INCRÍVEL! Conheça o brasileiro que fez um disco voador que levita

Bom, antes de tudo, preciso começar dizendo que o brasileiro SOU EU, hahahaha. Dá um play aí:

https://www.youtube.com/embed/Qttmu53ErXc

É que um título desses a gente não pode fazer todo dia, né meus amigos? Como eu costumo dizer, ao mesmo tempo que atendo toda sorte de clientes, com projetos que vão de santas a demônios, miniaturas, bustos, capas de livros, artes para agências, computação gráfica e etc, eu faço trabalhos específicos para clientes muito especiais. Um desses clientes é um amigo meu que é fã de ufologia. Ele está fazendo um gabinete de curiosidades, e estou criando Várias coisas sensacionais pra ele, e como ele é legal, ele me deixa replicar as peças e vender para outros caras como ele, que sabem diferenciar uma peça artesanal artística e não hesitam em mandar fazer aquilo que não se acha pra comprar na esquina.

Um dia, quando conversávamos, eu disse pra ele que tinha vontade de fazer um disco voador, e que eu SABIA FAZER.

Acredite ou não, o meu amigo me pagou para fabricar um disco voador pra ele, e depois de muita pesquisa ele escolheu uma das naves com design mais legal da ufologia (Ambos sabemos que é uma fraude, mas não deixa de ser legal):

%name INCRÍVEL! Conheça o brasileiro que fez um disco voador que levita
A nave do Paul Villa (tem post dele aqui)

Bom, a essa altura você deve estar curioso, então aqui vai um video e umas fotos do ufo:

O cliente gostou pra caramba do resultado. A nave tem mais ou menos o diâmetro de um CD. Agora estou pensando em criar uma série, com as naves mais famosas da ufologia, entre elas o “modelo esporte” o “Sino”, o “Haunebu”, o “modelo Adamski”, os “modelos Meier”, entre outros.

%name INCRÍVEL! Conheça o brasileiro que fez um disco voador que levita

Pense como seria maneiro isso num diorama da WW2 !

Certamente a essa altura, você quer saber o que todo mundo me pergunta:

Mas como essa coisa levita?

Bom, o processo de levitação se trata de levitação selenoidal. Basicamente, uma corrente eletromagnética controlado por uma microcontroladora gira um campo num arranjo de eletroímãs dentro da base. Isso “gira” um campo magnético numa frequência muito, muito alta, e esse “campo” consegue prender um ímã poderoso de terras raras no espaço. Até pouco tempo atrás, o único meio de fazer algo ficar suspenso no espaço era com um eletroímã que se localizava acima do objeto. Esse equipamento ficava dando uns puxões num ímã milhões de vezes por segundo, deixando ele sempre suspenso no ar. Depois que o “arranjo estrela” foi patenteado, surgiram os primeiros sistemas de levitação com um campo de empuxo abaixo do disco levitador. Assim, como você pode imaginar, o sistema é elétrico, a base é que mantém o ufo suspenso. Nas próximas peças, eu devo sofisticar o sistema, incluindo luzes, neon e outras coisas legais na nave. Por enquanto, eu ainda não domino a tecnologia para fazer naves charuto.

Curtiu? Quer um? Só mandar uma mensagem aí pra mim.
(Obs: Não é barato e eu demoro um pouco para fazer cada um porquê é tudo feito à mão)

Artigos relacionados

Comments

comments

11 comentários em “INCRÍVEL! Conheça o brasileiro que fez um disco voador que levita”

  1. Parabéns Phil!!! Ficou sensacional.
    Agora, o céu não é o limite!! hehe

    Gostaria de deixar registrado sua frase do poste sobre bonsai que levita:
    http://www.mundogump.com.br/air-bonsai-o-bonsai-que-levita/

    “Eu tenho certeza que consigo fazer um desses!”

  2. muito maneiro
    isso na sala , mesmo para quem não é ligado em ufos e afins é uma peça bonita de decoração, e os leds se fossem do tipo RGB(mudam de cor) com um controlador eletronico, dariam varios efeitos visuais maneiros, e dar para vender e muito no mercado livre
    quanto é o kilo?

  3. Tenho minhas sinceras dúvidas quanto aos relatos de ufologia, mas essa é uma peça que eu compraria com certeza para colocar na minha sala.
    Vou esperar as versões mais modernas com led. rsrsrsrs

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.