As forças da natureza (versão)

Compartilhe

Pessoal, eu estava esculpindo aqui e comecei a pensar nessa letra. É uma adaptação de um belo samba de mesmo nome que o João Nogueira e o Paulo Cersar Pinheiro fizera e a Clara Nunces cantava. Mantive a estrutira e dei uma atualizada na letra para um tema mais atual. Acho que vou pedir autorização aos autores e mandar para o Green Peace para virar hino contra o aquecimento global.

Escute a versão original aqui.
AS FORÇAS DA NATUREZA

Quando o Sol
Se derramar em toda sua potência
Desafiando o poder da ciência
É o aquecimento global
E o mar
Com suas águas bravias
Varrer do mapa nossas patologias
Vai ser o nosso final
Os palácios vão desabar
Sob a força de um temporal
E os ventos vão sufocar o barulho infernal
Os homens vão se arrepender
Da poluição descomunal
E não vai dar pra segurar
A fúria natural

Vai escurecer
Uma chuva ácida do céu vai descer, la la la
Uma nuvem imedita vai se erguer
E o tempo de novo vai ser glacial
Vai regredir
Cada grande cidade o gelo vai cobrir, ô, ô
Das ruínas a vida vai banir
Será o nosso final

Os desastres ambientais
As armas e os homens de mal
Vão desaparecer com o cataclisma global

Vai Convalescer
E o sol no céu vai reaparecer
As geleiras vão retroceder
E o mundo de novo vai ser natural
Vai florir
O túmulo da humanidade a floresta vai cobrir, ô, ô
Os bichos sobreviventes vão evoluir
E vão se espalhar afinal

As baratas e as formiguinhas
Tanto o inseto quanto o animal
Vão se livrar do mundo artificial

Os protocolos ignorados
O petróleo e a emissão global
Vão ser o nosso erro fatal

Vão ser o nosso erro fatal

Vão ser o nosso erro fatal

3 comentários em “As forças da natureza (versão)”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.