Mensagem 2.0

Eu não gosto muito desses blogs eruditos onde você entra e só tem poesias. Na verdade mesmo, eu acho um saco. Então tenho que fazer isso pedindo clemência aos leitores. Como já comentei num outro post aí, eu gosto de ouvir qualquer merda musical enquanto trabalho. Ontem eu estava trabalhando num aquário em computação gráfica quando tocou uma antiga música da Vanusa, chamada MENSAGEM. Era uma bela história de desilusão amorosa em versinhos bem simples. E eu fiquei pensando…

Bons tempos em que amores terminavam por carta. Hoje a coisa é bem mais rápida, com chats, mensagens de orkut e scraps.

Com isso em mente, sentei-me na frente do word e fiz esta versão da música, numa roupagem mais atual. Quem sabe num dia que eu esquecer a vergonha em casa eu não faço um podcast do mundo gump e até canto ela?

Ok, ok… Brincadeira. Pode guardar o revólver.

MENSAGEM 2.0

Quando o Windows entrou

E o programa rodou

Baixei os emails então

Com tanto spam que surge

Nem sei como pude

Clicar no botão

Vendo uma linha em negrito

E o tal email escrito

Eu reconheci

A mesma covardia

Que disse-me um dia

Viagra- clique aqui.

Porém não tive coragem

de clicar na mensagem

Porque com certeza

Eu meditava e dizia

Qual será a agonia

Qual será a surpresa?

Quanta mensagem medonha

Ou tristeza bizonha

Um email nos traz

E assim pensado cliquei

A mensagem deletei

Para não me aborrecer mais

(refrão)

Porém não tive coragem

Nem de ler a mensagem

Porque com franqueza

No fundo eu já sabia

Que se clicasse eu iria

Ficar sem defesa

A mensagem sem-vergonha

Que te acha um pamonha

De um hacker sagaz

Quer com este spam

Instalar um trojan

Pra ver o que você faz

2 comentários em “Mensagem 2.0”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares