A bomba nuclear que quase explodiu nos EUA

Os Estados Unidos já jogaram duas bombas nucleares no Japão, mas nunca experimentaram na pele o que é ter uma bomba nuclear estourando em seu território. E o pior é que isso só não aconteceu por muito pouco.

O incidente em questão, ocorreu na Força Aérea dos Estados Unidos em 1961, e quase levou à explosão de uma bomba  de hidrogênio (termouclear) na Carolina do Norte.

Isso foi relatado pelo jornal “The Guardian” .

O documento , obtido pelo jornalista investigativo Eric Schlosser sob o Freedom of Information Act, dá a primeira evidência conclusiva de que os EUA quase protagonizaram uma merda épica.

A publicação diz ter em sua posse um documento elaborado em 1969, após uma investigação completa do estado de emergência causado pela bomba na Carolina do Norte. O relatório é assinado por um dos altos funcionários do Sandia National Laboratory, nos EUA, Parker Jones.

Parker aponta claramente para o fato de que No dia 23 de janeiroAdd a Tooltip Text de 1961, os Estados Unidos conseguiram um milagre que evitou uma “catástrofe de escala monstruosa”.

Naquele dia, um bombardeiro estratégico B-52, levava duas bombas de  “Mark-39” com capacidade de 24 megatons cada. Isso equivalia a um poder destrutivo 260 vezes mais potente que a da bomba que arrasou Hiroshima.

Pra ter uma ideia do que uma bomba de 24 megatons faz, observe que a bomba que arrasou Hiroshima e abreviou o fim da Segunda Guerra tinha 13 quilotons, ou o equivalente a 13.000 toneladas de dinamite. Já 24 megatons, equivale a vinte e quatro milhões de toneladas de dinamite.

O avião decolou da base de Seymour Johnson perto Goldsboro, na Carolina do Norte e tinha um vôo programado ao longo da costa atlântica. No entanto, o avião partiu-se no ar, “perdendo” duas ogivas nucleares!

Uma delas caiu num pasto, perto da vila de Faro, mas a outra caiu como se tivesse sido lançada belicamente.

Como Parker Jones apontou em seu memorando, a bomba não funcionou corretamente e três dos quatro mecanismos embutidos responsáveis ??pela prevenção de detonação acidental não funcionaram. Verificou-se que quando a bomba atingiu o solo do pasto de um dos agricultores locais, um fusível enviou o impulso inicial para detonar o núcleo!

A tragédia só foi evitada devido à última camada de segurança, um mecanismo de baixa tensão que conteve a explosão devastadora.

De acordo com a conclusão de Jones, a bomba “Mark-39” estava equipada com sistemas inadequados para evitar a detonação acidental. O relatório diz que a eventual detonação da bomba na Carolina do Norte teria expandido o impacto, “afetando” grandes centros urbanos da costa leste dos Estados Unidos, como Washington, Baltimore, Filadélfia, e até mesmo Nova York, que está localizada ao norte do país teria estado grave em risco. Por pouco não morreram milhões de pessoas.

O “Guardian”, recebeu a sua informação desclassificados do governo dos EUA, e aponta para o fato de que somente durante os anos de 1950-1968 nos Estados Unidos foram registrados em pelo menos 700 diferentes “grandes” incidentes que quase explodiram 1.250 ogivas nucleares!

atomic-explosion-4

Imagina só o tamanho da merda! 

 

Aqui está o documento:

Qual a mais poderosa bomba atômica já criada?

Criando este post eu parei para me perguntar qual será a maior e mais monstruosa bomba nuclear já inventada. Achei esta resposta no site da Wikipedia.

A mais poderosa bomba atômica que existe é essa aqui:

Tsar_Bomba_Revised

Trata-se da TSAR BOMB uma arma que poderia ter sido criada elo capeta em pessoa, dada sua letalidade.
Seu nome tecnico era RDS-220, e entrou para a história como a mais potente arma nuclear já detonada neste planeta.
Ela foi criada, projetada e construída pela União Soviética. A bomba de 57 megatons (equivalente a 57 milhões de toneladas de TNT) levava o nome-código de “Ivan”, dado pelos seus desenvolvedores.
A bomba TSAR foi testada em Nova Zembla, uma ilha no oceano Ártico. O dispositivo foi reduzido de seu design original de absurdos 100 megatons para minimizar a escala de destruição.
Mas por ser um trambolho enorme, essa bomba não era prática para propósitos de guerra. Ela foi criada primariamente para ser usada como propaganda na Guerra Fria. Não há evidências de que outra bomba de poder similar tenha sido feita.

Você não imagina o cagaço épico que sentiu o Major Andrei E. Durnotsev, piloto do avião que decolou para lançar esse troço. O cagaço se explica porque ele sabia que tinha risco de ser um vôo só de ida pra ele.

O bombardeiro foi acompanhado de um avião de observação Tupolev Tu-16, que coletou amostras do ar e filmou o teste. Ambos os aviões foram pintados com uma tinta reflexiva especial de cor branca para limitar os danos causados pelo calor gerado pelo teste.
A bomba do teste, de 27 toneladas, era tão grande (com 8 metros de comprimento por 2 metros de diâmetro) que as portas de lançamento e os tanques de combustível das asas do Tu-95 tiveram de ser removidos. Ela foi presa a um pára-quedas de retardo de queda que sozinho pesava mais de 800 quilos. O peso excessivo dava a ambos os aviões a possibilidade de voar apenas 45 km de distância do ponto zero de detonação. Se houvesse uma falha nesse retardo, a bomba ou teria atingido a sua altitude de detonação mais rápido do que o previsto, explodindo os aviões, ou atingiria o solo a uma velocidade alta demais com resultados imprevisíveis.

A Tsar foi detonada às 11h 32, aproximadamente 73.85° N 54.50° E 8 sobre o campo de testes na Baía de Mityushikha, ao norte do Círculo polar ártico na ilha de Nova Zembla. Ela foi lançada de uma altitude de 10.500 metros, e programada para detonar a 4000 metros acima da superfície terrestre.

Veja só como seria a Zona de destruição da bomba Tsar se fosse lançada no Brasil. (no exemplo, sobre o mapa de São Paulo):

explosaosaoaulo

Círculo vermelho = destruição total | círculo amarelo = bola-de-fogo

O piloto devia estar encomendando a própria alma quando a bola de fogo gerada pela explosão da TSAR tocou o solo e quase alcançou a mesma altitude do avião bombardeiro. Ela pôde ser vista a mais de 1.000 km de distância! Isso significa que essa explosão de São Paulo seria vista LÁ DE BRASÍLIA!
O calor gerado poderia causar queimadura de 3º Grau em uma pessoa que estivesse a 100 km de distância. Ou seja, queimaria gente lá em São José dos Campos!

A nuvem em forma de cogumelo que se seguiu chegou a 60 km de altura e algo em torno de 35 km de largura. A explosão pôde ser vista e também sentida lá na Finlândia, tendo até mesmo, segundo contam, quebrado janelas por lá.
O deslocamento de ar causou danos diretos até a 1.000 km de distância. Isso significa que a explosão de são paulo explodiria todas janelas do Rio de Janeiro e se bobear, até as do Palácio da Alvorada!
A pressão da explosão abaixo do ponto de detonação foi de 300 PSI, seis vezes a pressão de pico experimentada em Hiroshima.

Esta é a foto da explosão:

tsar-bomba digitally enhanced nuclear bomb picture

Estima-se que a energia liberada pela detonação foi equivalente ao total de 1% da energia liberada pelo SOL durante 1 segundo.

Obs: E essa não foi a de 100 megatons! Embora os soviéticos a possuíssem como ficou claro numa reunião do Partido Comunista na época, eles nunca tiveram coragem de lançar a de 100 megatons, porque acreditavam que poderia produzir uma reação em cadeia e simplesmente incendiar a atmosfera do PLANETA. E é por isso que os testes nucleares passaram a ser subterrâneos.

fonte fonte fonte

Related Post

25 comentários em “A bomba nuclear que quase explodiu nos EUA”

  1. Mano, imagina se fosse no Brasil, se tivessem uma bomba dessa já teriam explodido tudo. hauhauaah.
    Agora falando serio, lindo e assustador a explosão dessa Tsar Bomba, e nem foi ainda a mais poderosoa, se naquela epoca era assim, imagina o potencial que não temos para construir hoje uma mais potente ainda.

  2. Abaixo tem o vídeo da operação e do momento da explosão, dessa monstruosidade do capeta:

    http://www.wimp.com/tsarbomba/
    http://www.youtube.com/watch?v=-r6UjLLki2A

    Essa bomba é o cavalo do cão mesmo !

  3. Rapaz, lendo essas coisas sobre o século passado, 1.a e 2.a guerras, guerra fria e os tantos incidentes correlacionados q poderiam causar verdadeiras catastrofes até a extinçao da raca humana, eu digo, esse século 20 foi muito tenebroso! se escapamos de acabar com tudo durante essas decadas todas, creio q nao vamos nos acabar utilizando desses artefatos.. alem desses testes temos os casos famosos de incidentes q poderiam culminar até com uma 3.a guerra q provavelmente seria nuclear e dentre vários, enumero o caso dos misseis de cuba apontados pros EUA e o incidente de 1983 q nesse ano, por falhas dos computadores do exercito sovietico foram detectadas possiveis misseis disparados dos EUA em direcao a URSS e por causa desse cara, nao entramos na 3.a guerra mundial e ainda por cima, nuclear: ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Stanislav_Petrov) .. creio q esses 2 foram os mais proximos, devem haver muitos outros mas se sobrevivemos a estes, os demais devem ser ficinhas!

  4. Cara…eu fico triste lendo isso, de verdade. Sabe, os governos passam por cima da vontade de qualquer um. Porra, pra quê fazer uma merda dessas que PODERIA QUEIMAR A ATMOSFERA, JÁ VIU ESSA MERDA? E nem perguntam pra ninguém…fazem e pronto.

    Essas merdas deveriam ser banidas, fazer igual no filme do SuperMan, que ele joga tudo no sol. Eu espero que isso nunca aconteça, o mundo as vezes parece uma bomba relógio, que coisa.

    • Eu acho que tinha muita chance de dar uma merda épica com a de 100 megatons e eles se ligaram disso quando os calculos da Tsar chegaram. Deviam ser dados muito acima do que eles esperavam obter e nego deve ter quase cagado nas calças ao ver que por pouco não volatizaram a vida na Terra.

  5. Oi Philipe como sempre um post muito bom, estou adorando suas atualizações, estão cheias de coisas interessantes e a quantidade de posts está ótima, parabéns mesmo.

    Philipe andei navegando na net e achei umas matérias sobre Programação Monarca, isso procede? Renderia um post? Fiquei interessada no assunto, mais muito com o pé atrás, qdo o assunto é muito duvidoso, eu sempre pesquiso no seu blog, como não achei nenhuma referência, gostaria de saber se sabe de algo.

    Abraço!

  6. Eu acredito que a possibilidade de uma guerra nuclear é muito baixa.
    Felizmente, a guerra se converteu de um conceito de destruição total da 2ª guerra para bombardeios cirúrgicos nas guerras contemporâneas. Na 2ª guerra era normal bombardear uma cidade inteira com bombas incendiários e matar a população civil, era uma estratégia de combate, já que era impossível atingir um alvo com precisão, largavam bombas na cidade inteira e que que foda os civis. Os EUA com as bombas atômicas apenas fizeram oq faziam antes, só que ao invés de mandar muitos aviões e várias bombas, jogaram uma só.
    Hoje felizmente existem milhares de cálculos e planejamento antes de enviar um caça ou bombardeio numa cidade e mesmo assim acontecem erros com vítimas fatais civis. Se acontecer uma terceira guerra mundial, é provável que ocorra nesses moldes de precisão, se limitando a algumas regiões. Bomba nuclear é propaganda, uma forma de assustas e mostrar por outras “não me ataque, tenho bomba nuclear e possa jogá-la em você”. Como essa Tsar bomb, inviável em termos militares, já que só poderia ser lançadas a uma distância pequena da base, mas serve pra ameaçar e mostrar o poder nuclear do país.

  7. Realmente, tenho que concordar com o Rodrigo Vieira que o séc. XX foi um dos mais tenebrosos de todos. Na minha opinião, nada se compara às atrocidades cometidas nesta época, nem inquisição, nem nada que já possa ter ocorrido nesse mundo. Uma pena que justo no século da Revolução Industrial, das maiores descobertas já feitas, a humanidade se prestou a tamanha ignorância…
    Um fato que pode, de certo modo, nos confortar é de que o mundo atual é muito diferente do que era no início do século passado. Hoje em dia existe uma associação entre todos os países. EUA depende da China pra produzir barato, que por sua vez depende do Brasil, África, Índia e Oriente Médio pra conseguir matérias-primas baratas. Essa coexistência faz com que seja quase impossível a deflagração de uma 3ª Guerra Mundial. Não como já vimos.
    Antigamente cada continente era muito mais “sozinho”, existia uma certa interdependência, mas não como hoje…

  8. Mais um post sensacional. Estava lendo sobre a Tsar no wikipedia esses dias.

    O legal é que todos assuntos que estou pesquisando ultimamente estão surgindo no Mundo Gump.

    Obrigado por manter esse blog com conteúdo exclusivo e com informações precisas.

  9. Eu fico imaginando a quantidade de “quase” da URSS e seu arsenal nuclear monstruoso. Um país como a Rússia ter o poder de destruir o mundo diversas vezes é algo que me deixa preocupado, espero que as bombas estejam bem armazenadas.

  10. Excelente Post. Porém desculpe a ignorância, mas a foto postada como sendo da Tsar bomb é um equívoco, pois pertence, segundo o que sei, ao teste Licorne (1970), detonada pela França na Polinésia Francesa e com algo próximo a um megaton de potência.

  11. Olá Philipe.

    Sou fã do seu site. Era um leitor fissurado nos seus textos e contos gump que eram (e ainda são) sempre ótimos. Parei por um tempo de vir aqui devido a faculdade e afins, mas já estou de volta.

    Vc falando de bomba atômicas, me lembrei de uma teoria da conspiração que ficou (como diria o Rango) saracutiando no meu lobo frontal: a bomba atômica brasileira.

    Sabe-se que se desenvolveu, no final da década de 70, o Programa Nuclear Paralelo, programa brasileiro que permitiria a independência do Brasil nas questões de tecnologia atômica e, possivelmente, o desenvolvimento de armas nucleares.

    Começei a me interessar por esse assunto depois de encontrar um vídeo muito bem-feito sobre a teoria de que o Brasil JÁ TEM uma bomba atômica. Eis o link: http://www.youtube.com/watch?v=twZFh0U2Sls

    Enfim, não sei se vc já escreveu algo sobre isso, mas é certamente um assunto do qual gostaria de ver algumas palavras suas.

    Até.

    • Bomba de Hidrogênio é um tipo de bomba nuclear, já que existem varios. Aliás, na bomba de hidrogênio, a potência consegue ser até 750 vezes mais forte do que qualquer bomba nuclear a fissão.

  12. Existem outras bombas atômicas “perdidas”(“Flecha quebrada”) inclusive em território americano, outras que caíram e foram recuperadas.
    Sete da 11 ogivas nucleares que estão oficialmente desaparecidas foram perdidas em território dos Estados Unidos.

    http://ceticismo.net/2008/11/15/as-armas-nucleares-perdidas-da-guerra-fria/

    http://natgeotv.com/pt/mergulho-e-investigacao/videos/bombas-atomicas-perdidas

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares