Funk Evangélico

O leitor Djair me mandou isso.

Que doideira. Será que Funk e religião combinam? Talvez sim. Talvez não.

O problema é como tudo isso é feito, afinal Funk não é putaria, e por mais que existam interesses meramente mercadológico da exploração do imaginário social que tenta estabelecer esta conexão direta, funk não é mulher cachorra rebolando com cara de capa de filme pornô.
Funk de verdade é um ritmo musical maneiro, mas no Brasil, ele é convertido numa coisa chamada “funk carioca” que é mal usado, deturpado e vilipendiado por verdadeiras corporações exploradoras de pobres e que em última análise, opera como um tipo de “paredão cultural” que estabelece o que deve ser música de “preto, pobre, favelado”, quando na verdade a finalidade da música é justamente quebrar os muros de separação social.
Do jeito que é produzido hoje, o funk carioca, sexual e industrial da Furacão 2000 e congêneres é a materialização musical da miséria intelectual do povo.

Ok,ok. desculpa. Chutei o pau da barraca nessa.

Artigos relacionados

16 Comentários

Compartilhe suas ideias