Como deixar o assento do vaso sanitário?

%name Como deixar o assento do vaso sanitário?
A questão do assento do vaso sanitário pode parecer piada ou bobagem ao sujeito e sujeita solteiros, é na verdade uma questão importante para os casais casados que por força do destino são obrigados a usar um mesmo banheiro.
Para se ter uma idéia, a questão do assento do vaso sanitário é tão complexa que cientistas tem se debruçado sobre a questão para tentar obter respostas que atendam a demanda dos homens e mulheres.
Veja, se as mulheres fazem suas necessidades n.1 e n.2 com a tábua abaixada, manter a tábua do vaso sanitário abaixada é extremamente conveniente para elas. O problema é que os homens fazem n.1 e n.2 em condições diferentes de posicionamento da tábua. E levantar a tábua para o n.1 exige um certo sacrifício físico de valor X. Se ele tiver que terornar a tábua ao ponto inicial após o seu alívio de n.1, o sacrifício passará a 2X.
O problema com esta questão é que existem outros aspectos subjetivos associados, que é quando o homem larga a tábua do vaso para cima e a mulher dele cria o maior fusuê, porque na estrutura padrão de vida da mulher, a tábua não é levantada em momento algum. Assim, elas evitam como podem o sacrifício X, que não é natural para elas.
As mulheres adoram reclamar que os homens não abaixam a tampa, mas elas mesmas também não o fazem. Quando um homem ouve uma mulher reclamando que ele não abaixou a tampa do vaso, ele deveria entender que ela quer dizer que ele não abaixou o assento para ela, a tetéia magnânima, que se acha a última bolacha do pacote. E ainda exige direitos iguais aos dos homens. Que bonito hein?

Bem, é uma questão complexa. Para mais detalhes, veja este paper em inglês que usa a teoria dos jogos para provar matemáticamente de uma vez por todas que os homens estão certos de largar a porra da tábua do vaso para cima. Contra fatos, não há argumentos.
Ou aceitam isso ou terão que conviver com uma tábua mijada mesmo, minhas senhoras.

Comments

comments

8 comentários em “Como deixar o assento do vaso sanitário?”

  1. O curioso é que nós não reclamamos nunca de levantar a tampa (maior esforço).
    Elas reclamam sempre de ter que abaixar (menor esforço.
    Mas ruim com elas pior sem elas… huahuahua

  2. Cara, vc conseguiu expressar totalmente a minha opinião e de todos os homens pelo mundo a fora, mas e a Sra Gump, não vai se pronunciar? hehehe
    abraços!

  3. Rapaz, tô até com medo da Sra. Gump se pronunciar. Este post foi altamente provocativo, hehe…
    Mas a verdade é que a Sra. Gump já desistiu de pedir para que eu levante o assento do vaso. Ela já viu que não adianta. O que ela pede agora é que pelo menos eu mire direito o buraco pra não mijar a tampa, hahahaha. Eu tento, mas meu bingulim tem Mal de Parkinson.

  4. se o bigulim tem mal de parkinson, faz q nem aquele velhinho q cansado das broncas da velhinha por suas mijadas na taboa e fora do vaso, tomava uma lasquinha de viagra diariamente só pra manter a pontaria afinada……

  5. Pior é aquela do velho surdo que um dia, cansado de ver o falecido ali, cabisbaixo, resolveu tomar uma providência. Foi no mercado e comprou o remédio que ouviu um outro velho falar na mesa de carteado. Apesar do gosto ser ruim, ele tomou Vinagre.

    Eu sei que ficou podre. Mas foi o que deu pra inventar assim, de supetão.

  6. Muito boa analise!
    Mulher gosta mesmo é de reclamar, se a tampa ta levantada é porque tá na posição
    errada, se a tampa ta baixada e com respingo é porque é relaxado, não interessa se deixou
    desta vez a tampa no lugar “certo”, se a tampa ta baixada e sem respingo ela não elogia
    pois não é mais nada que a obrigação !!    Dá pra guenta!!!!????

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.