Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

Compartilhe

Fiquei completamente bolado com o brutal avanço na tecnologia da impressão 3d . Claro, hoje existem máquinas de imprimir em 3d que já fazem impressões 3d sensacionais, algumas do tamanho de espermatozóides, (não tô brincando, veja aqui!) mas não só no nível microscópico as impressoras 3d vem prometendo uma revolução. No nível macroscópico também. Se liga aí nessa casa que foi IMPRESSA:

3d printed homes3 550x366 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

 

Rapaz, essa casa com sabor neoclássico foi toda impressa em 3d na China. Imagina que maneiro! E olha que ainda estamos na aurora da tecnologia!

Apenas alguns anos atrás, se alguém tivesse dito que era possível construir uma casa sem uma montanha monstruosa de entulho, barulheira e até cantadas de pedreiro na mulher que inadvertidamente passa na rua com uma calça mais apertada, pareceria um louco.

Dá uma sensação louca de que “chegamos ao futuro” quando vemos que casas inteiras podem ser impressas. A empresa Winsun Decorations trouxe esse sonho ao mundo real.

O processo de imprimir uma casa é bastante similar ao de imprimir um brinquedo ou qualquer outra coisa.

A Winsun ganhou grande atenção mundial quando imprimiu dez modelos de casas diferentes de 200 metros quadrados cada. Tudo isso usando nada além de resíduos de construção industrial e uma impressora 3D especialmente desenvolvida.

Sim, meu amigo, além de foda, o treco está usando o LIXO de construções comuns como material. Agora a parte ainda mais impressionante: Cada construção custou ridículos U$ 4800 dólares para fazer.

Após aperfeiçoarem ainda mais seu processo construtivo revolucionário, eles voltaram às manchetes com mais duas novas edificações: um prédio de apartamentos com cinco andares e uma casa de 1.100 metros quadrados com estilo neoclássico.

3d printed homes 550x366 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

Estas duas estruturas são hoje os maiores projetos 3D impressos pela firma. Por enquanto eles são apenas protótipos, disponíveis para visualização no Parque Industrial de Suzhou, na província de Jiangsu. Uma parte propositalmente deixada sem acabamento na exposição mostra as camadas de concreto da impressora-3D,  que são empilhadas para criar as estruturas. A empresa revelou que a vila custou um $ 161.000 para construir – e foi especialmente concebida para Tomson Group, uma empresa imobiliária com base conhecida no Tennessee. Dez “kits” já foram encomendados.

“Estas duas casas estão em plena conformidade com as normas nacionais aplicáveis,” disse Ma Rongquan, o engenheiro-chefe do China Construction No.8 Bureau de Engenharia. Ele explica:

“É seguro, confiável, e dispõe de uma boa integração de arquitetura e decoração. Mas, como não existe um padrão nacional específico para a arquitetura impressa em 3D, ainda precisamos rever e melhorar essas normas para o futuro. ”


3d villa Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

A impressora 3D usada pela companhia foi desenvolvida por Ma Yihe, que tem trabalhado no projeto dessas impressoras 3D para mais de uma década. A maquina é um trambolho gigante com mais de 10 metros de largura e 40 metros de comprimento. Ele é usado para fabricar peças em pedaços bem grandes, nas instalações da Winsun, usando como insumo uma mistura de material velho  de construção moído, que pode incluir toda sorte de material, até vidro moído, escória, pedras, etc e uma base formada de um cimento especial de secagem rápida, misturado com um agente especial de endurecimento que é um segredo industrial.

Um projeto CAD é utilizado como um modelo e o computador usa o modelo para controlar o braço extrusor que vai depositar o material em camadas.  As paredes são impressas ocas, com um engenhoso padrão de zigue-zague dentro, que forma uma estrutura de reforço especial, ao mesmo tempo que permite o espaço para as mantas antitérmicas, anti-ruído, cabeamentos e encanamentos.

 

3d printed homes8 550x342 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

 

O processo, como você poderia prever,  é altamente eficiente e poupa entre 30 e 60% dos resíduos da construção normal, e pode diminuir o tempo de produção em acachapantes 70% e ainda reduz os custos de mão de obra em até 80%.

Uma vez que a tecnologia faz uso de materiais reciclados, o método de construção é amigável e ambientalmente interessante.


3d printed homes7 550x330 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

A casa por dentro é como uma construção normal.

 

3d printed homes6 550x337 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

Esta é uma das paredes deixadas sem reboco para mostrar as camadas de impressão

3d printed homes5 550x366 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou! 3d printed homes4 550x366 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou! 3d printed homes2 550x366 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!
3d printed homes3 550x3661 Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!

 

De acordo com Ma Yi Ele, CEO da Winsun, os resíduos de construção produzem  uma grande quantidade de emissões de carbono. Mas, com a impressão 3D, a empresa conseguiu converter os resíduos em novos materiais de construção.

Em seu 12º ano de atividade, a Winsun detém 98 patentes para materiais de construção. A empresa agora pretende usar sua tecnologia para construções em maior escala, como arranha-céus e até pontes.

Na minha opinião, isso é um avanço sem precedentes na história da construção humana. E abre um tema muito interessante para refletirmos aqui. Você notou a parte em que a construção reduz em 80% os custos de mão de obra? Isso vai obrigatoriamente significar desemprego.  Onde antes havia 100 pedreiros mal qualificados agora tem UM operador da maquina, que ganha bem e tem alta qualificação.

Veja, meu amigo, este é o futuro se desenhando. Você que está aí, só pensando em festas em baladas e perdendo seu preciso (precioso pra caralho) tempo com bobagens e amigos idiotas, poderá se deparar com um futuro onde nem sequer o sub-emprego vai sobrar pra você.  As maquinas de autoatendimento vem progressivamente reduzindo a necessidade de pessoas fazendo o trabalho que máquinas podem fazer e cada vez mais as maquinas vão fazer coisas que nem imaginamos. O carro que se dirige sozinho já é uma realidade, o que poderá fazer com que os motoristas profissionais cedo ou tarde entrem nas listas de  empregos ameaçados de extinção. O pedreiro tá com o dele na reta, lavadores de janelas poderão ser trocados por robôs, enfim…

Do mesmo modo que a tecnologia e seu avanço progressista desemprega ela reemprega em muitas outras profissões. Um exemplo é o programador, que não existia antes da invenção do computador. Muito provavelmente, nossos filhos irão trabalhar em empregos que ainda não foram inventados.

Você que já tem um emprego parou para pensar se sua profissão poderá ser extinta? E se já e a resposta for sim, você já traçou um caminho evolutivo para escapar desse destino?

A teoria da evolução nos mostrou muitas coisas importantes que ainda hoje servem de guias para as mais diversas situações. Uma delas é o universo do trabalho. O mundo é repleto de reviravoltas, mudanças e guerras, inventos, novidades, descobertas que alteram o tempo todo o ecossistema corporativo. Se super especializar foi uma das alternativas adotadas por certos dinossauros no período jurássico, há 145 milhões de anos atrás. Porém, esta estratégia se mostrou problemática quando o meteoro atingiu a Terra. Animais super especializados, ou que só sabiam fazer uma determinada coisa, ou que só comiam um único tipo de alimento se ferraram e foram extintos.

Assim, é sempre bom ficar ligado nesses gurus que dizem que “se você é um apertador de parafusos, seja o melhor apertador de parafusos do mundo”. É o tipo do conselho que diria ao dinossauro: Se você só come essa planta, seja o melhor comedor dessa planta do mundo.

[wp_ad_camp_2]

Era um conselho bacana até a planta morrer e isso foder o dinossauro. No mundo dos negócios, a planta morrer poderia ser traduzido em “chegou o novo robô japonês Roo2000 que aperta de uma vez um milhão de parafusos em dez minutos, todos com o mesmo torque e numero de voltas e ele não tem problemas trabalhistas!” 

Se você trabalha numa coisa que uma máquina pode fazer, não dê mole e comece a estudar alguma coisa que só você consegue fazer. Procure estudar coisas que te ofereçam um alto grau de qualificação.  Por mais sofisticada que uma maquina seja, ela sempre vai ter um cérebro por trás. Não “entre numas” de querer brigar contra a evolução. Lembro que quando surgiu o caixa eletrônico no banco, um montão de bancários fez creve, boicote, deram piti…  Hoje você vai no banco tem mais caixas eletrônicos do que funcionários. Não espere amor de um patrão se existe uma tecnologia que reduz seu custo em 80%.

Um bom exemplo desses avanços está no mercado da prototipagem e escultura. Eu sou escultor e tenho um montão de amigos escultores. Quando surgiram as primeiras impressoras em 3d, lembro que rolou altos “barata voa” em sites e fóruns onde arautos do apocalipse alertaram de que quem não aprendesse 3d ia passar fome. Vi gente sendo contra. Eu mesmo, duvidei (como ainda duvido) que uma maquina substitua um escultor 100% do tempo. Mas é ÒBVIO que uma hora, a impressão será tão foda, e será tão simples de criar com máquinas que quem dominar essa tecnologia estará com uma ferramenta fenomenal de produtividade nas mãos,  à frente do cara que ta amassando sculpey com a mão.

Ok, serão coisas diferentes, terão preços diferentes, mas veja o que aconteceu com o advento do 3d no mercado de efeitos especiais, antes restritos ao mundo físico e ao stop motion. Hoje 90%, senão mais dos efeitos especiais estão no universo 3d. O cara que só fazia efeito físico ou se adaptou ou foi achar outra coisa pra fazer. Então é sempre bom ficar ligado e correr enquanto há tempo.

Basta parar e olhar ao redor. Quem já começou a correr? Lembre-se dos dinossauros. Você tá lá, de boa na lagoa comendo sua alga e do nada sai um monte de dinossauro mais fodão correndo. Você fica para ver que merda vai dar ou você corre também? Eu corro no ato!

IMG 9142 sm Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!
Na hora de comprar uma peça foda como esta, ninguém pergunta se ela foi modelada no zbrush e depois impressa em 3d ou  se a matriz foi feita à mão.

Não só eu como muitos outros, hoje escultores tradicionais como o Jordu Schell, Mark Newman, Scott Eaton, Alex Oliver, Rafael Grasseti, enfim, uma galera que trabalhava com escultura física, hoje também domina a escultura 3d. Só idiotas pensariam que esse movimento é por acaso.

Veja se você não está se boicotando mentalmente. Encontro muitas pessoas com desculpas diversas, e que costumam dizer “eu não me adapto a esculpir no computador, não consigo e nhé, nhé, nhé…”  é um show de negatividade, com “não sei, não posso, não consigo, não tenho tempo”… É impressionante.

A esses eu gosto de lembrar que a gente nasce feio, careca e sem dente, sem saber falar. Se você consegue andar e falar ao mesmo tempo, você é capaz de muito mais coisas do que sonha. Basta deixar que seu cérebro não te limite.

fonte, fonte

Artigos relacionados

18 comentários em “Impressão 3d: A era dos imóveis impressos já começou!”

    • Como a impressora não “cria”, creio que adeus (alguns) escultores. Os que forem para o digital continuarão a esculpir, pq esculpir no digital é esculpir mesmo! (posso falar pq eu sei os dois)

        • O que conta no final é o valor da obra. Todos sabem que o artesanal é sempre e infinitamente mais valorizado que o industrial, seja em qualquer esfera da arte. Para qual pintura voce pagaria mais: para aquela que sai de uma copiadora, para aquela pintura (mecânica) de rua onde o artista produz um quadro em 10 minutos ou aquela em que o artista prima pelos detalhes e leva dias e dias para terminar? Está respondido a questão. Se for por questões econômicas em todos os sentidos, bem vinda tecnologia!

          • Sim, mas você não acha que “esculpir” usando um software não exige tanta dedicação e esforço quanto botar a mão na massa? O que vale é o processo criativo e o resultado. A execução também é importante, mas é só um meio, não a finalidade em si.

          • Bezalel, não acho que seja uma questão de artesanal x digital, e sim de matriz vs reprodução.
            A matriz sempre sairá mais cara que o modelo reproduzido(infinitamente). Um boneco reproduzido de uma matriz de argila tem o mesmo valor comercial de um derivado de uma matriz impressa.
            Da mesma forma um arquivo digital 3d é tão caro quanto uma matriz física. Com o diferencial de que uma empresa quase sempre vai preferir o artista digital, por questões práticas como locomoção da matriz(Qual meio de transporte é mais seguro, frete, ou e-mail?), fidelidade do molde, etc…

  1. Philipe,
    Desde os temos das máquias a vapor e da revolução industrial o receio do trabalhador braçal é perder o seu posto de trabalho para os equipamentos mecânicos e, daí em diante, para todo e qualquer equipamento tecnológico que consiga produzir de forma mais rápida, eficiente e barata do que a mão humana.
    Bem, veja a condição do trabalhador de chão de fábrica hoje: nunca foi tão bem remunerado nem nunca teve tão boas condições de subsistência básica e acesso à tecnologia.
    Nossos esforços de trabalho, quando crus (sem o auxílio de qualquer tecnologia que o potencialize) não são capazes de sustentar a sociedade avançada em que vivemos, e isso é uma limitação da própria natureza: nossos corpos e mentes não são apurados o bastante para produzir uma quantidade e uma qualidade significativa de trabalho ao mesmo tempo que nos permite adquirir os estandartes de vivência que almejamos (e que são cada vez mais altos).
    Eu particularmente creio (e acho não estar sozinho) que a tecnologia é o único caminho de progresso natural do ser humano enquanto em sua existência física por estas bandas; fora isso, mera utopia. Vamos evoluir na exata medida em que evolui nossa tecnologia e é a ela que temos que obrigatoriamente nos prender. Somente ela pode nos dar cada vez mais e de maneira cada vez mais fácil.
    É por isso que, nos idos da copa do ano passado, quando você esmerilhou a transmissão do evento por não dar a devida atenção à caminhada e chute do paraplégico com exoesqueleto – e com isso trouxe à baila o desleixo que se dá à condição do cientista, do inventor e dos empreendedores visionários das novas tecnologias, não poderia eu lhe dar menos do que plena razão.
    Infelizmente muitas pessoas não associam o seu padrão de vida e de consumo ao milagre da estrutura produtiva moderna, e acham que podem dissociar uma coisa da outra livremente. Uma inocência total.
    Excelente artigo, como sempre!

  2. Um maluco disse: vamos imprimir casas e muitos devem ter chamado muito ele de maluco
    ai outro maluco meteu dinheiro na ideia doida dele
    o resultado
    revolução na construção humilhando os dinossauros que pararam no tempo
    aqui no brasil, ainda mais no rio
    conversar com pessoal da area de construção em geral vc fala sobre:
    usar energia solar, sistema de pegar agua da chuva, lampadas de leds, PAREDE COM ISOLAMENTO no hell de janeiro do calor infernal… dentre outras coisas… não sabem, desconversam com o olhar “são coisas de maluco” e te ignoram como se vc tivesse falando besteiras imagina sugerir usar uma maquina dessas
    o governo brasileiro devia chamar essa empresa e dizer toma ai 5 bilhões constrói fabrica desse treco aqui ensina o pessoal daqui e faz muiiiiitas no pais todo
    mas pelo visto aqui só incentivam fabrica de ipad e de cerveja

  3. Estava pensando isso hoje ao me deparar com a publicação de um estudo que afirmava que os ricos não eram responsáveis pela pobreza, aquele velho papinho esquerdista acompanhado de diversos comentários do tipo: “são eles sim! meu patrão enriquece as custas do suor da minha pele, ele cresce e eu continuo na mesma” ai vai vir a maquina e ele não vai suar mais, mas tbm não vai mais ganhar.
    Atualmente eu trabalho numa central de táxi, por ser de madrugada e apenas 6 horas diarias, fica ótimo pra conciliar com meus afazeres e a minha faculdade mas os aplicativos estão batendo forte, deu pra perceber a queda no volume de solicitações devido.

    • Não generalize os “esquerdistas”, nem todos são contras os ricos, boa parte são contra o sistema econômico em si, que é ineficiente se comparado ao que poderíamos fazer se nos soltássemos das amarras do “dinheiro”.

    • Ta chegando um serviço que faz o trabalho do taxi que vai ferrar ainda mais as cooperativas. Esqueci o nome, mas é um sucesso (odiado pelos taxistas) no resto do mundo.

  4. OS Gtsons; Pelo andar da carruagem os humanos vão te que ter mais que dois braços com mãos com mais dedos ou dedos mais compridos, para ficar apertando os botões das máqinas, ne? Nossos taratataranetos terão o emprego dos sonhos: sala, mesa, poltrona confortável, diante de um ou vários monitores e só dando comando através de teclados. Gordões também?

  5. Excelente post, Felipe!!
    Hoje em dia os empregos de tecnologia são os mais requisitados do mercado. Cada vez mais as empresas precisam de sistemas informatizados para funcionarem… Dessa forma, sai o técnico que aperta parafuso para a entrada do técnico que aperta o parafuso para a máquina que aperta parafuso funcionar…
    Inteligência artificial semelhante a humana ainda irá demorar a aparecer, devido à gigantesca complexidade que é. Então, sempre precisará de uma pessoa para fazer todas essas máquinas funcionarem.

  6. Uns dizem que a tecnologia é a solução, outros, mais conservadores dizem que e a tecnologia é um problema. Para mim tecnologia é que nem um revolver: se você esta com o dedo na gatilho ele pode ser a solução, mas se o revolver esta apontado para você ele pode ser um problema. Complementando, há uma frase que é atribuida a Darwin, mas não é dele, a frase em questão é: “As espécies que sobrevivem não são as espécies mais fortes, nem as mais inteligentes, e sim aquelas que se adaptam melhor às mudanças”.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.