Entrevista sobre Ufologia com Ademar Gevaerd

Algumas pessoas que acompanham meu trabalho sabem que durante alguns anos eu fui ilustrador e consultor da revista UFO. Período em que mantive uma estreita ligação com seu editor, Ademar Gevaerd. Infelizmente, em função de desentendimentos financeiros, e por tabela, rompemos a amizade e relações profissionais. Então, eu não posso dizer que sou exatamente um fã deste cara, muito menos da revista que ele toca, que na minha opinião se tornou extremamente apelativa com o passar dos anos, na tentativa de se manter no mercado (já que não tem anunciantes para mantê-la, como 100% das demais revistas do mercado). Mas achei que ele se saiu muito bem nesta entrevista e tocou em questões bem tradicionais quanto às perguntas que os leigos fazem aos ufólogos.
Não sei porque, estão dizendo na internet que esta entrevista foi censurada e nunca levada ao ar. Eu não vejo nenhuma razão para isso, mas como eu acho que isso é uma boa contribuição, vou postar aqui e quem sabe rola uma discissão útil nos comentários.

Artigos relacionados

Comments

comments

17 comentários em “Entrevista sobre Ufologia com Ademar Gevaerd”

  1. Muito bom!ta na hora de abrir a mente.Em achar que somos unicos no universo.Únicos seres pensantes.E parar de achar que só porque aqui a vida se originou disso ou aquilo.”tem que ser exatamente igual lá fora”.A cientista foi engraçado.Ta certo que só trabalha com provas,mas ela esperava que o cara falasse e ainda entregasse os documentos provando na mão dela?..não pode nem pelo menos ir atrás,ou até pedir ele a fonte.
    sei lá .e um assunto grande..por que você tem comerçar lá trás dizendo isso ou aquilo pra chegar onde você quer.Tem muita gente que faz pergunta burra.Como se um ser que construiu uma nave capaz de viajar anos-luz,seu corpo fosse capaz de resistir a tal velocidade.Sim mas quando ele estava lá construindo a nave ou o seu “super combustivel”ou sei la oque.Ele não se preocupasse com essa questão da velocidade e que riscos causariam ao corpo.logicamente ele pesquisou até encontrar uma resposta,né?”não digo o “ser”mas os seres de lá.Cientificamente AQUI não podemos conseguir isso,mas pra quem consegue viajar pelo universo sim.mas ai você diz:ah,mas aqui os cientistas dizem que não podem”.Claro!aqui aAINDA não.E um dia iremos construir naves,que poderão ir a outros sistemas,e descobriremos como não afetar o corpo numa viagem.Não evoluimos também?não aperfeiçoamos cada coisa do nosso dia a dia?seja objetos pessoais,ou até na area médica.saber com tratar ou curar doenças.Evoluimos!até aperfeiçoar e até descobrir coisas.então é sim uma pergunta burra.O fato é, coisas estranhas acontecem por ai nos ceus,e existem em muitas delas,provas.mas o ser humano tem que ser teimoso.”se eu não vi,não acredito”e nem se quer vai atrás de uma prova.É complicado.

    • Marco, é o que eu sempre digo. O ser humano tende a tentar encaixar o universo dentro de sua restrita janelinha tecnológica. Imagina só se alguém viaja no tempo e mostra para um cara do século XV… Nem isso, um cara dos anos 50 um Iphone.
      Pareceria magia, bruxaria… Ninguém acreditaria.
      Ou pior… Imagina, o raio laser! A diferença no degrau tecnológico seria tão brutal que pareceria uma coisa divina, impossível aos olhos do primitivo. Isso já aconteceu, quando os espanhóis invadiram a América Central, os índios morriam com os tiros. Um morria de tiro e o resto, de susto.
      Hoje é inconcebível para um cientista um raciocínio em que se trafega não-linearmente, saindo de A e indo para C sem ter que passar por B, mas isso pode ser apenas impossível no atual estágio tecnológico ao qual estamos limitados. Como era o raio laser no século XV.
      Mas eu fiquei com uma certa pena da cientista, ela não estava preparada nem era a mais indicada para lidar com essas questões. Há um ceticismo de muito maior qualidade por aí que poderia ser usado como contraponto na discussão, embora eu ache extremamente tacanha essa coisa midiática de colocar embatezinho de ufólogo versus cético, na medida em que o ufólogo não é cabo eleitoral da HET (hipótese extra-terrestre).

  2. Muito boa essa “aula” do Ademar Gevaerd.
    Acho que a ciência aqui nesse planeta nem está engatinhando ainda, sem desmerecer o que se sabe e oque se conseguiu ao longo da nossa história (um pouco abafada, é claro)…
    Estamos a espera do pronunciamento em rede nacional que tem gente diferente fora a gente, ai eu vou dar risada de muitos que conheço!!!

  3. Eu acompanho o site há muito tempo, e postagens sobre UFOs (e quando eu falo UFO eu quero dizer UFOs de origem alienígena) são as únicas que eu geralmente não dou muita atenção. E não é questão de ser cabeça fechada, mas, como Carl Sagan disse, alegações extraordinárias exigem requerem evidências extraordinárias, e vídeos borrados, evidências anedóticas e teorias conspiratórias não chegam nem perto disso, isso se a gente desconsiderar completamente toda a ciência acumulada nos últimos 400 anos, que nos sugerem que uma viagem de tamanha distância seria praticamente impossível. Dando um pouco de atenção a isso, vamos primeiro considerar a POSSIBILIDADE de que exista vida inteligente no universo. Consideremos uma estimativa de que haja 9×10ˆ21 estrelas no universo, e que metade delas tenha planetas orbitando ao seu redor. Isso nos dá cerca de 4.5×10ˆ21 planetas. Aqui começa uma especulação maior, mas vou tentar ser conservador. Vamos supor que o número de planetas que estejam próximos da zona habitável seja 1 a cada 100. Isso nos dá 4.5 x 10ˆ19 planetas na zona habitável, sendo conservador e desconsiderando sistemas multiplanetários. Agora, consideremos que desses, 1 em cada 100 tenha água na superfície. Temos 4.5 x10ˆ17. Supondo que a vida surja ao acaso (o que sabemos que não é verdade, pois sempre que há condições favoráveis, a vida deverá surgir, como propõem os conhecimentos científicos mais atuais), e que a vida só apareça 1 vez a cada 1 milhão de planetas. Isso nos dá 450 000 000 000. Supomos agora que de cada 1 milhão desses planetas com vida, 1 desenvolva vida dita inteligente. Isso nos dá 450000 planetas com vida inteligente, um número extremamente grande, mesmo sendo conservador. Agora, vamos considerar que todas essas espécies coexistem, o que é EXTREMAMENTE improvável, vejamos nós, por exemplo, possuímos, como civilização, cerca de 10 mil anos de história, e, como civilização avançada, uns 100. Vamos partir para a parte mais importante. É possível que essas espécies viajem de um planeta a outro? Consideremos a estrela mais próxima, Proxima Centauri, que está a 4.22 anos-luz de distância da terra e NÃO possui planetas em órbita. Sabemos que NÃO é possível chegar à velocidade da luz, na verdade não é possível chegar nem PERTO dela, mas, CASO fosse possível, demoraria 4.22 anos para fazer a viagem (4.22 anos de mantimentos, combustível…), e gastaria-se uma quantidade de energia tão imensa que nem se conseguíssemos absorver toda a energia do sol isso seria possível. Uma viagem por meios tradicionais, então, está completamente descartada. Consideremos as alternativas mais ousadas, como buracos de minhoca. A energia necessária para que se abrisse um buraco de minhoca, independentemente da distância que o atalho cobriria, seria de VÁRIAS VEZES a energia que o sol produziu e produzirá ao longo de toda a vida, sendo inclusive maior do que a energia envolvida na produção de um buraco negro supermassivo, que não se encontram em todo lugar, se me permite adicionar. Talvez tu me diga, ah, mas talvez a ciência esteja errada em alguns aspectos. Daí eu te pergunto, o que é mais provável: os vídeos e relatos borrados de meia dúzia de pessoas são na verdade aviões, balões meteorológicos ou outros fenômenos de pareidolia quaisquer, inclusive aeronaves experimentais militares, ou toda a física, que se prova correta a cada novo experimento, desde Galileu e Newton está errada?

    • Ninguém sabe de onde eles provém, muito menos que tipo de tecnologia detém. Quem diz isso necessita provar com argumentos irrefutáveis para que não seja só uma opinião especulativa. E na ufologia o que mais existe é opinião especulativa arrotada como sendo verdade absoluta.
      No entanto, MDes, não saber a resposta básica do que é aquilo, de onde provém, por que razão nos visita e que tecnologia permite não faz com que não exista o fenômeno, que já pôde ser registrado em diversos aparelhos de radares, estáticos e de aeronaves, já foi registrado por unidades militares e causa transtornos periódicos ao trafego aéreo mundial. Entre os registros mais famosos estão a coisa que voou sobre Phoenix no Arizona e um objeto do tamanho de um estádio de futebol que seguiu um jumbo japonês sobre o pacífico, sendo gravado e acompanhado pelo radar de bordo e de terra durante todo o percurso.
      Seus argumentos são coerentes e válidos mas é complicado refutar provas físicas palpáveis como gravações de radar civis e militares de diversos países do mundo apenas com dados baseados em probabilidades construídas sobre dados chutados (como na parte do “suponhamos”). As perguntas que você faz estão em aberto desde a década de 50. Essas são as respostas que TODOS querem obter.

      • Eu tenho uma teoria…não que esteja comprovada,mas pra mim faz sentido…eles na verdade somos nós em um futuro muito distante. Talvez estas visitas sejam apenas para conhecimento, uma busca pelos antepassados, ou talvez a procura por algo que garanta o futuro da humanidade no futuro…ou de repente de algum universo paralelo..enfim, pode ser que jamais saibamos a resposta.

      • Eu só fiz suposições na parte que FAVORECE o teu lado da história, Philipe! A parte que impede qualquer tipo de viagem não é suposição, são valores facilmente calculáveis com a mesma física que vez após vez se confirma em experimentos e que permitiram desde a descoberta de outros planetas, eletrônica e tudo que exige um mínimo de tecnologia.

        • Eu não tenho um lado da história. Não sou cabo eleitoral da HET, embora eu entenda (junto com milhões de pessoas incluindo PhDs, que o fenômeno ufo é real). São Ets? São de outro planeta? São seres do futuro voltando? São seres de outra dimensão? Nem ouso especular sobre isso, já que só poderia me ater a fatos concretos. E fatos concretos envolvem dados como as gravações de radar, as gravações de radio, tipo o caso Mantell, as gravações de radar e depoimento dos pilotos de caça da Força Aérea Brasileira no episódio da noite oficial dos Ufos… O caso amplamente registrado do vôo da vasp…
          Fato é que ocorrem coisas estranhas nos céus. A origem alienígena dessas coisas é somente uma hipótese como também é a de viajantes do tempo. E hipóteses podem se corroborar ou não. E caso não se corroborem, isso invalida o fenômeno ufo? Caro que não. O fenômeno ufo é mais que somente discos voadores, abduções, implantes, agroglifos, marcas de solo e bichos mutilados. Ele é também um fenômeno cultural e isso é um fato absolutamente incontestável.
          Quando debatemos a impossibilidade do fenômeno baseado no fato de que só conseguimos nos mover do ponto A até o C passando por B, estamos sempre especulando, mesmo que seja uma boa especulação, ela deixará invariavelmente uma porta dos fundos aberta, que é: Não dominamos o conhecimento científico na totalidade e nem nunca teremos condição de fazê-lo. Podemos garantir apenas que nós não conseguimos, mas isso não significará que outra civilização mais avançada tecnologicamente não consiga.
          Como exemplo disso na ufologia, posso me lembrar de um post que eu fiz certa vez aqui sobre a tecnologia alienígena. Em alguns casos ufológicos do passado envolvendo abduções, havia sempre algumas coisas que poderiam parecer impossíveis, pura criatividade ou fantasia. Um exemplo marcante disso é quando o abduzido conta que viu uma parede metalica se tornar transparente.
          Durante décadas, metal transparente era uma completa impossibilidade física. Porém, na última década o aluminio transparente foi inventado.
          Num caso chamado Caso Baependi, um agricultor analfabeto, pobre que caçava tatus foi levado para uma nave e estranhou que o ar dentro era muito mais frio que o do lado de fora. Hoje, todos nós experimentamos isso, seja entrando num carro, num banco, num shopping. Era ar condicionado! Mas para ele, nos anos 50, aquilo era algo completamente desconhecido. No mesmo caso, ele descreve pessoas batendo a maquina dentro da nave, olhando para televisões. Não sei quanto a você mas estou exatamente, neste momento, fazendo a mesma coisa que o sr. Arlindo viu.
          Assustado ele disse ter sido apresentado a um vídeo, colorido, mostrando o sol, os planetas e etc. O sujeito nem sequer tinha televisão, muito menos colorida em casa. Não tenho certeza, mas acho que nem havia ainda Tv a cores por aqui naquela época, então como que um caçador de Tatu do interior, sem estudo, poderia prever as telas coloridas?
          Talvez fosse apenas imaginação, afinal Julio Verne também previu os submarinos e a viagem extraplanetária sem ajuda de Ets…
          Sem entrar no fato de que no caso Baependi o agricultor analfabeto encontrou seu embornal repleto de inscrições em hebraico arcaico após a abdução, havia marcas físicas no solo com grande profundidade num lugar onde era impossível o acesso de uma escavadeira, eu poderia citar o famoso caso Roswell.
          No caso Rosewll, quando militares dos EUA pela primeira vez declararam que havia caído um disco voador e depois voltaram atras alegando que era somente um balão, o major Jesse Marcel disse que os metais recolhidos eram muito leves. E que ao serem dobrados, eles se desdobravam, como se tivessem um tipo de memória da forma original.
          Isso passou meio que batido nas pesquisas do caso durante décadas até que o metal com memória fosse “inventado” (eles dizem que foi descoberto por acidente) num laboratório de pesquisa da Marinha dos EUA. Ele se chama Nitinol. E olha que curioso, as pesquisas que o originaram datam de 1960! E o Caso roswell, quando o metal supostamente teria sido visto pela primeira vez data de 1947… Outra estranha curiosidade é que a liga do Nitinol, desenvolvido por William Buehler consiste em 53 a 57% de níquel e também titânio.
          Esses materiais são especialmente curiosos, pois em alguns casos relativamente pouco conhecidos em que objetos voadores não identificados derramaram ligas metálicas ou se fragmentaram (um desses famosos casos ocorreu na costa brasileira, com amostras sendo recolhidas e enviadas para institutos de outros países, incluindo a NASA) mostraram altas concentrações desses metais e em grande grau de pureza. (uma dessas amostras ainda esta no cofre de um grupo de pesquisa ufológica do Ceará)
          Isso prova aliens? Claro que não. Mas sabemos que balão meteorológico não usa Nitinol. E nem gases do pântano contém níquel ou titânio.
          Eu não sei. Nunca vi um disco voador, só conheci um monte de gente que já viu, incluindo militares, pilotos e controladores de trafego aéreo. Mas isso não faz com que não existam. O fenômeno e sua abrangência me dizem apenas que a cada novo registro, cada novo relato de abdução, cada documento oficial secreto liberado sobre os Ovnis, fazem aumentar a montanha de perguntas sem respostas concretas.

  4. Uma das premissas de toda civilização superior deve ser a de não interferir na tecnologia de populações mais primitivas como a nossa. Caso contrário, seria o início do fim da raça humana: deixaríamos de pesquisar, de sonhar e de correr atrás, pois haveria a certeza de uma “mente superior” que já saberia de todas as respostas, a cura das doenças, a solução da fome mundial. Ou seja, a nossa essência perderia a graça…

  5. Pensem comigo. Se, na Via Láctea temos o sistema solar nas marginais desta galáxia e a Terra dentro deste sistema começou a ter vida há 400 milhões de anos atrás. Agora imaginem aqui nas nossas vizinhanças outro planeta com condições semelhantes à Terra (quem sabe uns 20 mil anos luz de distância)… mas que tenha 401 milhões de anos a mais. Quanto avanço a raça mais evoluída de lá terá conseguido ir a nossa frente com 1 milhão de anos de vantagem?

    Ainda não vi a reportagem… mas já está na minha lista de vídeos a assistir. Rs…

  6. Durante anos acompanhei foruns, comunidades, sites e tudo o mais que encontrava de ufologia no brasil e exterior, e sinceramente? 90% dos “especialistas” no assunto ou são crédulos fanáticos conspiracionistas ou céticos fanáticos conspiracionistas. Tirando a grande quantidade de trolls e gente que só quer atenção, o número de pessoas SÉRIAS em busca de ufologia verdadeira [e não somente descobrir aliens] é infima e sobrepujada por tantos exemplos ruins que misturam o que já é uma pseudo-ciência com religião, conspiração, etc.

    Acabou que desisti disso. Acredito em vida alienigena, mas não em vida alienigena habitual como humanoides super inteligentes e principalmente que estejam hoje na Terra nos observando. Mas acredito sim em espécies nem que sejam microscópicas em planetas ou luas próximas.

  7. Após ver a entrevista possa dizer com toda certeza que aquela cientista foi chamada justamente pra tentar ir contra tudo o que ele dissesse, o que não é algo realmente ruim, pois isto melhora a entrevista, porém ela foi pessima neste trabalho.

    Sério, que tipo de cientista tenta, com total egocentrismo e arrogância, tentar impôr leis pra um universo e meio de vida desconhecido? Como ela pode simplesmente dizer que é IMPOSSÍVEL uma forma de vida aguentar X ou Y ou um objeto voa a Z distância por tempo quando só temos parâmetros terrestres e estamos LONGE de sabermos realmente algo sobre física com propriedade além do nosso parametro de pensamento?

    Estou longe de ser fã da revista UFO, mas essa entrevista foi realmente boa e ele argumentou muito bem, parabéns pra ele.

  8. Philipe,estou fazendo um TCC que fala um pouco sobre ufologia…voce teria algum livro bom pra indicar? Eu quero algo bem basico, que fale sobre a importancia da UFOlogia,estudos que sao feitos,coisas do genero, pois preciso de bibliografia alem da on-line. Se tiver algum, pode responder aqui que eu volto para verificar. Obrigada :)!

  9. Meu professor (que está me ajudando no TCC)falou algo bem sensato e que eu não havia pensado… os governos se preocupam que essas duvidas de OVNIs se espalhem bastante, até virarem boatos e mentiras. Assim, podem evitar que os cientistas tenham seu trabalho levado a serio…

  10. Antes o Homem achava que a Terra era o centro do universo, depois que era plana e depois que era o centro do sistema solar…hoje acham que o Homem é único no Universo…acho muita arrogância, comodismo e pura alienação pensar assim. Não somos desprezíveis (embora “moremos” no subúrbio da via láctea), mas com certeza não estamos sós no Universo. A Terra tem 4 Bilhões de anos, o Homo Sapiens está há uns 250 mil…para um Universo de 14 Bi, estamos num momento meio “aborrescente”…
    Até pouco tempo atrás falavam que não haviam planetas fora o sistema solar e já foram mapeados algumas centenas. Eu tenho a convicção que em menos de 10 anos encontraremos vida e em até 100 haverá contato com alguma forma de vida racional. Concordo que há mesmo muita gente no meio ufológico apenas em busca de Ego e ganhar uma grana, mas também penso que tem muita gente que simplesmente quer achar a “verdade que está lá fora”.

  11. Eu tinha um preconceito danado com o Gevaerd, pq ele passou a fazer ufologia pra ganhar R$. Não que isso seja de todo errado, o cara tem que se virar mesmo pra sobreviver, mas ele andou forçando muito a barra.

    Mas pra mim essa foi a melhor entrevista que eu já de um Ufólogo na TV. Ele se portou muito bem.

    E o que dignificou mais ainda a sua participação nesse programa, foi a qualidade e seriedade dos entrevistadores (geralmente programas sobre o tema sempre descambam para a galhofa e putaria), entres eles uma astrônoma conceituada.

    Muito boa a entrevista.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.