso.
    Você falou ali em cima que o mundo caga para nós, para mim, para você, para os leitores e para os maus clientes, e isso é uma tremenda verdade, mas os níveis de “cagar” são distintos. Acompanho este blog há algum tempo, às vezes não com muita frequência, não sou Patron, mas sei que, antes de uma fonte de entretenimento para mim, este blog é uma fonte de rendimento para você (se não real, ao menos para ressarcir o tempo gasto por você aqui que poderia ser utilizado para gerar frutos financeiros em outras atividades remuneradas), uma herança para teu filho e, claro, uma fonte de entretenimento e relaxamento para a sua cabeça que, não duvido, vá acabar refletindo no âmago de sua família.
    Se um dia eu perder o interesse de ler por aqui, não serei da baixeza de caráter de dar de dedo e apontar críticas destrutivas, pois tenho o bom senso de saber que a solidez do seu blog, para você e sua família, é muito mais importante do que o meu benefício individual de leitura. É muita canalhice não enxergar isso, e criticar da forma que uns palhaços fizeram na parte 1 do conto exclusivo, expondo com a despreocupação típica dos levianos críticas com o claro intento de desmoralizar o blog perante os demais leitores (especialmente os pagantes).
    É por esse tipo de situação que digo: valorize quem valoriza teu trabalho e taca-lhe pau nos conteúdos exclusivos, no mimo aos Patrons, no direcionamento construtivo do blog e, principalmente, no cortês apontamento à porta da rua para os maus clientes. Estes, que se achem em outro lugar.
    Num mundo onde todos cagam para nós, suportar elementos desconstrutivos já é um encargo demasiado para a sociedade, que dirá para um homem só.

  5. Tá certíssimo cara, se tem gente que pode lhe ajudar pagando, não tem porque não pedir, assim também como não custa retribuir de alguma forma o favor, e até porque não incentivar outros a pagarem também para ter acesso as retribuições, tudo justo, você emprega tempo, esmero, força, saúde e várias outras coisas que nem temos noção para sair um monte de artigo legal e dinheiro tá ruim pra todo mundo, a crise ta em todo lugar do MUNDO (não é só no Brasil tá!?). O jeito de continuar e sobreviver, é arrecadar dinheiro extra. Aos que reclamarem, bem, não há como agradar gregos e troianos e como diz na fisica, pra toda ação realizada, existirá uma ação contrária (sem falar do atrito kkkkk). No mais, parabéns pelos posts, força e siga em frente! Abraço.

  6. Vai ter conteúdo exclusivo para os patrões, sim. E se reclamar, vai ter mais…rs!
    Não dá bola, Philipe. Como tu disse, não tem como agradar a todos. Lembro que, lá no vídeo em que tu explicas porque decidiu encerrar o blog, tu já mencionava esta questão do conteúdo exclusivo e tal.
    Espero que as reclamações de ontem pelo conto “fechado” não te desmotivem mais uma vez, pois não vivemos (meu marido e eu) sem o Mundo Gump.
    P.S.: Não somos patrões (ainda). Abraço!

  7. De fato, mas achei bom explicar o meu lado, porque caiu a ficha de que eu havia lançado o conto sem sequer avisar do que se tratava e burramente coloquei a explicação que era exclusivo na descrição (que não aparece) e só notei isso hoje. kkkk. Sou um comédia mesmo.

  8. Philipe, não discordo da sua decisão de fazer artigos exclusivos para patrões, acho muito justo, inclusive, mas você já pensou em vender o acesso a determinadas postagens em avulso? Não sei se seria prático de ser implementado, mas isso daria a chance aos não patrões de acessarem os artigos que lhe interessarem e você ganharia um dinheiro além daquele que você recebe regularmente pelo Patreon. Acessando sua página do Patreon, vi que você tem 68 patrões atualmente. Não sei quantos visitantes únicos você tem por dia, mas imagino que esse número de patrões seja uma pequena fração dos visitantes do site.
    Acho que os contos poderiam servir direitinho nesse modelo de acesso avulso: a primeira parte pode ser liberada como teaser e o resto vendido em avulso, parte a parte ou a série toda, enquanto os patrões teriam acesso a toda a série, como é feito agora.

      • se usar sistema de pagamentos paypal eu pagaria
        comodidade e conhecimento custam dinheiro, ex: conhecimento do pedreiro para fazer uma casa(vc mesmo pode fazer mas…) e a comodidade de o cara esta construindo a sua casa enquanto vc não move um músculo

        aquele post do vale da morte da siberia foi muito mais detalhado e melhor do que qualquer programa de mistérios faria
        acho que materia para assinante seria liberado ao publico um tempo depois, quem paga ve primeiro
        e com grana da para melhorar site dedicar mais tempo etc sei la

    • Gostei dessa ideia tmb mano! E nem necessariamente os contos. Eventualmente um conteúdo ou outro!
      Rsrsrsr…sabe o q eu acho engraçado? Ano passado eu tava iniciando uma startup e pra todo mundo q eu contava, alguém me dava um pitaco sobre meu negócio e como eu deveria fazer, sem nem eu ao menos pedir…ehehehe… eu ficava fudido com isso, mas nem falava nada. E cá estou eu dando pitaco no negócio dos outros…hahahah… Poxa, desculpa Philipe, não fica brabo com a gente heim….ahahahah… nós leitores gostamos tanto do seu blog, que nos sentimos seu amigo, pelo menos o suficiente para dar pitaco….é como se esse blog fosse uma cooperativa! AHhahaha… abraços.

      • Cara se tem um negócio que me acho realmente bom é ouvir (e seguir) idéias que me dão. Óbvio que não fico bravo. Só fico quando faco um post evem um cara dizendo que não posso falar isso ou aquilo. Aí eu fico putaço. Se fosse o David Banner eu viraria o Hulk.

  9. Em pleno 2015 no mundo do capitalismo e ainda temos babaquice assim rolando? Caralho. Mas Philipe, acho que o melhor é não dar atenção. Vai ver essa galera só queria chamar atenção. Faz feito as vezes tu faz comigo no chat do Facebook e ignora total (hahaha), quem achar ruim que se foda. Muita gente tem que aprender que o mundo não foi feito pra dar atenção, mas sim o contrário.

    • Pô, mas eu dou a maior atenção. Mesmo quando o cara está errado, pq eu nunca sei se está mesmo. Vai que ele tá certo e eu que estou sendo o capitalista safado aqui.

      • “Vai que ele tá certo e eu que estou sendo o capitalista safado aqui.”

        Capitalismo é capitalismo, se o cara quís atacar de comunistinha ele que aguente o rojão. Você não tá errado em cobrar pelo seu trabalho. Afinal, é trabalho.

  10. Vc está corretissimo!!!

    Tem que ser diferenciado. Tem que ter exclusividade. Eu AINDA nao sou seu chefe rs (to na crise..dilma me pegou) mas assim que as coisas melhorarem obvio que quero ter toda essa exclusividade.

    Não da pra entender esse mimimi. O site mundogump deixou de existir por alguns dias e talvez deixaria de existir para sempre. Mas então surgiu o patreon e uma leva de patrões que, como podem, financia e ajuda o site a ficar melhor. Logo, merece algo em troca. Exclusividade. Conteúdo e brindes diferenciado.

  11. Ta certo, quem paga tem direito a ter coisas exclusivas. Como qualquer pessoa que é mais abonada pode comprar carros exclusivos, ou casas igual dos 20 post que estão aqui. Super apoiado. Ainda não sou patrão, mas, em breve! Abraço Philipe.

  12. Citação do post: Eu ligo tanto para isso que quase acabei com este blog há meses atrás.
    […] eu ligo tanto pra isso […] Isso = Blog.

    Quando voltou colocou Patron Me … que contradição ?! Ou não, talvez.

    Continuo lendo mesmo não sendo patron.

  13. Muito massa, meu grande problema agora é tornar patrão… a grana tá curta e nada tá ajudando a melhorar… mas acho que trabalhando em prol disso com dignidade um dia chegarei lá!
    Cara, essa ideia é ótima! Parabéns.
    Eu estava lendo este post e me veio uma ideia de post muito interessante: VARIG. Tu já pesquisou a respeito da falência da VARIG? Um amigo meu trabalha para a Varig e parece que o cerco foi criado politicamente para falirem a empresa e hoje quem paga as contas – aposentadoria, etc. do pessoal – é uma empresa brasileira ligada a Petrobras. Isso daria um baita post conspiracionista! Acho que vale a pena investigar!!!

  14. V. Exa. está certíssimo mas bem que poderia ter colocado os posts das casas pros patroes e os contos pra pipoca. Kkkkkkkkkk

    Sacanagem jueve, em breve assinarei meu contrato de propriedade sobre sua propriedade intelectual.

  15. Ta no seu direito sim de fazer o q acha melhor pro blog e pra quem tem acompanhado principalmente os patrões q estão apoiando ainda não sou mas pretendo ser em breve para prestigiar ainda mais teu trabalho q é fantástico

  16. Olá Phillipe! Acabei de me tornar um Patreon do Mundo Gump…mas não recebi nenhum tipo de confirnação (nem por email nem nada). Como sei que deu certo?
    EDIT
    Opa, acabei de receber. Agora sim! 🙂

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares