Mataram o pé grande?

O caçador Rick Dyer diz que atirou e matou um Pé grande, e agora está se preparando para levar o seu cadáver em uma turnê pela América.

Até agora, a maior evidência que havia do pé grande são as milhares de testemunhas, fotos e videos que mostram uma coisa grande e peluda se movendo arrediamente pelas florestas do norte do continente Americano.

A foto que Rick Dyer exibiu da criatura não lembra diretamente o monstro que tantas testemunhas já relataram.

o-RICKDYERBIGFOOT-570

Parece mais um Anão da franquia LOTR morto, mas seja como for, ele diz que este é o Pé grande.

É sempre bom lembrar que essa história pode ser mais um belo hoax. O tal do Dyer tem problemas de credibilidade relacionados com alegações que matou um Bigfoot antes, em 2008. Isso se revelou fraude, e até expusemos isso aqui neste post.

Seja como for, de acordo com KSAT.com , Dyer finalmente lançou na rede a foto da criatura que ele alegou ter matado perto de San Antonio, Texas, em setembro de 2012. Por que ele escondeu o bicho este tempo todo ainda é um mistério. Talvez estivesse tentando realizar testes para ter certeza que não era gente (o que o qualificaria como um assassino e não um caçador) antes de “cantar”.

A única evidência até então exibida por Dyer era um vídeo curto, granulado que ele afirmava mostrar um Bigfoot fora de sua barraca, próximo a uma área arborizada nos arredores de San Antonio.

Em uma entrevista a partir de fevereiro de 2013, Dyer disse:

“O pé grande é 100% real. Não há nenhuma dúvida sobre isso. Vou entrar para a história como o melhor rastreador de Bigfoot do mundo”

Dyer conta que precisou usar iscas para pegar o pé grande da região de San Antonio .

“Eu preguei costeletas de porco do WalMart nas árvores ao longo da trilha, e me escondi. Então ele veio e começou a comer as costelas de porco, arrancando-as das árvores” , disse Dyer.

A alegação do método dele é um pouco estranha, pois centenas de caçadores já tentaram pegar o pé grande com iscas e armadilhas, e nenhum teve sucesso até hoje, mas isso também é relativo, na medida em que o ser poderia habitar áreas com mais ou menos oferta de alimento. Numa área com muitos cervos à disposição, o Pé grande poderia não se interessar por pedaços de comida presos à árvores. Já uma redução da oferta de alimento poderia conduzir a criatura direto para uma isca.

Voltando ao método de Dyer, quando a criatura estava se refastelando de costelinha, ele pegou o celular e gravou a criatura.

Parece-me que na segunda vez que ele alimentou o Pé grande, e o animal retornou ao acampamento, Dyer atirou nele. O caçador do pé grande conta que transportou o cadáver para um local secreto.

Dyer agora diz que já está de posse de testes científicos realizados no corpo peludo, e que com base nos laudos de DNA e outros exames ele pode provar que o pé grande é real.

É como dizem. Alegações sensacionais requerem provas sensacionais, e Dyer diz que as possui. Enquanto isso não for provado e comprovado por uma pesquisa independente, não podemos colocar a mão no fogo, até pelos antecedentes do cara.

O corpo do pé grande que ele tinha matado em 2008 e guardado num freezer se provou um mix de pêlos de outros animais junto com uma fantasia de borracha.

Credibilidade é a coisa mais importante se você está tentando convencer o mundo de algo tão questionável como o pé grande. Uma vez que ele foi pego enganando as pessoas uma vez, ficará bem difícil do pessoal acreditar nessa versão, embora eu acho que nada impede o cara de ter dado um migué no passado e realmente ter matado o bicho depois. Não é impossível, mas é difícil de acreditar.

Do mesmo modo, o fato de um sujeito ter dado este golpe não torna a questão da existência da criatura que é descrita por índios e até mesmo pelos primeiros colonizadores dos EUA em fantasia e mentiras. É preciso investigar mais.

Avistamentos do pé grande nOs EUA e Canadá O volume de testemunhas do ser é monumental nos Estados Unidos e Canadá, e envolve, entre pessoas comuns, guardas florestais e também policiais.
Avistamentos do pé grande nOs EUA e Canadá
O volume de testemunhas do ser é monumental nos Estados Unidos e Canadá, e envolve, entre pessoas comuns, guardas florestais e também policiais.

Entre as montanhas de relatos,  fotos e videos de manchas correndo entre árvores, temos as pegadas, que até o momento, seriam evidências-chave da existência do pé grande, também conhecido como sasquatch pelos indígenas da América do Norte.

Enquanto algumas pegadas podem facilmente ser descartadas como erros e fraudes, existem algumas que se colocam como evidências mais sólidas. As melhores são as que deixam rastros na lama com consistência perfeita, e a argila decalca as impressões digitais. São poucas assim, mas elas existem.

dermal_ridge (1)

Em 1982, um soldado florestal viu um Sasquatch em uma trilha na floresta. As pegadas foram encontradas e foi realizada uma replicação em gesso a partir da pegada no solo argiloso. Uma inspeção mais próxima dos modelos pegada, produziu uma descoberta notável. Elas continham o que é conhecido como cristas dérmicas, ou o que chamamos de impressões digitais.

Vários especialistas, incluindo peritos do Instituto Smithsonian, Scotland Yard e até mesmo o chefe do dept. de papiloscopia da Polícia do Texas analisaram os moldes e a maioria deles concluiu que as impressões não são produto de uma farsa.

O perito em impressões digitais mencionado, Jimmy Chilcutt, é um expert-examinador de impressões digitais latentes do Departamento de Polícia de Conroe. Ele observou Jeff Muldrum na televisão discutindo a evidência da pegada que ele tinha e que parecia conter sulcos dérmicos. Jimmy Chilcutt era um cético do  pé-grande e sentiu que a sua experiência de impressão digital forense poderia  ser utilizada para desmascarar uma falsa pegada.

Ele contatou Meldrum que devidamente  concordou em ir para Chilcutt afim de permitir ao especialista que  analisasse a evidência. O positivo do suposto pé em questão foi feito por James P. de Akin do escritório do xerife de  Pike County, Georgia, em 1997, a partir das marcas deixadas na lama consistente, deixada por uma inundação em Elkins.

Chilcott examinou a pegada exaustivamente por vários meses e, em particular, nas áreas onde cristas dérmicas apareciam.

Ele concluiu seu exame dizendo que que as cristas dérmicas são compatíveis com as de um primata não humano.

Esta conclusão baseia-se no fato de que os seres humanos possuem dobras perpendiculares às arestas laterais da primeira falange dos dedos do pé em que o dedo se encontra com o pé. Na pegada de  Elkin Creek, o fluxo das cristas dérmicas surgem longitudinalmente ao longo da lateral do pé. Este detalhe  não ocorre no ser humano ou em qualquer primata conhecido.

De volta ao caso do suposto pé grande morto, Dyer diz que pretende realizar em breve uma conferência de imprensa para revelar o corpo do pé grande completo e os resultados dos testes. A gente fica na esperança que não seja mais uma ridícula tentativa de passar o boné de otário para o povo novamente.

Aqui no Mundo Gump nós já falamos extensivamente sobre essa criatura, que junto com os Ets, está na fronteira do desconhecido.

Veja alguns posts que fizemos sobre o Pé grande:
Pé grande é real? Videos, dados e DNA!

Pé grande gravado em vídeo? 
Encontrado o Pé grande — A história de uma grande fraude
Surge uma nova filmagem do pé grande
Bizarro: Céticos obtém uma foto do pé grande
As criaturas bizarras do himalaia
O homem macaco de 1937 e outros seres da floresta

Pegadas estranhas

fonte

Related Post

45 comentários em “Mataram o pé grande?”

  1. – Citando, Philipe: “Até agora, a maior evidência que havia do pé grande são as milhares de testemunhas…”.
    No meu modesto modo de entender, em termos de “testemunhas”, o que podemos ter é, no máximo, “indícios circunstanciais, e só.
    – Seja porque não se pode confiar plenamente no que as pessoas “afirmam” que viram (não vou me estender em relação aos muitos testes mentais em que pessoas descrevem uma cena de roubo, conforme documentário na TV, e são amplamente contraditórias, chegando mesmo a apontar uma pessoa inocente, apenas porquê ela estava na cena); seja porque, nos meios forenses, a “testemunha” é chamada de “a prostituta das provas”, pois pode ser manipulada, ou mesmo, comprada, pelos mais diversos interesses.
    – A credibilidade do tal Dyer é a mesma de uma nota de R$ 3,00… logo, tudo o que ele disser deve ser tomado com reserva. Se ele tivesse um mínimo de vergonha, até poderia ter esperado para se certificar, mas deveria fazer a revelação, em vez de tentar provocar suspense.
    – Cheira a mais uma farsa melhor elaborada do que a primeira, já que o sujeito deve ser fã do Erich von Däniken e suas “teorias” nunca comprovadas sobre os ETs. E deve ser vizinho de casa do “Tsaloukos” (Giorgio A. Tsoukalos).
    – A propósito deste último, segue o link para uma foto de quando a “hibridização humano-alienígena” dele ainda não estava “completa”:
    http://blogdamia.com.br/giorgio-tsoukalos-a-historia-de-um-cabelo/

    • Oi Doe!! Tava com saudade dos seus comentários!
      Eu tenho certo respeito pelo Erich Von Daniken, um pouco menos pelo Giorgio, mas pelo menos eles tem teorias, dento da sua maluquice, que guardam certa coerência. Já esse sujeito… fez um pé grande de parque temático pra provar que tinha matado o bicho. Isso suplanta qualquer trambicagem.

      • Saudações, Aline. Saudades recíprocas, esperando que tudo esteja muito bem por aí. No final de ano, tirei “férias” do computador, para arejar. Mas estamos de volta.
        Quanto aos dois sujeitos, claro, merecem respeito de todos nós. O que eu coloco em xeque é a credibilidade deles, que, a meu ver, é bem pequena. Mas eles procuram mesmo é a polêmica, pouco importando se estão certos ou errados. Só querem estar em evidência…
        Abraços.

          • Exatamente, Biano. Também pode ser um “Zé Ninguém”, bem ao gosto brasileiro. Para quem não sabe, a expressão, longe de ser depreciativa, significa “pessoa comum, do povo”.
            – Mais um simples ser pensante que gosta de escrever, não de aparecer, nem ser mais do que ninguém. “Grandes devem ser suas idéias, não sua vãs palavras” (deixo de citar o autor da frase, pois me esqueci a quem ela é atribuída).

  2. Nunca formei uma opinião sobre o pé grande, mas esse sujeito aí já tem a minha antipatia. Se ele está mentindo, só pode ser um doido que quer provar a todo custo que está certo e se está falando a verdade ainda é PIOR: imagine, a pessoa encontra um dos seres mais procurados da chamada criptozoologia e mata um exemplar! Assim, do nada? Parece até aquele personagem malvado do filme UP que queria matar o pássaro a todo preço. Detestável.

  3. – Comentando a afirmação da Patrícia, aí em cima (não sou fã do ”feicibuqui”), a “ciência noética” está dando seus primeiros passos como “ciência”, mas ela está mais para o elo perdido entre o eterno debate ciência-religião.
    – Não desfazendo da opinião de ninguém, fato é que não basta simpatizarmos com alguma coisa, para que ela seja autêntica ou verdadeira.
    – Citando: “A Noética é um dos novos ramos da Ciência que pretende, através do método teórico-experimental, descobrir as respostas para várias destas indagações milenares; ela busca inclusive, por meio de inúmeras experiências científicas, comprovar a existência da alma e da vida depois da morte. Visando este fim, diversas práticas experimentais procuram mensurar a relação mútua entre consciência e corpo físico.”
    A fonte está em: http://www.infoescola.com/ciencias/noetica/
    – E coloque-se ênfase no “novo ramo”. Ela é uma “neófita’ em termos de ciência, estando ainda no campo das pesquisas, e usando fraldas.
    – Serve como referência, mas não como base de argumentação, e muito menos para formar convencimentos. Carece de base sólida e de mais anos de carreira para se estabelecer.
    – Assim como um objeto não identificado não prova que ETs existem (ele ainda não foi identificado, apenas…) as cristas papilares encontradas, apenas por não pertencer a um “primata” conhecido, não significa que seja do “Pé Grande”. E também não nega sua existência. Antes de se convencer, melhor esperar as evidências.
    – Contestações são bem vindas, de quem não concordar.

  4. Eu fico pensando o que pode acontecer a seguir: Acho que se o corpo é falso, ele vai sumir com o corpo e dizer que sujeitos armados apareceram e roubaram o cadáver. Aí só restará a foto do bicho, que pode muito bem ser uma escultura. Desse jeito o cara venderá seu livro “como matei o Sasquatch” e assim tirará grana do golpe.

    • É Philipe, a sua previsão me fez lembrar do polêmico documentário que o Animal Planet criou sobre as pesquisas sobre sereias destruídas pelo governo sulafricano. Quem não se ligou que era só um programa fictício acreditou de cara.
      Só falta ser uma ação promocional do Animal Planet novamente.

  5. Só fico pensando uma coisa…
    Se – e aqui vai um SE bem grande – se fosse verdade, para que matar o Pé Grande? Já seria algo raríssimo, precisaria liquidar com mais um espécime?
    O ser humano e sua mania de grandeza: “Eu cacei, eu matei, acabei com o bicho!”
    Tsc, tsc! Lamentável!

  6. Uma coisa que me intriga é um cara que se diz ” o maior rastreador de pé grande no mundo” fazer uma gravaçao porca a partir de um celular com camera VGA. É no minimo estranho. Eu até nao duvido da existencia do ta pé grande, mas esse cara ai ta parecendo o maior 171.

    ps. perdoem a falta de acentuaçao !!

    • Cara eu suponho que o sujeito tivesse com altos equipamentos, mas surpreendido, não quis fazer barulho. Além disso, se o plano era matar o bicho, a câmera do celular era o de menos.

  7. Esse pé grande tá me lembrando o Seu Madruga naquele episódio do Chapolim com os sacos de dormir. Certeza que esse doido não deu um tiro num mendigo?

  8. Quem se interessar pelo assunto do Pé-Grande, Sasquatch, Yeti, etc, recomendo os vídeos do Lloyd Pye. Apesar da onda do momento ser seu trabalho com o Starchild, ele tem vasto material falando sobre primatas, gigantes, etc. No mínimo interessante!

  9. Pode existir tanta coisa por aí que a gente nem tem ideia, mas eu não acredito nesse cara não. Se fosse verdade ele já teria mostrado e não ficaria fazendo suspense

    • Certamente que ele esta especulando financeiramente com a descoberta, deve estar tentando vender a exclusividade para um canal. Eles sempre fazem dessas, vide o Ray Santilli.

    • Se for verdade começa um enorme dilema para a criptozoologia e a ciência. Aí é o caso de descobrir mais sobre este tipo de criatura. É inteligente? Qual seu grau de inteligência? Como ele se esconde tão habilmente? Do que se alimenta? Qual sua estrutura social? Entender sua evolução, etc. Isso abre uma janela enorme de pesquisa para inúmeras ciências e principalmente para a ecologia.

  10. Puta merda….! Como esse pessoal gosta de ver esses seres imaginários e misteriosos, não é? Esta vendo nos outros post, mencionados acima.
    Agora esse cara, se matou mesmo algum habitante das florestas, com caracteristicas humanas, deveria ser preso mesmo. Porque matar? Que mal fez ou faz o bicho? (se é que existe algum seja de que tipo for).
    Cambada de vagabundos. Depois querem chamar essses animais de “montros”, quando montros são eles próprios.
    Desculpe minha indignação, mas não admito esse tipo de atitude! Na minha concepção, matar só pra comer e olha lá, se pensar bem, nem isso, não é verdade?

  11. O vídeo ta la no portal do terra, não vi ainda depois comenta ae Philipe sobre o que vc achou, e fala também sobre o ovni que sobrevoou o estadio na Alemanha, vlw!

  12. Victor, “As vezes tenho a impressão de que alguns “comentaristas” aqui do Mundo Gump são fake…”
    – Realmente, alguns “comentaristas” aqui do post, são mesmo uma comédia, bem ao estilo “Galvão Bueno”;
    – Outros até chegam a ser grosseiros e mal educados, que ao menor sinal de contrariedade em seus pontos de vista, partem para a apelação. Não conseguem ter um diálogo saudável;
    – Outros ainda fazem afirmações fantasiosas, muitas vezes sem o menor fundamento ou procedência, mas ainda assim têm todo o direito de fazê-lo, pois, ao que me parece, esse é o objetivo do post: troca de conhecimentos e opiniões.
    – Enfim, os “comentaristas” podem ser dos mais variados estilos, mas nunca “fake”: Fake (“falso” em inglês) é um termo usado para denominar contas ou perfis usados na Internet para ocultar a identidade real de um usuário. Normalmente, com más intenções. O que não é o caso, aqui.

  13. Se essa criatura de fato existisse, os americanos já teriam aparecido com provas convincentes há muito tempo, isso é tudo uma farsa, não vejo outra versão para essa história de criatura que um monte de gente alega ter visto mas que nunca ninguém conseguiu filmar ou fotografar de forma conclusiva, indubitável, ainda mais levando em conta que os americanos são um povo que detém uma tecnologia impressionante pra quase tudo, porque pra isso aí nunca conseguiram apresentar nada de concreto, décadas após décadas …

  14. O fenômeno do Pé-Grande sempre dividiu opiniões, e eu desde garoto, sou interessado em ler, ouvir e debater a respeito dos fatos – e sinceramente adoraria saber que alguém já conseguiu trazer provas incontestes a respeito da existência do mesmo, agora um fato ninguém pode negar: como é que, os americanos, o povo que praticamente domina todas as tecnologias mais avançadas que existem no planeta, a ponto até de detectarem o que outras pessoas leem, escreve e falam em outros países bem distantes do deles, como é que até agora não conseguiram trazer uma prova – uma única sequer – da existência dessa tal criatura … será que ele é tão evasivo assim que conseguiu sobreviver décadas e mais décadas longe de qualquer detecção humana conclusiva a respeito de sua existência … minha dúvida está lançada …

    • Tem um post aqui sobre pegadas gigantes, onde um papuloscopista fodao, que e perito do fbi atestou que sao pegadas reais e nao humanas. Vale a pena ler.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares