Mentiras, mentiras, mentiras

A mulher está sentada na cama. Tem os olhos vermelhos de chorar. Ela fica em silêncio. Um cigarro queima no cinzeiro sobre o criado mudo.

Ela olha para o telefone. Imóvel.

Limpa as lágrimas dos olhos.

O telefone toca. Ela atende em silêncio. Não diz alô nem pergunta quem está falando. Apenas escuta, segurando o quanto pode os soluços.

Do outro lado da linha, na rua, sob uma chuva torrencial, um homem fala no orelhão:

– Minha querida, não sei mais o que acontece comigo, não consigo tirar você da minha cabeça…

– Lá vem você de novo com esta conversa, doido pra me enrolar.

– Já não sei mais o que preciso fazer para provar…

– Não perca seu tempo.

– Nossa vida é a mais linda história de amor que alguém jamais poderia imaginar…

– Falar é fácil. Suas palavras doces não são mais suficientes para me enrolar.

– Não paro de pensar em você. Em casa, no trabalho. Você não me sai da cabeça…

-Vou desligar. Você é um doente, uma pessoa sem coração. Você é o fruto mais podre, que até os vermes vão recusar.

-Por favor não se vá. Me deixe terminar.

– Você é um mentiroso, um manipulador de ilusões. Um predador de almas…

– E você é o vento quente que me acorda na noite. É o frio do mar que me recobre o corpo. Você é o som que eu escuto, o gosto doce que sinto na boca, o perfume das flores, você é o pensamento feliz e as memórias boas de nós dois…

– Palavras, mentiras, mentiras. É tudo que você sabe dizer.

– É tudo que eu sei dizer, porque sou prisioneiro do amor…

– Prisioneira sou eu desse destino cruel de ter conhecido você. Me apaixonei cedo e olha o que me tornei… Uma mulher amarga, fria e triste, sozinha, sozinha, sozinha… Sem destino.

– O amor, só ele poderá nos libertar.

– Mentiras, mentiras, mentiras.

– O que eu posso fazer?

– Mentiras, mentiras, mentiras…

– Quero lhe provar…

– Mentiras, mentiras mentiras…

– É tudo o que você diz?

– Mentiras, mentiras, mentiras!

– Eu te amo! Eu juro!

– Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras. Você só sabe mentir, desgraçado!

-Mas é verdade, a verdade é que você me pertence e eu sou todo seu. Somos feitos um para o outro mas você não quer aceitar…

-Você ligou, e vem ligando desde a semana passada. Não agüento mais. Vamos dar um basta nessa situação.

-Tudo que eu quero é que você me compreenda…

-Lá vem você…

– Eu ligo e ligarei quantas vezes for preciso…

-Você teve sua chance. Teve sua chance e resolveu desperdiçar…

– Aquela mulher não significou nada pra mim…

– É tudo que você sabe dizer…

– Repetirei hoje, amanhã… Não posso perder a esperança.

-Você volta como um rato, um ser abjeto e abusa da minha paciência.Volta pra outra, e talvez você seja mais feliz… Me deixe em paz.

-Você tenta se enganar. Eu sei que você também está sofrendo.

– Conversinha fiada de buteco não me ilude mais.

– O que preciso fazer pra te provar? Diga? Meu amor por você…

-Muito obrigado, enfie essa prova onde preferir, que eu tenho amor próprio. Sinto nojo de te ver rastejando, pedindo o perdão que sabe que não vai receber. Você é um canalha e ela uma bruxa. Destruíram a minha felicidade.

-Por favor, acredite nas minhas palavras.

-Palavras? Só mentiras, mentiras, mentiras.

-Me escuta, é tudo que eu te peço.

-Mentiras mentiras mentiras…

-Por favor, só mais uma chance.

-Mentiras mentiras, mentiras…

-Eu imploro!

-Mentiras, mentiras, mentiras, mentiras, é tudo que você vai repetir…

-Que você é minha…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Que eu te amo…

-Mentiras, mentiras, mentiras.

-Que você ainda me ama…

-Mentiras, mentiras, mentiras…

-Volta pra mim….

-Mentiras, mentiras, mentiras… Tudo que sai da sua boca são mentiras. Que agora você desperdiça comigo. Você não some da minha vida. Eu sumo da sua. Adeus.

Ela desliga o telefone e encosta o cano frio da arma na cabeça. Com força puxa o gatilho e num estampido seco, tudo gradualmente se apaga.

Um relâmpago corta o céu iluminando a rua escura. O homem desliga o telefone e vai embora, perdendo-se na escuridão.

FIM

Sei lá de onde veio isso…. Quer dizer, eu sei. Eu estava escutando uma musica antiga em que a Dalida, canta com o Alain Delon. Tive vontade de readaptar a musica de algum jeito. Saiu isso aí. Quem ficou curioso, pode ver aqui:

O maluco tinha realmente um naipe fera. Quem me dera se eu tivesse um visual assim… Já tava na novela das oito.

Related Post

9 comentários em “Mentiras, mentiras, mentiras”

  1. É muito bom ler textos assim, desenvolvidos, que nos trazem algo…que nos comunicam alguma coisa. Abaixo os microtextos! Atualmente, aqui no RS, escrevem livros com meia dúzia de palavras em cada página, cobram R$40,00 e chamam de “microtextos”! Isso é assassinato da língua portuguesa, tão bela e expressiva! Camões deve estar virado de cabeça pra baixo na tumba! Uma obra deve ser bem escrita e expressa em toda a sua extensão e vocabulário, isso se chama: “escrever bem”.É o que vc faz. Infelizmente não sou poetisa, só escrevo peças técnicas. Quem sabe lendo o gump, eu melhoro….Rosi

  2. Olá meu filho,

    Li esta sua estoria e la vc coloca que “nao sabe de onde saiu isso …e coisa e tal” . Lembro do seu pai comentando um caso veridico de um homem que trabalhava na mesma empresa, que tinha uma amante.

    A esposa meio doente da cabeça, dada a depressoes frequentes descobriu o caso da infidelidade. O marido temendo uma crise violenta da mulher tenta convenc^-la de que foi so uma aventura louca, inconsequente mas que ela era a “mae dos filhos dele, a mulher que ele escolhera pra casar…”

    Ela ligou o telefone pro serviço do cara, deu uma dura nele… ele no serviço tentando se desculpar … ouviu qdo do outro lado da linha a mulher puxou o gatilho na frente da filha do casal… ele pediu licença ao chefe e foi correndo pra casa… ela estava morta na sala e a filha paralizada na mesa sem saber o que fazer…

    Seu pai contou a triste estoria de amor que terminou em tragédia e vc guardou partes do caso na sua memória voltando neste caso um pouco mais suavizada…

    Ficou muito bonita… Ainda hj sinto um misto de pena e tristeza por ela, por ele pela filha… Inda bem que passado uns anos a felicidade voltou pra eles numa nova oportunidade de amar…

  3. A mulher atendeu o telefone, e não disse nada.Do outro lado o homem fazia juras de amor. A mulher só escutava e não dizia nada. Voce é a razão da minha vida, sem voce eu morrerei, desde que te conheci naquele dia lá na estação estou perdidamente apaixonado por voce. Depois de quase meia hora de papo-furado, juras e promessas ele diz: Diga alguma coisa,eu te amo, , Neuza! Neuza? Meu nome é Madalena,
    Desculpe, foi engano. tu! tu! tu!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares