Cães que comem de tudo

“Meu cachorro comeu”.

Esta é uma das frases que certamente está descrita em detalhes no “livro negro dos professores carrascos” como a pior e mais deslavada desculpa que os alunos dão para não fazer a lição.

Embora eu reconheça que muitos alunos usam a desculpa do cachorro que come tudo na maior cara-de-pau, há, por outro lado, evidências concretas de cachorros que realmente comem de tudo. Existem inclusive evidências de que certos cães tem preferências bem bizarras na hora de comer o que não devem.

Eu tive a idéia deste post lendo no portal do MSN a notícia de que uma cadela filhote de bull terrier que comeu uma flecha de brinquedo com 27 centímetros – quase o tamanho dela. Isso em termos humanos, significaria um cara de 1,80 metros comer inteiro, um cachorro-quente de um metro!

Obviamente a cadela precisou ser operada para a retirada da flecha. Veja o raio X:

Se podemos dizer que cães são capazes de comer de tudo, colocando sua própria vida em risco, devemos também reconhecer que eles são bastante seletivos quanto ao objeto a ser comido. Eu que já tive cachorro posso dar meu depoimento de que os cachorros são mestres em aprontar verdadeiras barbaridades quando se trata de comer o que não devem.

Me parece que o cão, este sacana de quatro patas que amamos odiar, dá uma preferência na seguinte ordem:

  • Coisas caras
  • Coisas novas
  • Objetos raros
  • Objetos de valor inestimável e únicos – Heranças de família, móveis antigos, itens de coleção, etc
  • Documentos e objetos de grande importância para o dono – contratos, provas, documentos pessoais, etc
  • Coisas corriqueiras mas importantes – Celulares, agendas, chaves de carro, etc
  • Equipamentos eletrônicos – Plugues, cabos, fios, aparelhos eletrônicos, brinquedos
  • Sapatos
  • Coisas que fazem sujeira – Papel higiênico (incluindo o usado da lixeirinha), sacos plásticos, etc

Muitos cães são tão sacanas que na hipótese de encontrar um manancial vasto de destruição potencial, como dois pares de sapatos sob a cama, eles conseguem escolher o mais caro.

O cão tem algum tipo de sexto-sentido na hora de escolher o “alvo”. Nunca a “lei de Murphy” foi tão certa, o que me leva a questionar cá com meus botões se o Murphy tinha um cachorro. Certamente devia ter, ou do contrário, ele não saberia que se algo pode dar errado, dará. E dar errado com um cachorro comilão é simples: Basta que você tenha um objeto pessoal, brinquedo, item de mobília ou qualquer coisa de valor dentro de quatro paredes e ao alcance dos dentes dele, para aquilo virar uma “janta potencial”.

Eu tive um cachorro que se chamava Rex I. Como a esta altura você deve imaginar, o cão se chamava Rex I porque em seguida surgiu o Rex II, que era pra ser o clone do Rex I. Pelo menos na aparência era bastante similar, mas enquanto o falecido Rex I era um gênio, o Rex II era um completo retardado. Rex II era o Mr. Bean dos cães.

Os dois comiam toda sorte de porcariadas que achavam pela frente, mas o Rex I, em suas astúcia sacana, dava clara preferência a comer plugues. Valia qualquer tipo de plug, desde que fosse importante – ou caro.

Se o Rex I sumisse, certamente ele estaria sob um acama ou sofá, mascando demoradamente um plug da tevê, do computador ou mesmo um cabo de rede. O cachorro era tão esperto que sabia que aquilo era errado, mas a compulsão era maior do que ele. O rex I não aguentava e após destruir um plug qualquer, ele mesmo corria todo encolhido para debaixo da mesa da sala, aguardando pela esculhambação. Não raro, descobríamos o Rex encolhido, e então tínhamos que começar um check out pela casa para descobrir onde estaria a vítima ou seus restos mortais. Não raro, o pedaço de plug só era localizado posteriormente, no cocô do infeliz.

Bater não adiantava, gritar idem e nem mesmo esfregar o plug comido na cara dele. Ele sabia que estava fazendo merda e até hoje não sei como, ele conseguia comer até plug de tomada sem tomar choque.

O seu sucessor era também um pequeno mestre em aprontar marmotas, mas ele nunca comia plugues. O Rex II gostava mesmo era de comer as mãos dos comandos em ação. Não me pergunte porque, mas o cachorro era louco em comer brinquedo, dando clara preferência a braços e pernas. Dada a estupidez completa do Rex II, eu suponho que ele comesse as pernas e braços apenas porque eram mais fáceis de morder. Nada comparado ao gênio maquiavélico do Rex I, que certa vez, comeu o plug de conexão do carregador da câmera de video VHS novinha trazida do Paraguai. Coisa rara na época. Com apenas meia dúzia de mordidas, ele conseguiu transformar um caro e cobiçado item tecnológico numa sucata quase sem serventia.

Fora minha experiência com os cães domésticos, a rede está repleta de histórias curiosas, e algumas eu diria, até escabrosas de coisas bizarras comidas pelos cachorros. Volta e meia eu vou atrás de uma ou outra dessas, porque é engraçado descobrir que não é só a gente que se ferra com esses diabinhos de quatro patas. Quer alguns exemplos?

  • Estrela de belém
  • Pato de borracha
  • Celular
  • 13 bolas de golfe
  • Faca
  • Facão
  • Gancho
  • Corrente de aço
  • Chave do carro
  • Controle do Wii

Confira algumas dessas coisas (com as radiografias) no meu post sobre coisas bizarras que os cachorros comem.

Artigos relacionados

67 Comentários

Compartilhe suas ideias