Funk Evangélico

O leitor Djair me mandou isso.

Que doideira. Será que Funk e religião combinam? Talvez sim. Talvez não.

O problema é como tudo isso é feito, afinal Funk não é putaria, e por mais que existam interesses meramente mercadológico da exploração do imaginário social que tenta estabelecer esta conexão direta, funk não é mulher cachorra rebolando com cara de capa de filme pornô.
Funk de verdade é um ritmo musical maneiro, mas no Brasil, ele é convertido numa coisa chamada “funk carioca” que é mal usado, deturpado e vilipendiado por verdadeiras corporações exploradoras de pobres e que em última análise, opera como um tipo de “paredão cultural” que estabelece o que deve ser música de “preto, pobre, favelado”, quando na verdade a finalidade da música é justamente quebrar os muros de separação social.
Do jeito que é produzido hoje, o funk carioca, sexual e industrial da Furacão 2000 e congêneres é a materialização musical da miséria intelectual do povo.

Ok,ok. desculpa. Chutei o pau da barraca nessa.

16 Comentários

  1. Bruno Zavan 14 de novembro de 2008
  2. John John 15 de novembro de 2008
  3. Carla 15 de novembro de 2008
  4. Bruno Zavan 15 de novembro de 2008
  5. Kenji 15 de novembro de 2008
  6. luciano 15 de novembro de 2008
  7. Marcos 16 de novembro de 2008
  8. Bruno Zavan 27 de novembro de 2008
  9. Anônimo 5 de março de 2009
  10. Caio Saron B de S Santos 6 de junho de 2009
  11. mayssa 13 de julho de 2010
  12. mel 2 de novembro de 2010
    • Bruno Zavan 27 de fevereiro de 2011


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *