Conan – A volta da Era Hiboriana na tela grande

Pois é, meus amigos. Como alguns de vocês sabem eu sou um fã de carteirinha do Conan. (aquele tipo de fã que viu os filmes até decorar as falas e não obstante, fabricou uma cópia da espada só pra ter o prazer de dar espadada nos outros, digo, mostrar meu trabalho para os outros amigos, fãs do personagem.)

Eu só conheço um cara mais fã do Conan do que eu: O meu amigo e ilustrador Celso.

O Celso era mestre em maravilhar a gente com ilustrações fenomenais que mostravam o Conan lutando com monstros e criaturas gosmentas, ora insetos enormes, ora seres peludos provindos dos mais obscuros rincões dos nossos pesadelos. Como muitos jovens da minha geração, eu mergulhei de cabeça nas histórias em quadrinhos do Cimério. Devorava cada nova edição da Espada Selvagem de Conan, e ficava ali, absorto viajando naquelas capas ilustradas com maestria pelo Earl Norem, pelo Boris Valejjo, Frank Frazetta e por tantos outros caras feras. Aos quinze anos, meu sonho dourado era ser ilustrador das capas do Conan.

Conan - A volta da Era Hiboriana na tela grande

Me lembro bem de um certo dia em que o professor mandou a gente fazer uma redação de tema livre. Inicialmente, me senti oprimido pela liberdade repentina. Como assim? Livre? Tema livre na escola de padre?

Parecia uma aberração.

Mas o fato é que o tema era mesmo livre e não tardei a ser possuído por um desejo inconfessável de meter a mão na massa e escrever minha própria mini-saga do Bárbaro. Óbvio que não deu tempo de terminar e consegui uma autorização inédita para finalizar meu texto usando o tempo do recreio.

Após cerca de sete folhas de caderno (imagina o impacto que isso teve na turma, formada em sua maioria por folgados e preguiçosos que reclamavam para escrever 15 linhas) eu finalizava minha primeira história do Conan, que após ser atacado por uma besta marinha, naufraga numa ilha misteriosa habitada por seres ancestrais, meio homens-meio macacos, e dominados por um malévolo feiticeiro pré-diluviano…

Fiquei famoso como “o aluno maluco que escrevia redações gigantes sobre a ilha do tesouro”.

Foi uma decepção pra mim. Eu esperava que meu professor percebesse a fidelidade absoluta com os dados da era hiboriana. O Mar Vilayet, a citação aos guerreiros nemédios, os feiticeiros de Zamora… Nada. Não deu em nada. Tudo que eu consegui foi ficar com a pecha de esquisito.

Para as pessoas que até hoje nem fazem a menor ideia de onde venha o Conan, e não entendem exatamente sua importância para com o gênero da fantasia, é importante saber que ele é um personagem criado pelo escritor texano Robert E. Howard em 1932.

Naquela década, o mundo vivia numa grave crise financeira iniciada em 1929, o que muitos especulam, teria contribuído para uma literatura que buscava na fantasia heróica uma saída para a realidade degradante de fome e miséria que assolava os Estados Unidos. O fato é que Conan, o bárbaro, fez sua primeira aparição na revista pulp Weird Tales no conto chamado “The Phoenix on the Sword”.

Howard escreveu mais dezenove histórias e um romance protagonizados pelo personagem. O criador de Conan cometeu suicídio em 1936 e posteriormente a sua morte, outros escritores de renome também criaram histórias do Conan ou reescreveram seus contos, a partir de sinopses e fragmentos originais.

As histórias de Conan ajudaram a definir o formato da fantasia heróica como subgênero da fantasia: A ênfase em um herói que é um poderoso guerreiro, hábil espadachim, de disposição violenta e contrária às hipocrisias e fraquezas da civilização, e que sempre se defrontava com ameaças sobrenaturais sobre as quais sempre prevalecia, fossem elas magos, demônios ou outras criaturas de eras perdidas no tempo.

Conan é uma espécie de ícone permanente no universo de fantasia. Por ser tão antigo e importante, o personagem virou quase como um arquétipo, gerando inúmeros “filhotes” no universo dos quadrinhos, games, RPG, literatura, desenhos animados e também cinema.

No cinema, as mais felizes adaptações das aventuras do Bárbaro foram Conan, O Bárbaro (de 1982) e Conan, O Destruidor (de 1984). Em ambos, Conan foi interpretado pelo Schwarzenegger.

Eu sempre pensei que apenas dois filmes era muito pouco para um personagem e todo um universo ficcional riquíssimo que já faz parte do imaginário coletivo por oito décadas consecutivas. Finalmente, o longo tempo de espera parece ter chegado ao fim…

Estreia no dia 16 de setembro um novo filme do Conan!

Conan - A volta da Era Hiboriana na tela grande

Meu coração palpita de ansiedade só de imaginar o que as tecnologias avançadas de hoje podem oferecer em termos de Era Hiboriana. Eu tenho que confessar que não quis ver as imagens nem saber dos spoliers do novo filme, porque eu estava morrendo de medo de estragarem a parada. Mas o trailer me fez ficar curioso de ver o filme.

Por Crom!

Dá uma olhada aí no trailer:

Este aqui é pra 18+:

Pelo trailer, dá pra ver que pelo menos os elementos compulsórios estarão no filme: Mulher bonita, bruxos, monstros, combates épicos, luta de espada e selvageria para dar e vender. Esse eu acho que vai valer a pena ver em 3d.
Segundo os sites especializados em filmes, este filme foi adaptado da obra original de Robert E. Howard, o que é um ponto positivo a favor do novo filme.
Parece que ele será fiel à mitologia e à psicologia do Conan e foi dirigido por Marcus Nispel. Eu teria mais medo se o filme tivesse sido dirigido pelo Joel Schumacher (o cara que botou mamilos no Batman!)

Conan 2011 e o Conan dos anos 80

Conan - A volta da Era Hiboriana na tela grande

Como eu tenho um montão de amigos nerds, volta e meia esses assuntos surgem. Alguns amigos meus são bem xiítas no que tange alguns heróis “intocáveis”. Um amigo meu que não vou dizer o nome (se me encher o saco eu falo, hein!) aqui, tem o seguinte ponto de vista sobre esses filmes:

Pra ele, desde a morte de Christopher Reeve devia ser proibido se fazer filme do Homem de Aço. E desde que a massa bruta virou pelanca no Arnold, devia ser proibido fazer filme do Conan.

Ora, eu acho que este tipo de pensamento carece de lógica. Se pararmos para pensar, o grande mérito do Conan dos anos 80 foi apresentar o personagem, e o diretor foi mesmo hábil em conseguir um mínimo de atuação do Arnold num tempo que ele era 90% músculos e apenas 10% ator. O cara tirou leite de pedra e em muitas partes ainda está mecânico, cheio de problemas e um tanto canastrão. (Sinto que estou ganhando inimigos dizendo isso) Mas virou cult. E por que virou cult? Porque foi uma boa produção, com o que havia de melhor naquela época, com os recursos limitados de efeitos e cenários. Foi um trabalho respeitável, (o primeiro eu acho muito melhor que o segundo) mas dizer que “sem Arnold não é Conan” é muito reducionismo.

Sem falar no fato óbvio que os filmes dos anos 80 não foram tão fiéis ao personagem. O Conan das antigas parecia meio retardado em alguns momentos. E o Conan verdadeiro, era muito articulado, muito hábil e inteligente. (Tão esperto que até virou rei por méritos próprios)

Nego vai comparar o que? A coreografia de luta? Vai comprar o monstro? Vai comparar a trilha sonora (ok, nesta eu jogo a toalha e admito que dificilmente superarão a trilha de Basil Poledouris) Vão comparar músculos? Porra, o Arnold era mister universo! Se fosse só fazer montanhas de muque, nego não contratava um ator para o papel e sim o Ronnie Coleman!

Enquanto alguns desavisados dirão que o ator Jason Moma não parece com o Conan dos quadrinhos, principalmente a versão imortalizada por John Buscema, eu diria que a primeira vista, me parece bem próximo da versão do Barry Windsor Smith:

Conan - A volta da Era Hiboriana na tela grande

Resumindo meu ponto de vista, penso que não há como saber se um filme é bom sem ser da forma empírica: assistindo.

Fica registrada minha esperança de que este filme talvez abra uma porta para outros filmes do Conan, feitos por diretores diversos. Se na literatura e nos quadrinhos vários artistas contribuíram com a criação deste mundo tão rico e misterioso, por que não no cinema? Aventuras e roteiros legais é o que não falta.

O filme que estreia nesta sexta já veio com algumas promoções. Eu ganhei uns ingressos de cortesia para o filme do Conan e pretendo sortear entre os leitores interessados. Se você quer concorrer, tuíta aí este post aqui e pronto.

Outra dica bem legal é que o site oficial está promovendo um concurso cultural e vai dar ao primeiro lugar uma TV LED 3D de 40’’: www.conanobarbaro.com.br/promocao
O filme também tem perfis lá no twitter e no facebook.
www.twitter.com/Conan_OBarbaro
www.facebook.com/ConanOBarbaro3D
fonte

Related Post

52 comentários em “Conan – A volta da Era Hiboriana na tela grande”

  1. É, Philipe. Também vou assistir o filme, mas parece que é um fracasso de crítica (apenas 22% positivas no Rotten Tomatoes).

    Espero que não seja a mesma decepção que  “Fúria de Titãs”

    • Eu também espero, Alessandro. Meu medo com os sites de criticas, é que quando o sistema pega a nota que o usuário dá e gera um valor índice, não leva em conta uma série de fatores. Por exemplo, se um monte de gente vai ao cinema pensando que é um remake dos filmes dos anos 80 e descobre que não é um remake, ficam putos e dão nota baixa. Isso significa que o filme foi uma merda? Não. Significa que ele não atendeu ao anseio do publico. Ou quando o filme peida na farofa em algum aspecto, aquilo puxa a nota do filme como um todo para baixo, que é o caso do 3d vagabundo do Fúria de Titãs novo. Então, sei lá. Tenho o pé atrás com essas coisas. Eu prefiro ir ao cinema e constatar se é merda ou não é.Mas eu acho que um personagem do porte do Conan tem que ser produção cara. Se não for, a chance de dar merda é grande. Tipo, não da pra economizar. Tem que gastar como se fosse Harry Potter, LOTR. Fico imaginando como seria show ver um Conan feito pelo Mel Gibson. Pelo Peter Jackson e pelo Benicio del Toro.

  2. Fala Brother,
    Os dois filmes do Conan foram de longe as melhores atuações do tio Arnald, mas infelizmente ela alterou a percepção de quase todo mundo. É muito dificil hoje em dia imaginar o Conan sem vir a cabeça a imagem dele. Isso é uma coisa que o cinema com seu poder de isolar a realidade faz que é uma desgraça pra literatura em geral. Quem ler Senhor dos Aneis daqui pra frente esta fadado a imaginar os personagens do filme.

    Sobre ¨o que  podem estragar
    ¨no filme  eu diria que o principal é o que voce ta considerando de melhor, os ¨recursos tecnologico¨s disponiveis. Com o que eles tem nas mãos podem reduzir o Conan a um Filme-de-ação-Hollywood-pra-moleque-cheio-de-espinha, com explosões, raios e efeitos coloridinhos. Acho que isso vai atrapalhar mais que ajudar.

    Sobre o Conan do filme ser um ogro meio retardado acho que é bem mais real que o Conan ser inteligente, já que no filme ele passou quase toda vida trabalhando como escravo. No roteiro faz mais sentido.

    Como a maioria acho que podiam ter usado os recursos tecnologicos pra por o tio Arnald outra vez como Conan. Faziam um especial Conan Rei em 3 filmes que ficava foda, um filme mais profundo com intrigas e menos ação previsivel. 

    Ou então faziam um Conan força bruta mesmo e colocavam o Robert Rodriguez ou Tarantino como diretor.

    • Mas o fato de ter passado a vida como escravo não o torna burro. O torna apenas um troglodita. Quando ele começa a vencer as batalhas de gladiador, viaja para o oriente (tipo o batman) e lá ele recebe uma injeção de cultura violenta.

  3. Aê, Philipe, sou fanzaço do tio Arnold, mas achei esse Conan muito massa.
    Arnold não era simplesmente um fisioculturista, ele foi O FISIOCULTURISTA. Deixou um legado incrível, onde não passa apenas um incentivo para criar músculos, mas também algo fortalecedor para a vida, que nos motiva a muitas coisas difíceis. Quem foi marombeiro, ou é, sabe do exemplo que ele é como pessoa. Existe muitos relator biográficos dele por aí…

    Acho que a figura dele como Conan e Exterminador é imortal! Por mais que na época ele ainda não fosse um ator, acho que ele tinha a química perfeita para os papeis, algo que encaixava perfeitamente, um carisma único que o tornou uma lenda do cinema. É como se separássemos os papeis, sem tirar o mérito do atual.

    • Cara eu não estou tirando o merito do Arnold. Tb sou fã do cara. Eu adoro o conan que ele fez, só acho que esta ideia de que o cara faz um bom trabalho e aquilo se torna a versão definitiva é questionável. Acho que até se aplica em casos de continuação. Tipo, é foda ver um filme 1 com um cara e no dois é outro. Aí tudo bem, pq quebra uma sequencia cronológica e tal.
      Mas no caso do Conan, eu acho que dá pra vários atores. É tipo o Tarzã, James Bond ou Batman. Logico que sempre vai rolar aquela coisa de escolher quem foi o melhor e tal.
      Outra coisa que sempre questiono é quando dizem que como o Arnold está velho, não pode mais fazer filme do Conan. Eu sou contra esta ideia. Pra mim pode sim. Veja, hoje temos tecnologia de sobra para fazer um filme tipo Bewoulf. Por que não fazer uma aventura do Conan com ele? Possível é. Ao menos em termos técnicos. Daria, por exemplo, para fazer um filme em que o Conan rei (com o Arnold filmado hoje) relembra uma passagem de seu vasto passado de aventuras. (3d) Daria para integrar, usando justamente a diferença estetica do 3d para marcar os momentos entre o passado e o futuro.
      Então, que dá, dá. Só não o fazem porque não querem.

      • Cara nas proprias capas das HQs eram absurdas as diferenças entre os Conans de diferentes artistas e ninguem (ou quase niguem) reclamava. O Conan das HQs é mais uma entidade mística ou um estado de espírito que propriamente um personagem.

        O negocio é que a grande maioria nao lia as HQs e o Arnold deixou sua propria marca no personagem do cinema, agora fica dificil esquecer ou copiar sem parecer caricato.

      • Não… eu me refiro ao merito do atual! hehehehe
        Eu concordo c vc tambem, tio Arnold ta velhinho! rsrsrs

        Sua ideia é massa, cara… acho q integraria o antigo ao moderno, sem perder muito o formato.

        Eu gosto demais do Arnold, mas não sou conservador quanto a isso. Sou a favor da modernização, desde que consigam produzir algo tão bom quanto o outro, claro.

        Por ex, exterminador do futuro achei massa demais, mas o 4 achei q faltou isso! Ficou meio sem o foco original, que é um exterminador. Aquele cara que colocaram como ciborgue achei fraco.

  4. SEI NAO HEIN…..TA PARECENDO UMA PRODUÇAO ALÁ ESCORPIAO REI (aquele filmao q merecia o OSCAR huahauhauahauhauha). cuidado…eu nao to apostando nesse conan nao.o unico jeito é vendo. e se os primeiros minutos tiver qualidade de XENA eu paro de ver na hora e espero passar em TELA QUENTE

      • 2012 e 13, estao usando a tecnica matrix de pegar um filme e fazer 2, como no ultimo harry potter ( que pelo menos tem mais logica ja q o livro e bem grande, ao contrario do hobbit), crepusculo… nada como ganhar 2 vezes com um custo de producao menor que fazer 2 filmes, superman fazendo historia.

  5. o filme parece muito bem produzido….mas tenho medo. Como um fan de
    quadrinho, inclusive tenho a primeira revista de todos os conan que
    foram lançados, fico um pouco relutante em ver o filme com medo de terem
    tranformado-o em uma verdadeira montanha de merda sem sentido calcada
    em efeitos especiais. O primeiro filme do conan é foda …..mas
    realmente nao podemos esperar muito de arnold e a hisoria apesar de bem
    desenvolvida  nao esta fiel ao quadrinho. Apenas nos resta esperar, acredito q o ator seja semelhante ao conam sim, não é loiro pelo menos hahahahaha, mas faltou um pouco de musculos.
    Veremos …….
    o primeiro filme se tornou um icone….eu adoro a fotografia dele e a arte sem contar q tem
    James Earl Jones hahahahahahaha. Ao meu ver nao tem muito cabimento comparar os filmes e sim saber se o filme é bom ou não,

    • Concordo cara. Eu não vejo uma razão muito lógica para comparar os filmes, se este não será um remake. Mas por outro lado, eu entendo um pouco a indignação da galera, afinal, eu não gostaria de ver um highlander sem o Cristppher Lambert e nem Indiana Jones sem o H. Ford… Mas a única solução possível seria fazer a parada usando um dublê virtual. Lembro que no final dos anos 90 andaram cogitando isso. Quem ia fazer era a Digital Domain, (empresa que o Arnold era sócio)

      • é justo … querer q o filme seja feito com o mesmo ator. Inclusive houveram boatos de colocar como interprete o fisiculturista Roland Kickinger, devido a sua semelhança com o arnold. Mas ai na minha opinião já iria ficar muito alegórico.
        Tenho dois pontos de vista que divergem do resto.
        1- Conan é um personagem de quadrinho- o personagem ficou conhecido por muitos pelo filme, mas mesmo assim é um personagem de quadrinhos. pra mim imortalizado pelos desenho de Frazetta  e buscema. Então ao meu ver é valido o filme no sentido de deixa-lo mais fiel à histirio original q é muito mais du ca$%* . Ai é onde eu tenho medo de ver o filme hahahahahaha
        2- existem filmes onde o ator foi trocado e nao foi tão impactante- visto o caso Batman e mais especificamente o coringa . Nunca pensei que o coringa fosse ficar bom. Acho a interpretação do Jack Nicholson fenomenal. Mas assim como o caso presente evito fazer comparações por se tratar de propostas de filme diferentes. E como vc bem citou não é um remake.

        temos hj em dia tecnologia pra fazer um arnold virtual. Chama a Wetta ou até a ILM que jah estão a frente da bagaça. Mas acredito q nao careça e seria até uma forma de dr um novo folego ao pesonagem. Até pq o primeiro filme do Conan pra mim um icone ….o segundo é um dos maiores lixos que existe comparavel até à Guereiro de fogo. Qu inclisive tb estão revivendo o personagem principal com o filme Red Sonja. ai já é outra discussão hahahahahahaha

  6. Ainda guardo com carinho meus (encardidos) quadrinhos do Conan. Quando for a hora, vou deixar meus moleques lerem… Porque nunca vi nada tão bom e tão empolgante quanto as histórias do cimério; Já li e leio muuuuuuuuitas Hqs- paixão que vem desde meus avós. Agora, quanto adaptações cinematográficas, sempre fico com um pé atrás. Concordo contigo Philipe, o Conan do Schwarzenegger foi bom, mas ele em certos momentos dava um ar “mongo” para o bárbaro (e convenhamos, Conan tinha pitadas de humor sim, mas o Schwaza como ator deixava a desejar- de poucas expressões; por exemplo- veja a tradicional cara de espanto do Áustriaco que ele usa em todos os filmes).
    Vi os traillers do novo Conan e até achei bom… Vamos pedir a Crom e Mitra para que seja um filme digno do cimério!

  7. Pô cara, vi o trailer

    Que decepção…

    Tb sou fã do Conan, e o que posso dizer do ator que colocaram para fazer o Conan? 

    o cara parece um frango doente, um bosta….. se vc for em qq academia vc encontra caras bem maior que esse mané, como posso acreditar que um fracote desses pode derrotar os montrengo power?

    E outra, com o swarzzneger colocaram o padrao lá em cima, e depois  os caras tem a capacidade de colocar um m*rda desses? que palhacada eh essa?

    Poderiam colocar o john Cena ou ate mesmo o mariusz pudzianowski ai sim ia ficar mais verossimil…

    esse conan ai ta peidado, vou passar longe desse filme

    abraçao Philipe sou seu fã

  8. Queria comentar algo para seu amigo…
    Que há de racional em pararem de fazer filmes do super homem, se um ator morreu???
    A história é o personagem, o gibi, não o ator.
    Há claro uma certa diferença entre Reeves e Ledger (que realmente fez  “O” Coringa)…
    A atuação dos 2 pode ser muito boa (lendária, no caso do Batman), mas não acho que deveriam parar de produzir filmes pq atores morreram…
    Por acaso seu amigo não que mais que filmem lutas, pq Bruce Lee morreu? o.O

  9. Se depender do Jason Momoa acho que o filme vai se sair bem. Kal Drogo, o ultimo papel dele e também um bárbaro, foi muito bem feito. Se ele seguir a linha vai sair coisa boa. Agora quanto ao tamanho dele, eu acho uma coisa mais verossímil. Uma pessoa do tamanho do tio Arnold não tem agilidade suficiente pra lutar.

    • Pois é. Eu estava pensando isso aí faz 15 minutos. Se eu fosse um diretor em busca de caras fortes para um Conan da vida, hoje eu recrutaria os caras do MMA. Porque eles são fortes pra caralho e você vê que é uma musculatura desenvolvida mas diferente da dos fisiculturistas. Isso porque o fisiculturismo busca a perfeição muscular, então os caras trabalham o maximo de grupos possíveis. Numa situação real, de guerreiro, isso seria completamente fajuto. Eu imagino o Conan tendo uma musculatura não tão bombada, mas mais parecida com a dos caras do UFC, MMA. Aliás, se desse uma trabalhada no Vitor Belfort com cabelo grande e tal, ele ficaria muito parecido com o Conan que o Earl Norem fazia nas capas da revista.
      Se eu sou o diretor do Conan a primeira coisa que eu mudaria é a língua. Eu contrataria um grupo de linguistas e mandaria gerar um idioma próprio para o meu filme. Tipo como fez o Mel Gibson na Paixão de Cristo. Isso resolveria de cara um problema: Muitas vezes a produção de elenco acha o cara perfeito, mas ele não fala bem inglês.
      Outra coisa que eu faria é usar uma versão estilizada mas claramente adaptada da musica do Basil do primeiro filme do Conan. Porra se a musica do james bond nego não mudou em todos estes anos, porque colocar rock num caralho dum filme épico? Tem que fazer como o Stallone, que ficou sempre em cima daquela trilha base do Bill Conti durante toda a franquia Rocky. Eu penso que dá pra variar, sem descaracterizar completamente a musica original, que é simplesmente foda.

      • É, Philipe, você é bastante observador. Lutadores de MMA, mesmo os mais fortes, são rápidos e muito! Alguns com o peso do tio Arnold, como o Brock Lesnar. Realmente a musculatura dos lutadores de MMA é diferentemente trabalhada. Fui lutador por 5 anos e parei graças a uma doença no braço. Acho que o Maurício tem mais cara de mau para o papel, precisa só de um pouco mais de definição! hehehehe

  10. Achei muito fraco esse demo, espera sair o novo God of Wars que vale mais.

    Se fosse pra ficar com uma aparencia mais real acho que a musculatura seria bem diferente dos caras do MMA, a luta com espada ao longo dos anos devia levar a um desenvolvimento completamente desproporcional entre a mao da espada.

    Eu procuraria um atleta de arremesso de peso.

    Sobre o cara falar uma lingua inventada seria bem interessante. Garanto que ia ter um bando de viciado depois querendo aprender. O problema é que esses filmes sao feitos com o foco no mercado e nao com o foco nos fas, assim é aquele esquemão pra de moleque da 7 serie

    • Bem observado mesmo. Mas temos que lembrar que o Conan foi um gladiador boa parte da vida dele. Então eu creio que ele teria um físico bem misto, tipo de lutador mas realmente com um braço cavalo cheio de veias, como o dos caras que jogam tênis. Outra coisa legal de notar é que embora ele tenha ficado famoso pela espada, muitas vezes ele usava um machado de duas mãos.

  11. Diferente da maioria dos críticos eu não ligo pra escolha do Momoa. Não acho ele perfeito, mas nem de longe algo que arruinaria um bom filme.

    O que me assusta mesmo é a direção. Não vi o filme, mas pelo trailer dá pra ter uma noção. O ritmo é muito frenético, a música é muito moderninha, e quase toda a violencia é limpinha e com cara de CG.
    Estes são elementos que eu não espero encontrar num filme do Conan. Acho que é preciso criar uma atmosfera, um tempo pra respirar e imergir no filme. E o trailer vendeu uma idéia de ação do inicio ao fim.
    Quanto a violência, prefiro muito mais uma violencia “discreta”, mas com um aspecto autentico, do que uma violência explicita artificial. Infelizmente os trailers mostram mais a segunda. Um bom diretor sabe reconhecer as limitações da produção e consegue provocar impacto mesmo sem mostrar o buraco da ferida.

  12. Também sou fã do Conan desde criança. Já li muitas das histórias originais do Robert Howard, além, claro, de ter lido quase todas as revistas da série Espada Selvagem de Conan.
    O medo do novo filme é fazerem um filme “atual”, como fizeram com Star Trek. Muita luta, muito exagero e tudo muito coloridinho e rápido, cheio de reviravoltas sem sentido (como o cara que ajuda a mocinha do início ao fim do filme e, no final, revela-se como o grande mentor de todos os problemas enfrentados).
    Nos bons filmes, o roteirista nos dá uma história e um desenvolvimento factível ou, ao menos, lógica, dentro do universo do filme. E melhor ainda quando ele nos faz perceber isso sem os personagens explicando tudo. Temos que prestar atenção no filme. Foi assim com todos os grandes filmes: O Iluminado, O Poderoso Chefão, etc. Mesmo em filmes de quadrinhos, como os X-Men, havia o tema do racismo, um problema atual, que foi muito bem tratado.
    No Conan antigo, tem o soco no camelo que nenhum efeito especial jamais vai conseguir sobrepujar. No novo, já no trailer, dá pra perceber que o filme é de um herói genérico, cheio de caras e bocas. Não parece uma estória com um clima pesado. Está mais para um bárbaro metrossexual enfrentando um malvado poderoso pelo amor da bela donzela.
    Muito diferente do Thulsa Doom explicando para o Conan que o verdadeiro poder estava em comandar as pessoas, mesmo enviando-as à morte. Não era riqueza que ele queria, nem palácios, nem joias.
    Além do mais, estes efeitos especiais estão uma porcaria! A corrente sem peso, as cobras sem momento linear e com textura de 3DStudio, é tudo tão anos 90.
    Bom, vou para o cinema sem muita expectativa, mas talvez isso seja bom. Assim, qualquer surpresa será para melhor.

  13. Eu achei o conan muito limpinho. De limpo mesmo, tipo banho tomado. Acho que ficaria mais apropriado com um pouco de sujeira, terra, sangue seco. Parece que o cara tá indo da academia para o shopping e encontrou uma turminha do balacobaco no cominho….

  14. Que Crom nos proteja! Salve conanmaniacos. pelo Trailer não dá ,pelo menos para mim, tirar muitas conclusões, mas que cheira muito a Xena, Hercules e companhia ltda.  tambem li muito a espada Selvagem, e espero que o filme nos remeta à era hiboriana dos HQs. Poderia virar seriado, ao menos no estilo de Beowulf, já que o que deixa mais caro um filme ou seriado é os atores, a tecnologia tornou efeitos especiais bem mais baratos que nos anos 80,tempo que só havia maquetes e bonecos em stopmotion. Monte um conan passo a passo em massinha aí pra nós philipe, quando vc tiver tempo,rsrsrsr abraço,

  15. Falou simplesmente TUDO!

    Eu também postei um anúncio no meu blog (que por sinal meio que escrevi inspirada no seu, e na possibilidade de ainda existir esperança para os blogs de conteúdo aqui no Brasil) falando sobre o filme da mesma maneira.

    Não possuo nem de longe o conhecimento sobre o universo de Conan, nem fez parte da minha infância e adolescência, mas pode muito bem fazer parte da vida adulta.

    Diga-se de passagem, esse “xiitismo” dos fans e partir do pressuposto de que será péssimo, é de fato muito reducionismo. Pior ainda é o preconceito contra o ator escolhido para o papel (Jason Momoa é aquele “bonitão” de seriado de férias, é a vida…)

    Ótimo post, como sempre!

  16. Assisti ontem e foi bem como eu imaginava: um Conan bundão. Não por comparação ao Conan do schwarzenegger, mas em relação ao Conan das histórias. Não ficou nem uma coisa nem outra. Muito romance, pouca fantasia..um desagrado total.

    • Tenho que concordor com amigo aí. Assisti na segunda feita passada e esperava mais do filme. Não digo que foi uma decepção total, mas é claramente um filme feito pra arrecadar dinheiro. Acho que o pior mesmo foram as cenas de batalhas. Não tem nenhuma que eu consigo lembrar nesse momento pra você ver a originalidade do negócio. Se colocassem o nome de “Escorpião Rei 3” eu juro que não ia notar a diferença.

  17. Eu cresci lendo Conan pois meu irmão tinha a coleção completa na época, via aos filmes e finalmente ontem eu consegui assistir ao novo Conan ….
    1º de tudo, depois da decepção que foi fúria de titãs, já fui mais preparada para não esperar demais do filme.
    2º Mesmo não sendo um remake, senti falta do Thulsa Doom (James Earl Jones), impagável no papel.
    3º senti falta de uma música grandiosa como a do Basil Poledouris.4º de cara lembrei da cena da roda logo no começo qdo ele ainda era um escravo, mudaram bastante a historia, até mesmo dos HQ ….Qto a falta do Arnold, a principio eu fiquei com receio sobre o ator q seria escolhido para o papel até q tive a oportunidade de acompanhar pela HBO a série ‘Game of Thrones’ e pude conferir o ator Jason Momoa como o bárbaro Khal Drogo e em minha modesta opinião achei e ele poderia se sair bem.Eu sei, não a comparação, não é nem mesmo um remake mas é involuntário vc se ver comparando os filmes … enfim, gostei do filme, mas faltou algo, faltou alguma coisa e o pior, não sei o q foi, mas faltou….

  18. mais uma coisa eu concordo com a maioria de vcs, o conan de hoje é muito ruim! eu comecei assistindo terminei dormindo!o bom de conan dos anos 80 eram as jornadas ,lutas com mostros e as demostrações de forças brutas! poderiam fazer um conan mais legal depois que fizeram essa porcaria de conan 2013!!!! valéu ai galera!

  19. Eu tentei,.. juro que tentei ver esse conan.. detestei… Arnold mesmo com a sua baixa porcentagem na época de ator…imortalizou o Conan…Fez um Conan impiedoso, ao mesmo tempo temeroso a bruxos por ser um bárbaro, um ser bruto, mas ao mesmo tempo, coração de guerreiro. Conan o destruidor foi tão bom quanto o primeiro.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares