52 Comentários

  1. Marcio Linhares

    Grande King Kling!
    Bm dia! Que desperdício, cara! Você foi se meter em 3D, design, psicologia, blogsgump… Com esse seu “networking” poderia ficar rico simplesmente com uma “Agência de Empregadas Domésticas”!!! É só re-recrutar essa turma toda. Quetal esse nome para sua empreitada: “Tá limpeza, Madame”. O nome serve até para garantir um salvo conduto do patrão/patroa pelas quebradas dos morros cariocas pois as relações delas podem ser um “algo mais” no contrato…
    Bons bifes!
    Márcio

    Responder
  2. Brunno Vieira

    Caraca, casquei de rir com este post. Muito, mas muito engraçado hehehehehehehe.

    Caraca maluco como passou empregada por aí. Aqui foi uma mesma durante uns 16 anos. Depois tiveram umas 4 rápidas. Aí mais uma por 5 anos. E agora uma há 2 meses. Mas todas também com histórias pra contar.

    Uma delas era hilária… Não sabia falar palavras difíceis.. fósforo virava “fosfi”, patins virava “patinho” e por aí vai. Ela tinha que andar com um vocabulário anexo.

    []´s

    Responder
  3. Philipe

    Caramba… Quer dizer que voces leram? Leram tudo mesmo? Quem diria. Fiz o maior post da História do Mundo Gump e jurava que ninguém ia ler.
    Obrigado aos dois pela atenção.

    Responder
  4. Brunno Vieira

    Não só li, como vou indicar lá no blog quando atualizar. Muito bom hehehe.

    Responder
  5. e EU com ISSO?!!

    gostei pra caralho do post!
    agora kardecista é foda!
    sabe de uma, me indignei:

    Kardec foi apenas um codificador, no fundo o espiritismo já existe desde a criação do universo meu amigo! por isso mano, ve se muda a forma de falar pra CRISTÃO espirita caralho!
    (sem o caralho, obviamente…)
    Garanto que o proprio Kardec ia gostar mais.

    tirando o coment mediunico de minha parte, muito foda as solineuzas, he,he…

    Responder
  6. Philipe

    Calma cara. Não precisa se indignar. Eu sei que o Kardec foi apenas um codificador. O problema é que o senso comum coloca em “espiritismo” todo tipo de manifestação filosófica-cultura-religiosa que não seja católicos, judeus, ateus, evangélicos.
    Pra ficar claro, a gente se vê obrigado a usar termos como kardecista – que significa que ela segue o código apontado por Kardec – e o que não significa em momento algum que ela idolatre ou deposite sua fé na figura de Alan Kardec. Até porque isso seria incompatível com a própria estrutura filosófica do espiritismo.

    Sobre sua convicção de que o espiritismo existe desde o início do universo eu discordo. O espiritismo é uma filosofia, e como filosofia ela só pode existir quando o primeiro homem começa a pensar sobre ela.

    Responder
  7. Marcos

    Philipe!

    Hoje tirei o dia para ler estes posts do melhor do mundo Gump.

    Um melhor que o outro. Olha, nao duvido das história, em absoluto, mas que vc teve e continua tendo uma vida muito louca, quase inacreditavel, disto ninguem duvida.

    Temos que começar a bolar o roteiro do filme agora: Philipe Gump: o contador de histórias. 🙂

    Responder
  8. Rôbérto Pàssos

    Olá Philipe, muito engraçadas as histórias. Ri muito com o bife à milanesa de açúcar. Agora, aquela da “Família Enlutada”… Kkkk, fala sério, não pode ser verdade… kkkk. Um abraço, gostei muito do site.

    Responder
  9. Pessotti

    Philipe, com essa sua esperiencia de vida, essas hitórias, voce é o cara que esteve sempre na hora errada, no lugar errado… vai viver situações locas (e compartilha-las) assim na terra média!!!

    Responder
  10. Fred¬¬

    lol
    xD
    Semais, mas soh tem um problema…
    “Marineuza” !?!?!?
    Será q se n quiz dizer “Solineuza” n ??

    Responder
  11. Lucas

    kkkk muitoo bom…
    Empregada sempre geram umas histórias engraçadas,
    Uma vez,tinha uma empregada meio doida da cabeça,lerdona,
    Certo dia,meus pais chegam do trabalho,e em tom de brincadeira minha mãe pergunta,”cade o café fulana?”
    Ela responde,desceu aí pra brincar na rua…
    haUhauah,acho q era meu irmão…

    Responder
  12. Pegasus

    Estamos esperando até hoje o texto sobre a Geraldina, faça o mesmo logo, por favor

    Responder
  13. Sandra

    Uai,”vítimas do sistema safado e opressor…” e você diz mais em cima que a Geraldina ” já teve propostas para trabalhar menos e ganhar o dobro…” ??? Então o sistema opressor e safado está na sua própria casa, certo? manda tua vó pagar uma salário digno a ela.

    Responder

    1. Minha avó é aposentada e ganha um salário mínimo. Ela paga praticamente tudo que recebe de aposentadoria para a Geraldina.

      Responder
  14. Dago

    Putz, acabei de perguntar pra minha empregada e ela disse que ela lava o bife também. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk :argh:

    Responder
  15. Dalton

    Acho que “e EU com ISSO” gostou da resposta que recebeu do Philipe.
    Na verdade eu acho que ele deveria ter ficado quieto. Quem fala oq ñ deve ( ou ñ domina ) ouve oq não quer rsrsrsrs
    Adorei o post .
    Só para ilustrar vou contar uma (uma só ) .Meu irmão masi novo foi litealmente ” atacado ” por uma empregada (Ilsa) morenona de uns 16 anos , cabelo duro . (ele só 8 aninhos ). Depois de uns tempos me contou que ela o levou para a cama . Fiquei puto , pq ñ me contou antes ??? Pois ela já ia longe qdo ela contou .Mas, enfim ,..perguntei oq ele achou da situação . E ele : Ah achei legal até…..Só ñ gostei daqueles pelos ….AHAHAH . Abraços a todos .

    Responder
  16. Nathália

    Interessante as histórias, algumas engraçadas..
    vejo que quando eram pequenos, então as empregadas é que faziam de tudo, cozinhando e tal, ou seja, dependendo delas. Sei lá, como nunca tive empregada e sempre fiz tudo em casa desde pequena e meu pai desde jovem sempre se virou… acho que as crianças ( principalmente meninos ) deveriam aprender a se virar em casa, fazer a comida, lavar suas roupas, etc.

    Responder
    1. DANIEL

      eu te garanto q eu lavo o banheiro de casa, lavo a loça, lavo a ropa de vez em quando, etc… (e eu tenho 14 anos)

      Responder
  17. AndreM

    ahahahaha mto bom seus post..
    Por maior que tenha feito.. a história puxa a continuarmos lendo.. vc escreve mto bem..

    sucesso

    Responder
  18. Cássio

    Excepcional post! Primeira vez que entro no mundo gump, voltarei sempre.

    Responder
  19. CARLOS ROBERTO

    ME DIVERTI DEMAIS LENDO ESTAS PITORESCAS ESTÓRIAS, QUE, NA VERDADE, MAIS PARECEM CRÔNICAS, EIS QUE RETRATAM, DE UM MODO MUITO PARTICULAR, FATOS E EVENTOS DO COTIDIANO. GOSTEI MUITO! E, MAIS AINDA, PELO FATO DE, SENDO NETO, FILHO E IRMÃOS DE DOMESTICAS, PERCEBER VOSSO RESPEITO E SINCERIDADE NAS PALAVRAS, SEM AUMENTAR, NEM DIMINUIR… APENAS SENDO VERDADEIRO EM SEUS SENTIMENTOS! OBRIGADO.

    CARLOS ROBERTO DA SILVA
    advogado
    Ribeirão Preto SP

    Responder
  20. guedes

    legal a estória, mas VC tá escondendo alguma. Ñão teve nenhu ma que vc comeu ou teve uma puta vontade. Todo pirralho tem. As vezes até consegue.

    Responder
  21. ricardo andrade

    ueaheuheuheuheuea é por isso que eu nao tenho empregada maluco, gente estranha dentro da minha casa, to fora, até por que moro em apartamento, e nem é tão dificil de limpar assim. de vez em quando contrato uma diarista para fazer uma geral, mas só tambem,
    ja tive empregada uma vez, a eva. era até legal.. morena do peitão. até que minha mãe pegou eu comendo ela O.o gump

    Responder
  22. Annabel_Lee

    Poxa, post velho pra caramba, cheguei de pára-quedas aqui no blog, interessada nas suas dicas de stop-motion, daí achei TÃO bom que resolvi dar uma boa fuçada no arquivo.

    Caramba, também já tive zilhões de empregadas e muitas histórias… Tinha uma que chamava Nivea, batia no meu irmão e era burra, muito burra, e essa também parece piada: Minha mãe pediu pra ir no mercado comprar frango a passarinho… Ela voltou dizendo que o açougueiro disse que só tinha frango(imagino que ela tenha perguntado:Tem passarinho?! Tipo, rolinha, canário…). Uma vez eu tive piolho, tinha uns 5 anos, e ela comia os piolhos. Eca. E quando ela queria convencer minha mãe de que não sabia de algo, dizia: Mesmo que eu não sei, Dona Maristela! pedia pra que eu subisse em sua “cacunda(!)”, e tinha uma cantiga que era assim:
    Canivetinha, pintainha(?!)
    Não-sei-o-quê,não-sei-o-quê
    Sete copas, sete ouros(e nessa altura nossas mãos ficavam apoiadas nos joelhos)
    Tira a mão da bolachinha :B . Uma cantiga digna de Lewis Carroll.oO

    Eu tinha outra que corria atrás de mim com a vassoura pra me obrigar a tomar banho. Uma vez ela me enfiou no chuveiro de roupa e tudo, e eu puxei ela junto!

    =] Adorei o seu blog. Pode esperar por MUITOS comentários meus xD

    Responder
  23. Liah

    HAHAHAH A-DO-RE-IIII
    TO RINDO SEM PARAR ATÉ AGR DA EMPREGADA QUE QUERIA TER UM “SORRISO BRILHANTE”
    KKKKKKKKKKKKKKK
    PUTZ, TO ADORANDOOOO//// Ñ SAIO MAIS DAKI
    PARABÉNS… 😀

    Responder
  24. Marcusnfonseca

    Ola Philipe, gostei muito de suas esperiencias com domesticas, eu tambem tenho varias, uma delas tinha o globo ocular para fora e eu toda vez que ia almoçar procurava o olho dela no prato. Valeu um abraço.Marcus de maceió.

    Responder
  25. Laurapabc

    Caramba como vc é metido! Devia ser o terror das empregadas, aquelas crianças frescas q pintam e bordam e os pais não falam nada! Com certeza se acha melhor q os outros, a sua mãe tinha q ser empregada e pobre pra vc ver como é gostoso!!!

    Responder
    1. Philipe3d

      Eu já fui mais metido na vida do que sou hoje. Nisso vc tem toda razão. Mas quanto a pintar e bordar e meus pais não falarem nada, errou retumbantemente. Eu entrava na porrada com tudo que tinha direito. Até as empregadas me batiam. Mas reconheço que eu apanhava porque merecia (em 70% dos casos).
      Pra mim não teria problema absolutamente nenhum se minha mãe tivesse trabalhado como doméstica, como faxineira, como lavadeira e até mesmo como prostituta, se tivesse sido o caso. Isso não muda a pessoa sensacional que ela é. E são todos trabalhos dignos. As pessoas devem ser medidas pelo que elas são e não pelo cargo que elas ocupam. Acho muito mais digno ter uma mãe dona de casa, ou empregada doméstica honesta do que ter uma mãe como a assessora da Dilma, que usava o cargo de confiança no governo para promover maracutaias.
      Sua ultima frase revela muito mais preconceito do que todo este texto.

      Responder
      1. Laurapabc

        Falo com conhecimento de causa querido! Minha mãe e muitas tantas pessoas que eu amo já foram alvo da falta de respeito, que pessoas como vc acham graça.
        Ainda bem que vc reconhece que é um texto bem preconceituoso.

        Responder
        1. Philipe3d

          UM preconceito é um conceito sobre alguem que surge a priori. Quando se fala de alguém a quem se conhece, não se trata de um preconceito. Preconceito seria se eu dissesse que as empregadas são burras por serem empregadas, ou modelos são burras por serem modelos, ou que brasileiras são putas por serem brasileiras.
          Quando eu cito algumas figuras pitorescas que conheci, isso não constitui preconceito, e sim conceito.
          Falta de respeito é outra coisa bem diferente. Se sua mãe passou por isso em outras situações, que pena. Só que eu não tenho nada a ver com isso. Tá ligada neste detalhe, né?

          Responder
  26. Syc20047

    Olá Philipe
    Eu moro no Japão. Nesse momento, estou na sala de espera de uma clinica de maternidade, onde vim trazer minha esposa para exames pre-natais. Cara, voce não imagina o que eh ter de segurar o riso que quer explodir, estando onde estou e com outras pessoas por perto. Esse foi o melhor de seus post que li ate agora. Fazem uns 2 dias que comecei a lê-los sempre que tenho um tempinho (o que significa que leio quando estou no ônibus ou no metro).
    Se voce encontrar a darth vader por aí, mande um abraço pra ela. Foi a que mais eu tive de segurar para não rir.
    Abraços. Carlos.

    Responder
  27. Syc20047

    Aqui no Japão, apesar do caos causado pelo terremoto do dia 11 de marco, ta tudo tranquilo, a vida voltando ao normal aos poucos.

    Abraços pra vocês aí no Brasil!! Falou!!

    Responder
  28. Paulorik

    caraca!!! vc teve empregadas ate quantos anos?
    Ou elas duravam poucas… Ou você tem ate hj kkkk

    Responder
    1. Philipe3d

      NA casa da minha mãe, como nós nos mudávamos muito em função do trabalho do meu pai, havia uma grande rotatividade. Depois que eu casei, passei um bom tempo sem, mas quando o trabalho meu e da primeira dama apertou, tivemos que contratar uma faxineira, a Leni que é uma pessoa super querida. Depois a Leni ficou ruim, coitada, de saúde, e ela não pôde ais continuar com a gente, mas encontramos sempre com ela e de vez em quando ela vem nos visitar pra matar a saudade. Aí nós contratamos uma moça que cozinhava bem e era muito atenciosa, mas de um dia para o outro ela resolveu voltar para o Nordeste pra rever a mãe dela e não voltou mais. Então tivemos que contratar novamente, e contratamos a Eline, que trabalha na minha casa hoje. Ela cozinha bem pra caramba, (é co-responsável pelo aumento do meu pânceps) e tem um mole danado aqui em casa, porque a gente deixa tudo sem bagunça, e como somos um casal sem filhos, a casa ta quase sempre apresentável. Então ela é praticamente uma cozinheira.

      Responder
  29. rosana sanches

    adoro as suas historias, sao incriveis estou lendo todas e me divertindo muito.! 

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.